Jair Bolsonaro

Presidente do Brasil
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro em outros projetos:

Jair Bolsonaro (Glicério, 21 de março de 1955) é um político brasileiro, atual presidente do Brasil desde 2019. Foi eleito presidente do Brasil em 28 de outubro de 2018 e assumiu o mandato no dia 1º de janeiro de 2019. É pai dos também políticos Flávio Bolsonaro, Carlos Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro, além de seus filhos mais jovens Renan e Laura.

CitaçõesEditar

Decáda de 1980Editar

1986Editar

  • "Muitos reclamam da não tributação do imposto de renda sobre os vencimentos brutos dos oficiais e sargentos. Ora, se isso ocorresse, depararíamos com a inconcebível circunstância de um aspirante a oficial do Exército - homem de elite e cheio de sonhos de carreira - ter que sobreviver com menos de 5.000 cruzados mensais. Um salário inferior ao de muitos técnicos e funcionários sem qualificação de muitas estatais, como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e Petrobrás."
- Coluna "Ponto de Vista", "O salário está baixo", Revista VEJA - 03/09/1986 - Edição 939 - pág. 154.[1]
  • "[...] não consigo sonhar com as necessidades mínimas que uma pessoa do meu nível cultural e social poderia almejar."
- Coluna "Ponto de Vista", "O salário está baixo", Revista VEJA - 03/09/1986 - Edição 939 - pág. 154.[2]

1988Editar

  • "Admito também a transgressão disciplinar [...], pela qual, acertada e justamente, fui punido com quinze dias de prisão, única punição por mim sofrida até a presente data"
- No Superior Tribunal Militar, em 04/1988, sobre a autoria do artigo publicado na revista Veja em 1986.[3]
  • "Os hospitais públicos devem fazer a operação de ligadura de trompas em quem quiser. Se não, vamos ter essa gente invadindo a zona sul e tomando conta deste negócio."
- Folha de S.Paulo, 21/10/1988.[4]

1989Editar

  • "Nosso Exército é uma vergonha nacional e o ministro está se saindo como um segundo Pinochet."
- Sobre Leônidas Pires Gonçalves, então ministro do Exército. Veja, 28/10/1989.[5]

Década de 1990Editar

  • "Não adianta vir com paliativo, mostrar folhetinhos para a população carente que é analfabeta."
- Sobre controle de natalidade, durante sessão na Câmara Municipal do Rio de Janeiro no início dos anos 1990.[6]

1990Editar

  • "A proposta japonesa de explorar ouro na Amazônia em troca da dívida externa não pode simplesmente ser descartada como muitos querem, sob o pretexto que nossa soberania estaria ameaçada. Afinal, onde está o outro de Serra Pelada? Um estudo profundo por técnicos e políticos patriotas poderia dimensionar a viabilidade de um contrato calcado em área delimitada e com tempo também definido, logicamente sem deixarmos de fora a supervisão por parte das Forças Armadas. Nossa sabedoria [sic] estaria assim sendo defendida, pois um povo que passa fome, não tem educação e saúde não é soberano, é escravo."
- Em carta ao jornal Tribuna da Imprensa publicada em 15/03/1990.[7]
  • "Se com essa história de livre negociação todo mundo começar a ter aumento e os militares não, vou começar a reclamar e quero ver quem vai me calar. Tem que ser muito homem pra vir aqui calar minha boca. Se o ministro do Exército ficar igual ao ministro Leônidas, do governo Sarney, sem tomar providência alguma, não vai dar. Eu aprendi na caserna a não dominar as palavras."
- Sobre a "livre negociação salarial" de funcionários públicos proposta pelo governo Collor, em reportagem do jornal Tribuna da Imprensa publicada em 30/05/1990.[8]
  • "Um verdadeiro chefe não pode se vangloriar com a vitória em uma batalha se o pretenso êxito foi obtido às custas do sacrifício desnecessário de seus soldados. [...] A primeira virtude que se exige para um chefe militar é a lealdade."
Criticando o adiamento do reajuste salarial dos funcionários públicos federais, em telex para o presidente Fernando Collor de Mello em 14/07/1990.[9]
  • "Inaceitáveis as declarações de V. Exª à imprensa no sentido de que a defasagem salarial que atinge aos militares é de apenas 24%, atribuindo as notícias sobre insatisfação à exploração de origem política e eleitoreira. [...] As autoridades não podem e não devem se prevalecer da disciplina dos militares para subjugá-los."
- Em telex enviado em 24/07/1990 para Jonas de Morais Correia Neto, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas.[10]
  • "Desse jeito eles querem me eleger. Não preciso nem fazer campanha. Se eles continuam repercutindo desta maneira às minhas atitudes, vai ser ótimo para mim."
- Comentando sobre a possibilidade de ser punido pelo Estado-Maior das Forças Armadas por dizer que este mentia sobre a defasagem dos soldos dos militares, em reportagem do jornal Tribuna da Imprensa publicada em 01/08/1990.[11]
  • "Esse pessoal está querendo levar umas chineladas. Os militares estão perdendo a paciência."
- Ao prever protestos em quartéis e "reações isoladas" contra a decisão do governo federal de não conceder reajuste salarial a seus funcionários, em manchete publicada pelo jornal Tribuna da Imprensa em 07/08/1990.[12]
  • "Longe de traduzirem ameaça à disciplina, estas atitudes devem ser encaradas como fruto da conscientização dos militares brasileiros, já agora cientes de que a prática democrática impõe esses dois caminhos, o Legislativo e o Judiciário. No Estado de Direito Democrático as aspirações de diferentes setores da sociedade, aí incluídos militares, têm como instrumento ideal para seu atendimento a atuação dos três órgãos da soberania."
- Sobre ter entrado com ação popular pela redução dos salários de deputados federais para o valor recebido pelos ministros de Estado, em reportagem publicada pelo jornal Tribuna da Imprensa em 15/09/1990.[13]
  • "O Brasil está cansado de homens de direita e esquerda; o que precisamos é de homens de direito."
- Ao comentar ter tido "excelente relacionamento com a esquerda" na Câmara Municipal do Rio de Janeiro enquanto vereador, em reportagem do jornal Tribuna da Imprensa em 10/10/1990.[14]
  • "O pessoal lá de cima acena com 63% de reposição salarial, mas acho que estão querendo é 64%. Para bom entendedor, meia palavra basta."
- Em referência ao golpe militar de 1964, ao comentar sobre proposta de reposição salarial para militares em reportagem publicada pelo jornal Tribuna da Imprensa em 12/12/1990.[15]

1991Editar

  • "O Brasil tem que ter a bomba atômica; é preciso acabar com esse tabu. Senão, vamos ficar sempre nessa miséria, entre os últimos da fila. O pessoal verde, ecológico, não pode ser contra isso. Temos que dominar o ciclo do urânio, do começo ao final, para nos colocarmos em pé de igualdade com as nações do Primeiro Mundo. Não sou a favor de espalhar testes nucleares por aí."
- Em reportagem do jornal Tribuna da Imprensa em 14/01/1991.[16]
  • "O governo deve fazer laqueadura ou vasectomia voluntária em todos os cidadãos acima de 21 anos. O Estado gasta muito mais com filhos indesejados. O Brizola fica dizendo que vai se dedicar ás criancinhas, mas não tem como. É preciso controle de natalidade. O número de casais que não planeja filhos é muito grande. Menos gente significa menos miséria. Vai procurar um apartamento para alugar! Não tem e, quanto maior o imóvel, mais caro. As pessoas de poder aquisitivo fazem controle, mas quem não tem não faz."
- Em reportagem do jornal Tribuna da Imprensa em 14/01/1991.[16]
  • "Nem mesmo a brutal injustiça, fruto da não-regulamentação do artigo 40 da Constituição, referente às pensões militares, sensibilizou o atual chefe do Estado-Maior das Forças Armadas. Em usa omissão na relação com os problemas da família militar, o senhor Jonas de Morais Correia Neto comportou-se como um autêntico pelego. Restam aos militares duas alternativas: ou a subserviência ou o desespero, que pode, numa ação não desejada, mas possível, resultar até na baioneta."
Em seu primeiro boletim informativo como deputado federal a eleitores militares, em 06/03/1991.[17]
  • "O general Jonas demonstra incompetência ao achar que é o dono da verdade. Se ele acha que os projetos do Emfa são 'imexíveis', então é melhor voltarmos aos decretos-lei [sic]. Se um deputado não pode emendar um projeto oriundo do Emfa, então não poderia também emendar projetos do presidente da República, que é o chefe supremo das Forças Armadas. O general Jonas não tentou regulamentar o artigo 40 da Constituição, referente às pensões militares, porque é neófito. Ele continua subserviente ao presidente da República e não pode se aproveitar das boas coisas que o cargo oferece. Arrogante, o general Jonas faz autoelogio como despedida. Devíamos fazer um toque de silêncio pelo fim deste personagem que é uma pessoa nociva à classe militar e ao Brasil."
- Em 10/03/1991, em resposta a carta de Jonas de Morais Correia Neto, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, criticado anteriormente por Bolsonaro quanto aos soldos dos militares.[18]
  • "Pode haver casos isolados [de violência nos quartéis], mas acredito na disciplina e até na paciência dos militares. mas, se os salários continuarem achatados, o Exército é que vai ser destruído. O pessoal nos quartéis está muito desmotivado."
- Em 10/03/1991, quanto aos soldos dos militares.[18]
  • "O chefe do EMFA logo logo estará vestindo o pijama e verá a realidade de reserva. O nível baixou tanto que não há resposta. Essa linguagem se usa na tropa para dar bronca em recruta, informalmente, mas não em pronunciamento público. Numa conversa entre colegas, também civis, usa-se expressões assim, mas de maneira informal."
- Em resposta, publicada no jornal Tribuna da Imprensa em 16/04/1991, à carta de Jonas de Morais Correia Neto, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA), criticado anteriormente por Bolsonaro quanto aos soldos dos militares.[19][20]

1992Editar

  • "Banana, palhaço e covarde."
- Sobre Carlos Tinoco, então ministro do Exército, durante protesto em 27/04/1992. Folha de S.Paulo.[21]
  • "Devemos adotar uma rígida política de controle da natalidade. Não podemos mais fazer discursos demagógicos, apenas cobrando recursos e meios do governo para atender a esses miseráveis que proliferam cada vez mais por toda esta nação."
- Em 1992.[22]
  • "Representando e expressando também a vontade dos militares, que são povo, voto sim."
- Na votação sobre a admissibilidade do processo de impeachment contra o presidente Fernando Collor de Melo, em 29/09/1992.[23]

1993Editar

  • "Se havia corrupção desenfreada e se os políticos lá se tinham locupletado, então os militares deveriam mesmo intervir."
- Sobre o golpe de Estado na Guatemala. Folha de S.Paulo, 26/05/1993.[24]
  • "Sou a favor de uma ditadura, de um regime de exceção, desde que esse Congresso dê mais um passo rumo ao abismo, que está muito próximo. Na atual democracia, temos como resolver os problemas nacionais?"
- Na tribuna da Câmara dos Deputados em 24/06/1993.[25]
  • "Tudo o que se faz aqui dentro (do Congresso) é inócuo. O único caminho que sobra é a intervenção das Forças Armadas. Como você vai acabar com os privilégios salariais no Judiciário, por exemplo, sem um regime de exceção? Não defendem Fidel Castro por aí? Eu defendo o Fujimori."
- Em entrevista à Folha de S. Paulo em 25/06/1993.[25]
  • "Eu simpatizo com o Fujimori. A Fujimorização é a saída para o Brasil."
- Em entrevista ao The New York Times em 25/07/1993.[26]
  • "Esse Congresso está mais do que podre. Estamos votando uma lei eleitoral que não muda nada. Não querem informatizar as apurações pelo TRE. Sabe o que vai acontecer? Os militares terão 30 mil votos e só serão computados 3.000"
- Durante encontro no Clube Militar, em 08/1993, contra o voto impresso.[27]
  • "Se Deus quiser, vamos voltar. Só que teremos guilhotina e não haverá esta bagunça que está aí."
- Defendendo o retorno de um governo militar, em discussão com o então senador Ronan Tito (PMDB-MG), durante votação na comissão mista do Congresso sobre o Plano Real, na qual o deputado foi o único a votar contra a criação da Unidade Real de Valor.[28]

1994Editar

  • "Não acredito mesmo. Não acredito. Mas de jeito nenhum. A minha classe não acredita. O servidor público não acredita. Em todas as esferas, não acreditam também."
- Sobre o Plano Real.[29]
  • "Há leis demais que atrapalham. Num regime de exceção, o chefe, que não precisa ser um militar, pega uma caneta e risca a lei que está atrapalhando. Ninguém acredita mais no Congresso. O Congresso deveria ser congelado temporariamente. Os parlamentares são despreparados."
- Em Brasília, 23/06/1994.[30]
  • "[Prefiro] sobreviver no regime militar a morrer nesta democracia."
- Em 08/1994.[31]

1995Editar

  • "Cara-de-pau e ladrão de servidores."
- Sobre o ministro da Administração e Reforma do Estado, Luís Eduardo Bresser Pereira, em 03/1995.[32]
  • "Mesmo armado me senti indefeso."
- Sobre ter sido roubado. Tribuna da Imprensa, 05/07/1995.[33]
  • "Pela sua coragem, quero agora louvar o excelentíssimo Sr. Presidente do Peru, Alberto Fujimori, que implantou em seu país, como forma de conter a explosão demográfica, a esterilização voluntária. [A Igreja Católica é] uma das grandes responsáveis pela miséria que grassa em nosso meio."
- Na Câmara dos Deputados,[34] em 21/09/1995.[35]

1996Editar

  • "Só voto se me ajudarem a liberar recursos no orçamento ou indicar diretor de estatais. A massa dos parlamentares vai impedir essa manobra. A maioria não vai colocar o IPC na guilhotina."
- Defendendo a manutenção do Instituto de Previdência dos Congressistas (IPC) e estabelecendo condições para votar pela sua extinção, em Brasília, 16/02/1996.[36]
  • "Gastaram muito chumbo com o Lamarca. Ele devia ter sido morto a coronhadas."
- Sobre Carlos Lamarca. 27/07/1996.[37]
  • "As correspondências têm atrasado porque estão preparando para privatizar a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. A telefonia celular também. Eu acho um absurdo o que estão fazendo. [...] E você entrega a direção da Vale do Rio Doce para grupos internacionais?"
- Contra as privatizações durante o governo de Fernando Henrique Cardoso.[29]

1997Editar

  • "O pessoal fala que é discriminação. Agora você, aí de casa, contrataria um motorista gay para levar seus filhos na escola? Tá na cara que não.
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta, da Band.[38]
  • "Acho que a PM perdeu uma grande oportunidade de matar mil bandidos; já que houve, que matassem mil. Perderam essa oportunidade de fazer uma limpa na vagabundagem deste país e, com certeza, muitos iam pensar mais vezes antes de virar bandidos."
- Em 02/10/1997, sobre o Massacre do Carandiru, no qual 111 presos foram mortos.[39][40]

1998Editar

  • "Quero deixar patente minha revolta com a grande mídia, um tanto quanto servil, que criticou duramente o Colégio Militar de Porto Alegre apenas porque nove entre 84 alunos resolveram eleger entre Conde Drácula, Hércules, Nostradamus, Rainha Catarina, Átila - só faltou FHC -, Hitler como personalidade histórica mais admirada. Se eles tivessem eleito FHC, logicamente estariam elegendo o pai do Governo mais corrupto da História do Brasil, porque ele não admite que nenhuma denúncia de corrupção seja apurada por esta Casa. Ele não é exemplo para a juventude. Um colégio sério, com o Colégio Militar de Porto Alegre, para que tenha qualidade, tem de ter liberdade de expressão. Reitere-se que os alunos - a maioria é formada por menores - pagam por esta revista, portanto têm liberdade de escrever o que bem entenderem. Devemos respeitar esta juventude que começa, a partir destes debates e desta matéria na imprensa, a se preparar para ser, no futuro. Ao mesmo tempo, gostaria de criticar o Centro de Comunicação Social do Exército, que anunciou que vai acompanhar a revista. Esses garotos, entre tantos outros, são filhos de militares e estão realmente carentes de ordem e de disciplina neste país. Enquanto o nosso presidente da República não dá exemplo disso, eles têm que eleger aqueles que souberam, de uma forma ou de outra, impor ordem e disciplina, se bem que, como o jovem aluno do Colégio Militar que não foi para a Escola preparatória de Cadetes do Exército, de nome Roberto Dias Torres Júnior, nós também não concordemos com as atrocidades cometidas por Adolf Hitler."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 21/01/1998, defendendo a escolha de Hitler como personalidade histórica mais admirada por formandos de 1995 do Colégio Militar de Porto Alegre. A escolha, na verdade, foi de 84 dos 185 alunos.[41]
  • "A Comissão só defende direitos de picareta e de vagabundo. [...] desocupados que estavam desrespeitando a lei. Os sem-terra correram atrás dos PMs com picaretas e encurralaram a polícia. Os PMs ficaram escondidos debaixo do caminhão. Não podiam fazer outra coisa senão atirar em defesa da própria vida. Foram obrigados a atirar."
- Em referência aos 19 trabalhadores sem-terra mortos no Massacre de Eldorado do Carajás, em reportagem da Folha de S.Paulo de 13/03/1998.[42]
  • "Houve exceção em Cuba, na Albânia. Aqui houve casos isolados. Quase todos os que combateram o regime militar estão muito bem de vida, aqui (Câmara) e no Planalto.
- Em reportagem da Folha de S.Paulo de 13/03/1998.[42]
  • "Existe outro megapicareta chamado d. Paulo Evaristo Arns, que teve a cara-de-pau de publicar carta aos leitores do jornal Folha de S.Paulo de ontem, assinada por mais 155 desocupados e vagabundos como ele, criticando minha possível eleição para a presidência da Comissão de Direitos Humanos. Apela a Fernando Henrique Cardoso para que tome as providências legais a fim de que eu não assuma a presidência daquela importante comissão, que defende os direitos humanos de vagabundos como ele, d. Paulo Evaristo Arns, que parece que tem as chaves da porta do céu. Mas, na verdade, as chaves que ele tem na cintura são da porta do inferno. Esse d. Paulo Evaristo Arns deve se recolher a sua insignificância, ao seu trabalho demagogo."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, respondendo a carta do então arcebispo Paulo Evaristo Arns contra a candidatura de Bolsonaro para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da câmara baixa do Congresso. Folha de S. Paulo, 20/03/1998.[43]
  • "[...] com o início do Projeto Calha Norte, nascido em 1985, no Governo Sarney, começaram a ser instalados alguns pelotões na fronteira da Amazônia com o objetivo de servir de pólo de colonização, que, em última análise, iria consolidar a nossa faixa de fronteira com os países ao norte da América do Sul. O americano, vendo isso, estimulou a indústria da demarcação de terras indígenas. Desta forma, onde havia pelotões de fronteira, superposto a este, foram demarcadas terras indígenas. [...] Mas, então, essa indústria acabou inviabilizando esse projeto."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 15/04/1998.[44]
  • "[...] a cavalaria brasileira foi muito incompetente. Competente, sim, foi a cavalaria norte-americana, que dizimou seus índios no passado e, hoje em dia, não tem esse problema em seu país – se bem que não prego que façam a mesma coisa com o índio brasileiro; recomendo apenas o que foi idealizado há alguns anos, que seja demarcar reservas indígenas em tamanho compatível com a população."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 15/04/1998.[45][44]
  • "[...] o que a Amazônia tem de importante, Sr. Presidente? As riquezas minerais já inexistentes nos Estados Unidos e nas grandes potências. Esses países precisam desses minerais para sua sobrevivência. Também a biodiversidade dispensa qualquer comentário sobre sua importância. A abundância de fontes de águas potáveis, inexistente já na maioria dos países do Primeiro Mundo, segundo dizem. poderá ser uma das causas da Terceira Guerra Mundial. Uma das maiores reservas de gás do mundo poderá ser a energia de transição quando terminar o ciclo do petróleo. Finalmente, grandes espaços vazios poderão, no final da missão da conquista da Amazônia, servir para alocar a população excedente existente no Primeiro Mundo."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 15/04/1998.[44]
  • "[Os] sequestradores devem ser torturados para revelar os nomes de todos os seus cúmplices. [...] Esses vagabundos deveriam estar todos mortos, mas antes devem ser torturados para contar quem são os integrantes de suas quadrilhas."
- Em 04/1998, sobre os sequestradores do empresário Abilio Diniz.[46]
  • "O cachorro não sabe que ele é um senador, mas deveria ser condecorado."
- Quando um cachorro da Polícia Militar do Distrito Federal atacou o então senado Eduardo Suplicy, que socorria um manifestante ferido durante um protesto liderado pela CUT no Congresso Nacional, em 21/05/1998.[47][48]
  • "Acho que eles se sentiram incomodados com minha presença e vieram com ofensas pessoais. Quando um deles foi pra cima da minha ajudante, a briga começou."
- Após admitir ter agredido uma mulher durante uma discussão na agência do Banco do Brasil em Deodoro, Rio de Janeiro, em 26/08/1998.[49]
  • "Tuminha, fica na sua senão te encho de porrada."
- Ao deputado federal Robson Tuma (PFL-SP), em sessão da Câmara dos Deputados em 11/1998, após aprovação de projeto sobre cobrança de contribuição previdenciária de militares inativos.[48]
  • "Pinochet devia ter matado mais gente."
- Sobre Augusto Pinochet. Veja, edição 1575, de 02/12/1998 – Página 39[50]
  • "Já vai tarde."
- Quando Luís Eduardo Carlos Magalhães, filho de Antonio Carlos Magalhães (ACM), faleceu. Revista Veja, 1998.

1999Editar

  • "Aproveito a oportunidade para, de público, agradecer a Vsa. Exa, deputada Luiza Erundina, pelo que já fez pela classe militar das Forças Armadas enquanto esteve à frente da administração. Tenha a certeza de que não nos esquecemos (...). Na vida pública, precisamos de gente como V. Exa., que olha para todos como brasileiros, independente de estarem fardados ou não (...)"
- Na tribuna da Câmara dos Deputados, à deputada federal Luiza Erundina, então no Partido Socialista Brasileiro, em 12/03/1999.[34]
  • "Pau-de-arara funciona. Sou favorável à tortura, tu sabe disso. E o povo é favorável também. Essa porcaria é o que a gente vive hoje em dia é que esse pessoal lá de cima chama de democracia."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999, sobre o ex-presidente do Banco Central ter invocado o direito de ficar calado em uma CPI.[51][52]
  • "Através do voto você não vai mudar nada nesse país, absolutamente nada. Só vai mudar, infelizmente, quando um dia nós partirmos para uma guerra civil aqui dentro. E fazer um trabalho que o regime militar não fez, matando uns 30 mil, começando pelo FHC. Se vai morrer alguns inocentes, tudo bem. Em tudo quanto é guerra morrem inocentes."
- Sobre o então presidente Fernando Henrique Cardoso, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[52]
  • "O pessoal reclama do Lula e do FHC. Eu votaria no Lula no 2º turno. Apesar de dizerem que ele não é uma pessoa muito culta, eu vejo como uma pessoa honesta. Não adianta você votar numa pessoa cultíssima como o FHC e desonesta. Você não vai ter esperança de nada nunca na vida. O foco é na honestidade."
- Sobre eleições presidenciais, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[52]
  • "Não há a menor dúvida. Eu daria golpe no mesmo dia. [O Congresso] não funciona e tenho certeza que pelo menos 90% da população ia bater palmas. O Congresso hoje em dia não serve para nada, só vota o que o presidente quer. Se ele é a pessoa que manda, que decide e que tripudia em cima do Congresso, que dê logo o golpe, parte logo para a ditadura. Estou no congresso para não chegar um mau caráter no meu lugar."
- Ao ser questionado se ordenaria o fechamento do Congresso Nacional caso fosse eleito presidente, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[52]
  • "Conselho meu e eu faço: eu sonego tudo que for possível. Se eu puder não pagar o negócio, eu não pago, porque o dinheiro vai pro ralo, pra sacanagem. Eu prego sobrevivência. Sobrevivência. Se você for pagar tudo o que o governo pede pra você, você não sobrevive. Se você precisar de um médico e não tiver dinheiro para pagar, você vai para a rede pública e vai morrer na rede pública."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[52]
  • "Eu preciso dela [imunidade parlamentar], caso contrário, eu estaria morto. Eu não tenho dinheiro pra contratar advogado pra me defender, se fosse o caso. Eu ganho R$ 5 mil líquido por mês, tem 30% de pensão alimentícia e fica R$ 3,5 mil por mês. Não tô reclamando do meu salário não, mas não tenho dinheiro pra contratar advogado. Eu não consigo ir nem para o Paraguai com o meu salário."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[52]
  • "Hipocrisia. O cidadão honesto tem que se armar. Eu tô armado aqui. Podem me render e me matar, isso é outra história. Mas se derem mole, eu vou atirar e atirar pra matar."
- Sobre a campanha do desarmamento, em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[52]
  • "[A situação] compromete o bom nome da Elba Ramalho. Do Pelé eu não falo nada. Homem que não assume um exame de DNA, de paternidade, eu passo a ter minhas reservas."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999, após funcionários publicarem notas falsas no Diário Oficial da União de que a cantora Elba Ramalho teria sido contratada por R$ 800 mil para uma suposta festa de aniversário de FHC, e que Pelé receberia R$ 500 mil por uma palestra.[52]
  • "[A ditadura] matou menos gente do que o último Carnaval em São Paulo."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999.[53]
  • "É absurdo o secretário ter ido a São Paulo visitar os sequestradores do empresário Abílio Diniz; com isso, ele demonstra ter mais estrume na cabeça do que o ex-ministro Sérgio Motta tinha na barriga."
- Em entrevista ao programa Câmera Aberta da Band, gravada em 21/05/1999, sobre o então secretário de Direitos Humanos, José Gregori, e o ex-ministro das Comunicações, Sérgio Motta, já falecido na época, sobre Gregori defender o pagamento de indenizações aos familiares dos mortos no massacre do Carandiru.[53][46]
  • "O governo de Fernando Henrique deixa o Collor no bolso."
- No Rio de Janeiro, em 24/05/2019, sobre corrupção no governo federal.[53]
  • "Se ele sugeriu a cassação, então vão cassar o meu mandato."
- Em 05/2019, após Antônio Carlos Magalhães, então presidente do Senado, que criticou as falas que Bolsonaro havia feito no programa Câmera Aberta na semana anterior.[53]
  • "É o que dá torturar e não matar. Se a ditadura tivesse matado muita gente no passado, teria melhorado. [...] Se mais gente tivesse ido para o saco ou para a vala, seria melhor."
- Em 16/06/1999, sobre o ex-padre José Antônio Monteiro e o presidente Fernando Henrique Cardoso, após ir ao Centro Médico da Câmara dos Deputados para saber sobre o estado de saúde de Monteiro, que havia acusado de tortura o ex-diretor-geral da Polícia Federal João Batista Campelo.[54][46]
  • "É uma esperança para a América Latina e gostaria muito que essa filosofia chegasse ao Brasil. Acho ele ímpar. Pretendo ir à Venezuela e tentar conhecê-lo. Quero passar uma semana por lá e ver se consigo uma audiência. Acho que ele vai fazer o que os militares fizeram no Brasil em 1964, com muito mais força. Só espero que a oposição não descambe para a guerrilha, como fez aqui."
- Sobre o então presidente venezuelano Hugo Chávez. O Estado de S. Paulo, 04/09/1999.[55]
  • "[Hugo Chávez] não é anti-comunista e eu também não sou. Na verdade, não tem nada mais próximo do comunismo do que o meio militar. Nem sei mais quem é comunista hoje em dia."
- Sobre o então presidente venezuelano Hugo Chávez. O Estado de S. Paulo, 04/09/1999.[55]
  • "Para o crime que ele (FHC) está cometendo contra o país, sua pena devia ser o fuzilamento."
- No Rio de Janeiro, em 28/12/1999.[56]

Década de 2000Editar

2000Editar

  • "Acho que o fuzilamento é uma coisa até honrosa para certas pessoas."
- Referindo-se ao então presidente Fernando Henrique Cardoso em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Nunca bati na ex-mulher. Mas já tive vontade de fuzilá-la várias vezes."
- Sobre sua ex-esposa e então vereadora Rogéria Bolsonaro, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Nas questões polêmicas, ela deveria ligar para o meu celular para decidir o voto dela. Mas começou a frequentar o plenário e passou a ser influenciada pelos outros vereadores. Foi um compromisso. Eu a elegi. Ela tinha que seguir minhas ideias."
- Sobre sua ex-esposa e então vereadora Rogéria Bolsonaro, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Não sou contra, não. Desde que seja com a mulher dos outros. Depois que todas as mulheres estiverem usando, aí a minha poderá usar. O fio dental foi um escândalo e hoje é normal. Tudo é evolução."
- Sobre a legalização do topless, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Tem de ser uma decisão do casal."
- Sobre a legalização do aborto, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Pena de morte deve ser aplicada para qualquer crime premeditado."
- Em entrevista à revista IstoÉ Gente em 2000.[57]
  • "Eu defendo a tortura. Um traficante que age nas ruas contra nossos filhos tem que ser colocado no pau-de-arara imediatamente. Não tem direitos humanos nesse caso. É pau-de-arara, porrada. Para sequestrador, a mesma coisa. O cara tem que ser arrebentado para abrir o bico."
- Em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Eu sou contra. Não posso admitir abrir a porta do meu apartamento e topar com um casal gay se despedindo com beijo na boca, e meu filho assistindo a isso."
- Sobre o casamento homoafetivo, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Graças a Deus, não. Eu desconheço. Se tivesse, nem quero pensar."
- Questionado se possuía familiares homossexuais, em entrevista à revista IstoÉ Gente em 14/02/2000.[57]
  • "Filho de troglodita, troglodita é."
- Sobre seu filho Carlos ter sido eleito vereador da cidade do Rio de Janeiro, impedindo a reeleição da própria mãe, Rogéria Bolsonaro (PMDB), ex-esposa do deputado. O Estado de S. Paulo, 06/10/2000.[58]

2001Editar

  • "Não entendo como o general Gleuber, um homem sério, aceita tal imposição desse ministro canalha chamado Geraldo Quintão, Geraldo 'Apagadão', esse postulão, que não entende nada da vida militar."
- Em discurso no plenário da Câmara dos Deputados em 02/08/2001 sobre medida provisória dos valores do reajuste dos pagamentos aos militares, citando o comandante do Exército, general Gleuber Vieira, e o ministro da Defesa, Geraldo Quintão, a quem também chamou de "canalha", "patife", "imoral" e "vagabundo",[59]

2002Editar

  • "Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater."
- Folha de S.Paulo, 19/05/2002.[60]
  • "Quero louvar a posição do Lula na Comissão de Relações Exteriores. Farei chegar ao conhecimento dos meus vinte mil militares, que forem internautas, da posição do presidenciável (…), para que cada um forme um juízo melhor de como votar. Obviamente, nós fechamos: nenhum militar vai votar em Serra!"
- Na tribuna da Câmara dos Deputados em 06/2002, apoiando Lula, que havia criticado o tratamento dado pelo governo Fernando Henrique Cardoso aos militares, e contra a eleição de José Serra, pré-candidato à presidência.[34]
  • "As coisas mudaram. Hoje, comunista toma uísque, mora bem e vai na piscina."
- Ao defender a indicação de Aldo Rebelo, então membro do Partido Comunista do Brasil, ao Ministério da Defesa. Folha de S.Paulo, 19/12/2002.[61]
  • "Apelo ao nosso Presidente Lula, a quem respeito e admiro por seu passado e sua conquista, para que escolha um dos membros do PT, do PCdoB ou um oficial-general de quatro estrelas para ocupar o Ministério da Defesa, a fim de que possamos ter esperança nesse Ministério da Defesa, o mais importante em qualquer país sério do mundo."
- Em contrariedade à indicação de José Viegas, então embaixador do Brasil na Rússia, para o cargo de ministro da Defesa, durante discurso na Câmara dos Deputados em 04/12/2002.[62]
  • "Confesso publicamente que votei no Lula no segundo turno, porque jamais votaria no candidato do Fernando Henrique Cardoso. No primeiro turno, trabalhei para Ciro Gomes, que perdeu. No segundo, escolhi a opção que considerava a melhor. [...] Não tenho como indicar alguém para o Ministério da Defesa. Não faço parte da equipe do Lula nem tenho poder de veto, mas tenho voz nesta Casa. Sugiro até mesmo o nome de José Genoíno, por quem não tenho grande amizade, mas reconheço sua competência. Não faria oposição à possibilidade de S.Exa. ir para o Ministério da Defesa. Também não me oporia se o eleito fosse Aldo Rebelo, do PCdoB. Ambos são competentes. Não quero falar sobre a história de ninguém. Temos de pensar apenas no Brasil daqui para a frente. [...] Apelo para os companheiros do PT, do PCdoB, para pessoas de bom senso do futuro Governo que digam não a José Viegas, esse traidor, amigo de Clóvis, talvez até com metástase com a máfia russa de venda de armamento."
- Em contrariedade à indicação de José Viegas, então embaixador do Brasil na Rússia, para o cargo de ministro da Defesa, durante discurso na Câmara dos Deputados em 05/12/2002.[63]

2003Editar

  • "Enquanto o Estado não tiver coragem de adotar a pena de morte, o crime de extermínio, no meu entender, será muito bem-vindo. Se não houver espaço para ele na Bahia, pode ir para o Rio de Janeiro.
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 08/2003.
  • "[...] desde que a política de direitos humanos chegou ao País a violência só aumentou e passou a ocupar grandes espaços nos jornais. A marginalidade tem estado cada vez mais à vontade, tendo em vista os neoadvogados para defendê-la. Quero dizer aos companheiros da Bahia — há pouco ouvi um Parlamentar criticar os grupos de extermínio — que enquanto o Estado não tiver coragem de adotar a pena de morte, o crime de extermínio, no meu entender, será muito bem-vindo. Se não houver espaço para ele na Bahia, pode ir para o Rio de Janeiro. Se depender de mim, terão todo o meu apoio, porque no meu Estado só as pessoas inocentes são dizimadas. Na Bahia, pelas informações que tenho — lógico que são grupos ilegais —, a marginalidade tem decrescido. Meus parabéns! [...] o País não pode discutir a diminuição da fome, da miséria e da violência se não discutirmos antes uma rígida política de controle da natalidade. Chega de vaselina, de baboseira, de falar em educação, em saúde, porque esta não é a nossa realidade primeira. Não vamos atingir nossos objetivos se não atacarmos o descontrole da natalidade. Agora há pouco uma Parlamentar do PT estava dizendo que um jovem, numa escola dessas de recuperação, agradeceu porque não mais cheirava e agora já sabia escrever o seu nome. Ora, Sr. Presidente, demagogia barata igual a essa é uma vergonha para o Parlamentar! Não é porque uma pessoa sabe ler e escrever que está livre da marginalidade. Temos de adotar urgentemente, sim, contra tudo e contra todos os defensores de direitos humanos, uma rígida política de controle da natalidade. Chega de não darmos meios para evitar que casais coloquem no mundo mais crianças que não terão a mínima condição de cidadania no futuro. Tenho uma proposta modesta: a liberação da laqueadura e da vasectomia para todos os maiores de 18 anos. Espero ter o apoio dos meus pares. Talvez seja verdadeiramente o primeiro passo para o fim da miséria e da violência em nosso País."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 12/08/2003.[64]
  • "Grava aí que agora eu sou estuprador. Jamais iria estuprar você porque você não merece. Dá [uma bofetada] que eu te dou outra, vagabunda."
- Para a deputada Maria do Rosário, que havia o chamado de estuprador, em 11/2003.[65]
  • "Já está mais do que na hora de discutirmos uma política que venha a conter essa explosão demográfica, caso contrário ficaremos apenas votando nesta Casa matérias do tipo Bolsa Família, empréstimos para pobres, vale-gás, etc."
- Em 12/2003.[22]

2004Editar

  • "Os brasileiros devem homenagear os militares que, nesta data que deve ser comemorada, evitaram - repito - fosse instalada em nosso País ditadura totalitária de esquerda, cujo resultado seria a implantação de regime semelhante ao de Cuba e, para todos nós, o paredão ou a plantação de cana. Quero reverenciar a memória dos heróis que morreram em prol da revolução, dos 16 militares que morreram na Guerrilha do Araguaia. Caso não tivessem aniquilado o movimento, hoje teríamos no coração do País grupos semelhantes às FARC que dominam a Colômbia. É a homenagem que faço em memória dos meus companheiros militares que falecerem em 1964 e também por ocasião da Guerrilha do Araguaia."
- Ajoelhado, falando em homenagem ao aniversário do golpe militar de 1964, na Câmara dos Deputados em 31/03/2004.[66]
  • "Não consigo entender como o MST, com toda a força e o dinheiro que tem, falando a nossa língua, não consegue terras. O índio, sem falar a nossa língua, fedorento — é o mínimo que posso falar —, na maioria das vezes, vem para cá, sem qualquer noção de educação, fazer lobby."
- Na Comissão Externa sobre a Reserva Indígena Raposa Serra do Sol, em 14/04/2004.[67]

2005Editar

  • "A data de hoje deveria ser comemorada com muita festa pelo Brasil. Infelizmente, interesses mais fortes e escusos fazem com que esta data passe praticamente despercebida."
- Em 31/03/2005, em razão do aniversário do golpe militar de 1964.[68]
  • "Eu não estou preocupado porque meu filho não é um imbecil e minha mulher não é uma jumenta. E as amantes? Vão ficar de fora da proposta? Todo mundo sabe que tá cheio de amante do Executivo aqui. Se o bicho pegar, eu vou começar a falar."
- Comentando contra as propostas de emendas constitucionais que proíbem a contratação de parentes por titulares de cargos públicos. O então deputado empregava o filho e a mulher em seu gabinete, em 04/2005.[69]
  • "Na segunda-feira próxima passada, pela primeira vez compareci a um tribunal do júri. Estava sendo julgado um tenente da Polícia Militar de nome Adriano, acusado de ter feito incursão em uma favela, onde teria sido executado um elemento que, apesar de envolvido com o narcotráfico, foi considerado pela imprensa um simples flanelinha. Todas as testemunhas de acusação - seis no total - tinham envolvimento com o tráfico, o que é muito comum na área em que vivem. O Tenente Adriano era o décimo militar a ser julgado pelo episódio. Cinco haviam sido condenados e quatro absolvidos. O curioso é que o militar que apertou o gatilho e matou aquele elemento foi absolvido, e o tenente, que era o comandante da operação, condenado a 19 anos e 6 meses de prisão, sendo enquadrado inclusive em crime hediondo. O que é importante analisar no caso? Não considero que a Promotoria o condenou, Deputada Denise Frossard. Um dos coronéis mais antigos do Rio de Janeiro compareceu fardado, ao lado da Promotoria, e disse o que quis e o que não quis contra o tenente, acusando-o de tudo que foi possível, esquecendo-se até do fato de ele sempre ter sido um brilhante oficial e, se não me engano, o primeiro da Academia da Polícia Militar. Terminado o julgamento, ao conversar com a Defesa, fiquei sabendo que ela não conseguira trazer para depor o outro coronel que havia comandado o tenente acusado. Por quê? Porque qualquer outro coronel que fosse depor favoravelmente ao tenente bateria de frente com o Coronel Menick, e, com toda a certeza, seria enquadrado por estar chamando de mentiroso o colega coronel. Esse fato não poderia ter passado despercebido pelo juiz. Se bem que, nesse episódio, o juiz só entrou na parte final, na sala secreta. Apesar disso tudo, poderia ter sido discutido o porquê de a Defesa não ter podido trazer nenhum outro superior ou comandante de batalhão em que tivesse servido o tenente. [...] É importante saber a quem interessa a condenação pura e simples de militares da Polícia do Rio de Janeiro, sejam eles culpados ou não. Interessa ao casal Garotinho, porque a Anistia Internacional cobra a punição de policiais em nosso País, insistentemente. É preciso ter um número xis ou certo percentual de policiais presos. O Rio é o Estado que mais prende percentualmente policiais militares e, ao mesmo tempo, o que mais se posiciona ao lado dos direitos humanos. Então, Sr. Presidente, não sei como podemos colaborar. O advogado vai recorrer da sentença, mas os outros coronéis mais modernos não podem depor, senão vão para a geladeira, vão ser perseguidos. E o tenente, coitado, um jovem de vinte e poucos anos, foi condenado. Mas não foi ele quem matou, Deputada Denise Frossard! Quem matou foi o sargento, que confessou e, mesmo assim, foi absolvido no tribunal do júri. A decisão, portanto, tem de ser revista. Ao que parece, há um interesse muito grande por trás disso. Eu não sei como funcionam as promoções na magistratura, mas está mais do que comprovado que Coronel Menick está ao lado do Governo do Estado, que, repito, quer atender à Anistia Internacional e simplesmente punir por punir. Isso não pode acontecer. Essa prática desqualifica, desmoraliza o tribunal do júri. E o tenente, como qualquer outro policial militar, não tem dinheiro para pagar um bom advogado, tem de se valer de um profissional sem muitos conhecimentos, que, numa hora dessas, não levanta todos os fatos. Eu, que não sou advogado, percebi isso e depois comprovei."
- Em discurso na tribuna da Câmara dos Deputados em 27/10/2005, sobre Adriano Magalhães da Nóbrega, então tenente da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.[70]

2006Editar

  • "A previsão de cotas em universidades públicas ilustra bem esse contexto das ações afirmativas. O exemplo tem de vir desta casa, que é a legítima representação do povo e deve possuir de forma proporcional representantes de todos os segmentos sociais Mesmo sendo o autor, por coerência, votarei contra esta matéria."
- Em 30/06/2006, ao apresentar projeto de lei complementar sobre cotas para deputados federais e senadores pretos e pardos como forma de protesto contra cotas raciais nas universidades públicas.[71][72]

2007Editar

  • "Competência? É problema do deputado. Se quiser botar uma prostituta no meu gabinete, eu boto. Se quiser botar a minha mãe, eu boto. É problema meu."
- A respeito da proposta de Emenda Constitucional que tornaria ilegal o nepotismo nos três poderes. 05/03/2007.[73]
  • "Acusam-nos de tortura e desvios, mas até hoje não encontramos nenhum sargento, cabo, coronel ou general rico, com vinte anos de poder."
- Em 31/03/2007, em razão do aniversário do golpe militar de 1964.[68]

2008Editar

  • "O governo deveria apoiá-las [as milícias], já que não consegue combater os traficantes de drogas. E, talvez, no futuro, deveria legalizá-las."
- Em entrevista à BBC News em 08/03/2008.[74][75]
  • "É um índio que está a soldo aqui em Brasília, veio de avião, vai agora comer uma costelinha de porco, tomar um chope, provavelmente um uísque, e quem sabe telefonar para alguém para a noite sua ser mais agradável. Esse é o índio que vem falar aqui de reserva indígena. Ele devia ir comer um capim ali fora para manter as suas origens."[76]
- Após receber um copo d'água no rosto por uma das lideranças do sateré-maués em uma audiência na Câmara dos Deputados que tratava sobre a questão indígena em Roraima. 14/05/2008.
  • "Se o Parlamento tivesse a pureza de alma que Vossa Excelência tem o Brasil estaria muito melhor. Sou diferente de Vossa Excelência em muita coisa, mas na pureza, confesso, de vez em quando, penso como Vossa Excelência."
- Na Câmara dos Deputados em 17/06/2008, referindo-se ao também congressista Clodovil Hernandes.[77]
  • "Não adianta nem falar em educação porque a maioria do povo não está preparada para receber educação e não vai se educar. Só o controle da natalidade pode nos salvar do caos."
- Em 07/2008.[22]
  • "O único erro foi torturar e não matar."
- Sobre a possibilidade de revisão da Lei de Anistia, que poderia punir de acusados de torturas e outros crimes contra presos políticos durante o regime militar. 07/08/2008.[78][79]
  • "Querem atacar o miliciano, que passou a ser o símbolo da maldade e pior do que os traficantes. Existe miliciano que não tem nada a ver com 'gatonet' e com venda de gás."
- Na Câmara dos Deputados em 18/12/2008, sobre a CPI das Milícias.[74]

2009Editar

  • "Quem pediu para que os militares assumissem? Foi a igreja católica, foram as mulheres de verdade naquela época; hoje em que as mulheres não são de verdade como naquela época."
- Em discurso na Câmara dos Deputados, na ocasião do aniversário da Ponte Rio-Niterói.[80]
  • "Desaparecidos do Araguaia, quem procura osso é cachorro."
- Para familiares de desaparecidos na ditadura. 28/05/2009.[81]

Década de 2010Editar

  • "Tu acha justo, por exemplo, entregar estatais brasileiras para estatais chinesas? Você entregar estatais estratégicas, como a de geração e transmissão de energia, a estatais de outros países ou pra capital externo, quem vai propor o preço desse bem? Vão ser eles. Eles vão investir aqui para quê? Para você ter felicidade ou eles terem dinheiro? [...] Aí vem os liberaizinhos da vida, que estão acostumadas a tomar Quick de manhã e Danoninho o dia todo, e ficar com a vovó vendo televisão à tarde, me criticando de estatizante."
- Em vídeo de quando era deputado federal.[82]

2010Editar

  • "O Brasil deu início a vinte anos de glória, período em que o povo gozou de plena liberdade."
- Em 31/03/2007, sobre a ditadura militar.[68]
  • "O Bolsa-Farelo vai manter esta turma no Poder."
- Sobre o Bolsa-Família, em tweet de 01/04/2010.[83]
  • "Petista bom é petista sem mandato. Podem me pressionar, mas não vou contrariar meus princípios."
- Em 10/2010, em apoio ao candidato a presidente José Serra (PSDB), contrariando o apoio de seu partido (PP) à candidata Dilma Rousseff (PT) no segundo turno da eleição.[84]
  • "O governo federal — o anterior também fazia isto, em parte, mas este agora faz mais — dá para 12 milhões de famílias em torno de R$ 500 por mês a título de Bolsa Família definitivo, e sai na frente com 30 milhões de votos. Realmente, disputar eleições num cenário desses é desanimador. É compra de votos mesmo! Que bom se o eleitor tivesse o mínimo de discernimento!"
- Em discurso na Câmara dos Deputados, em 18/08/2010.[85]
  • "Se o filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um couro e ele muda o comportamento dele."
- No programa Participação Popular da TV Câmara, em 17/11/2010.[86]
  • "O meu lado é o lado dos héteros. [...] O pai, numa última instância, tem o direito de dar umas palmadas no filho dele. Já levei, e já dei nos meus filhos para sua boa educação. Se o garoto [...] andar com maconheiro, ele vai acabar cheirando; se andar com desocupado, vai acabar virando bandido; e se andar com gay, vai virar boiola com toda certeza. Nesse momento, umas palmadas nele coloca o garoto no rumo certo. [...] Não venham querer se impor, achar que são uma classe a parte, que são privilegiados."
- Em entrevista à Folha de S.Paulo, em 25/11/2010.[87]
  • "[Gasta-se] dinheiro do povo para tratar essa gente depois que contrai a doença com esses atos. [...] Se for na sacanagem… [...] Problema deles."
- Em entrevista a Mônica Iozzi, do programa CQC, sobre tratamento de pessoas com HIV.[88]
  • "[...] seus filhos vão receber na escola um kit intitulado Combate à Homofobia. Na verdade, é um estímulo ao homossexualismo, à promiscuidade. [...] A grande discussão da nossa Comissão de Direitos Humanos e Minorias é a profundidade em que a língua de uma menina tinha que entrar na boca da outra menina. Dá para continuar discutindo esse assunto? Dá nojo! Esses gays e lésbicas querem que nós entubemos, como exemplo de comportamento, a sua promiscuidade. [...] Essa história de homofobia é uma história de cobertura para aliciar a garotada, especialmente os garotos que eles acham que têm tendências homossexuais. [...] Eu realmente assumo o que disse na TV Câmara: se um garoto tem desvio de conduta logo jovem, ele deve ser redirecionado para o caminho certo, nem que seja com umas palmadas. Acusam-me de ser violento, mas não sou promíscuo, não sou canalha com as famílias brasileiras!"
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 30/11/2010.[89]

2011Editar

  • "Devemos colocar um fim, uma transição para o Bolsa Família, porque, cada vez mais, pobres coitados, ignorantes, ao receberem bolsa família, tornam-se eleitores de cabresto do PT. Logicamente, levando-se em conta isso, não interessa ao PT fazer com que o povo tenha cultura, emprego, trabalho, porque vai perder esse curral eleitoral."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 02/02/2011.[90]
  • "O Bolsa Família nada mais é do que um projeto para tirar dinheiro de quem produz e dá-lo a quem se acomoda, para que use seu título de eleitor e mantenha quem está no poder. Ou seja, quem está no poder, ao brigar por educação e pelo fim da miséria, deixará de ter votos de miseráveis. E nós devemos colocar, se não um ponto final, uma transição a projetos como o Bolsa Família."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 10/02/2011.[91]
  • "Tem muito mais violência no país contra o professor do que contra homossexuais. Quando eles falam em agressões, é em horário avançado, quando as pessoas que têm vergonha na cara estão dormindo. A regra deles é a porrada e querem acusar nós, os normais, os héteros."
- Criticando a criação da Frente Parlamentar LGBT, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.[92]
  • "É um estímulo ao homossexualismo. É uma porta aberta para a pedofilia."
- Criticando um vídeo proposto para o combate à homofobia nas escolas, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.
  • "Essa política de defender o coitadinho já está aí desde que o Figueiredo saiu e olha como está a situação da educação no país hoje em dia. [...] O espancamento, que é uma lesão física, está previsto em lei que você não pode, é crime. Mas, quando um filho nosso começa a ter desvios, ter comportamento violento, você pega uma cinta, dá três lambadas e ele se endireita. E se você pode direcionar o comportamento agressivo, porque não o comportamento delicado demais? Eu tenho pavor, Deus me livre um filho meu começar a entrar para esse lado de ser delicado demais."
- Em entrevista à revista Época em 19/02/2011.
  • "Qual o problema? Eu vou continuar criticando porque eles querem ser uma classe de primeira categoria. É o plano do Projeto de Lei 122 [que criminaliza a homofobia] que está no Senado. Se aprovar aquele projeto e um dia eu tiver que aprovar alguém comissionado, eu já nem pego o funcionário se perceber que joga no outro time. Isso porque, na hora de ser mandado embora, você nunca sabe o que ele vai alegar. Olha que absurdo, numa escola, dois moleques de 16 anos começam a trocar beijos e, se o diretor advertir, começa com três anos de detenção."
- Perguntado se achava que falar mal de gays publicamente é um direito, em entrevista à revista Época em 19/02/2011.
  • "Eu não entraria em um avião pilotado por um cotista, nem aceitaria ser operado por um médico cotista."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre cotas raciais. O Globo, 29/03/2011. [93]
  • "Daria uma porrada nele, pode ter certeza disso. Se agir com energia é torturar, vai ser torturado."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre se eventualmente um filho usasse entorpecentes. O Globo, 29/03/2011. [93]
  • "Isso nem passa pela minha cabeça. Eles tiveram uma boa educação. Eu sou um pai presente, então não corro este risco."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre se eventualmente um filho fosse homossexual. O Globo, 29/03/2011. [93]
  • "Não iria porque não participo de (eventos para) promover os maus costumes. Até porque acredito em Deus, tenho uma família, e a família tem que ser preservada a qualquer custo, senão a nação simplesmente ruirá."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado sobre participar de um desfile gay. O Globo, 29/03/2011. [93]
  • "Não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco. Os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu."
- Em participação no programa CQC, após ser questionado por Preta Gil sobre se eventualmente um filho dele se apaixonasse por uma negra. O Globo, 29/03/2011. [93]
  • "O que eu entendi ali da Preta Gil, por Deus que está no céu, era como eu reagiria no caso do meu filho tivesse um relacionamento com um gay. Foi isso que eu entendi."
- Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar, sobre sua resposta à pergunta de Preta Gil no dia anterior no programa CQC.[94]
  • "[...] que exemplo ela tem de vida para cobrar ética? Se você entrar no blog dela, está escrito lá que ela já participou de atos sexuais com outras mulheres, participa de suruba."
- Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar, sobre Preta Gil, após a cantora declarar no Twitter, após a transmissão do CQC, que acionaria a Justiça.[94]
  • "Eu estou me lixando para esse pessoal. Criaram aí a frente parlamentar de combate à homofobia, frente gay aí. O que esse pessoal tem para oferecer para a sociedade? Casamento gay? Adoção de filhos? Dizer que se seus jovens, um dia, forem ter um filho, que se for gay é legal? Esse pessoal não tem nada a oferecer."
- Em 30/03/2011, durante o velório do ex-vice-presidente José Alencar.[94]
  • "Atenção, pais: os seus filhos vão receber um kit que diz que é para combater a homofobia, mas que, na verdade, estimula o homossexualismo. Com a mentira de estar combatendo a homofobia, eles estão estimulando o homossexualismo e abrindo as portas para a pedofilia."
- Em entrevista à rádio Estadão ESPN, em 31/03/2011.[95]
  • "Tudo que as bichas têm a oferecer as mulheres têm e é melhor."
- Ao programa CQC de 04/04/2011.[96]
  • "Você vê meninas do Nordeste, [que] batem a mão na barriga grávida e falam o seguinte, que também têm o auxílio natalidade, ‘esse aqui vai ser uma geladeira’, ‘esse aqui vai ser uma máquina de lavar’ e não querem trabalhar!"
- Sobre o Bolsa Família, em entrevista ao UOL em 04/04/2011.[97]
  • "[...] não teria orgulho de ter um filho gay."
- Em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.[98]
  • "O problema é seu. Eu não teria orgulho de ter um filho como você."[98]
- Respondendo ao deputado federal Jean Wyllys em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.[98]
  • "Estou sofrendo preconceito heterossexual."
- Em audiência na Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em 27/04/2011.[98]
  • "Agora virou bagunça. O próximo passo vai ser a adoção de crianças (por casais homossexuais) e a legalização da pedofilia."
- Em 05/05/2011, após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo.[99][100]
  • "Eu não quero que o meu filho menor vá brincar com o filho adotivo de dois homossexuais. Não deixo. Não quero que ele aprenda com o filho do vizinho que a mamãe usa barba, que isso é normal. Não vou deixá-lo nessas companhias porque o futuro do meu filho também será homossexual. Vão dizer que estou discriminando e estou, sim."
- Em 05/05/2011, após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo.[100]
  • "Se ser homofóbico é defender as crianças nas escolas, defender a família e a palavra de Deus, pode continuar me chamando de homofóbico com muito prazer, pode me dar o diploma de homofóbico."
- Em 05/05/2011, após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo.[100]
  • "Vai ver a mãe crescer usando cueca e o pai usando calcinha. [Haveria] passeata gay mirim."
- Em 05/05/2011, sobre crianças adotadas por homossexuais, após o Supremo Tribunal Federal garantir o direito ao casamento homoafetivo.[99]
  • "É um cúmulo aprovar esse projeto e ser preso por causa de um boiola."
- em reunião da Comissão de Direitos Humanos do Senado, em 12/05/2011.[101]
  • "E eu sou homofóbico? Ela é heterofóbica. Não pode ver um heterossexual na frente dela que alopra! Já que está difícil ter macho por aí, eu estou me apresentando como macho e ela aloprou. Não pode ver um heterossexual na frente. Ela deu azar duas vezes: uma que sou casado e outra que ela não me interessa. É muito ruim, não me interessa."
- Sobre a então senadora Marinor Brito em reunião da Comissão de Direitos Humanos do Senado, em 12/05/2011.[102]
  • "Minha mãe, basicamente, era aquela chocadeira: um filho atrás do outro."
- Folha de S.Paulo, 16/05/2011.[103]
  • "Teve gente torturada, sim. Nós não negamos. Você só pode obter informações dessa maneira, é a regra do jogo. O pessoal da esquerda fazia besteira -carro-bomba, sequestro- e depois se vitimizava. Se o cara matou colega seu, é do ser humano pegar para arrebentar. Hoje, com a cabeça que tenho, faria muito melhor. Tem que eliminar. Guerra é guerra."
- Folha de S.Paulo, 16/05/2011.[103]
  • "Minha relação com os negros sempre foi ótima. Não vou dizer que meus melhores amigos eram negros, mas tive bons amigos negros."
- Folha de S.Paulo, 16/05/2011.[103]
  • "A molecada, ao invés de se preocupar com matemática, português, física, etc., vai perder tempo discutindo homossexualismo, estudando livros que mostram que dois homens namorando é normal, duas mulheres dormindo juntas é normal. Isso aí ajuda a deseducar, a deixar o cara mais burro."
- O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "Eu já falei aqui que o heterossexual está sendo discriminado. Esse pessoal gay prega que o verdadeiro orgasmo só é atingido por quem faz sexo anal. É essa a mensagem que eles estão pregando aqui dentro da Câmara. Você vai falar que não, aí eles perguntam: 'você já experimentou?'."
- O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "Se não tem jeito de, na conversa, mudar, você tem de dar um couro nele. E muitos concordam com isso. Se eu posso mudar um comportamento agressivo num filho meu, por que eu não posso mudar um comportamento extremamente delicado, fora do padrão para um garoto? Lógico que eu posso. Eu tenho o direito; mais que o direito, eu tenho o dever de tentar. Se eu percebesse isso aí em qualquer filho meu, tinha apanhado; pode ter certeza disso aí. 'Isso é coisa de menina, vai ser homem, moleque!'. Muita gente fala que levou porrada do pai e, graças a isso, é homem hoje em dia."
- O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "Obrigado à Preta Gil. Podemos até discutir, se ela estiver desempregada, trabalhar para a minha campanha no Rio de Janeiro me criticando, eu até arranjaria uma graninha para ela, uns R$ 600 por mês, que é o que ela merece."
- O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "Direita não, extrema-direita."
- Sobre seu alinhamento ideológico, em entrevista para O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "Quem não presta no Brasil é 70% do eleitorado."
- O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "E eu nem entro na questão de gastar dinheiro público, gasolina, com esses movimentos promíscuos, porque ninguém tem orgulho de ter um filho gay, um irmão gay, um pai gay."
- Sobre a autorização do governo do Rio de Janeiro para militares usarem farda em eventos LGBT. O Tempo, 22/05/2011.[104]
  • "Seria incapaz de amar um filho homossexual. Não vou dar uma de hipócrita aqui: prefiro que um filho meu morra num acidente do que apareça com um bigodudo por aí. Para mim ele vai ter morrido mesmo."
- Em entrevista à revista Playboy. Extra, 07/06/2011.[105]
  • "[...] se um casal homossexual vier morar do meu lado, isso vai desvalorizar a minha casa! Se eles andarem de mão dada e derem beijinho, desvaloriza."
- Em entrevista à revista Playboy. Extra, 07/06/2011.[105]
  • "O ex-Secretário do Ministério da Educação, André Lázaro, afirmou que a cena do beijo lésbico do 'kit gay' foi discutida durante três meses para ver até onde ia a língua da menina na boca da outra. Devem ter medido com régua, 'tira um milímetro, coloca dois'..."
- Sobre o projeto Escola sem Homofobia, em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[106]
  • "Unidade familiar é homem e mulher, como diz na nossa constituição federal."
- Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[106]
  • "Entendo que uma criança adotada por um casal gay será, de certeza, homossexual. Vai puxar o bigodudo ou careca."
- Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[106]
  • "Faço uma relação entre o homossexualismo e a pedofilia porque muitas das crianças que serão adoptadas por casais gays vão ser abusadas por esses casais homossexuais."
- Em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[106]
  • "Prefiro, sim, um filho atropelado por um comboio a um filho homossexual. Se o meu filho fosse gay, estaria morto para mim. [...] Não tem porque ser gay ou maconheiro. Se ele mudar, é porque é um sem-vergonha."
- Negando usar força de expressão, em entrevista ao Jornal de Notícias, em 21/06/2011[106]
  • "Sou parlamentar com P maiúsculo, não com H minúsculo de homossexual."
- Em sua defesa em representação contra ele no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, 06/2011.[107]
  • "Sou preconceituoso, com muito orgulho."
- Época, 02/07/2011.[108]
  • "Se essa fosse sua opção para ser feliz não estaria (nem poderia) ser proibido por mim mas, certamente, não iria me convencer a frequentar minha casa."
- Sobre se algum parente assumisse ser homossexual. Época, 02/07/2011.[108]
  • "A maioria dos homossexuais é assassinada por seus respectivos cafetões, em áreas de prostituição e de consumo de drogas, inclusive em horários em que o cidadão de bem já está dormindo. O PLC 122, na prática, criará uma categoria de vítimas privilegiadas, ou seja, com proteção especial em virtude de sua opção sexual."
- Época, 02/07/2011.[108]
  • "Se posso mudar o comportamento de um filho agressivo ou desrespeitoso por que não poderia mudar o efeminado com a mesma atitude? Homossexualismo, como regra, é comportamento e não genética."
- Sobre bater em um filho dele caso fosse transexual. Época, 02/07/2011.[108]
  • "Alguém tem alguma dúvida que programas assistencialistas, como o Bolsa Família, que acostuma o homem à ociosidade, são um obstáculo para que se escolha um bom presidente?"
- Época, 02/07/2011.[108]
  • "Ninguém gosta de homossexual, a gente suporta. O PSOL é um partido de pirocas. É coisa de veados o que eles estavam fazendo."
- Sobre representação feita pelo PSOL contra Bolsonaro em 2011.[109]
  • "Eu estou me lixando para a senadora. Eu vou responder à senadora [Marinor Brito] num papel higiênico."
- Sobre representação feita pelo PSOL contra Bolsonaro em 2011.[110]
  • "Eu respondo olhando nos olhos, o que que tu fez pra ser torturado?, se é que foi torturado."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011,[111] para um espectador que disse ter sido torturado durante a ditadura.[112]
  • "Vocês acham que eu vou deixar um filho meu de cinco anos de idade brincar com uma criança de cinco anos adotada por um casal homossexual? Não vou deixar."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Se anda com homossexual, vai acabar experimentando também. Ou não vai?"
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Graças a Deus não tenho filho igual a vocês, a esse pessoal que tá aí fora."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Vi um cartaz agora há pouco dizendo: ‘morrem três homossexuais por dia’. Espera ai, quantos heterossexuais morrem?"
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011,[111] ironizando os homicídios por motivação homofóbica.[112]
  • "Que democracia. Isso é uma bagunça, uma libertinagem, uma Sodoma e Gomorra."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Vocês podem pegar o voto de vocês e ir botar na orelha, fiquem à vontade, não estou preocupado com o voto de vocês. Agora, se vocês querem votar no macho, sou eu, o voto do idiota é comprado com o Bolsa Família."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Vocês não podem julgar uma pessoa a partir do cadáver. Vocês têm que saber o que aquele cadáver fez até transformar-se em cadáver."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Essa política barata de Direitos Humanos, ‘não à violência’. Enfrenta vagabundo lá no morro, porra."
- Em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[111][112]
  • "Ele deve ter morrido bêbado em algum acidente no carnaval"
- Sobre a morte de Fernando Santa Cruz, ex-membro da Ação Popular Marxista-Leninista, preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro em fevereiro de 1974 e desaparecido político, em palestra na Universidade Federal Fluminense em 19/09/2011.[113][114]
  • "Se gosta de homossexual, assuma. Se o teu negócio é amor com homossexual, assuma."
- Referindo-se à então presidente Dilma Rousseff durante pronunciamento sobre o projeto Escola sem Homofobia, na Câmara dos Deputados em 24/11/2011.[115]

2012Editar

  • "O comandante Jean Wyllys abandonou a tropa de homossexuais. E a tropa de homossexuais, agora, está batendo em retirada do campo de batalha. São heterofóbicos. Quando veem um macho na frente eles ficam doidos. (...) Homossexualismo... direito... vai queimar tua rosquinha onde tu bem entender, porra!"
- Sobre esforços de conversão de orientação sexual ou "cura gay", em sessão da Câmara dos Deputados em 2012.[116]
  • "90% desses meninos adotados vão ser homossexuais e vão ser garotos de programa com toda certeza desse casal"
- Sobre adoção por casais homoafetivos, em entrevista ao programa Agora É Tarde em 01/03/2012.[117]
  • "Preferia que fosse um hétero. Uma pessoa normal."
- Sobre se preferia ter um vizinho homossexual ou heterossexual, em entrevista ao CQC em 03/2012.[118]
  • "Orgulho [dele] não tenho, né? O que você tem que entender é o seguinte: guerra é guerra. Ele foi um grande estrategista. Quando você tem um general, aqui no Brasil, em qualquer exército do mundo, aquele general tem que estar pronto para aniquilar o outro país, destruir o outro país, para defender o seu povo."
- Sobre Adolf Hitler, em entrevista ao CQC em 03/2012.[118][119]
  • "Todo mundo ia atrás de galinha no galinheiro na minha cidade. Alguns mais malandros, iam atrás da bezerrinha, da jumentinha. Era comum. Não tinha mulher como tem hoje. [Uma galinha] deu uma voltinha aqui."
- Em entrevista ao CQC em 03/2012.[118]
  • "Já. Era garoto em Eldorado, uma menina forçou a barra para cima de mim. (...) Não queria trair a galinha."
- Em entrevista ao CQC em 03/2012, sobre já ter agredido alguma mulher.[118]
  • "Sou macho, mas estou arrepiado."
- Em 31/03/2012, ao assistir aos saltos de paraquedistas que comemoravam o aniversário do golpe militar de 1964.[68]
  • "Se eu der R$ 20 pra você votar em mim, posso perder meu registro, ser cassado. Agora o governo dá para 10 milhões de família de forma vitalícia, R$ 40 bilhões por ano, e tudo bem. O Bolsa Família é uma mentira, você não consegue uma pessoa no Nordeste para trabalhar na sua casa. Porque se for trabalhar, perde o Bolsa Família"
- Em entrevista ao programa Brasil em Discussão, na Record News, em 15/05/2012.[120]
  • "Não tem pensão para homossexual. Eles não geraram filhos!"
- Em entrevista ao programa A Liga, da Band, em 12/06/2012.[121]
  • "Como se ser homossexual fosse motivo de orgulho. O tecido social da sociedade é a família. A partir do momento que você estimula esse tipo de comportamento que os pais não concordam, você está esgarçando esse tecido social."
- Em entrevista ao programa A Liga, da Band, em 12/06/2012.[122]

2013Editar

  • "Voltem para o zoológico."
- Declarou a um grupo de representantes dos negros que manifestavam contra a eleição de Marco Feliciano para presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, 07/03/2013[123][124]
  • "Queimar rosca todo o dia."
- Escrito em cartaz que Bolsonaro segurava, em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, em 13/03/2013.[125]
  • "Vocês querem queimar a rosca? Vão queimar, pô. 'Ah, meu filho é gay, que maravilha!' A ditadura que você gosta é outra, mas essa eu não posso te dar."
- Em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, em 13/03/2013.[126]
  • "Seu pai tem orgulho de você porque você dá o cu."
- Dirigindo-se a manifestantes em reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, na segunda quinzena de 03/2013.[126]
  • "Ela [Eleonora Menicucci], no Correio Braziliense, declara que continua tendo relações sexuais com homens e mulheres, ou seja, linguajar popular: sapatona. E diz que o grande orgulho dela é a filha, que é gay. Essa mulher representa a sua mãe, Dilma Rousseff. A minha, não. Outra coisa: Plano Nacional de Promoção e Cidadania de Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. [...] Isso é um estímulo à pedofilia. [...] 'Inclusão da população LGBT em programas de alfabetização nas escolas públicas': cota pra professor homossexual na escola do Ensino Fundamental. O pobre, que tem filho em escola de Ensino Fundamental: é para o teu filho, para ensinar ao teu filho a ter como exemplo um traveco. [...] 'Reconhecer todas as configurações familiares protagonizadas por lésbicas, gays, bissexuais e travestis com base na desconstrução da heteronormatividade': ou seja, livros ensinando as crianças que 'papai' e 'mamãe' está errado. [...] o que aquela comissão representava: representava o estímulo ao homossexualismo infantil, representava o estímulo à pedofilia e grana do orçamento para a Parada Gay."
- Na Câmara dos Deputados, em 27/03/2013.[127]
  • "Eu sou parlamentar para pregar o que eu bem entender. Se eu achar que jornalista tem que ir para o pau-de-arara, eu posso falar!"
- Terra, 16/05/2013.[128]
  • "Se, atrás disso, vem a adoção de criança: uma criança adotada por um casal gay é 90% de chances que vai ser gay também. Você acha que eu vou pegar meu filho de 6 anos de idade e deixar ele brincar com outro moleque de 6 anos adotado por um casal gay? Não vou deixar! (...) A lei não vai fazer minha maneira de pensar (ficar) diferente."
- Sobre o casamento homoafetivo. Terra, 16/05/2013.[128]
  • "Ninguém, nenhum pai tem orgulho de ter um filho gay. Você já viu baile de debutante de gays? Você acha que um pai ia financiar um baile de 15 anos para um filho gay? Para dançar: 'o meu filho Joãozinho vai dançar com o Pedrinho'. Tá de brincadeira, pô!"
- Terra, 16/05/2013.[128]
  • "Quando um moleque está sendo extremamente violento — ele cospe na mãe, chuta o vizinho, quebra o vidro, não sei do quê —, você dá um pau nele e não vai melhorar o comportamento dele? Por que se (o filho) está sendo meio 'delicado' demais, também você não muda o comportamento dele? Muda, sim!"
- Terra, 16/05/2013.[128]
  • "Você já ouviu, em algum lugar, eu falar que homossexual tem que morrer? Tem que dar porrada? Eu nunca ouvi falar isso em lugar nenhum."
- Terra, 16/05/2013.[128]
  • "Isso leva a molecada a perder o freio. Por exemplo: videogame é um crime. Você tem que coibir o máximo possível, não aprende nada."
- No programa Mulheres, da TV Gazeta (São Paulo), em 24/05/2013.[129]
  • "Uma minoria nasce dessa maneira, no meu entender. A grande maioria é comportamento. Não existia essa quantidade enorme de homossexuais como temos hoje em dia. E eles não querem igualdade, eles querem privilégios. Eles querem é nos prender porque nós olhamos torto pra eles, nos prender porque nós não levantamos de uma mesa pra tirar nossos filhos ‘menor’ de idade de ver dois homens ou duas mulheres se beijando na nossa frente, como se no restaurante fosse um local pra fazer isso. Eles querem é privilégios! Eles querem é se impor como uma classe à parte. Não vão encontrar sossego. E eu tenho imunidade pra falar que sou homofóbico, sim, com muito orgulho se é pra defender as crianças nas escolas. [Prefiro] ter um filho viciado do que ter um filho homossexual."
- Em entrevista para o Canal TWTV no YouTube, publicada em 05/06/2013.[130][131]
  • "[...] a minha querida Dilma Rousseff já está se achando a Fidel Castro de saias, só pode ser! Seu Parlamento não deu um voto sequer contra uma medida do Governo."
- Ao criticar a medida provisória do programa Mais Médicos, em 17/07/2013.[132]
  • "Então, quando ele abre para todos os dependentes legais, cada médico ou médica cubanos vindos para cá podem trazer mais dez, quinze ou vinte dependentes, ou seja, escancaram-se as portas do nosso País à gente que nós não sabemos, na verdade, quem é em seu país – em especial tratando-se de Cuba –, haja vista que, inclusive, no dia de ontem, um navio cubano foi apreendido carregado de armamento indo para a Coreia do Norte. No mais, Sr. Presidente, não é colocado aqui um número fixo de médicos que podem vir para cá. As porteiras estão escancaradas. Leva-se em conta aqui a dotação orçamentária do Ministério da Saúde, do Ministério da Educação e, não sei por quê, do Ministério da Defesa. Ou seja, podemos ter aqui, como a Venezuela teve, no Governo Chávez, até 100 mil cubanos dentro de nosso País, no corrente ano! Isso é um crime, é uma irresponsabilidade no tocante à segurança nacional. [...] Os cubanos já estão preparando suas malas para invadir o Brasil. No período militar tentaram fazer isso, lá para a Guerrilha do Araguaia, mas não conseguiram; expulsamos esses ditadores daqui do nosso País. Agora, o socialismo está aí. Nos livros escolares, claramente, lemos que o capitalismo é o inferno e o socialismo é o paraíso. Abram os olhos, meus companheiros! O socialismo está aí. A Dilma Rousseff está para a democracia, assim como a criptonita está para o Super-homem. Essa senhora não tem qualquer compromisso com a democracia."
- Ao criticar a medida provisória do programa Mais Médicos, em 17/07/2013.[133]
  • "Eu quero fazer um apelo aqui aos Deputados, até porque eu não sou médico, eu aprendi a tirar de combate o outro ser humano. [...] A verdade, aos poucos, vem vindo à tona: eles querem trazer 6 mil médicos cubanos. Prestem atenção. Está na medida provisória: cada médico cubano pode trazer todos os seus dependentes. E a gente sabe um pouquinho como funciona a ditadura castrista. Então, cada médico vai trazer 10, 20, 30 agentes para cá. Podemos ter, a exemplo da Venezuela, 70 mil cubanos aqui dentro [...] Então, a intenção é trazer cubanos para cá. Teremos centenas de Araguaias pelo Brasil. [...] Vocês vão ter dezenas de milhares de cubanos aqui dentro. Aquela ideia de pré-64 não sai da cabeça desses retrógrados petistas! E digo mais. Numa entrevista este ano ao jornalista Geneton Moraes, um dos amigos de Dilma Rousseff falou que, naquela época, o chefe do Exército cubano havia oferecido 100 soldados para a Guerrilha do Araguaia — matéria de janeiro deste ano. Acabaram não vindo, porque viram que a guerra seria perdida com o nosso Exército. Mas, no momento, eles esculhambam as Forças Armadas com a tal da Comissão da Verdade que esta Câmara aqui, passivamente, aprovou. Acreditar em verdade por parte do PT, pelo amor de Deus! O PT quer a verdade? Vão se catar, porra! Vão se catar! [...] Meus companheiros, não teria muito o que falar não, concluindo:pelo amor de Deus, vamos ler esta MP 621. Vamos rejeitá-la na íntegra. Vão impor uma ditadura em nosso País... Vamos evitar centenas de Araguaias em nosso País. Eu só aceitaria essa MP se junto viesse o Fidel Castro, para realmente acabar com a palhaçada da Presidente Dilma Rousseff e assumir o comando deste País. Aí, sim, estaria coerente esta medida provisória."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 08/08/2013, contra a vinda de parentes de médicos cubanos do programa Mais Médicos.[134]
  • "Parlamentar não deve andar de ônibus. Fui ser deputado federal para não andar de ônibus, fusca, van, morar bem e pensar no bem do povo e da minha família."
- Sobre os parlamentares. Christina Nascimento e Paloma Savedra, Jornal O Dia. 12/08/2013[135]
  • "Não tem essa causa toda para esse clamor popular. Não existe homofobia no Brasil. A maioria dos que morrem, 90% dos homossexuais que morrem, morrem em local de consumo de drogas, em local de prostituição ou executados pelo próprio parceiro. Eu entrei nessa briga dos gays tendo em vista a proposta do governo em querer distribuir nas escolas públicas do primeiro grau um material didático que seria para combater a homofobia, mas na verdade estimula o homossexualismo. É uma questão de normalidade."
- Ao comentar sobre o sequestro e assassinato do adolescente Alexandre Ivo por skinheads ocorrido em 2010[136] , em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[137]
  • "Tua cultura é diferente da nossa. Nós não estamos preparados ainda no Brasil, porque nenhum pai, nem você nem eu, tem orgulho de ter um filho gay. Orgulho? Prazer? Fazer festa porque apareceu um filho gay na família? Você tem que ter um norte na tua vida. Querem que os héteros continuem gerando crianças para que essas crianças se transformem em gays e lésbicas para satisfazê-los sexualmente no futuro. Então esse é o exemplo da sociedade brasileira que está sendo plantado aqui agora por esses grupos que eu chamo de fundamentalistas homossexuais."
- Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[137]
  • "Não gostar não é a mesma coisa que odiar. Eu não gosto dos talibãs. A sociedade brasileira não gosta de homossexual."
- Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[137]
  • "[...] tem passeatas de orgulho gay. Estamos pensando em fazer uma passeata do orgulho hétero. [...] Você não será convidado."
- Em entrevista a Stephen Fry no documentário Out There, em 10/2013.[137]
  • "Só tem uma utilidade o pobre no nosso país: votar. Título de eleitor na mão e diploma de burro no bolso, para votar no governo que está aí. Só para isso e mais nada serve, então, essa nefasta política de bolsas do governo."
- No plenário da Câmara dos Deputados em 11/2013.[22]
  • "Tem que dar meios para quem, lamentavelmente, é ignorante e não tem meios controlar a sua prole. Porque nós aqui controlamos a nossa. O pessoal pobre não controla."
- Em 2013.[22]

2014Editar

  • "A única coisa boa do Maranhão é o presídio de Pedrinhas. É só você não estuprar, não sequestrar, não praticar latrocínio, que tu não vai parar lá, porra. Acabou. Acabou. Tem que dar vida boa para aqueles canalhas? Desculpa aqui, eles fodem com nós a vida toda e daí que nós, trabalhadores, vamos manter esses caras presos com vida boa?! Eles têm que se foder e acabou."
- Referindo-se ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, palco de dezenas de homicídios, na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.[138][139]
  • "Os presídios do Brasil estão uma maravilha! Lá é lugar do cara pagar seus pecados, lá não é SPA. Quem estupra, mata tem que ir pra lá mesmo sofrer, e não para colônia de férias."
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.[140]
  • Quero buscar uma maneira de falar para a sociedade que eles foram enganados com o Estatuto do Desarmamento, só desarmou os cidadãos de bem, os marginais continuam armados."
- Sobre o Estatuto do Desarmamento, na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.[138]
  • "Minha proposta é defender direitos da maioria e não da minoria. (...) Minoria tem que se calar, se curvar à maioria. Quando eu falo em pena de morte é que uma minoria de marginais aterroriza a maioria de pessoas decentes. Quando eu falo em pena de morte é que uma minoria de marginais aterroriza a maioria de pessoas decentes. Quando se fala em menor vagabundo, como esse que foi preso num poste no Rio de Janeiro, você tem que ter uma política para aprisionar esses caras, buscar a redução da maioridade penal e não defender esses marginais como se fossem excluídos da sociedade, são vagabundos."
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.[138]
  • "Eu, caso seja presidente da comissão, serei daltônico, todos terão a mesma cor. (...) O que um negro está sofrendo agora para que a gente possa melhorar com projetos aqui? Por que um filho de nordestino deve ter menos direitos do que um afrodescendente?"
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014, sobre eventual candidatura à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.[138]
  • "Comigo na comissão, vocês vão sentir falta do Feliciano. Ele ainda se importava com a opinião das pessoas, eu, não.
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014, sobre eventual candidatura à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.[138]
  • "Pode se beijar à vontade. A minha briga nunca foi contra os homossexuais, foi contra o material escolar, nós não podemos estimular a criança a partir dos seis anos de idade a ser homossexual como o PT vem fazendo."
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014, após "beijaço" promovido por mulheres União da Juventude Socialista.[138]
  • "Se o homossexual foi violentado ou maltratado, a pena deve ser a mesma de que violentar ou maltratar um heterossexual, porque agora eles vão ter superpoderes? Eles são semideuses? (...) Não é porque o cara faz sexo com o seu órgão excretor que ele tem que ser melhor do que os outros."
- Na Câmara dos Deputados em 11/02/2014.[138]
  • "Pedrinhas é o melhor presídio do Brasil. Se quiser desligar o telefone, pode desligar."
- Referindo-se ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas, palco de dezenas de homicídios, em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[141]
  • "Eu pretendo ecoar, falar para o povo brasileiro do mais importante: a redução da idade penal e de uma política de planejamento familiar, de reduzir o número de filhos dos mais pobres. Porque os mais pobres têm bolsas [benefícios] que os estimulam a terem mais filhos. Então, gente sem cultura acaba tendo mais filhos para ganhar 70 reais por mês."
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[141]
  • "Os homossexuais querem se passar por vítimas, querem superpoderes. Qualquer homossexual que morre no Brasil, logo a mídia está dizendo que é homofobia. Há muitos que são mortos pelos próprios colegas ou em locais de prostituição, ou por overdose. Ao morrer, os ativistas dizem que é homofobia. No Brasil dez mulheres por dia são assassinadas por seus parceiros, isso é muito mais grave. Os crimes de homofobia tem que ser tratados da mesma forma que qualquer outra morte. Quantos heterossexuais morrem por dia? Morrem muitos mais que homossexuais."
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[141]
  • "Quem pensa dessa maneira de respeitar é quem quer levar essa matéria para as escolas para transformar crianças de seis anos em homossexuais. Ao ponto que daí facilita a pedofilia no Brasil."
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[141]
  • "A imensa maioria vem por comportamento. É amizade, é consumo de drogas. Apenas uma minoria nasce com defeito de fábrica."
- Sobre os homossexuais, em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[141]
  • "Só porque alguém gosta de dar o rabo dele passa a ser um semideus e não pode levar porrada?"
- Em entrevista ao El País, em 14/02/2014.[141]
  • "Temos de dar direitos humanos para seres humanos, não para marginais."
- Quando de sua candidatura para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, no início de 2014.[126]
  • "A PEC do trabalho escravo, na verdade... a esquerda, os comunistas, nunca aceitaram a propriedade privada. E nessa PEC, Ratinho, ela se aplica ao proprietário rural e urbano que, porventura, pratique o trabalho escravo ou análogo à escravidão. Sabe qual é a pena? Expropriação do imóvel. (...) Eu te perguntaria: o que é trabalho análogo à escravidão? Empregada doméstica, porventura, se tiver no quarto com ventilação inadequada, você perde seu apartamento. Se um fazendeiro tiver, por exemplo, beliches cuja espessura do colchão seja menor do que oito centímetros, ele perde a sua fazenda. Essa é a PEC do trabalho escravo, que foi aprovada na Câmara por causa do título e está no Senado agora."
- Entrevista ao Programa do Ratinho em 2014.[139]
  • "Não, negativo. A minoria que eu entendo ali é um deficiente físico, é o índio... está ali, tudo bem. Agora quando fala em cota racial, você fala em negro. O que é que o negro tem de inferior a mim? [...] nós temos de partir do princípio de que todos nós somos iguais perante a lei. Não podemos criar privilégios, porque dois porteiros, por exemplo, um cearense e um negro... o filho do cearense tira oito e não entra na faculdade, o filho do negro tira meia dúzia e entra. Ambos não são sofridos também?"
- Ao ser perguntado se as minorias deveriam ser protegidas pela Constituição, em entrevista ao Programa do Ratinho em 2014.[139]
  • "Quando se fala em menor vagabundo, você tem que ter uma política para aprisionar esses caras, buscar a redução da maioridade penal e não defender esses marginais, como se fossem excluídos da sociedade. Não são excluídos, são vagabundos. [...] (Sou a favor da pena de morte) até para diminuir a população carcerária; em uma grande parte, esses marginais não têm recuperação. E quem é do contra, por que não pega um desses estupradores que sai da cadeia todo dia e leva para dirigir o carro da tua esposa? Por que não faz isso?"
- Entrevista ao Programa do Ratinho em 2014.[139]
  • "Tem que mudar a política de direitos humanos. Os direitos humanos são para humanos direitos e não para vagabundo e marginais que vivem nas costas do governo."
- Entrevista ao Programa do Ratinho em 2014.[139]
  • "Cuba mandava grana para cá, inclusive através de Betinho, tá, para financiar a luta armada no Brasil. Eles queriam, aqui, impor a ditadura do proletariado ou alguém acredita que Fidel Castro queria impor uma democracia no Brasil? Uma piada. Só um débil mental para acreditar nisso."
- Entrevista ao Programa do Ratinho em 2014.[139]
  • "Nós não podemos admitir que crianças de, a partir de seis, sete anos de idade recebam filmetes, cartazes e livros dizendo que ser gay é legal e normal. Não podemos admitir isso aí."
- Entrevista ao Programa do Ratinho em 2014.[139]
  • "Estamos caminhando para o comunismo. Estou lançando a campanha 'vá a Cuba, Dilma'. Ela (Dilma) é um Fidel Castro de saias. O Brasil esta caminhando a passos largos rumo ao comunismo com projetos assistencialistas baratos."
- Durante uma "reedição" da Marcha da Família com Deus pela Liberdade na Central do Brasil, em 22/03/2014.[142]
  • "[Os governos militares] ao longo de vinte anos a consolidação da democracia, o respeito aos direitos humanos e um inegável progresso na geração de empregos e direitos sociais."
- Em 2014, na justificativa de um requerimento para realização de sessão solene na Câmara dos Deputados em homenagem ao golpe militar de 1964.[68]
  • "Parabéns militares. 31/Março/64. Graças a vocês, o Brasil não é Cuba" [sic]
- Escrito numa faixa usada num avião cujo serviço foi contratado por Bolsonaro, em 03/2014.[143]
  • "Trinta e um de Março de 1964. Data da segunda independência do Brasil. Estamos aqui comemorando os cinquenta anos da gloriosa contrarrevolução de 31 de Março de 64. O grande líder da esquerda Luiz Carlos Prestes, em 63, já disse, num seminário de apoio a Cuba, que o seu grande sonho era fazer com que o Brasil seguisse o exemplo da nação de Fidel Castro. Esse sonho não se concretizou. A nossa liberdade e a nossa democracia devemos em especial aos militares, que evitaram que o Brasil fosse comunizado em 1964."
- Acompanhado do filho Eduardo Bolsonaro, em Brasília, 31/03/2014, junto da faixa que dá parabéns aos militares pelo golpe de Estado de 1964.[68]
 
Jair e Eduardo Bolsonaro na Câmara dos Deputados em 1º de abril de 2014, quando da rememoração dos 50 anos do golpe de 1964.
  • "Vocês vão ser torturados com algumas verdades aqui. Deixe-os de costas, presidente, por favor."
- Em 01/04/2014, sobre os deputados federais que se viraram de costas para Bolsonaro após ele subir à tribuna da Câmara para homenagear o golpe militar de 1964.[68]
  • "Quem cassou João Goulart? Foi o Congresso no dia 2 de abril [...]. Não faça uma pergunta desse padrão. Você é uma idiota. Você aprendeu onde isso aí? Tô falando que tá no Diário do Congresso, como é que eu tô mentindo? Contra as mentiras, você quer forçar a barra. Você é uma analfabeta! Não atrapalhe seus colegas. Você está censurada. [...] Você é uma idiota. Você é uma ignorante. Você tá querendo impor a tua verdade pra cima de mim. Tô cagando e andando pra você."
- Em resposta à repórter Manuela Borges após questioná-lo sobre a negação do golpe militar de 1964, em 01/04/2014.[144][145]
  • "Índio não fala nossa língua, não tem dinheiro, é um pobre coitado, tem que ser integrado à sociedade, não criado em zoológicos milionários. [...] tem índio yanomami falando inglês melhor do que professor."
- Midiamax. 04/2014[146].
  • "Eu nem pensava em entrar na política, mas isso me ajudou porque fiquei conhecido e então eu fui eleito no ano seguinte. Nem me lembrava mais da moça, que se apresentou e eu disse que aquilo só me ajudou. Perícias provaram minha inocência, depois comprovada pelo Supremo Tribunal Federal, e ela foi demitida. Estávamos em uma situação salarial gravíssima e eu realmente transmitia informações à revista. Muita gente votou em mim achando que eu era louco, outros porque eu peitei o presidente José Sarney."
- Em entrevista publicada pelo Portal da Band em 11/04/2014, sobre a entrevista dada em 1987 à revista Veja.[147]
  • "Entre o sangue meu, por exemplo, e de um homossexual [...] se perguntar pra quem precisa de doarem sangue [...] você vai ver que a resposta..."
- Em entrevista a Luciana Gimenez no programa SuperPop, em 13/04/2014.[148][149]
  • "Ela me disse 'Não é porque tenho mais de 60 anos que não continuo fazendo sexo'. Mentira! Com aquela cara, nem com Viagra na veia. Ela é feia pra caramba."
- Referindo-se à então ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, em reunião sobre o Estatuto da Família, em 07/05/2014.[150]
  • "Se eu não conseguir me candidatar, quero ser vice de Aécio Neves. Claro, nada disso nunca entrou em pauta e nunca ninguém falou sobre isso, mas seria uma grande honra para mim."
- Sobre a intenção de formar chapa com o então pré-candidato a presidência pelo PSDB, em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.[151]
  • "Acho extremamente importante cortar essa carga tributária, sou totalmente a favor da meritocracia, do livre mercado... Mas claro que não é tudo, afinal, eu sou a favor de um governo autoritário. O governo não pode perder a mão e deixar tudo no [setor] privado, senão vira palhaçada. O problema não é estar na mão do governo, mas, sim, a forma como o governo administra."
- Em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.[151]
  • "Sou contra privatizações. No entanto, pior que privatizar é 'PTizar'."
- Em entrevista ao site InfoMoney. em 22/05/2014.[151]
  • "[...] se o quarto de uma empregada doméstica, por acaso, tiver uma ventilação inadequada, o proprietário desse apartamento ou dessa casa pode, simplesmente, ter a sua propriedade expropriada. O mesmo acontece no tocante a proprietários rurais. Eles perdem todos os seus bens em suas fazendas, em suas chácaras."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 14/10/2014.[152]
  • "Desses 180 itens, vou ler apenas alguns. Um deles cria cota para professor homossexual no ensino fundamental. Isso é um crime. Um professor vai dar aula, agora, por ser homossexual, vai ser escolhido por isso? Até não quero levar para a chacota, mas qual seria o critério em um caso de empate duplo, triplo e por aí afora? O Governo prevê — é o projeto de Dilma Rousseff — a distribuição de livros para bibliotecas escolares com a temática Diversidade Sexual para o Público Infantojuvenil. Vários homossexuais com quem eu conversei no Rio de Janeiro são contra isso. Acham que esse tipo de matéria ou disciplina não deve ser ministrada no ensino fundamental. Diz outro capítulo, bastante claro: Desconstrução da heteronormatividade. E os livros já propostos para o ano que vem são bem claros no tocante a isso. Mostram que o casal, homem e mulher, deve ser desconsiderado. O certo são dois homens ou duas mulheres — ou o mais certo."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 14/10/2014, dando sua interpretação sobre o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.[152]
  • "[...] faz parte do projeto de governo do PT ter o seu exército de cubanos infiltrados aqui dentro. Fala-se, por exemplo, em Pinochet. Por que, no Chile, morreram mais pessoas do que no Brasil? Porque lá, em 1973, quando o Pinochet assumiu o poder, havia mais de 30 mil cubanos prontos para assumir o poder, no Chile. Nós estamos indo para o mesmo caminho aqui, e a sociedade e o Parlamento não acordam para isso, continuam acreditando no PT."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 14/10/2014.[152]
  • "Outro assunto de que vejo a Dilma Rousseff falar muito, batendo no peito, é o de que no Brasil o desemprego é baixíssimo. Mentira! Nós temos a maior taxa de desemprego do mundo! E eu tenho duas provas dos nove para confirmar isso aí. O Governo do PT só considera desempregado quem procura emprego. A própria Dilma disse, no último debate, que o Bolsa Família atinge 14 milhões de famílias. Dessa vez, ela acertou a multiplicação. Falou que 56 milhões de pessoas são cobertas pelo Bolsa Família, e a condição número 1 para receber Bolsa Família é não trabalhar. Ou seja, nós temos pouco mais de 25% do povo brasileiro que não trabalha; somando-se aos 5% dos que querem trabalhar e não encontram emprego, só aí temos 30% de desempregados no Brasil. Somando-se àqueles que não procuram emprego porque desistiram, nós nos aproximamos de 40% de taxa de desemprego no País. E quando a Dilma diz que a taxa é diminuta, em torno de 6%, qual é a prova que eu apresento para isso aí? Se realmente fosse pequena essa taxa de desemprego, o nosso PIB não seria próximo de zero. Outra prova que eu apresento é a seguinte: em qualquer local onde o desemprego é pequeno, o número de mortes por mil habitantes também é pequeno, e nós temos um dos maiores índices de mortes por 100 mil habitantes do mundo. O fato é que os números são maquiados. Cada um que perde o emprego aqui no Brasil, sendo humilde, vai para o Bolsa Família e passa a ser considerado como empregado."
- Em discurso na Câmara dos Deputados em 14/10/2014.[152]
  • Não saia, não, Maria do Rosário, fique aí. Fique aí, Maria do Rosário. Há poucos dias [2003] você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que eu não estuprava você porque você não merece. Fique aqui para ouvir."
- No plenário da Câmara dos Deputados, em 09/12/2014.[65]
  • "Ela não merece porque ela é muito ruim, porque ela é muito feia, não faz meu gênero. Jamais a estupraria. Eu não sou estuprador, mas, se fosse, não iria estuprar, porque não merece."
- Referindo-se à deputada federal Maria do Rosário. Zero Hora, 10/12/2014.[153]
  • "Eu tenho pena do empresário no Brasil, porque é uma desgraça você ser patrão no nosso país, com tantos direitos trabalhistas. Isso nenhum deputado vai falar para você, porque você perde voto — já comecei agora a mostrar para você que não estou preocupado com voto. Pode escrever aí: quando o cara vai empregar, entre um homem e uma mulher jovem, o que que o empregador pensa? 'Poxa, essa mulher aqui tá com aliança no dedo, não sei o quê, ela vai casar, é casada, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade, bonito para caralho, para caralho'. Quem que vai pagar a conta? É o empregador. No final, ele abate no INSS, mas ele fala o seguinte: 'quebrou o ritmo de trabalho. Quando ela voltar, vai ter mais um mês de férias. Então, no ano, ela vai trabalhar cinco meses'. Por isso que o cara paga menos para a mulher; qual a solução? É muito fácil eu, que sou empregado, ou que estou aqui no serviço público, que não tenho nada a ver com um empregado meu mandado embora, falar que é injusto, que tem que pagar salário igual. Só que aquele cara que está produzindo ali, na ponta da linha, com todos os encargos trabalhistas, aquela pessoa que fica fora, que perde o ritmo de trabalho, etc., etc., ele vai ter uma perda de produtividade. O produto dele vai ser posto mais caro na rua, ele vai ser quebrado pelo cara da esquina. Não tem solução para isso. Eu sou um liberal; se eu quero empregar na minha empresa você ganhando R$ 2 mil por mês e a Dona Maria ganhando R$ 1,5 mil, se a Dona Maria não quiser ganhar isso, que procure outro emprego! Se você acha que também não tá ganhando, que procure outro emprego. Eu que estou pagando; o patrão sou eu."
- Zero Hora, 10/12/2014.[154]
  • "Se você quer um bebê, por que não procura uma barriga de aluguel? Não se preocupe, logo os homossexuais poderão ter um útero implantado e então poderão ter um bebê."
- Em entrevista ao The Intercept, em 11/12/2014.[155]

2015Editar

  • "Sete de Setembro nos deu a independência; 31 de Março, a liberdade."
- Acompanhado dos filhos Eduardo e Flávio Bolsonaro, em Brasília, 31/03/2015, em comemoração golpe militar de 1964.[68]
  • "Os índios não falam nossa língua, não têm dinheiro, não têm cultura. São povos nativos. Como eles conseguem ter 13% do território nacional? [...] não tem terra indígena onde não têm minerais. Ouro, estanho e magnésio estão nessas terras, especialmente na Amazônia, a área mais rica do mundo. Não entro nessa balela de defender terra pra índio. [As reservas indígenas de Dourados] sufocam o agronegócio. No Brasil não se consegue diminuir um metro quadrado de terra indígena."
- Durante entrevista no Comando Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, 22/04/2015.[156][157]
  • "Colocaram essa informação na minha conta, como se eu defendesse que a mulher deva ganhar menos."
- Durante entrevista no Comando Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, 22/04/2015.[156]
  • "Não sei qual é a adesão dos comandantes, mas, caso venham reduzir o efetivo (das Forças Armadas) é menos gente nas ruas para fazer frente aos marginais do MST, que são engordados agora por senegaleses, haitianos, iranianos, bolivianos e tudo que é escória do mundo que, agora, está chegando os sírios também. A escória do mundo está chegando ao Brasil como nós não tivéssemos problema demais para resolver."
- Em entrevista ao Jornal Opção, em 17/09/2015.[158]
  • "Espero que o mandato dela acabe hoje, infartada ou com câncer, ou de qualquer maneira."
- Referindo-se a Dilma Rousseff em entrevista ao Jornal Opção, em 17/09/2015.[158]
  • "Se eu um dia tiver o mandato de presidente, o pessoal da Anistia Internacional não vai mais interferir na vida interna do nosso país."
- Em vídeo de 05/10/2015.[96]
  • "Reitero."
- Em 2015, sobre ter dito a frase "Coitada da cobra", respondendo a uma pergunta de Matheus Leitão, escritor do livro Em Nome dos Pais, sobre o uso de uma jiboia na tortura sofrida pela mãe de Matheus, a jornalista Miriam Leitão, enquanto esta estava grávida e presa do 38º Batalhão de Infantaria do Exército em Vila Velha.[159]

2016Editar

  • "Eu não empregaria com o mesmo salário. Mas tem muita mulher que é competente."
- Sobre pagar a mulheres com o mesmo salário que homens. RedeTV!, 15/02/2016.[160]
  • "Se nós levantarmos o fuzil e falarmos 'A Amazônia é nossa', nós vamos perder a Amazônia. Hoje em dia, a Amazônia não é mais nossa, pelas suas riquezas minerais, biodiversidade, água potável, espaços vazios, etc. Não é mais. Tem que se aproximar de países democráticos com poderio nuclear e influência no mundo para poder você explorar com parceria essa região, o que é muito mais producente e lucrativo para nós do que nós continuarmos a fazer uma exploração predatória das nossas riquezas."
- Em entrevista ao youtuber Nando Moura em 2016.[161]
 
Bolsonaro no plenário do Senado, em 8 de março de 2016
  • "Eu mesmo não acredito que isso ainda ocorra."
- Sobre a desigualdade salarial entre homens e mulheres. Exame, 08/03/2016.[162]
  • "[...] temos um projeto que permite a laqueadura e vasectomia a partir dos 18 anos de idade. Portanto, é claro que sou contra o aborto."
- Exame, 08/03/2016.[162]
  • "Se eu fosse cadete da Academia Militar das Agulhas Negras e te encontrasse na rua, eu iria assobiar para você."
- Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.[163]
  • "Com o passar do tempo, com as liberalidades, as drogas e as mulheres trabalhando, aumentou bastante o número de homossexuais. Eu costumo dizer também que se um filho começa a andar com certas pessoas, com um certo comportamento, ele vai ter também aquele comportamento, vai ter aquele tipo de comportamento, achar que é normal."
- Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.[163]
  • "Me desculpa. Você foge à normalidade. Nós temos que ter um norte. Você beira, com todo o respeito, à teoria do absurdo. Até porque você e a sua companheira não geram filhos. Se for gerar, vai depender de algo doado por nós héteros, nós homens."
- Em resposta a Ellen Page no documentário Gaycation, em 03/2016.[163]
  • "Um muro como o muro de Berlim, o muro de Hitler."
- Atribuindo a Adolf Hitler a construção do Muro de Berlim, ao comentar sobre o muro levantado perto do Congresso Nacional antes da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Época, 12/04/2016.[164]
  • "Se depender de mim, nas fazendas vocês terão fuzis. Cartão de visita pra marginal do MST é um cartucho 762. Também peço a Deus que a esquerda não queira nos lançar a uma aventura armada como fez em 68."
- Em entrevista ao R7, nos corredores do Congresso Nacional, em 04/2016.[165]
  • "Nesse dia de glória para o povo brasileiro tem um nome que entrará para a história nessa data, pela forma como conduziu os trabalhos nessa casa. Parabéns, presidente Eduardo Cunha. Perderam em 1964. Perderam agora em 2016. Pela família e pela inocência das crianças em sala de aula que o PT nunca teve, contra o comunismo, pela nossa liberdade, contra o Foro de São Paulo, pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff, pelo Exército de Caxias, pelas nossas Forças Armadas, por um Brasil acima de tudo e por Deus acima de todos, o meu voto é sim."
- Em referência a Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado de casos de tortura e homicídios na ditadura militar, dirigindo a palavra ao então presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha durante a votação na Câmara dos Deputados do impeachment da presidente Dilma Rousseff, em 17/04/2016.[166]
  • "Essa ideia de 'Oh, pobrezinho do preto, oh, pobrezinha da pessoa, oh, pobrezinha da mulher, oh, pobrezinho do índio'; todo mundo é pobrezinho alguma coisa!"
- Vice, 27/04/2016.[167]
  • "Não me arrependo de nada."
- Sobre os insultos a Maria do Rosário. Vice, 27/04/2016.[167]
  • "O presidente da OAB-RJ do Rio de Janeiro entrou com uma ação na segunda-feira aqui. Ele protocolou [um documento] pedindo a minha cassação no Conselho de Ética. Inclusive [ele] tem o pai como desaparecido político, não é isso mesmo? Ele pelo menos diz que o pai dele é desaparecido político. Agora você sabe qual o grupo militar que o pais dele militava? [Ele atuava na] Ação Popular Marxista Leninista (APML). Pelo amor de Deus, se eu pegar qualquer garoto por aí e falar: um grupo denominado Ação Popular Marxista Leninista está preocupado com a democracia? Desafio a você, liga para o Santa Cruz e pergunta. O seu pai participou ou não desse grupo?"
- Sobre a morte de Fernando Santa Cruz, ex-membro da Ação Popular Marxista-Leninista, preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro em fevereiro de 1974 e desaparecido político,em entrevista ao jornal O Dia publicada em 29/04/2016.[168]
 
Bolsonaro em 9 de novembro de 2016 no Conselho de Ética na Câmara dos Deputados, durante a sessão em que foi rejeitado processo contra o parlamentar por homenagem a Brilhante Ustra.
  • "Você queria que eu colocasse a foto de quem aí? Da Dilma?"
- Ao ser perguntado sobre as fotos dos cinco generais que ocuparam a presidência do Brasil na ditadura militar, penduradas na parede de seu gabinete na Câmara dos Deputados, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Querem deformar a cabeça de nossas criancinhas."
- Sobre abordagem de questões de gênero e sexualidade nas escolas, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Escuta. Eu quero saber se você gostaria de ser operada por um médico que entrou na universidade pelo sistema de cotas. O que vai garantir trabalho é uma boa educação que permita aos negros competir com os brancos."
- Sobre cotas raciais em universidades, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Pois ela tem direito sim, imbecil. Porque ela é neta de um negro. Então, você acha isso justo? [A] mídia caiu de pau. Não pode? Tem negro, branco e mulato, oras. E , entre os mulatos, tem a variação de claro e escuro."
- Ao dizer que sua filha, que é branca, teria direito a cotas raciais por ser neta de um negro, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Agora é assim, tudo o que eu falo é gravado, para não ter risco de vocês deturparem minhas palavras."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "O objetivo final da Comissão da Verdade era colocar no currículo das escolas que esses grupos de guerrilha, além de José Dirceu, Dilma Rousseff, Carlos Marighella, eram os heróis da pátria. Que eles eram os certos e nós, militares, os errados."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Golpe dá uma pancada e assume a cadeira. Mas aqui no Congresso, no dia 11 de abril de 1964, houve eleição direta [sic] para eleger Castello."
- Negando o golpe de Estado que implantou a ditadura militar, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Tínhamos democracia, só não tínhamos eleição para presidente da República e para as capitais. O que é democracia? Liberdade, não é? Pergunta para o teu pai se naquela época se podia sair do país. Podia. E em Cuba você não pode."
- Negando que o regime militar era uma ditadura, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Você acha que, se o Bin Laden fosse preso e a vida de milhares de pessoas estivesse ameaçada pela eventualidade de um atentado terrorista, os americanos não iriam usar a tortura para coagi-lo a falar? Ou iriam esperar que as pessoas morressem?"
- Ao ser perguntado sobre as torturas praticadas por agentes de repressão da ditadura, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Por que me arrependeria do que disse? Pergunte pra ela se ela se arrepende de ter me chamado de estuprador. Se eu te dei um chute e você me deu uma cotovelada, você não é punida pela cotovelada. É ato reflexo. [...] Quando eu digo que tem que reduzir a maioridade penal para crimes hediondos e ela é contra, quem está estimulando os jovens a estuprar, eu ou ela? Você consegue imaginar uma pessoa estuprada? Já viu uma pessoa estuprada? Fica acabada física e emocionalmente. E ela me chamou de estuprador, poxa. Me comparou com o Champinha."
- Sobre ter dito à deputada federal Maria do Rosário que não a estupraria porque ela "não merece", em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Imagina se acontece um tumulto e o militar dispara sem querer contra um civil. Vão querer julgá-lo na Justiça comum, ele vai ficar ao sabor da mídia e puxar trinta anos de cadeia."
- Contra o julgamento de militares na Justiça comum por crimes cometidos contra civis, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Não se pode fazer uma hidrelétrica para beneficiar o estado de Roraima porque o rio está em área de reserva. Também, pelo mesmo motivo, não se pode explorar riquezas minerais no subsolo. Sabe o que vai acontecer? Como aquilo é território dos índios, daqui a pouco eles vão querer se separar do Brasil. E já tem um monte de estrangeiros mapeando nossas riquezas, travestidos de ONG."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Nós tivemos que entubar o PCdoB no Ministério da Defesa. Mas, se eu chegar à Presidência em 2018, vou colocar nosso pessoal lá. Não só na Defesa, mas no ministério todo. Não vai ter espaço para gente de outra ideologia. O PT nunca botou um general em lugar nenhum. Por que eu vou ter que botar alguém da esquerda no meu ministério? Não quero negociação com PT, PCdoB e PSOL. Eu espero que sejam varridos do mapa. O perfil do próximo Congresso vai ser mais à direita. E não vai ter filhinha de papai pedindo cargo para a amiguinha."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Quem me garante que esses cubanos que estão aí são todos médicos? E se tiver terroristas entre eles? Qual o controle que nós temos? Nenhum, nem no que se refere à competência profissional, porque eles sequer passam pelo exame de revalidação do MEC. 'Se queres a paz, prepara-te para a guerra'. Temos que estar preparados para o pior."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "'E algum sueco vai querer vir pra esse fim de mundo, idiota?'"
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016, citando uma resposta dele próprio a jornalista que havia perguntado se seria contra a entrada de imigrantes se eles viessem da Suécia.[169]
  • "Se eu for escolher só os puros, não vou a lugar nenhum. É que nem procurar virgem em área de baixo meretrício. Na Câmara não tem santo. Se aparecer um, botam uma cruz em cima dele. Até eu tenho processo no Supremo."
- Sobre o apoio de seu partido na época, o PSC, a Nelson Bornier, investigado na Operação Lava Jato e pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu, em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Agora começa a resolver a situação."
- Em Nova Iguaçu, 06/08/2016, sobre a morte de dois assaltantes por policiais em Natal.[169]
  • "Essa médica de araque, não. Ela vai dar estricnina para meu filho."
- Durante debate entre candidatos a prefeito do Rio de Janeiro, em 25/08/2016, quando o candidato e filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, passou mal e foi acudido pela candidata Jandira Feghali (PCdoB), que é médica.[170]
  • "Você não vai ser estuprada, não."
- Durante debate entre candidatos a prefeito do Rio de Janeiro, em 25/08/2016, quando o candidato e filho de Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, passou mau e foi acudido pela candidata Jandira Feghali (PCdoB), após Jandira, ao responder à fala anterior de Jair Bolsonaro, dizer que ele era "Fascista, réu por estupro!".[171]


  • "Tranquilo, Zero Um. Paga umas flexões aí."
- Para o filho Flávio Bolsonaro, após este passar mal durante debate entre candidatos a prefeito do Rio de Janeiro, em 25/08/2016.[171]
  • "Não aceito nada de comunistas, e ela quis se passar por boa moça. Tenho um projeto para criminalizar a foice e o martelo. Se suástica é proibida, o símbolo dos comunistas que mataram milhões pelo mundo também não pode."
- Em 26/08/2016, sobre a oferta de ajuda de Jandira Feghali, então candidata a prefeita do Rio de Janeiro pelo PCdoB, ao também candidato Flávio Bolsonaro, que havia passado mal no debate do dia anterior.[170]
  • "Tô me lixando se é gay ou não. Eu não tenho um comando de caça aos gays. O que um pai não quer é ver o filho de 6 anos brincando de boneca por influência da escola."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Me processem por apologia ao crime. Crime comete quem invade propriedade privada e não quem a protege."
- Em entrevista à revista Piauí, em 07/2016.[169]
  • "Eu nunca falei ‘eu te amo’ para meus filhos. Fui criado em um meio onde homem não fala ‘te amo’ pra outro homem. No meu tempo era assim. Gestos são melhores do que palavras. O que proporcionei à eles é muito mais do que amor."
- Em entrevista a Luciana Gimenez no programa SuperPop em 31/10/2016.[172]
  • "Ano passado votamos para punir estupradores de 16 e 17 anos como se fossem adultos. Como ela [Maria do Rosário] votou? Contra. E quem é que defende as mulheres do estupro, eu ou ela?"
- Em entrevista a Luciana Gimenez no programa SuperPop em 31/10/2016.[172]
  • "Sou capitão do Exército, conhecia e era amigo do coronel, sou amigo da viúva. (...) o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra recebeu a mais alta comenda do Exército, a Medalha do Pacificador, é um herói brasileiro."
- Durante sessão do Conselho de Ética da Câmara sobre a admissibilidade de seu processo de cassação por quebra de decoro, em 08/11/2016.[173]

2017Editar

  • "Papel de filho da puta que você está fazendo comigo. Tens moral para falar do Renan [filho de Bolsonaro]? Irresponsável. Mais ainda, compre merdas por aí. Não vou te visitar na Papuda. Se a imprensa te descobrir aí, e o que está fazendo, vão comer seu fígado e o meu. Retorne imediatamente."
- Em conversa pelo WhatsApp com o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro, que não compareceu à eleição para presidente da Câmara dos Deputados em 02/02/2017, na qual Jair foi candidato.[174]
  • "Vamos dar fuzil para o produtor rural porque cartão de visita para invasor é o rifle 762."
- No Aeroporto João Suassuna, de Campina Grande, em 08/02/2017.[175]
  • "Como somos um país cristão, Deus acima de tudo. Não tem essa historinha de estado laico não. O Estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude. Vamos fazer um Brasil para as maiorias! As minorias têm que se curvar para as maiorias. A lei deve existir para defender as maiorias! As minorias se adéquam ou simplesmente desapareçam!"
- No Aeroporto João Suassuna, de Campina Grande, em 08/02/2017.[175][119]
  • "Não, você não pode dar independência. O Banco Central independente sem um coração verde e amarelo no peito dos caras que estão lá dentro, esses caras vindo apenas do mercado financeiro, o presidente da República vai ser refém deles. Se deixar à vontade, toda vez que tiver um refresco na economia, esse pessoal vai inventar uma maneira de ajudar mais o sistema financeiro."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[176]
  • "Vocês (jornalistas) vão bater tanto em mim, que vocês vão fazer minha campanha, porque ainda existe um viés de esquerda em muito colega seu."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[176]
  • "[...] Nós podemos ter uma entrada muito grande da escória do mundo no Brasil, que seria uma minoria. Como se não bastasse nós temos quase 20 mil haitianos nas mãos do MTST em São Paulo, massa de manobras, inclusive o Haddad já cadastrados no bolsa-família…" [o entrevistador pergunta "O senhor acha que essas pessoas, 20 mil haitianos, seriam uma massa de manobra?"] "Você quer trazer o terror para o Brasil. Qualquer um traz com meia dúzia de pessoas, com armas, preparadas e dispostas, com armas de precisão para pegar você a seiscentos metros. É só começar a matar um cara importante, atirar outro acolá, e você cria um terror no Brasil." [o entrevistador pergunta "O senhor acha que os haitianos em São Paulo são isso?"] "Opa, olha só, não fale os haitianos, dentro deles tem uma minoria, pois tem senegalês, tem angolano. Você não sabe, eu sei por falar, o que enfrentar um angolano mascando folha de coca na favela da Maré, no Rio. A polícia não entra apesar de ser plana, não tem nem cota para atirar de cima."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[176]
  • "Morreu tarde no meu entender. [...] Olha não interessa [se eram contra a luta armada]. É política de vitimização."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, sobre os três integrantes do antigo Partido Comunista Brasileiro (contrário à luta armada) mortos no Centro de Informações do Exército (CIE) em 1975, então sob o comando do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.[176]
  • "[...] uma criança que cresce olhando para dois homens, algo de anormal vai passar na cabeça dela."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[176]
  • "[...] o próprio Agnaldo Timóteo fala que o maior racista é, segundo ele, o próprio negro. E ele diz quando o elemento faz um grupo de pagode e começa a ganhar dinheiro, ele diz que bota uma loirinha embaixo do braço."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[176]
  • "Acabaram com nossa alegria de viver, não pode fazer uma brincadeira,uma piada, tudo não pode, é preconceito. Tá aí as feministas, tá aí o LGBT, as minorias. Uma desgraça no Brasil."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017.[176]
  • "Qual o tratamento para esse cara que tem de ser dado? 7,62."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, propondo o uso de fuzil 7,62 contra membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.[176]
  • "Sem tiro de advertência. Primeiro na testa [...]. Isso pra mim é terrorismo."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, falando sobre ocupações promovidas pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.[176]
  • "Então você vai combater estuprador com ânus."
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, respondendo se violência se combate com violência.[176]
  • "[...] se a Dilma apanhou, foi pouco [...]"
- Em entrevista a O Estado de S. Paulo em 02/04/2017, ao negar que a ex-presidente Dilma Rousseff tenha sido torturada durante a ditadura militar.[176]
  • "Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Uma das acusações que recebo é 'Xenófobo!'. […] E eu sou contra estrangeiros aqui dentro."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "O único rio lá que se poderia fazer três hidrelétricas, o pessoal encheu de índio. Hoje você não pode fazer uma hidrelétrica."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "E voltamos aqui pra questão da xenofobia, né. Nós não podemos abrir as portas do Brasil pra todo mundo."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Isso aqui é só reserva indígena, tá faltando quilombolas, que é outra brincadeira. Eu fui em um quilombola em El Dourado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador eles servem mais. Mais de um bilhão de reais por ano gastado com eles. [...] Não querem nada com nada."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Alguém já viu um japonês pedindo esmola por aí? Porque é uma raça que tem vergonha na cara. Não é igual essa raça que tá aí embaixo ou como uma minoria tá ruminando aqui do lado."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Se eu chegar lá, não vai ter dinheiro pra ONG, esses inúteis vão ter que trabalhar. […] Não vai ter um centímetro demarcado pra reserva indígena ou pra quilombola."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Se um idiota num debate comigo, caso esteja lá, falar sobre misoginia, homofobia, racismo, baitolismo, eu não vou responder sobre isso."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Tá pra ser transformado em lei o novo Código de Imigração. Tomem conhecimento. Qualquer estrangeiro ou até um monte de estrangeiro... Se alguém quiser pegar um navio e encher de haitiano, de angolano, de chinês, japonês, seja lá o que for. Japonês não vem pra cá não, tá. E jogar no porto aqui, dez mil aqui. O pessoal, ele fala, 'eu sou refugiado', passa a ter direito a abrir conta em Banco do Brasil e Caixa Econômica, com menos diligências do que qualquer um de nós brasileiros. Passa a ter direito a Sistema Único de Saúde gratuito […]"
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "O que que a Venezuela tá fazendo? Tá enchendo as suas ambulâncias e carros com pessoal idoso ou doença de alta complexidade e desovando nos hotéis, nos hospitais e postos de saúde de Roraima. E o que o governo brasileiro faz? Não faz nada. Tem que fazer alguma coisa. Se aceita, vamos criar campos de refugiados. Se aceita... Se não aceita, devolve. O Brasil não pode se transformar na casa da mãe Joana. Não pode a decisão de um governo acolher todo mundo de forma indiscriminada."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Não sabemos ainda o nosso futuro, dada a quantidade de estrangeiro que estão aqui dentro. Lógico, eu não generalizo. Mas dentre esses uma minoria que pode fazer um estrago muito maior do que nós enfrentamos, em especial de 66 a 73, numa luta armada e na guerra e guerrilha dentro do nosso Brasil."
- Em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "Tínhamos na presidência um energúmeno que são sabia contar até dez porque não tinha um dedo."
- Em referência à deficiência física de Luiz Inácio Lula da Silva, em evento no Clube Hebraica em 03/04/2017.[148]
  • "O que um deputado federal tem? Trinta e três mil por mês de salário, tá ok? Noventa mil para contratar funcionários — eu contrato... meu pessoal é competente. Funciona. Me assessora. Tá ok? Você tem quarenta mil para passagem aérea, transporte, carro, gasolina, almoço... e se é muito? Não sei. Eu uso quase tudo isso. Pra mim é o suficiente e eu não abro mão do que tô recebendo. Deixo bem claro isso aí. Se eu abrir mão disso, eu não tenho como viajar de avião para Brasília... não vou morar em Brasília? Não vou poder andar pelo Brasil? Vou ter que pagar o telefone do meu bolso? Correspondência do meu bolso? Aí não dá!. Esse não é o problema do país.Como vou viajar pelo Brasil e telefonar para o povo? Gastando m meu dinheiro? Um deputado pode contratar de 6 a 25 assessores com R$9 0m il por mês. Não vou apresentar um projeto desse em Brasília, porque vai parecer demagogia".
- Respondendo a um apoiador durante ato no Rio de Janeiro, em 04/2017.[177][178][179]
  • "A expectativa de vida no Nordeste está na casa dos 70 anos de idade. Querer aprovar uma reforma com 65 anos é no mínimo uma falta de humanidade. Querer uma contribuição de 49 anos, isto é um crime. Geralmente os mais humildes, que estão concentrados na região Nordeste, tanto é que a menor expectativa de vida entre as cinco regiões do Brasil é daqui. É uma maldade com o povo nordestino."
- Durante evento em Teresina, em 2017,[180] sobre a proposta de reforma da previdência apresentada pelo então presidente Michel Temer.[181]
  • "Que governo de porcaria é esse do Temer? Ainda fica com essa porcaria de reforma da Previdência, 65 anos. Não vai aprovar. Você, Temer, sua excelência, Temer, não vai aprovar a reforma da Previdência. Toma vergonha na cara. Assuma a pipoca desse governo. Assuma, pô."
- Em vídeo de 05/2017.[182]
  • "Eu ‘tive’ no Piauí, a expectativa de vida lá… 69 anos, ‘botar’ 65 [anos] é um crime. É simplesmente um crime."
- Durante entrevista ao programa É Notícia, da RedeTV!, em 05/2017.[183]
  • "Partido recebeu propina sim, mas qual partido não recebe propina?"
- Durante participação no Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, em 23/05/2017, sobre a doação de R$ 200 mil da empresa JBS para sua campanha eleitoral para deputado federal em 2014, valor que foi em seguida repassado como doação ao Partido Progressista, seu partido na época.[184]
  • "Estive à frente para aprovar a fosfoetanolamina. Cura ou não cura, não sei. Sou capitão do Exército, a minha especialidade é matar, não é curar ninguém."
- Folha de S.Paulo, 30/06/2017.[185]
  • "A sociedade comeu aquela mulher? Não fique culpando a sociedade. A sociedade é maravilhosa. Não estou culpando ninguém. A culpa é dela; ela que procurou fazer aquilo. Ela que procurou fazer sexo sem responsabilidade e, segundo ela, procurou a clínica de aborto."
- Sobre uma mulher morta numa clínica clandestina de aborto. Vídeo divulgado em 04/08/2017 no programa Greg News, de Gregório Duvivier, na HBO.[186]
  • "Para ser candidato a presidente tem de falar que vai ampliar o Bolsa Família, então vote em outro candidato. Não vou partir para demagogia e agradar quem quer que seja para buscar voto."
- Na Festa do Peão de Barretos, em 26/08/2017.[187]
  • "'Você queima a rosca?' Não me importo! Seja feliz! Abraços para você!"
- Em tweet de 04/09/2017, originalmente em inglês, em resposta ao jornalista estadunidense Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil e esposo do então vereador carioca David Miranda, que havia chamado Bolsonaro de "cretino fascista".[188]
  • "Ativista LGBT americano influente me chama de 'cretino fascista' de graça e agora chora pq respondi c/ amor e tolerância. Dissimulado!"
- Em tweet de 04/09/2017, após tréplica de Greenwald.[189]
  • "Eu quero que todos, inclusive os gays, sejam felizes, mas que esse tipo de comportamento não seja ensinado nas escolas. Os pais querem ver o filho jogando futebol, não brincando de boneca por causa da escola."
- No programa Canal Livre, da Band, em 19/11/2017.[190]
  • "Se morrerem 40 mil bandidos [por ano, por ação da polícia], temos que passar para 80 mil."
- No programa Canal Livre, da Band, em 19/11/2017.[190]
  • "Quanto mais as facções se matarem, melhor."
- Em entrevista coletiva em Manaus, 14/12/2017.[191]

2018Editar

  • "Esse dinheiro de auxílio-moradia eu usava pra comer gente. Você tá satisfeita agora? Porque essa é a resposta que você merece."
- Ao ser questionado sobre o recebimento de auxílio-moradia pela Câmara dos Deputados. Folha de S.Paulo, 11/01/2018.[192]
  • "É igual aconteceu no governo do Fernando Henrique Cardoso, quando foi votada a PEC da reeleição. Eu pensem em votar favorável. Quando pintou 200 mil, pagos pelo governo FHC, eu tirei o time fora, votei contra."
- Jair Bolsonaro - Rádio Jovem Pan - Programa Pânico - 05/02/18 [193].
  • "O estatuto [do partido] não tem nada a ver. O que vale é você."
- Jair Bolsonaro - Rádio Jovem Pan - Programa Pânico - 05/02/18 [194].
  • "Tem que botar quem dê conta do recado. Se botar as mulheres, vou ter que indicar quantos afrodescendentes?"
- Na Câmara Municipal de Pouso Alegre em 08/03/2018, Dia Internacional da Mulher, sobre a participação de mulheres em eventual governo seu.[195].
  • "Cientistas descobrem do leite do ornitorrinco proteína capaz de combater superbactérias. Em nossa viagem à Ásia o interesse pela biodiversidade Amazônica se fez presente."
- Blog do Esmael. 18/03/2018[196].
  • "Eu me posicionei, diferentemente dos outros pré-candidatos, em quase todos os episódios envolvendo outros assassinatos no Rio de Janeiro, entre eles de policiais militares. E os outros pré-candidatos não falaram absolutamente nada. Neste caso, dado o simbolismo dela [Marielle], qualquer coisa que por ventura eu viesse a falar seria potencializada e distorcida contra mim. Então, no momento, eu me resguardo o direito de permanecer em silêncio nesse caso e aguardo a conclusão das investigações."
- Em entrevista à coluna Informe do Dia, do jornal O Dia, em 03/2018, sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.[197]
  • "Nada a declarar."
- Em entrevista à coluna Informe do Dia, do jornal O Dia, em 03/2018, perguntado sobre se teria se pronunciado se a vereadora carioca Marielle Franco não fosse do PSOL.[197]
  • "Nos enterros dos PMs nenhum presidenciável foi, e vocês não deram porrada neles como dão em mim."
- Ao ser perguntado por jornalistas em 20/03/2018 sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.[198]
  • "A gente conhecia a vida dessa parlamentar e suas bandeiras. Se eu falasse que ela era uma pessoa extremamente boa ou extremamente má, eu teria críticas de qualquer maneira. Então resolvi permanecer em silêncio, até para não politizar o assunto. Também poderia ser acusado de estar fazendo palanque em cima disso."
- Em entrevista ao Poder360, em 22/03/2018, sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco.[199]
  • "Se você quer me ver presidente um dia, eu quero te ver ministro da Cultura. Já imaginou, cara?"
- Em vídeo direcionado para o ator Alexandre Frota, em 28/03/2018.[200]
  • "O Lula quis transformar o Brasil num galinheiro, agora esse crápula colhe ovos pelo Brasil todo."
- No Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, em 28/03/2018, sobre os ataques contra a caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um deles sendo uma ovada em um ônibus.[201]
  • "É tudo mentira. Está na cara que alguém deles deu os tiros. A perícia deverá ficar pronta entre hoje e amanhã e vai apontar a verdade."
- Em Ponta Grossa, em 28/03/2018, atribuindo a petistas a autoria dos tiros contra ônibus da caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.[202]
  • "Veja o caso Ana Hickmann. O cunhado teve o seu processo arquivado. Ele estava indo para o tribunal do júri, porque um marginal invadiu um quarto de hotel e deu dois tiros na esposa dele. Ele se atracou com o marginal e acabou disparando três tiros da arma do marginal na cabeça dele. E a legislação brasileira entende que isso seria um excesso de legítima defesa. Temos que mudar isso, acabar com a figura do excesso no Código Penal e dar o poder de licitude, não só para os policiais em operação, bem como na legítima defesa de fato, como a invasão de privacidade. O elemento responde mas não tem punição."
- Em entrevista ao Canal Rural, publicada em 04/04/2018.[203]
  • "Ninguém quer o trabalho escravo. Agora, punir o trabalho análogo pode ser a espessura de um colchão, uma roupa de cama maltratada ou a falta até de um banheiro químico em uma frente de serviço, você perder a sua propriedade rural. Essa é uma emenda que foi lamentavelmente aprovada, e a esquerda vem fazendo isso ao longo do tempo no Brasil para exatamente dominar a propriedade privada. Ou seja, acabar com a nossa propriedade privada, maior preocupação que eu tenho entre tantas outras."
- Sobre a Emenda Constitucional 81, em entrevista ao Canal Rural, publicada em 04/04/2018.[203]
  • "Eu não faria o que o governo fez, trocando a cúpula da PF para ajudar amigos ou para brecar a Lava Jato. Essa é a grande verdade. O atual presidente não tem qualquer consideração, carinho, respeito ou vontade de combater a corrupção, afinal de contas, é um dos mais citados nas operações. Toda a autonomia à Polícia Federal, bem com recursos para levar avante isso. É outra forma de você combater a corrupção.
- Sobre o presidente Michel Temer, no programa Agora com Datena, em 2018.[204]
  • "Para a democracia não significa nada. Mais uma morte no Rio de Janeiro e temos que aguardar a investigação."
- Em 23/04/2018, sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco, morta junto com seu motorista Anderson Gomes..[205]
  • "Qual é a diferença da minha vida e da sua com a da Marielle?. Num primeiro momento, falaram absurdos: 'Crime político', que era uma mulher que 'poderia ser presidente da República'. Confesso que mal conhecia a senhora Marielle. (...) É outro crime comum como outro qualquer."
- Em 05/2018, a jornalista do portal O Tempo, sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco.[206]
  • "O meu plano de governo será o pior de todos. Quando eu falo o pior plano, não é porque eu quero que seja o pior plano. O Brasil não tem dinheiro e sabemos que mentira é recorrente por causa de eleição."
- Em visita à cidade de Belo Horizonte, em 09/05/2018.[207]
  • "São centenas de policiais militares, e a imprensa diz que o que houve seria a mando de um vereador da Câmara do Rio de Janeiro, com um miliciano. Agora entrar na linha do PSol ou de outros partidos de que é um crime político está sendo comprovado que não foi. De acordo com a linha de investigação, que era questão de construção irregular na região de Rio das Pedras (RJ), demonstra que não tem nada de político, o negócio é econômico, briga de milícia."
- Durante entrevista ao programa CB.Poder, do jornal Correio Braziliense e da TV Brasília, exibido em 09/05/2018, ao ser perguntado por que tinha "tanto prurido" ao falar do assassinato de Marielle Franco.[208]
  • "Quem nunca deu um tapa no bumbum do filho e depois se arrependeu? Acontece."
- Sobre as execuções autorizadas pelo ex-presidente Ernesto Geisel, em entrevista à Rádio Super Notícia em 11/05/2018.[209]
  • "A grande mídia deu espaço enorme. [Chamou] de 'heroína', 'futura presidente', 'mulher lésbica'. Peraí... Morre gente da sociedade (...) e ninguém toma uma providência. Grande parte das redações são tomadas por gente de esquerda que faz um estardalhaço terrível."
- Em 06/2018, ao Correio Braziliense, sobre o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco.[206]
  • "Marina Silva gosta de apelidar seus adversários com nome de animais da Amazônia. Jair Bolsonaro ela apelidou de "hiena." (O Globo, 17/junho, pág 3). Imagine se eu assim o fizesse? Um bom domingo a todos."
- Em tweet de 17/06/2018.[210]
  • "Lamento a morte dele, em que circunstância, se foi suicídio ou morreu torturado. Suicídio acontece, pessoal pratica suicídio. [...] essa é uma história que passou."
- Para o programa Mariana Godoy Entrevista em 06/07/2018, sobre o assassinato de Vladimir Herzog durante a ditadura militar brasileira.[211]
  • "[...] esses marginais que cometeram esse crime não merecem lei, não. Merecem é bala!"
- Durante passagem por Marabá em 12/07/2018, falando sobre o assassinato do empresário Luciano Fernandes em suposta disputa de terras.[212]
  • "Eu não quero mais o Lula preso. Eu quero o Lula em cana!"
- Durante passagem por Marabá em 12/07/2018.[212]
  • "Quem tinha que estar preso era o pessoal do MST (Movimento dos Sem Terra), gente canalha e vagabunda. Os policiais reagiram para não morrer. [...] Direitos humanos é a pipoca, pô."
- Em 13/07/2018, durante passagem pelo local do Massacre de Eldorado do Carajás, defendendo os policiais condenados pelas mortes de 19 trabalhadores sem-terra ocorridas em 1996.[213]
  • "Os índios e os afros são brasileiros como nós."
- Durante passagem por Parauapebas, em 13/07/2018.[213]
  • "Imagine o empresário encontrar no pátio da sua fábrica quem um dia o assaltou ou violentou sua filha? Quando teremos um presidente preocupado com as pessoas honestas? Os que concordam com isso poderiam, como exemplo, empregar em sua própria casa."
- Em publicação de 25/07/2018 no Twitter, sobre a Lei Federal 13.500/2017, que regulamenta a contratação de presos e ex-presos por empresas contratadas pela Administração Pública, de que o deputado e seu filho Eduardo haviam votado a favor.[214]
  • "Que dívida? Eu nunca escravizei ninguém. Os portugueses nunca pisaram na África. Os negros eram entregues pelos próprios negros."
- Sobre a história dos negros escravizados no Brasil, durante entrevista no programa Roda Viva em 30/07/2018.[215]
  • "Eu fui assaltado, sim, eu estava em uma motocicleta, fui rendido, dois caras, um desceu e me pegou por trás, o outro pela frente. Dois dias depois, juntamente com o 9º Batalhão da Polícia Militar, nós recuperamos a arma e a motocicleta e por coincidência — não é? — o dono da favela lá de Acari, onde foi pega… foi pego lá, lá estava lá, ele apareceu morto, um tempo depois, rápido. Eu não matei ninguém, não fui atrás de ninguém, mas aconteceu."
- Durante entrevista no programa Roda Viva em 30/07/2018[216], sobre o assalto sofrido em 1995.[217]
  • "Olhei para cara dele, pelo tamanho da cabeça, e pensei: 'esse cara não é xing ling'. Espero não ser processado por isso."
- Durante passagem por Vitória em 01/08/2018, falando sobre ter encontrado um cearense em Taiwan.[218]
  • "A educação brasileira está afundando. Temos que debater a 'ideologia de gênero' e a escola sem partido. Entrar com uma lança-chama no MEC para expulsar o Paulo Freire lá de dentro. A imprensa já falou que eu queria matar gente lá, eu não posso mais usar figura de linguagem. Os alunos de 15 anos já não sabem fazer nem regra de três, não sabem nada de física, química e matemática. Por outro lado, eles defendem que tem que ter senso crítico. Vai lá no Japão, vai ver se eles estão preocupados com pensamento crítico. A educação tem que ser mais objetiva."
- Em palestra para empresários em Vitória, 01/08/2018.[219]
  • "A Funai é um órgão que fica exigindo laudos e mais laudos porque, desculpe a linguagem, tem um cocô petrificado de índio no terreno, querendo dizer que porque lá passou um índio alguma vez na vida, não pode construir nada em cima. Pelo amor de Deus, hoje um índio constrói uma casa no meio da praia e a Funai vêm e diz que ali agora é reserva indígena. Se eleito, eu vou dar uma foiçada na Funai, mas uma foiçada no pescoço. Não tem outro caminho. Não serve mais."
- Em palestra para empresários em Vitória, 01/08/2018.[219][157]
  • "[Indolência] É a capacidade de perdoar? O índio perdoa."
- Em 07/08/2018, sobre a declaração de Hamilton Mourão, general da reserva e candidato a vice-presidente em sua coligação, de que o Brasil "herdou a cultura de privilégios dos ibéricos, a indolência dos indígenas e a malandragem dos africanos". Indolência significa desleixo, preguiça ou apatia, enquanto indulgência é a capacidade de perdoar.[220]
  • "Com o ensino a distância você ajuda a combater o marxismo."
- Em 07/08/2018.[221]
  • "Você pega um garoto, um chinês, um japonês, um israelense de 15 anos de idade, ele sabe balancear uma equação química, ele já sabe de cor o livro de Isaac Newton, de física, ele já sabe integrada [sic], derivada. O nosso [garoto] tem pensamento crítico. Está decidindo se vai ser homem ou mulher, que é a grande questão da vida dele, e militância política."
- Em 07/08/2018.[221]
  • "Esse Brasil tá muito chato. Contar piada de cearense cabeçudo dá o maior problema do mundo, de gaúcho macho, de goiano... Não pode brincar mais no Brasil, cara."
- Em 07/08/2018.[221]
  • "É país a Palestina, é país? É reconhecida pela ONU? Nada contra o povo palestino."
- Em 07/08/2018.[221]
  • "A Palestina não sendo país, não teria embaixada aqui. [...] Não pode fazer puxadinho, se não daqui a pouco vai ter uma representação das Farc aqui também. A Dilma negociou com a Palestina e não com o povo de lá. Você não negocia com terrorista, então, aquela embaixada do lado do (Palácio do) Planalto, ali não é área para isso"
- Em 07/08/2018.[222]
  • "Paulo fala: 'venda suas capas e compre espadas'. Está na Bíblia. A Bíblia é nossa caixa de ferramenta. Quando ela (Marina Silva) disse que eu estava errado em falar em armamento, na Bíblia tem essa passagem. É que naquele tempo (da Bíblia) não tinha arma de fogo, se não com toda certeza seria ponto 50 e fuzil."
- Durante cerimônia de entrega de espadins na formação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, em 18/08/2018, atribuindo a Paulo uma fala de Jesus (Lucas 22:36).[223]
  • "Jesus Cristo não foi totalmente passivo. Expulsou os vendilhões do templo. Se tivesse arma de fogo, seria usada."
- Durante cerimônia de entrega de espadins na formação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, em 18/08/2018.[223]
  • "Se eu for presidente eu saio da ONU, não serve pra nada esta instituição. É uma reunião de comunistas, de gente que não tem qualquer compromisso com a América do Sul, pelo menos."
- Durante cerimônia de entrega de espadins na formação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, em 18/08/2018.[224]
  • "Meus filhos todos atiraram com cinco anos de idade. Real, não é de ficção nem de espoleta não."
- Durante evento em Glicério, em 23/08/2018.[225]
  • "Você sabe atirar? Você sabe dar tiro? Atira. Policial tem que atirar."
- Para um menino, ao simular com as mãos da criança como se dispara uma arma de fogo, durante evento em Araçatuba, em 23/08/2018.[226]
  • "Conosco não haverá essa politicagem de direitos humanos, essa bandidagem vai morrer porque não enviaremos recursos da União para eles. Em vez de paz, essas ONGs prestam um desserviço ao nosso Brasil. Precisamos de alguém sentado na cadeira presidencial que respeite a tradicional família brasileira, que tenha Deus acima de tudo, como lema nosso."
- Durante evento em Araçatuba, em 23/08/2018.[227]
  • "O ECA tem que ser rasgado e jogado na latrina. É um estímulo à vagabundagem e à malandragem infantil."
- Durante evento em Araçatuba, em 23/08/2018.[228]
  • "Então vamos respeitar o direito de o pedófilo fazer sexo com alguém de 2 anos de idade?."
- Comentando sobre os direitos dos homossexuais, em entrevista à revista americana Time em 23/08/2018.[229]
  • "Vamos buscar retaguarda jurídica não só para nossos policiais civis e militares, mas também para os cidadãos de bem poderem reagir à tentativa de alguém surrupiar seu patrimônio ou atentar contra sua vida. Ele poderá reagir e não será processado, muito pelo contrário, será condecorado pela sua atitude de bravura."
- Durante comício em São José do Rio Preto, em 24/08/2018.[230]
  • "Vamos fundir a agricultura e o Meio Ambiente para que nenhuma ONG internacional continue fazendo ativismo junto ao Ministério do Meio Ambiente."
- Durante comício em São José do Rio Preto, em 24/08/2018.
  • "Recado para o Supremo Tribunal Federal: respeite o artigo 53 da Constituição. O artigo diz: Eu deputado, sou inviolável por qualquer palavra, opinião e voto. Tá escrito e ponto final, porra. [...] Nós somos 90% cristãos, por que não temos nenhum lá dentro? Porque, de acordo com indicação política, o PT botou oito."
- Na Ceasa do Rio de Janeiro, em 28/08/2018, dia da análise pelo Supremo Tribunal Federal da denúncia contra o deputado por racismo.[231][232]
  • "Isso aqui tá parecendo uma plataforma de tiro de artilharia. Então, estou confortável aqui."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018.[233]
  • "Agora, vão me desqualificar por ter recebido auxílio-moradia, que é legal, como a 'pejotização' de vocês também é legal? [...] Olha só, eu estava em um cubículo em Brasília. Todo recurso que eu recebo em Brasília é para a manutenção do meu mandato, era para pagar também o IPTU daquele imóvel, era para pagar o condomínio... Ficava quase no zero a zero. O meu apartamento está à venda. Quem quiser comprar está à disposição, e agora estou morando num funcional. É o tal negócio... A forma de vocês receberem por PJ também é legal e está na lei, eu não estou criticando isso aí."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018.[233]
  • "Bonner, é quase que um casamento. Eu estou namorando o Paulo Guedes há algum tempo e ele a mim também. Nós, Bonner, somos separados. Até o momento da nossa separação, nós não pensamos numa mulher reserva para isso. Se isso vier a acontecer, por vontade dele ou por uma vontade minha, paciência. [...] Bonner, quando nós nos casamos, eu com a minha esposa, você com a sua, nós juramos fidelidade eterna. E aconteceu um problema no meio do caminho, que não cabe a ninguém discutir esse assunto. Duvido, pelo que conheço de Paulo Guedes, e passei a conhecê-lo muito mais depois que comecei a conversar com ele, esse descasamento venha, esse divórcio venha a acontecer."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por William Bonner sobre o que faria se Paulo Guedes condicionasse sua permanência num eventual governo.[233]
  • "Não, me desculpe, a senhora não ouviu. Eu nunca... [...] Mas já existia esse fato em jogo, ela [Luciana Gimenez] perguntou para mim, eu falei ‘É competência’. Daí ela falou: ‘Ó, as mulheres todas são competentes’. Então, a questão de salário é questão de competência... "
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, para Renata Vasconcellos, negando ter dito em entrevista a Luciana Gimenez que não empregaria mulheres com o mesmo salário de homens.[233]
  • "Olha, mas é lógico que a gente faria, mas estou falando que o Ministério Público do Trabalho pode ser questionado. Eu estou vendo aqui uma senhora e um senhor, eu não sei ao certo, mas com toda certeza há uma diferença salarial aqui, parece que é muito maior para ele do que para a senhora. São cargos semelhantes, semelhantes, são iguais…"
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por Renata Vasconcellos se, como presidente, faria algo para evitar a desigualdade de gênero como a salarial.[233]
  • "Pode ter certeza, né? Vocês vivem em grande parte aqui de recursos da União. São bilhões que recebem o sistema Globo, de recursos da propaganda oficial do governo. São concessões, mas vamos lá. Não pregue em mim essa pecha que eu defendo isso, porque se tivesse defendido um dia, teria um discurso meu na Câmara. Nunca teve um discurso, um projeto meu da Câmara nesse sentido, não existe. Esse rótulo foi pregado em mim, no ano de 2010 mais ou menos, 2012, quando dei uma entrevista para o jornal Zero Hora, de Porto Alegre. Eu estudei e falei por que mulher ganhava menos do que o homem de acordo com estudos, inclusive do IBGE."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018[233], mencionando entrevista de 10/12/2014 ao Zero Hora, na qual defendia que patrões pagassem salários diferentes para homens e mulheres porque elas engravidam.e que, "se a Dona Maria não quiser ganhar isso, que procure outro emprego!".[154]
  • "Não, não vou. Só se você tiver uma nova Assembleia Nacional Constituinte. E se você abrir, instaurar uma nova Assembleia Nacional Constituinte, a gente não sabe o que vai acontecer dentro do Parlamento, você perde o controle daquilo lá."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por William Bonner sobre se proporia tirar direitos dos trabalhadores quando diz que, para ter mais emprego, deveria haver menos direitos trabalhistas.[233]
  • "São os empresários que têm dito isso. São os empresários que têm dito isso."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por William Bonner sobre quais direitos proporia tirar dos trabalhadores quando diz que, para ter mais emprego, deveria haver menos direitos trabalhistas.[233]
  • "Não é 'o senhor votou contra', eu fui o único a votar contra, em dois turnos, então não houve erro da minha parte. Foi para proteger, o que eu defendia são os mesmos direitos, mas de forma gradativa. Levou milhares, milhões de senhoras e alguns homens que exerciam o trabalho doméstico para ser o quê? Diaristas. E como diaristas não estão, sequer, grande parte deles, recolhendo para a sua Previdência. Então tem que ser devagar. Muita gente teve que demitir, porque não teria como pagar, muitas mulheres perderam o emprego exatamente pelo excesso desses direitos. Essa foi a minha intenção. Nada contra… [...] Não, votei e não nego, votei pretendendo defender e sabendo que ia ser o único votando contra. Então, eu não me joguei no covil dos leões para a imprensa não bater em mim na época. Houve, sim, demissão, Bonner, houve. Muita gente que chegava, dormia no trabalho, passou a não dormir mais. Muita gente chegava cedo, até fazia um café para os patrões ali, não chega mais para não contar aquele tempo de serviço, perderam o café da manhã e perderam o pernoite."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por William Bonner sobre ter votado contra a PEC dos empregados domésticos[233], que contou com votos contrários de outros parlamentares.[234]
  • "Olha só, isso começou a acontecer em novembro de 2010 comigo, até aquele momento era uma pessoa normal, como você é normal por aí no tocante a isso. E eu passando nos corredores da Câmara, vi algo acontecendo de forma esquisita, um grupo que... Não é normal, você ir na praia e encontrar gente de paletó e gravata, ou num fórum, gente de short de banho. E estava um pessoal vestido a caráter, e perguntei, sim, para um segurança: “Vai haver alguma parada de orgulho gay na Câmara?”. E tomei conhecimento do que estava acontecendo lá. Eles tinham acabado o 9º Seminário LGBT Infantil. Repito, 9º Seminário LGBT Infantil. Estavam discutindo ali, comemorando o lançamento de um material para combater a homofobia, que passou a ser conhecido como “kit gay”. Entre esse material, Bonner, estava esse livro lá, Bonner. Então, o pai que tenha filho na sala agora, retira o filho da sala, para ele não ver isso aqui. Se bem que na biblioteca das escolas públicas tem. [...] É para criança, é um livro para a criança, os pais não sabem que isso está na biblioteca."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por Renata Vasconcellos se falas dele sobre gays seriam homofóbicas,[233] sendo que o seminário mencionado, na verdade, tratava-se do 9º Seminário LGBT do Congresso Nacional, ocorrido em 2012, cujo tema era Infância e Sexualidade.[234]
  • "Não, tem muito gay que é pai, que é mãe, e concorda comigo. As declarações foram fortes, foram algumas caneladas. Peço até desculpas, mas foi um momento de temperatura alta em comissões, que quase houve vias de fato em muitas discussões, porque o ativismo LGBT levava para isso. Inclusive, eu peço para você que está em casa: entre na internet, pegue lá ‘Plano Nacional de Promoção e Cidadania LGBT’. São 180 itens, entre eles a desconstrução da heteronormatividade, ou seja, estão ensinando em algumas escolas, que homem e mulher está errado, pode ser, sim, homem com homem, mulher e mulher. O que é difícil, Bonner, para criancinha a partir de 6 anos de idade."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por Renata Vasconcellos se falas dele sobre gays seriam homofóbicas,[233] sendo que tal plano tratava da heteronormatividade exclusivamente quanto à inclusão de casais LGBTs no sistema de informação do Sistema Único de Saúde.[234]
  • "Com mais violência ainda, que eu declarei, sim, isso que você falou aí, é se o bandido lá está com o 762 atirando, o policial para o lado de cá tem que ter uma .50. Se ele está com uma .50, você tem que ter um tanque de guerra para o lado de cá. Eu já fui vítima de violência, Bonner, você também, infelizmente, Bonner. Só Deus sabe o que passou na tua cabeça, sobre a sua integridade e sobre a minha integridade. Esse tipo de gente, você não pode tratá-lo como se fosse um ser humano normal, tá, que deve ser respeitado, que é uma vítima da sociedade. Nós não podemos é deixar os policiais continuarem morrendo na mão desses caras... Nós do Exército Brasileiro acabamos de perder três garotos, três jovens garotos, para o crime agora. Nós temos que fazer o quê? Em local que você possa deixar livre da linha de tiro as pessoas de bem da comunidade, ir com tudo para cima deles e dar para o policial, e dar para os agentes da segurança pública o excludente ilicitude. Ele entra, resolve o problema, se matar 10, 15 ou 20 com dez ou trinta tiros cada um, ele tem que ser condecorado e não processado. [...] Nós, no Haiti, militares do Exército Brasileiro, sem o preparo que tem o policial militar aqui, resolveu, pacificou o Haiti. Por quê? Nós tínhamos uma forma de engajamento. Qualquer elemento com arma de guerra, os militares atiravam 10, 15, 20, 50 tiros e depois ia ver o que aconteceu. Resolveu o problema rapidamente. Você vê bonde aqui no Rio de Janeiro na Praça Seca, com 20 homens de fuzil. Como é que você tem que tratar essas pessoas? Pedindo para levantar as mãos? Dar uma florzinha para eles? Ou atirar? Você tem que atirar, se não atirar, não vai resolver nunca. Enquanto isso continuar acontecendo, infelizmente vão continuar existindo mortes de policiais e integrantes das Forças Armadas em todo o Brasil."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, perguntado por William Bonner sobre como achava que quem vive em comunidades dominadas por traficantes de drogas receberiam a afirmação de que violência se combate "com mais violência ainda".[233]
  • "Isso aconteceu em 64, e na forma da lei... Na forma da lei e da constituição da época... Os militares chegaram lá, os militares chegaram, chegaram, não, foram eleitos presidente da República por cinco mandatos, está certo? As palavras dele estão em consonância com que grande parte da sociedade fala e ele teve a coragem de externar isso daí, e ele agora é o militar da reserva. Nem eu, nem ele, nós queremos nada pela força, tanto é que nós…"
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, aludindo ao Golpe Militar de 1964, perguntado por William Bonner sobre que solução os militares iriam impor para a crise política brasileira, remetendo a proposta de seu candidato a vice-presidente, general Hamilton Mourão.[233]
  • "Olha, no meu entender, foi uma alerta que ele deu e, no mais, deixa os historiadores para lá. Eu fico com Roberto Marinho, o que ele declarou no dia 7 de outubro de 1984, vou repetir aqui. Eu vou repetir aqui: 'Participamos da revolução democrática de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, distúrbios sociais, greves e corrupção generalizada'. Repito a pergunta aqui: Roberto Marinho foi um ditador ou um democrata? É a história, nós aqui, tenho certeza, eu não falo..."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018, aludindo apoio à ditadura militar por Roberto Marinho, proprietário das Organizações Globo durante o regime.[233]
  • "Nos últimos 20 anos, dois partidos mergulharam o Brasil na mais profunda crise, ética, moral e econômica. Vamos juntos mudar esse ciclo, mas para tanto precisamos eleger um presidente da República honesto, que tenha Deus no coração, patriota, que respeite a família, que trate com consideração as crianças em sala de aula, que jogue pesado no tocante à insegurança em nosso Brasil, una o nosso povo. Brancos, negros, nordestinos, sulistas, ricos e pobres, homens e mulheres, para buscarmos o bem comum. Nós no Brasil temos tudo, tudo para sermos uma grande nação, só falta essa união entre nós e que o presidente… Eleja os seus ministros, indique seus ministros sem indicação política. Muito obrigado a todos."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 28/08/2018.[233]
  • "Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre. Já que gosta tanto da Venezuela, essa turma tem de ir para lá."
- Durante evento em Rio Branco, em 01/09/2018, ao simular disparos com um tripé de câmera filmadora.[235][236]
  • "A narrativa agora é que perderei no segundo turno para qualquer um. A grande preocupação não é perder no voto, é perder na fraude. Então, essa possibilidade de fraude no segundo turno, talvez no primeiro, é concreta."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, 16/09/2018.[237]
  • "O 13º salário do trabalhador está previsto no art. 7° da Constituição em capítulo das cláusulas pétreas (não passível de ser suprimido sequer por proposta de emenda à Constituição). Criticá-lo, além de uma ofensa a quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição."
- Em 27/09/2018, em suas redes sociais, discordando de seu próprio o candidato a vice-presidente, general Hamilton Mourão, que havia criticado o 13º salário.[238]
  • "Não posso falar pelos comandantes militares, respeito todos eles e, pelo que eu vejo nas ruas, eu não aceito resultado diferente da minha eleição."
- No Hospital Albert Einstein, em 28/09/2019, em entrevista a José Luiz Datena no programa Brasil Urgente.[239]
  • "Está na cara que, se ele (Haddad) ganha as eleições, ele dá o indulto para o Lula e o Lula vira ministro da Defesa ou da Casa Civil, isso vai acontecer."
- No Hospital Albert Einstein, em 28/09/2019, em entrevista a José Luiz Datena no programa Brasil Urgente.[239]
  • "Não, golpe não acredito nisso. O que eu vejo da estrutura militar, Marinha, Aeronáutica, Exército, eles não tomariam a iniciativa. Então se a primeira falta o PT viesse a cometer, aí poderia acontecer sim a participação das Forças Armadas, mas o PT errando primeiro, não nós. Não nós. Até porque, afinal de contas, as Forças Armadas, nós somos aí avalistas da Constituição, não existe democracia sem Forças Armadas, não existe ditadura militar, todas as ditaduras são militares. Agora, o grande problema do PT realmente é a sede do poder."
- No Hospital Albert Einstein, em 28/09/2019, em entrevista a José Luiz Datena no programa Brasil Urgente.[239]
  • "Falei para ele sim ficar quieto porque, afinal de contas, está atrapalhando realmente. Com todo respeito, general, daqui para a frente em toda a eleição o senhor não fala mais nada."
- Sobre seu candidato a vice-presidente, Hamilton Mourão, no Hospital Albert Einstein, em 28/09/2019, em entrevista a José Luiz Datena no programa Brasil Urgente.[239]
  • "Pergunte ao pai de uma criança sequestrada o que ele gostaria que fizesse para descobrir o cativeiro. Você tem de ter medidas enérgicas, que alguns consideram tortura."
- Em matéria da Folha de S.Paulo de 06/10/2018, sobre ter dito em 1999 ser "favorável à tortura" em relação ao direito de permanecer calado de Chico Lopes, ex-presidente do Banco Central, em CPI da época.[236]
  • "Foi um momento de indignação, 20 anos atrás. Nunca preguei intervenção militar. Só em situação de caos e dentro do que diz a Constituição."
- Em matéria da Folha de S.Paulo de 06/10/2018, sobre ter dito em 1999 que, se fosse presidente da República, "daria golpe no mesmo dia".[236]
  • "Existe uma figura de linguagem, hipérbole. Foi usada. Nada mais além disso. Qual o problema? Ninguém quer matar ninguém, não."
- Em matéria da Folha de S.Paulo de 06/10/2018, sobre ter falado no mesmo ano em "fuzilar a petralhada" do Acre.[236]
  • "Vamos botar um ponto final em todos os ativismos do Brasil."
- Em 07/10/2018, após a divulgação dos resultados do primeiro turno das eleições de 2018.[240]
  • "Por exemplo, um homem do serviço público se aposenta hoje com 60 anos. Vamos botar 61. Você aprova. Se você botar 65 logo de cara, você não vai aprovar porque a esquerda vai fazer uma campanha enorme, dizendo, por exemplo, que no Piauí a expectativa de vida é de 69 anos de idade."
- Em entrevista ao Jornal da Band, em 09/10/2018.[241]
  • "Quando você vai privatizar, você vai privatizar para qualquer capital do mundo? A China não está comprando no Brasil, ela está comprando o Brasil. Você vai deixar o Brasil na mão do chinês? Suponha que você tem um galinheiro no fundo da sua casa e viva dele. Quando privatiza, você não tem a garantia de comer um ovo cozido. Nós vamos deixar a energia nas mãos de terceiros?"
- Em entrevista ao Jornal da Band, em 09/10/2018.[242]
  • "Pô, cara! Foi lá pergunta essa invertida... quem tomou a facada fui eu, pô! O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam. A violência veio do outro lado, a intolerância veio do outro lado. Eu sou a prova, graças a Deus, viva disso aí."
- Em 09/10/2018, sobre o esfaqueamento e assassinato do mestre de capoeira Moa do Katendê, vitimado após declarar ter votado no candidato a presidente Fernando Haddad (PT).[243]
  • "Dispensamos voto e qualquer aproximação de quem pratica violência contra eleitores que não votam em mim. A este tipo de gente peço que vote nulo ou na oposição por coerência, e que as autoridades tomem as medidas cabíveis, assim como contra caluniadores que tentam nos prejudicar. Há também um movimento orquestrado forjando agressões para prejudicar nossa campanha, nos ligando ao Nazismo, que, assim como o Comunismo, repudiamos completamente. Trata-se de mais uma das tantas mentiras que espalham ao meu respeito. Admiramos e respeitamos Israel e seu povo!"
- Após casos de violência por inconformismo político. Publicado no Twitter em 10/10/2018.[244]
  • "Sou vítima daquilo que prego."
- Ao tentar dizer que ele próprio era a verdadeira vítima ao comentar sobre atos de violência perpetrados por seus seguidores.[245]
  • "Recuso qualquer tipo de apoio vindo de grupos supremacistas. Sugiro que, por coerência, apoiem o candidato da esquerda, que adora segregar a sociedade. Explorar isso para influenciar uma eleição no Brasil é uma grande burrice! É desconhecer o povo brasileiro, que é miscigenado."
- Em 16/10/2018, repudiando o apoio oferecido por David Duke, supremacista branco estadunidense e ex-líder da Ku Klux Klan.[246]
  • "Perderam ontem, perderam em 2016 e vão perder na semana que vem de novo. Só que a faxina agora será muito mais ampla. Essa turma, se quiser que ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão pra fora ou vão pra cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria. [...] Ninguém vai sair dessa pátria, porque essa pátria é nossa. Não é dessa gangue, que tem a bandeira vermelha e tem cabeça lavada. [...] E, seu Lula da Silva, se você estava esperando o Haddad ser presidente pra assinar o decreto de indulto, eu vou te dizer uma coisa: você vai apodrecer na cadeia. Brevemente você terá Lindbergh Faria pra jogar dominó no xadrez. Aguarde. O Haddad vai chegar aí também. Mas não será pra visitá-lo, não. Será pra ficar alguns anos ao teu lado. Já que vocês se amam tanto, vocês vão apodrecer na cadeia. Porque lugar de bandido que rouba o povo é atrás das grades. [...] Petralhada, vai tudo vocês pra ponta da praia. Vocês não terão mais vez em nossa pátria porque eu vou cortar todas as mordomias de vocês. Vocês não terão mais ONGs para saciar a fome de mortadela de vocês. Será uma limpeza nunca visto (sic) na história do Brasil. Vagabundo vai ter que trabalhar. Vai deixar de fazer demagogia junto ao povo brasileiro. (...) Vocês, petralhada, verão uma polícia civil e militar, com retaguarda jurídica pra fazer valer a lei no lombo de vocês. Bandidos do MST, bandidos do MTST, as ações de vocês serão tipificadas como terrorismo. Vocês não levarão mais o terror ao campo ou a cidade. Ou vocês se enquadram e se submetem às leis ou vão fazer companhia ao cachaceiro lá em Curitiba."
- Em vídeo transmitido para apoiadores na Avenida Paulista, em 21/10/2018,[247] referindo-se à base da Marinha na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, conhecida como "ponta da praia", onde presos por agentes da ditadura militar eram executados.[248]
  • "Nós ganharemos esta guerra. Queremos a imprensa livre, mas com responsabilidade. A Folha de S.Paulo é o maior (sic) fake news do Brasil. Vocês não terão mais verba publicitária do governo. Imprensa livre, parabéns. Imprensa vendida, meus pêsames."
- Em vídeo transmitido para apoiadores na Avenida Paulista, em 21/10/2018[247]
  • "Nenhum presidente é maior do que o seu ministério. O segredo para bem administrar o Brasil é você botar as pessoas certas nos ministérios certos. O que vem sendo feito ao longo dos últimos anos? O presidente indica seus ministros de acordo com interesses político-partidários. Tem tudo para não dar certo. Qual é a nossa proposta? É indicar as pessoas certas para os ministérios certos. Por isso, não integramos o Centrão, tampouco estamos na esquerda de sempre. Vamos escalar as pessoas certas, porque, assim, você poderá, de verdade, ter saúde, educação e segurança."
- Em sem programa eleitoral em 2018.[249]
  • "De acordo com o articulista, a palavra-chave que estava naquela matéria era para executar um assalto a banco ou até mesmo executar uma autoridade em cativeiro."
- Em entrevista ao Jornal da Band em 29/10/2018, justificando a censura praticada pela ditadura militar.[250]
  • "Aproveito o momento para fazer justiça no Brasil. Tem uma senhora de nome Walderice, uma mulher negra que tinha uma lojinha de açaí. O jornal Folha de S.Paulo foi lá e rotulou de forma injusta como ‘fantasma’. Ela estava de férias. Ações como essa por parte de uma imprensa que comete injustiça e não volta atrás, não posso considerar essa imprensa digna. Não quero que [a Folha] acabe. Mas, no que depender de mim, imprensa que se comportar dessa maneira indigna não terá recursos do governo federal. Por si só esse jornal se acabou. Inclusive teve uma última matéria, onde eu teria contratado empresários para espalhar mentiras sobre o PT. Mais uma ‘fake news’ do jornal Folha de S.Paulo invariavelmente."
- Em entrevista ao Jornal Nacional em 29/10/2018, sobre reportagem do jornal Folha de S.Paulo que, na verdade, não mencionava envolvimento de Bolsonaro com empresários que pagaram por propaganda contra o PT no WhatsApp.[251]
  • "Vou querer que a metodologia para dar o número de desempregados seja alterada no Brasil. O que está aí é uma farsa. Quem recebe Bolsa Família é tido como empregado, quem não procura emprego há mais de um ano é tido como empregado, quem recebe seguro-desemprego é tido como empregado. Temos que ter uma taxa de não desempregados, e, sim, de empregados."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente da Band, em 05/11/2018,[252] sobre a taxa de desocupação medida pelo IBGE, que, na verdade, não considera no cálculo o recebimento de rendimentos que não de trabalho, bem como considera empregado apenas quem trabalhou na semana de referência da pesquisa.[253]
  • "Todos os países podem comprar no Brasil, mas não comprar o Brasil."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente da Band, em 05/11/2018.[254]
  • "Está na cara que China quer aumentar negócios com Brasil. Não teremos nenhum problema com a China, pelo contrário, (negócio) pode ser até ampliado.
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente da Band, em 05/11/2018.[254]
  • "Esta prova do Enem – vão falar que eu estou implicando, pelo amor de Deus –, este tema da linguagem particular daquelas pessoas, o que temos a ver com isso, meu Deus do céu? Quando a gente vai ver a tradução daquelas palavras, um absurdo, um absurdo! Vai obrigar a molecada a se interessar por isso agora para o Enem do ano que vem?. Podem ter certeza e ficar tranquilos. Não vai ter questão desta forma ano que vem, porque nós vamos tomar conhecimento da prova antes. Não vai ter isso daí. Queremos que na escola a molecada aprenda algo que no futuro lhe dê liberdade, que ele possa ganhar o pão com trabalho, não fique com essas questões menores que a gente vê por aí de ideologia de gênero. Qual a importância disso? Vai ser feliz, cara! Se você quer se feliz com outro homem, vai ser feliz! Se você é mulher e quer ser feliz com outra mulher, vai ser feliz. Mas não fiquem perturbando isso nas escolas, obrigando a criançada a estudar besteira que não vai levar a lugar nenhum. Quem ensina sexo é papai e mamãe, pronto e acabou."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 09/11/2018[255], sobre questão do Enem que perguntava porque o pajubá, fala própria da comunidade LGBT brasileira, poderia ser considerada um dialeto, cuja resposta era por "ser consolidado por objetos formais de registro".[256]
  • "A Hungria é um país que sofreu muito com o comunismo no passado, tem um povo que sabe o que é ditadura. O povo brasileiro não sabe o que é ditadura aqui ainda. Não sabe o que é sofrer nas mãos dessas pessoas."
- Após conversar por telefone com o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, em 19/11/2018.[257]
  • "Eu fui contra essa última Lei de Migração. Ela transformou o Brasil em 1 país sem fronteiras. Não podemos permitir a entrada indiscriminada de quem quer vir para cá. Se essa lei continuar em vigor, qualquer um pode entrar aqui e chega aqui com mais direitos do que nós."
- Em 19/11/2018.[257]
  • "Se são não governamentais porque receber dinheiro do governo? Empresas públicas não vão financiar ONGs para fazer campanha contra os interesses nacionais."
- Em 19/11/2018.[257]
  • "Parabéns à Lava-Jato. O recado que eu estou dando a vocês é a própria presença do Sergio Moro no Ministério da Justiça, com todos os meios, inclusive o Coaf, para combater a corrupção. Ele pegou o o Ministério da Justiça. É integralmente dele o ministério, sequer influência minha existe em qualquer cargo no ministério. O compromisso que tive com ele é carta-branca para o combate à corrupção e ao crime organizado. Com toda certeza, ele terá sucesso e os reflexos positivos disso toda a população brasileira sentirá."
- No Rio de Janeiro, em 29/11/2018, após a prisão do governador Luiz Fernando Pezão numa fase da Operação Lava-Jato.[258]
  • "Se não mudar, sai fora. Por que temos de ficar? É um acordo possivelmente danoso para a nossa soberania. Muitos estão fora, não assinaram. Por que o Brasil tem de ficar, para ser politicamente correto? [...] Não conseguiremos reflorestar uma área do tamanho do Rio de Janeiro."
- Sobre o Acordo de Paris, em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 12/12/2018.[259]
  • "[...] a indústria de multas abusivas e extorsivas do Ibama [é fruto de] capricho de alguns fiscais. [...] Não podem continuar agindo desta forma. Política ambiental não pode atrapalhar o desenvolvimento do país. Isso atrapalha prefeitos, impede que se abra e até se faça manutenção de estrada, principalmente na Amazônia. Vamos acabar com isso. Se precisar de nova lei, iremos ao Parlamento."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 12/12/2018.[259]
  • "Todos somos migrantes no Brasil, mas não podemos escancarar as portas para [todo mundo] vir numa boa. [...] Chegar aqui e querer casar com crianças de 11 anos. Não podemos admitir certo tipo de gente que venha para o Brasil desrespeitando nossa cultura e nossa religião. Há algum tempo os países da Europa querem se ver livres de imigrantes. Olha como está a França. Olha como está a Baviera, na Alemanha. Você quer isso para o Brasil? Acredito que não."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 12/12/2018.[259]
  • "Olha Roraima. Se fosse rei de Roraima, com tecnologia, eu, em 20 anos, teria economia igual ao do Japão. [...] tem toda a tabela periódica ali. [Defendo a] integração dos mesmos [indígenas locais] à sociedade. Não queremos que fiquem atrapalhando o desenvolvimento da nação. Os índios podem receber royalties pela energia elétrica e pela mineração. Por que eles têm de ser tratados como se estivessem na idade da pedra? Temos como mexer naqueles pedaços de terra mais ricos do mundo. Como pode uma terra rica daquela ter que ficar pedindo dinheiro para União? Era para Roraima dar dinheiro pra União!"
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 12/12/2018.[259]
  • "Temos problema com um ex-assessor nosso, do Flávio, com movimentação atípica. Vai ser ouvido na semana que vem. (...) Que paguemos a conta, se algo estiver errado comigo ou com meu filho, mas nós não somos investigados. Dói no coração da gente, porque defendemos o mais firme combate à corrupção. E usaremos o próprio Coaf para combater isso."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 12/12/2018.[259]
  • "O Queiroz não estava sendo investigado, foi um vazamento que houve ali, não sou contra vazamento, tem que vazar tudo mesmo, nem devia ter nada reservado, botar tudo para fora e chegar a uma conclusão."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 12/12/2018.[260]
  • "Com o tempo começou se a instituir outras coisas à sociedade, como, por exemplo, a malfadada ideologia de gênero, dizendo que ninguém nasce homem ou mulher, que isso é uma construção da sociedade. Isso é uma negação a quem é cristão e acredita no ser humano. Ou se nasce homem, ou se nasce mulher."
- Durante a inauguração do 3° Colégio da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, em Duque de Caxias, 17/12/2018.[261]
  • "O Brasil precisa de verdade. O Brasil precisa de pessoas que se preocupam com o futuro da juventude."
- Durante a inauguração do 3° Colégio da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, em Duque de Caxias, 17/12/2018, ao pedir que fosse pintado no muro do colégio o versículo João 8:32 ("E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará").[261]

2019Editar

Janeiro de 2019Editar
  • "Aproveito este momento solene e convoco cada um dos congressistas para me ajudarem na missão de restaurar e de reerguer nossa pátria, libertando-a, definitivamente, do jugo da corrupção, da criminalidade, da irresponsabilidade econômica e da submissão ideológica."
- Discurso de posse em 01/01/2019.[262]
  • "Vamos unir o povo, valorizar a família, respeitar as religiões e nossa tradição judaico-cristã, combater a ideologia de gênero, conservando nossos valores. O Brasil voltará a ser um país livre das amarras ideológicas."
- Discurso de posse em 01/01/2019.[262]
  • "Quando os inimigos da pátria, da ordem e da liberdade tentaram pôr fim à minha vida, milhões de brasileiros foram às ruas. Uma campanha eleitoral transformou-se em um movimento cívico, cobriu-se de verde e amarelo, tornou-se espontâneo, forte e indestrutível, e nos trouxe até aqui."
- Discurso de posse em 01/01/2019.[262]
  • "Daqui em diante, nos pautaremos pela vontade soberana daqueles brasileiros: que querem boas escolas, capazes de preparar seus filhos para o mercado de trabalho e não para a militância política; que sonham com a liberdade de ir e vir, sem serem vitimados pelo crime; que desejam conquistar, pelo mérito, bons empregos e sustentar com dignidade suas famílias; que exigem saúde, educação, infraestrutura e saneamento básico, em respeito aos direitos e garantias fundamentais da nossa Constituição."
- Discurso de posse em 01/01/2019.[262]
  • "Nesse processo de recuperação do crescimento, o setor agropecuário seguirá desempenhando um papel decisivo, em perfeita harmonia com a preservação do meio ambiente."
- Discurso de posse em 01/01/2019.[262]
  • "Mais de 15% do território nacional é demarcado como terra indígena e quilombolas. Menos de um milhão de pessoas vivem nestes lugares isolados do Brasil de verdade, exploradas e manipuladas por ONGs. Vamos juntos integrar estes cidadãos e valorizar a todos os brasileiros."
- Em tweet de 02/01/2019.[263]
  • "O que conversamos morrerá entre nós. O senhor [Villas Bôas] é um dos responsáveis por eu estar aqui."
- Em 02/01/2019, durante cerimônia de posse do ministro da Defesa, agradecendo ao comandante do Exército, general Villas Bôas.[264]
  • "De acordo com que possa vir a acontecer no mundo, quem sabe se você não tenha que discutir essa questão no futuro. A questão física pode ser até simbólica, porque hoje em dia o poderio das forças armadas americanas, chinesas, russas, alcança o mundo todo, independentemente de base. [...] Minha aproximação com os Estados Unidos é econômica, mas pode ser bélica também. Podemos discutir esta questão no futuro.
- Sobre a possibilidade de se implementar uma base militar dos Estados Unidos em território brasileiro, em entrevista ao SBT em 03/01/2019.[265]
  • "Como estava previsto, Rússia fez uma manobra na Venezuela, nós sabemos qual a intenção do governo de Maduro, da ditadura do Maduro, e o Brasil tem que se preocupar com isso. Nós não queremos aqui ter um superpoder na América do Sul, mas devemos ter, ao meu entender, a supremacia."
- Em entrevista ao SBT em 03/01/2019.[265]
  • "[Em] 20 ou 25 anos, [as Forças Armadas foram] abandonadas por uma questão política, [porque] são o último obstáculo para o socialismo."
- Em entrevista ao SBT em 03/01/2019.[265]
  • "Haddad, o fantoche do presidiário corrupto, escreve que está na moda um anti-intelectualismo no Brasil. A verdade é que o marmita, como todo petista, fica inventando motivos para a derrota vergonhosa que sofreram nas eleições, mesmo com campanha mais de 30 milhões mais cara. Eles procuram e criam todos os motivos possíveis para estarem sendo rejeitados pela maioria da população, só não citam o verdadeiro: o PT quebrou o Brasil de tanto roubar, deixou a violência tomar proporções de guerra, é uma verdadeira quadrilha e ninguém aguenta mais isso!"
- Em tweets de 05/01/2019.[266]
  • "Se por um acaso ele errou e for provado, eu vou lamentar como pai, mas ele terá que pagar o preço por aquelas ações que nós não temos como aceitar."
- Sobre o filho Flávio Bolsonaro, então deputado estadual e senador eleito, investigado por movimentações financeiras atípicas, em entrevista concedida em Davos à agência Bloomberg, publicada em 23/01/2019.[267]
  • "O Brasil precisa fazer. Se não, a esquerda vai voltar e nós não sabemos qual será o destino do Brasil, talvez acabe mais como o regime que nós temos na Venezuela."
- Sobre a reforma da previdência, em entrevista concedida em Davos à agência Bloomberg, publicada em 23/01/2019.[267]
  • "Um país do tamanho do Brasil não pode ser impedido pelo Mercosul de negociar com o resto do mundo."
- Sobre a reforma da previdência, em entrevista concedida em Davos à agência Bloomberg, publicada em 23/01/2019.[267]
  • "Recomendação médica de que eu tenho que chegar descansado domingo em São Paulo para que eu possa me submeter a uma cirurgia bastante complexa, todo meu abdômen será aberto novamente. Da última vez, tomei 35 pontos. Então, não pode chegar cansado lá. Obviamente, o que nós podemos cancelar aqui, nós cancelamos. Essa coletiva, no meu entender, tendo em vista o que foi tratado, de forma pública, eu não tinha novidade para apresentar para a imprensa naquele momento."
- Em entrevista à Record TV em 23/01/2019, após cancelamento de última hora de entrevista coletiva que seria realizada em Davos, durante o Fórum Econômico Mundial.[268]
  • "Grande dia! 👍"
- Em 24/01/2019, em resposta a tweet de seu filho Carlos Bolsonaro, que dizia "Vá com Deus e seja feliz! 👍", após renúncia do deputado federal Jean Wyllys a um novo mandato, relação negada posteriormente por Carlos.[269][270]
  • "Tivemos a triste notícia do rompimento de uma bagagem de dejeitos [sic] em Brumadinho."
- Em Brasília, 25/01/2019[271], referindo-se ao rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho que deixou dezenas de mortos.[272]
Fevereiro de 2019Editar
  • "Mais uma canalhice do @radaronline."
- Em tweet de 11/02/2019 sobre a nota da coluna Radar Online "Bolsonaro determina a (Paulo) Guedes voltar com taxa antidumping do leite em pó".[266]
  • "Gustavo, o que eu acho desse cara da Globo dentro do Palácio do Planalto: eu não quero ele aí dentro. Qual a mensagem que vai dar para as outras emissoras? Que nós estamos se aproximando da Globo. Então não dá para ter esse tipo de relacionamento. Agora… Inimigo passivo, sim. Agora… Trazer o inimigo para dentro de casa é outra história. Pô, cê tem que ter essa visão, pelo amor de Deus, cara. Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa. Me desculpa. Como presidente da República: cancela, não quero esse cara aí dentro, ponto final. Um abraço aí."
- Em áudio por WhatsApp para Gustavo Bebianno, então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, em 12/02/2019, sobre encontro agendado de Bebianno com o vice-presidente de Relações Institucionais do Grupo Globo, Paulo Tonet Camargo.[273]
  • "Gustavo, uma pergunta: 'Jair Bolsonaro decidiu enviar para a Amazônia'? Não tô entendendo. Quem tá patrocinando essa ida para a Amazônia? Quem tá sendo o cabeça dessa viagem à Amazônia? Um abraço aí, Gustavo, até mais."
- Em áudio por WhatsApp para Gustavo Bebianno, então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, em 12/02/2019, após o ministro encaminhar a Bolsonaro matéria do site O Antagonista, segundo a qual Bebiano, Ricardo Salles (ministro do Meio Ambiente) e Damares Alves (ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos) viajariam ao Pará.[273]
  • "Ô, Bebianno. Essa missão não vai ser realizada. Conversei com o Ricardo Salles. Ele tava chateado que tinha muita coisa para fazer e está entendendo como missão minha. Conversei com a Damares. A mesma coisa. Agora: eu não quero que vocês viajem porque… Vocês criam a expectativa de uma obra. Daí vai ficar o povo todo me cobrando. Isso pode ser feito quando nós acharmos que vai ter recurso, o orçamento é nosso, vai ser aprovado, etc. Então essa viagem não se realizará, tá OK? Um abraço aí, Gustavo!"
- Em áudio por WhatsApp para Gustavo Bebianno, então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, em 12/02/2019, cancelando a viagem dos ministros ao Pará.[273]
  • "O caso incitando a saída é mais uma mentira. Você conhece muito bem a imprensa, melhor do que eu. Agora: você não falou comigo nenhuma vez no dia de ontem. Ele esteve comigo 24 horas por dia. Então não está mentindo, nada, nem está perseguindo ninguém."
- Em áudio por WhatsApp para Gustavo Bebianno, então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, em 13/02/2019, após Bebianno declarar ao jornal O Globo que havia conversado três vezes com o presidente no dia anterior e Carlos Bolsonaro publicar, no Twitter, que Bebbiano não havia falado com Jair Bolsonaro.[273]
  • "Ô, Gustavo, usar da… Que usou do Whatsapp para falar três vezes comigo, aí é demais da tua parte, aí é demais, e eu não vou mais responder a você. Outra coisa, eu sei que você manda lá no Antagonista, a nota foi pregada lá. Dias antes, você pregou uma nota que tentou falar comigo e não conseguiu no domingo. Eu sabia qual era a intenção, era exatamente dizer que conversou comigo e que está tudo muito bem, então faz o favor, ou você restabelece a verdade ou não tem conversa a partir daqui pra frente. Querer empurrar essa batata quente desse dinheiro lá pra candidata em Pernambuco pro meu colo, aí não vai dar certo. Aí é desonestidade e falta de caráter. Agora, todas as notas pregadas nesse sentido foram nesse sentido exatamente, então a Polícia Federal vai entrar no circuito, já entrou no circuito, pra apurar a verdade. Tudo bem, vamos ver daí… Quem deve paga, tá certo? Eu sei que você é dessa linha minha aí. Um abraço."
- Em áudio por WhatsApp para Gustavo Bebianno, então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, em 13/02/2019.[273]
  • "Bebianno, olha como você entra em contradição. Que seja a Folha. Se foi uma tentativa tua pra mim e eu não atendi… Eu não liguei pra Folha, eu não ligo pra imprensa nenhuma. Quem ligou foi você, quem vazou foi você. Dá pra você entender o caminho que você está indo? E você tem que fazer uma reflexão para voltar à normalidade. Deu pra entender? Vou repetir: se você tentou falar comigo, um pra um, se alguém vazou pra Folha, não fui eu, só pode ser você. Tá ok?"
- Em áudio por WhatsApp para Gustavo Bebianno, então ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, em 13/02/2019, após Bebianno dizer a Bolsonaro que O Antagonista apenas replicou informação da Folha de S.Paulo de que o ministro supostamente tentou falar, sem sucesso, com o presidente enquanto este estava no hospital.[273]
  • "Você vai conversar com ele sobre as ações? Se ele me cobrar individualmente o mínimo, eu estou fodido. Tem que vender uma casa minha para poder pagar."
- Em 20/02/2019, em conversa com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, sobre eventual cobrança de honorários por Gustavo Bebbiano, advogado de Bolsonaro e ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República.[274]
  • "[...] o homem que foi eleito presidente da República do Brasil no dia 11 de abril de 1964."
- Em Foz do Iguaçu, 26/02/2019, durante a posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, sobre o general Humberto de Alencar Castelo Branco, eleito indiretamente como presidente após o golpe militar de 1964.[68]
  • "Isso tudo não seria suficiente se não tivesse, do lado de cá [paraguaio], um homem de visão, um estadista, que sabia perfeitamente que seu país, o Paraguai, só poderia prosseguir, progredir, se tivesse energia. Aqui também a minha homenagem ao nosso general Alfredo Stroessner."
- Homenageando o ex-ditador paraguaio Alfredo Stroessner em Foz do Iguaçu, 26/02/2019, durante a posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional.[275]
Março de 2019Editar
  • "Dois 'famosos' acusam o Governo Jair Bolsonaro de querer acabar com o Carnaval. A verdade é outra: esse tipo de "artista" não mais se locupletará da Lei Rouanet."
- Em tweet de 05/03/2019, sobre os cantores Caetano Veloso e Daniela Mercury, em função do lançamento da música Proibido o Carnaval.[266]
  • "Errado, cérebro mofado!"
- Em tweet de 05/03/2019 direcionado ao jornalista Guga Noblat, que havia criticado Bolsonaro por ameaças de tirar repasses do governo a jornais e artistas.[266]
  • "Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que têm virado muitos blocos de rua no carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conclusões:"
- Ao compartilhar no Twitter vídeo em que foliões praticam golden shower, ao criticar o Carnaval no Brasil, em 05/03/2019.[276]
  • "O que é golden shower?"
- No Twitter, em 06/03/2019, perguntando sobre o nome dado à prática mostrada no vídeo divulgado por ele próprio no dia anterior.[276]
  • "[...] isso, democracia e liberdade, só existe quando a sua respectiva Força Armada assim o quer."
- Em 07/03/2019, durante cerimônia de aniversário do Corpo de Fuzileiros Navais no Rio de Janeiro.[277]
  • "Pela primeira vez na vida o número de ministros e ministras está equilibrado em nosso governo. Temos 22 ministérios, 20 homens e duas mulheres. Somente um pequeno detalhe: cada uma dessas mulheres que estão aqui equivale por dez homens. A garra dessas duas transmite energia para os demais."
- Em 08/03/2019, durante comemoração do Dia da Mulher no Palácio do Planalto.[278]
  • "Constança Rezende, do "O Estado de SP" diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do "O Globo". Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos."
- Tweet de 10/03/2019, reproduzindo atribuição de falsa declaração à jornalista Constança Rezende.[279]
  • "É possível que tenha um mandante. Eu conheci a Marielle depois que ela foi assassinada, apesar de ela ter sido vereadora com o meu filho [Carlos Bolsonaro] no Rio de Janeiro. Eu também estou interessado em saber quem mandou me matar. Não existe crime impossível [de ser desvendado], coisa rara. Espero que realmente a apuração tenha chegado de fato a esses executores e, mais importante, quem mandou matar."
- Em Brasília, em 12/03/2019, sobre a prisão do policial militar Ronni Lessa e do ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, apontados em investigação como executores dos assassinatos da vereadora carioca Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.[280]
  • "Eu tenho foto com milhares de policiais civis e militares hoje."
- Em Brasília, em 12/03/2019, sobre uma foto em que aparece junto do ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, apontado em investigação como motorista do carro usado nos assassinatos da vereadora carioca Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes.[280]
  • "Eu vejo imbecis dizendo: 'Olha a França que coisa linda, uma seleção multirracial.' Vamos colocar 10 milhões aqui de venezuelanos ou do pessoal do norte da África para ser campeão, quem sabe, em 2022 ou 2026. Que legal, hein? A gente bota mais 20 milhões aqui dentro, como encheram de haitianos aqui em São Paulo. Lá no plenário um petralha gritou: ‘Se fosse da Suécia, você não estava criticando'. Ô imbecil, tu acha que o da Suécia vai querer esse lixo aqui?"
- Sobre imigrantes.[281]
  • "Pela primeira vez em muito tempo, um presidente brasileiro que não é antiamericano chega a Washington. É o começo de uma parceria pela liberdade e prosperidade, como os brasileiros sempre desejaram."
- Tweet de 17/03/2019.[282]
  • "Brasil e Estados Unidos juntos assustam os defensores do atraso e da tirania ao redor do mundo. Os quem tem medo de parcerias com um país livre e próspero? É o que viemos buscar!"
- Tweet de 17/03/2019.[283]
  • "Apesar de conhecê-lo há questão de um ano e pouco, apenas, foi basicamente um amor à primeira vista. Na questão econômica, obviamente. Não sou homofóbico, não."
- Sobre o ministro da Economia, Paulo Guedes, na Câmara de Comércio em Washington, 18/03/2019.[284]
  • "Juntos, podemos fazer muito e essa essa união, até pela proximidade, Brasil e Estados Unidos, alavancaremos mais ainda não só a nossa economia, bem como os valores que, nos últimos anos, foram deixados para trás. Acreditamos na família, acreditamos em Deus, somos contra o 'politicamente correto', não queremos a 'ideologia de gênero', queremos um mundo de paz e liberdade."
- Na Câmara de Comércio em Washington, 18/03/2019.[283]
  • "Pensamos no bem-estar do nosso povo, queremos um Brasil grande, assim como o Trump e vocês, com toda certeza, querem uma América grande."
- Na Câmara de Comércio em Washington, 18/03/2019.[284]
  • "Hoje os senhores têm um presidente amigo dos Estados Unidos que admira esse país maravilhoso, e quer, sim, aprofundar, não apenas laços de amizade, bem como as mais variadas negociações. O Brasil tem um potencial enorme, precisamos de bons parceiros. Temos, no mundo todo, alguns bons parceiros, mas acredito que, de forma especial, estou aqui estendendo as minhas mãos, e tenho certeza que Trump fará o mesmo."
- Na Câmara de Comércio em Washington, 18/03/2019.[283]
  • "Acho justo dizer que os americanos que pensam [positivamente] sobre o socialismo devem olhar para a experiência da França, onde as fronteiras estão abertas para receber refugiados sem qualquer tipo de seleção ou de filtro. E ter fronteiras abertas em minha visão é uma visão absolutamente ruim. Não é uma decisão nada boa. Nós concordamos com a decisão de Trump sobre o muro."
- Em entrevista à Fox News, em 18/03/2019, sobre imigrantes no Estados Unidos.[285]
  • "A grande maioria dos imigrantes em potencial não tem boas intenções nem quer o melhor ou fazer bem ao povo americano. Eu gostaria muito que os EUA levassem adiante a atual política de imigração, porque em larga medida nós devemos a nossa democracia no Hemisfério Sul aos Estados Unidos."
- Em entrevista à Fox News, em 18/03/2019, sobre imigrantes no Estados Unidos.[285]
  • "Eu sempre o admirei. Não vou negar isso. Fui muito criticado por causa disso, mas obviamente não negarei o que penso. Não sou um camaleão. Temos muito em comum  (...).  Estou disposto a abrir meu coração para ele e fazer o que for em benefício tantos dos brasileiros como dos americanos."
- Sobre Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, em entrevista à Fox News, em 18/03/2019.[283]
  • "Sou ex-capitão do Exército brasileiro e muitos policiais militares do Rio de Janeiro são bons amigos meus. Por coincidência um desses supostos assassinos de Marielle morava do lado oposto da minha rua. Eu nunca vi aquele senhor no meu condomínio. Só descobri que ele morava lá depois que as notícias se tornaram públicas. A mídia, que sempre me criticou, tenta estabelecer uma conexão direta, mas nunca vi esse senhor no meu condomínio."
- Em entrevista à Fox News, em 18/03/2019.[286]
  • "Hoje temos nova ideologia, e queremos que a Venezuela volte à democracia."
- Em entrevista à Fox News, em 18/03/2019.[286]
  • "Acredito nos princípios, tradições e costumes da família tradicional. Sou cristão e acredito que é preciso haver respeito aos nossos costumes, nossa cultura e nossa religião."
- Em entrevista à Fox News, em 18/03/2019.[286]
  • "Se eu fosse tudo isso (misógino, racista e homofóbico), não teria sido eleito presidente. Tem muita fake news no Brasil, a população aprendeu a usar as redes sociais e não acredita mais na mídia convencional, que é dominada por esquerdistas. Não sou contra homossexuais nem mulheres. Mas quero ter minha casa em ordem e a definição de família, para mim, é a da Bíblia
- Em entrevista à Fox News, em 18/03/2019.[286]
  • "Uma boa parte tem boas intenções, a menor parte não. Houve um equívoco da minha parte, peço desculpas. Agora tem muita gente que está de forma ilegal aqui e isso uma questão de política interna deles, não é nossa. Então, gostaria que no Brasil só tivesse estrangeiro legalizado, não de forma ilegal como existe muita gente no Brasil. Me desculpe mais uma vez o equívoco, o ato falho que cometi no dia de ontem."
- Na Blair House, Washington, em 19/03/2019, sobre a declaração do dia anterior.[287]
  • "O regime venezuelano faz parte de uma organização internacional chamada Foro de São Paulo que esteve próximo de conquistar o poder no Brasil."
- Para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em 19/03/2019.[283]
  • "Tem certas questões, que, se você divulgar, deixam de ser estratégia. É uma questão de estratégia. Tudo que tratarmos aqui será honrado. Mas, infelizmente, certas informações, se porventura vierem à mesa, não podem ser debatidas de forma pública."
- Em 19/03/2019, ao ser perguntado se apoiaria uma eventual intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela.[283]
  • "Mentiras, notícias falsas. Se eu fosse xenofóbico, sexista, misógino, racista, como você justifica a vitória no Brasil? Mentira, fakenews, (...) essas pessoas estão acreditando em notícias falsas, temos que abrir nossas cabeças."
- A repórteres, ao final da Cúpula da Prosul, em Santiago, 22/03/2019.[288]
  • "Tenho dito à equipe econômica que na questão trabalhista nós devemos beirar a informalidade porque a nossa mão-de-obra é talvez uma das mais caras do mundo."
- Durante café-da-manhã com empresários em Santiago, 23/03/2019.[289]
  • "Minha grande preocupação é a região amazônica. Ela não pode continuar correndo o risco de ser internacionalizada. É um patriotismo da nossa parte. É uma preocupação, sim, de mantermos aquela área sob o nosso domínio."
- Em reunião com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, em Santiago, 23/03/2019.[290]
  • "[...] nossos países não podem se deixar seduzir pela esquerda. A responsabilidade acima de tudo é de nossos países. América Latina deve agradecer a Deus e à vontade de muitos homens e mulheres que lutaram contra o socialismo [Todos os países] em conjunto estamos trabalhando para que o regime venezuelano deixe de existir."
- Em reunião com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, em Santiago, 23/03/2019.[291]
  • "O Brasil não está fora da COP 25, mas, por uma questão que preocupa a todos que têm conhecimento sobre o país e que hão de concordar comigo, nós não podemos assinar um acordo onde alguns objetivos são impossíveis de serem atingidos. [...] o Brasil nada deve para o mundo no tocante à preservação do meio ambiente, se forem levadas em conta as nossas áreas e as áreas deles (dos países desenvolvidos). Temos essa preocupação (com o meio ambiente), mas, juntamente com ela, temos a preocupação com o desenvolvimento."
- Em Santiago, 23/03/2019, depois de se reunir com o presidente do Chile, Sebastián Piñera.[290]
  • "A bola está com ele, não está comigo. Eu já fiz a minha parte. Já entreguei. O compromisso dele, regimental, é despachar e o projeto andar dentro da Câmara, nada mais. Nada falei contra Rodrigo Maia. Muito pelo contrário, estou achando que houve um tremendo mal-entendido. Eu não o critiquei, eu não sei por que ele está se comportando dessa forma um tanto agressiva no tocante à minha pessoaA. bola agora está com o Parlamento, eles vão agora com toda a certeza aperfeiçoar. Bola para frente. O que é articulação? O que está faltando eu fazer? Eu pergunto a vocês: o que foi feito no passado? Eu não seguirei o mesmo destino de ex-presidentes. Pode ter certeza disso. Nós todos temos que pensar, me desculpa o Piñera, lá no Brasil, no nosso país, fortalecer o nosso país. Não são todos, mas alguns não estão acostumados a fazer nova política. A anterior deu errado. E olha onde estão os ex-presidentes. Eu não quero ir para lá. Eu não irei para lá com os mesmos erros. Jamais."
- Na saída do almoço no Palacio de la Moneda, em Santiago, 23/03/2019, após declaração à imprensa.[292]
  • "Qual casamento é uma maravilha? De vez em quando tem um probleminha, é coisa rara um casal não ter um problema, tá certo?"
- Em 27/03/2019, durante entrevista a José Luiz Datena, sobre o governo brasileiro durante a ditadura militar.[293]
  • "Onde você viu uma ditadura entregar para a oposição de forma pacífica o governo? Só no Brasil. Então, não houve ditadura."
- Em 27/03/2019, durante entrevista a José Luiz Datena, negando a existência da ditadura militar brasileira.[293]
  • "Não foi comemorar. Rememorar, rever, ver o que está errado, o que está certo. E usar isso para o bem do Brasil no futuro."
- Após ser condecorado em cerimônia de aniversário da Justiça Militar, em 28/03/2019, sobre citação a Bolsonaro feita pelo porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, de que o Ministério da Defesa fizesse as "devidas comemorações" do aniversário do golpe de 1964.[294]
Abril de 2019Editar
  • "Como é feita hoje em dia a taxa? Leva-se em conta quem está procurando emprego, só quem está procurando emprego. Quem não procura emprego, não é tido como desempregado. Quem está, por exemplo, recebendo Bolsa Família, é tido como não empregado. Quem recebe auxílio-reclusão também está tido como empregado. Então, quando há uma pequena melhora na questão do emprego no Brasil, essas pessoas que não estavam procurando emprego, procuram, e, quando procuram e não acham, aumenta a taxa de desemprego. É uma coisa que não mede a realidade. Parecem índices que são feitos para enganar a população."
- Sobre a taxa de desocupação medida pelo IBGE, que, na verdade, não considera na taxa de desocupação o recebimento de rendimentos que não de trabalho, em entrevista à RecordTV em 02/04/2019.[295][296]
  • "Não interessa quem está na frente ou atrás, o importante é que quem está atrás confia em quem está na frente. E eu, que estou na frente ou no meio, confia em quem está na frente. Isso desperta a confiança entre nós."
- Durante encontro empresarial Brasil-Israel, em 02/04/2019.[297]
  • "Sem dúvidas. É o Partido Nacional Socialista da Alemanha."
- Em Jerusalém, 02/04/2019, após ser perguntado por jornalista se realmente acreditava que o nazismo era um movimento de esquerda.[298]
  • "Chineses podem comprar no Brasil, só não podem comprar o Brasil."
- Em café-da-manhã com jornalistas em 05/04/2019.[299]
  • "Desculpem as caneladas. Não nasci para ser presidente, nasci para ser militar. Mas, no momento, estou nesta condição de presidente e, junto com vocês, nós podemos mudar o destino do Brasil. Sozinho não vou chegar a lugar nenhum."
- Em Brasília, durante inauguração do Espaço de Atendimento de Ouvidoria da Presidência da República, em 05/04/2019.[300]
  • "Kkkkkkkk"
- Em tweet de 07/04/2019, ironizando pesquisa do Datafolha sobre a opinião dos brasileiros de que Bolsonaro seria menos inteligente do que os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.[301]
  • "A pressão é muito forte para que eu, se estiver muito bem, obviamente, me candidatar (em 2022). Mas (durante a campanha) era minha pretensão (acabar com reeleição) vindo dentro de uma reforma política, que não depende de mim, o próprio Parlamento pode resolver esse assunto se quiser. [...] A reeleição causou uma desgraça no Brasil. Prefeitos, governadores e até o presidente se endividam, fazem barbaridades, dão cambalhotas, fazem acordos com quem não interessa, para ter apoio político. [...] Se, nessa proposta de reforma (política), para diminuir também os tamanhos das casas legislativas, o custo for tirar a reeleição, eu topo assinar isso daí."
- Em entrevista à Jovem Pan, em 08/04/2019.[302]
  • "Não podemos deixar aquilo se transformar em uma nova Cuba ou Coreia do Norte."
- Em entrevista à Jovem Pan, em 08/04/2019, sobre a Venezuela.[303]
  • "Os números... os números... os inúmeros complexos... — Calma lá. — Os desafios são inúmeros e complexos nesse grandioso Brasil."
- Ao ler no teleprompter seu discurso no evento comemorativo de cem dias de governo, em Brasília, 11/04/2019.[304]
  • "Nós não fugimos a tradição nenhuma. Nós passamos a votar lá na ONU, nas questões dos Direitos Humanos, de acordo com João 8:32. E, de acordo com a verdade, então, por coincidência, passamos a votar junto com Estados Unidos e Israel, além de outros países."
- Durante encontro de pastores evangélicos organizado por Silas Malafaia em hotel na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, em 11/04/2019, citando versículo da Bíblia que diz "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". [305]
  • "Fui, mais uma vez, no Museu do Holocausto. Nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer. E é minha essa frase: 'Quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro'. Se não quer repetir a história, que não foi boa, vamos evitar com ações e com atos para que ela realmente não se repita daquela forma."
- Durante encontro de pastores evangélicos organizado por Silas Malafaia em hotel na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, em 11/04/2019.[306]
  • "Vai ter um encontrão de índios agora, semana que vem. Tá sendo previsto (sic) 10 mil índios aqui em Brasília. E quem vai pagar a conta dos 10 mil índios que vem para cá? É você contribuinte. Queremos o melhor para o índio brasileiro, que é tão ser humano quanto qualquer um de nós que está na sua frente aqui. Mas essa farra vai deixar de existir no nosso governo."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Brasília, 11/04/2019,[307] falando sobre a realização do Acampamento Terra Livre, que, segundo a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, foi financiado com doações.[308]
  • "Da nossa parte, em um primeiro momento nós passamos a votar não com Israel e Estados Unidos, mas na mesma sintonia de Israel e Estados Unidos na Comissão de Direitos Humanos da ONU. Foi uma mudança radical de um voto de cabresto do Brasil, que estava afinado com Venezuela, Irã, Cuba e outros países lá que não têm amor à democracia e à liberdade."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Brasília, 11/04/2019.[309]
  • "Vamos conversar sobre a Renca? A Renca é nossa. Vamos usar as riquezas que Deus nos deu para o bem-estar da nossa população. A Amazônia pode ser uma solução para o mundo e não um problema para nós. Vocês não terão problema com o ministro do Meio Ambiente, de Minas e Energia ou de qualquer outro."
- Durante a inauguração do aeroporto de Macapá, em 12/04/2019, defendendo a mineração na Reserva Nacional de Cobres e Associados (Renca).[310]
  • "O Exército não matou ninguém. O Exército é do povo. A gente não pode acusar o povo de assassino. Houve um incidente. Houve uma morte. Lamentamos ser um cidadão trabalhador, honesto."
- Durante a inauguração do aeroporto de Macapá, em 12/04/2019, sobre a morte do músico Evaldo Rosa dos Santos, cujo carro foi metralhado com oitenta tiros disparados por homens do Exército no Rio de Janeiro.[311]
  • "Não sou economista, já falei que não entendia de economia."
- Durante a inauguração do aeroporto de Macapá, em 12/04/2019, sobre sua intervenção que impediu o aumento de 5,7% no preço do óleo diesel nas refinarias.[312].
  • "Ao povo de Israel: deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: 'Aquele que esquece seu passado está condenado a não ter futuro'.  Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio."
- Em carta de 13/04/2019 à embaixada israelense no Brasil, justificando declaração de dois dias antes.[313]
  • "Com todo o respeito, alguns querem que vocês fiquem na terra indígena como se fossem um animal pré-histórico. Não é pré-histórico não, vocês são seres humanos. O índio não pode continuar sendo pobre em cima de terra rica. Todas as ONGs que trabalham contra vocês são nossas inimigas. [...] o índio tem que dizer o que a Funai vai fazer. Se não for assim, eu corto toda a diretoria da Funai. Se fala tanto em Serra Pelada, mas a ianomâmi é riquíssima, por isso que tem ONG dizendo que tá defendendo índio lá. Se fosse uma terra pobre, não teria ninguém lá, ninguém. Como é rica tá lá esses picaretas internacionais, picaretas dentro do próprio Brasil, picaretas dentro do pobre governo dizendo que protegem vocês. Ou seja, nossos irmãos, mais humildes, trabalhando, multados pelo Ibama. Por isso, junto com o (Ricardo) Salles, nosso ministro do Meio Ambiente, tomamos providências para substituir esse tipo de gente. Esse tipo de gente não são brasileiros, não estão preocupados com o meio ambiente. A preocupação deles é outra."
- Em transmissão ao vivo no Facebook ao lado de indígenas no Palácio do Planalto, em 17/04/2019.[314]
  • "Essa desgraça dessa Lei Rouanet começou muito bem intencionada, depois virou aquela festa que todo mundo sabe, cooptando a classe artística, pessoas famosas para apoiar o governo. Quantas vezes vocês viram figurões, não vou falar o nome, não, figurões defendendo ‘Lula livre’, ‘viva Che Guevara’, o ‘socialismo é o que interessa’ em troca da Lei Rouanet. Artistas recebiam até R$ 60 milhões."
- Em transmissão ao vivo no Facebook em 18/04/2019.[315]
  • "O professor Olavo de Carvalho teve um papel considerável na exposição das ideias conservadoras que se contrapuseram à mensagem anacrônica cultuada pela esquerda e que tanto mal fez ao nosso País. Entretanto, suas recentes declarações contra integrantes dos Poderes da República não contribuem para a unicidade de esforços e consequente atingimento dos objetivos propostos em nosso projeto de governo, que visa, ao fim e ao cabo, o bem-estar da sociedade brasileira e o soerguimento do Brasil no contexto das nações."
- Nota de Bolsonaro lida pelo porta-voz da Presidência, Rêgo Barros, no Palácio do Planalto, em 22/04/2019.[316]
  • "Não tem problemas. A gente continua dormindo junto. O problema é quem vai lavar a louça no final do dia. Sei que meu filho (Carlos) tem um ânimo um pouco exaltado. Esse casamento (com Mourão) é até 2022 no mínimo. Nós nos acostumamos com um presidente poste e ele tem toda liberdade para falar. Ele está muito preparado para me substituir. Vice é sempre uma sombra e às vezes não se guia de acordo com o sol, mas por enquanto está tudo bem. Como um excelente casamento, se todo mundo disser sim não vai dar certo."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019, sobre críticas de Carlos Bolsonaro e Olavo de Carvalho contra o vice-presidente Hamilton Mourão.[317]
  • "Pode ter certeza que eu converso com ele (Carlos Bolsonaro) e nem sempre fico satisfeito (com o que ele escreve). A experiência de governo só quem está sentado na cadeira que tem. Eu tenho conversado com ele. Ele tem o comportamento dele. Ele vai continuar colaborando para as minhas redes sociais. Pode ter certeza que o navio dele está indo para um bom caminho."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019, sobre críticas de Carlos Bolsonaro e Olavo de Carvalho contra o vice-presidente Hamilton Mourão.[317]
  • "Olavo de Carvalho é uma pessoa que há pelo menos 20 anos fala algo que é o mesmo que eu falo. Algumas declarações dele não estão colaborando com o governo."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019, sobre críticas de Carlos Bolsonaro e Olavo de Carvalho contra o vice-presidente Hamilton Mourão.[317]
  • "Dei sinal verde para estudar a privatização dos Correios. Tem que rememorar para o povo o fundo de pensão, que a empresa foi o foco de corrupção com o mensalão."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019.[317]
  • "No passado o povo adorava a milícia até o episódio do pessoal do jornal O Dia. A milícia transformou-se num braço do crime organizado. Tem que ser combatida."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019.[317]
  • "O Brasil não pode ser um país do mundo gay, de turismo gay. Temos famílias."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019.[317]
  • "Quem quiser vir aqui fazer sexo com uma mulher, fique à vontade. Agora, não pode ficar conhecido como paraíso do mundo gay aqui dentro."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019.[318]
  • "Meu inquérito está mais fácil de solucionar do que o da Marielle. O cara não é maluco. Vamos contratar mil policiais."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019, sobre Adélio Bispo de Oliveira, que tentou matar Bolsonaro.[317]
  • "Falam de três laranjas - em Pernambuco, em Minas Gerais e do meu filho (Flávio). É comum ser acusado de algo. Se tiver algo robusto eu vou falar com o Marcelo Alvaro Antonio. (Pelo que sei até agora) não configura laranja."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em Brasília, 25/04/2019, sobre suspeitas de uso de pessoas como laranjas duranta a campanha eleitoral de 2018.[317]
  • "No Brasil, ainda, nós temos por ano mil amputações de pênis por falta de água e sabão. Quando se chega em um ponto desse, a gente vê que nós estamos realmente no fundo do poço. Nós temos que buscar uma maneira de sair do fundo do poço ajudando essas pessoas, conscientizando-as, mostrando realmente o que eles têm que fazer e evitar que se chegue em esse ponto ridículo, triste para nós, dessa quantidade de amputações que nós temos por ano. Eu tomei conhecimento uma vez que certos homens, ao ir para o banheiro, eles só ocupavam o banheiro para fazer o número um no reservado. O que é que acontece com esse cara? Eu sabia e aos poucos vou tomando conhecimento."
- No Ministério da Educação, em 25/04/2019.[319]
  • "Quem indica e nomeia o presidente do Banco do Brasil, não sou eu? Não precisa falar mais nada, então. A linha mudou. A massa quer o quê? Respeito a família, ninguém quer perseguir minoria nenhuma. E nós não queremos que dinheiro público seja usado dessa maneira."
- Em Brasília, 27/04/2019, após suspensão de publicidade do Banco do Brasil direcionada ao público jovem.[320]
  • "Quem sabe nós temos uma patrona da Educação e não mais um patrono muito chato, não precisa falar quem é, que nós temos até o momento. Ele vai ser mudado, estamos esperando alguém diferente."
- Sobre Paulo Freire, em entrevista à "repórter-mirim" Esther Castilho publicada em 29/04/2019 no canal Esther e Famosos, no YouTube.[321]
  • "O Brasil se solidariza com o sofrido povo venezuelano escravizado por um ditador apoiado pelo PT, PSOL e alinhados ideológicos. Apoiamos a liberdade desta nação irmã para que finalmente vivam uma verdadeira democracia."
- Em publicação no Facebook de 30/04/2019.[266]
Maio de 2019Editar
  • "De 56 em 2016, caiu para apenas 1 o número de invasões no campo praticados pelo MST em 2019. A postura do atual governo, bem como o corte de recursos para esses parasitas, influenciou na significativa redução desses verdadeiros atos terroristas.."
- Em tweet de 02/05/2019.[266]
  • "Eu não poderia comparecer numa cidade onde o chefe do Executivo, o prefeito, no caso, se comportava como um radical, promovendo e se preparando para fazer manifestações, as piores possíveis contra a minha presença."
- Sobre Bill de Blasio, prefeito de Nova Iorque, em café-da-manhã com deputados federais no Palácio do Planalto, em 04/05/2019.[322]
  • "Qualquer empresa privada tem liberdade para promover valores e ideologias que bem entendem. O público decide o que faz. O que não pode ser permitido é o uso do dinheiro dos trabalhadores para isso. Não é censura, é respeito com a população brasileira."
- Em tweet de 04/05/2019, após o Burger King convidar para uma peça publicitária os atores da publicidade suspensa do Banco do Brasil.[323]
  • "No Brasil, é uma coisa rara o racismo. O tempo todo tentam jogar o negro contra o branco, homo contra hétero ou pai contra filho. Desculpe o linguajar, mas isso já encheu o saco. [...] Se eu fosse racista: o negão caiu dentro da água e eu ia fazer o que? Eu ia cruzar os braços. Entrei lá. Na segunda vez que mergulhei, consegui trazer o negão do fundo da lagoa."
- Durante entrevista a Luciana Gimenez no programa Luciana by Night em 07/05/2019, dizendo não ser racista por ter socorrido um colega militar negro de se afogar.[324]
  • "Me elegi e a decisão foi, como havia falado por anos, que não teríamos indicações políticas. Escolhi os nossos ministros por critério técnico. Todos têm 100% de liberdade para escolher seus subordinados. Se por ventura eu indicar alguém, falei para os ministros, eles têm poder de veto. O que eu quero deles, na ponta da linha, é produtividade. Tem que atender o fim, a quem se destina a instituição. E assim estamos governando. Alguns problemas? Sim, talvez tenha um tsunami na semana que vem. Mas a gente vence esse obstáculo com toda certeza. Somos humanos, alguns erram. Uns erros são imperdoáveis, outros não."
- Em evento da Caixa Econômica Federal a gestões em Brasília, 10/05/2019.[325]
  • "Não tem que negociar, se é inconstitucional tem que deixar de existir. Quem vai dar a palavra final vai ser o plenário da Câmara, ou a Justiça."
- Sobre a constitucionalidade de seus próprios decretos, em Foz do Iguaçu, 10/05/2019.[326]
  • "Fiz um compromisso com ele (Moro), porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: 'a primeira vaga que tiver lá está à sua disposição'. Obviamente, ele teria de passar por uma sabatina no Senado. Eu sei que não lhe falta competência para ser aprovado lá. Mas uma sabatina técnico-política. Eu vou honrar esse compromisso com ele. Caso ele queira ir para lá, será um grande aliado, não do governo, mas dos interesses do nosso Brasil dentro do Supremo. A primeira vaga que tiver, eu tenho esse compromisso com Moro, e, se Deus quiser, cumpriremos esse compromisso. Acho que a nação toda do Brasil vai aplaudir um homem desse perfil no Supremo."
- Em entrevista ao programa de Milton Neves na Rádio Bandeirantes, em 12/05/2019, sobre indicar Sérgio Moro para ser ministro do Supremo Tribunal Federal.[327]
  • "Tudo pequenininho aí?"
- Em conversa com um homem asiático, no Aeroporto Internacional de Manaus, em 15/05/2019.[328]
  • "É natural, é natural [ter o protesto]. Agora... a maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 vezes 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil."
- Em Dallas, 15/05/2019, sobre os protestos contra o contingenciamento de verbas para a educação pública.[329]
  • "Primeiro, você, da Folha de S.Paulo, tem que entrar de novo numa faculdade que presta e fazer um bom jornalismo. É isso que a Folha tem que fazer e não contratar qualquer uma ou qualquer um para ser jornalista, para ficar semeando a discórdia e perguntando besteira por aí e publicando coisas nojentas. É isso que vocês da Folha têm que fazer."
- Em Dallas, 16/05/2019, para a jornalista Marina Dias, sobre cortes na educação.[266]
  • "Estão fazendo esculacho em cima do meu filho. Querem me atingir? Venham pra cima de mim! Querem quebrar meu sigilo, eu sei que tem que ter um fato, mas eu abro o meu sigilo. Não vão me pegar. [...] A Globo ficou sabendo da quebra do sigilo do meu filho desde o ano passado. Pergunta para a Globo, é uma jogadinha, entre o Ministério Público do Rio de Janeiro com a Globo. É a jogadinha, quebraram o sigilo bancário dele desde o ano passado e agora para dar um verniz de legalidade quebraram oficialmente o sigilo dele e mais, se eu não me engano, 93 pessoas. Nossa senhora, tem uma lava-jato aí. Vai fundo, vai fundo. O que diz a jurisprudência? — Eu não sou advogado — Nulidade de processo."
- Em Dallas, 16/05/2019, após quebra de sigilo bancário do ex-deputado estadual e então senador Flávio Bolsonaro.[330]
  • "No Brasil, a política até há pouco era de antagonismo a países como Estados Unidos. Os senhores eram tratados como se fossem inimigos nossos. Agora, quem até há pouco ocupava o governo teve em sua história suas mãos manchadas de sangue na luta armada, matando inclusive um capitão, como eu sou capitão, naqueles anos tristes que tivemos no passado. Eu até rendo homenagem aqui ao capitão Charles Chandler."
- Em Dallas, 16/05/2019, durante a homenagem da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos a Bolsonaro como Pessoa do Ano, insinuando que o assassinato do capitão estadunidense Charles Chandler, cometido por membros da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) em 1968, teria a participação da ex-presidente Dilma Rousseff, que na época participava do Comando de Libertação Nacional (Colina).[331]
  • "Brasil-Estados Unidos acima de tudo. Brasil acima de todos."
- Em Dallas, 16/05/2019, durante a homenagem da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos a Bolsonaro como Pessoa do Ano, ao tentar adaptar seu slogan para a ocasião.[332]
  • "Eu quero deixar bem claro. Quem me acompanhou ao longo de quatro anos pelo Brasil, eu sempre falava que precisamos de alguém no Supremo com o perfil do Sergio Moro. Isso que foi falado. E agora, por exemplo, perguntaram pra mim se tivesse que indicar alguém hoje pro Supremo, eu indicaria o Moro. Não teve nenhum acordo, nada, nunca ninguém me viu com o Moro."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Dallas, 16/05/2019, após ter dito quatro dias antes que tinha feito e cumpriria "um compromisso" de indicar Sérgio Moro para ser ministro do Supremo Tribunal Federal.[327]
  • "Dilma cortou 10 bilhões da Educação e doou 50 bilhões para países amigos (algumas ditaduras). Quem participou dessa última manifestação e não tinha conhecimento disso eu lamento, mas foram usados como massa de manobra pelo bando do 'Lula livre'."
- Em tweet de 17/05/2019, sobre as manifestações contra os cortes de verbas para a educação.[266]
  • "Seminaristas querem proibir o termo Fake News e usam Folha de SP como fonte. A cada dia o brasileiro tem mais acesso à informação e conhece a verdade sem precisar de alguns órgãos de imprensa famosos pelas Fake News. Sigo defendendo uma internet livre."
- Em tweet de 18/05/2019.[266]
  • "Não vão botar uma linha do que vou falar aqui, não vão botar nada. Sei que vocês são funcionários, não têm poder junto aos editores. (...) Grande parte da mídia só vive disso. Só desinformando, deturpando, mostrando o contrário do que acontece. (...) As imprensas estão dizendo que eu sancionei uma lei ontem para anistiar multas de R$ 60 milhões mais ou menos de partidos políticos. É mentira, eu vetei. Estão dizendo que eu sancionei. É o tempo todo assim, é só mentira. Grande parte da mídia só vive disso."
- Para jornalistas no Palácio da Alvorada, em 18/05/2019, um dia após ter sancionado lei que isenta diretórios municipais inativos de partidos de pagarem taxa para reativar seus CNPJs.[333]
  • "E esse movimento do pessoalzinho aí que eu cortei verba, o que vocês acharam?"
- Em frente ao Palácio da Alvorada, em 18/05/2019, falando para alunos do Colégio Bandeirante, escola particular de São Paulo, sobre os cortes de verbas para a educação pública.[334][335]
  • "O Brasil é um país maravilhoso, que tem tudo para dar certo. Mas o grande problema é a nossa classe política. Nós temos que mudar isso."
- Em discurso na Firjan em 20/05/2019, pedindo apoio a Wilson Witzel, governador do estado do Rio de Janeiro, e Marcelo Crivella, prefeito da capital do estado.[336]
  • "Cada vez que eu toco o dedo numa ferida, um exército de pessoas influentes vira contra mim. Nós temos uma oportunidade ímpar de mudar o Brasil. Mas não vou ser eu sozinho —apesar de meu nome ser Messias— que vou conseguir."
- Em discurso na Firjan em 20/05/2019.[336]
  • "[Espero] não ter nenhum infiltrado de camisa verde e amarela, com faixa pedindo para fechar o STF. Quem estiver com essa pauta, estará na manifestação errada. Não fará bem ao Brasil. Está mais para Maduro do que para Jair Bolsonaro. Quem fala em fechar o STF não está alinhado com a minha política."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em 23/05/2019, sobre manifestações de apoiadores do presidentes marcadas para o dia 26 seguinte.[337]
  • "Vou deixar para tomar esta decisão nos 48 minutos do segundo tempo. Claro que o mercado precisa se autorregulamentar, mas, neste caso, meu coração está mais inclinado a evitar a cobrança das bagagens."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em 23/05/2019, sobre medida provisória aprovada pelo Congresso que impede cobrança de bagagens de até 23 quilos em voos nacionais.[338]
  • "Quando homem está cansado de ser feliz, procura uma mulher, casa-se com ela para ser mais feliz ainda."
- Em Cascavel, 23/05/2019.[339]
  • "Não tem novos pardais em estradas federais. Teve uma pressão de uns pequenos grupos: 'ai, e em local, de risco?'. Não, não tem local de risco. Ninguém é otário. Tem uma curva na frente, uma ribanceira, o cara entrar a 80, 90, 100 quilômetros por hora. Não é otário, não faz isso aí. Não precisa ter um pardal para multar o cara lá."
- Durante transmissão ao vivo por redes sociais em 23/05/2019, após anunciar que reprovava a compra de radares móveis.[340]
  • "Está no direito dele, ninguém é obrigado a ficar como ministro meu."
- Em Pernambuco, 24/05/2019, em resposta a declaração dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de que deixaria o Brasil se, entre outras condições, o presidente não quiser a reforma da Previdência.[341]
  • "Se for uma reforma de japonês ele vai embora, é isso? Eu já respondi. Pequenininho. Lá (no Japão) é tudo miniaturizado."
- Em Petrolina, 24/05/2019, sobre a declaração dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de que deixaria o Brasil se, entre outras condições, o presidente não quiser a reforma da Previdência.[342]
  • "Não estou no Nordeste, estou no Brasil."
- Em Petrolina, 24/05/2019 [343]
  • "Eu exagerei. Concordo. O certo são 'inocentes úteis'. Nem sabiam o que estavam fazendo lá."
- Entrevista à Record TV em 26/05/2019, sobre ter chamado de idiotas úteis os manifestantes contra o corte de gastos com a educação pública.[344]
  • "Há alguns dias atrás, fui claro ao dizer que quem estivesse pedindo o fechamento do Congresso ou STF hoje estaria na manifestação errada. A população mostrou isso. Sua grande maioria foi às ruas com pautas legítimas e democráticas, mas há quem ainda insista em distorcer os fatos."
- Tweet de 26/05/2019, sobre a participação de governistas a favor do fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal nas manifestações pró-governo do mesmo dia.[345]
  • "Eu disse para ele, Maia: com a caneta, eu tenho muito mais poder do que vocês, apesar de você fazer leis. Eu tenho o poder de fazer decretos. Evidente que decretos com fundamentos. E falei para ele da baía de Angra. Nós podemos ser protagonistas para que a baía de Angra seja uma nova Cancún. Nós devemos começar a tirar esse sonho do papel com uma caneta Bic, revogando um decreto, que demarcou estação ecológica de Tamoios em 1988, lá no governo Sarney."
- Em Brasília, 28/05/2019, durante o lançamento da Frente Parlamentar Mista da Marinha Mercante Brasileira.[346]
  • "O Brasil está cheio de decretos, cheio de portarias, cheio de instruções normativas. Outro dia ousei tomar conhecimento da quantidade de instruções normativas só na Receita Federal. Em parte, eu vi que eram perfeitamente descartáveis, serviam apenas para que alguns poucos, existem esses poucos em todas as instituições, usassem aquilo em causa própria para atrapalhar quem quer produzir."
- Em Brasília, 28/05/2019, durante o lançamento da Frente Parlamentar Mista da Marinha Mercante Brasileira.[347]
  • "Quantos aqui votaram em mim, até eu sendo o mais ruim? O menos ruim, melhor dizendo."
- Durante evento de posse de Gilson Machado Neto como presidente da Embratur, em 29/05/2019.[348]
  • "Se você não quer uma manifestação impopular contra você, você que ande na linha."
- Em entrevista a Danilo Gentili para o programa The Noite, exibida na madrugada de 30 para 31/05/2019.[349]
  • "O certo é falar 'inocentes úteis'. A grade maioria da garotada presente não sabia o que estava fazendo ali, diferente dessa última manifestação pedindo agilidade ao Parlamento. Uma minoria de professores espertalhões usa a garotada em causa própria tentando sempre destabilizar o governo."
- Em entrevista a Danilo Gentili para o programa The Noite, exibida na madrugada de 30 para 31/05/2019.[349]
  • "Errei no começo quando indiquei o Ricardo Vélez como ministro. Foi uma indicação do Olavo de Carvalho? Foi, não vou negar. Ele teve interesse, é boa pessoa. Depois liguei para ele: “Olavo, você conhecia o Vélez de onde?”. “Ah, de publicações.” “Pô, Olavo, você namorou pela internet?”, disse a ele. Depois, tive de dar uma radicalizada. Em conversas aqui com os meus ministros, chegamos à conclusão de que era preciso trocar, não se pode ter pena, e trocamos."
- Em entrevista à revista Veja, publicada em 31/05/2019.[350]
  • "O Supremo Tribunal Federal agora está discutindo se homofobia pode ser tipificada como racismo. Desculpem, ministros do Supremo Tribunal Federal, a quem eu respeito, e jamais atacaria um outro Poder. Mas, ao que parece, estão legislando. O Estado é laico, mas eu sou cristão. Como todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, existe algum, entre os 11 ministros, evangélico, cristão assumido? Não me venha a imprensa dizer que quero misturar Justiça com religião. Será que não está na hora de termos um ministro do Supremo Tribunal Federal evangélico?"
- Em Goiânia, 31/05/2019, durante a Convenção Nacional das Assembleias de Deus Madureira.[351]
Junho de 2019Editar
  • "Não, não. Tivemos a Operação Condor entre vários países e os militares daquela época evitaram que o país caísse no comunismo. Foi isso o que aconteceu. Quantas pessoas morreram ou desapareceram e por quais motivos? Que cada país escreva sua história."
- Em entrevista ao jornal argentino La Nación, publicada em 01/06/2019.[352]
  • "A primeira vez que fui chamada de misógino, eu não sabia o que era, tive que entrar no Google e descobrir que é alguém que não gosta de mulheres. Agora acontece que eu sou gay!"
- Em entrevista ao jornal argentino La Nación, publicada em 01/06/2019, confundindo misoginia (ódio por mulheres) com homossexualidade masculina.[353][354]
  • "Não existe democracia sem liberdade de expressão. Jamais exigirei demissão de jornalista por críticas feitas contra minha pessoa. Sou alvo de coisas bem piores há décadas. Confio na capacidade das pessoas de discernir o bom do mau jornalismo e tirar suas próprias conclusões."
  • "Tales Volpi, conhecido como MC Reaça, nos deixou no dia de ontem. Tinha o sonho de mudar o país e apostou em meu nome por meio de seu grande talento. Será lembrado pelo dom, pela humildade e por seu amor pelo Brasil. Que Deus o conforte juntamente com seus familiares e amigos."
- Em tweet de 02/06/2019, após o suicídio do cantor MC Reaça, suspeito de espancar a amante.[355]
  • "Espero dar um abraço no Neymar antes do jogo. É um garoto. Está num momento difícil, mas eu acredito nele."
- Em Aragarças, Goiás, 05/06/2019, após o jogador de futebol Neymar ser acusado de estupro e divulgação de imagens íntimas de uma mulher.[356]
  • "Apresentamos um projeto para fazer com que a Carteira Nacional de Habilitação passe sua validade de cinco para dez anos. Que o caminhoneiro que transporta aqui o que o Centro-Oeste produz não perca sua carteira com 20 pontos, e sim com 40 pontos. Por mim, eu botaria 60 [pontos], porque, afinal de contas, a indústria da multa vai deixar de existir no Brasil. Meus amigos Policiais Rodoviário Federais, acabei de acertar com o Paulo Guedes a contratação de mais mil servidores para essa área para bem ajudar no trânsito nos Estados. Mas a multagem eletrônica vai deixar de existir para o bem dos motoristas e do nosso Brasil."
- Em Aragarças, Goiás, 05/06/2019, um dia após apresentar projeto de lei que visa alterar o Código de Trânsito Brasileiro.[357]
  • "E eu conclomo... canclomo... conclamo ao povo argentino que Deus abençoe a todos eles."
- Durante discurso ao lado do presidente argentino Mauricio Macri, em Bueno Aires, 06/06/2019.[358]
  • "Um erro meu, não é? Que eu erro, eu reconheço isso daí, decretos que demarcaram estações ecológicas: fui ver na Constituição e realmente eu estava errado. Mas olha, para mim é um absurdo. Você demarca, por exemplo, a Estação Ecológica de Tamoios por decreto. [...] Quem revoga decreto na questão ambiental é uma lei. Cada decreto para ser revogado tem que ser por uma lei específica. Se tiver dois decretos que mexem em áreas contíguas, você vai ter que ter dois, dois projetos de lei para aquilo. É feito para inviabilizar o Brasil. Vamos supor que no dia de hoje eu resolva assinar 5 mil decretos e publicar. A partir desse momento não interessa, pô, não interessa se eu sou maluco. Vão ter que ter 5 mil projetos de lei para tramitar no parlamento, o que demora pra caramba, não é? Para desmarcar aquilo tudo. É justo isso? Não é. E vamos ver o que a gente pode fazer, não é? O Brasil todo está com essas reservas enormes indígenas, quilombolas, áreas de proteção ambiental, parques nacionais, parques estaduais, é um absurdo isso daí."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 06/06/2019.[359]
  • "Está encerrada a entrevista."
- Durante entrevista no aeroporto de Congonhas, em 11/06/2019, ao ser questionado sobre conversas secretas entre o procurador federal Deltan Dallagnol e o ex-juiz da Operação Lava Jato em Curitiba e ministro da Justiça, Sérgio Moro, reveladas pelo site The Intercept Brasil.[360]
  • "Ricardo Salles está no lugar certo. Consegue fazer o casamento do Meio Ambiente com a produção. Eu falei para ele: 'Mete a foice em todo mundo no Ibama. Não quero xiita'."
- Durante discurso na Fiesp, em 11/06/2019, sobre Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente.[361]
  • "Olha só, ontem foi o dia dos namorados. Em vez de eu chegar em casa e dar um presente para a minha esposa, eu dei um beijo nela. Não é muito melhor? Eu dei um beijo hétero no nosso querido Sergio Moro. Dois beijos héteros. Fomos lá na Marinha com ele. O que ele fez não tem preço. Ele realmente botou pra fora, mostrou as vísceras do poder, a promiscuidade do poder no tocante à corrupção. A Petrobras quase quebrou, fundos de pensão, muitos quebraram, o próprio BNDES, eu falei agora há pouco aqui, nessa época 400 e poucos bilhões (de reais) entregues para companheiros comunistas e para amigos do rei aqui dentro. Ele faz parte da história do Brasil."
- Em 13/06/2019, um dia após Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, participarem de um evento na Marinha.[362]
  • "Normal é conversa com doleiro, com bandidos, com corruptos. Isso é normal? Nós estamos unidos do lado de cá para derrotar isso daí. Ninguém forjou provas nessa questão lá da condenação do Lula."
- Em 13/06/2019, em resposta a questionamento sobre conversas secretas entre o procurador federal Deltan Dallagnol e o ex-juiz da Operação Lava Jato em Curitiba e ministro da Justiça, Sérgio Moro, reveladas pelo site The Intercept Brasil.[362]
  • "Ah, vazou... Se vazar o meu aqui, tem muita brincadeira que faço com colegas ali que vão me chamar de novo tudo aquilo que me chamavam durante a campanha. E houve uma quebra criminosa, invasão criminosa, se é [que] o que está sendo vazado é verdadeiro ou não"
- Em 13/06/2019, sobre suposta quebra ilegal de sigilo das conversas entre Dallagnol e Moro reveladas pelo site The Intercept Brasil.[362]
  • "Fui com ele ontem no Mané Garrincha e fomos aplaudidos. Quase que só acontecia lá atrás quando o Médici ia no Maracanã."
- Em 13/06/2019, um dia após ir com Moro ao Estádio Mané Garrincha, em Brasília, em referência a Emílio Garrastazu Médici, presidente do Brasil durante a ditadura militar.[362]
  • "Em razão de determinação judicial, venho pedir publicamente desculpas pelas minhas falas passadas dirigidas à Deputada Federal Maria do Rosário Nunes. Naquele episódio, no calor do momento, em embate ideológico entre parlamentares, especificamente no que se refere à política de direitos humanos, relembrei fato ocorrido em 2003, em que, após ser injustamente ofendido pela congressista em questão, que me insultava, chamando-me de estuprador, retruquei afirmando que ela 'não merecia ser estuprada'."
- Trecho do pedido de desculpas à deputada federal Maria do Rosário, em tweet de 13/06/2019.[363]
  • "'E se der um problema aqui dentro? Ele me acusa disso ou daquilo, o que que vai acontecer, como que fica a minha empresa?'. Acho que o que mede a ineficiência de um Estado é a quantidade de lei. Quanto mais leis, pior é aquele Estado. E está transformando insuportável a nossa convivência no Brasil dada essas decisões, com todo respeito, que o Supremo Tribunal Federal tomou no dia de ontem."
- Durante café-da-manhã com jornalistas em 14/06/2019, colocando-se no lugar de um empregador na hipótese de um LGBT se candidatar a um emprego, como crítica à decisão do Supremo Tribunal Federal de equiparar a LGBTfobia ao crime de racismo.[364]
  • "Eu não sei das particularidades da vida do Moro. Eu não frequento a casa dele. Ele não frequenta a minha casa por questão até de local onde moram nossas famílias. Mas mesmo assim, meu pai dizia para mim: confie 100% só em mim e na mãe."
- Em 15/06/2019, um dia após novas conversas do ministro da Justiça e ex-juiz da Operação Lava Jato em Curitiba, Sérgio Moro, serem reveladas pelo site The Intercept Brasil.[365]
  • "Eu já estou por aqui com o Levy. Falei para ele: 'Demita esse cara na segunda-feira ou demito você sem passar pelo Paulo Guedes'. Governo tem que ser assim, quando bota gente suspeita em cargos importantes. E essa pessoa, como o Levy, vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e àquilo que conhece a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já tem algum tempo."
- Sobre o então presidente do BNDES, Joaquim Levy, e o diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto, em entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto, em 15/06/2019.[366]
  • "Esse pessoal daquele casal né, aquele casal lá, um deles esteve detido na Inglaterra há pouco tempo por espionagem, o outro aqui tem suspeita de vender o mandato, e a outra menina, namorada de outro, que tá lá fora do Brasil. É uma trama."
- Em Guaratinguetá,[367] 20/06/2019, ao reproduzir um boato, referindo-se, respectivamente, ao jornalista estadunidense e editor do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, ao esposo deste e deputado federal, David Miranda, e ao ex-deputado federal Jean Wyllys, também gay assumido e titular da vaga para a Câmara dos Deputados cujo suplente era Miranda.[368]
  • "Quem demarca terra indígena sou eu! Não é ministro. Quem manda sou eu. Nessa questão, entre tantas outras. Eu sou um presidente que assume ônus e bônus."
- Durante a Marcha para Jesus, em São Paulo, 20/06/2019, um dia após atribuir por medida provisória a demarcação de terras indígenas ao Ministério da Agricultura pela segunda vez no ano.[369]
  • "O Postalis comprou papéis de Chávez, na Venezuela, comprou de Teresa, do governo de Teresa Kirchner, na Argentina, e de Angola."
- Ao tentar se referir à ex-presidente argentina Cristina Kirchner, durante entrevista coletiva em 21/06/2019.[370]
  • "Me informaram agora que foi aprovado na Câmara o projeto que faz com que a indicação dos integrantes das agências passe a ser privativo do Parlamento. Eu não posso mais indicar. Por exemplo, eu indiquei há pouco uma pessoa para a Anvisa. Bem, se isso aí se transformar em lei, todos foram indicados por parlamentares. Imaginem qual o critério que eles vão adotar. Acho que precisa complementar. Pô, querem me deixar como rainha da Inglaterra? Não sei. Esse é o caminho certo? [...] As agências travam os ministérios. Travam. Você fica sem ação. Tem que negociar com agência. É um poder paralelo."
- Após deixar o centro médico do Palácio do Planalto em 22/06/2019, questionando o projeto de lei da Câmara dos Deputados que daria à casa o poder de indicar os diretores das agências reguladoras.[371][372]
  • "Nós não perdermos a Fórmula 1, o contrato vence no ano que vem em São Paulo e eles decidiram retornar ao Rio de Janeiro. Praticamente 99% de chance, ou mais, de termos a Fórmula 1 de 2021 no Rio de Janeiro."
- Em pronunciamento no Palácio do Planalto, em 24/06/2019, junto do CEO da categoria, Chase Carey.[373]
  • "Eu vi o que está escrito e, lamentavelmente, em grande parte o que a imprensa escreve não é aquilo. Não interessa que foi alemã, e deixa eu terminar o raciocínio. Então tem que fazer a devida filtragem pra não se deixar contaminar por parte da mídia escrita, especialmente. Nós temos exemplo para dar para a Alemanha sobre meio ambiente, a indústria deles continua sendo fóssil, em grande parte de carvão, e a nossa não. Então eles têm a aprender muito conosco. O presidente do Brasil que está aqui não é como alguns anteriores que vieram aqui para serem advertidos por outros países. Não, a situação aqui é de respeito para com o Brasil. Não aceitaremos tratamento como no passado de alguns casos de chefes de Estado que estiveram aqui."
- Em Osaka, Japão, 27/06/2019, um dia após a chanceler alemã, Angela Merkel, dizer que estava preocupada com as ações de Bolsonaro quanto ao desmatamento no Brasil.[374][375]
  • "Ninguém vai dar pito no presidente Jair Bolsonaro. Eu represento o Brasil e ponto final. Quem quiser discutir comigo a questão ambiental, estou preparado para discutir. Espero que hoje não tenhamos problemas aqui quando vierem tratar de meio ambiente e preservação ambiental."
- Durante transmissão ao vivo pela internet no Japão em 27/06/2019.[376]
  • "Temos aqui um pequeno cordãozinho. Ele é azul, mas tem de várias cores, de acordo com a têmpera do nióbio. A vantagem disso, em relação ao ouro, primeiro são as cores, que variam, e ninguém tem reação alérgica a nióbio . Alguns têm a ouro. Às vezes a mãe põe um brinquinho na orelha da menina. Menina, para deixar bem claro. E tem reação. Disso aqui, não tem."
- Durante transmissão ao vivo pela internet no Japão, em 27/06/2019.[377]
  • "Aquele elemento ali traiu a confiança dos demais. Traiu a confiança, sim. Olha, pena que não foi na Indonésia. Eu queria que tivesse sido na Indonésia, tá ok? Ele ia ter o destino que o Archer teve no passado."
- Em 29/06/2019, lamentando que a Espanha não tem pena de morte para tráfico de drogas, após Manoel Silva Rodrigues, sargento da Aeronáutica do Brasil, ser preso com 39 quilos de cocaína em Sevilha. Na Indonésia, o brasileiro Marco Archer foi executado pelo mesmo crime em 2015.[378]
  • "Conversei com ela, foi uma conversa tranquila. Em alguns momentos, ela arregalava os olhos. De maneira bastante cordial, mostramos que o Brasil mudou o governo e é um país que vai ser respeitado. Falei pra ela também da questão da psicose ambientalista que existe para conosco."
- Durante entrevista em Osaka, 29/06/2019, sobre ter conversado no dia anterior com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel.[379]
  • "Ele mandou cópia do que foi investigado pela Polícia Federal para mim. Mandei um assessor meu ler porque eu não tive tempo de ler."
- No Japão, em 29/06/2019, sobre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, ter enviado cópia da investigação sobre candidaturas-laranja do PSL.[380]
Julho de 2019Editar
  • "Está sendo investigado. Ele jogou fora a vida dele, jogou na lama o nome de instituições. Prejudicou o Brasil, também, um pouco. Mas acontece em qualquer lugar do mundo, em qualquer instituição. Lamento todo o ocorrido. Meu grande lamento é que não tenha sido na Indonésia. Aí seria um grande exemplo. Não basta o Archer no passado, seria mais um exemplo. Mas tudo bem. Segue a vida."
- No Palácio da Alvorada, em 30/06/2019, sobre Manoel Silva Rodrigues, sargento da Aeronáutica do Brasil preso com 39 quilos de cocaína.[381]
  • "Se eu jurei um dia dar a vida pela minha pátria, como vocês, o que seria um sacrifício do mandato pelo bem de todos nós?"
- Em 03/07/2019, durante cerimônia na qual o general Luiz Eduardo Ramos deixava o Comando Militar do Sudeste para assumir, no dia seguinte, o cargo de ministro da Secretaria do Governo.[382]
  • "Convidei ele [Macron] e a Angela Merkel a sobrevoar a Amazônia, se encontrasse num espaço entre Boa Vista e Manaus, 1 km² de desmatamento, eu concordaria com eles. Agora o mesmo, como sobrevoei a Europa por duas vezes, eu também lhes disse que não encontrei 1 km² de floresta naquela região. Então eles não têm autoridade para vir discutir essa questão para conosco."
- Em 04/07/2019, durante encontro no Palácio do Planalto com a bancada ruralista do Congresso Nacional, após o presidente da França, Emmanuel Macron, dizer que não assinaria nenhum acordo comercial se o Brasil saísse do Acordo de Paris.[383]
  • "Lembro perfeitamente que uma das coisas que se plantava lá, além de banana, era milho. E naquele tempo para você cortar o milho, você não tinha que chegar na plantação e pegar. Tinha que quebrar o milho. Tinha que colocar o saco de estopa no braço. E eu com nove, dez anos de idade quebrava milho na plantação e quatro, cinco dias depois, com sol, você ia colher o milho. 'Olha só, trabalhando com nove, dez anos de idade na fazenda'. Não fui prejudicado em nada. Quando um moleque de nove, dez anos vai trabalhar em algum lugar, tá cheio de gente aí 'trabalho escravo, não sei o quê, trabalho infantil'. Agora quando tá fumando um paralelepípedo de crack, ninguém fala nada. Trabalho não atrapalha a vida de ninguém. Fiquem tranquilos que eu não vou apresentar nenhum projeto aqui para descriminalizar o trabalho infantil porque eu seria massacrado. Mas quero dizer que eu, meu irmão mais velho, uma irmã minha também, um pouco mais nova, com essa idade, oito, nove, dez, doze anos, trabalhava na fazenda. Trabalho duro. [...] Hoje em dia é tanto direito, tanta proteção que temos uma juventude aí que tem uma parte considerável que não tá na linha certa. O trabalho dignifica o homem e a mulher, não interessa a idade."
- Durante transmissão pelo Facebook, em 04/07/2019.[384]
  • "O velho tinha uma espingarda, eu ia pro meio do mato e metia fogo, atirava sem problema nenhum."
- Durante transmissão pelo Facebook, em 04/07/2019, após dizer que aprendeu a operar tratores enquanto menor de idade na fazenda do pai.[384]
  • "[Professor] tinha como exercer sua autoridade em sala de aula. Então, ai de você se levasse uma bronca do professor e professora e teu pai ou tua mãe ficasse sabendo. Não era bronca não, o pau cantava. A juventude nossa está aí... Saudades daquela época onde você tinha muito mais deveres que direitos. Hoje só se tem direitos, dever quase nenhum e por isso nós afundamos cada vez mais."
- Durante transmissão pelo Facebook, em 04/07/2019.[385]
  • "O Brasil é uma virgem que todo tarado de fora quer. Me desculpem aqui as mulheres, ok?"
- Na portaria do Palácio da Alvorada, em 06/07/2019, sobre a preocupação de Emmanuel Macron, presidente da França, e Angela Merkel, chanceler da Alemanha, quanto à a preservação da Amazônia.[386]
  • "Uma pessoa conhecida. Nossos sentimentos à família, tá ok?"
- Em 06/07/2019, sobre o falecimento do músico João Gilberto, um dos criadores da bossa nova.[387]
  • "Pegamos um país quebrado moral, ética e economicamente, mas, se Deus quiser, nós conseguiremos entregá-lo muito melhor para quem nos suceder em 2026."
- Na festa junina do Clube Naval de Brasília, em 06/07/2019.[388]
  • "Muitos tentam nos deixar de lado dizendo que o estado é laico. O estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou para plagiar a minha querida Damares: Nós somos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os poderes. Por isso, o meu compromisso: poderei indicar dois ministros para o Supremo Tribunal Federal. Um deles será terrivelmente evangélico. Nós, aqui, enquanto parlamentares, respeitamos a todas as instituições, mas é ao povo que devemos lealdade. Eu agradeço a Deus por esse momento, pela minha vida e pela missão, que será cumprida ao lado de pessoas maravilhosas, que são todos vocês aqui, em especial deputados e senadores. Aí fora temos problemas, em grande parte, a solução passa por nós, e tenho certeza que, com o pensamento no bem, no próximo e naquele que nos deu a vida, nós daremos a devida satisfação a esses brasileiros maravilhosos que nos botaram dentro dessa casa."
- Sobre a intenção de indicar para ministro do Supremo Tribunal Federal alguém especificamente evangélico, durante culto realizado na Câmara dos Deputados pela bancada evangélica em 10/07/2019.[389]
  • "Estamos disputando na ONU nossa candidatura à reeleição na Comissão de Direitos Humanos. Nossa pauta é baseada no fortalecimento das estruturas familiares e na exclusão das menções de gênero. O nosso Itamaraty, que tem à frente o embaixador Ernesto Araújo, em nosso passaporte nós estamos acabando com a história de 'genitor 1' e 'genitor 2'. Estamos botando os termos 'pai' e 'mãe'."
- Propondo que o formulário de solicitação de passaporte exija a indicação de genitores de gêneros diferentes, durante café-da-manhã com parlamentares evangélicos no Palácio do Planalto, em 11/07/2019.[390]
  • "É uma coisa que está no meu radar, sim, existe essa possibilidade. Ele é amigo dos filhos do Trump, fala inglês, fala espanhol, tem vivência muito grande de mundo. No meu entender, poderia ser uma pessoa adequada e daria conta do recado perfeitamente em Washington."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, em 11/07/2019.[391]
  • "Alguns falam que é nepotismo. Essa função, tem decisão do Supremo (Tribunal Federal), não é nepotismo, eu jamais faria isso. [...] Querem que eu bote quem lá? Celso Amorim? Aloysio Nunes, que foi motorista do (guerrilheiro Carlos) Marighella? Meu filho é muito melhor do que eu, já esteve em vários países da Europa."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, em transmissão ao vivo pelo Facebook em 12/07/2019.[392]
  • "Esse vídeo não vazou por acaso. Nele nunca se viu tantas pessoas do mal, inimigas da democracia e liberdade, juntas. É O JOGO DO PODER. A vitimização do PT é uma das últimas cartas do Foro de São Paulo em Caracas/Venezuela (24 a 28/julho)."
- Em tweet de 13/07/2019 acompanhado de um vídeo que mostra discurso de Gilberto Carvalho, ex-ministro do Governo Dilma Rousseff, com críticas às políticas dos governos do PT para a comunicação.[266]
  • "- A UNE em Brasília:"Bolsonaro, vai se ferrar"... - Uma boa notícia vindo de quem não gosta de estudar...."
- Em postagem no Facebook de 13/07/2019.[266]
  • "R$ 106,00 para frequentar uma praia em Fernando de Noronha. Para turista estrangeiro R$ 212,00. Isso explica porque quase inexiste turismo no Brasil. Isso é um roubo praticado pelo GOVERNO FEDERAL (o meu Governo). Vamos rever isso."
- Em postagem no Facebook de 13/07/2019.[393]
  • "Por vezes, temos que tomar decisões que não agradam a todos, como a possibilidade de indicar para a embaixada dos Estados Unidos um filho meu, tão criticado pela mídia. Se está sendo criticado, é sinal de que é a pessoa adequada."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, na tribuna da Câmara dos Deputados, durante sessão solene pelo aniversário do Comando de Operações Especiais do Exército, em 15/07/2019.[394]
  • "Eduardo fala inglês, espanhol e frita hambúrguer também."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, falando em tom de brincadeira à imprensa durante cerimônia de hasteamento de bandeiras em frente ao Palácio do Planalto, em 16/07/2019.[395]
  • "A maior prova de que eu acredito na equipe econômica é não interferir. Está indo muito bem. Os dados são maravilhosos. De ontem para hoje, já está uma perspectiva de ascendência na questão da economia, dos dados da economia."
- Em 16/07/2019.[396]
  • "A Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Federal) lançou vestibular para candidatos TRANSEXUAL (sic), TRAVESTIS, INTERSEXUAIS e pessoas NÃO BINÁRIOS. Com intervenção do MEC, a reitoria se posicionou pela suspensão imediata do edital e sua anulação a posteriori."
- Tweet de 16/07/2019. Sic do próprio Bolsonaro.[397]
  • "Ele ganhou notoriedade, tem rodado o mundo todo, tem uma amizade com a família Trump (...) Imagine se o filho do Macri (Maurico Macri, presidente da Argentina) fosse embaixador no Brasil, ligando para mim, querendo falar comigo, quando ele seria atendido? Amanhã, semana que vem, ou imediatamente?  É essa que é a intenção. Se vocês pegarem de 2003 para cá, o que os embaixadores nossos, que tivemos do Brasil nos Estados Unidos, fizeram de bom para nós? Nada."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, durante entrevista coletiva na 54ª Cúpula do Mercosul.
  • "Tô com o embaixador aqui do meu lado. Vem cá, embaixador. Gostaram do embaixador aqui? Embaixador mirim. Está aprendendo."
- Junto do filho Renan, durante entrevista coletiva na 54ª Cúpula do Mercosul.[398]
  • "Você tem que ver o seguinte: é legal? É. Tem algum impedimento? Não tem impedimento. Atende o interesse público, qual o grande papel do embaixador? Não é o bom relacionamento com o chefe de Estado daquele outro país? Atende isso? Atende. É simples o negócio. Eu posso chegar hoje e falar: Ernesto Araújo está fora, o Eduardo Bolsonaro vai ser ministro das Relações Exteriores. Ele vai ter sob seu comando, mais de uma centena de embaixadas no mundo todo.
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, em 18/07/2019.[399]
  • "Apesar da gravata rosa, ele é meu amigo."
- Referindo-se à cor da gravata do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, durante cerimônia que marcou os 200 dias de governo,no Palácio do Planalto, em 18/07/2019.[400]
  • "Conversamos e nos resolvemos sobre a Ancine. Não posso admitir dinheiro para filme da Bruna Surfistinha. Não sou contra a opção de ninguém, mas ativismo é o que nós não podemos permitir, em respeito às famílias."
- Sobre mudanças na Agência Nacional do Cinema, durante cerimônia que marcou os 200 dias de governo,no Palácio do Planalto, em 18/07/2019.[401]
  • "Eu fui estudar, eu não sabia o que é não binário. Eu não vou falar aqui porque eu respeito vocês. O que que é não binário? Mas preservar um concurso público para pessoas que têm esse comportamento, inclusive, para matemática. O que necessário se faz [que], para que se tenha um concurso público [vestibular] para ser matemático no futuro, [para] ser formado em uma universidade pública, o elemento ser [sic] transexual? Não tem espaço para quem for hétero. Ou não interessa o que ele seja."
- Sobre o edital do vestibular da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, confundindo não-binariedade com "comportamento'"e transexualidade com orientação sexual, durante cerimônia que marcou os 200 dias de governo, no Palácio do Planalto, em 18/07/2019.[402][403]
  • "Lógico que é filho meu, pretendo beneficiar meu filho, sim. Pretendo, está certo. Se puder dar um filé mignon ao meu filho, eu dou. Mas não tem nada a ver com filé mignon essa história aí."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, durante transmissão ao vivo no Facebook em 18/07/2019.[404]
  • "Pretendo encaminhá-lo, sim. Quem diz que não vai votar mais em mim, paciência. Está me elogiando. São 6 meses de elogio. É igual aquele maridão lá, malandro, está felicíssimo com a mulher 6 meses depois do casamento. Aí um dia lá, a mulher lá queima o ovo dele, por exemplo. O ovo na frigideira, pra deixar bem claro, aí, tá. Pronto, aí já quer acabar com o casamento. Não tem cabimento isso aí. Vai ter coisas que eu vou desagradar a vocês. Com 6 meses de casado dá pra queimar ainda uma."
- Sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos, durante transmissão ao vivo no Facebook em 18/07/2019.[404]
  • "Você tem algum parente pau-de-arara? [...] Com essa cabeça aí tu não nega não."
- Para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em referência à ascendência nordestina deste, durante transmissão ao vivo no Facebook em 18/07/2019.[405]
  • "Vou conversar com ele (Osmar Terra, ministro da Cidadania). Interessa que a cultura venha para Brasília. E vai ter filtro sim, já que é um órgão federal. Se não puder ter filtro, nós extinguiremos a Ancine. Privatizaremos ou extinguiremos. Não pode é dinheiro público ficar usado para filme pornográfico."
- Para jornalistas em 19/07/2019.[406]
  • "Para a tristeza de vocês, se Deus quiser, tudo vai dar certo, uma política semelhante à minha vai continuar presente no Brasil de forma eterna. Não teremos mais pessoas como Fernando Henrique Cardoso, Lula ou Dilma, entre outros. O povo entendeu que essas pessoas não representavam o interesse do país, em grande parte governo voltado à corrupção e descomprometimento com o futuro do seu país."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019.[407]
  • "Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não se come bem, aí eu concordo. Agora, passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em alguns outros países pelo mundo."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019, ao lhe perguntarem sobre que medidas tomaria para combater a fome no Brasil.[408]
  • "O Instagram não tem mais likes. É uma tentativa de interferência. Isso sim é uma censura. Quem tá aqui criticando a questão da Míriam Leitão poderia dar uma força aqui à democracia, à liberdade de imprensa, colocando seus likes no Instagram."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019, sobre o Instagram ocultar no Brasil o número de curtidas em fotos e sobre o cancelamento da participação da jornalista Míriam Leitão na 13ª Feira do Livro de Jaraguá do Sul.[409]
  • "Ela estava indo para a guerrilha do Araguaia quando foi presa em Vitória. E depois conta um drama todo, mentiroso, que teria sido torturada, sofreu abuso etc. Mentira. Mentira."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019, falando sobre a jornalista Míriam Leitão, que foi torturada no 38º Batalhão de Infantaria do Exército em Vila Velha enquanto estava grávida, entre 1972 e 1973, e não tinha ligação com grupos armados.[409]
  • "Desses governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019, usando de forma pejorativa o nome Paraíba para se referir ao Nordeste, ao conversar informalmente sobre o governador do Maranhão, Flávio Dino, com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni,[410]
  • "É quase impossível ser patrão no Brasil. Defender empregado dá mais votos. Agora, a verdade é o patrão. Eu estou falando com o Paulo Guedes, eu pretendo lançar o programa Minha Primeira Empresa, para todo mundo que reclama do patrão ter chance de ser patrão um dia. Eu tenho dito, falei durante a campanha, um dia o trabalhador vai ter que decidir: menos direito com emprego ou todos os direitos sem emprego. É uma realidade. Isso perde voto. Tem antipatia de pessoas populistas e comunistas. Muita gente bota na cabeça do povo que eu estou errado, eu estou perseguindo o pobre. Não, eu estou mostrando a verdade. Até contratar uma pessoa para a sua casa está difícil."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019.[411]
  • "Votei contra nos dois turnos. O que aconteceu de lá para cá? A pessoa ou foi para a informalidade ou virou diarista. É como um casamento. Se um começar a querer ter mais direitos sobre o outro, acaba o casamento. Patrão e empregado é quase que um casamento. É a velha divisão de classes. Não é só com o negócio homo, hétero, branco e negro, rico e pobre. É empregado e patrão também. A esquerda prega isso o tempo todo para nos dividir e eles se perpetuarem no poder."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019.[411]
  • "A primeira coisa que você precisa entender é que a Amazônia é do Brasil, não de vocês. [...] Se toda essa devastação de que vocês nos acusam de estar fazendo e ter feito no passado, a Amazônia já teria sido extinta, seria um grande deserto. [...] Nenhum país do mundo tem moral para falar da Amazônia. Vocês destruíram seus ecossistemas [...] [Os dados do Inpe são] uma cópia de anos anteriores. Até mandei ver quem é o cara que está a frente do Inpe para vir se explicar aqui em Brasília, explicar esses dados aí que passaram na imprensa. Esses dados, pelo nosso sentimento, não condiz (sic) com a verdade. Até parece que estão a serviço de alguma ONG. [...] Se for somado o desmatamento que falam dos últimos 10 anos a Amazônia já acabou. Eu entendo a necessidade de preservar, mas a psicose ambiental deixou de existir comigo. [...] Gostamos de trabalhar em conjunto com todos os Estados que queiram fazer uso econômico da biodiversidade da Amazônia."
- Durante café-da-manhã com jornalistas estrangeiros em 19/07/2019, após um deles questioná-lo sobre o desmatamento..[412][413][414]
  • "Olha, o brasileiro come mal. Alguns passam fome. Agora, é inaceitável um país tão rico como o nosso, com terras agricultáveis, água em abundância, até o semiárido nordestino tem uma precipitação pluviométrica maior do que Israel. E falei também na questão das Pequenas Centrais Hidrelétricas. Você leva dez anos para conseguir uma licença. E qualquer hectare de água produz de 10 a 15 toneladas de tilápia por ano. Então, um país aqui que a gente não sabe por que pequena parte passa fome e outros passam mal ainda."
- Durante comemoração do Dia Nacional do Futebol, no Ministério da Cidadania, em 19/07/2019, após ter dito no mesmo dia que "falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira".[415][416]
  • "Ah, pelo amor de Deus, se for para entrar em detalhes, eu vou embora. Eu não tô vendo nenhum magro aqui [entre os jornalistas]. Temos problemas no Brasil, temos, não é culpa minha, vem de trás. Vamos tentar resolver."
- Durante comemoração do Dia Nacional do Futebol, no Ministério da Cidadania, em 19/07/2019, ao ser questionado por jornalistas se estava voltando atrás na primeira declaração sobre o assunto no dia.[416]
  • "Vou falar do PT sempre. Não adianta chorar. Não é porque perderam a eleição que seus crimes devem ser ignorados. Os efeitos devastadores do desgoverno da quadrilha ainda podem ser sentidos e é papel de todo aquele que que ama o Brasil lembrar quem foram os culpados."
- Em tweet de 20/07/2018.[266]
  • "Pelo amor de Deus, né. Se eu te chamar de feia agora, acabou o mundo. Todas as mulheres vão estar contra mim."
- Para a jornalista Isadora Peron, do jornal Valor Econômico, em entrevista coletiva de 20/07/2019.[417]
  • "Lula durante a campanha dele disse claramente que no Brasil tinha 30 milhões de crianças na rua e vocês (jornalistas) não falavam nada sobre isso. Uma propaganda negativa do Brasil o tempo todo lá fora. Por isso, nossa imagem é tão ruim fora do Brasil. O Lula falou que acabou com a fome, com a miséria. Tudo está uma maravilha com Lula."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/07/2019.[418]
  • "Eu te perguntei alguma coisa? Quero saber se eu te perguntei alguma coisa."
- Para um jornalista em entrevista coletiva de 20/07/2019, após Bolsonaro falar sobre o ex-presidente Lula e o jornalista dizer que Lula estava preso.[417]
  • "Não é porque perderam a eleição que seus crimes devem ser ignorados. Os efeitos devastadores do desgoverno da quadrilha ainda podem ser sentidos e é papel de todo aquele que ama o Brasil lembrar quem foram os culpados."
- Em tweet de 20/07/2019.[418]
  • "Falaram agora que eu estou criticando o Nordeste, você viu? Dois governadores, o do Maranhão e o da Paraíba, é que são intragáveis. Eu tenho tanta crítica ao Nordeste que me casei com uma filha de um cearense. Eles são unidos. Eles têm uma ideologia, perderam as eleições, tentam o tempo todo, através da desinformação, manipular eleitores nordestinos. [Os governadores da região] acham que o Nordeste é massa de manobra. Eu fiz uma crítica aos governadores do Maranhão e da Paraíba. Vivem esculhambando obras federais, que dizem que são deles, não são deles, são do povo. A crítica que eu fiz foi aos governadores, nada mais, nada menos, uma crítica de 3 segundos, hein? Em 3 segundos vocês da mídia fazem uma festa."
- Em entrevista coletiva de 20/07/2019, depois de ter chamado os governadores do Nordeste de governadores 'de paraíba' e dizer que "não tem que ter nada" para o governador do Maranhão.[419]
  • "Daqueles GOVERNADORES… o pior é o do Maranhão. Foi o que falei reservadamente para um ministro. NENHUMA crítica ao povo nordestino, meus irmãos. O melhor de tudo foi ver um único general, Luiz Rocha Paiva, se aliar ao PCdoB de Flávio Dino para me chamar de antipatriótico. Sem querer, descobrimos um melancia, defensor da Guerrilha do Araguaia, em pleno século XXI."
- Em tweets de 21/07/2019, depois de ter chamado os governadores do Nordeste de governadores "de paraíba'"[420][421]
  • "Eu não vou falar com ele. Quem vai falar com ele vai ser o ministro Marcos Pontes e talvez também ali o Ricardo Salles. O que nós não queremos é uma propaganda negativa do Brasil. A gente não quer fugir da verdade, mas aqueles dados pareceram muito com os do ano passado. Se o dado fosse alarmante, ele deveria, por questão de responsabilidade e patriotismo, procurar o chefe imediato, no caso o ministro. E não de forma rasa como ele faz, simplesmente coloca o Brasil numa situação complicada."
- No Palácio da Alvorada, em 21/07/2019, após o diretor do Inpe, Ricardo Magnus Osório Galvão, dizer que esperava Bolsonaro ter "coragem de, frente a frente justificar" a declaração de que os dados do instituto sobre desmatamento são "mentirosos".[422]
  • "Olha, o valor (de 40% da multa do FGTS) não está na Constituição. Acho que não está. O FGTS está no artigo sete da Constituição. O valor é uma lei. A gente pode pensar lá na frente (em mudar esse percentual). Mas antes disso a gente tem que ganhar a guerra da informação. Não quero manchete amanhã no jornal dizendo que o presidente está estudando reduzir o valor da multa. O que estou tentando levar para o trabalhador é o seguinte, menos direito e emprego ou todos os direitos e desemprego."
- Em 21/07/2019.[423]
  • "Ah, meu Deus do céu. Quem ficou ofendido? Não, não, não. Se eu tenho um problema com o Sul, ninguém fala. Região Sul, Centro-Oeste, Norte. Vocês mesmos da mídia ficam querendo separar o Nordeste do Brasil. O Nordeste é Brasil, é a minha terra, eu ando em qualquer lugar do território brasileiro. Tem algum nordestino ofendido aí? Atenção imprensa, tem algum nordestino ofendido comigo aí? O problema foi que eu falei que o pior governador do Nordeste é o Flávio Dino. O pessoal está brigando, dizendo que não é. Devem ter outros piores que ele lá"
- Ao sair de um restaurante em Brasília, 22/07/2019, sobre ter dito que, "governadores de 'paraíba', o pior é o do Maranhão".[424]
  • "Não censurei o filme da Bruna Surfistinha, apenas NÃO posso admitir dinheiro público para fazer filme PORNÔ."
- Trecho de tweet de 22/07/2019, em referência à biografia cinematográfica de Raquel Pacheco, ex-garota de programa conhecida como Bruna Surfistinha.[425]
  • "Está faltando apenas ouvir o Queiroz. Esse depósito, feito por envelope, o limite é de R$ 2 mil. Não sei quantos, talvez milhões de depósitos são feitos por semana neste sentido. Disseram que ele teria pego R$ 1 milhão e pago uma dívida com a construtora. Está constatado, comprovado, que quem pagou essa dívida foi a Caixa. Então o primeiro escândalo está afastado. Alguns imóveis ele comprou na planta e estava pagando mensalidade, um tempo depois vendeu. O Ministério Público do Rio disse que levou em conta que o valor total do preço estimado fosse dele. Não é verdade isso aí."
- Em 22/07/2019, sobre Fabrício Queiroz, ex-assessor do ex-deputado estadual, senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro, em razão das investigações de movimentações atípicas feitas por Queiroz e Flávio, identificadas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).[426]
  • "Você pode divulgar os dados, mas tem que passar pelas autoridades até para não ser surpreendido. Até por mim, eu não posso ser surpreendido por uma informação tão importante como essa daí. Eu não posso ser pego de calças curtas. As informações têm que chegar a nosso conhecimento de modo que nós possamos tomar decisões precisas em cima dessas informações. Eu estou acostumado com hierarquia e disciplina e no governo, sei que a maioria é civil, nós devemos no mínimo ter isso. Então, quando o Inpe detecta um dado qualquer, ele tem que subir os dados, no caso, para o ministro Marcos Pontes, de Ciência e Tecnologia, antes passando pelo Ibama para divulgar. Não pode alguém na ponta da linha alguém simplesmente resolver divulgar esses dados porque pode haver algum equívoco e neste caso, como divulgou, há um enorme estrago para o Brasil. A questão ambiental o mundo todo leva em conta. Outros países, com os quais estamos negociando a questão do Mercosul, ou até um acordo bilateral, dificultam [as tratativas] com a divulgação desses dados. Então, nós temos que ter responsabilidade. O chefe do Inpe vai ser ouvido, sim, pelos ministros porque isso não pode continuar acontecendo.  É a mesma coisa que um cabo passar para a frente uma notícia sem passar pelo capitão, coronel ou brigadeiro. Não está certo isso aí. Quando você pega os dados, a pessoa conduz para aquele lado. São [informações] exageradas, em sendo exageradas, você pode adjetivar da maneira que você achar melhor."
- Em 22/07/2019, após ter declarado que os dados do Inpe sobre desmatamento são "mentirosos".[427][428][429]
  • "Eu amo o Nordeste, afinal de contas, a minha filha tem em suas veias sangue de cabra da peste. Cabra da peste de Crateús, o nosso estado aqui, mais pra cima, o nosso Ceará. Quem é nordestino aqui levanta o braço. Quem concorda com o presidente Jair Bolsonaro levanta o braço. Estamos juntos ou não estamos?"
- Durante a inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA), 23/07/2019.[430]
  • "O turismo em nosso governo fará parte sim do PIB nacional. E, para isso, prezados colegas políticos, em especial do parlamento aqui, eu tenho um sonho no Rio de Janeiro. Eu quero transformar a Baía de Angra numa Cancún. Cancún fatura 12 bilhões de dólares por ano. E a Baía de Angra fatura o que? Quase zero. Por quê? Por causa dos xiitas ambientais, desses que fazem uma campanha enorme contra o Brasil lá fora. Não sei porque essa gente tem tanto amor com as ONGs estrangeiras. Não temos preconceito contra ninguém, mas temos uma profunda repulsa com quem não é brasileiro. Vamos juntos mudar o Brasil.?"
- Durante a inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA), 23/07/2019.[430]
  • "E pelo tudo indica, né, o triângulo Rio, São Paulo e Brasília é quase uma linha reta… A soma dos catetos se aproxima da hipotenusa. Eu pretendo passar no final da tarde por São Paulo em uma agenda extremamente positiva: quero assistir o jogo [entre] Palmeiras e Vasco da Gama."
- Durante o anúncio da liberação dos saques do FGTS, no Palácio do Planalto, em 24/07/2019. Pelo teorema de Pitágoras, o quadrado da hipotenusa equivale à soma dos quadrados dos catetos.[431]
  • "A nossa Amazônia, a região mais rica do planeta Terra, e, ao casar o desenvolvimento com a preservação ambiental, nós faremos, sim, mais do que o coração do Brasil, seremos a alma econômica do nosso Brasil. Aqui tem tudo para alavancar o Brasil ao local de destaque que ele tem e merece. Temos biodiversidade, temos riquezas e minerais, água potável, grandes espaços vazios, áreas turísticas inimagináveis. Temos tudo para alavancar nossa economia partindo aqui da região amazônica."
- Durante entrega de certificados para participantes da Olimpíada Internacional de Matemática, em Manaus, 25/07/2019.[432]
  • "Se achar que é pouco, é só não retirar."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 25/07/2019, sobre o limite de R$ 500,00 para o saque das contas do FGTS.[433].
  • "Depois desse anúncio de fazer um filme sobre a minha pessoa, a Ancine ganhou mais um FO positivo, Fato Observado positivo. Vamos buscar a extinção da Ancine. Não tem nada que o poder público tenha que se meter em fazer filme. Que tenha uma empresa privada, sem problema nenhum. Mas o Estado vai deixar de patrocinar isso daí.[...] Hoje foi anunciado uma liberação de R$ 530 mil para fazer filme comigo. Olha como os caras são legais, bonzinhos. Eu não tenho esse poderio todo sobre a Ancine. Temos lá cargos que são eletivos. Não posso interferir diretamente na Ancine. [...] Parabéns à esquerda, não só no aparelhamento não só de pessoas como de instituições. Você tem agência para tudo, com mandato, e eu não posso fazer nada. Fico completamente amarrado no tocante a isso daí."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 25/07/2019.[434]
  • "Eu acho que nem deveria ter exame de nada. Você faz uma parte escrita e vai para a prática, nem precisa cursar em autoescola. Com 10 anos de idade eu estava dirigindo trator na fazenda em Eldorado Paulista."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 25/07/2019.[435]
  • "No projeto nosso você pode ter esse atestado com teu irmão, com teu pai, com o vizinho, com qualquer médico."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 25/07/2019, sobre a proposta de acabar com a obrigatoriedade de exames médicos em clínicas conveniadas com os Detran.[435]
  • "- O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados divulgou levantamento de junho. Entre admissões e demissões, 48 mil novos empregos foram gerados, o maior saldo em 6 anos para o mês. No semestre, 408 mil novos postos de trabalho, melhor resultado dos últimos 5 anos. GRANDE DIA!"
- Em sua conta no Twitter, em 25/07/2019.[436]
  • "Por questão de segurança nacional, fui informado pela Polícia Federal e @JusticaGovBR de que meus celulares foram invadidos pela quadrilha presa na terça, 23. Um tentado grave contra o Brasil e suas instituições. Que sejam duramente punidos! O Brasil não é mais terra sem lei."
- Em sua conta no Twitter, em 25/07/2019.[437]
  • "Dá licença. Eu estou na Polícia Militar, tem familiares meus aqui. Eu prefiro vê-los do que responder uma pergunta idiota de você. Está respondido? Vamos falar de Goiás e do Brasil. [...] Outra pergunta! Mais nada? Obrigado."
- Durante formatura de um sobrinho como cadete da Polícia Militar de Goiás em Goiânia, 26/07/2019, interrompendo a pergunta de uma repórter sobre o uso, por parentes do presidente, de um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB) no qual foram levados ao casamento do filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro, ocorrido em maio de 2019.[438]
  • "Só fazem pergunta esquisita. Irã, OMC (Organização Mundial do Comércio), Mercosul, futuro do Brasil, Forças Armadas. Ontem lá (em Goiânia) uma pergunta que pelo amor de Deus... Toda vez que eu viajo com o helicóptero, vão dois helicópteros comigo. Por que vocês não veem meu gasto mensal com o cartão corporativo?"
- Para jornalistas antes da cerimônia de brevetação de novos paraquedistas no 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, Rio de Janeiro, em 27/07/2019.[439]
  • "Eu fui no casamento do meu filho. A minha família que tinha vindo do Vale do Ribeira estava comigo. Eu vou negar o helicóptero e mandar ir de carro? Não gastei nada além do que já ia gastar."
- Para jornalistas na ocasião da cerimônia de brevetação de novos paraquedistas no 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, Rio de Janeiro, em 27/07/2019.[440]
  • "Minha preocupação é com o Brasil. Se errar, assumo o meu erro e arco com as minhas consequências. Até agora pelo que vejo nada errado aconteceu em nenhum momento."
- Para jornalistas depois da cerimônia de brevetação de novos paraquedistas no 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, na Vila Militar, Rio de Janeiro, em 27/07/2019.[440]
  • "A decisão de possível destruição não é dele. Cada um de nós pode pensar e até torcer por alguma coisa. O Moro não fala nada que a lei não permita fazer."
- No Rio de Janeiro, em 27/07/2019, após o ministro da Justiça, Sérgio Moro, dizer por telefone para autoridades vítimas de hackers que as provas dos crimes seriam destruídas.[441][442]
  • "Ele não se encaixa na portaria. Até porque ele é casado com outro homem e tem meninos adotados no Brasil. Malandro, malandro, para evitar um problema desse, casa com outro malandro e adota criança no Brasil. Esse é o problema que nós temos. Ele não vai embora, pode ficar tranquilo. Talvez pegue uma cana aqui no Brasil, não vai pegar lá fora, não."
- No Rio de Janeiro, em 27/07/2019, sobre Glenn Greenwald, americano editor do site The Intercept Brasil, que vazou mensagens do ex-juiz e ministro da Justiça, Sérgio Moro, após assinatura pelo próprio Moro da Portaria 666/2019 do Ministério da Justiça, sobre deportações.[443]
  • "Pela lei, se chegar aqui um navio com 5 mil pessoas de qualquer lugar do mundo, já sai com hospedagem. Não é assim! Não sou xenófobo, mas na minha casa entra quem eu quero, e a minha casa, no momento, é o Brasil. Se um cara for pego por suspeita de tráfico, sequestro, esses crimes brabos, é suspeito apenas, sai daqui! Já tem bandido demais no Brasil! Esse é o sentimento dele [Moro] e o meu também, parabéns ao Moro."
- No Rio de Janeiro, em 27/07/2019, após assinatura por Moro da Portaria 666/2019 do Ministério da Justiça, sobre deportações.[443]
  • "Terra riquíssima (reserva indígena Ianomami). Se junta com a Raposa Serra do Sol, é um absurdo o que temos de minerais ali. Estou procurando o primeiro mundo para explorar essas áreas em parceria e agregando valor. Por isso, a minha aproximação com os Estados Unidos. Por isso, eu quero uma pessoa de confiança minha na embaixada dos EUA. Vocês acham que eu colocaria um filho meu em um posto de destaque desse para pagar vexame? Quero contato rápido e imediato com o presidente americano."
- No Rio de Janeiro, em 27/07/2019, sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos.[444]
  • "[A questão ambiental é importante] Só aos veganos que comem só vegetais."
- No Rio de Janeiro, em 27/07/2019.[445]
  • "É um crime quem fala em preservação ambiental sem ter conhecimento disso. Esses dados do Inpe, semana que vem vocês vão ter uma surpresa."
- No Rio de Janeiro, em 27/07/2019.[445]
  • "Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados [de Adélio Bispo]? Qual a intenção da OAB? Quem é essa OAB? Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Conto pra ele. Não é minha versão. É que a minha vivência me fez chegar nas conclusões naquele momento. O pai dele integrou a Ação Popular, o grupo mais sanguinário e violento da guerrilha lá de Pernambuco e veio desaparecer no Rio de Janeiro."
- Sobre Fernando Augusto Santa Cruz de Oliveira, ex-membro da Ação Popular Marxista-Leninista, preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro em fevereiro de 1974, desaparecido político e pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, quando este tinha dois anos de idade. Não há registros da participação de Fernando Augusto em luta armada.[446]
  • "Usam o índio como massa de manobra, para demarcar cada vez mais terras, dizer que estão sendo maltratados. Esse caso agora aqui... Não tem nenhum indício forte de que esse índio foi assassinado lá. Chegaram várias possibilidades, a PF [Polícia Federal] está lá, quem nós pudemos mandar já mandamos. Buscarei desvendar o caso e mostrar a verdade sobre isso aí."
- Sobre Emyra Wajãpi, cacique da etnia waiãpi encontrado morto com sinais de facadas na reserva indígena da etnia.[447]
  • "No meu entender, Glenn cometeu um crime. Em qualquer outro país, ele estaria já em uma outra situação. Espero que a Polícia Federal cheque realmente, ligue os pontos todos. No meu entender, isso teve transações pecuniárias. A intenção aí é sempre atingir a Lava Jato, atingir o Sergio Moro, a minha pessoa, tentar desqualificar e desgastar. Invasão de telefone é crime, ponto final. Não pode se escudar ‘sou jornalista’. Jornalista tem que fazer seu trabalho. Preservar o sigilo da fonte, tudo bem. Agora, uma origem criminosa o cara vai preservar, o crime invadindo a República, desgastando o nome do Brasil lá fora."
- Em 29/07/2019, acusando Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil de ter pago hackers no caso dos vazamentos de mensagens relacionadas à Operação Lava-Jato.[448]
  • "Menina brinca de boneca e menino brinca de arminha, está ok, imprensa? Foram os pais que decidiram fazer isso aí, os meus já atiravam com 5 anos. Está com com quantos anos de idade?"
- Junto de um menino e sua família, no Palácio da Alvorada, em 29/07/2019.[449]
  • "O pai do Santa Cruz integrava a Ação Popular do Recife, era o grupo terrorista mais sanguinário que tinha. E esse pessoal tinha algumas ramificações pelo Brasil, tinha uma grande no Rio de Janeiro. O pai dele, bastante jovem ainda, veio para o Rio de Janeiro. De onde eu obtive as informações? Com quem eu conversei na época, ora bolas. Conversava com muita gente. (...) O pessoal da AP no Rio de Janeiro ficou, primeiro, estupefato: 'como é que pode esse cara vir do Recife se encontrar conosco aqui?' O contato não seria com ele, seria com a cúpula da Ação Popular de Recife. E eles resolveram sumir com o pai do Santa Cruz. Essa é a informação que eu tive na época sobre esse episódio. Por que, qual é a tendência? 'Se ele sabe, nós não podemos ser descobertos'. Existia essa guerra naquele momento. Isso que aconteceu, não foram militares que mataram ele não. É muito fácil culpar os militares por tudo o que acontece. Isso mudou. Mudou através do livro 'A Verdade Sufocada', o depoimento do Brilhante Ustra, entre outras pessoas, mostrou que uma guerra naquele momento era realmente um lado contra o outro. [...] Eu acho que ele está equivocado em acreditar em uma versão apenas do fato, né. Mas ele tem todo o direito de me criticar e etc. Mas essa é a versão minha do contato que tive com quem participou ativamente, do nosso lado, naquele momento para evitar que o Brasil se transformasse numa Cuba. Ta aí, um testemunho meu, do que eu vi acontecendo naquele momento. Até porque ninguém duvida, todo mundo tem certeza, que havia justiçamentos das pessoas da própria esquerda quando desconfiavam de alguém, simplesmente executava."
- Em 29/07/2019, durante transmissão ao vivo pelo Facebook enquanto cortava cabelo no Palácio do Planalto, reiterando a acusação de que Fernando Augusto Santa Cruz de Oliveira, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, teria participado da luta armada, e dando nova versão para seu desaparecimento, ocorrido após sua prisão pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro em 1974.[450][451][452]
  • "Você pode ver: no Rio de Janeiro... foi ontem isso aí? Um morador de rua esfaqueou, matou, executou duas pessoas no Rio de Janeiro. Agora, não tinha ninguém armado para dar um tiro nele, é impressionante. Mas tudo bem. Estava drogado o cara? Tá certo. Viciado em droga."
- Em 29/07/2019, durante transmissão ao vivo pelo Facebook enquanto cortava cabelo no Palácio do Planalto, sobre um morador de rua que havia matado duas pessoas perto da Lagoa Rodrigo de Freitas no dia anterior.[453]
  • "Você acredita em Comissão da Verdade? Qual foi a composição da Comissão da Verdade? Foram sete pessoas indicadas por quem? Pela Dilma. Nós queremos desvendar crimes. A questão de 64, existem documentos de matou, não matou, isso aí é balela. O que eu sei [sobre a morte de Fernando Santa Cruz] é o que falei para vocês. Não tem nada escrito que foi isso, foi aquilo. Meu sentimento era esse. Você quer documento para isso, meu Deus do céu? Documento é quando você casa, você se divorcia. Eles têm documentos dizendo o contrário?"
- Durante entrevista a jornalistas no Palácio da Alvorada, em 30/07/2019, um dia após dizer que Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, "não vai querer ouvir a verdade" sobre a morte do pai, Fernando Santa Cruz, desaparecido após ser preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro em 1974.[454]
  • "Pergunta para as vítimas dos que morreram lá o que que eles acham. Depois que eles responderem, eu respondo vocês."
- Durante entrevista a jornalistas no Palácio da Alvorada, em 30/07/2019, um dia após um massacre em que mais de 50 presos foram mortos no Centro de Recuperação Regional de Altamira.[455]
  • "Aqui, o Greenwald é jornalista? Ah tá, o Greenwald é jornalista? Ele é jornalista? Ele é militante. Eles já acharam 100 mil reais com gente deles lá."
- Ao sair do Palácio do Planalto, em 30/07/2019, acusando o jornalista Glenn Greenwald de fazer movimentações financeiras no caso dos vazamentos de mensagens relacionadas à Operação Lava-Jato.[456]
  • "Alguns colegas de vossa excelência entendem que o trabalho análogo à escravidão também é escravo. E pau neles. [Consideram] espessura do colchão, recinto com ventilação inadequada, roupa de cama rasgada, copo desbeiçado, entre outras 200 especificações. Esse cidadão vai perder a fazenda. Vão ele, netos e bisnetos para a rua, se não for para a cadeia. Quem tem coragem de investir num país como esse? Ninguém. [...] Mas deixar com essa dúvida quem está empregando, se é análogo ou não é, você leva o terror para o produtor. [...] Quem sabe, parlamentares, uma definição clara até na própria Constituição do que é trabalho escravo? Botar na Constituição ou retirar e levar para lei complementar se faça necessário. Porque o Estado que estávamos construindo até há pouco tempo era o Estado totalitário, o Estado socialista e, pelas leis, nós estávamos cada vez mais nos aproximando do socialismo e do comunismo, onde o Estado mandava em tudo e em todos."
- Durante anúncio da revisão de normas de proteção à saúde e à segurança de trabalhadores, em Brasília, 30/07/2019.[457]
  • "Se estivesse preocupado com 2022 não dava essas declarações."
- Em entrevista ao jornal O Globo publicada em 31/07/2019, ao ser perguntado se suas falas mais recentes são planejadas ou fruto de uma incontinência verbal resultado de impulsividade.[458]
  • "Não tem quebra de decoro. Quem age dessa maneira (acusando de quebra de decoro) perde argumento. Lamentamos muita coisa, mas não pode valer um lado só da história. E como eu sempre disse, alguém acredita que o PT está preocupado com a verdade? Quando aquelas caras criaram a Comissão da Verdade eles, deram gargalhadas. Vocês da imprensa sabem o que é informação, contrainformação e contra-contrainformação. É muito simples."
- Em 31/07/2019, após dizer que Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, não iria "querer ouvir a verdade" de que seu pai Fernando Santa Cruz não foi morto pelo Estado, como atestado pela Comissão da Verdade, mas que teria sido morto pessoas da esquerda, e que Fernando teria feito parte da luta armada contra a ditadura.[459]
  • "Com toda certeza, deviam estar feridos, né? É como uma ambulância quando pega pessoa até doente no caminho pode vir a falecer. Ajuda para quem? Tem o fundo penitenciário. Agora, pessoal, problemas acontecem, tá certo? Se a gente puder conversar com o Moro nesse sentido.... Eu sonho com presídio agrícola. É cláusula pétrea, mas queria que tivesse trabalho forçado no Brasil para esse tipo de gente, mas não pode forçar a barra. Ninguém quer maltratar o preso, nem quer que sejam mortos, mas é o habitat deles, né? Fico com muita pena, sim, dos familiares, das vítimas que esses caras fizeram. A gente espera que esteja resolvida essa questão."
- Em 31/07/2019, após a morte de quatro presos dentro de um caminhão usado na transferência deles do Centro de Recuperação Regional de Altamira, onde mais de 50 outros presos haviam sido mortos dois dias antes.[460]
  • "Não podemos concordar que o jornalista, entre aspas, pegue um material criminoso e bote pra fora. É igual ao cara que é acusado do crime de receptação. Não posso pegar um carro que é roubado e vender para você. Não pode pegar uma informação, sabendo que é criminosa, invasão de celulares, até o meu, e passar para frente. Todo mundo tem que ter responsabilidades: vocês, jornalistas, advogados, eu, todo mundo."
- No Palácio da Alvorada, em 31/07/2019, acusando Glenn Greenwald de saber que seria criminosa a obtenção das mensagens recebidas e publicadas pelo site The Intercept Brasil.[461]
  • "[Luiz Fux] É o próximo presidente do STF. Tenho que começar a namorá-lo a partir de agora."
- Sobre o futuro presidente do STF, após reunião com o mesmo, 31/07/2019.[462]
  • "Depois daquele elogio do Trump de ontem, estou cada vez mais apaixonado por ele."
- Em 31/07/2019.[463]
  • "Estou torcendo apenas para que caia a taxa de juros. Cada 1% da taxa Selic são R$ 40 bilhões a mais que a gente gasta por ano. A gente torce, pô. Eu não vou influenciar lá, eu não sou o 'Dilmo' de calças compridas."
- Sobre a Taxa Selic e outras questões orçamentárias, 31/07/2019.[464]
  • "Dá para entender? Eu não quero cortar ninguém. Sou um cara que não sou adepto a isso, mas um orçamento geralmente é superestimado, pessoal infla. Entre uma crítica e o impeachment, quer que eu prefira o quê? Eu tenho que fazer uma opção, cara. E a opção infelizmente é essa. Ontem, discuti novamente um corte relativamente pequeno perto da monstruosidade do Orçamento. Vou ser obrigado a fazer. Tem uma lei e eu tenho que seguir a lei. Não sou ditador, pô."
- Sobre a Taxa Selic e outras questões orçamentárias, em 31/07/2019.[464]
  • "Com o que nós temos planejado, ao longo dos próximos meses vai haver o ajuste, e o ministro Tarcísio (Infraestrutura) vai ter os recursos para fazer as obras que ele precisa no Brasil, a ministra Tereza (Agricultura) também. Já a partir do mês de setembro, vocês vão ver, no final de setembro, o governo Bolsonaro vai poder dar a condição de que todos terminem o que não está funcionando bem."
- Sobre a Taxa Selic e outras questões orçamentárias, em 31/07/2019.[464]
  • "O Banco Central fixou a Selic em 6%, a menor taxa de juros da história. A inflação em queda, a Nova Previdência e o resgate da confiança no Brasil, sinalizam que estamos, Executivo e Legislativo, no caminho certo. GRANDE DIA!"
- Tweet de 31/07/2019.[465]
Agosto de 2019Editar
  • "O motivo é que mudou o presidente. Agora é o Jair Bolsonaro, de direita. Ponto final. Quando eles botavam terrorista lá, ninguém falava nada. Agora mudou o presidente. Mudou a questão ambiental também."
- Sobre a mudança no quadro de integrantes da Comissão sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, em 01/08/2019.[466]
  • "O que que ele veio tratar com ONG aqui? Quando fala em ONG, já nasce um alerta na cabeça de quem tem o mínimo de juízo. Dá um sinal de alerta. Tinha outro compromisso. Falar contigo talvez é mais importante do que conversar com ele. Eu tenho estratégia de como agir em dado momento. Ele marcou audiência comigo. Aí fiquei sabendo que ele tinha marcado com o Mourão, tinha marcado com ONGs. Quem é que ferra o Brasil? ONGs. [...] Política é tudo, igual dizia Ulysses Guimarães, é olhar para as nuvens e e elas mudam constantemente de posição. E tem que agir desta maneira."
- Para jornalista da Folha de S.Paulo em 01/08/2019, sobre cancelar encontro com o ministro de Relações Exteriores da França três dias antes.[467]
  • "Completos 7 meses de governo, diversos setores dão sinais de recuperação. Ferrovias, aviação, turismo, segurança, postos de trabalho, economia. Estamos no caminho certo. Bom dia a todos!"
- Tweet de 01/08/2019.[468]
  • "Conhecia o que estava sendo tramado naquele momento. Não era a vida dos brasileiros. Mas o que era vendido aqui era uma coisa completamente diferente. Se os cubanos fossem tão bons assim teriam salvado a vida de Hugo Chávez. Não deu certo. Deu azar. Se os cubanos fossem tão bons assim, Dilma e Lula teriam aqui no Planalto cubanos para atendê-los, e não brasileiros."
- Durante o lançamento do programa Médicos pelo Brasil, que substituiu o programa Mais Médicos, em 01/08/2019.[469]
  • "Eles sempre usaram e usam do seu povo na base do terror para espoliá-lo por um projeto de poder. A questão do Mais Médicos foi voltada a isso. A ideia, sim, era formar núcleos de guerrilha no Brasil. Quando eu falava isso, fui ridicularizado."
- Durante o lançamento do programa Médicos pelo Brasil, que substituiu o programa Mais Médicos, em 01/08/2019.[470]
  • "Os cubanos aqui não poderiam, por exemplo, trazer seus familiares. E quem é pai e mãe sabe o que é ficar longe do seu filho ou da pessoa amada. Isso foi ignorado pelo PT. Por anos, mães e pais ficaram afastados de seus maridos e esposas e dos seus filhos. uma questão humanitária simplesmente que foi estuprada pelo PT. Falo isso porque sou pai de cinco filhos."
- Durante o lançamento do programa Médicos pelo Brasil, que substituiu o programa Mais Médicos, em 01/08/2019.[469][471]
  • "O Brasil se prestou a alimentar uma ditadura (em Cuba), aproximadamente R$ 1,2 bilhão era destinado a Cuba, tirando dos profissionais que estavam aqui.."
- Durante o lançamento do programa Médicos pelo Brasil, que substituiu o programa Mais Médicos, em 01/08/2019.[471]
  • "Graças a Deus veio o impeachment. Graças a Deus eu sobrevivi. Graças a Deus vocês me deram essa missão e nós todos os dias temos boa notícia."
- Durante o lançamento do programa Médicos pelo Brasil, que substituiu o programa Mais Médicos, em 01/08/2019.[472]
  • "Quando mudarem a constituição eu falo de outra família."
- Sobre famílias formadas por cônjuges homoafetivos, durante o lançamento do programa Médicos pelo Brasil, que substituiu o programa Mais Médicos, em 01/08/2019.[472]
  • "Se quebrar confiança vai ser demitido sumariamente, não tem desculpa para nenhum subordinado ao governo divulgar dado com esse peso de importância para o nosso Brasil. A questão de perdeu a confiança, no meu entender é uma pena capital. Nem na vida particular convivemos com pessoas que perdemos confiança. Temos muita responsabilidade em identificar se houve má-fé ou não. A fama do Brasil e a minha é péssima lá fora tendo em vista os rótulos que foram colocados. Essas pessoas que estão na frente desses órgãos, lamento que alguns tenham mandato, não sei se o do Inpe tem mandato, a gente pode tomar uma decisão mais drástica no tocante a isso aí porque o estrago é muito grande. [...] o estrago já está feito fora do Brasil. A pessoa que passou informação no mínimo duvidosa para vocês (jornalistas) tem que ser responsabilizada, sim. O Brasil não tem mais espaço para grupos fazerem política e defenderem os próprios interesses. Qualquer pessoa, mesmo leiga, um simples cidadão que vê que a conta de energia dobrou de um mês para outro pensa que tem alguma coisa errada. Não queremos abafar nem deixar de divulgar nada, mas no meu entendimento não houve responsabilidade necessária para divulgar um número como esse."
- Sobre o então diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galvão, durante entrevista coletiva em 01/08/2019.[473]
  • "Está uma briga, porque a Justiça em cima da gente, que quer que a gente mantenha radares multando você. É a Justiça, lamentavelmente, se metendo em tudo."
- Durante transmissão ao vivo no Facebook em 01/08/2019, depois de, na mesma semana, a juíza Diana Wanderlei da Silva, da 5ª Vara Federal de Brasília, homologar acordo entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes e o Ministério Público Federal para a instalação de 1.140 radares.[474]
  • "Em lugar nenhum do mundo é proibido e queriam proibir aqui. Até pouco tempo, a gente via drone sendo usado para multar pescador. O cara fica na salinha lá no ICMBio só multando pescador"
- Sobre decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região que suspendeu a safra industrial de tainha, durante transmissão ao vivo no Facebook em 01/08/2019.[475]
  • "Teve uma falha nossa, já adverti minha assessoria. Teve uma falha nossa. A gente não poderia no mesmo ano fazer uma MP de assunto (que já estava discutido). Houve falha nossa. Falha minha, né. É minha, porque eu assinei. Eles acertaram. Sem problema nenhum.."
- Em 02/08/2019, sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal que barrou a segunda medida provisória de Bolsonaro no mesmo ano que visava transferir da Funai para o Ministério da Agricultura as demarcações de terras indígenas.[476]
  • "O que que eu falei de mais para vocês [jornalistas]? Me respondam. O que eu tive conhecimento na época. Eu ofendi o pai dele? Não ofendi o pai dele. O que eu tive conhecimento na época, o assunto foi esse. Não tenho essa obrigação [de responder ao STF], agora, é só transcrever o que eu falei para vocês aqui. Mesmo não sendo obrigado, presto [esclarecimentos]. Não falei nada de mais, eu vou entregar o vídeo e vou fazer a degravação e mandar. [...] a verdade dói, machuca. Lamento todas as mortes que tiveram dos dois lados. Se não tivesse aquela vontade de implantar o comunismo no Brasil, não teria acontecido nada disso. Se tivessem aceitado a normalidade do que aconteceria."
- Em 02/08/2019, um dia após o ministro do STF Luís Roberto Barroso ter dado prazo de 15 dias para Bolsonaro se explicar sobre as declarações de 29/07/2019 contra Fernando Santa Cruz, desaparecido político e pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz.[477][478]
  • "As prefeituras do Nordeste são as mais inadimplentes, e a Caixa precisa de garantias para poder emprestar.."
- Em 02/08/2019, sobre o volume de financiamentos da Caixa Econômica Federal para o Nordeste, que até então era 2,2% do total no país.[479]
  • "[...] a partir do momento que eu entro no excludente de ilicitude ao, defendendo a minha a vida e a de terceiros, a minha propriedade ou de terceiros, o meu patrimônio ou de terceiros, a violência cai assustadoramente. Os caras vão morrer na rua igual barata, pô, e tem que ser assim."
- Em entrevista à jornalista Leda Nagle, em 02/08/2019.[480]
  • "Como cai mais? Está desequilibrado, o bandido tem mais direito do que o cidadão de bem. Eu estou mandando um projeto que vai ter dificuldade de ser aprovado, mas não tem outra alternativa. Nós temos que dar uma retaguarda jurídica para as pessoas que fazem a segurança: policial civil, militar, federal, rodoviário. Em operação, o pessoal tem que usar aquela máquina que tem na cintura, ir para casa e no dia seguinte ser condecorado, não processado.."
- Sobre índices de violência, atribuindo sua diminuição ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, e a si próprio, em entrevista à jornalista Leda Nagle, em 02/08/2019.[481]
  • "Faltou arma na mão e alguém pra abater bandido. Se eu tivesse armado ali eu teria atirado naquele cara. O próprio policial que chegou depois, atirou na perna, tinha que atirar no meio dele. O policial, tendo a garantia de que não vai ser preso, de que não vai receber processo, o bandido pensa duas vezes antes de fazer uma besteira."
- Em entrevista à jornalista Leda Nagle, em 02/08/2019, sobre o atentado a faca que resultou na morte de duas pessoas no Rio de Janeiro cinco dias antes.[482]
  • "E ele veio para o Rio de Janeiro, as informações que eu tive na época. Veio para o Rio de Janeiro e o pessoal da Ação Popular daqui não gostou de uma pessoa vir para o Rio sem ser do primeiro escalão e sem ter o positivo deles lá. Então, eles não confiavam nele. E daí, o meu entendimento, pelo o que eu ouvi, foi que o pai dele foi justiçado como tantos outros."
- Sobre Fernando Santa Cruz, desaparecido após ser preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro em 1974, em entrevista à jornalista Leda Nagle, em 02/08/2019.[480]
  • "[...] o dia que eu não sou criticado por essa mídia nossa é porque eu estou fazendo algo de errado."
- Em entrevista à jornalista Leda Nagle, em 02/08/2019.[482]
  • "O ditador cubano recebia R$ 1 bilhão por ano do Brasil, pelo trabalho de 10 mil "profissionais" de saúde, que aqui viviam em condições análogas à escravidão. A mamata acabou, agora esses recursos serão utilizados para nossa Saúde no programa MÉDICOS PELO BRASIL."
- Tweet de 03/08/2019.[483]
  • "Até hoje, a União gastou R$ 9,9 bilhões com indenizações e pensões pagas a anistiados 'políticos.' Dinheiro suado, do povo ordeiro e trabalhador, pago a 39.370 pessoas ditas perseguidas e autointituladas defensoras da democracia."
- Em tweet de 04/08/2019.[266]
  • "O Senado pode barrar o meu filho sim. Agora imagina se no dia seguinte eu demita o Ernesto Araújo e coloque o meu filho no Ministério das Relações Exteriores. Ele não vai ser o embaixador, ele vai comandar, entre embaixadores e agregados, 200 mundo afora. E daí? Alguém vai tirar o meu filho de lá? Hipocrisia. Hipocrisia de vocês."
- Ao deixar o Palácio da Alvorada para participar de um culto evangélico[484], em 04/08/2019, sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos.[485]
  • "Lamento, já aconteceu no Brasil também. Lamento. Agora, não é desarmando o povo que você vai evitar isso aí. O Brasil é, no papel, extremamente desarmado e já aconteceu coisa semelhante aqui no Brasil."
- Em 04/08/2019, sobre o tiroteio em El Paso, Texas, que deixou ao menos 20 vítimas fatais, e o tiroteio em Dayton, Ohio, que deixou nove vítimas fatais.[486]
  • "Eu não peço. Certas coisas eu mando. Deixar bem claro para a imprensa, certas coisas eu não peço, eu mando, por isso que sou presidente. Após as declarações dele a meu respeito, não tinha mais clima para continuar. Não tinha clima, mesmo que ele viesse a provar que os dados dele estavam até mesmo certos, tá certo. Não tinha mais clima."
- Em 04/08/2019, sobre a exoneração do diretor do Inpe, Ricardo Galvão.[486]
  • "Eu não tenho 102 parentes. Como é que eu botei 102 parentes no gabinete dos meus filhos? Não dá para entender, é uma mentira deslavada ali. Já botei parentes no meu gabinete, já botei no passado sim. Antes da decisão de que nepotismo seria crime. Qual o problema?" [...] Que mania que tudo quanto é parente de político não presta. [...] Eu parto do princípio que, se eu indicar um filho meu, como já indiquei, no passado ele trabalhou na liderança do partido, não é nepotismo, pô, ele tinha competência para isso. Confiança. [...] É natural quando alguém vai embora do meu gabinete, alguém morre até, já aconteceu, no velório tem dez pedindo emprego, tudo parente que está do meu lado. E é natural botar quem está do seu lado."
- Em 04/08/2019, sobre as nomeações desde 1991, nos gabinetes seu e de seus filhos, de 102 assessores parlamentares parentes de pelo menos um outro assessor que, na verdade, pertencem a 32 famílias.[485][486]
  • "Em algumas decisões fico chateado, mas fico quieto na minha. Até porque não posso criticar decisões de um Poder ou de outro. Eu tenho que acolher para a gente poder viver em harmonia. Essa é a minha intenção: vivermos em harmonia"
- Após ir a culto de igreja evangélica de Brasília, em 04/08/2019.[487]
  • "Da série João 8:32 – EXISTE FOME NO BRASIL? "Somados Bolsa Família, BPC e Aposentadoria Rural, há uma massa de R$ 200 bilhões que vão p/ o bolso dos mais pobres todos ano. Logo, se você entender a fome como sistêmica e endêmica, o Brasil não a tem." Osmar Terra, Min da Cidadania."
- Tweet de 05/08/2019.[488]
  • "Não estou aqui com colegas nordestinos para fazer média. […] Mas não existe esta questão de preconceito. Eu tenho preconceito é com governador ladrão que não faz nada para o seu estado."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[489]
  • "Mas, se eles [governadores] quiserem que realmente isso tudo seja atendido, eles vão ter que falar que estão trabalhando com o presidente Jair Bolsonaro. Caso contrário, eu não vou ter conversa com eles e vou divulgar obras junto às prefeituras."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[490]
  • "Para alguns governadores... é o Nordeste e o resto. Querem fazer disso aqui uma Cuba?"
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[491]
  • "Deixem acabar aí o nosso minério. Exaurir a nossa terra. E alguns aí querem vender para estrangeiro ainda, né? Vamos abrir mão da nossa segurança alimentar. Você vai viver do quê? De capim? Todo mundo igual? Já que falam tanto, a Folha, que falei palavrão, então deixa eu falar de novo: viver todo mundo igual na merda! É isso o que queremos? É isso o que grande parte da imprensa quer?"
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[492]
  • "Lá atrás deram porrada em mim, bota agora de novo, ou filho de político tudo agora é vagabundo, sem vergonha e não presta? Se o filho de vocês –não vocês que estão aqui– se o filho dos editores, donos da imprensa, não presta, tira eles do lado de vocês. Deixa de ele [sic] ficar no seu lado te assessorando. O pai que planta, por exemplo, manga, o filho dele vai aprender o quê? Mexer com manga! Ele tem que sair dali e plantar abacaxi porque não pode? Porque é nepotismo? Larga de idiotice, larga de frescura nessa questão. Se Deus quiser, meu filho está indo aos EUA agora, o 03 não é fritador de hambúrguer apenas né, ele também entrega pizza, pode escrever: entrega pizza. Fala inglês, espanhol, é policial federal concursado, é advogado, passou na OAB, esteve agora nos Emirados Árabes... Imagina se o Macri tivesse um, filho embaixador querendo falar comigo, eu ia falar o quê? ‘Semana que vem eu te atendo’? Vem pra cá imediatamente, é o filho do presidente Macri. Filho do Mario, do Paraguai; do Piñera do Chile. Vamo parar com essa história, essa bobeira. A campanha acabou pra imprensa, eu ganhei. A imprensa tem que entender que eu, Johnny Bravo, Jair Bolsonaro, ganhou, porra. Ganhou, porra!"
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019, sobre a possibilidade de indicar o próprio filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador brasileiro nos Estados Unidos.[492]
  • "Não há mais liberdade no país. A gente não pode mais contar uma piada. Não posso nem contar piada de cabeçudo, de goiano, de gaúcho, de cearense cabra da peste. Não há mais liberdade neste país. Tudo é politicamente correto."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[493]
  • "Eu estou em uma pelada, nós dois. Um entra com uma voadora no pescoço do outro. O que acontece? O outro fala assim ‘seu maricón’. Pronto, três anos de cadeia. Não posso falar ‘maricón’ mais. Onde nós vamos chegar? Nossa alegria de viver, um país maravilhoso como esse. Quem está nos dividindo? Essa esquerdalha canalha."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019, criticando a equiparação feita pelo Supremo Tribunal Federal da homofobia ao racismo.[494]
  • "A Amazônia é um potencial incalculável. Por isso, alguns maus brasileiros ousam fazer campanha com números mentirosos contra a nossa Amazônia. E nós temos que vencer isso e mostrar para o mundo, primeiro, que o governo mudou e, depois, que nós temos responsabilidade para mantê-la nossa, sem abrir mão de explorá-la de forma sustentável."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[495]
  • "Olha, o que eu decidi junto aos meus ministros, eles têm liberdade total para fazer a composição do seu respectivo ministério e eu tenho poder de veto, como já exerci no passado."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019.[495]
  • "Só tá faltando crescer um pouquinho a cabeça."
- Na inauguração da Usina Solar Flutuante em Sobradinho (BA), 05/08/2019, após o deputado federal Cláudio Cajado (PP/BA) perguntar se Bolsonaro estaria "virando um cabra da peste", em referência a um estereótipo sobre os nordestinos.[496]
  • "O que eu quero do futuro chefe da Procuradoria-Geral da República? Que queira ajudar o Brasil com suas ações. Não um cara que fique lá só preocupado de forma xiita com questão ambiental ou de minoria."
- Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, em 05/08/2019.[497]
  • "Quanto tempo leva o registro na Anvisa? Será que esse tempo todo justifica? Será que é excesso de zelo ou só está procurando criar dificuldade, para vender facilidade. As agências foram criadas lá atrás, por um presidente, um tal de FHC."
- Durante inauguração de laboratório farmacêutico em Itapira/SP, 06/08/2019.[498]
  • "Compare ele (Marcos Pontes) com os ministro anteriores da Ciência e Tecnologia. Os anteriores não sabem a diferença de lei da gravidade para gravidez e estavam lá. Fazendo o quê? Eu não vou responder."
- Durante inauguração de laboratório farmacêutico em Itapira/SP, 06/08/2019.[498]
  • "Ontem assinei uma medida provisória que fala sobre publicação de balanços referentes às empresas de capital aberto. Para ajudar a imprensa de papel para facilitar a vida de quem produz também, a nossa medida provisória faz com que os empresários possam publicar seus balanços a custo zero em sites da CVM ou no Diário Oficial da União. As grandes empresas gastavam com jornais em média R$ 900 mil por ano. Vão deixar de gastar isso aí. Eu tenho certeza que a imprensa vai apoiar isso aí. Obra de uma caneta BIC ou Compactor. Eu quero que a imprensa venda a verdade para o povo brasileiro e não faça política partidária, como vêm fazendo alguns órgãos de imprensa. Eu espero que o Valor Econômico sobreviva à medida provisória de ontem."
- Durante congresso da Fenabrave, em São Paulo, 06/08/2019, ironizando que jornais impressos não precisarão ser contratados para a publicação de balanços de empresas de capital aberto após medida provisória.[499]
  • "Vão fazer este tipo de política? Pensar que o Valor me entrevistou por duas vezes durante a campanha. A segunda manchete era 'Bolsonaro tem a política econômica idêntica à de Dilma Rousseff'. Pelo amor de Deus , pô. Eu não sou um Dilmo de calça comprida. Imprensa, eu ganhei as eleições, eu sou o Johnny Bravo. Parem de me derrubar. Vamos em frente. Vamos criticar com razão."
- Durante congresso da Fenabrave, em São Paulo, 06/08/2019, sobre o jornal Valor Econômico.[500]
  • "Um número absurdo como aquele de que eu desmatei 88% da Amazônia. Eu sou o 'Capitão Motosserra'. [Se] divulga isso, é péssimo para a gente."
- Durante congresso da Fenabrave, em São Paulo, 06/08/2019, ao se referir a dados do Inpe que apontam, na verdade, um aumento de 88% do desmatamento na Amazônia no comparativo de junho de 2019 com o mesmo mês do ano anterior.[501]
  • "Os balancetes das empresas agora poderão ser publicados em sites, dispensando os jornais. Menos papéis, menos desmatamento."
- Em publicação de 07/08/2019 no Facebook, sobre medida provisória assinada por Bolsonaro que desobriga empresas de capital aberto de publicarem seus balanços em jornais impressos.[502]
  • "Esse é o jornal O Globo. Se você não o lê não está informado, se lê está desinformado."
- Em tweet de 07/07/2019, comparando matérias do jornal de 2014 e 2019 sobre redução de impostos pelo governo federal.[266]
  • "Eu havia falado já, nem era para ter esse contrato. Não é porque era ele, é porque a Petrobras não precisa disso: dar dinheiro para um cara da OAB que recebe recursos bilionários e não é auditado por ninguém."
- Em 07/08/2019, sobre o cancelamento de contrato de advocacia da Petrobras com o escritório de Felipe Santa Cruz, advogado e presidente da OAB.[503]
  • "Se estivéssemos envenenando os nossos produtos, o mundo não os compraria. É simples! Nós somos país que menos usa agrotóxicos na agricultura. Por que novos agrotóxicos? Para substituir os anteriores. Quem que não quer mudar de carro para um carro mais moderno?"
- Em 07/08/2019, sobre as liberações de agrotóxicos pelo Ministério da Agricultura.[504]
  • "[...] se chegarmos à conclusão que tem amparo legal para você acabar com alguma taxa, então acaba. Agora uma coisa importante também é descomplicar. Não pode cada igreja ter que ter um contador, ninguém aguenta isso. [Não quero] taxar mais ninguém. [Pretendo] fazer justiça com os pastores, com os padres, nessa questão tributária."
- No Palácio da Alvorada, em 07/08/2019, antes de se encontrar com R. R. Soares, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus, autoridades e membros da bancada evangélica.[505]
  • "[Índios estão] pisando em riquezas. [...] tem mais ONG na Amazônia do que índio."
- Ao sair do Palácio da Alvorada, em 08/08/2019.[506]
  • "Não tive muito contato, mas tive alguns contatos com o marido dela enquanto estava vivo. Um herói nacional que evitou que o Brasil caísse naquilo que a esquerda hoje em dia quer."
- Sobre Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel condenado na esfera cível por tortura na ditadura militar, e sua viúva, em 08/08/2019.[507]
  • "Vai fazer um troca-troca com o Salles aí?"
- Para Sérgio Moro, ministro da Justiça, enquanto este trocava de lugar com Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 08/08/2019.[508]
  • "Preocupado com isso, inspirado na motosserra do Globo, fiquei pensando. Pra fazer jornal tem que derrubar árvore? [...] Espero que na capa do Globo amanhã não seja mais o Capitão Motosserra, e sim o capitão que está preservando o meio ambiente. Boa sorte ao Valor Econômico e ao jornal O Globo. A projeção é que, por ano, os empresários vão deixar de gastar R$ 1,2 bilhão com jornais. Então o lucro comemorado com toda mídia, tenho certeza que os jornais são favoráveis a essa medida, pra ajudar a não desmatar mais para fazer jornal. [...] Um grande abraço à nossa imprensa maravilhosa, obrigado pelo apoio."
- Ironizando sobre medida provisória assinada que desobriga empresas de capital aberto de publicarem seus balanços em jornais impressos, durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 08/08/2019.[509]
  • "Tem que mostrar a você, que vive na área urbana, quem são os índios, e o que eles querem. E a grande farsa de ONGs e de entidades católicas que fazem contra essas pessoas [indígenas]. Diferentemente de evangélicos, que vejo fazendo um grande trabalho nesse meio. Lamentavelmente, uma parte da igreja católica para mantê-los no estado em que eles se encontram, não estão preocupados com o desenvolvimento deles, não estão preocupados em tratá-los como seres humanos. Nós temos que buscar uma solução para isso."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 08/08/2019.[509]
  • "Tem uns governadores do Nordeste que querem separar o Nordeste do Brasil. Não vão conseguir. Não vão precisar de outro (Duque de) Caxias para manter o Brasil unido. Eles acham que são os tutores, os reis da área. Não são os reis da área. Para você liberar empréstimo, você tem uma gama de pré-requisitos, vocês não pode simplesmente liberar a bel prazer. Estamos liberando muito recurso para o Nordeste."
- Ao sair do Palácio da Alvorada, em 09/08/2019.[510]
  • "Se não mostrar conhecimento, reprova."
- Em 09/08/2019, sobre a votação no Senado para seu filho de deputado federal Eduardo Bolsonaro se tornar embaixador nos Estados Unidos, após o agrément do presidente estadunidense Donald Trump.[511]
  • "Entra o excludente de ilicitude para operação do GLO [Garantia da Lei e da Ordem]. O que o bandido tem de aprender? Que deve respeitar as Forças Armadas e as forças auxiliares e ponto final. É só fazer duas ou três operações com o excludente de ilicitude que a bandidagem vai acabar."
- Em 09/08/2019.[512]
  • "Eventualmente, pode ocorrer algum excesso e, como eu disse, não tem nenhuma extravagância nisso. Se excesso jornalístico desse cadeia, todos vocês estariam presos."
- Em 09/08/2019, sobre o excludente de ilicitude para agentes de segurança pública.[512]
  • "É só você deixar de comer menos um pouquinho. Você fala para mim em poluição ambiental. É só você fazer cocô dia sim, dia não, que melhora bastante a nossa vida também. O mundo, quando eu falei que cresce mais de 70 milhões por ano, precisa de uma política de planejamento familiar. Você olha as pessoas que têm mais cultura têm menos filhos. Eu sou uma exceção à regra, tenho cinco. Mas como regra, é isso."
- Respondendo ao repórter Fábio Murakawa, do jornal Valor Econômico, sobre se é possível conciliar crescimento com preservação, em 09/08/2019.[513][514]
  • "A educação do Brasil, com as exceções de praxe, não vai muito bem. Em grande parte, devemos isso a uma ideologia que, ao longo de décadas, foi se aproximando das escolas. O que nós queremos é que os nossos filhos sejam bem instruídos. O trabalho é de tirar e afastar certas ideologias, como a ideologia de gênero, pessoas que estão preocupadas apenas em fazer com que, no futuro, tenhamos militância."
- Em pronunciamento na escola da filha, durante festa do Dia dos Pais, em Brasília, 09/08/2019.[515]
  • "Vocês tem pela primeira vez na história do Brasil [...] um presidente que acredita e valoriza a família, um presidente – a exemplo do governador daqui também – que vai respeitar respeitar a inocência das crianças em sala de aula. Não existe essa conversinha de ideologia de gênero. Isso é coisa do capeta. Tenho certeza que o governador não vai admitir isso no ensino do Distrito Federal."
- Associando o ensino de questões de gênero à "ideologia" de gênero, na Marcha para Jesus em Brasília, 10/08/2019.[516]
  • "O que eu falava durante a campanha eu já falava há anos antes. Não é de agora. Desde 2010 quando apareceu aqui no governo que nos antecedeu as questões de multi famílias [sic]. Eu digo mais, se querem que eu acolha isso, se querem, apresentem uma emenda na Constituição e modifiquem o artigo 226. Por lá está escrito que família é homem e mulher. E mesmo mudando isso como não dá pra emendar a Bíblia eu vou continuar acreditando na família tradicional."
- Na Marcha para Jesus em Brasília, 10/08/2019.[516]
  • "Não é com o governo, é com o Brasil. É igual meus ministros; não estão alinhados comigo. Cada ministro conhece a sua pasta. Agora todos que vieram trabalhar comigo sabiam que eu era contra o Estatuto do Desarmamento, o que eu pensava de tudo, sabiam disso aí.
- Sobre o alinhamento que teria o procurador-geral da República que Bolsonaro apontaria, em 10/08/2019.[517]
  • "Não tem nenhum urubu aí, urubu que eu chamo são os repórteres."
- Para apoiadores, ao sair do Palácio da Alvorada, em 11/08/2019.[518]
  • "Não vai mais comprar a Amazônia, vai deixar de comprar à prestação a Amazônia, pode fazer um bom uso dessa verba aí. O Brasil não precisa disso. Você acha que os grandes países estão preocupados com a imagem do Brasil ou com se apoderar do Brasil?"
- Em 11/08/2019, um dia após o Ministério do Meio Ambiente da Alemanha suspender o repasse do equivalente a R$ 155 milhões para projetos de preservação da Amazônia.[519]
  • "Uma pergunta dessas para estragar o dia dos pais? Tenha paciência. Pô, cara, não perturba não. Vocês estavam atrás de outra matéria. Acho que nem ela (Michelle) está sabendo. Perturba não. Só podia ser a Folha para tentar estragar o domingo do Dia dos Pais. Dá um tempo aí, ô mané. Pergunta lá para ela (Michelle)"
- Em 11/08/2019, para jornalista que perguntava sobre Maria Aparecida, avó materna da primeira-dama, que estava com uma lesão na bacia e tinha aguardado atendimento médico sobre uma maca no corredor do Hospital Regional de Ceilândia e, posteriormente, foi levada ao Hospital de Base do Distrito Federal.[520]
  • "Não, eu vou encontrar a minha avó. A minha avó morreu. Infelizmente já morreu. Mais alguma pergunta?"
- Em 11/08/2019, ao ser perguntado por jornalista se se encontraria com os filhos no Dia dos Pais.[521]
  • "Pergunta para o Paulo Guedes, pergunta para o Paulo Guedes. Outra pergunta."
- Em 11/08/2019, após o jornal Folha de S.Paulo publicar levantamento que indica piora em indicadores do Brasil sobre variados temas em 2019.[521]
  • "Povo gaúcho, se essa 'esquerdalha' voltar aqui na Argentina, nós poderemos ter, sim, no Rio Grande do Sul, um novo estado de Roraima. E não queremos isso: irmão argentinos fugindo pra cá, tendo em vista o que de ruim parece que deve se concretizar por lá caso essas eleições realizadas ontem se confirmem agora no mês de outubro."
- Em Pelotas/RS, 12/08/2019, um dia após Alberto Fernández, candidato a presidente da Argentina, e sua candidata a vice e ex-presidente, Cristina Kirchner, ficarem em primeiro lugar nas eleições primárias.[522]
  • "Há anos o terminal de contêiner aqui no Paraná, se não me engano, não sai do papel porque precisa de um laudo ambiental da Funai. O cara vai lá e se encontrar — já que tá na moda — um cocozinho petrificado de índio, já era, não pode fazer mais nada ali. Temos que acabar com isso no Brasil, integrar o índio à sociedade e buscar o progresso pro nosso país."
- Em Pelotas/RS, 12/08/2019, sobre investimentos no acesso ao Porto de Rio Grande.[523]
  • "Você quer que eu seja um vaselina? Um politicamente correto? Ou isentão? (...) A resposta é direta. Fui eleito assim, não vou fugir à minha característica, com todo respeito que eu tenha a todo mundo. E, quando eu falei a questão do cocô, foi uma resposta para uma pergunta idiota de um jornalista lá em Brasília. O idiota perguntou pra mim, depois de ter escutado que o mudo cresce 70 milhões de habitantes e o Brasil cresce pouco mais de dois milhões de habitantes por ano .. E não dá para plantar na Lua, nem em Marte, assim como não dá para estocar vento, eu respondi que é só você cagar menos que, com toda certeza, a questão ambiental vai ser resolvida. Isso que eu respondi para ele. Agora, não é compatível com o presidente? Vota em outro em 2022. É muito simples."
- Em Pelotas/RS, 12/08/2019, ao ser questionado se suas respostas irônicas a jornalistas não contribuiriam para acirrar a polarização do país.[523][524]
  • "Estamos focados em questões de família. Não admitiremos que a Ancine e a Lei Rouanet façam peças contra interesses e tradição judaico-cristã. (...) Quer fazer filme da Bruna Surfistinha, pode fazer, mas não com dinheiro público."
- Em Pelotas/RS, 12/08/2019.[523]
  • "Consultei muita gente, agora, o uso (dos radares móveis) não está sendo adequado. Então, está suspenso até segunda ordem isso aí. Chega de estudiosos e especialistas que só fazem assaltar o contribuinte. Estou tentando acabar com os radares fixos também, mas estou com problema na Justiça. Quero é dar liberdade para o povo. E, aquele que se excede, a polícia pode pará-lo, sim, e aplicar uma multa que ele merece. Mas não ficar usando como caça-níquel."
- Em Pelotas/RS, 12/08/2019.[525]
  • "Quando a gente vê agora pelo Brasil alguns governadores querendo separar o Nordeste do Brasil, esses cabras estão no caminho errado. O caminho do Brasil é um só: um só povo, uma só raça, uma só bandeira verde e amarela. O Mão Santa me disse agora há pouco 'nós vamos acabar com o cocô no Brasil'. O cocô é essa raça de corrupto, de comunista. Nas próximas eleições nós vamos varrer essa turma vermelha do Brasil. Já que na Venezuela tá bom, vamos mandar essa cambada pra lá. Quem quiser ir um pouquinho mais para o norte, vai até Cuba, lá deve ser muito bom também."
- Em Parnaíba/PI, 14/08/2019.[526]
  • "O Estado é laico, mas nós aqui somos cristãos e acreditamos em Deus."
- Em Parnaíba/PI, 14/08/2019.[527]
  • "Acabou com a história de bagunçarem com a família brasileira. A família brasileira é sagrada. Nas escolas, estamos vendo cada vez menos aquele lixo, aquela coisa do capeta chamada ideologia de gênero. Ideologia de gênero é a ponta da praia. Nós vamos mudar esse Brasil. Esse povo tem vontade, tem raça e tem fé. E agora vocês têm um governo cristão."
- Em Parnaíba/PI, 14/08/2019.[527]
  • "Nós juntos vamos colocar o Brasil no lugar de destaque que ele merece. Nós juntos vamos varrer a corrupção e o comunismo do Brasil. Olha o que está acontecendo na Argentina agora. A Argentina está mergulhando no caos. A Argentina começa a trilhar o rumo da Venezuela porque, nas primárias, bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder."
- Em Parnaíba/PI, 14/08/2019.[527]
  • "O Brasil tem a sua vocação, tem a sua cultura, tem a sua vocação judaico-cristã. O Brasil tem um povo que ama a democracia e não vive sem a liberdade. O que esse povo de esquerda sempre quis foi roubar a nossa liberdade. Não vamos admitir isso, porque a nossa liberdade vale muito mais que a nossa vida. Por isso defendo para vocês a posse das armas de fogo, e o porte também. O povo armado jamais será subjugado. Fiz o possível por meio do decreto. Arma é sinônimo de força e liberdade."
- Em Parnaíba/PI, 14/08/2019.[527]
  • "Foi feita uma devassa. No ano passado, quase todo dia a Receita entrava na minha vida financeira para saber se tinha alguma coisa esquisita ali para tentar me derrubar na campanha, não acharam nada, e não vão achar mesmo. E estão fazendo com a minha família... Não é de hoje nessas questões aí."
- Ao chegar ao Palácio da Alvorada em 14/08/2019.[528]
  • "Vou adiantar para você. Vale a pena. Fizeram uma devassa na vida financeira dos meus familiares do Vale do Ribeira. São quatro irmãos, três mexem com venda de imóveis. Questão barata, povo humilde. No dia de ontem estiveram dois repórteres do Globo em três casas de comércio de irmãos meus. E entram, filmando, fotografando, fazendo perguntas indiscretas. E eles, pessoas humildes, estão falando. É uma vergonha essa maneira de ir para cima de pessoas humildes, trabalhadoras. Vai achar alguma coisa errada? Acho que qualquer estabelecimento comercial você vai achar uma coisa errada e aí vão potencializar isso daí. Não conseguem me atingir, vão para cima de parentes meus. Uma vergonha."
- Ao ser perguntado se estava satisfeito com o trabalho do secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, em 14/08/2019.[529]
  • "Com todo respeito ao pessoal da PGR, a gente precisa que esteja alinhado com as bandeiras nossas. Com a questão ambiental […], a dificuldade nossa com licença. Para fazer uma central hidrelétrica é uma dificuldade com licença ambiental. Tem a legislação nesse sentido e tem o Ministério Público. O nosso sentimento é que, muitas vezes, [o MPF] não joga com o desenvolvimento do Brasil. Eu sei que eles têm que fiscalizar a lei, mas às vezes vão um pouquinho além disso. Tudo isso tem que ser conversado."
- No Palácio da Alvorada, em 14/08/2019.[530]
  • "'Como é que pode uma senhora [Michelle], que trata de deficientes, abandonar a vovozinha querida, né?' A família dela é enorme. Aqui, estão abertas as portas, se quiserem visitar a gente. Agora, a avó dela tem uma vida pessoal. É bastante idosa, uma pessoa completamente livre. Não sei do relacionamento dela com os seus oito filhos. É família, né? O meu pai dizia lá atrás: 'Parente bom é parente longe'."
- Em 14/08/2019, sobre Maria Aparecida, avó materna da primeira-dama, que estava com uma lesão na bacia e tinha aguardado atendimento médico sobre uma maca no corredor do Hospital Regional de Ceilândia.[531]
  • "Eu queria até mandar recado para a senhora querida Angela Merkel que suspendeu 80 millhões de dólares pra Amazônia. Pega essa grana e refloreste a Alemanha, tá ok? lá está precisando muito mais do que aqui."
- Em 14/08/2019, sobre a suspensão do repasse financeiro pela Alemanha para combate ao desmatamento.[532]
  • "Noruega? Não é aquela que mata baleia lá em cima, no Polo Norte, não? Que explora petróleo também lá? Não tem nada a oferecer para nós."
- Em 15/08/2019, sobre a suspensão do repasse financeiro pela Noruega para combate ao desmatamento.[533]
  • "Elas (Noruega e Alemanha) não estão de olho na floresta amazônica, querem a sua soberania e a sua riqueza. Isso eu falo na Câmara dos Deputados desde 1991. Nós, na floresta amazônica, temos coisas que o resto do mundo não tem mais. E o pessoal está de olho nisso. [O Brasil está] perdendo a guerra da informação nessa questão importante. Não tem prazer maior que você chegar na reunião do G-20, representando o seu país sem dever nada para ninguém. E ali você expor o que você tem de falar, da forma como falei educada com Angela Merkel e Emannuel Macron, dizendo que o Brasil está sob nova direção."
- Em 15/08/2019, sobre a suspensão do repasse financeiro pela Alemanha e pela Noruega para combate ao desmatamento.[533]
  • "Sei nem quem é esse."
- Sobre o deputado federal Alexandre Frota, em 15/08/2019, após este ser expulso do PSL, partido de Bolsonaro.[534]
  • "Segunda-feira já tem a primeira parte da caixa-preta do BNDES, pessoal que comprou jatinho, pessoal que comprou jatinho. Só dois bilhões de reais. Todo o pessoal com jatinho, gente amiga do rei. Gente que tá dizendo por aí que, por exemplo, estamos no último capítulo do fracasso do Brasil. 'Eu sou opção para 2022'. Pode até ser, mas a gente vai mostrar o que você fez."
- Em alusão ao apresentador Luciano Huck, em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 15/08/2019, após críticas de Huck no dia anterior.[535]
  • "[...] é difícil ser patrão no Brasil. Por exemplo, chega um fiscal aqui na tua loja. E ele vai no banheiro que os funcionários frequentam. Sabe quantos itens o fiscal vai observar? 35 itens. Posição do espelho, altura, vaso sanitário, caixa d'água, quantidade de água, papel higiênico. 35 itens. Tá na cara que via ser multado. Suponha que tenha funcionário que durma no serviço. Chega no vestiário, são 15 itens a serem analisados. Vai ser multado também. [São] 27 itens para o fiscal poder tomar conhecimento e créu, multar você. Tem gente que, inclusive, depois de abrir um negócio, tem que fugir porque vai ser preso."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 15/08/2019.[535]
  • "Não censurei nada. Quem quiser pagar... a iniciativa privada, fique à vontade. Não vamos interferir nada. Mas fomos garimpar na Ancine filmes que estavam prontos para ser captados recursos no mercado. Olha o nome de alguns! O nome e o tem: Um filme chama Transversais. Olha o tema: 'Sonhos e realizações de cinco pessoas transgêneros que moram no Ceará'. Conseguimos abortar essa missão. Outro filme: Sexo Reverso. 'Bárbara é questionada pelos índios sobre sexo grupal, sexo oral e sobre certas posições sexuais'. É o enredo do filme. Com dinheiro público? E outra, geralmente esses filmes não têm audiência, não têm plateia, têm meia dúzia ali. Mas o dinheiro é gasto, são milhões de reais que são gastos com esse tipo de tema. É um dinheiro jogado fora, não tem cabimento fazer um filme com esse enredo, né? Outro filme com esse tema: Afronte. 'Mostrando a realidade vivida por negros, homossexuais no Distrito Federal.' Não entendi nada, confesso. A vida particular de quem quer que seja, ninguém tem nada a ver com isso, mas fazer um filme sobre negros homossexuais no DF, confesso que não dá pra entender. Mais um filme que foi pro saco. [Se a Ancine não tivesse] sua cabeça toda por mandato, já tinha degolado todo mundo. [Religare Queer] O filme é sobre uma ex-freira lésbica! [...] e daí são dez episódios. Tem a ver com 'religiões tradicionalmente homofóbicas e transfóbicas'. Tudo tem a ver... sexualidade LGBT com evangélicos, católicos, espíritas, testemunhas de Jeová, umbanda, budismo, candomblé, judaísmo, islamismo e Santo Daime. Confesso que não entendi por que gastar dinheiro público com um filme desse, o que que vai agregar no tocante a nossa cultura, as nossas tradições. Não tô perseguindo ninguém, cada um faz o que bem entender e que vai ser feliz. Agora gastar dinheiro público para esse tipo de filme... É dinheiro jogado fora, além de divulgar... isso realmente não tem cabimento."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook, em 15/08/2019.[536]
  • "Se ele resolveu mudar, vai ter que falar comigo. Quem manda sou eu, vou deixar bem claro. Eu dou liberdade para os ministros todos, mas quem manda sou eu. Pelo que está pré-acertado, seria lá o de Manaus. Quando vão nomear alguém, falam comigo. Eu tenho poder de veto, ou vou ser um presidente banana agora? Cada um faz o que bem entende e tudo bem?"
- Em 16/08/2019, sobre trocas de comando na Polícia Federal.[537]
  • "O pessoal está comprando à prestação o Brasil. A compra no passado era também demarcando terras, o Brasil só fazia acordos lá fora em troca de abrir mão de sua soberania, demarcando terras indígenas, ampliando parques. Não pode continuar assim, [em] 61% do Brasil não pode fazer nada. Tem locais que, para produzir, você não vai produzir, porque não pode ir num linha reta para exportar ou para vender, tem que fazer uma curva enorme para desviar de um quilombola, uma terra indígena, uma área proteção ambiental. Estão acabando com o Brasil. Enquanto eu for presidente não tem demarcação de terra indígena. Eles têm 14% do território nacional. Imagine Região Sudeste, uma área maior que essa já é terra indígena, não é área suficiente? Ontem, eu estive de novo com um grupo de indígenas e eles querem liberdade para trabalhar na sua área, não querem viver como em um confinamento, como seres pré-históricos."
- Ao sair do Palácio da Alvorada, em 16/08/2019.[538]
  • "O Brasil todo está sem dinheiro. Em casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão. Os ministros estão apavorados, estamos aqui tentando sobreviver no corrente ano. Não tem dinheiro. Eu sabia disso, estamos fazendo milagre, conversando com a equipe econômica para ver o que a gente pode fazer. Não é maldade da minha parte. Não tem dinheiro, só isso."
- Em 16/08/2019.[539]
  • "Precisa ter prova disso daí? Tu acha que está escrito isso aí em algum lugar? Cuba exportava desde a década de 70 mercenários para guerrilha de Angola. Sempre exportou isso daí. [...] É preparação, é preparação. Você não faz as coisas de uma hora para outra, fazendo a cabeça do povo."
- Sobre a alegação de que o programa Mais Médicos serviria para "fazer células de guerrilhas e doutrinação", no Palácio do Planalto, em 16/08/2019.[540]
  • "A educação é que tira a pessoa da miséria e não a doutrinação. O que tira a juventude da miséria, ou o homem ou a mulher, é o conhecimento. Não são programas sociais, que em alguns casos são necessários, mas não podemos crescer nisso."
- Durante cerimônia pelo Dia Internacional da Juventude, no Palácio do Planalto, em 16/08/2019.[541]
  • "Eu lembro que, num debate de 2014, uma candidata bateu no peito e disse que ‘no nosso governo 50 milhões de pessoas vivem do Bolsa Família’. Obviamente, muita gente humilde necessitava até disso daí. Mas outra parte, não. Porque não era também estimulada a sair desse tipo de condução coercitiva, vamos por assim dizer. Em alguns casos [os programas] são necessários até pela idade e pela condição da pessoa, mas não podemos crescer pensando nisso. E o que o nosso governo precisa e está implementando são políticas públicas que visem abrir os olhos da juventude, mostrar, realmente, qual é o caminho certo. Dizer que você é responsável pelo seu futuro, o Estado não vai te atrapalhar, muito pelo contrário."
- Durante cerimônia pelo Dia Internacional da Juventude, no Palácio do Planalto, em 16/08/2019.[542][543]
  • "Se fossem três, quatro anos atrás, em um evento como esse, talvez tivéssemos dois homens se beijando aqui na frente, estimulando, desacreditando, desconstruindo a heteronormatividade, como está no plano nacional de promoção e cidadania LGBT. Nada contra quem quer ser feliz com o parceiro igual a si, mas não podemos impor isso daí. Até nesse programa se falava em livros didáticos com essa temática para crianças a partir de 5 anos de idade. O que podemos esperar ao estimular jovens precocemente ao sexo? Já não basta termos crianças de 9 e 19 anos sendo responsável por 1,7 mil partos por dia? Não temos que combater isso? A intenção é estimular cada vez mais? Nós temos que ter, juntando os ministérios da Educação e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, um casamento perfeito para dar meios para essa garotada, como vejo aqui, do Profesp, Programa Força do Esporte, (para que) sejam alguém no futuro."
- Durante cerimônia pelo Dia Internacional da Juventude, no Palácio do Planalto, em 16/08/2019.[543]
  • "[...] vocês acham que se o Haddad estivesse aqui, agora, estaria aonde numa hora dessas? Poderia estar recebendo o Maduro, fazendo lá campanha para a Kirchner, na Argentina. E qual o destino de um país que entra no socialismo e comunismo? Tá aí, aqui em cima, Venezuela. Lá não tem nem cachorro pra comer mais. Estão fugindo da pena. [...] Uma miséria. É isso que vocês querem no Brasil? Isso é a igualdade no socialismo que o PT sempre pregou. Todos iguais na miséria, por baixo, na prostituição, no desespero, comendo cachorro, gato, resto de comida no lixo. É isso que vocês querem no Brasil? [...] É [a educação] que tira a pessoa da miséria, e não a doutrinação, como ainda vem sendo feita no Brasil, em muitas escolas. É o conhecimento que tira a pessoa da miséria. Por que o Chávez foi muito 'bem-sucedido' na Venezuela? Porque o socialismo 'deu certo'. Porque tinha o barril do petróleo na casa dos US$ 120 e isso aí criou uns tremendos problemas sociais para atender o povo. Atender como? Jogando na miséria. Acostumando o povo a viver daquilo que tinha do Estado. O petróleo foi lá pra baixo, na casa dos US$ 30, e acabou, porra. Olha como estão vivendo agora."
- Depois da cerimônia pelo Dia Internacional da Juventude, no Palácio do Planalto, em 16/08/2019.[543]
  • "O Brasil botou em torno de 10 mil (cubanos) fantasiados de médicos aqui dentro em locais pobres para fazer células de doutrinação e guerrilha. Tanto que, quando cheguei, eles foram embora. Porque eu ia pegá-los. Não sabem responder (sobre aplicação de medicamentos). Estavam aqui doutrinando porque cada cabeça tinha um valor que mandava para Cuba. Davam em torno de R$ 100 milhões para a ditadura cubana."
- Depois da cerimônia pelo Dia Internacional da Juventude, no Palácio do Planalto, em 16/08/2019.[543]
  • "Agora estou sendo acusado de tocar fogo na Amazônia. Nero! É o Nero tocando fogo na Amazônia."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/08/2019.[544]
  • "O pessoal está pedindo aí para eu colocar o Exército para combater. Alguém sabe o tamanho da Amazônia? A distância entre os pelotões de fronteira é de 200 quilômetros, os mais perto. Vamos colocar quantas pessoas para apagar fogo na Amazônia? Meu Deus do céu! Lá, é época de queimada. O que se aproveita no momento é que está tudo mudando e eu estou tocando fogo na Amazônia."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/08/2019.[544]
  • "Estou esperando as próximas rodadas e números que não serão números que vão aparecer sem responsabilidade, que vão mostrar. Ninguém está querendo esconder nada não. Se os números forem alarmantes, eu vou tomar conhecimento na frente de vocês."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/08/2019, sobre os dados do desmatamento na Amazônia.[544]
  • "Posso, sim [reconhecer o Hezbollah como grupo terrorista], pretendo fazer isso aí. E são terroristas. Temos informes que têm pessoas deles por aqui também, tríplice fronteira, grupo do crime organizado no Brasil. Eles são unidos, podem não ser muito organizados, mas são unidos. São grupos terroristas como o MST, para mim, também é grupo terrorista. Os caras levam o terror no campo aqui, queimam propriedades. Desestimula o homem do campo a produzir. É no Brasil todo, essa praga do MST."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/08/2019.[544]
  • "Você, por exemplo, está noivo. A noiva é virgem. Vai que você descobre que ela está grávida. Você desiste do casamento? Tudo é possível. Eu não quero submeter o meu filho a um fracasso. Eu acho que ele tem competência. Mas tudo pode acontecer, prezado companheiro. A gente pode estar morando junto amanhã, pode acontecer. [...] Eu já vi gente declarando muita coisa sem pé nem cabeça. Filho de Bolsonaro está pilotando um Boeing... Não estou entendendo. Nepotismo... Se não for meu filho, vai ser filho de alguém, porra."
- Sobre a indicação do deputado federal e seu próprio filho, Eduardo Bolsonaro, para embaixador brasileiro nos Estados Unidos, em 20/08/2019.[545][546]
  • "O Eduardo vai ser apresentado ao Senado. Vai ser. Não tem recuo. É o momento certo. E o Eduardo está estudando, está se preparando. Vai ser uma sabatina em que todos vocês estarão lá, todos sem exceção. É igual urubu na carniça, né. Vai estar todo mundo lá de olho. E ele tem de fazer uma sabatina melhor até do que se fosse o Ernesto Araújo."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 21/08/2019, um dia após dizer que são submeteria Eduardo Bolsonaro "a um fracasso" quanto à sua indicação para embaixador brasileiro nos Estados Unidos.[547]
  • "Olha só, tem governador, não quero citar nome, que está conivente com o que está acontecendo e bota a culpa no governo federal. Tem estados aí, que não quero citar, na região Norte, que o governador não está movendo uma palha para ajudar a combater incêndio. Está gostando disso daí. Pergunte a cada governador, se não me engano são sete governadores da região Norte, Nordeste nove, pergunte para a assessoria de imprensa deles o que está acontecendo, o que os governos estaduais já fizeram. Tem governo estadual que não fez nada, e pode fazer."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 21/08/2019, sobre o aumento de queimadas na Amazônia.[548]
  • "O crime existe, e isso aí nós temos que fazer o possível para que esse crime não aumente, mas nós tiramos dinheiros de ONGs. Dos repasses de fora, 40% ia para ONGs. Não tem mais. Acabamos também com o repasse de dinheiro público. De forma que esse pessoal está sentindo a falta do dinheiro. Então, pode estar havendo, não estou afirmando, ação criminosa desses 'ongueiros' para exatamente chamar a atenção contra a minha pessoa, contra o governo do Brasil. O fogo foi tocado, pareceu, em lugares estratégicos. [Tem] imagens da Amazônia toda. Como é que pode? Nem vocês teriam condições de todos os locais estar tocando fogo para filmar e mandar para fora. Pelo que tudo indica, foi para lá o pessoal para filmar e tocaram fogo. Esse que é o meu sentimento."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 21/08/2019, acusando ONGs de terem provocado queimadas na Amazônia.[548][549]
  • "Cara, vocês têm que entender uma coisa que isso não está escrito, não está escrito. Não têm um plano para isso aí. Isso é conversa, pessoal faz, toma decisão e ponto final. Você pode ver, pega o que se manda verbas bilionárias, 40% para ONG, essa ONG vai para mão dessas pessoas para ficar rodando a Amazônia e ficar fazendo campanha contra nós o tempo todo. Perderam a boquinha também. [O governo] não está insensível. Não estou afirmando [que ONGs são as responsáveis pelas queimadas]. Temos que combater o crime, depois vamos ver quem é o possível responsável pelo crime. Mas, no meu entender, há interesse dessas ONGs, que representam interesses de fora do Brasil."
- Para o portal G1 em 21/08/2019.[549]-
  • "Do dinheiro que vinha para o Fundo Amazônia, 40% ia direto para ONGs. Cortamos essa grana deles. A Alemanha não vai querer comprar à prestação essa área mais rica do mundo. O que eles querem é nossa riqueza e nossa soberania."
- Durante o Congresso Aço Brasil 2019, Em Brasília, 21/08/2019.[550]
  • "Não interfiro na Petrobras, mas vi o contrato publicitário de cinco anos de R$ 700 milhões com uma empresa de Fórmula 1. Por que isso aí? Para dois pilotos botarem no capacete 'Petrobras'. Voom, ninguém vê nada, pô. Tá em algum lugar."
- Em Brasília, 21/08/2019, sobre o patrocínio da Petrobras à McLaren, que envolve também uso da marca em uniformes, carros e estruturas físicas, cujo contrato, na verdade, custou 50 milhões de libras (R$ 260 milhões em valores na época da declaração).[551]
  • "[Sou presidente] para interferir mesmo se é isso que vocês querem. Se for para ser um banana, um poste, estou fora. [O Estado está] todo aparelhado, enfrentando muita coisa errada."
- Sobre alterações na administração da Polícia Federal e da Receita Federal, durante o Congresso Aço Brasil 2019, em Brasília, 21/08/2019.[550]
  • "Agora há uma onda terrível sobre superintendência. Onze (superintendentes) foram trocados e ninguém falou nada. [Se] Sugiro o cara de um estado para ir para lá: 'Está interferindo'. Espera aí. Se eu não posso trocar o superintendente, eu vou trocar o diretor-geral. Se eu trocar hoje, qual o problema? Está na lei que eu que indico e não o Sergio Moro. E ponto final. Qual o problema se eu trocar hoje ele? Me responda. É intenção minha, a hora que eu achar correto. Se é para não ter interferência, o diretor anterior, que é o que estava lá com o Temer, tinha que ser mantido. Ou a PF agora é algo independente? A PF orgulha a todos nós, e a renovação é salutar, é saudável. O Valeixo pode querer sair hoje. Não depende da vontade dele. E outra, ele é subordinado a mim, não ao ministro. Deixo bem claro isso aí. Eu é que indico. Está bem claro na lei."
- Sobre alterações na administração da Polícia Federal, na saída do Palácio da Alvorada em 22/08/2019, mencionando o diretor-geral da instituição, Maurício Valeixo.[552][553]
  • "As ONGs perderam dinheiro que vinha da Noruega e da Alemanha e têm que fazer o quê? Tentar me derrubar. Dinheiro no bolso de 'ongueiro' não combate incêndio nem planta árvore. São os índios, quer que eu culpe os índios? Vai escrever os índios amanhã? Quer que eu culpe os marcianos? É, no meu entender, um indício fortíssimo que esse pessoal da ONG perdeu a teta deles. É simples dele e tem indícios fortes, mas não se tem prova disso se não pegar em flagrante. Pode, pode ser fazendeiro, pode. Todo mundo é suspeito, mas a maior suspeita vem de ONGs. [Elas] perderam dinheiro [e] estão desempregadas. Não se tem prova disso, meu Deus do céu. Ninguém escreve isso, 'vou queimar lá', não existe isso. Se você não pegar em flagrante quem está queimando e buscar quem mandou fazer isso, que isso tá acontecendo, é um crime que está acontecendo. O Brasil vai chegar à situação da Venezuela, é isso o que a grande imprensa quer. Se o mundo lá fora começar a impor barreiras comerciais, nosso agronegócio vai começar a dar para trás, a vida de você (jornalistas) vai estar complicada como a de todos. A imprensa está cometendo um suicídio."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 22/08/2019.[554][555]
  • "Vocês me entrevistaram ontem, vocês viram o que saiu nos jornais? Não é culpa de vocês, passa pelo filtro do editor. Em nenhum momento eu fui e falei, acusei as ONGs. (Falei de) suspeita."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 22/08/2019.[556]
  • "Tirei de vocês (jornalistas) R$ 1,2 bilhão de reais com publicação de balancetes. Não é maldade. É bondade e Justiça com os empresários, que não aguentam pagar isso para publicar páginas e páginas que ninguém lê. Então, publica no site oficial, CVM, a custo zero. Já estamos ajudando assim a não ter desmatamento, porque papel vem de árvore. Estamos em uma nova era. Assim como acabou no passado o datilógrafo, a imprensa está acabando também. Não é só por questão de poder aquisitivo do povo que não está bom. É porque não se acha a verdade ali."
- Em 22/08/2019.[557]
  • "Sabe o que eu posso fazer? Chamo o presidente da Petrobrás aqui e digo: ‘Vem cá, (Roberto) Castello Branco. Você vai mostrar seu balancete este ano no jornal O Globo’. Posso fazer ou não? Vinte páginas de jornais para isso.E o jornal Valor Econômico, que é da Globo, vai fechar. Não devia falar? Não devia falar, mas qual é o problema? Será que eu vou ser um presidente politicamente correto? Uai. É isso daí aqui no Brasil. Há uma briga com a mídia tradicional, com a grande mídia, na questão de deturpar (informações)."
- Em café-da-manhã com Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), no Palácio do Planalto, em 22/08/2019.[557]
  • "Um país, agora sem dizer o nome aqui, falou da 'nossa Amazônia'. Teve a desfaçatez de falar a nossa Amazônia. Estão interessado em você, brasileiro que está me assistindo aqui, em um dia ter um espaço na região amazônica pra ele. Então, essas questões nós temos que ter informações, temos que nos preocupar em buscar e equilibrar essa narrativa de notícias sobre essa região tão rica."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 22/08/2019, após o presidente da França, Emmanuel Macron, dizer no Twitter que "nossa casa está queimando", em referência à Amazônia.[558]
  • "Esses países que mandam dinheiro pra cá não mandam por caridade. Espero que dê para entender isso daí. Mandam pra cá por interesse, de buscar aí e atingir a nossa soberania, e atingir, como dizia o nosso Enéas Carneiro, buscar não o que tem em cima da terra, mas sob a terra, as nossas riquezas."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 22/08/2019.[558]
  • "A questão dos dados mentirosos divulgados pelo Inpe no passado. Lá dentro tinha uma pessoa que gostava de divulgar isso aí. Se fosse verdade, estava errado porque tinha de passar primeiro pelo canal de comando. (...) Absurdo o que foi feito."
- Em transmissão ao vivo pelo Facebook em 22/08/2019.[558]
  • "Lamento que o presidente Macron busque instrumentalizar uma questão interna do Brasil e de outros países amazônicos p/ ganhos políticos pessoais. O tom sensacionalista com que se refere à Amazônia (apelando até p/ fotos falsas) não contribui em nada para a solução do problema. O Governo brasileiro segue aberto ao diálogo, com base em dados objetivos e no respeito mútuo. A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século XXI."
- Em tweets de 22/08/2019.[559]
  • "É verdade que o Rodrigo Maia falou que vai dar 2 bilhões de reais do fundo partidário para combater incêndios? Vi uma notinha na imprensa aí."
- Sobre pedido anunciado em 23/08/2019 pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, feito ao Supremo Tribunal Federal, para a aplicação de R$ 2,5 bilhões na Amazônia e na educação, recursos esses que, na verdade, viriam do dinheiro recuperado nos casos de corrupção na Petrobras.[560]
  • "Lamento a posição de um chefe de Estado, como o da França, se dirigir ao PR brasileiro como 'mentiroso'. Não somos nós que divulgamos fotos do século passado para potencializar o ódio contra o Brasil por mera vaidade. Nosso país, verde e amarelo, mora no coração de todo o mundo."
- Em tweet de 23/08/2019, sobre o presidente da França, Emmanuel Macron, após este ter dito que Bolsonaro mentiu para ele sobre se comprometer com a preservação ambiental.[561]
  • "A proteção da floresta é nosso dever. Estamos cientes disso e atuando para combater o desmatamento ilegal e quaisquer outras atividades criminosas que coloquem nossa Amazônia em risco. É preciso lembrar que naquela região vivem mais de 20 milhões de brasileiros que há anos aguardam dinamismo econômico proporcional às riquezas ali existentes. Para proteger a Amazônia não bastam operações de fiscalização, comando e controle. É preciso dar oportunidade a toda essa população para que se desenvolva junto com o restante do país. É nesse sentido que trabalham todos os órgãos do governo. [...] Estamos numa estação tradicionalmente quente, seca e de ventos fortes em que todos os anos, infelizmente, ocorrem queimadas na região Amazônica. Nos anos mais chuvosos, as queimadas são menos intensas, em anos mais quentes, como nesse, 2019, elas ocorrem com maior frequência. De todo modo, mesmo que as queimadas deste ano não estejam fora da média dos últimos 15 anos, não estamos satisfeitos com o que estamos assistindo. [...] Espalhar dados e mensagens infundadas dentro ou fora do Brasil não contribui para resolver o problema. E se prestam apenas ao uso político e à desinformação. O Brasil é exemplo de sustentabilidade, conserva mais de 60% de sua vegetação nativa, possui uma lei ambiental moderna e um código florestal que deveria servir de modelo para o mundo. Temos uma matriz energética limpa, renovável e com ela estamos dando importante contribuição ao planeta. Diversos países desenvolvidos, por outro lado, ainda não conseguiram avançar com seus compromissos no âmbito do acordo de Paris. Seguimos como sempre abertos ao diálogo, com base no respeito, na verdade e cientes da nossa soberania. [...] Incêndios florestais existem em todo o mundo e isso não pode servir de pretexto para possíveis sanções internacionais. O Brasil continuará sendo, como foi até hoje, um país amigo de todos e responsável pela proteção de sua floresta amazônica."
- Em pronunciamento oficial de 23/08/2019.[562]
  • "Agora, a floresta não está pegando fogo como o pessoal está dizendo. O fogo é onde o pessoal desmata. A média das queimadas está abaixo dos últimos anos e está indo para a normalidade esta questão. É lamentável o que acontece. Alguns incêndios são espontâneos, outros parecem criminosos. Geralmente começam na beira da pista, bituca de cigarro. O pessoal mesmo faz essa queimada [criminosa]. É quase uma tradição. Não é apenas educar, não é fácil, lá são 20 milhões de habitantes. Depende em parte do incentivo do estado nesse sentido."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 24/08/2019, sobre as queimadas que, segundo o ICMBio, atingem também áreas protegidas e que, de 1º de janeiro a 19 de agosto de 2019, segundo o Inpe, superam em número de focos o total medido no mesmo período do ano anterior.[563]
  • "Olha, carta branca eu tenho poder de veto em qualquer coisa, se não eu não sou presidente. Todos os ministros têm essa ingerência minha e eu fui eleito para mudar. Ponto final. Não tenho problema nenhum com o Moro. Cada hora levantam uma coisa. Uma hora era Marcelo Álvaro Antonio, o Onyx também."
- Em Brasília, 24/08/2019.[564]
  • "Acabei de postar aí uma matéria sobre o Merval Pereira. Palestra por 375 mil reais, tá legal? Tá ok? 375 pau uma palestra no Senac, tá ok? Façam matéria agora. Se vocês não fizerem nenhuma matéria sobre isso amanhã no jornal eu não dou mais entrevista pra vocês, tá legal? Tá combinado? Toda a imprensa. Tá combinado? E tem mais nome também, eu só botei um nomezinho hoje. Não estou perseguindo ninguém. Agora, gastar dinheiro público pra palestras, aí é brincadeira. Fica escrevendo o tempo todo lá críticas, criticar mas mostrar que é uma pessoa isenta, né? Imprensa isenta. Se não fizerem matéria escrita amanhã nos jornais, não tem mais entrevista pra vocês aqui, tá legal?"
- Em 24/08/2019, sobre o jornalista Merval Pereira, que tinha contrato com o Senac não para uma palestra, mas sim quinze.[565]
  • "Pelas palavras do General Villas Boas, o real interesse internacional pela Amazônia. Dói na alma ver brasileiros não enxergando a campanha fabricada contra a nossa soberania na região."
- Em tweet de 24/08/2019, acompanhado de um vídeo em que Villas Boas fala que "Há um déficit de soberania" porque, uma vez, quando ele era responsável pelo comando da Amazônia, o rei da Noruega estaria numa aldeia indígena.[561]
  • "não humilha cara. Kkkkkkk"
- Em sua página no Facebook no dia 24/08/2019, em resposta ao comentário de um seguidor que havia postado uma montagem fotográfica comparando Bolsonaro e sua esposa, Michelle, com o presidente da França, Emmanuel Macron, e sua esposa, Brigitte, seguida da descrição "Entende agora pq Macron persegue Bolsonaro?" e do comentário "É inveja presidente 🇧🇷 do macron pode crê".[566]
  • "Todo respeito a ele, mas o mesmo não esteve comigo durante a campanha, até porque, como juiz, não poderia."
- Em sua página no Facebook no dia 24/08/2019, em resposta ao comentário de um seguidor que havia postado um comentário pedindo para "cuidar bem" do ministro da Justiça, Sérgio Moro.[567]
  • "Macron promete ajuda de países ricos à Amazônia. Será que alguém ajuda alguém, a não ser uma pessoa pobre, né, sem retorno? Quem é que está de olho na Amazônia? O que eles querem lá?"
- Na saída do Palácio da Alvorada em 26/08/2019.[568]
  • "Não podemos aceitar que um presidente, Macron, dispare ataques descabidos e gratuitos à Amazônia, nem que disfarce suas intenções atrás da ideia de uma 'aliança' dos países do G-7 para 'salvar' a Amazônia, como se fôssemos uma colônia ou uma terra de ninguém. Afinal, respeito à soberania de qualquer país é o mínimo que se pode esperar num mundo civilizado."
- Em tweets de 26/08/2019.[568]
  • "Eu falei isso? O presidente Jair Bolsonaro falou? Primeiramente, o senhor Macron deve retirar os insultos que ele fez à minha pessoa, primeiro me chamou de mentiroso, e depois, pelas informações que eu tive, que disse que a nossa soberania está em aberto, então, para conversar, ou aceitar qualquer coisa da França, que seja das melhores intenções possíveis, ele vai ter de retirar essas palavras e daí a gente pode conversar."
- Sobre se recusaria a ajuda de 20 milhões de dólares dos membros do G7 para o combate às queimadas na Amazônia brasileira, na saída do Palácio da Alvorada em 27/08/2019.[569]
  • "Eu não botei aquela foto. Alguém que botou a foto lá e eu falei para ele não falar besteira. Não quero levar para esse lado. Questão pessoal, familiar, eu não me meto. Respeito o cara para não entrar nessa área. Se é para continuar pergunta nesse padrão, vai acabar a entrevista. Vai acabar a entrevista. O meu comentário é para não insistir nesse tipo de postagem. Centenas...Tchau para vocês. Realmente, o jornalismo...Vocês não merecem a consideração."
- Encerrando entrevista coletiva na saída do Palácio da Alvorada em 27/08/2019, após ser perguntado sobre seu comentário "não humilha cara. Kkkkkkk" numa montagem no Facebook que zombava da primeira-dama da França, Brigitte Macron.[570]
  • "A Amazônia foi usada politicamente desde o Collor para cá. Aos que me antecederam, foi uma irresponsabilidade essa política adotada no passado, usando o índio ao inviabilizar esses estados. [...] “Com todo o respeito aos que me antecederam, foi uma irresponsabilidade essa política adotada no passado no tocante a isso, usando o índio como massa de manobra. Essa questão ambiental tem de ser conduzida com racionalidade, não com esta quase selvageria como foi feita nos outros governos. [...] A nossa decisão até o momento é não demarcar. Já extrapolou essa verdadeira psicose no tocante a demarcação de terras. Hoje, 40% de Roraima está tomado por terra indígena. Por que tanta terra indígena foi demarcada? [...] Se eu demarcar agora, o fogo na floresta amazônica acaba em dois minutos. Eles querem a nossa soberania. Ninguém [no governo] quer destruir a Amazônia."
- Em reunião com governadores da região amazônica em 27/08/2019.[571]
  • "Nós vamos juntos achar solução para isso e que vai dar uma satisfação para o mundo. Pessoas como o Macron deve pensar duas ou três vezes. Ninguém é contra dialogar com a França."
- Em reunião com governadores da região amazônica em 27/08/2019.[571]
  • "No meu entendimento, houve um aproveitamento por parte do senhor presidente Macron para se capitalizar perante o mundo como aquela pessoa única e exclusiva interessada em defender o meio ambiente. Essa bandeira não é dele, é nossa, é do Chile, é de muitos países no mundo. Então, o que ele fez no tocante ao Brasil? Primeiro, ao ofender o presidente da República eleito democraticamente. E depois, por mais de uma vez, ao relativizar a nossa soberania, isso despertou o sentimento patriótico do povo brasileiro, bem como de outros países da América do Sul que fazem parte da região amazônica."
- No Palácio da Alvorada, em 29/08/2019.
  • "Essa inverdade do Macron ganhou força porque ele é de esquerda e eu sou de centro-direita também. Então, deixo bem claro isso aí para vocês. Hoje, um jornal alemão nos procurou, estamos acertando, talvez eu dê uma declaração porque o jornalista andou pela região Amazônia e está surpreso com a forma carinhosa e positiva como eu sou avaliado nessa região."
- No Palácio da Alvorada, em 29/08/2019, junto do presidente do Chile, Sebastián Piñera, que respondia a pergunta de jornalista sobre o isolamento de Macron na cúpula do G7 quanto à preservação da Amazônia.[572][572]
  • "Para você, para mim não. Ele é de esquerda, até pelo comportamento."
- No Palácio da Alvorada, em 29/08/2019, após jornalista dizer que, na França, Macron ser considerado de centro-direita.[572]
  • "PIB brasileiro cresceu 0,4% no segundo trimestre de 2019, o dobro do previsto pelos jornais/especialistas e o melhor resultado em 6 anos para o período. Aos poucos o Brasil vai saindo do buraco que o PT o colocou e retomando o crescimento. Estamos no caminho certo!"
- Tweet de 29/08/2019.[573]
  • "Vou escolher alguns colegas policiais que estão presos injustamente pelo Brasil. Policiais presos pela pressão da mídia. Até o final do ano, vai ter policial saindo nesse indulto. Tem casos aí que todo mundo sabe. Tem que ter coragem e usar a caneta... Compactor, não é mais Bic, não. É Compactor agora porque a Bic é francesa. É Compactor."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 29/08/2019.[574]
  • "Alguns estão me atacando, dizendo que é um projeto 'carta branca para matar'. Diz para esse idiota, esse imbecil aí, que é carta branca para o policial não morrer. Esse mesmo policial que defende a sua vida."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 29/08/2019, sobre o excludente de ilicitude.[574]
  • "Isso é excesso? Tinha que dar 30 tiros e ganhar uma medalha de ouro. 20, de prata e 10 de bronze. Olha a situação. E o Ministério Público de Minas Gerais recorre. Ele está vivendo esse inferno há um tempão e pode ser condenado por homicídio, 12 a 30 anos de cadeia. É inacreditável não se ter arquivado esse processo há muito tempo."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 29/08/2019, sobre o cunhado da apresentadora Ana Hickmann, Gustavo Corrêa, que matou a tiros um assaltante após tomar-lhe a arma.[574]
  • "Luciano Huck, que teta hein? Eu sou o ‘último capítulo do caos’… Não foi ilegal a compra, eu reconheço, mas só peixe. João Doria comprou também. Explica isso aí. Só peixe. Amigão do Lula, da Dilma. Eu vejo o Doria falando de vez em quando ‘minha bandeira jamais será vermelha’. É brincadeira! Quando estava mamando lá a bandeira era vermelha com um foiçaço e um martelo sem problema nenhum, né? Ihuuuu, tá ok? Valeu, boa noite pessoal, até semana que vem, se Deus quiser."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 29/08/2019, sobre a compra de jatinhos com dinheiro do BNDES por empresas de Luciano Huck, apresentador, e João Doria, governador de São Paulo.[575][576]
  • "Estamos avançando, está agora em estudo. Tem alguns índios vendendo suas reservas para estrangeiros explorá-las. É muita coisa estranha que acontece. Dá para sentir? É muita terra para pouco índio e sem lobby. Qual interesse está por trás disso? Decisão minha. Eu, não sendo obrigado, não tem mais reserva indígena no Brasil. Vamos rever as que foram demarcadas com laudos com muita suspeição de fraude. Se houver irregularidade, não é inconstitucional. [...] O índio, hoje em dia, quer se integrar à sociedade. Ninguém está fazendo nenhuma maldade com ele não."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/08/2019.[577]
  • "Inclusive as embaixadas, olha, meu Deus do céu. Não tem minha fotografia nas embaixadas. Não sou narcisista, não. Não sou. É uma questão de protocolo. Não tem. Será que tem embaixadora pensando no Lula Livre? Pelo amor de Deus."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/08/2019.[578]
  • "Hoje está previsto receber um telefonema da Angela Merkel. Ela começou com um tom, depois foi para a normalidade. Estou pronto para conversar com qualquer um, exceto nosso querido Macron, a não ser que ele se retrate sobre a nossa soberania da Amazônia. Qualquer recurso individual, de um país ou outro, a gente conversa. Agora, o Macron, ele quer doar em nome do G7, isso não é verdade. [Quanto à Alemanha] Sem problema nenhum. Agora, nós queremos saber para onde vai essa grana. Geralmente, vai em parte para ongueiros, que não têm retorno nenhum. Em parte vai para boas coisas, para material etc. Mas é muita grana para pouca preservação."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/08/2019.[579]
  • "Você quer complicar agora, né, cara? Ela quer namorar comigo, você quer complicar. Não é só a Alemanha, é a Europa toda, junta, não tem lições para nos dar no tocante à preservação do meio ambiente."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/08/2019, após ser questionado por jornalistas sobre quando disse que a chanceler alemã Merkel deveria usar o dinheiro do Fundo Amazônia para reflorestar a Alemanha.[579]
  • "A caneta Compactor, não é mais BIC, vai funcionar."
- Em 30/08/2019, ao dizer que daria indulto a "nomes surpreendentes" de policiais "presos injustamente".[580]
  • "[O Brasil está] quase na ingovernabilidade no tocante às reservas. A intenção dessas grandes reservas, e isso sempre se discutiu na ONU, é que, pela autodeterminação dos povos indígenas, seriam novos países no futuro."
- Em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[581]
  • "Alemanha está comprando o brasil pelo fundo amazônico. [sic]"
- Em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[582]
  • "Cada vez se quer mais terra pra índio. O próximo PGR tem de ser nota 7 em tudo. Não ser 10 num (ponto) e 2 no outro."
- Em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[581]
  • "[É preciso] tirar [aqueles que] não aprovam [filmes com] temática do nosso lado. O tempo vai fazer a gente descontaminar esse ambiente para a boa cultura no Brasil. Mudou o governo. Não é mais o PT, onde a família era um lixo, onde os valores familiares não valiam nada. Tá na Constituição: o que é família? Homem e mulher. Tá escrito lá. Emende a Constituição e a gente vê como fica. Como sou cristão, vai ter de apresentar uma emenda à bíblia também."
- Sobre produções de temática LGBT promovidas pela Ancine, em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[581]
  • "Em vez de falar uma mentira sobre um adversário, você dá um tiro. Sai mais barato."
- Sobre a derrubada do veto presidencial ao projeto de lei que prevê prisão de dois a oito anos para denunciação caluniosa com fim eleitoral, em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[581]
  • "Se eu tiver, quero me empenhar por algumas prefeituras. E quem vai escolher (o candidato), democraticamente, vou ser eu. O partido local vai ter sua participação, mas palavra final vai ser nossa. Quem se lançou em qualquer local, já começou errado. Essa precipitação nos atrapalha."
- Em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[581][582]
  • "Eu achei até que a posição do Macron foi muito boa para nós. Quando ele, tentando reverter um quadro bastante ruim para ele no tocante à popularidade, ele quis se arvorar ao se aproximar um encontro do G7 como a pessoa preocupada com a biodiversidade (...) e recalcar o Brasil em uma situação de colônia."
- Em entrevista concedida em 30/08/2019 à atriz Antonia Fontenelle.[582]
  • "Desemprego tem nova queda em julho e atinge 11,8%. De fevereiro a abril, a taxa era de 12,5%. Ainda é alta, a herança deixada pelo PT é catastrófica, mas estamos trabalhando duro para fazer do Brasil um ambiente cada vez mais favorável para geração de emprego. Grande dia!"
Em sua conta no Twitter, 30/08/2019.[583]
  • "A LDO tem umas 5.000 páginas. Não tenho como ler tudo isso antes assinar [sic]. Confio nos que a elaboraram. Se alguém errar, buscaremos saber em quais circunstâncias isso ocorreu para tomarmos a devida providência. Desculpe-me, mas aparece um m… e sai por aí acusando-me daquilo que ele é. Um abraço."
- Em resposta a um comentário em sua página no Facebook em 31/08/2019, referindo-se ao deputado federal Kim Kataguiri, que havia criticado Bolsonaro por não vetar o aumento das verbas para o fundo eleitoral no orçamento de 2020.[584]
  • "Doria está morto. [Ele] tem enchido o saco."
- Em 31/08/2019, sobre eventual candidatura de João Doria, governador de São Paulo, à presidência da República em 2022.[576]
  • "[Precisa] recitar 200 versículos, ter uma Bíblia embaixo do braço e o joelho ralado de ajoelhar no milho."
- Em 31/08/2019, sobre quem ele indicaria para a presidência da Ancine.[585]
Setembro de 2019Editar
  • "Alguém acredita em Datafolha? Você acredita em Papai Noel? Outra pergunta aí..."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 02/09/2019, após a pesquisa de opinião do instituto Datafolha apontar piora na avaliação da gestão.[586]
  • "Pessoal, vamos imaginar um jogo de xadrez no governo, vamos imaginar? Jogo de xadrez. Os peões seriam, em grande parte, quem? Os ministros. Lá para trás, um pouquinho, o Moro, da Justiça, é uma torre. Paulo Guedes, um cavalo. E a dama, seria quem? Alguém tem ideia? Quero ver se vocês são inteligentes. Quem seria a dama? Qual autoridade seria a dama? Que pode ser um homem, obviamente. Não, o presidente é o rei. A dama é a PGR. Tá legal?"
- Em 03/09/2019.[587]
  • "Está tudo acertado com o Moro, ele pode trocar [o diretor-geral, Maurício Valeixo] quando quiser. Essa turma [que dirige a PF] está lá há muito tempo, tem que dar uma arejada. Mais difícil é trocar de esposa. Eu tive uma conversa a dois com o Moro...[O diretor-geral] tem que ser Moro Futebol Clube, se não, troca. Ninguém gosta de demitir, mas é mais difícil trocar a esposa. Eu demiti o Santos Cruz, com quem tinha uma amizade de 40 anos. O motivo [das críticas] foi a troca de 11 superintendentes sem falar comigo. Fui sugerir para o Rio um de Manaus, aí teve essa reação toda. Isso é babaquice."
- Em café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019.[588]
  • "[João Doria é uma] ejaculação precoce. Ele não tem apoio popular."
- Em café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019, sobre a possibilidade de João Doria, governador de São Paulo, se lançar candidato a presidente em 2022.[589]
  • "Pretendo sim, se estiver bem lá."
- Em café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019, sobre a possibilidade de se se lançar candidato à reeleição em 2022.[589]
  • "Já falamos, eu disse para ele que essa cadeira de super-homem é feita de kriptonita. Se quiser sentar, senta."
- Em café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019, sobre a possibilidade de Sérgio Moro, ministro da Justiça, se lançar candidato a presidente em 2022.[589]
  • "Ele [Eduardo] vai perder muito apoio com os vetos, vou esperar [a indicação]. Você já namorou? Quanto tempo demorou para levar para o motel? Não é na primeira vez."
- Em café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019, sobre a influência dos vetos de itens do projeto de lei sobre abuso de autoridade na votação da indicação do deputado federal e seu filho Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.[589]
  • "Só aceito se Macron pedir desculpas, ele me chamou de mentiroso. Não preciso de esmola. Ele me deu duas coisas de graça: o discurso da soberania e o de patriotismo."
- Em café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019, sobre a condição para receber ajuda de 20 milhões de dólares dos membros do G7 para o combate às queimadas na Amazônia brasileira.[589]
  • "Combinamos, logicamente, eu falo às vezes algumas palavras meio fortes, palavrões, não publicar nada. Acreditei na Folha, hein, que não vai ter nenhum palavrão amanhã, valeu!"
- Após café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019.[589]
  • "Joice está com um pé em cada canoa."
- Após café-da-manhã com equipe da Folha de S.Paulo no Palácio da Alvorada, em 03/09/2019, criticando a aproximação de Joice Hasselmann (PSL/SP), líder do governo no Congresso, com João Doria, governador de São Paulo.[589]
  • "O AGU se manifesta sobre quem compete legislar sobre IDEOLOGIA DE GÊNERO, sendo competência FEDERAL. Determinei ao @MEC_Comunicacao, visando princípio da proteção integral da CRIANÇA, previsto na Constituição, preparar PL que proíba ideologia de gênero no ensino fundamental."
- Em suas redes sociais, em 03/09/2019.[590]
  • "A gente apela para quem estiver em Brasília, quem por ventura estiver no Rio de Janeiro, em São Paulo, que compareça de verde e amarelo. Eu lembro lá atrás que um presidente disse isso e se deu mal. Mas não é o nosso caso. O nosso caso é o Brasil, não é para me defender ou defender quem quer que seja. É para mostrar ao mundo que aqui é o Brasil, que a Amazônia é nossa."
- Sobre a celebração da Independência do Brasil, durante cerimônia no Palácio do Planalto em 03/09/2019, aludindo a pedido semelhante feito em 1992 pelo então presidente Fernando Collor que resultou em manifestantes vestidos de preto pedindo seu impeachment.[591]
  • "Michelle Bachelet, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares. Diz ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à epoca [sic]."
- Em tweets de 04/09/2019, defendendo o golpe de Estado no Chile em 1973, enfrentado pelo general da Força Aérea chilena Alberto Bachelet, torturado e morto por agentes da ditadura instaurada por Augusto Pinochet, declaração essa dada como resposta a críticas sobre a "redução do espaço cívico e democrático" no Brasil, feitas pela alta-comissária da ONU para direitos humanos e ex-presidente do Chile Michelle Bachelet, filha de Alberto.[592]
  • "Ela agora vai na agenda de direitos humanos. Está acusando que eu não estou punindo policiais que estão matando muita gente no Brasil. Essa é a acusação dela. Ela está defendendo direitos humanos de vagabundos. E ela diz mais ainda. Ela critica dizendo que o Brasil está perdendo o seu espaço democrático. Senhora Michelle Bachelet, se não fosse o pessoal do Pinochet derrotar a esquerda em 73, entre eles o seu pai, hoje o Chile seria uma Cuba. Acho que não preciso falar mais nada para ela. Quando tem gente que não tem o que fazer, como a senhora Michelle Bachelet, vai lá para cadeira de direitos humanos da ONU. Passar bem, dona Michelle. A única coisa que tenho em comum com ela é a esposa que tem o mesmo nome. Fora isso, fora isso, meus pêsames a Michelle Bachelet."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 04/09/2019, ao reiterar seus tweets defendendo o golpe de Estado no Chile em 1973 e a ditadura instaurada por Augusto Pinochet.[593][594]
  • "Se nada for feito, vou ter que cortar a luz de todos os quartéis do Brasil, por exemplo. Acho que já respondi."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 04/09/2019, sobre a Emenda Constitucional do Teto dos Gastos Públicos.[595]
  • "Temos que preservar a Emenda do Teto. Devemos sim, reduzir despesas, combater fraudes e desperdícios. Ceder ao teto é abrir uma rachadura no casco do transatlântico. O Brasil vai dar certo. Parabéns a nossos ministros pelo apoio às medidas econômicas do Paulo Guedes."
- Em tweet de 05/09/2019.[596]
  • "Temos aqui a presença física do nosso governador do DF, Ibaneis. Parabéns, governador, com essa proposta. Vi que alguns bairros tiveram votação e não aceitaram. Me desculpa, não tem que aceitar, não. Tem que impor. Se aquela garotada está na quinta série, está na nona série e na prova do Pisa não sabe uma regra de três simples, não sabe interpretar um texto, não responde a uma pergunta básica de ciência, me desculpa, não tem que perguntar para o pai, irresponsável nesta questão, se ele quer ou não uma escola, de certa forma, com militarização. Tem que impor, tem que mudar. Nós não queremos que essa garotada cresça e, no futuro, seja um dependente até morrer de programas sociais do governo."
- Durante o lançamento de programa de criação de escolas militares, no Palácio do Planalto, em 05/09/2019.[597]
  • "A nossa vida não é fácil, qualquer decisão tomada para um lado ou para outro tem problema. Hoje, não tenho vetos na lei do abuso de autoridades. Acolhi todos os indicados do Moro, pelo nosso advogado geral da união, pelo CGU e pelo chefe da Casa Civil. Indiquei à tarde o PGR. Estou recebendo muita crítica de gente que votou em mim. Se não acredita em mim, e continua fazendo esse trabalho de não acreditar, eu caio mais cedo, e mais cedo o PT volta. Vamos esperar, dar um tempo ao novo procurador. O universo era pequeno e eu tinha que escolher. O pessoal fica radical: ‘tem que botar um cara da Lava Jato’. Tudo bem, então é um cara que é radical e quer acabar com a corrupção, mas é um cara que é xiita na questão ambiental. Não posso abrir uma estrada, que ela vai ser contestada. [...] Outros acusam de um montão de coisas por eu teria escolhido esse cara e não outro. A Raquel Dodge estava na fita, ontem teve um problema. Alguém viu o problema de ontem? Não vou acusá-la de nada. O Dallagnol é outro também que jogou pressão para colocar... Alguém sabe da vida dele no tocante da ideologia de gênero? Família? Questão ambiental? E ele fica enchendo meu saco dando palpite. Não conhece nada no tocante disso daí. [...] Eu escolhi um [PGR] que eu posso acreditar nele. Eu acho que escolhi o melhor, eu acho que estou fazendo um bom casamento. Depende do padre, que é o Senado, aprovar o nome dele."
- Na chegada ao Palácio da Alvorada em 05/09/2019, respondendo a críticas seus apoiadores à indicação do subprocurador-geral da República Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República.[598][599]
  • "Eu peço a vocês. No Facebook, você fez um comentário pesado, retira, dá uma chance para mim. Você acha que eu quero colocar alguém lá para atrapalhar a vida de vocês? Não quero. Peço a vocês um voto de confiança. Se lá na frente não satisfizer, paciência, A gente assume o erro. Dá uma chance a mim. Você que votou em mim, continue dando voto de confiança, não queira apenas metralhar a gente. O compromisso que ele tem conosco e com o Brasil é bem claro. Não basta apenas ter alguém que combata a corrupção. Tem também de ser sensível a outras questões."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 05/09/2019, respondendo a críticas seus apoiadores à indicação do subprocurador-geral da República Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República.[600]
  • "Eu peço a você que acredita em mim, que continue acreditando até que eu prove o contrário, me dá esse voto de confiança. Você que votou em mim de graça, que trabalhou, que fez inimizades, que gastou dinheiro, que foi pra rua, que não queria mais o PT, não queria o que ficou em terceiro e quarto lugar, continue me dando esse voto de confiança."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 05/09/2019, respondendo a críticas de seus apoiadores à indicação do subprocurador-geral da República Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República.[601]
  • "😂😂😂"
- Em tweet de 15/09/2019, em resposta a uma entrevista do youtuber Felipe Neto ao Valor Econômico.[602]
  • "A PF tinha razão para a busca e apreensão ou está fora de controle?"
- Para Sérgio Moro, ministro da Justiça, em 19/09/2019, mesmo dia em que a Polícia Federal deflagrou uma operação, desmembramento da Lava Jato, cumprindo mandado de busca e apreensão em endereços do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE).[603]
  • "Meu país esteve muito próximo do socialismo, o que nos colocou numa situação de corrupção generalizada, grave recessão econômica, altas taxas de criminalidade e de ataques ininterruptos aos valores familiares e religiosos que formam nossas tradições."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Em 2013, um acordo entre o governo petista e a ditadura cubana trouxe ao Brasil 10 mil médicos sem nenhuma comprovação profissional. Foram impedidos de trazer cônjuges e filhos, tiveram 75% de seus salários confiscados pelo regime e foram impedidos de usufruir de direitos fundamentais, como o de ir e vir. Um verdadeiro trabalho escravo, acreditem... Respaldado por entidades de direitos humanos do Brasil e da ONU! Antes mesmo de eu assumir o governo, quase 90% deles deixaram o Brasil, por ação unilateral do regime cubano. Os que decidiram ficar se submeterão à qualificação médica para exercer sua profissão. Deste modo, nosso país deixou de contribuir com a ditadura cubana, não mais enviando para Havana 300 milhões de dólares todos os anos. A história nos mostra que, já nos anos 60, agentes cubanos foram enviados a diversos países para colaborar com a implementação de ditaduras."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Há poucas décadas tentaram mudar o regime brasileiro e de outros países da América Latina. Foram derrotados! Civis e militares brasileiros foram mortos e outros tantos tiveram suas reputações destruídas, mas vencemos aquela guerra e resguardamos nossa liberdade."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019[604], sobre as ditaduras da América Latina.[605]
  • "Na Venezuela, esses agentes do regime cubano, levados por Hugo Chávez, também chegaram e hoje são aproximadamente 60 mil, que controlam e interferem em todas as áreas da sociedade local, principalmente na Inteligência e na Defesa. A Venezuela, outrora um país pujante e democrático, hoje experimenta a crueldade do socialismo. O socialismo está dando certo na Venezuela! Todos estão pobres e sem liberdade! O Brasil também sente os impactos da ditadura venezuelana. Dos mais de 4 milhões que fugiram do país, uma parte migrou para o Brasil, fugindo da fome e da violência. Temos feito a nossa parte para ajudá-los, através da Operação Acolhida, realizada pelo Exército Brasileiro e elogiada mundialmente. Trabalhamos com outros países, entre eles os EUA, para que a democracia seja restabelecida na Venezuela, mas também nos empenhamos duramente para que outros países da América do Sul não experimentem esse nefasto regime. O Foro de São Paulo, organização criminosa criada em 1990 por Fidel Castro, Lula e Hugo Chávez para difundir e implementar o socialismo na América Latina, ainda continua vivo e tem que ser combatido."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Nossa Amazônia é maior que toda a Europa Ocidental e permanece praticamente intocada. Prova de que somos um dos países que mais protegem o meio ambiente. Nesta época do ano, o clima seco e os ventos favorecem queimadas espontâneas e criminosas. Vale ressaltar que existem também queimadas praticadas por índios e populações locais, como parte de sua respectiva cultura e forma de sobrevivência. Problemas qualquer país os tem. Contudo, os ataques sensacionalistas que sofremos por grande parte da mídia internacional devido aos focos de incêndio na Amazônia despertaram nosso sentimento patriótico. É uma falácia dizer que a Amazônia é patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a nossa floresta é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias, um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa, com espírito colonialista. Questionaram aquilo que nos é mais sagrado: a nossa soberania! Um deles por ocasião do encontro do G7 ousou sugerir aplicar sanções ao Brasil, sem sequer nos ouvir."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019[604], em referência à França.[605]
  • "Hoje, 14% do território brasileiro está demarcado como terra indígena, mas é preciso entender que nossos nativos são seres humanos, exatamente como qualquer um de nós. Eles querem e merecem usufruir dos mesmos direitos de que todos nós. Quero deixar claro: o Brasil não vai aumentar para 20% sua área já demarcada como terra indígena, como alguns chefes de Estados gostariam que acontecesse."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "A visão de um líder indígena não representa a de todos os índios brasileiros. Muitas vezes alguns desses líderes, como o Cacique Raoni, são usados como peça de manobra por governos estrangeiros na sua guerra informacional para avançar seus interesses na Amazônia."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019, sobre o cacique caiapó Raoni Metuktire.[604]
  • "Infelizmente, algumas pessoas, de dentro e de fora do Brasil, apoiadas em ONGs, teimam em tratar e manter nossos índios como verdadeiros homens das cavernas. O Brasil agora tem um presidente que se preocupa com aqueles que lá estavam antes da chegada dos portugueses. O índio não quer ser latifundiário pobre em cima de terras ricas. Especialmente das terras mais ricas do mundo. É o caso das reservas Ianomâmi e Raposa Serra do Sol. Nessas reservas, existe grande abundância de ouro, diamante, urânio, nióbio e terras raras, entre outros. E esses territórios são enormes. A reserva Ianomâmi, sozinha, conta com aproximadamente 95 mil km2 , o equivalente ao tamanho de Portugal ou da Hungria, embora apenas 15 mil índios vivam nessa área."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "E, para mostrar aos senhores que não existe uma autoridade única entre os índios, eu quero ler uma carta aqui de grande parte das comunidades indígenas endereçada ao senhores: 'O grupo de agricultores indígenas no Brasil, formado por diversas etnias e com representantes por todas as unidades da federação, que habitam uma área de mais de 30 milhões de hectares do território brasileiro, vem respeitosamente perante a sociedade brasileira endossar total e irrestrito apoio à indígena Ysani Kalapalo, aqui presente, do parque indígena do Xingu, Mato Grosso. [...]  A realidade ora posta impõe que o mundo, na arena da Assembleia das Nações Unidas, possa conhecer nossos desejos e aspirações na voz da indígena Ysani Kalapalo, que transmitirá o real quadro do meio ambiente e das comunidades indígenas brasileiras. Portanto, Ysani Kalapalo goza de confiança e do prestígio das lideranças indígenas interessadas em desenvolvimento, empoderamento e protagonismo, estando apta para representar as etnias relacionadas anexas, que são 52'. Acabou o monopólio do senhor Raoni."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[606]
  • "Isso demonstra que os que nos atacam não estão preocupados com o ser humano índio, mas sim com as riquezas minerais e a biodiversidade existentes nessas áreas. A Organização das Nações Unidas teve papel fundamental na superação do colonialismo e não pode aceitar que essa mentalidade regresse a estas salas e corredores, sob qualquer pretexto."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Não podemos esquecer que o mundo necessita ser alimentado. A França e a Alemanha, por exemplo, usam mais de 50% de seus territórios para a agricultura, já o Brasil usa apenas 8% de terras para a produção de alimentos. 61% do nosso território é preservado! Nossa política é de tolerância zero para com a criminalidade, aí incluídos os crimes ambientais. Quero reafirmar minha posição de que qualquer iniciativa de ajuda ou apoio à preservação da Floresta Amazônica, ou de outros biomas, deve ser tratada em pleno respeito à soberania brasileira. Também rechaçamos as tentativas de instrumentalizar a questão ambiental ou a política indigenista, em prol de interesses políticos e econômicos externos, em especial os disfarçados de boas intenções. Estamos prontos para, em parcerias, e agregando valor, aproveitar de forma sustentável todo nosso potencial."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Há pouco, presidentes socialistas que me antecederam desviaram centenas de bilhões de dólares comprando parte da mídia e do parlamento, tudo por um projeto de poder absoluto. Foram julgados e punidos graças ao patriotismo, perseverança e coragem de um juiz que é símbolo no meu país, o Dr. Sergio Moro, nosso atual Ministro da Justiça e Segurança Pública. Esses presidentes também transferiram boa parte desses recursos para outros países, com a finalidade de promover e implementar projetos semelhantes em toda a região. Essa fonte de recursos secou. Esses mesmos governantes vinham aqui todos os anos e faziam descompromissados discursos com temas que nunca atenderam aos reais interesses do Brasil nem contribuíram para a estabilidade mundial. Mesmo assim, eram aplaudidos."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Em meu país, tínhamos que fazer algo a respeito dos quase 70 mil homicídios e dos incontáveis crimes violentos que, anualmente, massacravam a população brasileira. A vida é o mais básico dos direitos humanos. Nossos policiais militares eram o alvo preferencial do crime. Só em 2017, cerca de 400 policiais militares foram cruelmente assassinados. Isso está mudando. Medidas foram tomadas e conseguimos reduzir em mais de 20% o número de homicídios nos seis primeiros meses de meu governo. As apreensões de cocaína e outras drogas atingiram níveis recorde."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Hoje o Brasil está mais seguro e ainda mais hospitaleiro. Acabamos de estender a isenção de vistos para países como Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá, e estamos estudando adotar medidas similares para China e Índia, dentre outros. Com mais segurança e com essas facilidades, queremos que todos possam conhecer o Brasil, e em especial, a nossa Amazônia, com toda sua vastidão e beleza natural. Ela não está sendo devastada e nem consumida pelo fogo, como diz mentirosamente a mídia. Cada um de vocês pode comprovar o que estou falando agora. Não deixem de conhecer o Brasil, ele é muito diferente daquele estampado em muitos jornais e televisões!"
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Visitamos também um de nossos grandes parceiros no Cone Sul, a Argentina. Com o Presidente Mauricio Macri e nossos sócios do Uruguai e do Paraguai, afastamos do Mercosul a ideologia e conquistamos importantes vitórias comerciais, ao concluir negociações que já se arrastavam por décadas."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Durante as últimas décadas, nos deixamos seduzir, sem perceber, por sistemas ideológicos de pensamento que não buscavam a verdade, mas o poder absoluto. A ideologia se instalou no terreno da cultura, da educação e da mídia, dominando meios de comunicação, universidades e escolas. A ideologia invadiu nossos lares para investir contra a célula mater de qualquer sociedade saudável, a família. Tentam ainda destruir a inocência de nossas crianças, pervertendo até mesmo sua identidade mais básica e elementar, a biológica. O politicamente correto passou a dominar o debate público para expulsar a racionalidade e substituí-la pela manipulação, pela repetição de clichês e pelas palavras de ordem. A ideologia invadiu a própria alma humana para dela expulsar Deus e a dignidade com que Ele nos revestiu. E, com esses métodos, essa ideologia sempre deixou um rastro de morte, ignorância e miséria por onde passou. Sou prova viva disso. Fui covardemente esfaqueado por um militante de esquerda e só sobrevivi por um milagre de Deus. Mais uma vez agradeço a Deus pela minha vida. A ONU pode ajudar a derrotar o ambiente materialista e ideológico que compromete alguns princípios básicos da dignidade humana. Essa organização foi criada para promover a paz entre nações soberanas e o progresso social com liberdade, conforme o preâmbulo de sua Carta."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Nas questões do clima, da democracia, dos direitos humanos, da igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres, e em tantas outras, tudo o que precisamos é isto: contemplar a verdade, seguindo João 8,32: - 'E conheceis a verdade, e a verdade vos libertará'."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Não estamos aqui para apagar nacionalidades e soberanias em nome de um 'interesse global' abstrato. Esta não é a Organização do Interesse Global! É a Organização das Nações Unidas. Assim deve permanecer!"
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Com humildade e confiante no poder libertador da verdade, estejam certos de que poderão contar com este novo Brasil que aqui apresento aos senhores e senhoras. Agradeço a todos pela graça e glória de Deus! Meu muito obrigado."
- Trecho do discurso na Assembleia Geral da ONU em 24/09/2019.[604]
  • "Eu te amo."
- Originalmente em inglês, para Donald Trump, após a abertura da Assembleia Geral da ONU, em 24/09/2019.[607]
  • "Raoni fala outra língua, não fala a nossa língua. É uma pessoa que está com uma certa idade avançada, vamos respeitá-lo com cidadão. Mas ele não fala pelos índios. Cada tribo tem um cacique. Levei uma índia lá (para a Assembleia Geral), a Ysani Kalapalo, não existe mais o monopólio do Raoni."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 26/09/2019.[608]
  • "Queriam alguém lá que fosse para falar abobrinha, enxugar gelo e passar o pano? [Setores da mídia] foram para o esculacho. Não fui ofensivo com ninguém. Assisti ao que eu falei, seria muito mais cômodo eu fazer um discurso para ser aplaudido, mas não teria coragem de olhar para a cara de vocês aqui. Foi um discurso patriótico, diferente de outros presidentes que me antecederam, que iam lá para ser aplaudidos e nada além disso."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 26/09/2019, sobre o discurso na Assembleia Geral da ONU.[609]
  • "Só pelo bafo não vai ter emprego."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook na saída do Palácio da Alvorada em 27/09/2019, para um segurança, sobre um apoiador que implorava uma oportunidade de ser colaborador do governo na área do turismo.[610]
  • "Fala pra ela ler o livro A verdade sufocada aí. Só ler. Depois ela tira as conclusões. Lá são fatos, não é blá blá blá de esquerdista não."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/10/2019, para estudantes que pediam a Bolsonaro um abraço para uma professora que, segundo eles, seria "petista".[611]
  • "É direito dele ficar preso lá. Quer ficar, fica. Não vou interferir. Não vou tripudiar em cima dele. Foi julgado em segunda instância, terceira... O que o governo dele fez está patente."
- Na chegada ao Palácio da Alvorada em 30/09/2019, sobre carta escrita por Lula na qual diz não aceitar barganhar seus direitos, preferindo não sair da prisão.[612]
Outubro de 2019Editar
  • "Interesse na Amazônia não é no índio, nem na porra da árvore. É no minério."
- Para garimpeiros da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), no Palácio do Planalto, em 03/10/2019, sobre a oferta de ajuda por outros países para o combate aos incêndios na Amazônia.[613]
  • "O Raoni fala pela aldeia dele, fala como cidadão. Não fala por todos os índios, não. É outro que vive tomando champagne em outros países por aí, esse tal de Raoni aí."
- Para garimpeiros da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), no Palácio do Planalto, em 03/10/2019.[613]
  • "[...] vocês são brasileiros que não podem viver como pobre em cima de terra rica. [...] Esse Brasil é nosso. O Brasil é soberano sobre a Amazônia. Fiz um discurso na ONU de independência, mostrando que mudou o governo do Brasil. Não tem mais gente para ir lá, falar abobrinha, ser aplaudido e não resolver porra nenhuma. Vamos ter que buscar a solução para isso."
- Para garimpeiros da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), no Palácio do Planalto, em 03/10/2019.[613]
  • "[...] o ativismo em alguns órgãos da Justiça do MP, na política, buscar cada vez mais transformar auto de resistência em execução, é doloroso você ver um um policial chefe de família preso por causa disso. Muitas vezes, a gente vê que um policial militar que é mais conhecido ser alçado para uma função e vem a imprensa dizer: 'ele tem 20 autos de resistência'. Tinha quer ter 50. É sinal que ele trabalha, que ele faz sua parte e que não morreu."
- Em discurso durante solenidade de lançamento da campanha do Projeto Anticrime, no Palácio do Planalto em 03/10/2019, defendendo que policiais matem mais em serviço na condição de autos de resistência.[614]
  • "Bem, se é o que eu tô pensando, vou falar com o Moro. Se começar a denunciar policiais, a gente troca de município. Deixa Cariacica lá sem esse programa, que não é apenas a Força Nacional de Segurança, são outras medidas também do estado, da União. E vamos para outro município. [...] Se a questão da segurança tá muito bem em Cariacica, a gente muda de cidade. Eu, como chefe supremo das Forças Armadas, e o Sérgio Moro, que está fazendo um brilhante trabalho, não podemos expor nossos agentes de segurança ao disque-denúncia. [...] Na maioria das vezes, é mentira o Disque-Denúncia. Os bons policiais são denunciados exatamente pelo crime organizado, né, agindo dessa maneira para atrapalhar quem está fazendo o bem para aquela região. Então, pessoal de Cariacica, queremos o bem de vocês, pretendemos continuar o plano. Mas se tivermos uma avalanche de denúncias, em grande parte falsa, contra homens da Força de Segurança Nacional, eu vou sugerir ao Sergio Moro [que retire Cariacica do programa]."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 03/10/2019, sobre o uso do número de telefone da Ouvidoria da Prefeitura Municipal de Cariacica/ES para denúncias de eventuais abusos da Força Nacional, que havia passado a atuar no município pelo programa Em Frente, Brasil.[615][616]
  • "Garimpeiros não são bandidos [e] merecem toda a consideração. Eles querem garimpar e nós queremos legalizar o garimpo. [...] Se vocês verem o estrago que as mineradoras fazem nessa região, em especial as canadenses, você vai cair para trás. Agora, quando pegam um pobre garimpeiro que tem uma bateiazinha pra tirar ouro ou um jogo de peneira atrás de diamante, o mundo cai na cabeça deles."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 03/10/2019, propondo projeto para regularização do garimpo para "dar dignidade para ele (garimpeiro), que vai preservar o meio ambiente e não vai usar mercúrio".[616]
  • "Lamentavelmente, dois estados aí, São Paulo e Rio de Janeiro, não aderiram."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 03/10/2019, sobre a adesão aos modelos de escolas cívico-militares.[616]
  • "Sem comentários; sem comentários; sem comentários. Não tem coisas boas para perguntar? Ralo o dia todo e não tem uma coisa boa para perguntar?"
- Na chegada ao Palácio da Alvorada em 04/10/2019, ao ser perguntado por jornalistas sobre a denúncia pelo Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais contra o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, suspeito de articular candidaturas-laranja pelo PSL.[617]
  • "Tá com a sua mãe."
- Enquanto andava de moto perto do Palácio da Alvorada em 05/10/2019, para um ciclista que havia lhe perguntado "E o Queiroz", em referência ao ex-assessor do ex-deputado estadual e senador Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz[618].
  • "A gente não vai perseguir ninguém, mas o Brasil mudou. Com o dinheiro público não veremos mais certo tipo de obra por aí. Isso não é censura. Isso é preservar os valores cristãos, tratar com respeito a nossa juventude, reconhecer a família como uma unidade que tem que ser saudável para o bem de todos. Essa é nossa linha."
- Sobre mudanças na Funarte e na Ancine, em 05/10/2019, durante videoconferência no 3º Simpósio Nacional Conservador, realizado em Ribeirão Preto.[619]
  • "A Folha de S.Paulo avançou a todos os limites, transformou-se num panfleto ordinário às causas dos canalhas. Com mentiras, já habituais, conseguiram descer às profundezas do esgoto. [...] O que mais me surpreende são os patrocinadores que anunciam nesse nesse jornaleco chamado de Folha de S.Paulo."
- Em suas redes sociais, em 06/10/2019, no dia em que a Folha de S.Paulo publicou reportagem sobre o depoimento à Polícia Federal por Haissander Souza de Paula, coordenador de campanha do então candidato a deputado federal e ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, suspeito de articular candidaturas-laranja pelo PSL em Minas Gerais, e sobre uma planilha apreendida nas investigações que sugere a prática de caixa-dois que teria favorecido as campanhas de Bolsonaro e de Marcelo Álvaro Antônio.[620]
  • "Eu lamento a imprensa brasileira agir dessa maneira. O tempo todo mentindo, distorcendo, difamando. Vocês querem me derrubar? Eu tenho couro duro, vai ser difícil. Continuem mentindo. De novo hoje, capa do Correio Braziliense, que eu vou acabar com a estabilidade do servidor. Não dá para continuar com tanta patifaria por parte de vocês. Isso é covardia e patifaria. Nunca falei nesse assunto. Querem jogar o servidor contra mim. Como ontem a Folha de S.Paulo querendo me ligar ao problema de Minas Gerais. Um esgoto a Folha de S.Paulo."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 07/10/2019.[621]
  • "É segredo. Chico Buarque? Eu tenho prazo? Até 31 de dezembro de 2026 eu assino."
- Em 07/10/2019, sobre a assinatura do diploma do Prêmio Luís de Camões de 2019 a Chico Buarque, cuja cerimônia está prevista para 04/2020, mencionando o último dia de um eventual mandato presidencial se reeleito.[622]
  • "Esquece o PSL, tá ok? Esquece. Cara, não divulga isso não, cara. O cara tá queimado para caramba lá. Entendeu? E vai queimar o meu filme também. Esquece esse cara. Esquece o partido."
- Sobre seu próprio partido e seu presidente nacional, Luciano Bivar, a um apoiador que se apresentou como pré-candidato pelo partido para as eleições municipais de 2020 no Recife, durante transmissão ao vivo pelo canal no YouTube Cafezinho com Pimenta, na saída do Palácio da Alvorada em 08/10/2019.[623]
  • "[Não deixarei o PSL] de livre e espontânea vontade. [...] Comigo fora da legenda, a tendência do PSL é murchar. Se eu sair, é natural que muita gente saia também. Não integro a Executiva, só estou filiado ao partido, mais nada. Essas são as reclamações. Eu não quero esvaziar o partido. Quero que funcione. O PSL caiu do céu para muita gente, inclusive para o Bivar. O que faço é uma reclamação do bem. O partido tem que funcionar, tem que ter a verba distribuída, buscar solucionar os problemas nos diretórios. Todo partido tem problema. O presidente, o tesoureiro, eles têm que solucionar isso. O rapaz falou que era candidato a vereador. Se começar a vincular nome a partido, à minha imagem, pode ter problema de campanha antecipada. Ninguém tem que se antecipar como candidato, cria ciúmes. Quando falei que ele (Bivar) estava queimado, é que ele não está bem no estado dele."
- Em entrevista ao site O Antagonista, publicada em 09/10/2019.[624]
  • "Ah, o presidente falou em transparência. Eu falei, sim, em transparência. Então, vamos mostrar as contas e não ficar, como a gente vê notícias por aí, 'expulsa de lá', 'tira da comissão', 'vai retaliar'. O partido tem que fazer a coisa que tem que ser feita, normal. Não tem que esconder nada. Eu não quero tomar partido de ninguém. Agora, transparência faz parte, o dinheiro é público, R$ 8 milhões. [Não tenho] mágoa com ninguém. [Por ora] está tudo em paz. [...] Não defendo nada, não quero saber de nada. Eu só quero transparência."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 16/10/2019, sobre as contas do PSL.[625]
  • "Estamos com 26, falta uma assinatura para a gente tirar o líder, e colocar o outro. A gente acerta. Entrando o outro agora, dezembro tem eleições para o futuro líder. A maneira como tá, que poder tem na mão atualmente o presidente, o líder aí? O poder de indicar pessoas, de arranjar cargos no partido, promessa para fundo eleitoral por ocasião das eleições, é isso que os caras têm. Mas você sabe que o humor desses caras de uma hora para a outra muda Numa boa, porque é uma medida legal... Eu nunca fui favorável à lista não, sou favorável a eleição direta, mas no momento você não tem outra alternativa, só tem a lista. Aqui tem 25 (assinaturas), já falei com o (deputado General) Peternelli, vou ligar para outras pessoas. Até quem sabe que passe aí de uns números... Se fechar agora, já tem o suficiente."
- Articulando a coleta de assinaturas para que seu filho Eduardo Bolsonaro, deputado federal pelo PSL, passasse a ser o líder do partido na Câmara dos Deputados no lugar do deputado Delegado Waldir, em gravação com interlocutor desconhecido em 16/10/2019.[626]
  • "Eu falei com alguns parlamentares. Me gravaram? Deram uma de jornalista? Eu converso com deputados. Eu não trato publicamente desse assunto. Converso individualmente. Se alguém grampeou o telefone, primeiro, é uma desonestidade."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 17/10/2019, sobre os áudios divulgados no dia anterior.[627]
  • "Obviamente, isso o Eduardo vai ter de decidir nos próximos dias, talvez antes de eu voltar ao Brasil. No meu entender, [o mais estratégico] é ele ficar no Brasil, até para pacificar o partido e ver o que pode catar de caco, porque teve gente que foi para o excesso. É igual um casal, chega um ponto de um problema que não tem mais retorno por parte de alguns."
- Sobre a possibilidade de indicar seu filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos, em Tóquio, 22/10/2019 (horário local).[628]
  • "O problema do Chile nasceu em 1990, que ninguém dá valor para isso. Naquela época, as Farc fizeram parte, Fidel Castro, isso tudo. E qual o espírito dessa questão? Primeiro é bater contrário às politicas americanas, imperialistas, segundo eles. E depois são os países que se autoajudam para chegar ao poder."
- Em Tóquio, 22/10/2019, em referência ao fim da ditadura de Augusto Pinochet e a redemocratização do Chile.[629]
  • "Em um primeiro momento, há interesse deles, logicamente, né, de ter uma certa interferência, entre aspas, nessa questão. Agora, o mundo todo está equivocado do que é a Amazônia, do que ela representa, e não sabe que lá existem mais de 20 milhões de brasileiros na região."
- Ao ser perguntado por repórter da BBC News Brasil sobre se tinha conversado sobre a Amazônia com o príncipe Charles, herdeiro da coroa britânica, em Tóquio, 23/10/2019.[630]
  • "Nós nos preparamos. Ontem conversei com o ministro da Defesa sobre a possibilidade de termos movimentos como já tivemos no passado parecidos com o que estão acontecendo no Chile e como devemos nos preparar para isso. […] A gente se prepara para usar o artigo 142, que é para manutenção da lei e da ordem, caso [os militares] venham a ser convocados. Não podemos ser surpreendidos, temos que ter a capacidade de nos antecipar a problemas. A intenção deles [movimentos de esquerda] é atacarem os EUA e se autoajudarem para que seus partidos à esquerda tenha ascensão. Dinheiro nosso brasileiro, do BNDES, irrigou essa forma de fazer política. [...] estão mudando de nome agora, mas se engana quem acha que essas pessoas foram alijadas da vida pública pelas urnas"
- No Japão, em 23/10/2019, sobre a eventualidade de ocorrerem no Brasil protestos como os do Chile, que no momento contavam com quinze mortos.[631]
  • "Estou em um país capitalista."
- Sobre a China, questionado sobre a reação se seus apoiadores por estar em um país comunista, em Pequim, 24/10/2019.[632]
  • "Olha, pra mim isso [o vazamento] é um ato terrorista. Eu... esse Greenpeace só nos atrapalha. O que ele [Salles] falou, não pude conversar com ele pra entrar em detalhe, mas o Greenpeace só nos atrapalha, não nos ajuda em nada."
- Em Pequim, 25/10/2019 (hora local), sobre a sugestão do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de que o Greenpeace teria relação com o vazamento de óleo no litoral do Nordeste.[633][634]
  • "Sobre o Queiroz, alguém tem que ir atrás dele com o que ele falou. E outra, é um áudio bobo: tem fila na porta do Flávio. Se tivesse fila todo mundo saberia. Por que não tem uma ordem de prisão em cima dele? Simples. Mandado de busca e apreensão. Tá sendo feito o serviço. Não tenho nada a ver com esse caso. Ele é meu amigo desde 1985, meu soldado, mas desde desse problema não falo mais com ele. Ele que se explique, se ele é inocente ou culpado, eu não sei. Se for verdadeiro o áudio, ele conversou com o amigo dele e o amigo dele deu uma de amigo da onça, gravou e passou para a frente."
- Em Pequim, 25/10/2019 (hora local), sobre áudio de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, no qual é mencionada a existência de uma fila de negociação de cargos no Congresso no gabinete de Flávio no Senado.[635][636]
  • "Quem ficar com a gente vai ter cargos no governo."
- Em áudio transcrito pela revista IstoÉ na edição de 25/10/2019, no contexto da articulação para que Eduardo Bolsonaro se tornasse líder do PSL na Câmara dos Deputados.[637]
  • "O Brasil foi esquecido nessa área desde o governo Fernando Henrique Cardoso. Por quê? Voltando agora à ideologia, nós somos o grande obstáculo para o socialismo, nós das Forças Armadas. Por isso interessava quebrar nossa espinha dorsal. Ninguém quer um Brasil extremamente belicoso, mas precisamos ter um mínimo de poder de dissuasão."
- Em Abu Dhabi, 26/10/2019.[638]
  • "Obviamente, minha fisionomia demonstrava satisfação. Sabia, mesmo sem entender o que estava sendo falado, que era boa coisa a respeito do Brasil."
- Em Abu Dhabi, 27/10/2019, em evento com empresários no qual não havia tradutor de árabe para português.[639]
  • "[O Brasil] evoluiu 15 degraus na facilidade de fazer negócios."
- Sobre ranking do Banco Mundial que fora divulgado recentemente e que, pelo contrário, indicara para o Brasil uma queda de 15 posições, em Abu Dhabi, 27/10/2019, em evento com empresários.[639]
  • "Chile, Argentina, Bolívia, Peru, Equador ..... Mais que a vida, a nossa LIBERDADE. Brasil acima de tudo! Deus acima de todos!"
- Sobre protestos no Chile, Peru e Equador e os resultados das eleições na Argentina e na Bolívia, em tweet de 28/10/2019 acompanhado de vídeo no qual um leão identificado como "Presidente Bolsonaro" é acossado por hienas identificadas como PT, Folha de S.Paulo, Veja, PC do B, Isentão, Feminismo, STF, Globo, ONU, PSL, Estadão, OAB, Greenpeace, PSOL, PSDB, MST, Jovem Pan, Via Sensata, CUT, MBL, Lei Rouanet, Força Sindical, PDT e CNBB.[640] No mesmo vídeo, outro leão aparece identificado como “conservador patriota” e são exibidas as frases: “Vamos apoiar o nosso presidente até o fim e não atacá-lo”. “Já tem a oposição pra fazer isso!”.[641]
  • "Lamento. Eu não tenho bola de cristal, mas eu acho que a Argentina escolheu mal. Não pretendo parabenizá-lo. Agora, não vamos nos indispor. Vamos esperar o tempo para ver qual é a posição real dele na política, porque ele vai assumir, vai tomar pé do que está acontecendo e vamos ver qual linha que ele vai adotar. Agora, o povo botou no poder quem colocou a Argentina no buraco lá atrás."
- Em Abu Dhabi, 28/10/2019, sobre a eleição de Alberto Fernández como presidente da Argentina.[642]
  • "Não digo que sairemos do Mercosul, mas poderemos juntar com o Paraguai. Não sei o que vai o que vai acontecer com o Uruguai, vamos ver o que vai ser nas eleições do Uruguai, e decidimos se a Argentina fere alguma cláusula do acordo ou não. Se ferir, nós podemos afastar a Argentina. A gente espera que nada disso seja necessário. Espero que a Argentina não queira, na questão comercial, mudar o seu rumo."
- Em Abu Dhabi, 28/10/2019, sobre a eleição de Alberto Fernández como presidente da Argentina.[642]
  • "Eu não teria dificuldade em criar um partido nesse sentido. Mas gostaria que fosse pacificado tudo (com o PSL). Por enquanto eu não pretendo (sair do partido). Mas todas as possibilidades estão na mesa. Como senador pode ficar sem partido, prefeito, governador... E eu também posso. Por enquanto, não pretendo, mas eu nunca saltei de paraquedas sem um paraquedas reserva. Então, essa possibilidade sempre vai existir. Agora, o ideal numa situação dessa, se porventura não chegar a um acordo, é um novo partido."
- Em Abu Dhabi, 28/10/2019, sobre a possibilidade de criar o Partido da Defesa Nacional.[643][642]
  • "Chegando no Brasil, vamos apresentar o projeto para revogar o decreto que demarcou a Estação Ecológica de Tamoios. Se for aprovado, tem muito recurso de fora para fazer da baía de Angra uma Cancún brasileira."
- Em Abu Dhabi, 28/10/2019.[644]
  • "Sempre damos boas-vindas a todos do mundo árabe. Temos mais de 5 milhões de pessoas de ascendência árabe no nosso país; o Brasil também pode ser considerado um país árabe."
- Em Abu Dhabi, 28/10/2019.[645]
  • "Tem empresa que vai renovar seu contrato brevemente, eu não vou perseguir ninguém. Quem estiver devendo, vai ter dificuldade. Então os órgãos de imprensa jogam pesado para ver se me tiram de combate para facilitar sua vida. [...] o pessoal quer pegar fantasma e rachadinha o tempo todo. Ela desde 2002 estava no mesmo endereço. Não é fantasma. Sempre morou desde 2002, a casa é minha, está em meu nome. Ela mora embaixo e em cima era um escritório, um fundo de quintal, por assim dizer.
- Em Abu Dhabi, 28/10/2019, sobre Cileide Barbosa Mendes, ex-funcionária-fantasma do gabinete do vereador Carlos Bolsonaro, enquanto sugere não renovar a concessão de transmissão da Rede Globo.[646]
  • "Pretendo dialogar, sim [com Fernández], não vamos fechar as portas. Agora, estamos preocupados e receosos, tendo em vista até o gesto que ele fez de Lula Livre. Temos a informação de que muita gente do PT estaria lá na Argentina para comemorar com o ele o que seria a vitória dele. [O Lula Livre é] um afronto [sic] à democracia brasileira, ao sistema judiciário brasileiro. Ele [Fernández] está afrontando o Brasil de graça, no meu entender. Estamos aguardando seus passos para, talvez, no futuro tomarmos alguma decisão em defesa do Brasil.
- No Catar, em 28/10/2019, sobre a eleição de Alberto Fernández como presidente da Argentina.[642]
  • "Que maravilha. Vocês estão mais bonitas assim, sabiam?"
- Para jornalistas brasileiras que tiveram que usar véu islâmico em Riade, 28/10/2019.[647]
  • "Devemos sempre nos preparar para o pior para poder reagir com serenidade e objetividade. O que poderia acontecer é algo semelhante ao que acontece no Chile. Está um pouco descartado desta forma, mas existe toda e qualquer preocupação."
- Em Riade, 28/10/2019, sobre os protestos no Chile.[648]
  • "Boa sorte para ela. É fácil!"
- Em Riade, 28/10/2019, sobre a possibilidade de Joice Hasselmann, colega de partido e ex-líder do governo na Câmara, candidatar-se a presidente em 2022.[643]
  • "Temos uma reunião de negócios hoje à tarde. Todo mundo gostaria de passar uma tarde com um príncipe. Especialmente vocês mulheres, né? Tenho uma certa afinidade com o príncipe. Em especial depois do encontro em Osaka."
- Para jornalistas brasileiras em Riade, 29/10/2019, sobre Mohammad bin Salman, príncipe-herdeiro da Arábia Saudita.[649]
  • "Me desculpo publicamente ao STF, a quem por ventura ficou ofendido. Foi uma injustiça, sim, corrigimos e vamos publicar uma matéria que leva para esse lado das desculpas. Erramos e haverá retratação. O vídeo não é meu, esse vídeo apareceu, foi dada uma olhada e ninguém percebeu com atenção que tinham alguns símbolos que apareciam por frações de segundos. Depois, percebemos que estávamos sendo injustos, retiramos e falei que o foco (nas redes sociais) são as nossas viagens. Não se pode culpar o Carlos [Bolsonaro]. A responsabilidade final é minha. O Carlos foi um dos grandes responsáveis pela minha eleição e é comum qualquer coisa errada em mídias sociais culpá-lo diretamente. A responsabilidade é minha, tem mais gente que tem a senha e não sei por que passou despercebido essa matéria aí."
- Em Riade, 29/10/2019, sobre vídeo publicado em seu Twitter no dia anterior no qual STF, PSL, PT, PSOL, CNBB e veículos de imprensa são comparados a hienas que ameaçam um leão identificado como Bolsonaro.[650]
  • "Fui surpreendido com uma matéria sobre o depoimento de um porteiro onde um dos suspeitos de matar Marielle teria se apresentado na portaria, ligado na minha casa e o porteiro reconheceu como se fosse uma voz minha e autorizou a entrada no condomínio. Ou o porteiro mentiu, ou o induziram a cometer um falso testemunho, ou escreveram algo no inquérito que o porteiro não entendeu."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local), sobre reportagem do Jornal Nacional, da Rede Globo.[651]
  • "O porteiro ligou para a minha casa na quarta-feira, ou teria ligado, né, 17h10, e falou com um homem com voz parecida com a minha. Raramente a minha esposa recebe parente ou amigo na nossa casa quando eu estou fora."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[652]
  • " A intenção é sempre a mesma, o tempo todo ficam em cima de mim, da minha vida, dos meus filhos, de quem está próximo de mim."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[653]
  • "Tiveram acesso ao processo, constroem uma narrativa e me colocam como um dos suspeitos de ter participado do assassinato da Marielle Franco."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[651]
  • "A Globo diz que minha digital estava em Brasilia, não nega, mas sempre deixa a suspeita no outro lado da ponta. Globo, vocês não prestam, vocês esculhambam minha família 24 horas por dia. É uma canalhice que vocês fazem. [...] Vocês são canalhas, patifes. Não são patriotas."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[654]
  • "Qual é a intenção da Globo fazer isso ai? Nós estamos vendo problemas ocorrendo na América do Sul. Argentina, Chile, Venezuela, Bolívia, Peru... Será que a Globo quer criar uma narrativa, ou que o povo deveria ir à rua para pedir meu afastamento? É o tempo todo isso. Por que, TV Globo? Por que, revista Época? Essa patifaria por parte de vocês. Deixe eu governar o Brasil. Vocês perderam. Vocês vão renovar a concessão em 2022, e o processo está limpo. Vocês estão apostando em me derrubar no primeiro ano. Eu estou fazendo uma viagem de 10 dias (pela Ásia). E vocês, TV Globo, o tempo todo infernizam minha vida. Onde vocês querem chegar, eu sei. Essa patifaria, 24 horas?"
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[655]
  • "Agora querem empurrar pra cima de mim, me vincular à morte da Marielle, eu nem conhecia essa vereadora, soube que ela existia no dia que foi executada."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[653]
  • "Qual é a tentativa? Desgastar o governo federal? Não é que não vão me pegar, não tem o que pegar, daí inventaram essa patifaria para conseguir através de farsas uma possível condenação de um filho meu."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[653]
  • "O senhor só se elegeu governador porque ficou o tempo todo colado com o Flávio Bolsonaro, meu filho. Ao chegar à presidência (sic), a primeira coisa que o senhor fez foi se tornar inimigo dele, para concorrer à presidência em 2022. Esse inquérito do caso Mariella (sic) deixa claro que tem algo muito errado no caso desse processo. Eu gostaria muito de falar nesse processo, conversar com o delegado desse assunto, para colocar em pratos limpos o que está acontecendo com o meu nome."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local), referindo-se a Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro.[655]
  • "Pelo que tudo indica, esse processo está ‘bichado'."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[653]
  • "Então, no meu entendimento, o senhor Witzel estava conduzindo o processo com delegado da polícia civil para tentar me incriminar ou pelo menos manchar meu nome com essa falsa acusação que poderia estar envolvido na morte da senhora Marielle."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[656]
  • "Segundo a Veja, está publicado aqui, quem vazou esse processo para a Globo foi o seu governador Witzel."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local), atribuindo informação incorreta à revista Veja, que, na verdade, tinha apenas noticiado que Witzel tinha tido acesso a provas da investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[657]
  • "Não devo nada a ninguém. Não tinha motivo nenhum para matar quem quer que seja no Rio de Janeiro."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[652]
  • "Quero também saber quem mandou matar Jair Bolsonaro."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local).[658]
  • "Teve aquele caso que alguém tentou entrar com o nome dele na Câmara. O álibi perfeito."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em Riade, 30/10/2019 (horário local), sobre o registro de presença de Adélio Bispo de Oliveira na Câmara dos Deputados após Bolsonaro ter sido esfaqueado por ele, sendo que tal registro foi feito por engano enquanto se investigava a presença de Adélio na casa legislativa.[657]
  • "CANALHAS!"
- Em tweet de 29/10/2019 (horário de Brasília), acompanhado de uma montagem da marca da Rede Globo num cano de esgoto.[654]
  • "Deixar bem claro também: dia 9 de outubro, às 21h, eu estava no Clube Naval no Rio de Janeiro. Chegou o governador Witzel e chegou perto de mim e falou o seguinte: 'o processo está no Supremo'. Eu falei: 'que processo?' 'O processo da Marielle.' 'Que que eu tenho a ver com a Marielle?' 'O porteiro citou teu nome.' Quer dizer: Witzel sabia do processo que estava em segredo de Justiça. Comentou comigo. Vem de encontro aqui o que fala o Robson Bonin, do Radar da 'Veja'. No meu entendimento, o senhor Witzel estava conduzindo o processo com o delegado da Polícia Civil pra tentar me incriminar ou pelo menos manchar o meu nome com essa falsa acusação, que eu poderia estar envolvido na morte da senhora Marielle."
- Em Riade, 30/10/2019.[659]
  • "Tem o registro, sim, para casa outra. Agora, nos surpreende a qualquer um a Polícia Civil, o delegado que tá fazendo o inquérito, ignorar isso e inventar um depoimento, no meu entender por ordem e determinação do senhor governador Witzel para tentar me prejudicar."
- Em Riade, 30/10/2019.[660]
  • "No meu entender, é uso político por parte do governador Witzel que agiu, no meu entender, criminosamente. Não só conduzindo para onde queria o inquérito, bem como tendo acesso a um processo que tramitava em segredo de Justiça. No meu entender, um ato criminoso do governador do Rio de Janeiro que tem ambições políticas. Mas como não tem competência para aparecer no Brasil, acaba atacando o atual presidente da República."
- Em Riade, 30/10/2019.[660]
  • "Pode o delegado ter feito... tomado a termo... escrito o que bem entendeu ali, e o porteiro, uma pessoa humilde, né, acabou assinando embaixo. Isso pode ter acontecido. Estou conversando com o ministro da Justiça o que pode ser feito pra gente tomar, via Polícia Federal, o depoimento novamente... O depoimento agora desse porteiro pela PF, pra esclarecer de vez esse fato, de modo que esse fantasma, né, que querem colocar no colo como possível mentor da morte da Marielle seja enterrado de vez."
- Em Riade, 30/10/2019.[659]
  • "Aguardo a TV Globo me convidar para o horário nobre do Jornal Nacional falar sobre o caso Marielle no conjunto onde eu moro. Se é que alguém tem caráter na cúpula da Globo. Divulgar uma matéria mentirosa para atrapalhar o Brasil aqui [na Arábia Saudita]. Acabou a mamata da TV Globo."
- Em Riade, 30/10/2019.[656][661]
  • "Isso foi numa quarta-feira, há 3 ou 4 semanas, no Clube Naval, por volta das 21h. De repente ele chegou, se surpreendeu comigo. Ele achava que eu sabia da patifaria que estava acontecendo e foi conversar comigo no canto. 'Teve um problema, citaram seu nome (no caso Marielle), a história está assim, nós já enviamos ao processo (ao STF)'. Nós quem? Nós quem, cara-pálida, é atribuição de quem?"
- Durante entrevista à Band News em Riade, 30/10/2019, após ter dito que Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, teria conversado com Bolsonaro em 09/10/2019.[662]
  • "Uma história sem pé nem cabeça, e pensei que poderia sair algo durante a viagem."
- Durante entrevista à Band News em Riade, 30/10/2019, sobre a menção a seu nome na investigação do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes em depoimento do porteiro do condomínio onde moravam Bolsonaro e Ronnie Lessa, suspeito de ser um dos assassinos.[662]
  • "[Sinto-me] quase irmão.
- Em Riade, 30/10/2019, sobre Mohammad bin Salman, príncipe-herdeiro da Arábia Saudita.[663]
  • "Há poucas semanas o Brasil foi duramente atacado por um chefe de Estado europeu sobre as questões da Amazônia. Problemas que acontecem anos após anos, que é da cultura por parte do povo nativo queimar e depois derrubar parte de sua propriedade para o plantio para sobrevivência. Mas foi potencializado por mim exatamente porque não me identifiquei com políticas anteriores adotadas no tocante à Amazônia. A Amazônia é nossa. A Amazônia é do Brasil. Às vezes, alguns países usam a agenda de direitos humanos para atacar ou tentar interferir na política de outro país e, por vezes, usam a política ambiental."
- Em Riade, 30/10/2019, referindo-se a Emmanuel Macron, presidente da França.[664]
  • "A Amazônia não está pegando fogo até porque a floresta é úmida, não tem como pegar fogo. Me acusaram lá atrás de ser desmatador, depois de ser incendiário. Agora, um derramamento de óleo criminoso na costa do Brasil que tem poluído algumas praias do nosso país."
- Em Riade, 30/10/2019.[664]
  • "Dica: primeiro, respeitar papai e mamãe, professor na sala de aula e estudar. Não queiram ficar dependente do estado a vida toda."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 31/10/2019, para um grupo de estudantes.[665]
  • "Não existe. AI-5 no passado, existia outra Constituição, não existe mais. Esquece. Vai acabar a entrevista aqui. Cobrem dele (Eduardo). Quem quer que seja que fale em AI-5 tá falando... tá sonhando. Tá sonhando! Tá sonhando! Não quero nem ver notícia nesse sentido aí. Olha, cobre você dele. Ele é independente. Tem 35 anos se eu não me engano. Mas tudo bem. Lamento... Se ele falou isso, que eu não tô sabendo, lamento, lamento muito."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 31/10/2019, sobre fala do filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro de que poderia haver um novo AI-5.[665]
  • "Não queremos falar em autoritarismo da nossa parte. Ele foi o deputado mais votado da história do Brasil. Eu falei: 'se for o caso, se desculpa'. Ele falou que sem problema nenhum. Mas a gente fica chateado que qualquer palavra nossa, em um contexto qualquer, vira um tsunami. A gente lamenta. Eu falo sobre isso aí com meus filhos, me policio muito no tocante a isso. (...) A gente lamenta essa notícia, em parte distorcida, mas meu filho está pronto para se desculpar, tendo em vista ter sido mal interpretado. Eu conversei agora com o Eduardo. O que ele explica: ele fala que o que está acontecendo no Chile não pode acontecer no Brasil. Num contexto dos anos 60, o Brasil viveu momentos difíceis aqui, e o AI-5 foi quase uma imposição. Mas ele fala que essa arma não existe e nem queremos."
- Em entrevista a José Luiz Datena no programa Brasil Urgente em 31/10/2019, sobre fala do filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro de que poderia haver um novo AI-5.[666]
  • "Determinei que todo o governo federal rescinda e cancele a assinatura da Folha de S.Paulo. A ordem que eu dei [é que] nenhum órgão do meu governo vai receber o jornal Folha de S.Paulo aqui em Brasília. Está determinado. É o que eu posso fazer, mais nada além disso. Espero que não me acusem de censura. Está certo? Quem quiser comprar a Folha de S.Paulo, ninguém vai ser punido, o assessor dele vai lá na banca e compra lá e se divirta. Eu não quero mais saber da Folha de S.Paulo, que envenena o meu governo a leitura da Folha de S.Paulo. Não é uma forma de censura, nada. Recebi a Folha uma questão de uns 45, 50 dias atrás. Conversei com eles numa boa e, no dia seguinte, foi um festival de desinformação. Eu até fui criticado por assessores meus, e com razão. Por que falou com a Folha? Eu fui tentar dar uma chance pra eles. Não saiu nada do que eu falei. Só saiu desinformação. E algumas palavras que eu usei ali e falei: 'Isso aqui é palavrão, segura a onda, escorreguei'. Saiu palavrão [na entrevista], saiu tudo lá. Não dá pra gente confiar, por exemplo, na Folha de S.Paulo."
- Em entrevista a José Luiz Datena no programa Brasil Urgente em 31/10/2019.[667]
  • "O governador sabia que ia vazar e estava comemorando. Quando meu avião decolou no sábado pra China, com quatro parlamentares e os ministros, juntei e contei o que ia acontecer. Porque ele botou na cabeça que quer ser presidente da República, o que ele botou na cabeça? Que tem de me destruir. Aquela narrativa de sempre de miliciano, miliciano. Ele potencializa processos contra minha família. Não deu certo, Witzel. Você perdeu, foi vaiado com gritos de traidor. É poder pelo poder, se acha o gostosão, saltou lá de helicóptero para parabenizar o sniper."
- Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 31/10/2019.[668]
Novembro de 2019Editar
  • "Estamos aí na indústria 4G [sic] e para formar um elemento lá na ponta da linha é difícil."
- Em Brasília, 01/11/2019, sobre a indústria 4.0, em cerimônia pelos 300 dias de governo.[669]
  • "Eu tenho ascendência, porque os diretores, o presidente [de órgãos ambientais] têm mandato, porque, se não tivessem, eu cortava a cabeça mesmo. Quem quer atrapalhar o progresso vai atrapalhar na ponta da praia, aqui não."
- Em 01/11/2019, referindo-se à base da Marinha na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, onde presos por agentes da ditadura militar eram executados, ao comentar sobre a dificuldade de obtenção de licenciamento ambiental por Luciano Hang, dono das lojas Havan.[670]
  • "Sou menina bonita sem namorado. Fico muito feliz em ter vários convites."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 02/11/2019, sobre a possibilidade de se filiar ao Partido Militar Brasileiro, que estava em formação.[671]
  • "Não, eu comprei a moto para andar de barco, viu?"
- Em 02/11/2019, numa concessionária de motos, para repórter da Folha que havia perguntado se voltaria ao Palácio da Alvorada pilotando a moto que ele comprara.[672]
  • "Vamos respeitar a Constituição. Os senadores e deputados são invioláveis, civil e penalmente, por quaisquer de suas palavras, opiniões e vozes. Agora, não existe AI-5. Na Constituição anterior existia, hoje não existe. Punição, só se for perseguição política. Não acredito que isso aconteça, porque abre brecha para punir qualquer parlamentar por suas opiniões. [...] No lugar dele eu diria, nós deveríamos mudar a lei que trata do terrorismo, tramitando na Câmara... esses atos de incendiar de metrô, ônibus, prédio, tem que ser enquadrados como se terrorismo fossem. Você tem de estar sempre se preparando. Como chefe do Executivo, não posso estar em berço esplêndido e ser surpreendido por qualquer coisa. [Manifestações] são bem-vindas, mas não o padrão do Chile."
- Em 02/11/2019, sobre fala do filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro de que poderia haver um novo AI-5.[673]
  • "Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano. A voz não é a minha."
- Para jornalistas em Brasília, 02/11/2019, enquanto buscava uma motocicleta comprada numa concessionária, sobre as gravações da portaria de seu condomínio, onde também morava Ronnie Lessa, um dos suspeitos dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[674]
  • "Agora, também falam que estou obstruindo a Justiça. Que obstrução? Apenas eu falei com meu filho, ele foi na portaria, como qualquer um dos 150 moradores do condomínio podem fazer. Colocou a data 14 de março do ano passado, entrou nas ligações da minha casa e para a casa dele, ele botou o áudio e filmou esse áudio. Nada além disso."
- Na edição de 03/11/2019 do programa Domingo Espetacular, sobre as gravações da portaria de seu condomínio, onde também morava Ronnie Lessa, um dos suspeitos dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[675]
  • "O que eu fiz foi filmar a secretária eletrônica com a respectiva voz de quem atendeu o telefone. Só isso, mais nada. Não peguei, não fiz backup, não fiz nada. A memória da secretária eletrônica está com a Polícia Civil há muito tempo. Ninguém quer adulterar nada. [...] Caso Marielle, quero resolver também. Querer botar no meu colo, é no mínimo má fé e falta de caráter."
- No estádio Bezerrão, no Gama/DF, 03/11/2019, sobre as gravações da portaria de seu condomínio, onde também morava Ronnie Lessa, um dos suspeitos dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[675]
  • "Não deseje a minha cadeira, ela é de kriptonita."
- No Senado, em 05/11/2019, para Davi Alcolumbre, presidente da casa.[676]
  • "Eu, na Câmara, respondi a uns 30 processos de cassação. Espero que meu filho Eduardo não entre nessa linha minha. Mas em todas as ocasiões a Câmara respeitou o sagrado direito de opinião, seja ela qual for."
- Durante cerimônia em comemoração aos 300 dias de governo, em 05/11/2019, sobre fala do filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro de que poderia haver um novo AI-5.[677]
  • "Lamento uma grande imprensa do Brasil querer colocar no meu colo a execução de uma vereadora. Não é uma imprensa que colabore com o Brasil. Não satisfeita diz agora que tem um segundo porteiro. O meu dedo no painel de presença."
- Durante cerimônia em comemoração aos 300 dias de governo, em 05/11/2019, sobre as gravações da portaria de seu condomínio, onde também morava Ronnie Lessa, um dos suspeitos dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[677]
  • "MWM, fábrica de motores americanos, A Honda, gigante de automóveis e a L'Óreal, anunciaram o fechamento de suas fábricas na Argentina e instalação no Brasil. A nova confiabilidade do investidor vem para gerar mais empregos e mais empregos e maior giro econômico em nosso país."
- Em tweet de 06/11/2019, sobre empresas que desmentiram a instalação de fábricas no Brasil.[678]
  • "Está na mão de um tal de Roberto Alvim. Porteira fechada para ele. A classe artística deve ficar feliz aí, Lei Rouanet, vem muita coisa boa por aí."
- Em 07/11/2019, quando da nomeação do dramaturgo Roberto Alvim para a Secretaria Especial de Cultura, ao ser perguntado sobre quem comandaria a Fundação Nacional de Arte (Funarte).[679]

Década de 2020Editar

2020Editar

Janeiro de 2020Editar
  • "Pelo que parece, tem uma família na região lá onde o vírus está atuando. Não seria oportuno retirar de lá, com todo respeito. Pelo contrário. Não vamos colocar em risco nós aqui por uma família apenas. A gente espera que os dados da China sejam reais. [Que seja] só isso de pessoas contaminadas. Se bem que é bastante. Mas a gente sabe que esses países são mais fechados no tocante a informações."
- Em 28/01/2020, sobre uma família de brasileiros em isolamento nas Filipinas após viagem de Wuhan, cidade chinesa onde se originou o surto de um novo coronavírus.[680]
  • "A OMS está dando em um grau máximo a questão da possibilidade desse vírus se espalhar pelo mundo. Isso já aconteceu na questão do H1N1 e outros momentos da história. Temos que ficar preocupados. Vou agora de manhã atrás do Mandetta para tomar pé de fato do que está acontecendo até o momento."
- Em 28/01/2020, sobre o surto de um novo coronavírus.[680]
Março de 2020Editar
  • "Ainda que o problema possa se agravar, não há motivo para pânico. Seguir rigorosamente as recomendações dos especialistas é a melhor medida de prevenção."
- Em pronunciamento em rede nacional sobre a epidemia de COVID-19, em 06/03/2020.[681]
  • "Tem a questão do coronavírus também que, no meu entender, está superdimensionado o poder destruidor desse vírus, então talvez esteja sendo potencializado até por questão econômica. Mas não é que o Brasil vai dar certo, já deu certo."
- Durante evento com apoiadores em Miami, 09/03/2020.[682]
  • "Minha campanha, eu acredito que, pelas provas que tenho em minhas mãos, que vou mostrar brevemente, eu tinha sido, eu fui eleito no primeiro turno, mas, no meu entender, teve fraude. E nós temos não apenas palavra, nós temos comprovado, brevemente eu quero mostrar. Nós precisamos aprovar no Brasil um sistema seguro de apuração de votos. Caso contrário, (é) passível de manipulação e de fraudes. Então, eu acredito até que eu tive muito mais votos no segundo turno do que se poderia esperar, e ficaria bastante complicado uma fraude naquele momento."
- Durante evento com apoiadores em Miami, 09/03/2020.[682]
  • "Durante o ano que se passou, obviamente, temos um momento, uma crise, uma pequena crise. No meu entender, muito mais fantasia, a questão do coronavírus, que não é isso tudo que a grande mídia propala ou propaga pelo mundo todo."
Durante a Conferência Internacional em Miami, em 10/03/2020.[683]
  • "Vou ligar para o Mandetta agora a pouco. O que eu acho, eu não sou médico, eu não sou infectologista, o que eu vi até o momento, outras gripes mataram mais do que essa."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 11/03/2020.[684]
  • "Muitos pegarão isso independente dos cuidados que tomem. Isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde. Devemos respeitar, tomar as medidas sanitárias cabíveis, mas não podemos entrar numa neurose, como se fosse o fim do mundo."
- Em entrevista à CNN Brasil em 15/03/2020.[685]
  • "Eu gostaria que eles saíssem às ruas como eu. A resposta é esta. Nós, políticos, temos responsabilidade e devemos ser quase que escravos da vontade popular. Saiam às ruas, esses dois parlamentares. Respeito os dois, não tenho nenhum problema com eles. Estão fazendo as suas críticas, estou tranquilo no tocante a isso. Espero que eles não queiram partir para algo belicoso depois destas minhas palavras aqui. Agora, prezado Davi Alcolumbre, prezado Rodrigo Maia, querem sair às ruas? Saim às ruas e vejam como vocês são recebidos.
- Em entrevista à CNN Brasil em 15/03/2020, respectivamente sobre os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, no mesmo dia em que Bolsonaro esteve com apoiadores numa manifestação.[685]
  • "Em 2009, 2010, teve crise semelhante, mas, aqui no Brasil, era o PT que estava no poder e, nos Estados Unidos, eram os Democratas, e a reação não foi nem sequer perto do que está acontecendo no mundo todo."
- Em entrevista à CNN Brasil em 15/03/2020.[685]
  • "Que vai ter problema, vai ter (...) mas não é tudo isso o que dizem."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 16/03/2020, sobre a pandemia de COVID-19.[686]
  • "Existe o perigo, mas está havendo um superdimensionamento nesta questão. Nós não podemos parar a economia. E eu tenho que dar o exemplo em todos os momentos. E fui realmente, apertei a mão de muita gente em frente ao Palácio, aqui na Presidência da República, para demonstrar que estou com o povo. O povo foi nas ruas, você tem que respeitar a vontade popular. Mesmo que o povo erre, você tem que respeitar a vontade popular. Isso é democracia."
- Em entrevista a José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes, em 16/03/2020.[687]
  • "Eu não vou viver preso dentro lá do Palácio da Alvorada esperando mais cinco dias, com problemas grandes para serem resolvidos no Brasil. Essa é minha posição. Agora, se eu resolvi apertar a mão do povo, desculpe aqui, eu não convoquei o povo para ir às ruas, isso é um direito meu. Afinal de contar, eu vim do povo. Eu venho do povo brasileiro."
- Em entrevista a José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes, em 16/03/2020, sobre não estar em quarentena após ter tido contato presencial com o secretário especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten, então diagnosticado com o coronavírus SARS-CoV-2.[687]
  • "Esse vírus trouxe uma certa histeria. Tem alguns governadores, no meu entender, posso até estar errado, que estão tomando medidas que vão prejudicar e muito a nossa economia. A vida continua, não tem que ter histeria. [...] Geralmente ele [SARS-CoV-2] ataca quem tem mais idade ou quem tem algum tipo de problema de saúde, aí passa a ser grave. Não é só o coronavírus que passa ser grave, qualquer outra pessoa, qualquer gripe, qualquer infecção."
- Em entrevista à Super Rádio Tupi em 17/03/2020.[688]
  • "Eu não posso como chefe de estado sair gritando por aí 'vai morrer todo mundo, não tem jeito', né. Não podemos entrar nessa situação. O pânico piora a situação do Brasil. Tenho que falar a verdade e transmitir tranquilidade ao povo brasileiro. Tem certos governadores que estão tomando medidas extremas. Não compete a eles fechar aeroporto, fechar rodovias. Não compete a eles fechar shopping, feiras dos Nordestinos no Rio de Janeiro. O comércio para, o pessoal não tem o que comer. O vírus, em alguns casos, mata, sim. Mas muito mortos serão sem comida. A pessoa com uma alimentação deficitária é mais propensa, ao pegar o vírus, complicar sua situação sanitária, levando até a óbito. Então, o remédio tem que ser proporcional. Senão, mata. Se qualquer um tomar remédio demais vira veneno. Precisamos todos nos unirmos. Todos, sem exceção."
- Na saída do Palácio da Alvorada, em 20/03/2020.[689][690]
  • "Olha só. Eles vão querer jogar a responsabilidade em cima de mim. A economia está parando. Estão tomando medidas, a meu ver, exageradas. Fechar aeroporto no Rio de Janeiro. Não compete a ele, meu Deus do céu. A Anac está à disposição de todo mundo para conversar. Eu vi ontem o decreto do governador do Rio que, confesso, fiquei preocupado. Parece que o Rio de Janeiro é outro país. Não é outro país. É uma federação. Temos que tomar medidas equilibradas. E cada vez mais levam pânico. Se acompanharem o que está acontecendo com os mais pobres, daqui a pouco vamos ter problemas de saques. Problemas outros vão aparecer no Brasil. Temos que buscar evitar isso. Dar uma esperança. Nosso trabalho é evitar que aquela curva seja muito acentuada."
- Na saída do Palácio da Alvorada, em 20/03/2020."[689]
  • "Não é hora de disputa política, de fazer grupo para lá, para cá. Me acusar de tudo que acontece. O que cabe a mim, estou fazendo com meus ministros. Alguns acham que tem que ter impeachment. Pra que? Vai manter os ministros ou vai por ministros como era antigamente no Executivo? [...] Não podemos, e vocês estão levando para o lado como se eu não estivesse preocupado, levar para o extremismo. Pessoal da informalidade pode ficar até sem comida. Vai faltar alimento para eles. Estamos criando um voucher para ele. É pequeno, é pequeno, mas é o que podemos fazer, para 20 milhões de pessoas."
- Na saída do Palácio da Alvorada, em 20/03/2020."[689]
  • "Depois da facada, não vai ser gripezinha que vai me derrubar, não. Tá OK? Se o médico ou o Ministério da Saúde recomendar um novo exame, eu farei. Caso contrário me comportarei como qualquer um de vocês aqui presente."
- Em 20/03/2020, sobre a COVID-19.[691]
  • "Acho que estaríamos avançando, dando uma sinalização de pânico para a população. Nós queremos sinalizar a verdade para a população. Acho que isso, por enquanto está descartado até estudar essa circunstância. Ainda não está no nosso radar isso, não. Até porque isso, para decretar, é relativamente fácil de fazer uma medida legislativa para o Congresso. Mas seria o extremo isso aí, e acredito que não seja necessário. Bem como estado de defesa. Isso aí você não tem dificuldade de implementar. Em poucas horas você decide uma situação como essa."
- Em 20/03/2020, sobre a possibilidade de declarar estado de sítio.[691]
  • "O Doria é um lunático. Ele nega que usou o meu nome para se eleger governador e está se aproveitando para crescer politicamente."
- Em entrevista à CNN Brasil em 21/03/2020.[692]
  • "Já fabricaram crise entre eu [sic] e o Moro, entre eu e o Paulo Guedes e, agora, o Mandetta, como aparaceu, essa crise é fabricada pela imprensa, como a imprensa é comum dizer que tal ministro vai cair nos próximos dias. Então, isso é uma maneira de tentar desestabilizar e desgastar o governo. E fique sabendo de uma coisa: é comum a imprensa se referir a vários ministros, dizer que eles fazem um excelente trabalho apesar do presidente. Olha, o presidente sou eu, quem escalou esse time. Se eu quisesse não fazer um trabalho sério, eu não escalaria esses ministros que têm dado show, que têm orgulhado a todos nós no Brasil. Nunca se viu no Brasil uma equipe de ministros como essa. Eu sou o técnico do time e o time tá jogando muito bem, graças a Deus."
- Em entrevista à CNN Brasil em 21/03/2020.[692]
  • "Não acredito em colapso. A curva vai aumentar [o achatamento] para aquelas pessoas idosas, nossas pessoas queridas, nossos pais, nossos avós tenham o tratamento adequado, uma vez acometidos desse vírus."
- Em entrevista à CNN Brasil em 21/03/2020.[692]
  • "Você não me vê atacando nenhum governador. Eles é que me atacam constantemente. Isso não começou agora não, desde o início do ano passado que eles me atacam."
- Em entrevista à Record TV em 22/03/2020, um dia depois de chamar de lunático o governador de São Paulo, João Doria.[693]
  • "Brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia na questão do coronavírus."
- Em entrevista à Record TV em 22/03/2020.[693]
  • "O número de pessoas que morreram de H1N1 no ano passado foi na ordem de 800. A previsão é não chegar a essa quantidade de óbitos no tocante ao coronavírus. Tem certos números que temos que levar em conta. Essas crises, esses vírus, acontecem no mundo todo, o tempo todo. Então, calma, tranquilidade, não levar pânico à população. Não exterminar empregos, senhores governadores. Sejam responsáveis. Espero que não queiram me culpar lá na frente pela quantidade de milhões e milhões de desempregados."
- Em entrevista à Record TV em 22/03/2020. As mortes por COVID-19 no Brasil chegaram a 800 em 08/04/2020.[694][693]
  • "Estamos fazendo o possível, não dá pra ir além do que estamos fazendo, todos os ministérios têm trabalhado incessantemente. (...} Empregos estão sendo exterminados, em especial aqueles que vivem da informalidade. Essas pessoas não têm como sobreviver mais que três, quatro dias sem seu sustento. (...) A dose do remédio não pode ser excessiva de modo que o efeito colateral seja mais danoso do que o vírus (...) Não podemos levar o pânico, o pânico é uma doença também, mais grave que a própria causa do vírus."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 23/03/2020.[695]
  • "Nosso ministro da Saúde reuniu-se com quase todos os secretários de Saúde dos estados para que o planejamento estratégico de enfrentamento ao vírus fosse construído e, desde então, o doutor Henrique Mandetta vem desempenhando um excelente trabalho de esclarecimento e preparação do SUS para atendimento de possíveis vítimas. Mas o que tínhamos que conter naquele momento era o pânico, a histeria e ao mesmo tempo traçar a estratégia para salvar vidas e evitar o desemprego em massa. Assim fizemos, quase contra tudo e contra todos. Grande parte dos meios de comunicação foi na contramão. Espalharam exatamente a sensação de pavor, tendo como carro-chefe o anúncio do grande número de vítimas na Itália. Um país com grande número de idosos e com um clima totalmente diferente do nosso. Um cenário perfeito, potencializado pela mídia, para que uma verdadeira histeria se espalhasse pelo nosso país. Contudo, percebe-se que, de ontem para hoje parte da imprensa mudou seu editorial: pede calma e tranquilidade. Isso é muito bom, parabéns imprensa brasileira."
- Em pronunciamento em 24/03/2020, ironizando os apresentadores do Jornal Nacional, que haviam pedido calma à população um dia antes.[696]
  • "O vírus chegou, está sendo enfrentado por nós e brevemente passará. Nossa vida tem que continuar. Os empregos devem ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa. O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos. Então, por que fechar escolas? Raros são os casos fatais de pessoas sãs, com menos de 40 anos de idade. Noventa por cento de nós não teremos qualquer manifestação, caso se contamine."
- Em pronunciamento em 24/03/2020.[696]
  • "No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho, como bem disse aquele conhecido médico daquela conhecida televisão."
- Em pronunciamento em 24/03/2020, em referência ao médico Dráuzio Varella, colaborador da Rede Globo.[696]
  • "O FDA americano e o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, buscam a comprovação da eficácia da cloroquina no tratamento do Covid-19. Nosso governo tem recebido notícias positivas sobre este remédio fabricado no Brasil, largamente utilizado no combate à malária, lúpus e artrite. Acredito em Deus, que capacitará cientistas e pesquisadores do Brasil e do mundo na cura dessa doença."
- Em pronunciamento em 24/03/2020.[696]
  • "A gente consegue aguentar dois, três meses com o plano que está aí? Não sei quanto vai chegar a nossa despesa, centenas de bilhões de reais. Tem que voltar quase tudo (setores da economia). E fazer uma campanha 'Fique em casa'. Não deixa o vovô sair de casa, deixa em um cantinho. Quando voltar, toma banho, lava as mãos, passa álcool na orelha. É isso daí."
- Sobre as medidas restritivas contra a pandemia de COVID-19, em 26/03/2020.[697][698]
  • "Eu acho que não. Eu acho que não vai chegar a esse ponto. Até porque o brasileiro tem que ser estudado. Ele não pega nada. Você vê o cara pulando em esgoto ali, sai, mergulha, tá certo? E não acontece nada com ele. Eu acho até que muita gente já foi infectada no Brasil, há poucas semanas ou meses, e eles já têm anticorpos que ajudam a não proliferar isso daí. Estou esperançoso que isso seja realmente uma realidade."
- Sobre o Brasil chegar à mesma situação dos Estados Unidos quanto à pandemia de COVID-19, em 26/03/2020.[699]
  • "Para que você quer saber? Você dorme comigo? Pelo amor de Deus... Eu estou bem. Tranquilo. Já pensou que prato cheio para a imprensa se eu estivesse infectado? Não estou. É minha palavra. Minha palavra vale mais do que um pedaço de papel. É brincadeira. Desculpa aí, tá ok?"
- Ao se justificar por que não apresentaria os resultados dos exames de SARS-CoV-2, na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020.[698]
  • "O pânico é uma doença. Isso foi massificado quase que no mundo todo. No Brasil, não é diferente, conversei com vários empresários. O setor hoteleiro e empresário que emprega, se não me engano, 23 mil pessoas. Segunda-feira vai ter mais uma nova onda de demissões. Esse é que o problema. O que que vem atrás disso? É a fome. Vem o desespero. O cara está em casa, casado, dois, três, quatro filhos e não tem o que botar na mesa. Vi uma cena agora no Rio de Janeiro lamentável, a guarda municipal cumprindo ordem, obviamente, desfazendo uma tábua de frutas que o cara estava vendendo na rua. Está errado? Sim está errado. Fere a lei. Mas o cara está ali para sobreviver. O momento é de excepcionalidade. O desemprego está aí, batendo na porta de todo mundo. Esse é o grande problema no momento."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020.[698]
  • "A onda foi a demais, foi demais, chegaram a catástrofe prevendo milhares e milhares de mortos, coisa que não aconteceu em lugar nenhum do mundo. Isso daí trouxe pânico para o Brasil. Alguns, não estou falando todos, alguns governadores, alguns prefeitos exageraram na dose fechando tudo. O decreto que assinei ontem e publiquei hoje. Tem 3.000 casas lotéricas fechadas por decretos de governadores ou prefeitos. É um absurdo. É a minha opinião de presidente da República, a maneira como fecharam o comércio, o negócio no Brasil, está sendo uma catástrofe. Está aí."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020.[698]
  • "O desemprego está aí. Anteontem, uma desgraça segundo a mídia o meu pronunciamento. Apanhei, estava 70% contra a minha pessoa nas redes sociais. Já mudou. O povo foi enganado esse tempo todo sobre o vírus, o que tinham que falar? O que eu falei. O vírus virá. Ninguém discute isso e infelizmente, vai ter que enfrentar. É igual a chuva. Tem que enfrentar. Vamos procurar salvar a vida? Sim. Vamos procurar salvar o máximo de vidas. Como? Preparando os hospitais, respiradores e máscaras, etc. Isso está sendo feito. Agora, o pânico. O pessoal não sai na rua. Nós temos 38 milhões de autônomos, essas foram as primeiras vítimas e o cara não tem reserva, não tem poupança e está com a geladeira sempre com meio porcento de carga, já está passando fome dado exatamente o pânico e a histeria que foi levado para eles por parte de alguns órgãos, de informações, políticos, senadores, deputados, isso que foi levado. Ninguém mais faz turismo, a rede hoteleira ou o hotel está fechado ou está com 10% da capacidade ocupada, olha a desgraça que está aí. Não existe mais diarista, manicure, barbeiro não atende mais ninguém. Uber não funciona. Nada está funcionando. Dá para entender que esta onda é muito pior do que o vírus."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020.[698]
  • "O próprio Mandetta, já conversei com ele. Está convencido. O confinamento vertical tem que começar com a família. Como meus irmãos. Eu não posso né, meus irmãos estão tratando minha mãe com 92 anos de idade. Tá lá no cantinho dela. Depois de amanhã ela faz 93 anos de idade. Começa por aí. O brasileiro tem que entender que quem vai salvar a vida dele é ele. Não tem que ficar esperando o vereador, o senador, o deputado, o presidente da República cuidar da vida dele. Em primeiro lugar é ele. Se ele não tem capacidade ou não tem amor pela mãe, pelo pai, pelo avô, pelo bisavô, paciência."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020.[698]
"O presidente sou eu, pô. Os ministros seguem as minhas determinações. E o Mourão tem ajudado bastante, colaborado, dado opiniões, é uma pessoa que está do meu lado ali. É o reserva de vocês se eu empacotar aí, vocês vão ter que engolir o Mourão. É uma boa pessoa, podem ter certeza."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020, um dia após o vice-presidente Hamilton Mourão dizer que a posição do governo "é uma só", do distanciamento social.[698]
"Como estava ali, pelo amor de Deus, sem salário? Sem comentário."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 26/03/2020, alegando que o não-pagamento de salários por até quatro meses, previsa numa medida provisória assinada pelo próprio presidente sobre suspensão de contratos de trabalho, devia-se a um erro de um digitador.[698]
  • "Acreditem, 2.463 casas lotéricas, 2.500 casas lotéricas, estavam fechadas. Por decretos de alguns governadores ou prefeitos. Eu não estou criticando governador ou prefeito. Agora, pelo amor de Deus, fechar casa lotérica? Pelo amor de Deus, fechar casa lotérica… Pelo amor de Deus. Inclusive, o cara que trabalha na lotérica tem um vidro blindado. Ou seja, não vai passar o vírus ali. O vidro é blindado, não vai passar, ele trabalha no lado de cá."
Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 26/03/2020.[700]
  • "Agora, o que estou vendo também, em alguns estados do Brasil, se eu não estou politizando, se eu for ver, ninguém mais, quase ninguém mais está morrendo de H1N1. Todo mundo é covid-19. Parece que a intenção é de potencializar isso para falar: 'Tá vendo, o que eu fiz justificou, morreram tantas pessoas. Se eu não tivesse feito, teriam morrido cinco, 10 ou 20 vezes mais'. Procura saber por estado quantos morreram de H1N1 até o momento. Não é que eu queira que tenha morrido, mas ano passado foram 700 pessoas mais ou menos. Vai ter que ter alguém que morreu esse ano disso daí. Se for todo mundo com coronavírus, é sinal de que tem estado que está fraudando a causa mortis daquela pessoas, querendo fazer um uso político de números."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, em 27/03/2020.[701]
  • "O vírus evolui, nós temos informações do mundo todo de como as coisas estão sendo tratadas, inclusive certos mitos nós estamos desfazendo. A questão das mortes na Itália, por exemplo, a maioria das mortes não tem nada a ver com o coronavírus, nada a ver. Agora tem estudo dizendo que a grande maioria das mortes na Itália não tem nada a ver com o vírus. Foi uma região específica, mais fria e a idade média dos mortos era de 80 anos. E pessoas com duas, três outras doenças.
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, em 27/03/2020.[701]
  • "Vamos enfrentar o vírus. Vai chegar, vai passar. Infelizmente algumas mortes terão. Paciência, acontece, e vamos tocar o barco. As consequências, depois dessas medidas equivocadas, vão ser muito mais danosas do que o próprio vírus. [...] O brasileiro quer trabalhar, esse negócio de confinamento aí tem que acabar. Temos que voltar às nossas rotinas. Deixem os pais, os velhinhos, os avós em casa e vamos trabalhar. [..] Alguns vão morrer? Vão morrer, lamento, essa é a vida. Não podemos parar fábricas de automóveis porque têm 60 mil mortes no trânsito por ano. [...] O que vai acontecer com o Brasil? Vão quebrar o Brasil por causa do vírus."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, em 27/03/2020.[702]
  • "Não tem que procurar números de fora do Brasil para justificar medidas aqui dentro. No mundo todo tem umas 20 e poucas mil pessoas (mortas por covid-19 até então). Então porque 400 mil no Brasil? Não, eu não acredito. Isso é chute."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, em 27/03/2020, sobre estudo do Imperial College de Londres que previu 529 mil mortes por COVID-19 no Brasil se apenas idosos ficassem isolados.[702]
  • "No Rio de Janeiro, até os dados de ontem, 9 óbitos, e 58 em São Paulo. Eu sei que a população tem uma diferença, mas está muito grande para São Paulo. Não pode ser um jogo de números para favorecer interesses políticos. Não estou acreditando nesses números de São Paulo, até pelas medidas que ele (Doria) tomou. São Paulo não está no caminho certo, a população já entendeu que ele (Doria) exagerou na dose, espero que ele tome um comprimido de humildade."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, em 27/03/2020, sobre o número de mortes por COVID-19.[703]
  • "Temos um problema do vírus? Temos. Ninguém nega isso daí. Devemos tomar os devidos cuidados com os mais velhos, com as pessoas do grupo de risco. Agora, o emprego é essencial. Essa é uma realidade, o vírus tá aí. Vamos ter que enfrentá-lo, mas enfrentar como homem, porra, não como um moleque. Vamos enfrentar o vírus com a realidade. É a vida. Todos nós iremos morrer um dia. Queremos poupar a vida? Queremos, na parte da economia, o Paulo Guedes tá gastando dezenas de bilhões de reais, que é do Orçamento, que é dinheiro do povo, se bem que nem dinheiro é. Pegamos autorização do Congresso para estourar o teto, que vai ser paga essa conta lá na frente."
- Após um passeio por cidades-satélites do Distrito Federal, em 29/03/2020.[704]
  • "Estou ciente da minha responsabilidade. O vírus veio de fora para dentro e temos que buscar uma solução para minimizar as consequências do mesmo aqui no Brasil. Vai morrer gente? Vai morrer gente, como tem morrido algumas pessoas. Teremos uma crise maior? Poderemos ter. Tem vacina? Não. Tem remédio comprovadamente? Ainda não. Mas temos um outro problema: desemprego. E tem que ser tratado com igual responsabilidade, o vírus a questão do desemprego."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/03/2020.[705]
  • "Vamos enfrentar o problema ou não? Ou o problema é o presidente? Tem que trocar o presidente, resolve. Parece que o problema é o presidente. É que o presidente tem responsabilidade, tem que decidir. Não é apenas a questão de vida. É a questão da economia também, a questão do emprego. Se o emprego continuar sendo destruído da forma como ele está sendo, mortes virão. Outras. Por outros motivos, depressão, suicídio, questões psiquiátrica. Esta responsabilidade que não temos ainda perante ou por parte de entidades ou pessoas importantes do Brasil. Atiram numa pessoa só, o alvo sou eu. Se o Bolsonaro sair e entrar o [ ex-candidato do PT à Presidência Fernando] Haddad ou outro qualquer, está resolvido o problema. Esta realidade tem que ser mudada. O pânico é uma doença e está levando o pessoal ao stress. Mortes virão. O problema não é do presidente. É de todos nós. E quando a situação vai para o caos, com, por exemplo, o desemprego em massa, fome, problemas sociais... É um terreno fértil para os aproveitadores buscarem uma maneira de chegar ao Poder e não mais sair dele."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/03/2020.[705]
Abril de 2020Editar
  • "O vírus é igual a uma chuva. Ela vem e você vai se molhar, mas não vai morrer afogado. Tem essas pessoas mais fracas. Às vezes a pessoa vive pobre, fraca por natureza, dada a falta de uma alimentação mais adequada. Então essas pessoas são quem sofre mais."
- Em entrevista ao programa Brasil Urgente em 01/04/2020.[706]
  • "Duvido que um cara desses, um governador desses, um (João) Doria da vida, um Moisés (Carlos), vai no meio do povo. Não vai. Algumas outras autoridades que me criticam, vai lá conversar com o povo. A justificativa é: 'Não vou porque posso pegar...'. Tá com medinho de pegar vírus? Tá de brincadeira. O vírus é uma coisa que 60% vão ter, ou 70%. Não vai fugir disso. A tentativa é de atrasar a infecção para os hospitais poderem atender. Eu desconheço qualquer hospital que esteja lotado. Desconheço. Muito pelo contrário. Tem um hospital no Rio de Janeiro, um tal de Gazolla [Hospital Municipal Ronaldo Gazolla], que, se não me engano, tem 200 leitos e só tem 12 ocupados até agora. Então, não é isso tudo que estão pintando, até porque, no Brasil, a temperatura é diferente (da da Europa e outros países), tem muita coisa diferente aqui."
- Para pastores evangélicos, na entrada do Palácio da Alvorada, em 02/04/2020.[707][708][709]
  • "O governador Doria acabou de fazer um vídeo agora. Um vídeo assinado pelos governadores do Sul e Sudeste dizendo que eu sou responsável e tenho que resolver o problema de arrecadação deles. Eles acabaram com o comércio, o Doria acabou com o comércio na estrada. Não pediu para mim, não conversou comigo, para fazer aquela loucura. É aquela história: o corpo está doente, vamos dar o remédio. Agora, se der três ou quatro vezes a dose a mais, é veneno. É o que o governador fez em São Paulo: um veneno. Acabou ICMS, vai ter dificuldade para pagar a folha agora, com toda certeza, nos próximos um ou dois meses... E quer agora vir pra cima de mim? Não. Tem que se responsabilizar pelo que ele fez. Ele tem que ter uma fórmula agora de começar a desfazer o que ele fez de excesso há pouco tempo. Não vai cair no meu colo essa responsabilidade. Desde o começo, eu estou apanhando dele e mais alguns exatamente por falar isso."
- Para pastores evangélicos, na entrada do Palácio da Alvorada, em 02/04/2020.[707]
  • "Sou católico, minha esposa é evangélica. É um pedido dessas pessoas um dia de jejum, para quem tem fé. A gente vai, brevemente, junto com os pastores, padres, religiosos, anunciar, pedir um dia de jejum a todo o povo brasileiro em nome, obviamente, de que o Brasil fique livre desse mal o mais rápido possível."
- Em entrevista à rádio Jovem Pan, em 02/04/2020.[710]
  • "Muito obrigado a todos vocês. E àqueles que têm fé e acreditam, domingo é dia de jejum."
- Em vídeo publicado em suas redes sociais em 04/04/2020.[711]
  • "Há 40 dias venho falando do uso da hidroxicloroquina no tratamento do COVID-19. Sempre busquei tratar da vida das pessoas em 1° lugar, mas também se preocupando em preservar empregos. Fiz, ao longo desse tempo, contato com dezenas médicos e alguns chefes de estados de outros países. Cada vez mais o uso da cloroquina se apresenta como algo eficaz."
- Nas suas redes sociais, em 08/04/2020, menos de 20 dias após se manifestar pela primeira vez sobre o uso de cloroquina e hidroxicloroquina para tratamento da COVID-19.[712]
  • "Dois renomados médicos no Brasil se recusaram a divulgar o que os curou da COVID-19. Seriam questões políticas, já que um pertence a equipe do Governador de SP? Acredito que eles falem brevemente, pois esse segredo não combina com o Juramento de Hipócrates que fizeram. Que Deus ilumine esses dois profissionais, de modo que revelem para o mundo que existe um promissor remédio no Brasil."
- Em 08/04/2020, sobre David Uip, coordenador do Centro de Contingência de Coronavírus do Estado de São Paulo, e Roberto Kalil Filho, ambos médicos diagnosticados com COVID-19.[712][713]
  • "Respeito a autonomia dos governadores e prefeitos. Muitas medidas, de forma restritiva ou não, são de responsabilidade exclusiva dos mesmos. O governo federal não foi consultado sobre sua amplitude ou duração."
- Em pronunciamento de 08/04/2020, pouco depois de o ministro do STF Alexandre de Moraes decidir que o governo federal não pode decisões restritivas de estados e municípios no combate à pandemia de COVID-19.[714]
  • "As consequências do tratamento não podem ser mais danosas que a própria doença. O desemprego também leva à pobreza, à fome, à miséria, enfim, à própria morte."
- Em pronunciamento de 08/04/2020.[714]
  • "Quarenta dias depois parece que está começando a ir embora a questão do vírus, mas está chegando e batendo forte o desemprego. Devemos lutar contra essas duas coisas."
- Em transmissão ao vivo com líderes religiosos em 12/04/2020.[715]
  • "Eu jamais mandaria minhas Forças Armadas prender [sic] quem quer que seja que estivesse nas ruas. Como chefe do Executivo, jamais vou retirar o direito constitucional de ir e vir seja qual for do cidadão brasileiro. Devemos tomar medidas, sim, para evitar a proliferação ou expansão do vírus, mas pelo convencimento e com medidas que não atinjam a liberdade e garantias fundamentais de qualquer pessoa. O excesso não leva à solução do problema, muito pelo contrário, ele vai se agravar, como venho dizendo faz muito tempo."
- Durante anúncio do nome de Nelson Teich como novo ministro da Saúde, em Brasília, 16/04/2020.[716]
  • "Temos um vírus que está aí. Infelizmente tem morrido gente. Tem, né? Ninguém falou que ia ser diferente. Mas o pavor foi demais."
- Em 18/04/2020.[708]
  • "Nós não queremos negociar nada. Nós queremos ação pelo Brasil. Chega da velha política. Agora é Brasil acima de tudo e Deus acima de todos. Todos têm que ser patriotas, acreditar e fazer sua parte para colocar o Brasil no lugar de destaque que ele merece. Acabou a época da patifaria. É agora o povo no poder. Mais que direito, vocês têm a obrigação de lutar pelo país de vocês."
Em frente ao Quartel-General do Exército em Brasília, 19/04/2020, ao participar de manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal e por intervenção militar.[717]
  • "Sem essa conversa de fechar. Aqui não tem fechar nada, dá licença aí. Aqui é democracia. Aqui é respeito à Constituição brasileira. E aqui é a minha casa e a sua casa, então peço por favor para que não fale isso aqui. Supremo aberto, transparente. Congresso aberto, transparente."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/04/2020, um dia após participar de manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal e por intervenção militar.[718]
  • "O povo na rua, dia do Exército, volta ao trabalho."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/04/2020, questionado sobre a pauta da manifestação à qual comparecera no dia anterior, em que pessoas protestavam contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal e por intervenção militar.[718]
  • "Todo e qualquer movimento tem infiltrado, tem gente que tem a sua liberdade de expressão. Respeita a liberdade de expressão."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 20/04/2020, um dia após participar de manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal e por intervenção militar.[718]
  • "O pessoal geralmente conspira para chegar no poder. Eu já estou no poder. Eu já sou presidente da República. Estou conspirando contra quem? Falta um pouco de inteligência para aqueles que me acusam de ser ditatorial. Eu inclusive sou contra as prisões administrativas que estão ocorrendo pelo Brasil. Eu sou realmente a Constituição. E mais, eu tenho conduzido o Brasil orientado e fiel aos interesses do povo brasileiro. Nada eu faço que não esteja de acordo com eles. No que depender do presidente Jair Bolsonaro, democracia e liberdade acima de tudo."
- Na saída do Palácio da Alvorada, ao se referir às medidas de distanciamento social, em 20/04/2020, um dia após participar de manifestação contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal e por intervenção militar, .[718]
  • "Dá para recuperar o Brasil ainda. Eu espero que essa seja a última semana dessa quarentena, dessa maneira de combater o vírus, todo mundo em casa. A massa não tem como ficar em casa, porque a geladeira está vazia. A situação econômica do Brasil está se agravando, cada ponto porcentual de decrescimento para o Brasil, ou cada ponto porcentual de mais desemprego, a consequência é a violência, o caos, são mortes, a fome, a desgraça, tudo que está aí."
- Na saída do Palácio da Alvorada, em 20/04/2020.[719]
  • "Se tiver que demitir qualquer ministro, demito. Não tem ameaça da minha parte, mas se ele desviar daquilo que eu prometi durante a pré-campanha e a campanha, lamentavelmente, ele está no governo errado, vai para outro barco, vai tentar em 22."
- Na saída do Palácio da Alvorada, em 20/04/2020.[719]
  • "Aproximadamente 70% da população vai ser infectada. Não adianta querer correr disso. É uma verdade. Estão com medo da verdade? [...] Houve uma potencialização das consequências do vírus. Levaram o pavor para o público, histeria. E não é verdade. Estamos vendo que não é verdade. Lamentamos as mortes, e é a vida. Vai morrer."
- Na saída do Palácio da Alvorada, em 20/04/2020.[720]
  • "Ô, cara, quem fala de... Eu não sou coveiro, tá certo? Não sou coveiro, tá?"
- Ao interromper a pergunta de um jornalista sobre as mortes no último dia, na portaria do Palácio da Alvorada, em 20/04/2020.[720]
  • "Mais um motivo para a troca"
- Em mensagem por WhatsApp para Sérgio Moro, ministro da Justiça, em 23/04/2020, sugerindo a substituição do então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, após compartilhar com Moro notícia do site O Antagonista com a manchete "PF na cola de 10 a 12 deputados bolsonaristas".[721]
  • "Eu, pessoalmente, tive o primeiro contato com o senhor Sergio Moro no dia 30 de março de 2017, no aeroporto de Brasília, onde ele estava parado em uma lanchonete e eu fui cumprimentá-lo. Ele praticamente me ignorou. A imprensa toda noticiou isso, dando descrédito à minha pessoa. Confesso que fiquei triste, porque ele era um ídolo para mim. Eu era apenas um deputado, humilde deputado, como é ou como são a maioria dos que estão no parlamento brasileiro. Não vou dizer que chorei porque estaria mentindo, mas fiquei muito triste. Para minha surpresa, alguns dias depois, eu estava em Parnamirim (RN) e recebi um telefonema dele, onde, obviamente, sua consciência tocou e ele conversou comigo sobre o episódio. Eu dei por encerrado o assunto. Me senti de certa forma reconfortado."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Todos os cargos chaves são de Curitiba, inclusive a Polícia Rodoviária Federal. Logico, me surpreendeu. Será que os melhores quadros da PF todos estavam em Curitiba? Mas vamos confiar, vamos dar um crédito."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Desde o começo, já se começou a falar que eu estava dificultando operações de combate à corrupção, porque as operações, com muito menos intensidade, apareciam. Mas é óbvio que isso ia acontecer: se as nossas indicações para ministérios, bancos oficiais e estatais não passavam por indicações partidárias, está na cara que a fonte da corrupção não era tão abundante como antigamente. [...] hoje em dia, eu conto com muitos parlamentares dentro do Congresso Nacional que já comungam dessa tese. De vários partidos, exceto da extrema-esquerda, porque o que eles querem, no final das contas, é roubar nossa liberdade. No que depender de mim, não medirei esforços para que isso não aconteça."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Será que é interferir na Polícia Federal quase que exigir, implorar a Sergio Moro, que apure quem mandou matar Jair Bolsonaro? A PF de Sergio Moro mais se preocupou com Marielle do que com seu chefe supremo. Cobrei muito deles isso daí. Não interferi. Eu acho que todas as pessoas de bem no Brasil querem saber. Entendo, me desculpe senhor ex-ministro: entre meu caso e o da Marielle, o meu está muito menos difícil de solucionar. Afinal de contas, o autor foi preso em flagrante de delito, mais pessoas testemunharam, telefones foram apreendidos. Três renomados advogados, em menos de 24 horas, estavam lá para defender o assassino. Isso é interferir na Polícia Federal? Será que pedir à Policia Federal, quase implorar, via ministros, que fosse apurado o caso Marielle, no caso porteiro da minha casa 58, na avenida Lúcio Costa, 3.100? Quase que por acaso descobrimos. Se não pedisse para meu filho ir à portaria e filmar a secretária eletrônica, talvez ficasse a dúvida para todos que eu poderia estar envolvido nisso. Isso foi numa quarta-feira de março de 2018, onde entre a ligação do porteiro para a minha casa e as minhas digitais nos painéis de presença da Câmara tinha um espaço de menos de uma hora. Eu não estava lá. Depois, a perícia da Policia Civil do Rio ainda chega à conclusão que aquela voz não é a voz do porteiro em questão. Será que é interferir na Polícia Federal exigir uma investigação sobre esse porteiro, o que aconteceu com ele? Ele foi subornado? Ele foi ameaçado? Ele sofre das faculdades mentais? O que aconteceu para ele falar com tanta propriedade um fato que existiu há praticamente um ano atrás? É exigir da Polícia Federal muito, via senhor ministro, para que esse porteiro fosse investigado? Com todo o respeito a todas as vidas do Brasil, acredito que a vida do presidente da República tem um significado. Afinal de contas, é um chefe de Estado. Isso é interferir na Policia Federal? Cobrar isso da sua Polícia Federal?"
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Nos últimos dois anos de parlamentar, gastei menos da metade do que poderia gastar da sua cota parlamentar com passagem aérea, com despesa de combustível, com alimentação, com aluguéis. Na vida de presidente da Republica, tenho três cartões corporativos. Dois são usados para despesas, as mais variadas possíveis. Afinal de contas, mais de 100 pessoas estão na minha segurança diariamente. Despesas de casa, normal. E um terceiro cartão, que eu posso sacar R$ 24 mil por mês sem prestar conta. Eu posso sacar R$ 24 mil e gastar onde bem entender, sem prestação de contas. Quanto usei dessa verba desde janeiro do ano passado? Zero. Isso é obrigação. Desliguei o aquecedor da piscina olímpica do Alvorada. Modificamos o cardápio. Mas isso não tem nada a ver, é obrigação da minha parte. Mas só para lembrar que eu tenho preocupação com a coisa pública e busco dar exemplo."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Quando eu vi que o Inmetro, que é um órgão parecido até, logicamente, cada um na sua função, com a Polícia Federal, com a PRF, com a Secretaria da Cultura do Marcelo Álvaro Antônio, entre tantas outras. Eu falei: 'Paulo Guedes, eu vou implodir o Inmetro, porque o que eu descobri lá, nós não podemos deixar o povo sofrer dessa maneira'. Queriam trocar 1,6 milhões de tacógrafos de motoristas, cada tacógrafo custando R$ 1,9 mil. Quem ia pagar a conta era o motorista de caminhão, o motorista de van, de ônibus. Queriam trocar todos os taxímetros do Brasil. Só no estado do Rio de Janeiro, 40 mil taxistas teriam que comprar um novo taxímetro. Queriam um chip em cada bomba de combustível, onde nos ficamos sabendo que não teria sua devida eficácia. Essa conta não foi para o povo pagar. A obrigação do Inmetro é, obviamente, atestar a qualidade de muita coisa e, de preferência, obviamente, evitar onerar nosso já sofrido povo brasileiro — que, apesar da carga de impostos que tem... Implodimos o Inmetro."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça. Marcelo Álvaro Antônio, na verdade, era ministro do Turismo."[722]
  • "Sempre falei para ele: 'Moro, não tenho informações da Polícia Federal. Eu tenho que todo dia ter um relatório do que aconteceu, em especial nas últimas 24 horas, para poder bem decidir o futuro dessa nação'. Eu nunca pedi para ele o andamento de qualquer processo, até porque a Inteligência com ele perdeu espaço na Justiça. Quase que implorando informações."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Eu falei que amanhã, no dia de hoje, o Diário Oficial da União publicaria a exoneração do senhor Valeixo. E pelo que tudo indicava, a exoneração a pedido. Bem, ele relutou, senhor Sergio Moro, e falou: 'Mas o nome tem que ser o meu'. Eu falei: 'Vamos conversar. Por que tem que ser o seu e não o meu? Ou então vamos pegar, já que não tem interferência política, técnica ou humana, pegar os que têm condições e fazer um sorteio'. Por que tem que ser o dele e não possivelmente o meu, ou um de consenso entre nós dois? E eu lembrei da lei de 2014, que a indicação é minha, é prerrogativa minha. E o dia que eu tiver que me submeter a qualquer subordinado meu, eu deixo de ser presidente da República. Jamais pecarei por omissão. Falei para ele: 'Quero um delegado, que pode não ser o seu, pode não ser o meu, mas que eu sinta, além da competência óbvia, se bem que isso é uma coisa comum entre os delegados da Polícia Federal, que eu possa interagir com ele'."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Mais de uma vez, o senhor Sergio Moro disse para mim: 'Você pode trocar o Valeixo, sim, mas em novembro, depois que o senhor me indicar para o Supremo Tribunal Federal'. 'Me desculpe, mas não é por aí. Reconheço as suas qualidades. Em chegando lá, se um dia chegar, pode fazer um bom trabalho, mas eu não troco'."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "E outra coisa: é desmoralizante para o presidente ouvir isso. Mais ainda externar. Ou não trocar, porque não foi trocado, sugerir a troca de dois superintendentes entre 27. O do Rio, (pela) questão do porteiro, a questão do meu filho 04, Renan, que agora tem 20, 21 anos de idade. Quando, no clamor da questão do porteiro, do caso Adélio, que os dois ex-policiais teriam ido falar comigo, também apareceu que o meu filho 04 teria namorado a filha desse ex-sargento. Eu comecei a correr atrás. Primeiro chamei meu filho (e falei): 'abre o jogo'. 'Pai, eu saí com metade do condomínio, nem lembro quem é essa menina, se é que eu estive com ela'. Hoje a vida é assim. A intenção de dizer que meu filho namorava a filha do ex-sargento era que nós tínhamos relacionamento familiar. Eu não me lembro dele. Pode ser até que tenha tirado foto com ele — durante pré-campanha, campanha, era comum eu tirar em media 500 fotografias por dia, porque essa era minha imprensa. E daí eu fiz um pedido para a Polícia Federal, quase como por favor: chegue em Mossoró e interrogue o ex-sargento. Foram lá, a PF fez o seu trabalho, interrogou e está comigo a cópia do interrogatório onde ele diz simplesmente o seguinte: 'A minha filha nunca namorou o filho do presidente Jair Bolsonaro porque minha filha sempre morou nos Estados Unidos'. Mas eu é que tenho que correr atrás disso? Ou é o ministro, a Polícia Federal que têm que se interessar? Não é para me blindar porque eu não estou incurso em nenhum crime."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "A mídia, outras instituições, já me botaram de cabeça para baixo, chacoalharam tudo. Levantaram até que, com cinco anos de idade, (a) revista Época, eu chamava uma mulher de gorda em Eldorado Paulista. Descobriram, e eu nem sabia, que a avó da minha esposa já foi presa por três anos por tráfico de drogas. Confesso que não sabia, e se soubesse, teria casado com a senhora Michelle assim mesmo. Fiquei sabendo através de vocês também que a mãe da senhora Michelle cometeu crime de falsidade ideológica. Na sua inocência, em vez de fazer uma cirurgia plástica para ficar mais jovem, mais bonita, ela resolveu fazer uma cirurgia na certidão de nascimento diminuindo (em) dez anos a sua idade. Esse foi o crime dela. Se coloca em público isso daí para escrotizar, para dizer que ela não tem caráter."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "O caso Queiroz: eu conheço o Queiroz desde 1984, no 8º Grupo (de Artilharia) de Campanha Paraquedista. Foi para a Polícia Militar. Depois de um tempo, fizemos amizade, veio trabalhar comigo, com meu filho. O que porventura ele faz, ele responde pelos seus atos. Não foi por uma, foi por duas vezes que o Queiroz teve dívida comigo. Me pagou com cheque e não veio para a minha conta esse cheque porque simplesmente deixei no Rio de Janeiro. Senão estaria na minha conta. E não foram R$ 24 mil, foram R$ 40 mil."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Eu não posso admitir cercear o direito de ir e vir de quem quer que seja. E a lei que fala sobre isso, no caso de pandemias, é alguém comprovadamente infectado."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Um fato que foi noticiado muito no início do ano passado: ele nomeou a senhora Ilona Szabó como suplente de um conselho, e nós sabemos que essa senhora ou senhorita tem publicações, as mais variadas possíveis, defendendo o aborto, ideologia de gênero, entre tantas outras coisas que estão em completo desacordo com as bandeiras que eu defendi, que os cristãos brasileiros também defendiam, e que até ateus defendiam também. Não foi fácil conseguir exoneração dessa pessoa, porque o tempo todo você me deu carta branca e porteira fechada. Mas quase sempre se lembrava do poder de veto."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Vamos levar, no sentido figurado, muito tiro na cara. Mas vamos cumprir a missão. Aqui tem ministro que apanha todo dia, como o Abraham Weintraub, por exemplo. Outros apanham também, mas esse é um exemplo. Luta contra uma doutrinação de décadas, onde vem demonstrando que a educação do Brasil nunca esteve tão mal. Não só as provas do Pisa bem demonstram que estamos em último em várias matérias na América do Sul, em último no mundo. Isso tem que ser mudado. Ele tenta e vem demonstrando com muito trabalho que não vale, senhores pais, senhoras mães, que seu filho tenha um pedaço de papel escrito "diploma". Ele tem que exercer aquele ofício. O diploma, hoje em dia, passou a ser apenas uma figura decorativa para alunos. Ele tem que ser um bom profissional, e não um bom militante."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "[...] senhor Sérgio Moro sabe que jamais lhe procurei para interferir nas investigações que estavam sendo realizadas, a não ser aquelas não via interferência, mas quase como uma súplica, sobre Adélio, o porteiro e meu filho 04. [...] Desculpe, senhor ministro, o senhor não vai me chamar de mentiroso. Não existe acusação mais grave para um homem como eu, militar, cristão, presidente da República, (do que) ser acusado disso."
- Em pronunciamento em 24/04/2020, após o pedido de exoneração de Sérgio Moro do cargo de ministro da Justiça.[722]
  • "Tem muita coisa que eu assino que eu leio a ementa apenas. Tem decreto que tem 20 páginas e às vezes tem um palmo de papel para assinar ali. E não é só ler, tem que interpretar também. Eu não tenho como interpretar."
- Em vídeo divulgado em 28/04/2020 pelo coletivo Jornalistas Livres.[723]
  • "E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre. Alguém está ao vivo aí, por acaso? Todo mundo? Meu Brasil, aquele abraço. A gente lamenta a situação que nós estamos atravessando com o vírus. Nos solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos que em grande parte eram pessoas idosas, tá ok? Mas é a vida. Amanhã vou eu. Logicamente que a gente quer, se um dia morrer, ter uma morte digna né e deixar uma boa história pra trás. O que eu mais quero é com a graça de Deus entregar o Brasil muito melhor do que eu recebi pra quem vier me suceder. Deus está conosco. Eu acredito em Deus, tenho fé. Respeito quem não tem a religião e esse é o Brasil: livre. O que eu mais quero é a liberdade e a democracia em meu país. Agora dói no coração quando tem um fake news ai em cima da gente."
- Em 28/04/2020, ao ser questionado sobre os 5.017 mortos no Brasil por COVID-19, número que havia superado naquela data as 4.643 mortes da China.[724]
  • "As medidas restritivas são a cargo dos governadores e prefeitos. A imprensa tem que perguntar para o Doria porque tem mais gente perdendo a vida em São Paulo. Pergunta para ele, que tomou todas as medidas restritivas, que ele achava que devia tomar. Pergunte ao senhor João Doria e a o senhor Covas por que tomaram medidas tão restritivas, que eliminaram mais de um milhão de empregos em São Paulo, e continua morrendo gente. Eles têm que responder, vocês não vão botar no meu colo essa conta. Questão de mortes: a gente lamenta as mortes profundamente. Sabia que ia acontecer, tá? Agora, quem tomou todas as medidas restritivas foram os governadores e prefeitos. Eu desde o começo me preocupei com vida e com emprego. Desemprego também mata. Então, essa conta [das mortes por covid-19] tem que ser perguntadas para os governadores."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 29/04/2020.[725][726]
  • "São Paulo é o estado, não é que é o mais populoso não, mesmo proporcionalmente, que mais óbitos tem. Perguntem ao senhor João Doria e ao senhor [Bruno] Covas de o porquê terem tomando medidas tão restritivas, que eliminou 1 milhão de empregos em São Paulo, e continua morrendo gente. Eles têm que responder. Vocês não vão botar no meu colo essa conta."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 29/04/2020.[725]
  • "- Essa é a Organização Mundial da Saúde (OMS) que muitos dizem que devo seguir no caso do Coronavírus. - Deveríamos então seguir também suas diretrizes para políticas educacionais?: *Para crianças de 0 a 4 anos de idade:* - satisfação e prazer ao tocar o próprio corpo, *masturbação* - Expressar suas necessidades e desejos, por exemplo, no contexto de *"brincar de médico"* - As crianças têm sentimentos sexuais mesmo na primeira infância. *Para crianças de 4 a 6 anos de idade* - uma identidade de gênero positiva - gozo e prazer ao tocar o próprio corpo; masturbação na primeira infância - *relações entre pessoas do mesmo sexo* *Para crianças de 9 a 12 anos* - primeira experiência sexual"
- Em publicação no Facebook em 29/04/2020.[727]
  • "A curva está aí. Partindo do princípio que o número de óbitos é verdadeiro... Cada vez mais chegam informações que o próprio Diário Oficial lá de São Paulo, está escrito lá que, na dúvida, coloca coronavírus. Para inflar o número e fazer uso político disso. É o governador gravatinha de São Paulo fazendo politicalha em cima de mortos. [João Doria está] zombando de familiares que tiveram seus entes queridos que morreram por vírus ou outra causa. É uso político do senhor governador de São Paulo, João Doria, com essas pessoas."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/04/2020.[728]
  • "Tirar numa canetada, desautorizar o presidente da República dizendo em impessoalidade. Ontem quase tivemos uma crise institucional, quase, faltou pouco. Eu apelo a todos que respeitem a Constituição. Eu não engoli ainda essa decisão do senhor Alexandre de Moraes, não engoli. Não é essa forma de tratar o chefe do Executivo. O senhor vai retirar o Ramagem da Abin, que é tão importante quanto o diretor-geral da PF? Se não pode ter a confiança para trabalhar na PF também não pode trabalhar na Abin. É questão de coerência. Queremos o respeito de dupla mão entre os poderes. Então o senhor Alexandre de Moraes tem que decidir imediatamente se o senhor Ramagem pode ou não continuar à frente da Abin. A amizade não está prevista como cláusula impeditiva para alguém tomar posse. E é uma pessoa competente, segundo a própria PF, e daí a relação de amizade. A minha segurança pessoal só não dormia comigo. E por que eu não posso prestigiar uma pessoa que eu conheci com essa profundidade? É a relação de confiança."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 30/04/2020, sobre decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes que suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da Polícia Federal.[729]
Maio de 2020Editar
  • "Vocês sabem que o povo está conosco, as Forças Armadas ao lado da lei, da ordem, da democracia, liberdade também estão ao nosso lado. Vamos tocar o barco, peço a Deus que não tenhamos problema nessa semana, porque chegamos no limite, não tem mais conversa, daqui para frente, não só exigiremos, faremos cumprir a Constituição, ela será cumprida a qualquer preço, e ela tem dupla mão. Não é a mão de um lado só não. Amanhã nomeados novo diretor da PF, e o Brasil segue seu rumo."
- No Palácio do Planalto, em 03/05/2020, para manifestantes que protestavam contra o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e Sérgio Moro.[730][731]
  • "O que nós queremos é o melhor para o nosso país, a independência verdadeira dos três Poderes, não apenas uma letra da Constituição. Chega de interferência, não vamos mais admitir interferência, acabou a paciência. Vamos levar esse Brasil para frente."
- No Palácio do Planalto, em 03/05/2020, para manifestantes que protestavam contra o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e Sérgio Moro.[731]
  • "O país de forma altiva vai enfrentar seus problemas, sabemos do efeito do vírus, mas infelizmente muitos serão infectados, infelizmente muitos perderão suas vidas também, mas é uma realidade, e nós temos que enfrentar. Não podemos fazer com o que o efeito colateral do tratamento do combate ao vírus, seja mais danoso que o próprio vírus. [...] Brasil como um todo reclama volta ao trabalho, essa distribuição de empregos irresponsável por parte de alguns governadores é inadmissível, o preço será muito alto na frente, desemprego, miséria."
- Sobre a pandemia de COVID-19, na rampa do Palácio do Planalto, em 03/05/2020, para manifestantes que protestavam contra o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e Sérgio Moro.[731]
  • "- A TV Globo no Fantástico de ontem se dedicou a ataques ao Presidente Jair Bolsonaro, pelo fato de um fotógrafo do Jornal O Estado de SP ter sido agredido por alguns possíveis infiltrados na pacífica manifestação. - Também condenamos a violência. Contudo, não vi tal ato, pois estava nos limites do Palácio do Planalto e apenas assisti a alegria de um povo que, espontaneamente, defendia um Governo eleito, a democracia e a liberdade. - Agora não vi, em dias anteriores a TV Globo sair em defesa de uma senhora e filha que foram colocadas a força dentro de um camburão por estarem nadando em Copacabana, outra ser algemada por estar numa praça em Araraquara/SP ou um trabalhador também ser algemado e conduzido brutalmente para uma DP no Piauí. - A maior violência que o povo sofre no Brasil é aquela contra seus direitos fundamentais, com o apoio ou omissão da Rede Globo."
- Em tweet de 04/05/2020.[732]
  • "Vai sair da superintendência para ser diretor-executivo da PF. Eu não tô trocando ele, isso é uma patifaria, cala a boca, não perguntei nada, jornal patife e mentirosa, cala a boca. Se eu tivesse ingerência para a PF ele não iria para lá."
- Para uma jornalista na saída do Palácio da Alvorada, em 05/05/2020, sobre a troca do superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro.[733]
  • "Vamos lá. O caso do porteiro. Eu fui acusado de tentar matar Marielle. Você quer coisa mais grave? Não interessa quem seja. Fui acusado de assassinato. Um presidente da República acusado de assassinato. A Polícia Federal tinha que investigar. Por que não investigou com profundidade? Para tentar dizer que eu conhecia um ex-policial militar que mora no meu condomínio, um dos acusados de ter matado a Marielle pintou aquela história que eu meu filho 04 teria namorado a filha dele. Tentaram botar na conta do Flávio Bolsonaro a morte da Marielle e esse ex-sargento lá do Rio de Janeiro é que meu filho Flávio tinha intenção de matar Marielle porque ela ia concorrer ao Senado, para não haver divisão de votos. Meu Deus do céu! Eleitor do PSOL não vota em mim. Meu eleitor não vota no PSOL. Isso é piada. Vira e mexe querem botar na conta do Carlos a morte da Marielle. Qual a intenção de matar a Marielle. Primeiro em mim. Quando é que teve um contato meu. Eu mal lembro da Marielle. Não lembro dela."
- Em 05/05/2020, após ser perguntado por jornalistas sobre a dispensa de Carlos Henrique Oliveira do cargo de superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro.[734]
  • "A senhora é jornalista?"
- Na saída do Palácio da Alvorada em 07/05/2020, para uma apoiadora que havia lhe perguntado sobre as provas de que as eleições de 2018 teriam sido fraudadas, citadas por Bolsonaro em 09/03/2020.[735]
  • "A economia não pode parar porque a economia também é vida. Por isso um grupo de empresários aqui, mais uma vez um grupo de empresários aqui. Esse grupo responsável por 45% do PIB nacional, responsável por 30 milhões de empregos. A indústria comercial está na UTI. Não há mais espaço para postergar. O sentimento deles, o posicionamento deles, é que a abertura gradual e responsável tem que começar o mais rápido possível, caso contrário, vai atingir a situação de países que já conhecemos e fica impossível voltarmos a sermos o que éramos em janeiro. Aquela história de que 'a economia, deixa pra lá, primeiro vidas', não é verdade. Sempre disse que as duas atividades têm que ser tratadas com responsabilidade."
- Após reunião em 07/05/2020 com Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal; Paulo Guedes, ministro da Economia; empresários da indústria.[736]
  • "Outros virão nas próximas horas, nos próximos dias. Porque o que não está no decreto ficou decidido, segundo o Supremo Tribunal Federal, estados e municípios diriam se poderia ou não funcionar essas categorias, então alguns estados e municípios, alguns -- não estou brigando com ninguém pelo amor de Deus -- no entendimento de muita gente, dos empresários, exageraram. É comum acontecer, faz parte da razão do ser humano. Então nós vamos começar a colocar mais categorias essenciais para nós podemos abrir com responsabilidade e observando as normas do Ministério da Saúde, de modo que nós possamos, cada vez mais rápido voltar a atividade normal. Caso contrário, depois da UTI é o cemitério e não queremos isso para o nosso Brasil."
- Após reunião em 07/05/2020 com Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal; Paulo Guedes, ministro da Economia; empresários da indústria.[736]
  • "Estou cometendo um crime. Vou fazer um churrasco no sábado aqui em casa. Vamos bater um papo, quem sabe uma peladinha, alguns ministros, alguns servidores mais humildes que estão do meu lado. Vai ter vaquinha de R$ 70. Não terá bebida alcoólica, se não, a primeira-dama coloca todo mundo para correr."
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 07/05/2020.[737]
  • "O ministro da CGU vai trazer o filho dele de 13 anos, falei que ele não olhe pra Laura se não o bicho vai pegar, tá certo?"
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 07/05/2020, sobre o churrasco que realizaria.[738]
  • "É uma minoria barulhenta, uns realmente têm razão, outros se equivocaram e outros não têm direito. Mas tudo bem."
Durante transmissão ao vivo pelo Facebook em 07/05/2020, sobre solicitantes do auxílio emergencial de R$ 600,00 cujas solicitações não haviam sido aprovadas.[739]
  • "Saúde não é vida? Por que as academias estão fechadas?"
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 08/05/2020.[740]
  • "Só vou convidar imprensa. Já tem 180 convidados. 210 convidados já tem. E 210 chefes de família. Deve dar 500 pessoas o churrasco amanhã. 700 pessoas confirmaram. Tá todo mundo convidado aqui: 800 pessoas no churrasco. Tem mais o pessoal de Águas Lindas. Tem mais 900 pessoas no churrasco amanhã. Tem mais um pessoal de Taguatinga: 1.100 pessoas. Última palavra aqui. Tem 1.300 convidados. Quem estiver amanhã aqui, se tiver mil, a gente bota para dentro. Então, já está mais ou menos 3 mil pessoas no churrasco amanhã, tá ok?"
- Na entrada do Palácio da Alvorada em 08/05/2020.[741][742][743]
  • "Alguns jornalistas idiotas criticaram o churrasco FAKE, mas o MBL se superou, entrou com AÇÃO NA JUSTIÇA."
- Em tweet de 09/05/2020 sobre o churrasco que ele próprio havia anunciado.[738]
  • "O exército de desempregados cada vez aumenta mais. O caos se aproxima?"
- Em tweet de 09/05/2020 acompanhado de link para a notícia do Bahia Notícia intitulada Itapetinga: Renata Mello fecha fábricas e demite 1.800 funcionários durante pandemia.[744]
  • "Tudo em paz aí? Se não cuidar, pode entrar em caos o Brasil. Aviação, vocês estão 90% no chão. Vai (sic) acabar as férias coletivas... É uma neurose! Setenta por certo vai (sic) pegar o vírus, não tem como. É uma loucura!..."
- Para profissionais de aviação, durante passeio de moto aquática no lago Paranoá, em 09/05/2020.[745]
  • "Não é verdade essa informação, porque está no protocolo. Tem estado que não está aceitando, está dificultando, outros não. Tem a cloroquina aqui nas farmácias em Brasília. Em alguns estados, não tem. Vamos tentar correr atrás (de) por que não tem."
- Na saída do Palácio da Alvorada em 11/05/2020, respondendo a um apoiador sobre se o ministro da Saúde, Nelson Teich, estaria demorando a "endossar" o uso de hidroxicloroquina para pacientes com COVID-19.[746]
  • "O povo tem que voltar a trabalhar. E quem não quiser trabalhar que fique em casa, porra. Ponto final. Agora, para ser politicamente correto, muita gente não fala nada ou fica adotando essas medidas de isolamento total. "O homem que está passando fome, ele perde a razão. [...] Ele chega em casa e vê o filho chorando de fome. Não pode fazer nada porque não tem como vender o churrasquinho de gato na praça, vender o biscoito Globo na praia. Ele se desespera, porra. Ele fica doido. Briga em casa, briga com o vizinho... É uma pessoa que vai perdendo a razão. Vamos esperar chegar nesse ponto para reagir? [...] Ficar em casa para quem pode, legal. Sem problema nenhum. [...] O governador de São Paulo falou o quê: que é melhor o isolamento do que a morte, do que o sepultamento. Mas quem ficar em casa parado vai morrer de fome. Até o urso, quando hiberna, tem um prazo para hibernar."
  • - Na saída do Palácio da Alvorada em 13/05/2020.[747]

SobreEditar

1988Editar

  • "Punido por ter elaborado e feito publicar, em uma revista semanal, de tiragem nacional, sem conhecimento e autorização de seus superiores, artigo em que tece comentários sobre a política de remuneração do pessoal civil e militar da União: ter abordado aspectos da política econômica e financeira fora de sua esfera de atribuição e sem possuir um nível de conhecimento global que lhe facultasse a correta análise; por ter sido indiscreto na abordagem de assuntos de caráter oficial, comprometendo a disciplina; por ter censurado a política governamental; por ter ferido a ética, gerando clima de inquietação no âmbito da OM [organização militar] e da Força e por ter contribuído para prejudicar o excelente conceito da tropa paraquedista no âmbito do Exército e da Nação (NR 63, 65, 66, 68 e 106 do anexo I, com agravantes do NR 2 e letra “C” NR 6 do artigo 18, tudo do RDE, fica preso por 15 (quinze) dias."
- Boletim de 02/09/1986 sobre a prisão do capitão.[748]

1991Editar

  • "Embusteiro, intrigante e covarde. A importância que dou às declarações limita-se ao sentimento de estar sendo respingado por porcarias que o senhor retira da sua própria sujeira e joga no ventilador da sua maledicência. O senhor me enoja. [Não disponho] nem de tribuna, nem de imprensa, nem de folhetim propagandístico, meios que sobram e são usados grosseiramente por Bolsonaro. [...] [Bolsonaro é capaz de] inventar e deturpar visando aos interesses pessoais e da política e de tentar se projetar aliás tristemente: desacreditando um homem e sua carreira, montada em procedimentos dignos de altos princípios."
- Jonas de Morais Correia Neto, general chefe do Estado-Maior das Forças Armadas (EMFA), em carta a Bolsonaro de 10/03/1991, após críticas do deputado federal ao EMFA sobre os soldos.[19][20]

1992Editar

  • "Ele tem agido mais como um sindicalista do que como um deputado realmente interessado em defender os interesses da instituição."
- Carlos Tinoco, então ministro do Exército, ao Jornal do Brasil em 05/1992.[749]

1993Editar

  • "Estupidossauro Bolsonarus: a maior besta que já caminhou sobre a face da terra."
- Em charge de Aroeira, na qual Bolsonaro é mostrado como um dinossauro usando coturnos, publicada da edição de 28/06/1993 do jornal O Globo, após o então deputado federal defender o retorno de uma ditadura no Brasil.[750]
  • "Neste momento em que estamos aqui conversando, há muitos dizendo: 'Temos que dar um golpe! Temos que derrubar o presidente [Itamar Franco]! Temos que voltar à ditadura militar!' E não é só o Bolsonaro, não! Tem muita gente no meio civil que está pensando assim. Quantos vêm falar comigo, me amolar com esse negócio: 'Quando é que o Exército vai dar o golpe? O senhor tem que agir, é preciso voltar!' São as vivandeiras!"
- Ernesto Geisel, general e presidente do Brasil na ditadura, em 28/07/1993.[751]

1994Editar

  • "Presentemente, o que há de militares no Congresso? Não contemos o Bolsonaro, porque o Bolsonaro é um caso completamente fora do normal, inclusive um mau militar. Mas o que é de militar no Congresso? Acho que não há mais ninguém. Minha opinião é que, à medida que o tempo passa, essa ingerência vai diluindo e desaparecendo. Tem raízes históricas, mas agora, com a evolução, vai acabar."
- Ernesto Geisel, general e presidente do Brasil na ditadura, em 04/1994.[751]

1998Editar

  • "Se Bolsonaro não defende nem o direito à vida, como é que quer presidir a Comissão de Direitos Humanos?. Isso é uma provocação, uma tentativa de desmoralizar a luta em defesa dos direitos humanos."
- Suzana Lisboa, integrante da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos do Regime Militar, sobre a candidatura de Bolsonaro para a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em reportagem da Folha de S.Paulo de 13/03/1998.[42]

1999Editar

  • "Não vi e não tenho por que tomar conhecimento das loucuras de alguém que, evidentemente, perdeu o senso e o juízo. Se ele pensa isso, deveriam cassar o mandato dele."
- Antônio Carlos Magalhães, então presidente do Senado, em 05/1999, sobre as falas que Bolsonaro havia feito no programa Câmera Aberta na semana anterior.[53]
  • "[Suas declarações] demonstram que ele não se converteu à democracia."
- Fernando Henrique Cardoso, então presidente da República, em 05/1999, sobre as falas que Bolsonaro havia feito no programa Câmera Aberta na semana anterior, entre as quais a de que o Brasil só mudaria se houvesse uma guerra civil, começando por matar FHC.[53]

2000Editar

  • "Há um deputado que, a meu ver, a Câmara é que devia cuidar dele e deve cuidar porque ele passou dos limites."
- Fernando Henrique Cardoso, então presidente da República, em entrevista ao telejornal Bom Dia Brasil em 04/01/2000, após Bolsonaro dizer que o presidente deveria ser fuzilado.[56]

2006Editar

  • "Ele abusa das prerrogativas de parlamentar. Acho que apresentar um projeto e dizer que é contra é até falta de decoro parlamentar. É lamentável".
- Luiz Alberto (PT-BA), deputado federal em 2006, presidente da Frente de Defesa da Igualdade Racial, quando Bolsonaro apresentou um projeto de lei propondo cotas para parlamentares negros e afirmou ser contra o próprio projeto.[752]

2011Editar

  • "Inimigo da democratização do país, saudoso assumido do regime militar, Bolsonaro cultiva a técnica publicitária de unir o preconceito à política. O pioneiro dessa estratégia foi Adolf Hitler. Ele não era inimigo de judeus. Nem inimigo de comunistas. Sua causa era combater o judaico-bolchevismo."
- Paulo Moreira Leite, então diretor da sucursal da revista IstoÉ em Brasília, em 2011.[753]
  • "Ah, esse homem eu nunca pude suportar! Já tive com ele aborrecimentos sérios. Ele é um radical e eu não suporto radicais, inclusive os radicais da direita. Eu não suportava os radicais da esquerda e não suporto os da direita. Pior ainda os da direita, porque só me lembram o livrinho da Simone de Beauvoir sobre 'O pensamento de direita, hoje': 'O pensamento da direita é um só: o medo'. O medo de perder privilégios."
- Jarbas Passarinho, ex-militar, ministro e presidente do Senado durante a ditadura militar, em entrevista ao portal Terra Magazine de 31/03/2011.[754]
  • "Nem todos os militares estão ligados a ele, mas como ele é o único que aparece falando... [...] Ele irrita muito os militares também, porque quando está em campanha, em vez de ele ir ao Clube Militar, como oficial, ele vai pernoitar no alojamento dos sargentos. Pra ganhar a popularidade dele. Quando eu fui ministro da Justiça, recebi a visita de uma viúva de um brigadeiro de quatro estrelas. Ela era pensionista, portanto. Sabe que a pensão dela, naquela ocasião, no governo Collor, era o que um cabo recebia na ativa? O Collor me autorizou a tentar fazer uma modificação daquilo, pra ter pelo menos um pouco mais de dignidade. Ele (Bolsonaro) me viu fazendo isso. Ficou calado, veio com a esposa dele lá do Rio (de Janeiro), e em seguida ele foi pra tribuna e deu aquilo como projeto de lei dele. Por aí tu vês qual é a pessoa."
- Jarbas Passarinho, ex-militar, ministro e presidente do Senado durante a ditadura militar, em entrevista ao portal Terra Magazine de 31/03/2011.[754]
  • "Foi mau militar, só se salvou de não perder o posto de capitão porque foi salvo por um general que era amigo dele no Superior Tribunal Militar (STM). O ministro (do Exército), que era o Leônidas (Pires Gonçalves), rompeu com esse general por causa disso."
- Jarbas Passarinho, ex-militar, ministro e presidente do Senado durante a ditadura militar, em entrevista ao portal Terra Magazine de 31/03/2011, sobre o protesto pelo aumento do soldos dos militares liderado por Bolsonaro.[754]
  • "Ele já teve um aborrecimento comigo. Um cadete meu, que depois foi paraquedista e fez parte da luta contra a guerrilha do Araguaia, Lício Maciel, que esteve à morte, uma guerrilheira atirou na boca dele... Quase foi o fim. E o Lício Maciel foi na conversa do Bolsonaro, que o levou para uma sessão (no Congresso). Ele entrou e levou o Lício, que foi na conversa dele e começou a dizer: "(José) Genoíno, você tenha a coragem de dizer aqui na minha frente que foi torturado... Você mente! Você foi preso por mim, pelo meu grupo". Depois eu soube, por uma mulher da esquerda, que ele (Genoíno) confessou que lá ele não foi torturado, mas depois. Então, Bolsonaro submeteu esse rapaz a um vexame, porque ele entrou numa sessão do Congresso. Eu escrevi um artigo e mostrei a total imprudência e irresponsabilidade do deputado. Submeter um oficial brilhante, digno, que tinha exercido sua atividade contra a guerrilha sem nunca ter participado de uma violência física, e ao contrário, sofreu, para depois ser expulso de uma sala da maneira vergonhosa como foi!... Ele escreveu para o "Correio Braziliense" me metendo o pau. Era a primeira vez que ele tinha coragem, depois de tantos atritos. Ele (Bolsonaro) me insultou, dizendo que eu era um escondido da esquerda, um infiltrado, não sei o quê. E mais ofensas de natureza pessoal. O "Correio" não publicou. Ele ficou indignado. Eu não gosto nem de falar sobre ele, porque tudo isso vem à mente."
- Jarbas Passarinho, ex-militar, ministro e presidente do Senado durante a ditadura militar, em entrevista ao portal Terra Magazine de 31/03/2011.[754]
  • "Tudo tem limites. Vou processá-lo em nome da minha avó."
- Felipe Santa Cruz, em 21/09/2011, então presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Estado do Rio de Janeiro (Caarj), após Bolsonaro dizer em palestra na Universidade Federal Fluminense que Fernando Santa Cruz, pai de Felipe e desaparecido depois de preso em 1974 pelo DOI-CODI do mesmo estado, teria morrido bêbado num acidente de carnaval.[114]
  • "Bolsonaro é um exibicionista com quem não se deve nem perder muito tempo. Meu amigo Felipe Santa Cruz, presidente da Caarj, tem minha integral solidariedade. Estamos diante de algo dito por um cidadão que se escuda na imunidade parlamentar para fazer provocações sem ser chamado a prestar contas. O que Bolsonaro afirmou, além de desrespeitoso com um mártir da luta pela democracia, configura-se como covardia, pois ele atacou uma pessoa morta, que não pode mais se defender."
- Wadih Damous, em 21/09/2011, então presidente da OAB do Rio de Janeiro, após Bolsonaro dizer em palestra na Universidade Federal Fluminense que Fernando Santa Cruz, pai de Felipe Santa Cruz e desaparecido depois de preso em 1974 pelo DOI-CODI do mesmo estado, teria morrido bêbado num acidente de carnaval.[114]

2013Editar

  • "Esse deve ter sido um dos mais estranhos e sinistros encontros que eu já experenciei. Bolsonaro é o típico homofóbico que encontrei pelo mundo todo, com seu mantra de que os gays querem dominar a sociedade, recrutar crianças ou abusar delas. Mesmo num país progressista como o Brasil, suas mentiras criam histeria entre os ignorantes, dos quais a violência pode surgir e acabar em ataques brutais como o que matou Alexandre Ivo. Podemos ver claramente que foi um crime homofóbico, o que faz a indiferença dos políticos ainda mais horrível para mim."
- Stephen Fry em seu documentário Out There, em outubro de 2013, após entrevistar Bolsonaro.[137]
  • "Ver tanta ignorância, brutalidade, estupidez e horror não ajudou. Tive que me concentrar para não perder a calma diante dos absurdos ditos por esse senhor."
- Stephen Fry, sobre Bolsonaro após entrevistar o deputado para o documentário Out There, em outubro de 2013.[136]

2014Editar

  • "Vou, de forma democrática, indeferir o requerimento do Parlamentar Bolsonaro, porque esta Casa jamais poderia homenagear uma revolução que cassou 173 Deputados Federais, fechou esta Casa por três vezes e, durante o período em que esta esteve fechada, editou praticamente por um ato, por uma emenda outorgada, uma nova Constituição."
- Henrique Eduardo Alves, então presidente da Câmara dos Deputados, em sessão de 25/03/2014, sobre requerimento de sessão solene para homenagear o golpe militar de 1964.[755]
  • "O representante eleito mais misógino e odioso do mundo democrático."
- Matéria de Glenn Greenwald e Andrew Fishman para o site The Intercept, em 11/12/2014.[155]
  • "[...] Bolsonaro é uma desgraça nacional sem igual. Ele tem uma longa história de revoltante racismo, homofobia e outras formas variadas de fanatismo que se espera de um admirador da ditadura militar. [...] Em certo sentido, Bolsonaro é a mais extrema e repelente face de uma tentativa de direita ressurgente, dirigida por evangélicos, de atrasar o país em décadas, exatamente na direção oposta a que a maioria dos outros países civilizados está indo."
- Matéria de Glenn Greenwald e Andrew Fishman para o site The Intercept, em 11/12/2014.[155]
  • "Um homem odioso que talvez, mais do que qualquer outra pessoa, exemplifique o lado atrasado do Brasil que ainda é uma presença enorme e tragicamente preocupante nesta grande nação."
- Andrew Downie, jornalista, em entrevista a The Intercept, 11/12/2014.[155]
  • "São tantas polêmicas que os políticos sulfurosos de outros países podem apenas se curvar. Suas palavras são tão extremas que seriam quase caricaturais se ele não assumisse tudo."
- Luc Vinogradoff em matéria do Le Monde em 12/12/2014.[756]

2016Editar

  • "[...] é devastador saber que uma pessoa com tanta influência tenha tanto desdenho com a comunidade gay."
- Ellen Page após entrevistar Bolsonaro para o documentário Gaycation, em 03/2016.[163]
  • "A democracia tem mesmo que conviver com quem a ameaça, como o deputado Jair Bolsonaro? O que ele defende e proclama fere cláusulas pétreas. Um dos seus ideais ameaça o pilar básico da Constituição, que é a democracia. Ele usa a democracia para conspirar contra ela abertamente e sob a cobertura de um mandato. Ele exaltou em seu voto a tortura, que é um crime hediondo, e fez, inclusive, o elogio à figura do mais emblemático dos torturadores do regime militar, Carlos Alberto Brilhante Ustra. [...] Por que não sofre um processo de cassação pelo Conselho de Ética da Câmara dos Deputados? O Supremo Tribunal Federal, em cujo foro ele está, deveria ser consultado sobre como agir nestes casos em que um político com prerrogativa de foro usa a sua imunidade para ameaçar explicitamente o país com a defesa do fim da democracia e fazer a apologia de um crime hediondo."
- Míriam Leitão. O Globo, 18/04/2016.[757]
  • "Esse simplismo de quem simpatiza com Bolsonaro é o que torna o deputado algo mais que uma piada sem graça. Na carência de saídas políticas sólidas, na onda de descrédito dos políticos, Bolsonaro prospera com um jeito apolítico. Nos Estados Unidos, isso foi um trunfo para o desastroso Donald Trump passar de bufão a ameaça real. Bolsonaro é um meme de si mesmo. Ecoa as convicções dos brasileiros mais reacionários. Exagera no barulho para disfarçar o oco. O lado externo de seu gabinete, contíguo ao do filho, parece uma página de boatos na internet. Ao lado da bandeira do Brasil e do Hino Nacional, há cartazes ridicularizando a Comissão da Verdade, que apurou crimes da ditadura militar. A notoriedade de Bolsonaro no plano nacional teve início quando ele começou a fazer discursos agressivos contra o 'kit gay' e a educação sexual nas escolas, em 2011. Não foi uma ascensão acidental. Foi estratégia."
- Flávia Tavares em matéria da revista Época de 21/04/2016.[758]
  • "Sua postura é puro cálculo. Não que ele não acredite no que fala. Mas tudo é pensado para os ouvidos de quem se choca ou vibra com seu destempero. [...] Bolsonaro depende do alvoroço que cria para crescer porque sua atuação parlamentar é pífia. Se não está no alto de um caminhão chutando pixulecos, ele não tem muito mais a mostrar."
- Flávia Tavares em matéria da revista Época de 21/04/2016.[758]
  • "Foi em muitos aspectos um casamento político entre o mais radical evangélico e o mais polêmico militarista, que juntos esperam conceber uma nova geração de governos de ultradireita. Bolsonaro traz o apoio de uma rica elite católica para a rede de igrejas evangélicas de base de Feliciano."
- Jonathan Watts, editor do The Guardian, em 05/05/2016[759]
  • "Caros, apenas FYI [para seu conhecimento], estou cancelando a ida para o premio [sic] à FT [força-tarefa da Lava Jato] em SP por revisão da recomendação da ASCOM [assessoria de comunicação] após sair a programação do evento, que tem perfil mto de direita, com Jair Bolsonaro como um dos vários palestrantes e com homenagem a um vereador de SP [Fernando Holiday] que foi um dos líderes do impeachment. Indicarei Roberto Livianu (que entregarai [sic] o prêmio) ou Thamea como representantes da FT para receber o prêmio."
- Deltan Dallagnol, procurador da República responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba, em grupo de promotores no Telegram, em 20/10/2016, sobre o Prêmio Liberdade de 2016, que Dallagnol receberia no Fórum Liberdade e Democracia.[760]
  • "Esse é aquele em que ele nos representou quando cancelei a ida para SP porque é um instituto liberal e estariam lá Bolsonaro e outros radicais de direita ... guiness !! Kkkk kkkk"
- Deltan Dallagnol, procurador da República responsável pela Operação Lava Jato em Curitiba, em grupo de procuradores no Telegram, em 07/12/2016, em referência ao promotor Roberto Livianu, que recebeu o Prêmio Liberdade de 2016 por Dallagnol, e ao Instituto Mises Brasil.[760]

2017Editar

  • "Acabou que eu dei audiência para ele, porque ele foi a uns oito programas de televisão."
-Manuela Borges, repórter da RedeTV! que discutiu com Bolsonaro em 04/2014, entrevistada pelo portal UOL em 26/05/2017.[761]
  • "Bolsonaro não disputa e, se disputar, não tem chance."
- Lula, em entrevista a um canal do Youtube, 20/07/2017.[762]
  • "Congressista fascista do Brasil e candidato presidencial de 2018 responde minha crítica com uma nobre referência ao sexo anal gay, sempre na sua cabeça."
- Glenn Greenwald, jornalista e editor do site The Intercept Brasil que havia chamado Bolsonaro de "cretino fascista", em tweet de 04/09/2017, depois de o então deputado federal perguntar se Greenwald "queimava a rosca".[763]
  • "Primeiro, a candidatura dele é nacional. Segundo, é um dos dois ou três políticos que não se meteram em nenhum esquema de corrupção. Terceiro, ele tem algum amor ao Brasil."
-Olavo de Carvalho, escritor, explicando seu voto para Bolsonaro, em entrevista para a Folha de São Paulo publicada em 10/10/2017.[764]
  • "Suas declarações racistas, misóginas e antigays têm sido tão violentamente exageradas que a comparação com Trump — que Bolsonaro vê como modelo — é quase injusta com Trump. Como Trump, sua ascensão teve ajuda de grande parte da mídia brasileira; e como Trump, isso é paradoxal porque a maioria dos grandes meios de comunicação que o ajudaram não gostam dele."
-Mark Weisbrot, colaborador do US News, em 20/10/2017.[765]
  • "O radicalismo não leva a nada. Uma coisa é você ser radical como deputado. Outra é como candidato à Presidência. Vivemos num Estado laico e num Estado democrático de direito. Todos têm o direito de falar. Tem minorias que precisam ser respeitadas. Tudo isso você tem que debater, mas em alto nível."
-Carlos Manato, deputado federal (SD-ES) aliado de Bolsonaro, em entrevista ao jornal A Gazeta em 06/11/2017.[766]
  • "Diz-se pelo mercado livre e aberto e pela limitação da intervenção estatal, apesar de ter votado consistentemente ao lado do PT em todos os projectos mais estatizantes e de recair de vez em quando na defesa de um proteccionismo nacionalista. "
- Maria Henrique Espada, em artigo para a edição de 29/11/2017 da revista portuguesa Sábado.[767]

2018Editar

  • "Não é brincadeira um homem – foi meu colega, não tenho nada pessoal com ele: o Bolsonaro – estar empolgando tanta gente, por quê? Porque ele representa essa repulsa que o povo brasileiro está sentindo contra todos os que representamos alguma coisa organizada daquilo que a sociologia chama de elite. Elite, no melhor sentido da palavra. Então, quando Bolsonaro vai pra Globo, o jornalismo da Globo acha que tem o direito de tutelar a sociedade brasileira. E aí foi pra cima do Bolsonaro pra mostrar essa tutela. Ele saiu de lá mais herói do que nunca. Olha: ele brincou com a sexualidade do Merval Pereira, ele fez o Ali Kamel [diretor de jornalismo da emissora] perder a calma e obrigar a Míriam Leitão a ler um editorial com um ponto no ouvido, ele chamou o [Gerson] Camarotti de imoral porque o Camarotti evade-se fiscalmente de pagar o imposto de renda."
- Ciro Gomes, em sabatina do BTG Pactual em 08/2019.[768]
  • "O que está a acontecer hoje com Jair Bolsonaro é como a ascensão de Hitler na Alemanha. Para mim, é um candidato que segue o mesmo caminho. [...] Assusta-me muito. Bolsonaro é uma ameaça muito real para nós. Ele teve um grande crescimento individual, tem um público eleitor jovem. São homens de classe média, que têm acesso à informação, mas que optaram por aceitar o discurso retrógrado de Jair Bolsonaro."
- Luize Valente, jornalista, em entrevista à agência Lusa, em 13/01/2018.[769]
  • "Uma pesquisa divulgada por Bolsonaro atestou que o leite do animal é capaz de combater uma superbactéria. Agora só falta os cientistas acharem a finalidade de Bolsonaro. O candidato salientou as qualidades do ornitorrinco, que, segundo ele, é da Amazônia. O animal, porém, vive na Austrália. Em breve Bolsonaro também citará as vantagens de um animal tipicamente brasileiro, o canguru. O ornitorrinco, que tem bico de pato e corpo de mamífero, havia muito intrigava a ciência. Imediatamente começaram as pesquisas para descobrir por que uma outra espécie, que defende a ditadura, disputa eleições."
Coluna humorística Sensacionalista. Veja, 23/03/2018.[770]
  • "Ele é um cara que vem trabalhando na base da falácia. Inclusive, eu penso hoje que a gente teve um papel meio principal, uma coisa que eu me arrependo um pouco. Ele era um cara tão ignorante, tão patético, sem nenhum tipo de competência e com valores morais tão deturpados que, pra gente, era um personagem tão bizarro, que era engraçado. A gente não tinha ideia que boa parte da população se identificaria com um ser humano tão vil assim. Acho que a gente, infelizmente, contribuiu."
Mônica Iozzi em entrevista a Rafael Cortez, ambos ex-repórteres do CQC, sobre a aparição de Bolsonaro no programa em 2011. Estadão, 04/04/2018.[771]
  • "[...] Jair Bolsonaro tratou com total menoscabo os integrantes de comunidades quilombolas. Referiu-se a eles como se fossem animais, ao utilizar a palavra “arroba”. Esta manifestação, inaceitável, alinha-se ao regime da escravidão, em que negros eram tratados como mera mercadoria, e à ideia de desigualdade entre seres humanos, o que é absolutamente refutado pela Constituição brasileira e por todos os Tratados e Convenções Internacionais de que o Brasil é signatário, que afirmam a igualdade entre seres humanos como direito humano universal e protegido. Não satisfeito, o acusado afirmou que os quilombolas não fazem nada e não servem nem para procriar, depreciando-os de modo enfático e absoluto, apenas por sua condição pessoal. Jair Bolsonaro ainda consignou, em comparação, que os japoneses são um povo trabalhador, que não pede esmola. Assim, evidenciou que, em sua visão, há indivíduos ou povos superiores a outros, tratando quilombolas como seres inferiores. [...], Jair Bolsonaro incita a discriminação entre seus ouvintes em relação aos estrangeiros, principalmente ao sustentar situações de envolvimento destes com práticas de guerrilha e luta armada [...]. Estas manifestações feitas pelo acusado [...] reforçam atitudes de violência e discriminação que são vedadas pela Constituição e pela lei penal, notadamente em face de estrangeiros ou imigrantes [...]. Ao assim agir, Jair Messias Bolsonaro praticou a conduta ilícita tipificada no art. 20, caput da Lei 7.716/89, vez que, em seu discurso tratou os quilombolas como seres inferiores, igualando-os a mercadoria (discriminação) e ainda reputou-os inúteis, preguiçosos (preconceito) e também incitou a discriminação em relação aos estrangeiros, estimulando os presentes no Clube Hebraica, um público de cerca de trezentas pessoas, além de outras pessoas que tiveram acesso a vídeos divulgados do evento, a pensarem e agirem de igual forma (induzimento e/ou incitação)."
Raquel Dodge, procuradora-geral da República, em denúncia contra o deputado ao Supremo Tribunal Federal, em 12/04/2018.[148]
  • "É importante explicar por que o Jair está subindo nas pesquisas. Você sabe qual é a função básica de um governo? Se você perguntar isso para um social-democrata, ele dirá que é saúde, educação, mas não é isso. Essa pauta é recente na história, surgiu há uns 300 anos, depois da Revolução Francesa. A função básica de um governo é preservar vidas e propriedades, e surgiu 500 anos atrás, com Thomas Hobbes e depois com John Locke. É o que o Bolsonaro está dizendo, preservar vidas e propriedades. Então, o Bolsonaro está subindo porque ele significa uma expectativa de ordem sobre esta agenda que foi ignorada nos últimos 30 anos."
- Paulo Guedes, economista, ao InfoMoney em 05/2018.[772]
  • "Não acredito nas convicções liberais do Bolsonaro. Tem que olhar o histórico de votações. Não é convicção liberal. Não acredito sequer que tem compromisso com as reformas. [...] O Bolsonaro também é comprometido com as corporações. De todo o espectro ideológico, a lógica é a mesma: servir as corporações. A extrema-esquerda segue a corporação dos professores. A extrema-direita, dos militares. É a mesma coisa. Muda a embalagem."
- Flávio Rocha, empresário dono das lojas Riachuelo, em 06/06/2018, enquanto era pré-candidato a presidência da República.[773]
  • "[...] o Sr. Bolsonaro seria um presidente desastroso. Sua retórica mostra que ele não tem respeito suficiente por muitos brasileiros, incluindo gays e negros, para governar de forma justa. Há pouca evidência de que ele entende os problemas econômicos do Brasil bem o suficiente para resolvê-los. Suas genuflexões à ditadura fazem dele uma ameaça à democracia em um país onde a fé nela foi abalada pela exposição do suborno e a miséria da crise econômica."
- Artigo da revista The Economist de 09/08/2018.[774]
  • "Mas aí é uma coisa que cabe a ele responder."
- Waldirene Santos da Conceição, a Wal, então secretária parlamentar de Bolsonaro, em conversa com jornalista da Folha S.Paulo em Angra dos Reis na tarde de 13/08/2018, sobre trabalhar como vendedora na loja Wal Açaí, em Angra dos Reis, no horário de seu expediente no gabinete do deputado, em Brasília.[775]
  • "Ante a superpopulação nas prisões e o aumento da violência urbana, propõe armar a população para que mate os criminosos. E quem não está de acordo deve ser um criminoso também, insinua. Sua guerra de frases de efeito distorcem qualquer intenção de debater. Seu discurso incendiário tem permeado em seus seguidores, que têm dito que se não ganhar as eleições, se deverá a uma fraude eleitoral."
- Carol Pires, repórter do The New York Times, em 27/07/2018.[776]
  • "Eu poderia até como cidadã e como qualquer cidadão brasileiro fazer questionamentos sobre seus proventos porque o senhor é um funcionário público há 27 anos e eu, como contribuinte, ajudo a pagar o seu salário. O meu salário não diz respeito a ninguém e eu posso garantir ao senhor, como mulher, que eu jamais aceitaria receber um salário menor de um homem que exercesse as mesmas funções e atribuições que eu."
- Renata Vasconcellos, apresentadora do Jornal Nacional, durante entrevista do então candidato a presidente em 28/08/2018, após comentário dele sobre o salário da entrevistadora.[777]
  • "O livro conta ainda com uma seção chamada ‘Fique esperto’, que alerta os adolescentes para situações de abuso, explica o que é pedofilia — mostrando como tal ato é crime —, o que é incesto e até fornece o contato do Disque-denúncia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes e da Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Ao contrário do que afirmou erroneamente o candidato à Presidência em entrevista ao Jornal Nacional na noite de 28 de agosto, ele nunca foi comprado pelo MEC, como tampouco fez parte de nenhum suposto ‘kit gay’. O Ministério da Cultura comprou 28 exemplares em 2011, destinados a bibliotecas públicas."
- Nota à imprensa emitida pela editora Companhia das Letras, de 29/08/2019, após o então candidato a presidente, durante entrevista ao Jornal Nacional, exibir o livro Aparelho Sexual e Cia, publicado pela editora, acusando-o de ser pornográfico.e de fazer parte de um suposto "kit gay" comprado pelo MInistério da Educação.[778]
  • "Renata Vasconcellos tentou apertar Bolsonaro sobre a questão da desigualdade salarial entre homem e mulher, uma pauta endossada pelo movimento feminista radical. Só há um problema: é falso que mulheres ganham menos, dada a produtividade. Quando o entrevistado puxou da cartola que o próprio William Bonner ganha mais do que a colega, gerou mal estar, mas não mentiu."
- Rodrigo Constantino, economista, em coluna na Isto É publicada em 31/08/2018, comentando sobre entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional.[779]
  • "[...] o candidato lembrou que o problema não é com homossexual, mas sim com a doutrinação em sala de aula, para crianças. Ao mostrar um livro aprovado pelo MEC para escolas infantis, os entrevistadores entraram em pânico e pediram para Bolsonaro não expor o material no ar. Ou seja, o público da Globo não pode ver aquilo que crianças aprendem nas escolas públicas. Outro gol do candidato."
- Rodrigo Constantino, economista, em coluna na Isto É publicada em 31/08/2018, comentando sobre entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional.
  • "Exageram ao dizer que Bolsonaro é uma ameaça à democracia. Tentam pintá-lo como um monstro. Quando o PT pratica chicanas jurídicas, como no episódio do desembargador Rogério Favreto, para tentar garantir a candidatura de Lula, isso não é uma ameaça? Bolsonaro não é o vilão da eleição, seus oponentes não são os mocinhos."
- Jorge Zaverucha, professor universitário e cientista político, em entrevista a Folha de S. Paulo em 9 de setembro de 2018.[780]
  • "O cerne da manifestação é uma crítica a políticas de governo, a políticas com as quais não concorda o denunciado, não chegando a extrapolar para um discurso de ódio"
- Ministro Alexandre de Moraes, em seu voto, o decisivo, no processo por crime de racismo ao qual Bolsonaro era acusado. 11/09/2018.[781]
  • "Suas declarações, principalmente as mais grosseiras e vulgares em momento algum tiveram intuito, pelo menos o intuito objetivo que se percebe, de negar o sofrimento ou ser contra, o sofrimento causado aos negros e seus descendentes pela escravidão"
- Ministro Alexandre de Moraes, em seu voto, o decisivo, no processo por crime de racismo ao qual Bolsonaro era acusado. 11/09/2018.
  • "Ou seja, declarações absolutamente desconectadas da realidade. Mas no caso em questão, na contextualidade da imunidade, não me parece que, apesar da grosseria, apesar do erro, da vulgaridade, do desconhecimento das expressões, não me parece que a conduta do denunciado tenha extrapolado os limites da liberdade de expressão qualificada e abrangida pela imunidade material. Não teria a meu ver extrapolado um verdadeiro discurso de ódio, de incitação ao racismo ou à xenofobia"
- Ministro Alexandre de Moraes, em seu voto, o decisivo, no processo por crime de racismo ao qual Bolsonaro era acusado. 11/09/2018.
  • "Deus me livre! Vocês querem destruir o Brasil? Isso [Bolsonaro] não sabe nada, isso é um bandido! Trinta anos [no Congresso], só fez pra ele e pra família. [Não fez] Nada! Isso é um vagabundo total! E ele tá quase morto. Tá quase morto. Não ganha [de] ninguém no segundo turno. Vocês estão enganados, vocês estão enganados. E eu tô bravo, eu tô bravo. Vocês querem honestidade, ou querem pilantragem? Malandro das praias cariocas não vai fazer nada pelo Paraná, não. Eu vou dizer: ele é vagabundo. Se não fosse a facada, eu estaria destruindo ele hoje..
- Alvaro Dias, senador pelo Paraná e então candidato a presidente, durante ato de campanha[782] em Toledo/PR, 16/09/2019.[783]
  • "Dr. Duke & Tom Kawczynski celebram a saída da embaixadora (prostituta) e a fabricação por Bolsonaro da Revolução Pró-Brancos!" [...] Eles também falaram sobre a guerra civil, o Dia de Colombo e o impressionante Jair Bolsonaro, o brevemente eleito generalíssimo do Brasil.
- David Duke, supremacista branco estadunidense ex-líder da Ku Klux Klan, em 09/10/2018, na chamada para o programa de rádio em seu site.[784]
  • "Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista. Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil e a enorme criminalidade que existe ali, como por exemplo nos bairros negros do Rio de Janeiro."
- David Duke, supremacista branco estadunidense ex-líder da Ku Klux Klan, em 09/10/2018, durante seu programa de rádio.[246]
  • "Há frases em matéria de condutas homofóbicas ou condutas pouco respeitosas com as mulheres ou pouco comprometidas com a democracia com as quais definitivamente discordo."
- Sebastián Piñera, presidente do Chile, em 09/10/2018.[785]

2019Editar

  • "Dizem que ele é o Donald Trump da América do Sul. Acreditam? Estou contente com isto! Se não estivesse, não gostaria tanto daquele país, mas eu gosto."
- Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, 14/01/2019, em convenção da American Farm Bureau Federation (AFBF).[786]
  • "Se tudo continuar como está, já está mal. Não precisa mudar nada para ficar mal. É só continuar assim. Mais seis meses, acabou. Ele não escolheu 200 generais. Foram 200 generais que o escolheram. Esse pessoal quer restaurar o regime de 1964 sob um aspecto democrático. Eles estão governando e usando o Bolsonaro como camisinha. Não digo que seja realidade, mas o que eles querem. O Mourão disse isso. Que voltaram ao poder pela via democrática. Se não é um golpe, é uma mentalidade golpista."
- Olavo de Carvalho, em Washington, 16/03/2019, sobre a presença de "traidores fardados" no governo Bolsonaro.[787]
  • "O capitão de exército de extrema-direita tem uma longa história de comentários que são antagônicos a valores americanos, especialmente quando se fala da comunidade LGBT. Bolsonaro já estimulou violência contra brasileiros LGBTQ. Mas são as suas relações e de sua família com policiais corruptos e gangues paramilitares que estão sendo manchete agora. Semana passada dois ex-policiais foram presos pelo assassinato de uma vereadora no ano passado e a mídia brasileira tem publicado fotos de Bolsonaro de braços dados com um dos suspeitos."
- Kristin Fischer, apresentadora da Fox News, em 18/03/2019.[788]
  • "Em uma visita oficial (não de Estado), o Senado não tem obrigação de participar. O presidente Piñera nos convidou para almoçar em homenagem a Bolsonaro e como Mesa decidimos não ir. Minha convicção não me permite homenagear aqueles que se manifestam contra minorias sexuais, mulheres e indígenas."
- Jaime Quintana, presidente do Senado do Chile, em tweet de 19/03/2019.[789]
  • "Ele precisa ter mais tempo pra cuidar da Previdência e menos tempo cuidando do Twitter, porque, se não, a reforma não vai andar."
- Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, sobre o engajamento de Bolsonaro na reforma da previdência, em entrevista à TV Globo em 22/03/2019[790].
  • "Tem que falar com ele para parar com esse lance de Twitter. Tá pegando mal pra caralho. Ciro botou agora: ‘Elegeram um garotinho de 13 anos twitteiro.’ Aí vem um milhão de comentários. ‘Tem garoto de 13 anos mais inteligente’, não sei o quê. Focar no governo e esquece essa porra de internet de lado. Ta pegando mal."
- Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, ex-deputado estadual, senador e filho do presidente, em áudio por WhatsApp em 03/2019.[791]
  • "Politicamente, eu só posso ir para partido. Trabalha isso aí com o chefe aí. Passando essa ventania aí, ficamos eu e você de frente. A gente nunca vai trair o cara. Ele sabe disso. E a gente blinda, a gente blinda legal essa porra aí. Espertalhão não vai se criar com a gente."
- Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, ex-deputado estadual, senador e filho do presidente, em referência a Jair Bolsonaro, em áudio por WhatsApp em 03/2019.[791]
  • "Estão fazendo chacota do governo dele. Rodrigo Maia está esculachando. Rodrigo Maia… As declarações dele humilha [sic] o Jair. Jair tinha que dar uma porrada nesse filha da puta. Botar o [ministro da Justiça] Sergio Moro para ir no calço [sic] dele. Tem p.... na bunda dele aí, antiga."
- Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, ex-deputado estadual, senador e filho do presidente, em áudio por WhatsApp em 03/2019.[791]
  • "Na época, o Jair falou para mim que ele ia exonerar a Cileide porque a reportagem estava indo direto lá na rua e para não vincular ela ao gabinete. Aí ele falou: ‘Vou ter que exonerar ela assim mesmo’. Ele exonerou e depois não arrumou nada para ela não? Ela continua na casa em Bento Ribeiro?"
- Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, ex-deputado estadual, senador e filho do presidente, em áudio por WhatsApp em 03/2019, referindo-se a Cileide Barbosa Mendes, empregada doméstica da família Bolsonaro, ex-babá de Carlos Bolsonaro, laranja na empresa de Ivan Mendes (ex-esposo de Ana Cristina Valle, ex-esposa de Jair Bolsonaro e mãe de Carlos) e funcionária-fantasma que recentemente havia sido exonerada do gabinete do vereador Carlos Bolsonaro.[792]
  • "São tremendamente infelizes. Não compartilho muito do que Bolsonaro diz sobre o tema."
- Sebastián Piñera, presidente do Chile, em 24/03/2019, sobre a posição de Bolsonaro quanto às ditaduras sul-americanas.[793]
  • "Abalados estão os brasileiros, que estão esperando desde 1º de janeiro que o governo comece a funcionar. São 12 milhões de desempregados, 15 milhões de brasileiros vivendo abaixo da linha de pobreza, capacidade de investimento do Estado brasileiro diminuindo, 60 mil homicídios e o presidente brincando de presidir o Brasil. Eu acho que está na hora de a gente parar com esse tipo de brincadeira, está na hora de ele sentar na cadeira dele, do parlamento sentar aqui, e a gente em conjunto resolver os problemas do Brasil. Não dá mais para a gente perder tempo com coisas secundárias"
- Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, em 27/03/2019, após Bolsonaro dizer que questões pessoais têm "abalado" o parlamentar.[794]
  • "Antes do seu nascimento, Deus fala através de Isaías: ‘Eu escolho meu servo Ciro’. E senhor Jair Bolsonaro é o Ciro do Brasil. Você querendo ou não. [...] Vocês aceitando ou não, você seja de esquerda ou de direita, o senhor Jair Bolsonaro é o Ciro do Brasil. Deus o escolheu para um novo tempo, para uma nova temporada no Brasil. Não passe o seu tempo criticando. Juntem as forças e sustentem esse homem. Orem por ele, encorajem-no, não façam oposição. [...] Deus falou que os dois primeiros anos dele não vão ser fáceis. Mas a mão de Deus está com ele porque vai cortar muitos obstáculos, muitas opressões. Mas foi Deus quem o escolheu."
- Steve Kunda, pastor evangélico, em vídeo divulgado pela Rede Super de televisão em 10/04/2019, tuitado por Bolsonaro em 19/05/2019.[795]
  • "Bolsonaro não é perigoso somente por causa de seus racismo e homofobia evidentes. Infelizmente, ele também é a pessoa com maior poder de impacto sobre o que se passará na Amazônia daqui para a frente."
- Bill de Blasio, prefeito de Nova Iorque, em 12/04/2019, sobre homenagem da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos a Bolsonaro como Pessoa do Ano, então prevista para ocorrer no Museu de História Natural da cidade.[796]
  • "Nunca vamos perdoar e nunca vamos esquecer. Líderes políticos são responsáveis por moldar o futuro. Historiadores descrevem o passado e pesquisam o que aconteceu. Um não deve entrar no território do outro."
- Reuven Rivlin, presidente de Israel, em tweet de 12/04/2019, após Bolsonaro sugerir que o Holocausto é perdoável.[797]
  • "Discordamos da declaração do presidente brasileiro de que o Holocausto pode ser perdoado. Ninguém está em posição de determinar quem e se os crimes do Holocausto podem ser perdoados."
- Nota do Memorial do Holocausto, em 13/04/2019, após Bolsonaro sugerir que o Holocausto é perdoável.[798]
  • "Jair Bolsonaro é um homem perigoso. Seu racismo evidente, homofobia e decisões destrutivas terão um impacto devastador no futuro do nosso planeta. Para o bem da nossa cidade, agradeço ao Museu de História Natural por cancelar esse evento."
- Bill de Blasio, prefeito de Nova Iorque, em tweet de 16/04/2019, após o Museu de História Natural cancelar o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, durante o qual Bolsonaro seria homenageado.[799]
  • "Depois de três meses como presidente do Brasil, ele representa uma ruptura acentuada com uma década de corrupção de alto nível, e a melhor chance do Brasil em uma geração de implementar reformas econômicas que podem domar uma dívida crescente. O ex-oficial do Exército também é um garoto-propaganda da masculinidade tóxica,um homofóbico ultraconservador com a intenção de travar uma guerra cultural e talvez reverter o progresso do Brasil no combate às mudanças climáticas. O Brasil continua sendo uma democracia dinâmica, com instituições robustas que vão limitar tanto o bem quanto o mal que ele pode vir a fazer. Se ele quiser conquistar alguma coisa, Bolsonaro terá que aprender a trabalhar dentro desse sistema, a fazer os acordos necessários para avançar com a sua agenda. O tempo irá dizer se ele tem a flexibilidade e a resiliência de caráter de que precisará."
- Ian Bremmer, editor da revista estadunidense Time, para a lista das cem pessoas mais influentes do mundo no ano, publicada em 17/04/2019.[800][801]
  • "Obrigado, sr. presidente, pela chance que o senhor me deu de ser o seu boi de piranha, levando nas minhas costas pelo menos metade das pancadas que lhe eram dirigidas e em seguida sendo acusado de ter o comportamento divisionista que de fato é do seu querido vice-presidente."
- Olavo de Carvalho, em publicação no Facebook em 24/04/2019, após críticas ao vice-presidente Hamilton Mourão e à ala militar do governo.[802]
  • "Jair Bolsonaro aprendeu da maneira mais difícil que os nova-iorquinos não fecham os olhos para a opressão. Nós chamamos atenção para sua intolerância. Ele fugiu. Nenhuma surpresa –valentões não aguentam um soco. Já vai tarde, Jair Bolsonaro. Seu ódio não é bem-vindo aqui. Os ataques de Jair Bolsonaro contra dos direitos LGBTQ e seus planos destrutivos para nosso planeta se refletem em muitos líderes –incluindo diversos em nosso país. TODOS devem se levantar para denunciar e lutar contra esse ódio desmedido."
- Bill de Blasio, prefeito de Nova Iorque, em tweets de 04/05/2019, após Bolsonaro culpá-lo pelo cancelamento de sua viagem à cidade estadunidense para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, durante o qual Bolsonaro seria homenageado.[803]
  • "Se ele nos chama de idiotas úteis, eu digo que na presidência tem um idiota inútil."
- Guilherme Boulos, durante evento sindical no Instituto Federal do Rio Grande do Norte em Natal, 15/05/2019, após Bolsonaro chamar de idiotas úteis os manifestantes contra o contingenciamento de gastos da educação pública.[329]
  • "Sem educação, já basta o presidente."
- Cartazes nas manifestações contra o contingenciamento de gastos da educação pública, em 15/05/2019.[804][805]
  • "O senhor Jair Bolsonaro, imerso em seu mundo de fake news mostrou mais uma vez seu despreparo para dirigir o País e representá-lo internacionalmente. Impondo sua presença constrangedora onde não é bem-vindo, e nem sequer é convidado, este senhor que infelizmente dirige o Brasil fez, em Dallas, uma declaração mentirosa e caluniosa sobre minha história política. [...] Ao contrário dos heróis e homenageados pelo senhor Bolsonaro que, durante a ditadura e depois dela, tiveram suas mãos manchadas do nosso sangue - militantes brasileiros e brasileiras - pelas torturas e assassinatos cometidos contra nós. Se o senhor Bolsonaro quer se ocultar do 'tsunami' das investigações que recaem sob seu clã, a partir da abertura dos vários sigilos, não me use como biombo, nem tampouco menospreze os cidadãos e cidadãs que foram às ruas do País em defesa de uma educação de qualidade. Senhor Bolsonaro, as ruas estão cheias porque ao se dispor, com seu ministro desinformado, a destruir a educação, vocês estão tirando a esperança de melhores dias para milhões de estudantes [...]. "Idiotas úteis" são aqueles que esquecem um ditado popular: "a mentira tem pernas curtas". O senhor Bolsonaro responderá no juízo criminal e cível por mais essa leviandade contra mim. Ele não poderá se escudar no cargo de Presidente da República e irá ser cobrado por suas mentiras, calúnias e difamações."
- Dilma Rousseff, ex-presidente do Brasil, em nota de 16/05/2019, após Bolsonaro dizer que "quem até há pouco tempo ocupava o governo" teria matado o capitão estadunidense Charles Chandler[806], morto em 1968 por membros da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR), da qual Dilma não fazia parte na época.[331]
  • "Bolsonaro provou que o Brasil, fora desses conchavos, é ingovernável."
- Paulo Portinho, professor de Finanças e funcionário da Comissão de Valores Mobiliários, em texto compartilhado em 17/05/2019 através do WhatsApp pelo próprio Bolsonaro.[807]
  • "O grupo formado por seguidores do Olavo e do Bolsonaro não tem entendimento da realidade. O presidente governa o país como se estivesse na varanda fazendo churrasco e gritando com os filhos. [...] Pode escrever isso. Ele é burro, segue um intelectual paranoico e se deixa influenciar pelos filhos que não entendem nada de sociedade e de convívio democrático. [...] a impressão que temos é que ele está destruindo o governo. Parece que ele não percebe que há uma relação entre estabilidade política e econômica. Ninguém vai comprar uma televisão em 15 vezes se o país estiver em uma guerra civil. Qualquer criança de 12 anos sabe disso. [...] A política é a capacidade de conviver com o que você não concorda. Não é conviver com o que você concorda. Isso é prova de que o Bolsonaro não entende nada."
- Luiz Felipe Pondé, em entrevista publicada em 23/05/2019 pela Exame.[808]
  • "[...] a possibilidade de Bolsonaro realizar um governo mais liberal economicamente é baixa. Não tem que ficar perseguindo transexual, isso é coisa de idiota. [...] o descaso com que o Bolsonaro trata esse tema [livre mercado] mostra que ele não entende nada de país e nem de sociedade. Neste momento, o Bolsonaro está fazendo mal à direita. [...] Ele não se engaja [nas reformas] porque não entende que é importante. Bolsonaro prefere falar que Olavo de Carvalho é ícone. Ícone para quem? Só se for para paranoicos agressivos. [...] Espero que Bolsonaro, até o fim do semestre, entenda que ele é uma instituição e não o papai do Carlos ou o fã do Olavo."
Luiz Felipe Pondé, em entrevista publicada em 23/05/2019 pela Exame.[808]
  • "Os militares nunca viram o Bolsonaro como um deles. Ele é muito mais baixo clero do Congresso do que militar. Essa história de ele ser militar é um marketing que ele construiu e que está ficando mais claro que é falso. Então, os militares aderiram ao Bolsonaro para parar o PT. Também vejo a possibilidade do Paulo Guedes ficar de saco cheio e sair do governo. Dessa maneira, o Brasil entraria em uma espiral de instabilidade econômica gigantesca. Se isso acontecer, podemos assistir a um novo impeachment. Isso seria terrível para o país. A última seria o presidente virar uma espécie de rainha da Inglaterra, que será colocado de canto e que ninguém mais levará a sério. Aí de vez em quando ele vai xingar alguém nas redes sociais, comentar de 'golden shower' com o filho dele e assim vai indo."
- Luiz Felipe Pondé, em entrevista publicada em 23/05/2019 pela Exame.[808]
  • "Se eu sentir que o presidente não quer a reforma, a mídia está a fim só de bagunçar, a oposição quer tumultuar, explodir e correr o risco de ter um confronto sério... pego o avião e vou morar lá fora."
- Paulo Guedes, ministro da Economia, em entrevista publicada em 24/05/2019 pela Veja.[809]
  • "Quem protestava contra cortes de verba para a educação é agora 'inocente útil'. Lembro que Bolsonaro não se atrapalhou quando disparou aquela ofensa. Afinal, ele emendou um outro adjetivo então: 'imbecis'."
- Reinaldo Azevedo após Bolsonaro dizer em entrevista à Record TV que exagerou ao ter chamado de idiotas úteis os manifestantes contra o corte de gastos com a educação pública.[344]
  • "Em entrevista coletiva em Petrolina, na região Nordeste, no dia 24, o presidente do Brasil, Bolsonaro, usou a palavra 'japonês' com o sentido de 'pequenininho'. Entre eles, japoneses são exemplo de algo pequeno, mas é extremamente incomum que líderes nacionais usem isso em público. [...] Ele foi criticado por alguns veículos de imprensa por ter sido 'racista'."
- Agência de notícias Jiji, em 25/05/2019.[810]
  • "No dia 24, o presidente brasileiro de direita, Bolsonaro, disse que se sua reforma da previdência 'for uma reforma de japonês', seu ministro da Economia teria que renunciar. [...] No país, houve falas de 'desculpas ao Japão' e críticas. [...] 'Lá é tudo miniaturizado', disse ele a jornalistas durante visita a Petrolina, na região Nordeste. De acordo com a imprensa brasileira, isso se refere a características físicas. [...] Bolsonaro havia conversado com um homem oriental com quem aceitara tirar uma foto de recordação no aeroporto de Manaus, na região Norte, no dia 15, dizendo 'Tudo pequenininho aí?', e tais filmagens circularam pelas redes sociais, criticadas como 'piada preconceituosa'."
- Site do jornal Sankei Shimbun, em 25/05/2019.[811]
  • "Depois reclamam quando digo que o presidente Bolsonaro não tem noção de prioridade e do que é importante pro país. Enquanto estamos num seminário sobre reforma da Previdência ele está vindo pra Câmara apresentar PL que trata de aumentar pontos na carteira de maus motoristas."
- Marcelo Ramos, deputado federal e presidente da comissão da reforma da previdência na Câmara, em 04/06/2019.[812]
  • "O Bolsonaro é Palmeiras, Botafogo ou ele é Flamengo? ‘Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer’. Breve!"
- Paulo Henrique Amorim, jornalista, em sua conta no Instagram, 14/06/2019. [813]
  • "Ele resolveu me substituir por alguma razão que é ele que tem de dizer, tem de ser perguntada para ele. Se tivesse pedido demissão, diria a razão. Como foi ele que demitiu, tem de perguntar para ele. Mas é uma prerrogativa do presidente. Substituir ministro é uma coisa normal, não é coisa excepcional. Não perguntei o porquê para facilitar as coisas. A partir da hora que decidiu, não vou ficar gastando tempo para discutir o porquê. É mais uma obrigação da pessoa explicar. Não é só direito meu saber, como também é obrigação da pessoa explicar. Ele não explicou."
- Carlos Alberto dos Santos Cruz, general de divisão do Exército, durante entrevista dada em 18/06/2019 à revista Época, cinco dias ser exonerado do cargo de ministro da Secretaria de Governo por Bolsonaro.[814]
  • "No momento, nós não temos nada fechado, estamos ainda em negociação e não queremos eliminar qualquer possibilidade. Estamos negociando com Rio de Janeiro e São Paulo."
- Chase Carey, CEO da Fórmula 1, em pronunciamento junto de Bolsonaro no Palácio do Planalto, em 24/06/2019, logo após o presidente dizer que havia 99% de chances de o Grande Prêmio do Brasil deixar de ser realizado em São Paulo.[373]
  • "Eu lamento frustrar o presidente mas a decisão não está tomada, vocês acabam de ouvir isso do presidente da Fórmula 1."
- João Doria, governador de São Paulo, em 25/06/2019, um dia após Bolsonaro dizer que havia 99% de chances de o Grande Prêmio do Brasil deixar de ser realizado em São Paulo e após o governador se reunir com o CEO da Fórmula 1, Chase Carey, e o prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas.[815]
  • "Eu, assim como você, vejo com grande preocupação a questão da atuação do novo presidente brasileiro. E a oportunidade será utilizada, durante a cúpula do G20, para falar diretamente sobre o tema, porque eu vejo como dramático o que está acontecendo no Brasil."
- Angela Merkel, chanceler da Alemanha, durante sessão do parlamento alemão em Berlim, 26/06/2019, respondendo a um questionamento da deputada Anja Hajduk se o governo alemão deveria seguir investindo nas negociações de livre-comércio entre União Europeia e Mercosul, tendo em vista as ações de Bolsonaro quanto ao desmatamento.[816][817]
  • "Ele é um homem especial, está indo muito bem, é muito querido pelo povo do Brasil."
- Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, em encontro com Bolsonaro em Osaka, 28/06/2019.[818]
  • "As notícias e informações sobre investigações e prisões temporárias do assessor do Ministro do Turismo foram amplamente divulgadas pela imprensa logo após as diligências. O Presidente da República foi igualmente informado dos fatos, não sendo verdadeira a afirmação de que o Ministro da Justiça e Segurança Pública teria ‘vazado’ a operação ou fornecido dados sigilosos ao Presidente. Ressalta-se que as informações repassadas não interferem no trâmite das investigações, que correm com total independência na Polícia Federal."
- Nota enviada pelo Ministério da Justiça e pelo Palácio do Planalto ao jornal O Estado de S. Paulo, publicada em 05/07/2019, após Bolsonaro ter dito que recebeu de Moro cópia "do que foi investigado" sobre candidaturas-laranja do PSL.[380]
  • "Independentemente de suas opiniões pessoais, o presidente da República não pode determinar perseguição contra um ente da Federação. Seja o Maranhão ou a Paraíba ou qualquer outro Estado. “Não tem que ter nada para esse cara” é uma orientação administrativa gravemente ilegal. [...] Neste vídeo, ouvi mais claramente o que disse o presidente da República. Parece chamar todos os nordestinos de “paraíba” e me ameaça, com estranha raiva. Lamento e espero explicações, pois isso é algo realmente inédito e incompatível com a Constituição."
- Flávio Dino, governador do Maranhão, em tweets de 19/07/2019, após Bolsonaro falar que os governadores do Nordeste são governadores "de paraíba" e que "não tem que ter nada" para Dino.[819]
  • "Em um dia, ele atacou Míriam Leitão, desprezou a fome –contrariando a ciência e o senso comum, pois basta andar na rua–, e chamou os governadores do Nordeste de ‘paraíbas’. A cabeça dele é movida pelo confronto, e o coração, infelizmente, está possuído de ódios. Só sei que sou o pior dos gestores na visão dele, o que para mim é uma honraria."
- Flávio Dino, governador do Maranhão, sobre declarações feitas em 19/07/2019 por Bolsonaro.[820]
  • "Essas afirmações do presidente causam profunda indignação e merecem absoluto repúdio. Em defesa da verdade histórica e da honra da jornalista Miriam Leitão, é preciso dizer com todas as letras que não é a jornalista quem mente. Miriam Leitão nunca participou ou quis participar da luta armada. À época militante do PCdoB, Miriam atuou em atividades de propaganda. [...] A jornalista foi julgada e absolvida de todas as acusações formuladas contra ela pela ditadura. A absolvição se deu em todas as instâncias. É importante ressaltar que Miriam Leitão, ao longo dos governos do Partido dos Trabalhadores, foi também alvo constante de ataques. Não questionaram, como agora, o sofrimento por que passou na ditadura, mas a ofenderam em sua honra pessoal e profissional [...]. Esses insultos, no passado como agora, em sinais trocados, apenas demonstram a maior das virtudes de Miriam como profissional: a independência em relação a governos, sejam de esquerda ou de direita ou de qualquer tipo."
- Nota de repúdio da Globo de 19/07/2019 contra a acusação feita por Bolsonaro, no mesmo dia, de que a prisão de Míriam Leitão pela ditadura militar teria sido por envolvimento com a Guerrilha do Araguaia e de que a jornalista mentia ao dizer que foi torturada no cárcere.[821]
  • "A primeira coisa que eu posso dizer é que o sr. Jair Bolsonaro precisa entender que um presidente da República não pode falar em público, principalmente em uma entrevista coletiva para a imprensa, como se estivesse em uma conversa de botequim. Ele fez comentários impróprios e sem nenhum embasamento e fez ataques inaceitáveis não somente a mim, mas a pessoas que trabalham pela ciência desse País. O presidente não tem noção da respeitabilidade que os dados do Inpe e que os pesquisadores do Inpe têm. É uma ofensa o que ele fez. Eu espero que ele me chame a Brasília para eu explicar o dado e que ele tenha coragem de repetir, olhando frente a frente, nos meus olhos. Eu sou um senhor de 71 anos, membro da Academia Brasileira de Ciências, não vou aceitar uma ofensa desse tipo. Ele que tenha coragem de, frente a frente, justificar o que ele está fazendo. [...] Tomou uma atitude pusilânime, covarde, de fazer uma declaração em público talvez esperando que peça demissão."
- Ricardo Magnus Osório Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 19/07/2019, após Bolsonaro acusar de mentirosos os dados do órgão sobre desmatamento[412]
  • "Sou republicano e [acredito] que ele tem várias propostas que vão em benefício do país, mas ele tem tido realmente comportamento que não respeita a dignidade e liturgia da Presidência. Principalmente quando ele tem essas entrevistas com a imprensa ou mesmo em outras manifestações, ele tem um comportamento como se estivesse em botequim. [...] Ou seja, ele fez acusações indevidas a pessoas do mais alto nível da ciência brasileira, não estou dizendo só eu, mas muitas outras pessoas. Isso é uma piada de um garoto de 14 anos que não cabe a um presidente da República fazer. O presidente Bolsonaro tem que entender que eu sou um senhor de 71 anos, professor titular da Universidade de São Paulo, membro da Academia Brasileira de Ciências, fui presidente da Sociedade Brasileira de Física durante três anos, membro do Conselho Científico da Sociedade Europeia de Física durante três anos. Todos os diretores dessas unidades de pesquisa não são escolhidos por indicação política ou porque o pai deles quis dar um filé mignon pra eles. Eles são escolhidos por uma comitê de busca nomeado pelo governo, por cinco especialistas de renome nacional, tanto na área científica quanto na área tecnológica. Tenho 71 anos, 48 anos de serviço público e ainda em ativa, não pedi minha aposentadoria. Nunca tive nenhum relacionamento com nenhuma ONG, nunca fui pago por fora, nunca recebi nada mais do que além do meu salário com o servidor público. Ao fazer acusações sobre os dados do Inpe, na verdade ele faz em duas partes. Na primeira, ele me acusa de estar a serviço de uma ONG internacional. Ele já disse que os dados do Inpe não estavam corretos segundo a avaliação dele, como se ele tivesse qualidade ou qualificação de fazer análise de dados."
- Ricardo Magnus Osório Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 20/07/2019, para a TV Vanguarda, afiliada da Globo no Vale do Paraíba.[822]
  • "Sobre mais uma infeliz declaração do Bolsonaro, eu digo que ele, antes de fazer juízo de valor sobre os outros, deveria cuidar da moral da própria família. E ainda do nosso país. Afinal, ele está cuidando demais do que não precisa e fazendo pouco o dever dele principal: que é ser presidente."
- Raquel Pacheco, ex-garota de programa conhecida como Bruna Surfistinha, após Bolsonaro citar a biografia cinematográfica de Pacheco para desqualificar a Ancine, em 19/07/2019.[425]
  • "Eu conheço Bolsonaro. Éramos íntimos de sentar de cueca para conversar na beira da cama."
- Gustavo Bebianno, ex-ministro da Secretaria-Geral de Governo de Bolsonaro, em entrevista ao Valor Econômico publicada em 26/07/2019.[823]
  • "O mandatário da República deixa patente seu desconhecimento sobre a diferença entre público e privado, demonstrando mais uma vez traços de caráter graves em um governante: a crueldade e a falta de empatia. É de se estranhar tal comportamento em um homem que se diz cristão. Lamentavelmente, temos um presidente que trata a perda de um pai como se fosse assunto corriqueiro — e debocha do assassinato de um jovem aos 26 anos. Meu pai era da juventude católica de Pernambuco, funcionário público, casado, aluno de Direito. Minha avó acaba de falecer, aos 105 anos, sem saber como o filho foi assassinado. Se o presidente sabe, por 'vivência', tanto sobre o presente caso quanto com relação aos de todos os demais 'desaparecidos', nossas famílias querem saber."
- Trecho de nota escrita em 29/07/2019 por Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, após Bolsonaro acusar Fernando Santa Cruz, pai de Felipe, desaparecido após ser preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro, de fazer parte da luta armada no período da ditadura e que sabia como Fernando havia desaparecido.[824]
  • "[...] no episódio citado na infeliz coletiva presidencial, apenas o celular de seu representante legal foi protegido. Jamais o do autor, sendo essa mais uma notícia falsa a se somar a tantas. O que realmente incomoda Bolsonaro é a defesa que fazemos da advocacia, dos direitos humanos, do meio ambiente, das minorias e de outros temas da cidadania que ele insiste em atacar. Temas que, aliás, sempre estiveram - e sempre estarão - sob a salvaguarda da Ordem do Advogados do Brasil. Por fim, afirmo que o que une nossas gerações, a minha e a do meu pai, é o compromisso inarredável com a democracia, e por ela estamos prontos aos maiores sacrifícios. Goste ou não o presidente."
- Trecho de nota escrita em 29/07/2019 por Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, após Bolsonaro defender que os advogados de Adélio Bispo deveriam ter seus telefones celulares investigados pela Polícia Federal.[824]
  • "Sou filho de um deputado cassado pela ditadura, que foi para o exílio e perdeu quase tudo durante esse período. Inaceitável. Foi uma declaração infeliz do presidente Bolsonaro."
- João Doria, governador de São Paulo e filho do ex-deputado federal João Doria Neto, em 29/07/2019, após Bolsonaro acusar Fernando Santa Cruz, pai de Felipe, desaparecido após ser preso pelo DOI-CODI do Rio de Janeiro, de fazer parte da luta armada no período da ditadura e que sabia como Fernando havia desaparecido.[825]
  • "Apresentamos nossa solidariedade a todas as famílias daqueles que foram mortos, torturados ou desaparecidos, ao longo de nossa história, especialmente durante o Golpe Militar de 1964, inclusive a família de Fernando Santa Cruz, pai de Felipe Santa Cruz, atingidos por manifestações excessivas e de frivolidade extrema do Senhor Presidente da República. [...] A diretoria, o Conselho Pleno do Conselho Federal da OAB e o Colégio de Presidentes das 27 Seccionais da OAB repudiam as declarações do Senhor Presidente da República e permanecerão se posicionando contra qualquer tipo de retrocesso, na luta pela construção de uma sociedade livre, justa e solidária, e contra a violação das prerrogativas profissionais."
- Trecho da nota de repúdio da OAB, de 29/07/2019, sobre falas de Bolsonaro no mesmo dia.[826]
  • "Nós estamos, realmente, dentro de um quadro de insanidade, a mais absoluta. Não é mais caso de impeachment, é caso de interdição. Isso é fascismo cultural. O que não estiver de acordo, com sua rasa compreensão, tem que ser queimado por isso que eu digo, ele é um 'Bolsonero'. Bolsonaro está decompondo todo arcabouço de inteligência, crítica e pensamento situado na sociedade civil. Ele desmerece os organismos científicos. Ele acaba de propor um projeto de lei que elimina a necessidade de inscrição na OAB, CRM ou no Conselho Federal de Economia, ou seja, não sei se é um plano, ou algo alucinado de querer desconstituir tudo aquilo que compõe a inteligência, o pensamento e a sensibilidade brasileira. [...] Eu queria expressar minha solidariedade ao presidente da OAB, que foi ferido de forma inadmissível. É um fato gravíssimo."
- Miguel Reale Júnior, ex-ministro da Justiça e um dos autores do pedido de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, em entrevista à Rádio Guaíba em 29/07/2019.[827]
  • "Essa declaração reveste-se de enorme gravidade, não só pelo atrito com o decoro ético e moral esperado de todos os cidadãos e das autoridades públicas, mas também por suas implicações jurídicas. [...] Qualquer autoridade pública, civil ou militar, e especialmente o Presidente da República, é obrigada a revelar quaisquer informações que possua sobre as circunstâncias de um desaparecimento forçado ou o paradeiro da vítima. [...] A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão – PFDC observa que o Presidente da República celebrou a violação de direitos humanos da ditadura militar em passado recente, o que deu origem, inclusive, à Nota Pública de 26/03/2019, desta PFDC. Não obstante, além do episódio ora registrado, em 19 de julho de 2019, manifestou-se de modo deletério à jornalista Miriam Leitão, que foi vítima de prisão ilícita e tortura durante o regime militar. [...]. Naquela ocasião, o mandatário do Poder Executivo fez alusão a informações que contradizem as evidências até hoje colecionadas sobre as graves violações aos direitos humanos perpetradas a Miriam Leitão. A responsabilidade do cargo que ocupa impõe ao Presidente da República o dever de revelar suas eventuais fontes para contradizer documentos e relatórios legítimos e oficiais sobre os graves crimes cometidos pelo regime ditatorial. Essa responsabilidade adquire ainda maior relevância no caso de Fernando Santa Cruz, pois o presidente afirma ter informações sobre um crime internacional que o direito considera em andamento. De anotar, ademais, que a Lei não permite sigilo sobre esses dados (Lei nº 12.527/11, art. 21). A Constituição exige do Chefe de Estado que aja com moralidade, legalidade, probidade e respeito aos direitos humanos. A falta de cumprimento desses deveres, sobretudo em tema de direitos fundamentais e dignidade humana, não pode ser ignorada pelas instituições democráticas e republicanas.."
- Nota pública da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) de 29/07/2019, referente às declarações de Bolsonaro sobre Fernando Santa Cruz.[828]
  • "Bolsonaro comete mais um crime de responsabilidade: infringe o Item 7 do Capítulo V da Lei 1.079. 'Procede de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo' de presidente da República ao, mais uma vez, fazer a apologia, ainda que oblíqua, da tortura e da morte de um preso político, vituperando contra a sua memória, agredindo, adicionalmente, seus familiares. Tem de ser denunciado por mais esse crime de responsabilidade, ainda que se saiba que, hoje, tal denúncia não prosperaria porque, para avançar, precisaria contar com o aceite do presidente da Câmara. Ele só chegaria a ser julgado pelo Senado se dois terços da Casa aprovassem um relatório favorável à sua responsabilização. Não vai acontecer. Mas é preciso deixar a marca na história."
- Reinaldo Azevedo, em 29/07/2019, referindo-se às declarações de Bolsonaro sobre Fernando Santa Cruz.[829]
  • "Primeiro, decidiu brincar com mais um drama humano e dizer ao presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, que sabia como o pai do advogado havia morrido. Depois, criou a sua versão que culpa a esquerda. O que o presidente fez é repulsivo. Mostra, como definiu Felipe Santa Cruz, crueldade e a falta completa de empatia que os seres humanos têm uns em relação aos outros. O presidente brinca com o sentimento de um filho que nunca conviveu com o pai porque ele foi morto aos 26 anos. Mas ao se colocar como o conhecedor dos segredos da ditadura, ele diz que há informações sonegadas ao país, que ele sabe onde estão. [...] ontem, pela fala do presidente, caiu a máscara. O presidente se sente no direito de manipular as informações que foram sonegadas ao país e às famílias e jogar a culpa sobre as vítimas. A Constituição anda sendo desrespeitada diariamente pelo presidente da República. É hora de lembrar o que disse o grande Ulysses Guimarães ao promulgar a nossa Carta Magna: 'Temos ódio à ditadura, ódio e nojo'. Ontem foi o dia de sentir nojo.."
- Míriam Leitão, em 29/07/2019.[830]
  • "Eu tenho um ótimo relacionamento com o Brasil. Eu tenho um relacionamento fantástico com o seu presidente. Ele é um grande cavalheiro. Dizem que ele é o Trump do Brasil. Eu gosto disso, é um elogio. Eu acho que ele está fazendo um ótimo trabalho. É um trabalho duro, mas acho que seu presidente está fazendo um trabalho fantástico. Ele é um homem maravilhoso com uma família maravilhosa."
- Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, na Casa Branca, em 30/07/2019[831]
  • "Bolsonaro votava com o PT contra o Plano Real, contra a reforma da Previdência, por mais privilégios aos setores corporativos, e defendia a ditadura."
- Bruno Araújo, presidente do PSDB, em 30/07/2019, após o ministro da Economia, Paulo Guedes, dizer que os problemas do Brasil se deviam à social-democracia.[832]
  • "[...] num surto, Plácido Correa de Moura, morador de rua, matou duas pessoas a facadas e feriu uma terceira. [...] Sobre o massacre havido no Pará, Bolsonaro nada disse. Reagiu como se não tivesse acontecido, e isso explica seu jeito de ver o mundo e algumas características de seu governo. Observem que ele usa o caso do Rio para, mais uma vez, fazer a defesa do armamento da população. [...] Temos no comando do país — e está certo Felipe Santa Cruz ao apontá-lo — um homem incapaz da empatia. A morte e o sofrimento dos outros não o mobilizam minimamente. Ou por outra: servem apenas a seu proselitismo raso. Como Bolsonaro identifica no presidente da OAB um inimigo, não hesita em vilipendiar a memória de alguém que foi torturado e morto se isso servir de instrumento de ataque. O que o sensibiliza no caso das facadas não são as mortes ou a dor dos familiares das vítimas, mas uma espécie de ódio redentor que põe na mão de cada homem uma arma para eliminar seu inimigo."
- Reinaldo Azevedo, em 30/07/2019, referindo-se às declarações de Bolsonaro sobre Fernando Santa Cruz, pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, e sobre em ataque a faca ocorrido no Rio de Janeiro.[833]
  • "Algo jamais visto! Em matéria de diplomacia impulsiva, o presidente Jair Bolsonaro deve ultrapassar Donald Trump. [...] O encontro foi cancelado pelo próprio Bolsonaro no último momento. Motivo: 'um problema de agenda'. Mas isso não impediu que o presidente brasileiro aparecesse no Facebook cortando o cabelo... [...] O gesto teatral brasileiro teve ainda um prelúdio inacreditável quando Bolsonaro abandonou qualquer discrição e declarou que Le Drian não ousaria lhe falar grosseiramente sobre questões ambientais. [...] Contra todas as probabilidades, ele nomeou (Le Drian) como primeiro-ministro francês (sic)."
- Valeurs Actuelles, revista ultraconservadora francesa, em 30/07/2019, após Bolsonaro cancelar encontro com o ministro de Relações Exteriores da França para cortar cabelo no dia anterior. Sic da publicação original[834]
  • "De tudo que meu doeu nas últimas, o que mais me dói é a reação dos irmãos do meu pai. Não há provas, não há nada na pasta que trata da morte do meu pai, houve um esvaziamento sobre a morte do meu pai. Aí depois de 45 anos vem o presidente da República, enquanto corta o cabelo, pegar uma faca e abrir essa ferida. É uma obrigação constitucional para que ele (Bolsonaro) esclareça os fatos. Agora se ele (Bolsonaro) não sabe dizer, estará atentando contra a honra."
- Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, após declarações de Bolsonaro sobre seu pai, Fernando Santa Cruz, em entrevista à Rádio Jornal em 31/07/2019.[835]
  • "O presidente da República e alguns radicais que dão apoio ao presidente e operam milícias virtuais nas redes sociais, atacando os jornalistas em especial. Esses setores estão flertando, namorando, com a ruptura democrática. Me pergunto se todo esse ataque à figura da resistência democrática e enaltecimento a torturadores e à ditadura militar, se isso não é publicamente um teste de ruptura institucional. Acho que esse episódio é importante porque houve marco divisor, que passa muito além dos partidos. Recebemos solidariedade de todos os partidos, inclusive de deputados do partido do presidente. [...] E tem o lado que é meu, de presidente da OAB, de tentar compreender o papel que o presidente  desempenha de dividir o país e de acirrar ódios, de alterar o papel fundamental da presidência da República que é governar para todos. É grave porque o presidente tem que observar a compostura do cargo. Ele não é capitão, ele é o presidente. Ele precisa recuperar a compostura do cargo e, para isso, é preciso que ele esclareça que, toda vez que ele diz, ele não está dizendo uma besteira em rede social, como uma pessoa irresponsável que não tem limites. Ele responde pela autoridade do cargo que exerce. É importante que ele vá ao STF e esclareça o que ele declarou."
- Felipe Santa Cruz, presidente da OAB, após declarações de Bolsonaro sobre seu pai, Fernando Santa Cruz, em entrevista à Rádio Metrópole em 31/07/2019.[836]
  • "Jair Bolsonaro cancela um encontro com Jean-Yves Le Drian por causa de um corte de cabelo. [...] Na diplomacia, Bolsonaro prefere a provocação, mas, em um confronto, o chefe de Estado brasileiro privilegia a humilhação do adversário. [...] alguns minutos depois de cancelar 'por razões de agenda' a reunião com o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, Bolsonaro, [...] o presidente de extrema-direita apareceu nas redes sociais enquanto tinha o seu cabelo cortado, mergulhando o Quai d'Orsay (diplomacia francesa) em estupefação. [...] A ânsia do chefe de Estado em ajeitar o corte de cabelo não deve nada ao acaso. Ao aparecer publicamente no cabeleireiro em vez de ao lado de um dos pesos-pesados do governo francês, Jair Bolsonaro reafirma seu soberanismo tanto quanto seu desprezo pelo discurso moralizador de Paris em relação ao meio ambiente. [...] O presidente francês, Emmanuel Macron, o fez prometer respeitar o Acordo de Paris assinado em 2015, fazendo deste engajamento uma condição sine qua non para a conclusão do tratado de livre-comércio entre os países do Mercosul e a União Europeia. Em seguida, Bolsonaro parece ter esquecido de sua promessa, sendo indiferente, mesmo complacente em relação aos atores de crimes ambientais."
- Le Monde, em 31/07/2019, após Bolsonaro cancelar encontro com o ministro de Relações Exteriores da França para cortar cabelo dois dias antes.[837][838][839]
  • "O chefe de Estado tinha visivelmente coisa melhor para fazer. [...] Será que foi uma maneira de mostrar sua independência da França [...]?"
- BFMTV, canal de TV francês, em 31/07/2019, após Bolsonaro cancelar encontro com o ministro de Relações Exteriores da França para cortar cabelo dois dias antes.[839][840]
  • "Se no início de mandato declarações e medidas estapafúrdias ainda podiam, com boa vontade, ser vistas como tentativa de satisfazer o eleitorado mais fiel e ideológico, o que se verifica agora é um padrão de atitudes que ofendem o Estado de Direito, reforçam preconceitos e aprofundam as divisões políticas. [...] a insistência na agressão e na boçalidade revela uma personalidade sombria que parece se reconhecer, com júbilo, nas trevas dos porões da ditadura militar. As insinuações sórdidas acerca do pai do presidente da OAB, Felipe Santa Cruz —morto, segundo as investigações, sob a guarda do poder autoritário—, são um exemplo da pequenez e da leviandade a que pode chegar o presidente. Não espanta, aliás, que tenha classificado como “balela” documentos oficiais sobre abusos cometidos pelo regime. Já eram, afinal, conhecidos seus elogios ao torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, bem como suas simpatias pelas violações praticadas no submundo dos órgãos de repressão. [...] são os traços intolerantes e obscurantistas do mandatário que saltam aos olhos nos ataques e afirmações falsas dirigidos aos jornalistas Miriam Leitão e Glenn Greenwald, nas imposturas acerca do desmatamento da Amazônia, nas ameaças de censura ao cinema, no tratamento injurioso aos nordestinos e no desdém pelo massacre de presos no Pará. Talvez transtornado com as críticas à indicação vexatória de um filho à embaixada em Washington, ou com as investigações que envolvem outro, Bolsonaro aprofunda a estratégia populista e acentua a retórica de confrontação."
- Trecho do editorial da Folha de S.Paulo de 31/07/2019.[841]
  • "No momento em que o presidente da República, qualquer que ele seja, descumpre essa regra, transgride o princípio da separação de Poderes, ele minimiza perigosamente a importância que é fundamental da Constituição da República e degrada a autoridade do Parlamento brasileiro. A finalidade maior da Constituição é estabelecer um modelo de institucionalidade que deva ser observado e que deva ser respeitado por todos, pois, no momento em que se transgride a autoridade da Constituição da República, vulnera-se a própria legitimidade do estado democrático de direito."
- Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal, em 01/08/2019, sobre a decisão da corte que barrou a segunda medida provisória de Bolsonaro no mesmo ano que visava transferir da Funai para o Ministério da Agricultura as demarcações de terras indígenas.[842]
  • "A gastronomia não pode se calar diante do circo de horrores de Bolsonaro."
- Título da coluna de Marcos Nogueira de 02/08/2019, em seu blog na Folha de S. Paulo.[843]
  • "O presidente conseguiu algo que acho que nenhuma outra pessoa conseguiria: [...] ao fazer um comentário absolutamente fora de contexto, absolutamente desnecessário, acabou transformando o presidente da OAB num marco da democracia. Então, veja, não teve nenhum efeito positivo nesse comentário dele. [...] Então, o presidente vai ajudar muito a nação se deixar 1964 em 1964 e entender que a Lei da Anistia é um documento que nos permite recomeçar. Toda vez que ele volta nesse tema, ele gera uma situação e nós caminhamos para trás."
- Janaína Paschoal (PSL/SP), deputada estadual, sobre as declarações de Bolsonaro contra Fernando Santa Cruz, em entrevista publicada pela BBC Brasil em 03/08/2019.
  • "[...] às vezes, o presidente é um pouco contundente demais nas suas manifestações, ou talvez não detalhe muito o seu pensamento e aí acaba gerando conflitos que poderiam ser evitados. Eu reitero um conselho que já dei ao presidente muitas vezes, seja pessoalmente ou pela imprensa, de zelar mais por essa maneira de se manifestar. Ele é muito apaixonado por algumas causas e isso pode gerar mal entendidos. Mas seria só um ajuste mesmo. [...] eu não posso deixar de reconhecer que algumas manifestações do presidente são absolutamente desnecessárias e prejudicam o próprio governo. [...]  eu peço pelo amor de Deus que ele reflita sobre estas muitas falas e atos, e que as pessoas que o circundam dele compreendam que não ajudam quando elogiam esse tipo de postura. [...] com essa sucessão de falas desnecessárias, desencontradas, ele coloca o governo em risco. Isso não é bom para ninguém. Quem está próximo ali tem que se conscientizar que precisa mudar para o bem do presidente, da equipe, do governo, mas, sobretudo para o bem do país. Se esses conflitos vão se somando, você gera instabilidades. O ideal é que o presidente, a equipe e todos nós trabalhemos para trazer estabilidade para o país. E se toda semana tem uma situação, um entrevero... [...] Quando eu falo, não é crítica. A imprensa fala muito que Janaína critica Bolsonaro, Janaína criticou... Não é crítica, a gente quer ajudar. [...] não tem sentido colocar tanta coisa importante em risco para manter um estilo."
- Janaína Paschoal (PSL/SP), deputada estadual, em entrevista publicada pela BBC Brasil em 03/08/2019.[844]
  • "Todo mundo conhece as restrições que acompanham as agendas dos chefes de Estado. Então, obviamente, houve uma emergência capilar. Essa é uma preocupação que é estranha para mim."
- Jean-Yves Le Drian, ministro de Relações Exteriores da França, em 04/08/2019, após Bolsonaro, seis dias antes, desmarcar uma reunião com o ministro e, em seguida, fazer uma transmissão ao vivo pelo Facebook tendo seu cabelo cortado.[845]
  • "Precisamos mostrar para o Presidente que queremos trabalhar e [o] único jeito é derrubando e, para formar e limpar nossas pastagens, é com fogo."
- Liderança de produtores rurais que programaram o Dia do Fogo, em reportagem da Folha do Progresso em 05/08/2019.[846][847]
  • "Eu fui achando que o governo ia usar a minha imagem para amenizar o 'não' para a comunidade autista, para eu ser um 'porta-voz' das más notícias, porque o Bolsonaro já tinha tuitado que não achava bom, a presidente do IBGE era contra, mas fomos lá ao gabinete. Nunca poderia imaginar, mas o presidente jogou a decisão para a minha mão. [...] Falei: 'É isso que você tem que fazer'. Ele falou: 'Então tá bom, qual é o próximo assunto?'."
- Marcos Mion, apresentador de televisão e ativista da causa dos autistas, em entrevista ao programa Morning Show da rádio Jovem Pan, falando sobre encontro com Bolsonaro em que foi tratada a sanção da lei que inclui questão sobre o autismo nos censos demográficos do IBGE.[848]
  • "Bolsonaro é produto de nossos erros, e a pergunta é: onde erramos?"
- Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, em 08/08/2019.[849]
  • "Alguém imagina algum dos outos (sic) presidenciáveis vendendo a BR Distribuidora? E alguém acha que a soberania nacional ficou de alguma forma fragilizada com isso? O que ficou fragilizado foi o antro de corrupção que potencialmente aquela estatal poderia se tornar se continuasse nas mãos de governantes."
- Mario Rosa, jornalista e consultor, em 09/08/2019.[850]
  • "Outro mérito de uma presidência disruptiva como a de Bolsonaro: ela faz coisas que a política tradicional jamais faria. Para o bem e para o mal. Mas para o bem está enfrentar o mastodôntico peso do estatismo brasileiro com um ímpeto que os políticos “normais” jamais fariam porque estariam presos aos seus acordos de sustentação política que funcionavam como uma trava para a modernização do aparato estatal brasileiro."
- Mario Rosa, jornalista e consultor, em 09/08/2019.[850]
  • "Qualquer dirigente de um país tem que entender que, quando se trata de questões científicas, não existe autoridade acima da soberania da ciência. Nem militar, nem política, nem religiosa. [...] Desrespeitoso foi o presidente da República com a ciência brasileira. Ele falou categoricamente que os dados do Inpe são mentirosos. Ele está acusando todos os cientistas do Inpe de terem cometido crime de falsidade ideológica."
- Ricardo Galvão, ex-diretor do Inpe, para o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, em debate no programa Painel, da GloboNews, exibido em 10/08/2019.[851]
  • "Em termos políticos, eu não tenho nada a ver com Bolsonaro. Comemoro enormemente que ele fale mal de mim. É um racista, um misógino, um violento. Não tenho problemas em ter problemas com ele. O que eu pediria ao presidente Bolsonaro é que deixe Lula livre e pediria que se submeta a eleições com Lula em liberdade."
- Alberto Fernández, candidato kirchnerista a presidente da Argentina, em entrevista ao programa Corea del Centro, na Net TV, em 12/08/2019, após críticas de Bolsonaro.[852].
  • "Ao contrário do que alguns formadores de opinião defendem, parece que a lógica do confronto de Bolsonaro com o centrão e a esquerda tem funcionado. O Brasil avança, a Argentina, não. Macri, possivelmente, começou a entender que não se negocia com aqueles que querem te destruir e viver às custas de mamatas estatais."
- Alan Ghani, economista, 13/08/2018.[853]
  • "Em suma, basta Bolsonaro continuar a dar carta branca a Guedes e continuar na onda liberal que o Brasil avançará. Esta é a receita de sucesso para não virarmos uma Argentina."
- Alan Ghani, economista, 13/08/2018.[853]
  • "É engraçado porque, nesse mesmo evento, eu fiz duras críticas ao Bolsonaro quando eu recebi o prêmio, à forma de ele agir, ao modo como ele, já naquela época, louvava a ditadura militar. Até hoje os bolsominions me criticam por conta do discurso que eu fiz nesse evento."
- Fernando Holiday, vereador de São Paulo, em matéria de 14/08/2019 do UOL, após vazamento de conversas do procurador da República Deltan Dallagnol por Telegram, nas quais o procurador disse ter cancelado sua ida a uma premiação por conta das presenças de Bolsonaro e Holiday.[760]
  • "[...] não tive e não tenho medo do governo do Lula, do PT, não terei medo do governo Bolsonaro, entende? [...] Bolsonaro não é burro, senão ele não chegaria onde chegou, mas é um idiota ingrato que nada sabe. Aquela cadeira de presidente ficou grande para ele e ele se lambuzou com o mel da Presidência. Bolsonaro se mostra, muitas vezes, infantil. Ele não está preparado para o cargo para o qual foi eleito, para o qual eu, infelizmente, ajudei a elegê-lo. Eu acreditava, assim como milhões de brasileiros, que ele realmente pudesse fazer a diferença, mas não foi isso que encontrei lá. Ele acredita nas verdades criadas, nas próprias fantasias dele. [...] o Bolsonaro fica devendo conteúdo, diplomacia, respeito. Ele nada sabe sobre isso, ele não gosta de ouvir, é inseguro, medroso e caricato. Bolsonaro não foi ninguém no Exército, saiu expurgado de lá, não foi brilhante, ou estou errado? Não estou. Eu, como ator pornô, dei mais certo do que ele no Exército. Bolsonaro está fazendo parte de uma matilha cultural e social de extrema-direita, que assim como a esquerda, que durante muito tempo trabalhou isso, acham que vão dominar o país. [...] A impressão que eu tenho é que o Bolsonaro não saiu da campanha. Ele acha que o Palácio é um palco. Ele tem que levantar as mãos para o céu por ele ainda ter do lado dele o Paulo Guedes, o Sergio Moro. Mas o castelinho de areia uma hora vai ruir e ele vai ficar perdido como um cachorrinho vira-lata numa montanha de lixo."
- Alexandre Frota, deputado federal, em entrevista publicada pela Folha de S.Paulo em 16/08/2019.[854]
  • "Tenha capacidade de dialogar, de compreender, de entender. E fazer desse diálogo uma bandeira importante para o seu governo."
- João Doria, governador de São Paulo, em 20/08/2019.[855]
  • "Dada a atitude do Brasil nas últimas semanas, o presidente da República [Francesa] só pode constatar que o presidente Bolsonaro mentiu para ele na cúpula (do G20) de Osaka. [...] o presidente Bolsonaro decidiu não respeitar seus compromissos climáticos nem se comprometer com a biodiversidade. Nestas circunstâncias, a França se opõe ao acordo do Mercosul."
- Nota do Palácio do Eliseu, sede do governo da França, em nota de 23/08/2019.[856]
  • "Bolsonaro: Palmeiras em São Paulo e Botafogo na Amazônia"
- Piada que circulou nas redes sociais em 08/2019.[857]
  • "O presidente Jair Bolsonaro insiste na fake news de que eu teria recebido R$ 375 mil por uma única palestra paga pelo Senac. Colocou ontem no seu twitter a falsa informação e, numa entrevista coletiva, desafiou os jornalistas a publicarem sua 'denúncia'. No dia 5 de Janeiro, seu filho 02, o vereador Carlos Bolsonaro, havia publicado a mesma mentira em seu twitter. [...] Ontem, seu pai voltou ao mesmo assunto, numa demonstração de má-fé. Deixou claro, naquele seu linguajar característico, que se tratava de uma desforra por causa das minhas críticas ao seu governo [...]. Deixar de dar entrevistas se jornalistas não fizerem o que ele deseja? Essa 'ameaça' seria apenas risível, não dissesse ela muito de uma personalidade que a cada dia se mostra mais autoritária. E desgostosa de poder muito, mas não poder tudo."
- Merval Pereira, jornalista, acusado por Bolsonaro de ter sido contratado pelo Senac por R$ 375 mil para ma única palestra, quando, na verdade, o contrato era para quinze palestras.[565]
  • "Bolsonaro fez comentários extremamente desrespeitosos sobre minha mulher. O que eu posso dizer? É triste, mas é triste primeiro por ele e pelos brasileiros. As mulheres brasileiras provavelmente sentem vergonha de ouvir isso do presidente. Como tenho uma grande amizade e respeito pelo povo brasileiro, espero que tenham rapidamente um presidente que se comporte à altura. Acho que os brasileiros, que são um grande povo, têm um pouco de vergonha de ver esse comportamento e esperam que um presidente se comporte bem em relação aos outros."
- Emmanuel Macron, presidente da França, em 26/08/2019, após Bolsonaro zombar da primeira-dama francesa num comentário no Facebook.[858][859][860]
  • "Claro, eu tinha de reagir. Você entende? Eu queria ser pacífico. Queria ser correto, construtivo com o cara e respeitar sua soberania. Tudo bem. Mas eu não poderia aceitar isso. Você sabe que quando meu ministro de Relações Exteriores foi lá? Ele deveria recebê-lo e cancelou no último minuto para ir cortar seu cabelo. E filmou a si mesmo. Desculpa. Mas isso não é a atitude de um presidente."
- Emmanuel Macron, presidente da França, em 26/08/2019, para Sebastián Piñera, presidente do Chile, após discursar durante encontro do G7.[861]
  • "[Tenho] posições bem distintas. Nunca precisei mamar em teta nenhuma. Eu não devolvo a ofensa e nem vou entrar dentro dessa linha de confronto. Presidente Bolsonaro, eu não vou entrar dentro dessa polêmica."
- João Doria, governador de São Paulo, em 30/08/2019, após Bolsonaro dizer que Luciano Huck e Doria, por suas empresas terem adquirido jatinhos com financiamento do BNDES, teriam se beneficiado da "teta" dos governos de Lula e Dilma.[576]
  • "A melhor opção para o presidente Jair Bolsonaro é cuidar do país, reduzir a miséria e a pobreza. Não é hora de eleição, é hora de gestão. Nós temos que governar, não temos que polemizar. Eu reconheço as agruras, as dificuldades e a pressão que ele sofre. Então da minha parte ele tem o perdão e o bom sentimento. Da minha parte, ele não vai ter um antagonismo, muito menos um antagonista." "
- João Doria, governador de São Paulo, em 31/08/2019, após Bolsonaro dizer, quanto a uma eventual candidatura de Doria à presidência da República em 2022, que o governador "está morto".[576]
  • "Não compartilho a alusão feita pelo presidente Bolsonaro a uma ex-presidente do Chile e, especialmente, num assunto tão doloroso quanto a morte de seu pai."
- Sebastián Piñera, presidente do Chile, em 04/09/2019, após Bolsonaro defender o golpe de Estado no Chile em 1973 e a ditadura de Augusto Pinochet mencionando para tanto a morte, pelo regime, de Alberto Bachelet, pai de Michelle Bachelet, ex-presidente do Chile, adversária política de Piñera e alta-comissária da ONU para direitos humanos.[862]
  • "Tive o primeiro contato com o presidente da República através de um amigo de muitos anos e, nesse mesmo primeiro contato, eu disse ao presidente exatamente isso: ‘Presidente, o senhor não pode errar (…) porque o Ministério Público, o procurador-geral da República, tem as garantias constitucionais, que o senhor não vai poder mandar, desmandar ou admitir sua expressão."
- Augusto Aras, subprocurador-geral da República indicado por Bolsonaro para o cargo de procurador-geral da República, em conversa com o senador Alessandro Vieira em 12/09/2019.[863]
  • "Como você fala do quintal alheio se o seu quintal está sujo? As candidaturas em Minas Gerais e Pernambuco estão sendo investigadas. Mas o filho do presidente também. [...] Bolsonaro não está algemado no PSL, não. Aqui não tem ninguém amarrado. Candidatos majoritários, como o presidente, governadores e senadores, têm liberdade para trocar de partido quando quiserem."
- Delegado Waldir, líder do PSL na Câmara dos Deputados, em 08/10/2019, após Bolsonaro pedir a um apoiador que "esquecesse" o partido.[864]
  • "Quando ele diz a um estranho para esquecer o PSL, mostra que ele mesmo já esqueceu. Mostra que ele não tem mais nenhuma relação com o PSL. [...] Acho que ele quis sair porque tem preocupação com as denúncias de laranjas. Ele quer ficar isento dessas coisas. Ninguém é eleito presidente sem ter acertos. Como ele vem em um processo de reeleição, talvez ele saiba qual é o melhor caminho a ser seguido. Espero que ele tenha sucesso. [...] Tenho que respeitar a posição dele, não vou ser invasivo ou inconveniente."
- Luciano Bivar, presidente do PSL, em 09/10/2019.[865]
  • "A não-assinatura do Bolsonaro no diploma é para mim um segundo prêmio Camões."
- Chico Buarque, cantor e compositor, em seu perfil no Instagram em 09/10/2019, após Bolsonaro dizer que até 31/12/2026 assinaria o diploma do Prêmio Camões de 2019, concedido ao artista.[866]
  • "Nós apoiamos o presidente Bolsonaro. Não reconheço no país ainda monarquia, dinastia, filho príncipe. O que está desgastando muito o presidente são filhos com mania de príncipe. Eu estou dizendo e apontando o dedo dentro do partido. Aquela relação que fizeram dos 19 deputados escolhidos a dedo, que foram chamados para reunião para demonstrar apoio ao presidente, eram alguns de sangue azul, a alta nobreza conservadora que mesmo dentro do partido ninguém podia saber. Sabe o que é isso? Conspiração baixa. Ficou mais que notório que quem estava por trás era um ex-ministro do TSE e uma advogada espertalhona, Karina Kufa. Trabalhando nos bastidores. Infelizmente com o filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, que promoveu tudo. E quem perde é o presidente e o país. O PSL vai sair fortalecido. Algumas pessoas do PSL, se saíssem hoje, eu diria Deus leve, guarde e esqueça onde."
- Major Olímpio, senador do PSL, em 11/10/2019.[867]
  • "Ele [Bolsonaro] disse que ia indicar para essa vaga do Celso de Mello um ministro terrivelmente evangélico. Eu até tenho dito que é importante é que indique alguém que saiba ler a Constituição. Se for evangélico, não terá nenhum problema."
- Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, no programa Conversa com Bial de 14/10/2019.[868]
  • "Moro chegou quase que como um primeiro-ministro. Depois ele virou esse personagem que o Bolsonaro leva para o jogo do Flamengo. Ele está precisando do Bolsonaro. Antes o Bolsonaro precisava dele, depois ele passa a precisar do Bolsonaro."
- Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal, no programa Conversa com Bial de 14/10/2019.[869]
  • "Eu vou implodir o presidente. Aí eu mostro a gravação dele. Eu tenho a gravação. Não tem conversa, não tem conversa. Eu implodo o presidente. Acabou o cara. Eu sou o cara mais fiel a esse vagabundo. Eu votei nessa porra. Eu andei, no sol, 246 cidades gritando o nome desse vagabundo."
- Delegado Waldir, líder do PSL na Câmara dos Deputados, em reunião com outros deputados do partido, em 16/10/2019.[870]
  • "O presidente diz: ‘Assina, senão é meu inimigo’. Quem é que não ia assinar? Por isso que eu não fui."
- Professora Dayane Pimentel, deputada federal do PSL, em reunião com outros deputados do partido, em 16/10/2019, sobre a assinatura de uma lista para tornar Eduardo Bolsonaro líder do PSL na Câmara dos Deputados.[871]
  • "Não achei correto o uso da estrutura do Palácio e da força do próprio presidente para interferir num outro poder, interferir no Poder Legislativo, interferir na escolha direta de um líder, sendo este líder seu filho. Até porque é uma briga absolutamente desproporcional. Você tem um grupo de deputados e o presidente da República. E mesmo assim, vimos que não houve força suficiente. [...] Não me sinto traída, apesar de ser uma traição clara, de quem trabalhou pelo governo, pelo presidente, de quem rodou esse país pela reforma da Previdência. Então, é claro que é uma traição absolutamente clara. Mas eu deixei também de forma muito franca que eu jamais seria a primeira a trair. Mas eu sabia que cedo ou tarde eu seria traída, porque é o modus operandi. Todos que trabalharam muito, tiveram uma confiança dedicada ao próprio presidente em algum momento passaram por isso. Veja o caso de Gustavo Bebianno, depois o Santos Cruz, amigo de quarenta e tantos anos."
- Joice Hasselmann, deputada federal pelo PSL, após ser destituída da liderança do governo na Câmara dos Deputados, em entrevista ao jornal O Globo publicada em 18/10/2019.[872]
  • "O presidente precisou, alguns meses atrás, de um crédito extra de R$ 248 bilhões. O governo simplesmente não tinha o que fazer, não tinha esse crédito e ia parar totalmente. É o PLN 4. O governo ia parar de pagar o Bolsa Família, o BPC, não ia poder lançar o Pronaf. Comandei esse PLN tanto na CMO e na sessão do Congresso que aprovou unanimidade: 479 votos a favor. Porque fiz um grande acordo de pacificação para que a oposição votasse pelo PLN desde que trabalhássemos para descontingenciar o dinheiro da educação, para terminar as obras do São Francisco, para liberar as bolsa do CNPq. Com isso, consegui aprovação. Se não tivesse (aprovado), o presidente teria que cometer pedaladas, como Dilma cometeu para pagar esse benefícios sociais. Estaria com o pescoço na guilhotina para um processo de impeachment a depender de eventuais desgastes de popularidade. Com o PLN, retiramos essa guilhotina do pescoço do presidente. E quem coordenou fui eu."
- Joice Hasselmann, deputada federal pelo PSL, após ser destituída da liderança do governo na Câmara dos Deputados, em entrevista ao jornal O Globo publicada em 18/10/2019.[872]
  • ""Comandante" das FARC faz ameaças a @jairbolsonaro e chama o multicriminoso @LulaOficial de "Comandante". Não sei a veracidade deste vídeo, mas se tiver o contato deste comédia, @LulaOficial , diga a ele que aqui é Brasil, não é Colômbia. Se tentarem, vão levar chumbo grosso!"
- Daniel Silveira, deputado federal pelo PSL, em tweet de 26/10/2019, retuitado por Bolsonaro, acompanhado de vídeo falso no qual homens armados que se dizem membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia fazem ameaças a Bolsonaro diante de uma bandeira do Equador.[873]
  • "A ser verdadeira a postagem feita pelo Senhor Presidente da República em sua conta pessoal no “Twitter”, torna-se evidente que o atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura que um Chefe de Estado deve demonstrar no exercício de suas altas funções, pois o vídeo que equipara, ofensivamente, o Supremo Tribunal Federal a uma “hiena” culmina, de modo absurdo e grosseiro, por falsamente identificar a Suprema Corte como um de seus opositores. Esse comportamento revelado no vídeo em questão, além de caracterizar absoluta falta de “gravitas” e de apropriada estatura presidencial, também constitui a expressão odiosa (e profundamente lamentável) de quem desconhece o dogma da separação de poderes e, o que é mais grave, de quem teme um Poder Judiciário independente e consciente de que ninguém, nem mesmo o Presidente da República, está acima da autoridade da Constituição e das leis da República. É imperioso que o Senhor Presidente da República —que não é um “monarca presidencial”, como se o nosso país absurdamente fosse uma selva na qual o Leão imperasse com poderes absolutos e ilimitados— saiba que, em uma sociedade civilizada e de perfil democrático, jamais haverá cidadãos livres sem um Poder Judiciário independente, como o é a Magistratura do Brasil."
- Celso de Mello, ministro do Supremo Tribunal Federal, sobre vídeo postado no perfil de Bolsonaro no Twitter no qual um leão identificado como "Presidente Bolsonaro" é acossado por hienas identificadas como STF, PSL, PT, PSOL, CNBB e veículos de imprensa.[641]
  • "O presidente pediu desculpas sobre a publicação do vídeo QUE ELE MESMO O FEZ. Qualquer um que tente plantar uma narrativa contrária age de má fé e com interesses terrivelmente anti-republicanos. Para bom entendedor meia palavra basta! (sic)"
- Carlos Bolsonaro, em tweet de 29/10/2019, contradizendo o pai que dissera não ter postado o vídeo do leão e das hienas.[874]
  • "A Globo não fez patifaria nem canalhice. Fez, como sempre, jornalismo com seriedade e responsabilidade. Revelou a existência do depoimento do porteiro e das afirmações que ele fez. Mas ressaltou, com ênfase e por apuração própria, que as informações do porteiro se chocavam com um fato: a presença do então deputado Jair Bolsonaro em Brasília, naquele dia, com dois registros na lista de presença em votações. O depoimento do porteiro, com ou sem contradição, é importante, porque diz respeito a um fato que ocorreu com um dos principais acusados, no dia do crime. Além disso, a mera citação do nome do presidente leva o Supremo Tribunal Federal a analisar a situação. A Globo lamenta que o presidente revele não conhecer a missão do jornalismo de qualidade e use termos injustos para insultar aqueles que não fazem outra coisa senão informar com precisão o público brasileiro. Sobre a afirmação de que, em 2022, não perseguirá a Globo, mas só renovará a sua concessão se o processo estiver, nas palavras dele, enxuto, a Globo afirma que não poderia esperar dele outra atitude. Há 54 anos, a emissora jamais deixou de cumprir as suas obrigações."
- Nota da Rede Globo de 30/10/2019 sobre falas de Bolsonaro contra a emissora, após reportagem do Jornal Nacional revelar que o porteiro do condomínio onde Bolsonaro tem residência mencionou o nome do ex-deputado federal em depoimento na investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[875]
  • "Lamento profundamente a manifestação intempestiva do presidente Jair Bolsonaro. Ressalto que jamais houve qualquer tipo de interferência política nas investigações conduzidas pelo Ministério Público e a cargo da Polícia Civil. Em meu governo, as instituições funcionam plenamente e o respeito à lei rege todas nossas ações. Não transitamos no terreno da ilegalidade, não compactuo com vazamentos à imprensa. Não farei como fizeram comigo, prejulgar e condenar sem provas. Hoje, fui atacado injustamente."
- Trecho de nota de Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, em 30/10/2019, após Bolsonaro acusá-lo de ter tido acesso à investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes e vazar a informação de que Bolsonaro foi mencionado no processo.[659]
  • "Lamento que o presidente tenha no momento, talvez, de descontrole emocional, no momento que está em uma viagem, não está talvez no seu estado normal, tenha feito acusações com a minha atividade de governador. [...] Espero que o presidente reflita. Espero que ele, assim como recentemente divulgou um vídeo na Internet em que ofendeu a nossa Suprema Corte pedindo desculpas... Ele deve desculpas ao povo do Estado do Rio de Janeiro."
- Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, em 30/10/2019, após Bolsonaro acusá-lo de ter tido acesso à investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes e vazar a informação de que Bolsonaro foi mencionado no processo.[876]
  • "Vêm de dentro do Palácio do Planalto os três personagens que vieram das redes bolsonaristas e tiveram oficializadas as suas redes de ataque com dinheiro público. E quem coordena? Carlos Bolsonaro. Direto do Rio de Janeiro, ele coordena realizando reuniões e disparando via WhatsApp os seus comandos. Bolsonaro se encantou com essas três figuras e os trouxe para trabalhar dentro de seu gabinete."
- Alexandre Frota, deputado federal, em depoimento na CPMI das Fake News no Senado, em 30/10/2019.[877]
  • "Isso fere a lei que trata do crime de responsabilidade administrativa, de improbidade administrativa e de segurança nacional. Pois ele aumenta, ele estimula, ele bate palmas, ele ri e ele paga."
- Alexandre Frota, deputado federal, referindo-se a Bolsonaro em depoimento na CPMI das Fake News no Senado, em 30/10/2019.[878]
  • "No dia em que Bolsonaro se envolver em algum escândalo de corrupção eu chupo o cu do Caetano Veloso."
- Tweet de perfil falso atribuído a Olavo de Carvalho apresentado por Alexandre Frota, deputado federal, em depoimento na CPMI das Fake News no Senado, em 30/10/2019.[879][880]
  • "Não havia nenhum elemento que pudesse importar ou atrair uma investigação profunda. Evidentemente, foram concluídas as análises dos áudios. E a conclusão da nossa equipe de assessoria é que nos áudios enviados não há nenhuma referência ao presidente da República."
- Augusto Aras, procurador-geral da República, em 30/10/2019, sobre a menção, pelo porteiro do condomínio onde Bolsonaro tem residência, do nome do ex-deputado federal em depoimento na investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[881]
  • "Por si só, a notícia de fato já encerrava a solução do problema. [O arquivamento ocorreu] porque não tinha nenhuma hipótese [de investigação do presidente] a não ser a mera comunicação [ao STF]. O que existe agora é um problema novo, o factoide que gerou um crime contra o presidente."
- Augusto Aras, procurador-geral da República, em 30/10/2019, sobre a menção, pelo porteiro do condomínio onde Bolsonaro tem residência, do nome do ex-deputado federal em depoimento na investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[882]
  • "A inconsistência sugere possível equívoco na investigação conduzida no Rio de Janeiro ou eventual tentativa de envolvimento indevido do nome do Presidente da República no crime em questão, o que pode configurar crimes de obstrução à Justiça, falso testemunho ou denunciação caluniosa, neste último caso tendo por vítima o Presidente da República, o que determina a competência da Justiça Federal e, por conseguinte, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal."
- Sérgio Moro, ministro da Justiça, em ofício encaminhado ao procurador-geral da República, Augusto Aras, em 30/10/2019, sobre a menção, pelo porteiro do condomínio onde Bolsonaro tem residência, do nome do ex-deputado federal em depoimento na investigação dos assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.[883]
  • "Segue o vídeo do meu encontro com Bolsonaro no Palácio no café da manhã. No vídeo podemos ouvir claramente quando eu fala pra mim com a mão na boca(porra Frota cala essa matraca)na sequência diz "eu quero continuar transando contigo "isso por eu ter pedido a prisão do Queiroz."
- Alexandre Frota, deputado federal, em tweet de 01/11/2019 acompanhado de vídeo que mostra Bolsonaro falando com o parlamentar.[884]
  • "Não é novidade. O presidente Jair Bolsonaro não tem apreço pela imprensa independente e profissional. Não tinha durante a campanha e continuou sem ter desde o primeiro dia no cargo. Ele diz que defende uma imprensa livre, mas suas palavras e atos comprovam que ele quer apenas uma imprensa que o bajule e que não busque noticiar os fatos como eles são, mas como ele gostaria que fossem. A essa altura, ele já sabe que jamais terá isso daqueles que praticam com zelo o jornalismo profissional. Certamente não terá isso dos veículos do Grupo Globo. Seus antecessores não tiveram, seus sucessores não terão. [...] Chamá-los de patifes, canalhas e porcos não diz nada deles, mas muito dos valores de quem profere insultos tão indignos. É preciso repudiar tal atitude do presidente da forma mais veemente possível e denunciá-la como a de um homem que, hoje não se tem mais ilusões, não comunga dos valores democráticos mais básicos. Não se esperem, contudo, reações no mesmo nível. Espere-se mais jornalismo. Espere-se a busca pela verdade, de forma destemida, que retrate os fatos como eles são, positivos ou negativos, inclusive sobre o governo. E que denuncie qualquer tentativa de cercear as liberdades de nossa democracia."
- Editorial do Grupo Globo em 05/11/2019.[885]

2020Editar

  • "O presidente da república atravessou o Rubicão. A sorte da democracia brasileira está lançada, hora dos democratas se unirem, superando dificuldades e divergências, em nome do bem maior chamado LIBERDADE!"
- Felipe Santa Cruz, presidente nacional da OAB, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[886]
  • "Democracia não é o que presidente Bolsonaro pratica: mandar o povo brasileiro para as ruas, correndo riscos de se contaminar, de tornar o nosso Brasil um país doente, em meio a uma grave crise de saúde mundial."
- Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[887]
  • "Em vez de o presidente incitar a população contra os governadores e comandar uma grande rede de fake news para tentar assassinar nossas reputações, deveria cuidar da saúde dos brasileiros. Seguimos na missão de enfrentamento do Covid-19.#rjcontraocoronavirus"
- Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[888]
  • "Lamentável que o Pr adira a manifestações antidemocráticas. É hora de união ao redor da Constituição contra toda ameaça à democracia. Ideal que deve unir civis e militares; ricos e pobres. Juntos pela liberdade e pelo Brasil."
- Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente do Brasil, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[888]
  • "A mesma Constituição que permite que um presidente seja eleito democraticamente têm mecanismos para impedir que ele conduza o país ao esfacelamento da democracia e a um genocídio da população."
- Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[888]
  • "Para desviar o foco de suas absurdas atitudes quanto ao coronavírus e a sua péssima gestão econômica, Bolsonaro resolve atiçar grupelhos para atacar a Constituição, as instituições e o regime democrático. Bolsonaro não sabe e não quer governar. Só quer poder e confusão"
- Flávio Dino, governador do Maranhão, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[889]
  • "Um presidente da República participar de um ato em defesa de um golpe militar e afrontando a Constituição, em frente aos três poderes, o que mais esperar?"
- Wellington Dias, governador do Piauí, em 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[889]
  • "Lamentável que o presidente da república apoie um ato antidemocrático, que afronta a democracia e exalta o AI-5. Repudio também os ataques ao Congresso Nacional e ao Supremo Tribunal Federal. O Brasil precisa vencer a pandemia e deve preservar sua democracia🇧🇷."
- João Doria, governador de São Paulo, em tweet de 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[888]
  • "Não sei onde o capita está com a cabeça. Não sei em que ele está respaldado. Conheço os militares. Observam a disciplina, a hierarquia e não apoiam maluquices. Tempos estranhos! Os ares são democráticos e assim continuarão. Visão totalitária merece a excomunhão maior."
- Marco Aurélio Mello, para a CNN Brasil em 19/04/2020, após Bolsonaro participar de manifestação pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF e por intervenção militar.[890]
  • "Os procuradores da República integrantes da força-tarefa da operação Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná vêm a público manifestar repúdio às noticiadas tentativas de interferência do Presidente da República na Polícia Federal em investigações e de acesso a informações sigilosas. [...] É inconcebível que o Presidente da República tenha acesso a informações sigilosas ou que interfira em investigações."
- Trecho de nota da força-tarefa da Operação Lava-Jato do Ministério Público Federal no Paraná, em 24/04/2020, após exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, por Bolsonaro.[891]
  • "É gravíssima a denúncia de tentativa de escolha pelo presidente da República de dirigentes da Polícia para interferir em investigações e ter acesso a informações sigilosas. O combate à corrupção exige investigações técnicas, que possam ser conduzidas sem pressões externas."
- Deltan Dallagnol, procurador do Ministério Público Federal e coordenador força-tarefa da Operação Lava-Jato no Paraná, em tweet de 24/04/2020, após exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, por Bolsonaro.[891]
  • "Entre o Bolsonaro e o Mourão, me parece, o Brasil fica mais tranquilo com Mourão. Deixa o Mourão tomar conta. O peso [do cargo] é muito grande para ele [Bolsonaro]. O melhor seria que ele tomasse juízo."
- Fernando Henrique Cardoso em entrevista à Rádio Gaúcha em 28/04/2020.[892]
  • "A Confederação Nacional de Municípios (CNM) e as entidades estaduais de Municípios, em vista da manifestação do Excelentíssimo senhor presidente da República, Jair Bolsonaro, na data de hoje, 29 de abril de 2020, no sentido de que a conta das mortes pela Covid-19 deve ser direcionada a prefeitos e governadores, vêm, pela presente, esclarecer à sociedade brasileira que os gestores locais têm plena consciência do papel que lhes cabe no enfrentamento dessa que é a maior crise sanitária da nossa história. [...] ao presidente da República compete o exemplo de liderança nacional, respeitando os limites da ciência; e, aos governadores e prefeitos, a adaptação das políticas de enfrentamento da Covid-19 às realidades regionais e locais. Infelizmente, no momento crítico, em que se esperava a liderança do Excelentíssimo senhor presidente da República, observa-se, isso sim, a ausência de uma postura republicana, a falta de empatia – em especial com as famílias enlutadas – e a perda da consciência do papel institucional do mais alto cargo da nação. Essa postura errática, ao invés de incentivar a solidariedade e a consequente eficiência das ações, aprofunda a divergência, a desorientação e cria insegurança, sobretudo, junto à população, colocando em xeque o federalismo cooperativo brasileiro. Dessa maneira, os signatários da presente nota externam seu absoluto repúdio à manifestação e à postura recente do Excelentíssimo senhor presidente da República, apelando para que Sua Excelência avoque seu papel institucional e passe a agir segundo os pressupostos constitucionais e legais, em especial, em tempos de incerteza e temor pela manutenção da vida de milhares de brasileiros."
- Trecho de nota de repúdio da Confederação Nacional de Municípios em 29/04/2020.[893]
  • "Bolsonaro saiu às ruas pra dizer que a Constituição vai ser aplicada. Mas é justamente isso que está sendo feito e o decepcionando fortemente. O que ele gostaria é que a Constituição fosse aplicada, sem a parte sobre "moralidade", e "impessoalidade" - e isso não vai ocorrer."
- Felipe Santa Cruz, presidente nacional da OAB, em tweet de 03/05/2020, [894]
  • "O Presidente Jair Bolsonaro mais uma vez revela seu desapreço pela democracia, desprezo pelo legislativo, menosprezo pelo judiciário e intolerância com a imprensa. Além de não admitir o contraditório, ainda estimula o povo do seu país na desobediência à saúde e à medicina. O que afronta o direito à vida. Inimaginável um presidente do Brasil sendo um exemplo do mal e conspirador contra a democracia."
- João Doria, governador de São Paulo, em tweet de 03/05/2020[895]
  • "O fascismo põe seus ovos: Bolsonaro, que descumpre a constituição diariamente, diz que “constituição será cumprida a qualquer preço”."
- Fernando Haddad, ex-ministro da Educação e candidato a presidente nas eleições de 2018, em tweet de 03/05/2020.[894]
  • "Passamos dias e dias apelando às pessoas para ficarem em casa e cuidarem da saúde e o presidente segue acenando para as pessoas em aglomerações. Eu não sei onde o presidente quer chegar com isso. Mas cada vida perdida será responsabilidade dele. É um péssimo exemplo"
- Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, em tweet de 03/05/2020.[894]
  • "O presidente diz pregar a democracia e fica em silêncio diante das agressões sofridas por profissionais do jornal @estadao na manifestação da qual participou. Alimentar o caos é o único plano de governo do presidente."
- Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, em tweet de 03/05/2020.[896]
  • "Aglomerações estimuladas pelo presidente em meio a uma gravíssima pandemia. Jornalistas agredidos no Dia da Liberdade de Imprensa. O Brasil vive tempos sombrios. Mas este é o momento em que mais precisamos ser fortes, para defender a vida e para lutar pela nossa democracia."
- Camilo Santana, governador do Ceará, em tweet de 03/05/2020.[897]
  • "As agressões aos profissionais da saúde e da imprensa por simpatizantes do Presidente da República demonstram o tensionamento político que estamos vivendo. Cabe ao Presidente dar sinais de convivência com pensamentos diferentes. Até agora as atitudes apontam para a intolerância."
- Renato Casagrande, governador do Espírito Santo, em tweet de 03/05/2020, sobre as agressão contra profissionais de imprensa e da saúde por manifestantes favoráveis a Bolsonaro.[898]
  • "Bolsonaro diz que quer um governo “sem interferências”, ou seja, uma ditadura. É da essência da tripartição funcional do Estado que os Poderes interfiram uns nos outros. Na verdade, Bolsonaro está com medo da delação de Moro e de ser obrigado a mostrar o exame do coronavírus"
- Flávio Dino, governador do Maranhão, em tweet de 03/05/2020.[899]
  • "O Presidente Bolsonaro, ao invés de se preocupar com a vida das pessoas, está preocupado em manter-se no poder desrespeitando o Estado Democrático de Direito."
- Bruno Covas, prefeito de São Paulo, em 03/05/2020.[900]
  • "Esses atos violentos são mais graves porque não há, e parte do presidente ou de autoridades do governo, qualquer condenação a eles. Pelo contrário, é o próprio presidente e seus ministros que incentivam as agressões contra a imprensa e seus profissionais."
- Trecho de nota de repúdio da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) de 03/05/2020, pela agressão contra profissionais de imprensa por manifestantes favoráveis a Bolsonaro.[896]
  • "Jair Bolsonaro esteve no ato, reforçando apoio contra o STF e o Congresso. O uso da violência e ameaças não intimidarão aqueles que trabalham em defesa da verdade. A liberdade de imprensa é um dos pilares da democracia. Vamos seguir combatendo atos autoritários e intimidatórios."
André Figueiredo (PDT-CE), líder da oposição na Câmara dos Deputados, em 03/05/2020, sobre a agressão contra profissionais de imprensa por manifestantes favoráveis a Bolsonaro.[900]
  • "Em pleno Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, jornalistas foram hostilizados e covardemente agredidos por militantes políticos ao realizarem a cobertura de manifestações em apoio ao presidente Jair Bolsonaro na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Tais acontecimentos evidenciam o risco cada vez maior ao qual o discurso belicoso e ultrajante do presidente da República expõe os repórteres brasileiros. [...] Tais agressões são incentivadas pelo comportamento e pelo discurso do presidente Jair Bolsonaro. Seus ataques aos meios de comunicação, teorias conspiratórias e comportamento ofensivo fomentam um clima de hostilidade à imprensa, além de servirem de exemplo e legitimarem o comportamento criminoso de seus apoiadores."
- Trecho de nota de repúdio da diretoria da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e do Observatório da Liberdade de imprensa da OAB em 03/05/2020, pela agressão contra profissionais de imprensa por manifestantes favoráveis a Bolsonaro.[896]
  • "Então, assim, eles ainda estão decidindo. Está decidido. Eu não sei, não sei. Que loucura. Que loucura isso. Eu acho que ele está me dispensando."
Regina Duarte, atriz e secretária especial da Cultura, em telefonema com assessora em 05/05/2020, sobre sua eventual substituição no cargo por Bolsonaro.[901]

ReferênciasEditar

  1. Coluna "Ponto de Vista", O salário está baixo, Revista VEJA - 03/09/1986 - Edição 939 - pág. 154
  2. O artigo em VEJA e a prisão de Bolsonaro nos anos 1980. Veja, 15/05/2017
  3. Bolsonaro admitiu atos de indisciplina e deslealdade no Exército. Folha de S.Paulo, 15/05/2017.
  4. Bolsonaro se candidata à Câmara e quer ser representante dos militares
  5. Pôr bombas nos quartéis, um plano na Esao
  6. Pobre não sabe fazer nada, disse Bolsonaro quando era vereador no Rio, nos anos 1990. Folha de S.Paulo, 25/07/2018.
  7. BOLSONARO, Jair. Ouro japonês. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 15 mar. 1990, p. 4.
  8. MOREL, Marcos. Indignado, Nini recorre contra prisão. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 30 maio 1990, p. 5.
  9. Capitão-vereador ataca presidente. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 15 jul. 1990, p. 3.
  10. Clube Militar encaminhará propostas. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 15 out. 1990, p. 3.
  11. MOREL, Marcos. Perdas salariais levam oficial a desafiar Emfa. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 1º ago. 1990, p. 3.
  12. MOREL, Marcos. Bolsonaro prevê reação em quartéis. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 7 ago. 1990, p. 1.
  13. MOREL, Marcos. Militar quer reduzir salário de parlamentares. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 15 set. 1990, p. 5.
  14. Militar se irrita com reajuste dado pelo governo. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 10 out. 1990, p. 3.
  15. MOREL, Marcos. Bolsonaro mobiliza as "bases". Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 12 dez. 1990, p. 5.
  16. 16,0 16,1 MOREL, Marcos. Bolsonaro quer bomba atômica brasileira. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 14 jan. 1991, p. 2.
  17. [http://memoria.bn.br/DocReader/154083_05/6623 Capitão-deputado lança 1º boletim]. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 6 mar. 1991, p. 2.
  18. 18,0 18,1 MOREL, Marcos. Bolsonaro acusa chefe do Emfa de nocivo ao militar. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 11 mar. 1991, p. 5.
  19. 19,0 19,1 “Canalha”, “covarde”, “contrabandista”: a reputação de Bolsonaro nos relatórios do Exército. Por Vinícius Segalla. Diário do Centro do Mundo, 05/04/2019.
  20. 20,0 20,1 Jonas troca insultos com Bolsonaro. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 16 abr. 1991, p. 2.
  21. Ministros decidem processar Bolsonaro
  22. 22,0 22,1 22,2 22,3 22,4 Bolsonaro defendeu esterilização de pobres para combater miséria e crime. Folha de S.Paulo, 11/06/2018.
  23. Em 1992, Bolsonaro era muito mais comportado. O Globo, 24/04/2016.
  24. No Brasil, Bolsonaro aplaude
  25. 25,0 25,1 Bolsonaro defende ditadura e pode ser cassado
  26. Conversations/Jair Bolsonaro; A Soldier Turned Politician Wants To Give Brazil Back to Army Rule. The New York Times, 25/07/1993.
  27. HÁ 25 ANOS, BOLSONARO DEFENDEU INFORMATIZAR APURAÇÃO DAS ELEIÇÕES PARA COMBATER FRAUDES. Época, 16/10/2018.
  28. Apesar do atual aceno ‘liberal’, Bolsonaro foi contra reformas e Plano Real. O Globo, 19/11/2017.
  29. 29,0 29,1 VÍDEO – Gregório Duvivier fala de Jair Bolsonaro: “olha pros seus problemas e dá resposta fácil”. Diário do Centro do Mundo, 06/07/2018
  30. Em primeiro mandato como deputado, Bolsonaro defende 'regime de exceção' e 'congelamento do Congresso'. O Globo, 08/06/2018.
  31. JAIR MESSIAS BOLSONARO. CPDOC FGV.
  32. PT ajuda Bolsonaro a se livrar de punição. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 28/03/1995, p. 4.
  33. Marginais rendem Bolsonaro e levam motocicleta e arma
  34. 34,0 34,1 34,2 Como o discurso de Bolsonaro mudou ao longo de 27 anos na Câmara?. BBC Brasil, 07/12/2017.
  35. Diário do Congresso Nacional. Câmara dos Deputados, 22/09/1995.
  36. Bolsonaro se opõe à extinção. Folha de S.Paulo, 17/02/1996.
  37. Gastaram muito chumbo com Lamarca. Ele deveria ter sido morto a coronhadas" - Jair Bolsonaro, deputado federal. O Globo, 06/01/2000.
  38. October 7, 2018: Brazilian Elections. HBO, 07/10/2018.
  39. Coronel Ubiratan deve perder a imunidade
  40. Bolsonaro sobre ex-padre: "Isso é que dá torturar e não matar". Folha de Londrina, 16/06/1999.
  41. Bolsonaro já defendeu estudantes que admiravam Hitler. Confira. Congresso em Foco, 20/01/2020.
  42. 42,0 42,1 42,2 Comissão defende picaretas, diz deputado. Folha, 13/03/1998.
  43. Bolsonaro ataca d. Paulo em plenário
  44. 44,0 44,1 44,2 Diário da Câmara dos Deputados. Ano LIII - Nº 064. Câmara dos Deputados, 13/08/2019.
  45. #Verificamos: É verdade que Bolsonaro elogiou cavalaria norte-americana por dizimar índios. Piauí, 06/12/2018.
  46. 46,0 46,1 46,2 Bolsonaro sobre ex-padre: "Isso é que dá torturar e não matar". Folha de Londrina, 16/06/1999.
  47. Violência domina protesto em Brasília. Folha de Londrina, 21/05/1998.
  48. 48,0 48,1 “MESMO TENDO SIDO AGREDIDA POR BOLSONARO, VOTO NELE”. Piauí, 23/10/2018.
  49. Bolsonaro agride mulher. Jornal do Brasil, 27/08/1998.
  50. Veja
  51. Veja 11 frases polêmicas de Bolsonaro. Folha, 06/10/2018.
  52. 52,0 52,1 52,2 52,3 52,4 52,5 52,6 52,7 O dia que Bolsonaro quis matar FHC, sonegar impostos e declarar guerra civil
  53. 53,0 53,1 53,2 53,3 53,4 53,5 Bolsonaro pode perder o mandato. Senado Federal, 25/05/1999.
  54. Bolsonaro: 'isso é que dá torturar e nao matar'. Diário do Grande ABC, 16/06/1999.
  55. 55,0 55,1 "É uma esperança para a AL"
  56. 56,0 56,1 FHC pede à Câmara que puna Bolsonaro. Folha, 05/01/2000.
  57. 57,0 57,1 57,2 57,3 57,4 57,5 57,6 57,7 57,8 "Eu defendo a tortura"
  58. Bolsonaro elege o filho 'troglodita'. O Estado de S. Paulo, 06/10/2000
  59. Bolsonaro diz que Quintão é 'patife e imoral'. Folha, 03/08/2001.
  60. Apoio de FHC à união gay causa protestos
  61. Bolsonaro dá apoio a comunista
  62. Inconveniência da indicação do Embaixador José Viegas para o cargo de Ministro da Defesa. Câmara dos Deputados, 04/12/2002.
  63. Discurso em 05/12/2002 às 09:20
  64. Discurso em 12/08/2003 às 14:54. Câmara dos Deputados.
  65. 65,0 65,1 Para rebater deputada, Bolsonaro diz que não a 'estupraria'. Folha de S.Paulo, 09/12/2014
  66. Discurso em 31/03/2004. Câmara dos Deputados.
  67. Discurso em 14/4/2004 às 14:00. Câmara dos Deputados, 14/04/2004.
  68. 68,0 68,1 68,2 68,3 68,4 68,5 68,6 68,7 68,8 HISTÓRIA, VOLVER. Piauí, 03/2019.
  69. Até jumento entra no bate-boca Folha, 14/04/2005.
  70. Herói, brilhante: as vezes que Bolsonaro e Flávio defenderam miliciano morto. Congresso em Foco, 16/02/2020.
  71. Bolsonaro propõe vagas para deputados negros. Terra, 01/07/2006.
  72. Bolsonaro propõe cotas para negros no Congresso. Congresso em Foco, 30/06/2019.
  73. [1]
  74. 74,0 74,1 Após defender legalização de paramilitares no passado, Bolsonaro agora se diz desinteressado no assunto. O Globo, 08/07/2018.
  75. Vigilantes take over Rio shanty towns. BBC News, 08/03/2008
  76. http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u401933.shtml
  77. Gay de direita, Clodovil é lembrado por polêmicas no Plenário. Época. 18/06/2018
  78. Agência Brasil
  79. Estadão
  80. Sete vezes em que Bolsonaro causou polêmica ao defender a ditadura. Congresso em Foco, 31/03/2019.
  81. http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,cartaz-contra-desaparecidos-do-araguaia-irrita-deputados,378349
  82. Viraliza vídeo em que Bolsonaro critica “liberaizinhos da vida, que tomam quick e danoninho”, criados pela vovó. Revista Fórum, 26/10/2019.
  83. Bolsa Família: ganho real com o 13º de Bolsonaro é de 7 reais por mês. Carta Capital, 11/04/2019.
  84. Novo fôlego. Folha, 17/10/2010.
  85. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 18/08/2010.
  86. Comissão vai debater declaração de Bolsonaro sobre punição a filho gay. Câmara dos Deputados, 01/12/2010.
  87. Deputado federal defende na TV agressões físicas para mudar "filho gayzinho". Folha de S.Paulo, 25/11/2010
  88. BOLSONARISTAS NEGAM HOLOCAUSTO, DESPREZAM MULHERES, INSULTAM MARIELLE E EXPÕEM ALMAS DOENTES. The Intercept, 19/09/2018.
  89. Discurso em 30/11/2010 às 14:56. Câmara dos Deputados, 30/11/2010
  90. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 02/02/2011.
  91. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 10/02/2011.
  92. A frente gay no paredão do Congresso. Época, 16/02/2011.
  93. 93,0 93,1 93,2 93,3 93,4 Bolsonaro diz na TV que seus filhos não 'correm risco' de namorar negras ou virar gays porque foram 'muito bem educados'
  94. 94,0 94,1 94,2 'Estou me lixando para esse pessoal', diz Bolsonaro sobre movimento gay
  95. Kit do MEC estimula homossexualismo, diz Bolsonaro. Estado de Minas, 31/03/2011.
  96. 96,0 96,1 Bolsonaro: é isso que queremos?
  97. Checamos declarações de Haddad em entrevista ao Roda Viva. Aos Fatos, 24/10/2018.
  98. 98,0 98,1 98,2 98,3 Na Câmara, Bolsonaro se diz vítima de preconceito por ser heterossexual. G1, 27/04/2011.
  99. 99,0 99,1 Bolsonaro: após união gay, próximo passo é legalizar pedofilia. Terra, 05/05/2011.
  100. 100,0 100,1 100,2 "Próximo passo será legalização da pedofilia". Estadão, 05/05/2020.
  101. Bolsonaro e Marinor quase saem no tapa no Senado. Congresso em Foco, 12/05/2011.
  102. Deputado Bolsonaro e senadora Marinor Brito quase saem no tapa. O Globo, 12/05/2011.
  103. 103,0 103,1 103,2 'Salvei o Negão Celso, boiola, da morte'
  104. 104,0 104,1 104,2 104,3 104,4 104,5 104,6 "A minoria tem que se curvar". O Tempo, 22/05/2011.
  105. 105,0 105,1 DEPUTADO JAIR BOLSONARO FALA DA ‘PROMISCUIDADE DE PRETA GIL’ E DECLARA QUE ‘SERIA INCAPAZ DE AMAR UM FILHO HOMOSSEXUAL’ EM ENTREVISTA
  106. 106,0 106,1 106,2 106,3 106,4 Deputado Bolsonaro diz que Governo transforma gays numa classe privilegiada. Jornal de Notícias, 21/06/2011
  107. P maiúsculo
  108. 108,0 108,1 108,2 108,3 108,4 Jair Bolsonaro: "Sou preconceituoso, com muito orgulho"
  109. 7 vezes em que gays e mulheres foram alvo de Bolsonaro. Exame, 11/12/2014.
  110. Confira dez declarações polêmicas de Jair Bolsonaro
  111. 111,0 111,1 111,2 111,3 111,4 111,5 111,6 111,7 111,8 Após protesto, Bolsonaro sai de universidade escoltado pela PM. Terra, 19/04/2019.
  112. 112,0 112,1 112,2 112,3 112,4 112,5 112,6 112,7 112,8 “O que que tu fez pra ser torturado?”, pergunta Bolsonaro à vítima da ditadura. Revista Fórum, 26/10/2018.
  113. Presidente afirma que Fernando Santa Cruz teria sido vítima de 'justiçamento' promovido por militantes e não por militares. iG, 29/07/2019.
  114. 114,0 114,1 114,2 Wadih se solidariza com Felipe após declaração de Bolsonaro. OAB/RJ, 21/09/2011.
  115. Bolsonaro pede a Dilma para assumir 'se gosta de homossexual'. G1, 24/11/2011.
  116. Bolsonaro cita Clodovil e colega negro para rebater acusações de preconceito. Folha de S.Paulo, 21/05/2018.
  117. Veja 10 frases polêmicas de Bolsonaro que o deputado considerou 'brincadeira'
  118. 118,0 118,1 118,2 118,3 A entrevista mais sincera de Bolsonaro revela zoofilia, violência contra mulher e frisa homofobia
  119. 119,0 119,1 A VERDADE É DURA: QUEM FICA EM CIMA DO MURO CONSENTE COM AS IDEIAS NAZIFASCISTAS DO BOLSONARISMO. The Intercept, 26/09/2018.
  120. "Preconceituoso com orgulho", Jair Bolsonaro abre o jogo no Brasil em Discussão. Record News, 15/05/2012.
  121. Parada gay: Jair Bolsonaro afirma que Estado promove 'conduta que a sociedade não concorda'. The Christian Post, 13/06/2012.
  122. Bolsonaro diz ser contra dinheiro público em Parada Gay. BOL, 13/06/2012.
  123. Revista Veja
  124. Pragmatismo Político
  125. Primeira reunião de Feliciano como presidente de comissão tem tumulto. UOL, 13/03/2013.
  126. 126,0 126,1 126,2 Bolsonaro coleciona polêmicas, insultos e representações arquivadas. Último Segundo, 16/12/2014.
  127. Bolsonaro ataca ministra e diz que Dilma não tem compromisso com família. Terra, 27/03/2013.
  128. 128,0 128,1 128,2 128,3 128,4 Bolsonaro sobre casamento gay: 'não querem igualdade, e sim privilégios'. Terra, 16/05/2013.
  129. Para Jair Bolsonaro, criança jogar game violento é "um crime". UOL, 03/08/2019.
  130. [youtube:4X0RG6DE114 Deputado Jair Bolsonaro falando sobre Homosexualismo]. Canal TWTV, 05/06/2013.
  131. Em vídeo, Bolsonaro diz que gays ‘não terão sossego’: ‘Sou homofóbico, sim, com muito orgulho’. BHAZ, 12/10/2018.
  132. Discurso em 17/07/2013 às 10:02. Câmara dos Deputados.
  133. DIÁRIO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS. Câmara dos Deputados, 18/07/2013.
  134. Discurso em 08/08/2013 às 10:18. Câmara dos Deputados, 08/08/2013.
  135. 'Parlamentar não deve andar de ônibus', diz deputado Jair Bolsonaro IG
  136. 136,0 136,1 Stephen Fry sobre Bolsonaro: "Suas mentiras criam histeria entre os ignorantes"
  137. 137,0 137,1 137,2 137,3 137,4 Jair Bolsonaro provoca polêmica em documentário do ator Stephen Fry sobre homofobia. Veja SP, 23/10/2013
  138. 138,0 138,1 138,2 138,3 138,4 138,5 138,6 A única coisa boa do Maranhão é o presídio de Pedrinhas, diz Bolsonaro. UOL, 11/02/2014.
  139. 139,0 139,1 139,2 139,3 139,4 139,5 139,6 DIBAI, PRISCILLA CABRAL. A DIREITA RADICAL NO BRASIL PÓS-REDEMOCRATIZAÇÃO: O CASO DE JAIR BOLSONARO. Universidade Federal da Bahia, 02/2018.
  140. “Os presídios do Brasil estão uma maravilha! Lá é lugar do cara pagar seus pecados”, dispara Bolsonaro; Veja vídeo. Varela Notícias, 13/02/2014.
  141. 141,0 141,1 141,2 141,3 141,4 141,5 “Os gays não são semideuses. A maioria é fruto do consumo de drogas” El País, 14/02/2014.
  142. Manifestantes entram em confronto durante passeata na Central do Brasil. O Dia, 22/03/2014.
  143. Bolsonaro já começa a comemorar aniversário do golpe. Diário do Poder, 30/03/2014.
  144. Câmara suspende sessão sobre golpe militar após tumulto no plenário. G1, 01/04/2014.
  145. Jair Bolsonaro se irrita e chama jornalista de “analfabeta” e “idiota”; assista. Veja SP, 04/04/2014.
  146. 'Índio é pobre coitado e vive em zoológicos milionários', diz Bolsonaro
  147. Bolsonaro: boato de bomba só ajudou a me eleger. Band, 11/04/2019.
  148. 148,00 148,01 148,02 148,03 148,04 148,05 148,06 148,07 148,08 148,09 148,10 148,11 148,12 148,13 Parecer Nº N.º 542/2018 - SFPO/STF. Congresso em Foco
  149. Jair Bolsonaro esclarece polêmicas no SuperPop. RedeTV!, 13/04/2014.
  150. Bolsonaro ofende ministra: “Com aquela cara, nem com Viagra na veia”. Revista Fórum, 09/05/2014.
  151. 151,0 151,1 151,2 "Se eu não for candidato, quero ser vice de Aécio", diz Jair Bolsonaro. InfoMoney, 22/05/2014.
  152. 152,0 152,1 152,2 152,3 Discurso em 14/10/2014 às 16:02. Câmara dos Deputados.
  153. Bolsonaro diz que não teme processos e faz nova ofensa: "Não merece ser estuprada porque é muito feia"
  154. 154,0 154,1 Em entrevista, Bolsonaro fala sobre diferença salarial entre homens e mulheres. GaúchaZH, 04/08/2018.
  155. 155,0 155,1 155,2 155,3 THE MOST MISOGYNISTIC, HATEFUL ELECTED OFFICIAL IN THE DEMOCRATIC WORLD: BRAZIL’S JAIR BOLSONARO. The Intercept, 11/12/2014.
  156. 156,0 156,1 Bolsonaro diz que OAB só defende bandido e reserva indígena é um crime. Campo Grande News, 22/04/2015.
  157. 157,0 157,1 O que o presidente deveria aprender com Marechal Rondon. Época, 09/08/2019.
  158. 158,0 158,1 Ouça entrevista em que Bolsonaro chama refugiados de “escória” e sugere infarto a Dilma. Jornal Opção, 21/09/2015.
  159. A cobra da extrema direita e o encontro do filho de Míriam Leitão com Bolsonaro. Por Kiko Nogueira. Diário do Centro do Mundo, 16/07/2018.
  160. Bolsonaro diz que não pagaria a mulheres o mesmo salário dos homens
  161. Já em 2016, Bolsonaro anunciava que entregaria Amazônia aos EUA. Brasil 247, 24/08/2019.
  162. 162,0 162,1 Bolsonaro diz não acreditar que desigualdade salarial exista
  163. 163,0 163,1 163,2 163,3 "Você foge a normalidade", diz Jair Bolsonaro a Ellen Page O Povo, 11/03/2016
  164. Jair Bolsonaro: "É o muro do Hitler"
  165. OAB do Rio de Janeiro vai acionar STF para pedir cassação do mandato de Bolsonaro. R7, 19/04/2019
  166. 'Enquanto me dava choques, Ustra me batia com cipó e gritava', diz torturado aos 19 anos
  167. 167,0 167,1 Meet Brazil's Donald Trump: He's Deliberately Outrageous and He Wants to Be President
  168. Jair Bolsonaro volta a defender coronel Ustra: 'Ele não foi condenado'. O Dia, 29/04/2016.
  169. 169,00 169,01 169,02 169,03 169,04 169,05 169,06 169,07 169,08 169,09 169,10 169,11 169,12 169,13 169,14 169,15 169,16 169,17 169,18 DIREITA, VOLVER. Piauí, 09/2016.
  170. 170,0 170,1 Sem limites: Bolsonaro ironiza Jandira e o próprio filho. Veja, 26/08/2016.
  171. 171,0 171,1 Flávio Bolsonaro passa mal durante debate na TV. O Globo, 25/08/2019.
  172. 172,0 172,1 “Eu nunca falei ‘eu te amo’ para meus filhos”, revela Jair Bolsonaro. Observatório dos Famosos, 01/11/2016.
  173. Bolsonaro diz que Ustra é 'herói' em sessão de seu processo de cassação. Folha de S.Paulo, 08/11/2016.
  174. No WhatsApp, Bolsonaro diz que não irá visitar filho na Papuda. Veja, 09/02/2017.
  175. 175,0 175,1 Bolsonaro defende porte de arma para todos e fuzil contra o MST. Jornal da Paraíba, 08/02/2017.]
  176. 176,00 176,01 176,02 176,03 176,04 176,05 176,06 176,07 176,08 176,09 176,10 Sem tiro de advertência: primeiro na testa’. Estadão, 02/04/2017.
  177. “Cadê o Queiroz?”: a direita e o caso Flávio Bolsonaro. MBL News, 20/12/2018.
  178. 5 minutos de Jair Bolsonaro (você aguenta?). Pragmatismo Político, 25/09/2018.
  179. Saia Justa! Bolsonaro diz que regalias de parlamentares “não é o problema do país”. O Bruto, 23/04/2017.
  180. Bolsonaro disse em 2017 que reforma da previdência com 65 anos é 'falta de humanidade'. Folha de S.Paulo, 14 de fevereiro de 2019.
  181. Em vídeo, Bolsonaro disse que aposentadoria aos 65 'é desumano'. Yahoo! Notícias Brasil, 15 de fevereiro de 2019.
  182. Em Brasília, Bolsonaro abandona linguajar de candidato e adota estilo conciliador de político profissional. O Globo, 08/11/2018.
  183. Não, Bolsonaro não votou contra o impeachment de Temer, mas sim afirmou que a aposentadoria aos 65 anos é um “crime”. AFP, 03/04/2019.
  184. Ao explicar R$ 200 mil da JBS, Bolsonaro admite que PP recebeu propina: “qual partido não recebe?”. Jovem Pan, 23/05/2017.
  185. Bolsonaro diz que, no Exército, sua 'especialidade é matar'
  186. ID do vídeo no YouTube: CfvkWHHC9jQ. HBO Brasil, 04/08/2017.
  187. Bolsonaro visita Festa do Peão e critica Bolsa Família e legislação ambiental. Folha de S.Paulo, 26/08/2017.
  188. Chamado de 'fascista', Bolsonaro ataca orientação sexual de jornalista. O Globo, 04/09/2017.
  189. Bolsonaro ironiza em rede social orientação sexual de jornalista americano. Folha de S.Paulo, 04/09/2017.
  190. 190,0 190,1 Se não houver fraude, estarei no 2° turno, diz Bolsonaro. Folha de S.Paulo, 20/11/2017.
  191. 'Quanto mais as facções criminosas se matarem, melhor', diz Bolsonaro em Manaus. A Crítica, 14/12/2017.
  192. 'Tem que pegar o meu patrimônio. Esquece meus filhos', diz Bolsonaro
  193. [youtube:Fh0cVPs015k Pânico - 05/02/18]
  194. [youtube:Fh0cVPs015k Pânico - 05/02/18]
  195. Bolsonaro 'homenageia' as mulheres em visita a Minas
  196. Mais uma pérola de Bolsonaro: leite de ornitorrinco da Amazônia
  197. 197,0 197,1 Caso Marielle: Bolsonaro revela por que não se pronuncia sobre assassinato. O Dia, 20/03/2018.
  198. A postura do clã Bolsonaro no caso Marielle Franco. DW, 30/10/2019.
  199. Sem um delator, caso Marielle “dificilmente” será desvendado, diz Bolsonaro. Poder360, 23/03/2018.
  200. #Verificamos: Bolsonaro não ‘convidou Alexandre Frota para ser ministro da Cultura’. Piauí, 07/06/2018.
  201. Bolsonaro: 'Lula quis transformar Brasil num galinheiro, agora colhe ovos por onde passa'. Estadão, 28/03/2018.
  202. Bolsonaro diz que tiros partiram dos próprios petistas. Estadão, 29/03/2018.
  203. 203,0 203,1 Veja 10 respostas de Jair Bolsonaro sobre economia, trabalho escravo, armas e MST. Canal Rural, 04/04/2018.
  204. 'Não faria o que o governo fez, trocando a cúpula da PF para ajudar amigos', disse Bolsonaro em 2018. Brasil 247, 05/05/2020
  205. Caso Marielle: presidenciáveis comentam morte de vereadora. O Globo, 23/04/2019.
  206. 206,0 206,1 https://www.dw.com/pt-br/a-postura-do-cl%C3%A3-bolsonaro-no-caso-marielle/a-47906127. DW, 14/03/2019.
  207. 'O meu plano de governo será o pior de todos', diz Bolsonaro. Estado de Minas, 10/05/2018.
  208. "Ele não deveria ter saído da disputa", afirma Bolsonaro sobre Barbosa. Correio Braziliense, 10/05/2018.
  209. Bolsonaro compara execuções do regime militar a 'tapa no bumbum do filho'. Correio Braziliense, 11/05/2018.
  210. ‘Dois pesos, duas medidas’…de novo. BR18, 17/06/2018.
  211. Sobre morte de Herzog, Bolsonaro afirma que 'suicídio acontece'. O Globo, 07/07/2018.
  212. 212,0 212,1 Bolsonaro diz que homicídios merecem 'bala' e não a lei. O Globo, 12/07/2018.
  213. 213,0 213,1 Bolsonaro defende PM por massacre em Carajás. Estadão, 14/07/2018.
  214. Bolsonaros votaram lei que permite contratação de presos. BR18, 25/07/2018.
  215. Bolsonaro sobre ditadura: ‘Ferida que precisa ser cicatrizada, esquece’. Poder360, 31/07/2018.
  216. “Estou mais preparado para reagir”, diz Bolsonaro sobre assalto. Metrópoles, 31/07/ 2018.
  217. ASSALTO SOFRIDO POR BOLSONARO EM 1995 CULMINOU COM A MORTE MISTERIOSA DE UM BANDIDO E DE SUA FAMÍLIA. Época, 10/08/2018.
  218. Em Vitória, Bolsonaro ataca FHC e faz piada com cearense em discurso. Tribuna Online, 02/08/2018.
  219. 219,0 219,1 Bolsonaro quer abolir Paulo Freire do MEC com "lança-chamas". Gazeta Online, 01/08/2018.
  220. Ao desviar-se de polêmica de vice, Bolsonaro tropeça no dicionário. Veja, 07/08/2018.
  221. 221,0 221,1 221,2 221,3 Bolsonaro propõe ensino a distância para combater marxismo e reduzir custos. Folha de S.Paulo, 07/08/2018.
  222. Bolsonaro promete retirar embaixada da Palestina do Brasil. Terra, 07/08/2018.
  223. 223,0 223,1 Bolsonaro diz que Bíblia prega armamento. O Globo, 18/08/2018.
  224. Bolsonaro diz que vai tirar Brasil da ONU se for eleito presidente. G1, 18/08/2018.
  225. Bolsonaro diz que filhos atiram com munição desde os 5 anos e critica ECA. UOL, 23/08/2018.
  226. 'Você sabe atirar?', pergunta Bolsonaro a uma criança. Terra, 23/08/2018
  227. Bolsonaro diz que se eleito 'bandidagem vai morrer' porque União não repassará recursos para direitos humanos. G1, 23/08/2018.
  228. Bolsonaro diz que ECA deve ser 'rasgado e jogado na latrina'. O Globo, 23/08/2018.
  229. Jair Bolsonaro Loves Trump, Hates Gay People and Admires Autocrats. He Could Be Brazil's Next President. Time, 23/08/2018.
  230. Bolsonaro defende uso de força para impedir ocupações. O Globo, 24/08/2018.
  231. Em dia de análise de denúncia, Bolsonaro manda recado ao STF: 'sou inviolável'. G1, 28/08/2018.
  232. Em dia de julgamento sobre racismo, Bolsonaro faz críticas ao STF. Jornal do Commercio, 28/08/2018.
  233. 233,00 233,01 233,02 233,03 233,04 233,05 233,06 233,07 233,08 233,09 233,10 233,11 233,12 233,13 233,14 Jair Bolsonaro (PSL) é entrevistado no Jornal Nacional. G1, 28/08/2019.
  234. 234,0 234,1 234,2 Erros e acertos de Jair Bolsonaro no Jornal Nacional e no Jornal das 10. Piauí, 28/08/2018.
  235. STF dá a Bolsonaro 10 dias para explicar declaração sobre 'fuzilar a petralhada'. G1, 06/09/2018.
  236. 236,0 236,1 236,2 236,3 Veja 11 frases polêmicas de Bolsonaro. Folha, 06/10/2018.
  237. Bolsonaro chora, diz que eleição pode ter fraude e que Haddad soltará Lula. UOL, 16/09/2018.
  238. Bolsonaro rebate Mourão: quem critica 13º ofende quem trabalha e 'confessa desconhecer a Constituição'. O Dia, 27/09/2018.
  239. 239,0 239,1 239,2 239,3 Não aceitarei resultado que não seja minha vitória, diz Bolsonaro. Extra, 28/09/2018.
  240. Organizações repudiam fala de Bolsonaro contra ativismos. Valor, 12/10/2018.
  241. Bolsonaro promete tratar reforma da Previdência com 'calma e devagar'. O Tempo, 09/10/2019.
  242. Bolsonaro promete limitar privatização de Eletrobras e Petrobras e critica chineses. Folha, 10/10/2018.
  243. Bolsonaro comenta morte de capoeirista na Bahia: 'Lamento, um excesso’. G1, 10/10/2018.
  244. Em campanha polarizada, país registra agressões ligadas à discussão eleitoral. Folha de S.Paulo, 11/10/2018.
  245. Em ato falho, Bolsonaro diz que é “vítima daquilo que prega”. Exame, 11/10/2018.
  246. 246,0 246,1 'Ele soa como nós': David Duke, ex-líder da Ku Klux Klan, elogia Bolsonaro, mas critica proximidade com Israel. BBC Brasil, 16/10/2018.
  247. 247,0 247,1 Folha é a maior fake news do Brasil, diz Bolsonaro a manifestantes. Folha de S.Paulo, 21/10/2018.
  248. Bolsonaro fez referência a área de desova de mortos pela ditadura. Folha, 29/12/2018.
  249. "Nenhum presidente é maior do que o seu ministério", dizia Bolsonaro na campanha. O Antagonista, 28/04/2020.
  250. Veja 10 frases polêmicas de Bolsonaro sobre o golpe de 1964 e a ditadura militar. Folha de S.Paulo, 31/03/2019.
  251. Esse jornal se acabou, diz Bolsonaro ao Jornal Nacional sobre a Folha. Folha, 29/10/2018.
  252. Bolsonaro diz que é ‘farsa’ metodologia do IBGE para calcular desemprego. Correio Braziliense, 05/11/2018.
  253. Bolsonaro erra ao denunciar "fraude" no cálculo do desemprego. ClicRBS, 06/11/2018.
  254. 254,0 254,1 'Países podem comprar no Brasil, mas não comprar o Brasil', diz Bolsonaro. Estadão, 05/11/2018.
  255. Bolsonaro critica questão do Enem e diz que em 2019 vai 'tomar conhecimento da prova antes'. G1, 09/11/2018.
  256. Veja resolução de questão do Enem que aborda status do pajubá como 'dialeto secreto' dos gays e travestis. G1, 05/11/2019.
  257. 257,0 257,1 257,2 Bolsonaro diz que brasileiro ‘não sabe’ o que é ditadura. Poder360, 19/11/2018.
  258. 'Parabéns à Lava-Jato', diz Bolsonaro sobre a prisão de Pezão. O Globo, 29/11/2018.
  259. 259,0 259,1 259,2 259,3 259,4 Bolsonaro diz que "pode sair fora" do Acordo de Paris. DW, 13/12/2018.
  260. “Se algo estiver errado, que paguemos a conta”, diz Bolsonaro pressionado por escândalo do Coaf. El País, 13/12/2018.
  261. 261,0 261,1 Bolsonaro critica ideologia de gênero em inauguração de colégio da PM. Gazeta do Povo, 17/12/2018.
  262. 262,0 262,1 262,2 262,3 262,4 Discurso do Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante Cerimônia de Posse no Congresso Nacional. Site oficial do Planalto, 01/01/2019.
  263. Governo Bolsonaro: por que decisão de estabelecer 'monitoramento' de ONGs pode parar no STF. BBC Brasil, 03/01/2019.
  264. Bolsonaro diz que comandante do Exército "foi um dos responsáveis" por ele estar na Presidência. Reuters, 02/01/2019.
  265. 265,0 265,1 265,2 Bolsonaro aceita 'discutir no futuro' base militar dos EUA no Brasil. Estado de Minas, 03/01/2019.
  266. 266,00 266,01 266,02 266,03 266,04 266,05 266,06 266,07 266,08 266,09 266,10 266,11 266,12 266,13 Os insultos de Jair Bolsonaro. O Globo, 18/08/2019.
  267. 267,0 267,1 267,2 Bolsonaro: Se Flávio errou, vou lamentar como pai, mas ele terá que pagar. Veja, 20/08/2019.
  268. Bolsonaro diz que cancelou entrevista em Davos porque 'não tinha novidade para apresentar'. O Globo, 23/01/2019.
  269. Internautas veem indireta para Jean Wyllys em posts da família Bolsonaro. Veja São Paulo, 24/01/2019.
  270. 'Grande dia', escreve Bolsonaro após Jean Wyllys anunciar decisão de deixar o país. O Globo, 24/01/2019.
  271. Bolsonaro diz que sobrevoará região de barragem para 'tomar todas as medidas cabíveis'.G1, 25/01/2019.
  272. VÍDEO: em pronunciamento, Bolsonaro lamenta rompimento de BAGAGEM de DEJEITOS em MG. Diário do Centro do Mundo, 26/01/2019.
  273. 273,0 273,1 273,2 273,3 273,4 273,5 EXCLUSIVO: Os áudios que desmentem o presidente. Veja, 19/02/2019.
  274. Bolsonaro: “Se Bebianno me cobrar [honorários], estou fodido”. El País, 20/02/2019.
  275. Em Itaipu, Bolsonaro chama ditador paraguaio de ‘estadista’. Veja, 26/02/2019.
  276. 276,0 276,1 Post polêmico de Bolsonaro tem destaque na imprensa internacional. O Globo, 06/03/2019.
  277. Democracia e liberdade só existem quando as Forças Armadas querem, diz Bolsonaro a militares no RJ. G1, 07/03/2019.
  278. No Dia da Mulher, Bolsonaro diz que ministério é 'equilibrado' e cada ministra vale 'por dez homens'. G1, 08/03/2019.
  279. Bolsonaro reproduz declaração falsa para atacar imprensa. Terra, 10/03/2019.
  280. 280,0 280,1 Bolsonaro: Também estou interessado em saber quem mandou me matar. Valor Econômico, 12/03/2019.
  281. Bolsonaro levou aos Estados Unidos uma agenda de traição à Pátria, não de soberania. Por Joaquim de Carvalho. Diário do Centro do Mundo, 17/03/2019.
  282. Bolsonaro chega a Washington e comemora proximidade com os EUA. Reuters, 17/03/2019.
  283. 283,0 283,1 283,2 283,3 283,4 283,5 "Hoje os senhores têm um presidente amigo": veja o que Bolsonaro disse durante a viagem aos Estados Unidos. GaúchaZH, 19/03/2019.
  284. 284,0 284,1 Bolsonaro nos EUA : primeiro dia em Washington tem declaração de amor a Paulo Guedes e críticas a Lula. BBC Brasil, 19/03/2019.
  285. 285,0 285,1 'Grande maioria dos imigrantes não tem boas intenções nem quer fazer o bem aos americanos', afirma Bolsonaro à Fox News. O Globo, 19/03/2019.
  286. 286,0 286,1 286,2 286,3 Bolsonaro nega relação com milícias e morte de Marielle. IstoÉ, 19/03/2019.
  287. Bolsonaro volta atrás: 'Maioria dos imigrantes tem boas intenções'. O Globo, 19/03/2019.
  288. Bolsonaro diz que Brasil não deve nada em preservação do meio ambiente. Correio do Povo, 23/03/2019.
  289. Bolsonaro diz que lei trabalhista no Brasil deve beirar a informalidade. Exame, 23/03/2018.
  290. 290,0 290,1 "Brasil não vai assinar nenhum acordo climático na próxima COP 25", anuncia Bolsonaro no Chile. RFI, 23/03/2019.
  291. No Chile, Bolsonaro agradece ao 'povo venezuelano'. O Globo, 23/03/2019.
  292. Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, após declaração à imprensa - Santiago/Chile. planalto.gov.br, 23/03/2019.
  293. 293,0 293,1 Justiça intima Bolsonaro a se manifestar sobre celebração do golpe. DW, 27/03/2019.
  294. Bolsonaro tenta amenizar celebração por golpe de 1964: ‘É rememorar’. Veja, 28/03/2019.
  295. Ao falar de desemprego, Bolsonaro ataca IBGE e erra três vezes em menos de 1 minuto. Lupa, 03/04/2019.
  296. Bolsonaro volta a criticar metodologia do IBGE para medir desemprego no país. O Globo, 02/04/2019.
  297. Fala incompreensível de Bolsonaro para empresários em Israel vira meme. Revista Fórum, 05/04/2019.
  298. Após visitar o museu do Holocausto, Bolsonaro diz que nazismo é de esquerda. UOL, 02/01/2019.
  299. Chineses só não podem comprar o Brasil, diz Bolsonaro. Valor, 05/04/2019.
  300. Não nasci para ser presidente, nasci para ser militar, diz Bolsonaro. Gaúcha ZH, 05/04/2019.
  301. Bolsonaro ironiza dado de pesquisa Datafolha: "Kkkkkkkk". O Povo, 07/07/2019.
  302. Bolsonaro: Apoiaria fim da reeleição para presidente em reforma política. Exame, 08/04/2019.
  303. Presidente se diz decidido a transferir Embaixada do Brasil em Israel. Agência Brasil, 08/04/2019.
  304. Bolsonaro usa símbolo do infinito e 'quebra protocolo' em evento dos 100 dias. Folha de S.Paulo, 11/04/2019.
  305. Bolsonaro diz que Brasil passou a votar na ONU seguindo a Bíblia. O Globo, 11/04/2019..
  306. Bolsonaro sobre Holocausto: ‘Podemos perdoar, mas não esquecer’. Veja, 12/04/2019.
  307. Bolsonaro divulga ações da Embrapa e Funai para inserção indígena. Diario de Pernambuco, 13/04/2019.
  308. Com críticas a Bolsonaro, indígenas se reúnem em Brasília. Exame, 24/04/2019.
  309. Bolsonaro: Assinamos a revogação de 250 decretos; é desburocratização. Valor Econômico, 11/04/2019.
  310. Bolsonaro defende mineração na Amazônia e exploração da Renca. Terra, 12/04/2019.
  311. 'O Exército não matou ninguém', afirma Bolsonaro sobre morte de músico no Rio. Estadão, 12/04/2019.
  312. "Falei que não entendia de economia", diz Bolsonaro após intervenção ao diesel. iG, 12/04/2019.
  313. Em carta, Bolsonaro diz: "Querem me afastar dos amigos judeus". Último Segundo, 14/04/2019.
  314. Bolsonaro ataca fiscais do Ibama e funcionários da Funai durante encontro com índios. O Globo, 17/04/2019.
  315. Bolsonaro chama lei Rouanet de “desgraça” e reduz captação a R$ 1 mi. Exame, 18/04/2019
  316. Declaração à imprensa do senhor porta-voz, general Rêgo Barros. Palácio do Planalto, 22/04/2019.
  317. 317,0 317,1 317,2 317,3 317,4 317,5 317,6 317,7 Bolsonaro fala sobre Carlos x Mourão e Previdência em evento. Terra, 25/04/2019.
  318. Bolsonaro: ‘O Brasil não pode ser o paraíso do turismo gay’. O Antagonista, 25/04/2019.
  319. Bolsonaro demonstra preocupação com amputações de pênis por falta de higiene. GaúchaZH, 25/04/2019.
  320. Bolsonaro defende decisão do BB de retirar comercial do ar: ‘A linha mudou’. Jovem Pan, 27/04/2019.
  321. Bolsonaro diz que vai mudar patrono da Educação brasileira, título conferido a Paulo Freire. O Globo, 29/04/2019.
  322. Bolsonaro chama prefeito de NY de radical e diz que ida ao Texas foi acertada com Bush. O Globo, 04/05/2019.
  323. Bolsonaro nega censura a propaganda do BB: ‘É respeito com a população’. Jovem Pan, 04/05/2019.
  324. Racismo no Brasil é 'uma coisa rara', diz Bolsonaro a Luciana Gimenez. Veja, 08/05/2019.
  325. Bolsonaro associa ‘problemas’ políticos a não aceitação de indicações. Valor Econômico, 10/05/2019.
  326. 'Se é inconstitucional, tem que deixar de existir’, diz Bolsonaro sobre decreto de armas. Jornal Nacional, 10/05/2019.
  327. 327,0 327,1 Após citar 'compromisso', Bolsonaro diz que 'não teve nenhum acordo' para indicar Moro ao STF. O Globo, 16/05/2019.
  328. Bolsonaro faz piada com oriental: 'Tudo pequenininho aí?'; veja vídeo. Extra, 15/05/2019.
  329. 329,0 329,1 'E na presidência temos um idiota inútil', diz Boulos em resposta a Bolsonaro. Yahoo Notícias, 15/05/2019.
  330. Estão fazendo esculacho em cima do meu filho, diz Bolsonaro. Terra, 16/05/2019.
  331. 331,0 331,1 Rosa Weber atende a pedido de Dilma e dá prazo para Bolsonaro esclarecer fala. O Dia, 05/08/2019.
  332. Nos EUA, Bolsonaro diz que esquerda "tomou universidades" e erra próprio slogan. Último Segundo, 16/05/2019.
  333. Bolsonaro nega ter sancionado projeto que anistia multa a partidos. O Globo, 18/05/2019.
  334. Bolsonaro sobre manifestação de estudantes: 'movimento do pessoalzinho que eu cortei verba'. em.com.br, 18/05/2019.
  335. Bolsonaro e o “movimento do pessoalzinho que cortei verba”. O Antagonista, 18/05/2019.
  336. 336,0 336,1 O grande problema do Brasil é a classe política, diz Bolsonaro. Folha, 20/05/2019.
  337. Bolsonaro: protesto contra STF “está mais para Maduro do que para Jair”. Correio Braziliense, 23/05/2019.
  338. Bolsonaro tende a autorizar bagagens gratuitas: “É o que o meu coração orienta”. Metrópoles, 23/05/2019.
  339. [2]. CGN.
  340. Bolsonaro quer acabar com radares móveis em rodovias porque só “otário’ se acidenta. Revista Fórum, 24/05/2019.
  341. ‘Ninguém é obrigado a ficar como ministro’, diz Bolsonaro sobre Guedes. Poder360, 24/05/2019.
  342. Guedes tem razão em sair se reforma da Previdência for 'de japonês', diz Bolsonaro. O Globo, 24/05/2019.
  343. [3]. UOL.
  344. 344,0 344,1 Novo ataque de Bolsonaro a estudantes e professores incentiva ato de 5ª. Reinaldo Azevedo, 27/05/2019.
  345. "Grande maioria foi às ruas com pautas legítimas e democráticas", diz Bolsonaro. Último Segundo, 26/05/2019.
  346. Bolsonaro diz que tem mais poder que Maia e promete usar decretos para revogar normas que atrapalham a economia. O Globo, 28/05/2019.
  347. Bolsonaro quer revogar decreto que criou estação ecológica no RJ. Agência Brasil, 28/05/2019.
  348. Bolsonaro: "Nem um santo consegue governar se a economia vai mal". iG, 30/05/2019.
  349. 349,0 349,1 'Se você não quer uma manifestação impopular contra você, você que ande na linha', diz Bolsonaro. O Glovo, 31/05/2019.
  350. Bolsonaro: ‘Errei quando indiquei Vélez como ministro’. Veja, 31/05/2019.
  351. 'Será que não está na hora de termos um ministro evangélico no STF?', questiona Bolsonaro. O Globo, 31/05/2019.
  352. Bolsonaro é o primeiro presidente brasileiro a admitir a Operação Condor. Congresso em Foco, 12/06/2019.
  353. Jair Bolsonaro: "Yo tengo una misión de Dios, lo veo de esa manera". La Nación, 01/06/2019.
  354. Bolsonaro diz que não sabia o que é “misógino”. Quando leu no Google, entendeu menos ainda. Diário do Centro do Mundo, 04/06/2019.
  355. MC Reaça é sepultado; bolsonaristas lamentam morte. Terra, 03/06/2019.
  356. Bolsonaro declara apoio a Neymar, suspeito de estupro: "Acredito nele". UOL, 05/06/2019.
  357. 'Por mim, eu botaria 60', diz Bolsonaro sobre pontuação para que CNH seja suspensa. G1, 05/06/2019.
  358. Bolsonaro se enrola ao lado de Macri e vira piada nas redes: “eu conclomo, canclomo”. Revista Fórum, 06/06/2019.
  359. Bolsonaro admite que errou ao falar em revogação por decreto da estação ecológica de Tamoios. G1, 06/06/2019.
  360. Bolsonaro abandona entrevista ao ser perguntado sobre mensagens de Moro. Último Segundo, 11/06/2019.
  361. Bolsonaro: ‘Falei para Salles, mete a foice no Ibama’. BR18, 11/06/2019.
  362. 362,0 362,1 362,2 362,3 Bolsonaro se pronuncia pela primeira vez e diz que deu beijo hétero em Moro. O Dia, 13/06/2019.
  363. Bolsonaro pede desculpas a Maria do Rosário. O Antagonista, 13/06/2019.
  364. Bolsonaro diz que decisão do STF sobre homofobia foi 'completamente equivocada'. G1, 14/06/2019.
  365. Confio em Moro, mas confiança 100% é só em pai e mãe, afirma Bolsonaro. A Tarde, 15/06/2019.
  366. Bolsonaro diz que presidente do BNDES está com 'cabeça a prêmio'. G1 15/06/2016.
  367. Bolsonaro insinua que Wyllys vendeu mandato e o chama de “menina”. Metrópoles, 20/06/2019.
  368. Bolsonaro e filho espalham notícia falsa sobre Jean Wyllys e David Miranda. UOL, 20/06/2019.
  369. "Quem demarca terra indígena sou eu, não é ministro", diz Bolsonaro. GaúchaZH, 20/06/2019.
  370. Bolsonaro se confunde e chama Cristina Kirchner de Teresa. Último Segundo, 21/06/2019.
  371. 'Querem me deixar como a rainha da Inglaterra', afirma presidente Jair Bolsonaro. O Dia, 22/06/2019.
  372. Bolsonaro critica Congresso: 'Querem me deixar como rainha da Inglaterra?'. O Globo, 22/06/2019.
  373. 373,0 373,1 Bolsonaro anuncia transferência da F-1 para RJ, mas organização mantém negociação com SP. GaúchaZH, 24/06/2019.
  374. Bolsonaro: Alemanha tem muito a aprender com Brasil sobre meio ambiente. Exame, 27/06/2019.
  375. Ao chegar ao Japão, Bolsonaro diz que não aceitará ser advertido no G20. GaúchaZH, 27/06/2019.
  376. 'Ninguém vai me dar pito', diz Bolsonaro antes do G20. Terra, 27/06/2019.
  377. Bolsonaro tenta 'vender' bijuteria de nióbio no Japão e vira meme na internet. Último Segundo, 28/06/2019.
  378. 'Pena que não foi na Indonésia', diz Bolsonaro sobre militar preso na Espanha com 39 kg de cocaína. G1, 28/06/2019.
  379. Existe uma psicose ambientalista com o Brasil, diz Bolsonaro. Poder360, 29/06/2019.
  380. 380,0 380,1 Ministério da Justiça contradiz Bolsonaro em caso de candidaturas laranjas do PSL. Estadão, 05/07/2019.
  381. 'Acontece em qualquer lugar do mundo', diz Bolsonaro sobre 39 kg de cocaína. Último Segundo, 01/07/2019.
  382. Bolsonaro diz que deixaria o cargo caso fosse a vontade do povo. Correio, 03/07/2019.
  383. Bolsonaro: Merkel e Macron não têm autoridade para discutir meio ambiente. UOL, 04/07/2019.
  384. 384,0 384,1 Bolsonaro defende trabalho infantil, mas diz que não propõe descriminalização para não ser 'massacrado'. O Globo, 04/07/2019.
  385. Bolsonaro defende trabalho infantil, mas diz que não propõe descriminalização para não ser 'massacrado'. O Globo, 04/07/2019.
  386. Brasil é 'virgem que todo tarado quer', diz Bolsonaro sobre Amazônia. R7, 07/07/2019.
  387. Bolsonaro lamenta morte de João Gilberto, 'uma pessoa conhecida'. Folha, 06/07/2019.
  388. Jair Bolsonaro fala em ficar na Presidência até 2026. Poder360, 06/07/2019.
  389. Bolsonaro: ‘Podemos indicar dois ministros para o STF. Um deles será terrivelmente evangélico’. Jovem Pan, 10/07/2019.
  390. Itamaraty removerá 'genitor 1' e 'genitor 2' dos formulários de passaportes. Estadão, 11/07/2019.
  391. Bolsonaro diz que cogita nomear o filho Eduardo embaixador do Brasil nos EUA. G1, 11/07/2019.
  392. Bolsonaro diz não ver nepotismo em escolha. Estado de Minas, 13/07/2019.
  393. Ambientalistas reagem a fala de Bolsonaro sobre ‘roubo’ em taxa de Noronha. MSN, 16/07/2019.
  394. Críticas a Eduardo na embaixada mostram que filho é pessoa 'adequada' ao posto, diz Bolsonaro. G1, 15/07/2019.
  395. 'Eduardo fala inglês, espanhol e frita hambúrguer também', brinca Bolsonaro sobre nomeação do filho. Estado de Minas, 16/07/2019.
  396. Bolsonaro diz que economia está "maravilhosa"; dados não mostram isso. UOL, 16/07/2019.
  397. Vestibular anulado da Unilab para pessoas trans vai de encontro à Lei de Cotas, diz universidade. G1, 16/07/2019.
  398. Embaixadores brasileiros em Washington "não fizeram nada de bom", diz Bolsonaro. Último Segundo, 17/07/2019.
  399. Bolsonaro diz que o filho Eduardo poderia ser até chanceler. UOL, 18/07/2019.
  400. Bolsonaro e seus problemas com a cor rosa. O Antagonista, 18/07/2019.
  401. ‘Não posso admitir dinheiro para filme da Bruna Surfistinha’, diz Bolsonaro sobre Ancine. Jovem Pan, 18/07/2019.
  402. Em ato de 200 dias de governo, Bolsonaro amplia restrição para nomeação de cargos em comissão. G1, 18/07/2019.
  403. Bolsonaro diz que Unilab 'não dá espaço para hétero'. Destak Jornal, 18/07/2019.
  404. 404,0 404,1 ‘Pretendo beneficiar meu filho, sim’, diz Bolsonaro sobre indicação à embaixada nos EUA. Poder360, 18/07/2019.
  405. Veja o que diz a lei sobre preconceito e relembre declarações de Bolsonaro. Folha, 23/07/2019.
  406. Bolsonaro fala em extinguir Ancine 'se não puder ter filtro' ou transformar agência em secretaria. O Globo, 19/07/2019.
  407. Bolsonaro diz que, 'se Deus quiser', 'não teremos mais pessoas como FH, Lula ou Dilma' na política. O Globo, 19/07/2019.
  408. ''Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira'', diz Bolsonaro. Correio Braziliense, 19/07/2019.
  409. 409,0 409,1 Bolsonaro usa informações falsas para atacar a jornalista Míriam Leitão. O Globo, 19/07/2019.
  410. Bolsonaro chama Nordeste de 'Paraíba' e ataca governador do Maranhão. Jornal Correio, 19/07/2019.
  411. 411,0 411,1 'É quase impossível ser patrão no Brasil', diz Bolsonaro ao falar sobre multa do FGTS. Jornal do Commercio, 19/07/2019.
  412. 412,0 412,1 Diretor do Inpe rebate fala de Bolsonaro sobre Amazônia: ‘Ele precisa entender que não está num botequim’. Jovem Pan, 20/07/2019.
  413. Bolsonaro diz que há “psicose ambiental” e questiona dados oficiais. Exame, 19/07/2019.
  414. Bolsonaro tenta melhorar imagem no exterior, mas volta a provocar controvérsia. DW, 20/07/2019.
  415. Giro Veja: O vaivém de Bolsonaro sobre a fome no Brasil. Veja, 19/07/2019.
  416. 416,0 416,1 Bolsonaro declara que fome no Brasil é mentira, mas recua após polêmica. Folha, 19/07/2019.
  417. 417,0 417,1 Bolsonaro ataca jornalistas após polêmica com nordestinos: ‘Se eu te chamar de feia, acabou o mundo’. BHAZ, 21/07/2019.
  418. 418,0 418,1 Presidente Bolsonaro acusa Lula por 'imagem ruim' no exterior. Estadão, 21/07/2019.
  419. Tentam manipular e desinformar, diz Bolsonaro sobre críticas a governadores. UOL, 20/07/2019.
  420. Bolsonaro: “Nenhuma crítica ao povo nordestino”. O Antagonista, 21/07/2019.
  421. Bolsonaro e o general “melancia”. O Antagonista, 21/07/2019.
  422. Bolsonaro volta a atacar o Inpe por causa de desmatamento na Amazônia. Estado de Minas, 22/07/2019.
  423. Bolsonaro diz que pode "pensar lá na frente" em mudar multa de 40% do FGTS. UOL, 21/07/2019.
  424. 'Tem algum nordestino ofendido aí?', pergunta Bolsonaro a cidadãos em Brasília, 21/07/2019.
  425. 425,0 425,1 Bolsonaro volta a atacar filme Bruna Surfistinha: “Não posso admitir dinheiro público para pornô”. Revista Fórum, 22/07/2019.
  426. 'Falta apenas ouvir o Queiroz', diz Bolsonaro. UOL, 23/07/2019.
  427. Bolsonaro diz que não pode ser "pego de calças curtas" em divulgação sobre desmatamento. GaúchaZH, 22/07/2019.
  428. Bolsonaro diz que não pode ser pego de surpresa com dados do Inpe. Valor Econômico, 22/07/2019.
  429. Bolsonaro sugere embargar dados de desmatamento: "Exagero". Terra, 22/07/2019.
  430. 430,0 430,1 Bolsonaro critica 'xiitas ambientais' e diz ter 'profunda repulsa com quem não é brasileiro'. G1, 23/07/2019.
  431. As pérolas de Bolsonaro no anúncio dos saques do FGTS. Yahoo! Notícias, 24/07/2019.
  432. olsonaro diz que Amazônia pode ser “alma econômica” do Brasii . Exame. 25/07/2019.;
  433. "Se achar que é pouco, é só não retirar", diz Bolsonaro sobre saque do FGTS. GaúchaZH, 25/07/2019.
  434. Jair Bolsonaro diz que vai buscar "extinção da Ancine". UOL, 25/07/2019.
  435. 435,0 435,1 Em live, Bolsonaro defende fim dos cursos nas autoescolas. R7, 26/07/2019.
  436. Bolsonaro comemora dados do Caged