Grey's Anatomy (Temporada 8)

Temporadas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 | Geral

Grey's Anatomy (2005 – ?) é um dos mais bem-sucedidos dramas médicos da atualidade. Foi criada por Shonda Rhimes

Temporada 8Editar

Free Falling [8.1]Editar

[Meredith narrando]: Até mesmo os bons casamentos acabam. Em um minuto, você está em um terreno sólido, e no próximo – não. E sempre há duas versões. A sua, e a deles. As duas versões começam do mesmo jeito, porém. As duas começam com duas pessoas se apaixonando. Você acha que o seu é aquele que vai conseguir. Por isso, o momento em que você percebe que acabou é sempre um choque. Em um minuto você está de pé em um terreno sólido, e no próximo – não.

Teddy: Ei, vocês vão aquele negócio do café?
Arizona: Hm, sim, depois de deixarmos ela na creche.
Teddy: Minha deusa, olha pra ela! Ela é tão linda. [voz de bebê para Sofia] Ei, ei. Você é linda. E você tem as melhores mamães, sabia? Sim, você tem. Ah, você tem. Olá, olá, olá.
Callie: Qual o problema dela?
Arizona: Ela está transando, está toda alegrinha. [Lexie entra com um grupo de internos]
Callie: Ah, novos internos. Odeio novos internos.
Teddy: Serio? Eu amo novos internos. Eles são o futuro, a próxima geração, cheios de esperança e inovações promissoras.
Arizona: Nossa. O sexo com Henry deve ser muito bom.
Teddy: De tremer a terra. [Arizona cobre as orelhas de Sofia] Nem mesmo Yang vai me colocar pra baixo.

Meredith: Owen. Ela não fez o aborto. Ela quer, mas não pode fazer por sua causa. Porque ela ama você e, no lugar de amá-la, você a está punindo. E pelo quê? Por ser a mulher por quem você se apaixonou?
Owen: Isso não é da sua conta.
Meredith: Certo, sabe o que vai acontecer com Cristina se ela tiver essa criança que ela não quer? Isso vai quase matá-la. Tentar fingir que ela ama uma criança tanto quanto ama cirurgia, vai quase matá-la. Sabe como é ser criada por alguém que não quer você? Eu sei. Saber que você ficou no meio da carreira da sua mãe? Eu sei. Eu fui criada por uma Cristina. Minha mãe foi Cristina. E, como a criança que ela não queria, estou dizendo a você pra não fazer isso com ela, porque ela é gentil e ela se importa e ela não vai conseguir. A culpa de se ressentir com seu próprio filho vai comê-la viva.

Meredith: Eu tenho um plano. Eu vou ser mãe.
Cristina: Certo, Mer, há uma cratera enorme. Teddy está em cima de mim. Só me ligue se for algo urgente-
Meredith: Isso é sério. Talvez ser despedida tenha sido uma coisa boa. Como é que os otimistas dizem quando algo de ruim acontece e fazem parecer que não foi ruim?
Cristina: Escrito certo por linhas tortas?
Meredith: É. Talvez seja isso. É isso. Posso fazer geleia e fazer transporte solidário e organizar brincadeiras. Talvez isso baste. E talvez eu seja uma ótima mãe.
Cristina: Certo, certo. Eu vou vomitar, me chame quando a Meredith voltar.
Meredith: E talvez você queira ser mãe também, e é por isso que você não consegue continuar.
Cristina: Eu queria querer uma criança. Queria tanto querer uma, porque aí tudo seria fácil. Eu seria feliz. Teria Owen e minha vida não seria uma bagunça, mas eu não quero. Eu não quero um filho. Não quero fazer geleia, nem transporte solidário, e realmente, realmente não quero ser mãe. Eu quero ser cirurgiã. E, por favor, entenda. Eu preciso que alguém entenda. E gostaria que essa pessoa fosse Owen e que a qualquer momento ele aparecesse pra me apoiar. Mas isso não vai acontecer. E você é minha pessoa, e eu preciso que você esteja lá às 18:00h para segurar minha mão porque eu estou com medo, Mer, e triste porque meu marido não entende isso. Portanto, eu preciso de você.

[Meredith narrando]: Você tem o necessário? Se seu casamento está com problemas, você pode aguentar a tempestade? Quando o chão se abre, e todo o seu mundo desaba, talvez você apenas precise ter fé. E confiar que vocês podem sobreviver a isso juntos. Talvez só precisem aguentar firme. E não importa o que aconteça... não desista.

She's Gone [8.2]Editar

[Meredith narrando]: Quando minha mãe deixou meu pai, ela não disse a ele que estava indo e me levando junto até que pousamos do outro lado do país. Naqueles tempos, isso era chamado de problemas familiares. Hoje em dia, seria chamado de sequestro.

Janet: Muitas perguntas surgiram hoje. Sobre seu relacionamento, seu trabalho...
Derek: [sobre Meredith] Ela conseguiu o trabalho de volta. Foi tudo um mal-entendido.
Janet: Ela sumiu.
Derek: Bem, isso foi um problema de comunicação.
Janet: E a parte sobre vocês morando em casas separadas, é um problema de comunicação também? Olha, eu entendo. Não é fácil adicionar uma criança a um relacionamento. Vocês podem ter algumas pedras no caminho. Mas, hoje de tarde, quando pareceu que vocês dois tinham se separado, sua esposa foi demitida, mentiu pra mim e sumiu com a bebê. Disparou alguns alarmes. Agora, estou tentando desativá-los, mas não é algo tão fácil de se fazer. Uma vez que o sistema foi acionado, há um protocolo que precisa ser seguido, já que a agência acredita ter perguntas sobre Meredith...
Derek: Janet. Meredith é a melhor mãe que uma criança poderia ter. Ela ama Zola e a mim, e se tiver algum defeito, é que ela ama tanto as pessoas que faria qualquer coisa por elas.
Janet: Derek, eu entendo você. Mas, não importa o que eu diga, o serviço social ainda precisa reavaliar a adoção, e enquanto isso acontece, Zola não pode ficar na sua casa. Eu darei um minuto para se despedirem.

Derek: Ainda não entendo o que você estava pensando.
Meredith: Me despediram. Janet basicamente me disse que iam levar Zola. Quer dizer, possivelmente mandá-la de volta a Malawi. Você e eu... eu só precisava de um tempo. Só precisava segurar ela e olhar pra ela e apenas pensar sobre como tudo, tudo deu tão errado. Você devia ficar com Zola. Janet tem problemas comigo, não com você e precisamos fazer tudo que podemos pra garantir que não a levem embora e se isso significa você ter a custódia dela e eu, não... então é isso o que precisamos fazer.
Derek: Não foi despedida. Richard vai levar a culpa por você.
Meredith: O quê? Ele não pode fazer isso. Não vou deixar.
Derek: Sim, vai. Se quer ficar com a bebê, vai deixar ele proteger você.

Meredith: Acho que roubei um bebê.
Cristina: Primeiramente, você não roubou a bebê, ela é sua bebê. O que você fez foi... você a levou pra um cochilo... em um local muito estranho e esqueceu de atender o celular. Mas, sabe, muitas pessoas acham que muita tecnologia na sua vida é intrusiva, portanto, você não é a primeira pessoa a não atender o celular ou o pager. Sabe, tudo o que temos que fazer é- achar um motivo pelo qual você esteve incomunicável por uma hora.
Meredith: Quatro... horas. Janet ia levar a bebê, daí eu fugi.
Cristina: Okay, okay. Sabe, pessoas cometem erros. Quer dizer, eu quase matei Alex na SO hoje, então apenas precisamos achar um jeito.
Meredith: Como?
Cristina: Eu não sei.
Meredith: Não, como você quase matou Alex?
Cristina: Com uma dose de epi. [Meredith olha chocada] Ah, cê sabe, tanto faz. Ele vai ficar bem. Só, hm, fique aqui, eu vou arrumar isso.
Meredith: O que vai fazer?
Cristina: Vou arrumar isso.

[Meredith narrando]: Você acha que o amor verdadeiro é a única coisa que pode partir seu coração. A única coisa que pode trazer luz à sua vida... ou destruí-la. E aí, você se torna mãe.

Take the Lead [8.3]Editar

[Meredith narrando]: Às vezes, acontece em um instante. Nós damos um passo à frente. Nos tormanos líderes. Vemos um caminho e o seguimos. Mesmo quando não fazemos ideia de pra onde estamos indo.

Derek: Você fez de novo na SO.
Meredith: O quê? Eu fiz uma cirurgia com sucesso hoje.
Derek: Você se recusou a me ouvir.
Meredith: Não ouvi você porque não precisava ouvir você. Eu sabia o que estava fazendo e estava certa. Você simplesmente não confiou em mim.
Derek: Por que eu deveria? Por que eu deveria confiar em você? Você acabou com meu teste, prejudicou minha carreira, quase acabou com a sua própria, e destruiu a de Richard. Não tenho nenhum motivo pra confiar em você!
Meredith: Então por que ainda está comigo?
Derek: [aponta pro post-it] Por causa daquilo! Porque honro aquilo! Eu prometo que não ia fugir. Prometi que ia amar você...
Meredith: Mesmo quando me odiasse.
Derek: Mesmo quando a odiasse. Estou tentando, Meredith. Estou tentando, mas você torna tudo tão difícil.
Meredith: Entendo. E não quero que você mantenha a promessa. Não se não quiser, e não se não puder confiar em mim com nossa filha.
Derek: Eu confio em você com Zola.
Meredith: Bem, você acabou de dizer–
Derek: Não foi o que eu disse. Eu sei que você a levou pra protegê-la, sei que alterou o teste por Adele e Richard. Você ficou na frente de um atirador por mim. Eu sei por que você faz tudo isso. É isso o que eu amo em você.
Meredith: E o que você odeia em mim.
Derek: Sim!

Arizona: Sabe, você tem um filho e se preocupa muito sobre estragá-lo. Como se algo que você fizer ou disser, ou que não disser, vai mudá-lo pra sempre.
Jackson: Sim, senhora.
Arizona: Estava pensando, você determina totalmente o curso da vida dessa criança. Você vai determinar se essa criança é zoada por causa da sua aparência, ou se ele vai chorar toda vez que olhar pra sua foto da escola. E hoje, você vai decidir com quem ele vai a formatura, com quem vai casar... quer dizer, se chegar a isso; se ele vai morrer completamente só, sem atraentes e não amado.... Queria que eu chamasse Sloan?

April: Sabe, a esposa de Sam cuidou dele depois de suas duas últimas cirurgias, ela morreu de um derrame ano passado. Seu filho, Jason, largou a faculdade um semestre antes de se formar e ele--
Alex: Que diabos, Kepner. Por que está me falando isso?
April: Falar com os pacientes é seu trabalho, Alex. Porque eles são mais do que apenas... uma boa nota ou algo que você possa ganhar. É o seu trabalho.
Alex: Não, não é. Não mais. Meu trabalho é abri-lo e arrumá-lo. E se eu não fizer isso, ninguém vai fazer por mim. É minha responsabilidade. Então, eu posso gastar meu tempo falando com ele ou posso usar esse tempo pra descobrir o que eu vou fazer depois que abri-lo. Qual dos dois quer que eu faça?
April: Você está bem nervoso. Por isso que não quis trabalhar com uma criança hoje. Olha, vai dar tudo certo. Você está pronto. Quer dizer, se sente pronto, certo? [Alex balança a cabeça]
Webber: Estou gostando muito desse livro, Karev.
Alex: Isso é ótimo.
Webber: Espero termina-lo aqui. Porque enquanto eu estiver lendo, quer dizer que você não vai errar. Vou poder terminar esse livro hoje?
Alex: Sim, senhor.

What Is It About Men [8.4]Editar

[todos narrando]:
Derek: Há diferenças nítidas entre os cérebros dos homens e das mulheres.
Webber: Cérebros femininos possuem o hipocampo maior... o que, geralmente, as deixa melhor em retenção e memória.
Alex: Cérebros masculinos têm um maior córtex parietal, o que os ajuda ao se defenderem de um ataque.
Jackson: Cérebros masculinos enfrentam os desafios de maneira diferente dos femininos.
Mark: Mulheres são programadas para se comunicarem com palavras. Detalhes. Empatia. Homens, nem tanto.
Owen: Isso não quer dizer que somos menos capazes de sentir emoção.
Derek: Podemos falar sobre nossos sentimentos. É só que, na maior parte do tempo, nós preferimos não.

Mark: Derek! Você está tentando roubar meu garoto. Ele é meu garoto. Avery, vá esperar no carro.
Jackson: Que? Não.
Derek: Mark.
Mark: Você está monopolizando ele a semana toda. Não estava nem interessado nele até que viu o quanto ele significava pra mim. Não gasto meu tempo ensinando a ninguém se posso evitar.
Derek: Mark.
Mark: Mas estou gastando tempo com Avery porque ele aprende rápido e ele pode fazer uma cirurgia plástica melhor do que eu na época dele.
Jackson: Posso? [Mark se vira pra ir embora]
Derek: Ei, ei. Não faça isso. Não grite comigo e vá embora.
Mark: Não estou. É só que Sofia gosta quando eu me movo.
Owen: Podem conversar. Eu fico com a bebê.
Mark: Tá, cuidado. Tivemos um susto nessa semana. [entrega Sofia a Owen] Obrigado. Agora, Avery, espere no carro. Amigos não roubam um do outro.
Derek: Não é roubar se ele pede pra participar das minhas cirurgias.
Mark: Ah, não seja um idiota.
Jackson: Certo, olhem. Agradeço isso, de verdade. Mas, se eu tiver que escolher, escolho plástica. Quer dizer, realmente gosto muito de tomar a liderança nas suas neurocirurgias, mas eu acho que--
Mark: [a Jackson] Está usando meu amigo aqui pra conseguir mais cirurgias? Ninguém usa meu amigo. [Derek sorri, Jackson fica confuso]

[todos narrando]:
Alex: Seja homem. As pessoas dizem isso o tempo todo.
Owen: Mas o que isso quer dizer?
Webber: É por causa da força?
Owen: É sobre os sacrifícios?
Jackson: É sobre vencer?
Mark: Talvez seja mais simples do que isso.
Derek: Você precisa saber quando não ser durão. Às vezes é preciso um homem de verdade para deixar o ego de lado, admitir a derrota e simplesmente começar tudo de novo.

Love, Loss, and Legancy [8.5]Editar

[Meredith narrando]: O corpo humano foi feito para compensar a perda. Ele se adapta para não precisar mais da coisa que não pode ter. Mas, às vezes, a perda é grande demais, e o corpo não consegue compensar sozinho. É aí que os cirurgiões entram.

[Meredith narrando]: Temos tana esperança no começo das coisas. Parece que somente há um mundo a ser ganho, e não perdido. Dizem que a inabilidade de aceitar a perda é uma forma de insanidade, provavelmente é verdade. Mas, às vezes, é a única forma de continuar vivo.

Poker Face [8.6]Editar

[Meredith narrando]: Quando bebês, nós éramos fáceis. Um choro significava que estávamos com fome, outro, que estávamos cansados. Somente como adultos que nos tornamos difíceis. Começamos a ter sentimentos, construir muros. Chega ao ponto de não sabermos mais o que o outro pensa ou sente. Sem querer, nós nos tornamos mestres dos disfarces.

Lexie: [depois de ser maltratada por Derek]: Pode ter sexo com ele pra ele ser mais legal?

Arizona: Ei! Comprou pizza?
Mark: Não! Pizza? Eu fiz um coq au vin!
Callie: [joga a paela no lixo, Arizona e Mark protestam] Mark, eu amo você. Amo o quanto você é maravilhoso com nossa filha. Amo que você e Arizona sejam amigos, mas você, você precisa ir embora porque hoje de noite eu vou comer pizza e beber cerveja na cama com minha esposa e dizer a ela sobre o pescoço que eu construí e nós vamos fazer muito, muito sexo. Certo? Somos ótimos pais, mas somos mais do que mamães e papais. Somos gostosas e sexys, e seu novo hobby? O hollandaise, as costelinhas e o coq au vin? Está atrapalhando nossa vida sexual. Então, por favor, comece a transar novamente. Certo? Mas não hoje de noite. Porque hoje? Você vai ser babá.

[Meredith narrando]: Nem sempre é fácil falar o que se pensa, às vezes você precisa ser forçado a isso. Às vezes, é melhor manter algumas coisas pra si mesmo, se fingir de burro, mesmo quando seu corpo inteiro está se coçando pra ser claro. Portanto, você cala a boca, mantém seu segredo, e encontra novas maneiras de se manter feliz.

Put Me in, Coach [8.7]Editar

[Meredith narrando]: Cirurgiões não podem ser preguiçosos, os riscos são altos demais. No segundo em que paramos de nos forçar, algo terrível acontece. Algo que nunca vemos chegando.

Cristina: Desisto. Não faço ideia do que você está tentando fazer. Vou ter problemas se cortar tanto quanto se não cortar. Estou no quinto ano e fazendo o trabalho de um interno. O que você quer?
Teddy: Quero que você faça uma lista.
Cristina: [ri] Onde? Num quadro negro? “Não vou fazer nenhuma cirurgia sem um capacete de segurança.” Hm.
Teddy: Quero que faça uma lista de cada cirurgia que você sempre sonhou em fazer. Atire na lua e eu vou tentar arranjar algumas pra você. [Cristina fica em silêncio] Porque nós acabamos. Você está pronta, esse é seu presente.
Cristina: Você está brincando comigo.
Teddy: Certo, sabe, no começo desse ano, você quase matou Alex Karev naquela SO porque você simplesmente tinha que entrar lá. Você tinha que ser a melhor e tinha que ser a primeira. Mas, hoje? Hoje eu vi uma cirurgiã diferente. Igualmente boa, igualmente avançada, mas disposta a trabalhar em equipe. Hoje, você colocou o paciente antes de você mesma, e era isso o que eu queria ver. Então... você acabou. Faça uma lista.

Owen: Só quero dizer o quanto estou orgulhoso de todos vocês. Vocês são um time incrível.
Cristina: [a Bailey] Quem está bêbado agora?
Owen: Vi vocês trabalhando juntos, resolvendo problemas juntos. Vi vocês ensinando uns aos outros e aprendendo com os outros. Vocês se levantam quando precisam e vocês... fazem mais do que são pedidos. Vocês são o melhor time do qual já fiz parte.
Mark: Nossa.
Alex: Triste.
Webber: Bonito.
Callie: Você não acha que temos uma chance de vencer isso, acha?
Owen: Isso? Não, não, estamos ferrados. Vocês são horríveis no beisebol, mas... [todos riem] como médicos, vocês são ótimos e tenho orgulho de liderar vocês. E estão todos aqui, então eu só... só queria dizer isso. Mas, agora, vamos ser derrotados. Mas o que acham de sermos derrotados lutando? [todos comemoram]

April: O que o Chefe não percebe é que muito do meu trabalho torna possível a realização dessas cirurgias. Quer dizer, todo o equipamento e o cronograma. Então, talvez, certo, talvez eu não esteja na SO o tempo todo, mas eu--
Callie: April, você quer ser assistente administrativa? É isso o que faz seu coração cantar?
April: Não, claro que não.
Callie: Então pare de reclamar. Pare de se esconder atrás da papelada. Se você ama isso, faça isso. Apenas entre na SO, certo? Não durma, não coma, só... fala. [entrega a ela a furadeira] Toma.
April: Quer que eu coloque o pino de Kirschner?
Callie: Vai alegrar seu coração?
April: Sim, sim.

[Meredith narrando]: Podemos não vencer o tempo todo, mas não somos preguiçosos. Nós nos arriscamos, vamos fundo, damos tudo o que temos. E, às vezes, é, erramos a jogada. Mas, às vezes, nós acertamos.

Heart-Shaped Box [8.8]Editar

[Mark interrompe Derek, que está analisando o raio-X de um paciente]
Mark: Ei, tem um segundo?
Derek: Espera só um pouco.
Mark: Estou um pouco preocupado com o Avery..
Derek: [tenta ignorá-lo] Eu estou bem perto de achar isso.
Mark: Tivemos uma conexão real, sabe?
Derek: [afasta suas notas e olha para Mark] Certo.
Mark: Estávamos tendo momentos bons juntos, e, do nado, ele está me evitando. Ele está frio e distante.
Derek: Você está com medo de ter o coração quebrado por ele.
Mark: Mais ou menos. Derek, você me conhece. Eu nunca liguei pra ensinar em toda minha vida. Mas, ultimamente, eu gosto da ideia de passar o bastão. E eu, você sabe, eu só—só quero vê-lo bem. Talvez eu precise me afastar.
[Owen entra na sala]
Derek: Ah, Hunt. Bem na hora. Mark está com medo de que Avery vá terminar com ele.
Mark: Isso pode ficar entre você e eu?
Owen: [estranhamente] Prefiro assim. Hm, Shepherd, sobre esses casos--
Derek: Sei o que vai dizer. Está preocupado que a taxa de mortalidade do hospital está crescendo. Essa é a pior parte de ser chefe. Você tem que dizer não pra todo mundo, e eles vão odiar você por isso. e você diz tanto não que passa a se odiar, por isso que eu não vou ver você passar por isso. Tenho uma consulta. [olha pra Mark] Se você ama alguém, deixe-o livre; se eles voltarem... [falsamente manda um beijo pra ele]
[Derek rapidamente deixa a sala]
Mark: Vou bater em você. [a Owen] Ei, deixe-me te perguntar uma coisa–
Owen: Não.

[Meredith narrando]: É um pouco assustador o quão rápido tudo pode ruir. Às vezes, é preciso uma grande perda para te fazer se lembrar de quem mais importa. Às vezes, você se encontra mais forte do que o resultado; mais sábio, mais preparado para lidar com o próximo desastre que aparecer. Às vezes... mas, não sempre.

Dark Was The Night [8.9]Editar

[Meredith narrando]: ”Tive um péssimo dia.” Dizemos isso o tempo todo. Uma briga com o chefe, uma gripe, o trânsito... É isso o que é descrito como terrível quando nada terrível está acontecendo...

[Meredith narrando]: Essas são as coisas pelas quais imploramos: tratamento de canal; auditoria na Receita Federal; café derramado nas suas roupas... Quando coisas realmente terríveis acontecem, começamos a implorar para que um Deus no qual não acreditamos traga de volta os pequenos terrores e faça isso acabar. Parece curioso agora, não é? A cozinha inundada, a hera venenosa, a briga que te deixa tremendo de raiva... Tudo isso poderia ter sido evitado se soubéssemos o que estava por vir? Saberíamos que esses seriam os melhores momentos das nossas vidas?

Suddenly [8.10]Editar

[Meredith narrando]: Vítimas de um impacto súbito, geralmente, são as mais difíceis de tratar. Não é apenas a colisão que os machuca. É tudo que acontece depois. É a força centrífuga que os mantém em movimento, que os joga do veículo, que os empurra contra o para-brisa, que atira seus órgãos internos contra o esqueleto. Seus corpos são machucados repetidamente. Portanto, não há como saber a dimensão do dano até que eles tenham sido realmente feitos. Até que eles parem.

Derek: Sua namorada já atendeu quantos pacientes de trauma?
Mark: Muitos. Ela já me falou sobre muitos casos.
Derek: Ah, então vamos acreditar em conversas de namorados? Se eu achar que ela não está à altura, vou expulsá-la da minha SO.
Mark: Sabe qual o seu problema? Você acha que ninguém que dorme comigo pode ter talento ou inteligência.
Derek: Não é verdade.
Mark: Na maior parte, é verdade.
Derek: Sim. Sim, na maior parte.
Mark: Sua ex-esposa é brilhante, e ela dormiu comigo. Não estou tentando começar uma briga. Só estou dizendo.

Dra. Julia Canner: Ah, ainda bem que acabou. Eu parecia nervosa lá dentro? Seja honesta comigo.
Lexie: Ah, você estava mais do que bem.
Julia: É o Derek Shepherd ali dentro, um dos melhores neurocirurgiões do país, e melhor amigo do Mark. O tempo todo em que fiquei ali, tudo o que podia pensar era na minha equipe de corrida do colegial. O técnico sempre dizia, “não olhe para trás, nunca olhe para trás porque se a pessoas atrás de você vir, saberá que você é fraca e passará por cima de você.” Só pensei nisso durante toda a cirurgia. Não olhe pra trás.
Lexie: Bom, você não olhou.

[Meredith narrando]: Você não consegue se preparar para um impacto súbito. Não pode se proteger. Simplesmente acontece. Do nado. E, de repente, a vida que você conhecia antes, acaba. Para sempre.

This Magic Moment [8.11]Editar

[Meredith narrando]: Você já teve o papel principal em uma peça? O solo em um recital? Todos os olhos em você, esperando que você faça o que eles vieram pra ver. Sentindo a incrível pressão de atuar. Houve uma época em que chamavam as salas de operação de salas de teatro. Parece com uma. As pessoas se preparam para o show. Os cenários são armados. Há trajes especiais, máscaras, objetos de cena... tudo precisa ser ensaiado, coreografado. Tudo leva ao momento em que a cortina levanta. Sabe o que dizem sobre o Carnegie Hall. Só há um jeito de chegar lá...
Owen: Treinem, treinem, treinem até que fique prefeito, gente. Isso é um procedimento longo e complexo, com muitas partes. Portanto, há muitas oportunidades para errar.

[Jackson, Alex, Cristina e April estão na galeira vendo Derek e os outros separarem os gêmeos siameses quando Meredith entra carregando Zola]
Meredith: Olha esse rostinho. Sério, olhem esse rosto.
Cristina: Tá, tá, tá, muito fofa. Eles estão no cordão espinhal agora.
Meredith: Bailey passou as últimas duas horas me dizendo como minha vida é ruim, mas olha pra essa carinha. Ah, Zola, olha. [aponta pra Derek] Ali é o seu pai. Ele está prestes a operar uma mielomeningocele. Consegue dizer mielomeningocele?

Ben: Como foi seu almoço, Dra. Grey?
Meredith: Ah, foi bom. Na verdade, sem fila, pude comer meu sanduíche, achar minha filha, ver meu marido, assistir à cirurgia inovadora que está acontecendo na sala ao lado. E ainda voltar a tempo de fazer meu trabalho.
Ben: Parece que você tem tudo, Dra. Grey.
Meredith: Sim, na verdade. Eu tenho tudo.

Bailey: [para Ben] Tive um marido e um bebê e eu era uma cirurgiã. E aí tudo acabou mal. Então, me divorciei. E aí eu consegui me reerguer. Achei você. E depois houve o tiroteio. Então, agora, estou finalmente reerguida novamente, e tenho você novamente. Eu só não quero estragar tudo.

[Meredith narrando]: Se pelo menos a vida fosse só um ensaio e tivéssemos tempo de refazer as coisas. Poderíamos ensaiar cada momento até acertar as coisas. Infelizmente, todos os dias da nossa vida é uma performance única. Parece que mesmo quando temos a chance de ensaiar, e preparar, e treinar... ainda não estamos muito prontos para o grande momento.

Hope For The Hopeless [8.12]Editar

[Meredith narrando]: ”Não há mais nada que possamos fazer por você.” São as últimas palavras que um cirurgião quer dizer a um paciente. Desistir não é fácil para nós, então, fazemos tudo em nosso poder para que isso não aconteça. Para cirurgiões, “causas perdida” significa, “tente um pouco mais”.

Bailey: [para Meredith] Quer desperdiçar seu talento brincando com um único e previsível órgão pelo resto da sua vida? Nãh, eu preferiria passar o resto dos meus dias pulando de um fígado para um pâncreas para um estômago para um intestino, e qualquer um poderia dar errado a qualquer momento. Não há nada de errado em conhecer muito bem apenas um órgão, assim como não há nada errado em ser o quinto violista no fundo da orquestra. Mas é muito mais divertido ser o condutor.

Derek: Não são chamadas de causas perdidas porque são divertidas.
Lexie: Não preciso que sejam divertidas. Só preciso que não sejam como hoje.
Derek: Certo. Vamos jogar.
Lexie: Agh.
Derek: Cara, você continua com as causas perdidas. Coroa, você pode fazer coisas divertidas.

Webber: Bailey disse que você vai escolher a cirurgia geral.
Meredith: Na verdade, não tenho mais certeza.
Webber: Ah. Achei que já estava certo. Quer dizer, faz sentido, já que você––
Meredith: Por causa da minha mãe. Não a mencione, também. É isso o que todo mundo sempre diz: está no meu sangue, é meu legado. É por isso que não quero fazer. Não quero ser igual a minha mãe.
Webber: Meredith, olhe para tudo o que fez hoje. Essa festa pra sua filha, o que você fez por mim naquela SO. Você não precisa nunca se preocupar em ser nada igual a sua mãe. Eu a conheci, e você não é nada como ela. Você tem um dom. Não o desperdice.

[Meredith narrando]: Quando você joga a toalha? Admite que uma causa perdida, às vezes, é só isso? Chega um momento em que tudo é demais. Quando ficamos muito cansados pra lutar. Então, desistimos. É aí que o trabalho realmente começa. Para encontrar esperança onde parece não haver absolutamente nada.

If/Then [8.13]Editar

[Meredith narrando]: O bebê que você tem é o bebê que você foi destinado a ter. Foi o destino. É o que todas as agências de adoção dizem, pelo menos. De qualquer forma, eu gosto de pensar que isso é verdade. Mas, tudo o resto no mundo parece completamente aleatório. E se uma coisinha que eu dissesse ou fizesse pudesse fazer tudo desmoronar? E se eu tivesse escolhido outra vida para mim? Ou outra pessoa? Nós poderíamos nunca ter encontrado um ao outro. E se eu tivesse sido criada diferente? E se minha mãe nunca tivesse ficado doente? E se eu tivesse tido um bom pai? E se...? E se...? E se...?

[universo alternativo]
Alex: O que diabos está errado comigo?
Miranda: Acabei de perder meu trabalho? Está me vendo chorar? Não faço a mínima ideia do que vou fazer agora, mas estou me escondendo em um elevador, choramingando a respeito?
Alex: Não.
Miranda: Não. Porque o que dizemos, Alex? O que nós dizemos? “Nós criamos nosso próprio destino.”

[Meredith narrando]: Sua vida é um presente. Aceite-o. Não importa o quão estragada ou dolorosa ela pareça. Algumas coisas vão dar certo, como se estivessem destinadas a acontecer... Como se simplesmente fossem destinadas a ser.

All You Need Is Love [8.14]Editar

[Meredith narrando]: Há momentos na nossa vida em que o amor realmente conquista tudo: exaustão, privação de sono, qualquer coisa. E também há certos momentos em que parece que o amor não trás nada além de dor.

[Derek e Meredith estão se beijando na cama com Zola dormindo entre eles.]
Derek: Tem um bebê na cama.
Meredith: Eu sei que tem um bebê na cama.
Derek: Não tem nenhum bebê no chuveiro.
Meredith: Não tem nenhum bebê no chuveiro.
Derek: [excitado] Tudo certo.
[Derek e Meredith saem da cama e vão ao banheiro]
Meredith: [olha pros brinquedos de Zola] Há um bebê no chuveiro também.
Derek: [continua beijando Meredith] Ah, vamos... É só olhar pro outro lado.
Meredith: Não posso fazer nada na frente dos patos.
Derek: É claro que pode. É só fazer na frente dos patos.

[Mark atende a porta e se surpreende ao ver Jackson.]
Jackson: Trouxe frango e comprei um vinho muito bom, e uma salada. Vou cozinhar pra você.
Mark: Avery, eu tenho namorada.
Jackson: E ela está operando hoje, então, assim que você colocar Sofia pra dormir, você pode me ajudar a estudar pras minhas provas, porque estou atrasado. Muito atrasado.
Mark: Quanto você pagou por essa garrafa de vinho?
Jackson: 50 pratas.
[Mark deixa ele entrar]

Meredith: As convulsões da nossa paciente passaram, sabe por quê?
Derek: Não.
Meredith: Porque eu descobri um teratoma no seu ovário.
Derek: Bem, sabe, poderia me dizer isso no jantar. Você não precisava me mostrar um ovário cortado.
Meredith: Esse desgraçado achou que podia se esconder de mim, mas não. Demorou um tempo, mas eu finalmente descobri onde ele estava, fui lá e acabei com ele.
Derek: Você fica tão sexy olhando para um teratoma.

[Meredith narrando]: Estamos sempre procurando por maneiras de amenizar a dor. Às vezes, a amenizamos fazendo o melhor com o que temos. Às vezes, é nos perdendo no momento e outras, tudo o que precisamos fazer para amenizar a dor é... pedir uma simples trégua.

Have You Seen Me Lately? [8.15]Editar

[Meredith narrando]: Quando você já tem tentado de tudo, mas aquela dor de cabeça não vai embora, você não consegue parar de tossir e engolir fica difícil, é aí que você pede ajuda profissional. Como cirurgiões, passamos anos desenvolvendo habilidades de percepção que nos permitem ver exatamente qual é o problema. O problema é que às vezes todo aquele tempo que passamos desenvolvendo as habilidades podem deixar uma pessoa com um ponto de vista extremamente limitado. E como devemos discutir com alguém que tem a ciência ao seu lado?

Lexie: Ei, chamou?
Amelia: Eu posso remover o tumor e a carótida juntos. Só preciso inserir cateteres de balão pela femoral, colocá-los na posição exata, inflá-los para parar o fluxo sanguíneo, fazer duas arteriotomias, colocar um shunt heparinizado no lugar e restabelecer o fluxo sanguíneo.
Lexie: Só isso?
Amelia: Ah, e preciso fazer isso em 90 segundos. Qualquer coisa a mais e ele tem um derrame.
Lexie: Isso é possível?
Amelia: Não tenho certeza. Adoraria testar.
Lexie: Deveríamos começar uma simulação.
Amelia: Hm, não precisamos da aprovação do Derek?
Lexie: É, mas isso não deve ser um grande problema--
Amelia: Ele ama dizer não a mim. É a coisa que ele mais gosta de fazer.
Lexie: Talvez você devesse parar de chamar ele de idiota.
Amelia: Não consigo evitar, porque ele é um.
Lexie: Talvez eu devesse pedir a ele.
Amelia: Poderia? Ele está em cirurgia, SO 2.
Lexie: [começa a sair, mas para] Você só me chamou aqui pra eu ir falar com Derek por você e parecer que foi ideia minha?
Amelia: Não sou boa?
Lexie: Maravilhosa.

Webber: Meredith Grey.
Callie: Não. Grey não. Yang, talvez.
Webber: Yang é um cowboy.
Callie: Kepner.
Webber: [faz uma cara] Kepner?
Callie: Não Kepner. Definitivamente não Grey. Ela passa o tempo todo na neuro, e, do nada, escolhe Geral. Ela não tem foco.
Webber: Você está superestimando ela. Acho que ela poderia surpreender você.
Callie: [risos] Ela teria.
Webber: Ela vai.
Callie: Ela teria que vir até mim.

Meredith: Estão estudando pro teste oral no meio do dia?
April: É mais uma vantagem de ter um colega de estudo. Você deveria arrumar um.
Meredith: Eu tenho uma. Mas é que a minha colega de estudo idiota está muito ocupada tentando salvar seu casamento idiota no lugar de me ajudar a estudar.
Alex: Sabe o que é melhor do que um colega de estudo? Um lacaio de estudo. Vê só. [para uma interna] Ei, você, garota do cabelo castanho, sua vez.
Morgan: Hm, trauma ou problema cirúrgico?
April: Fez os estagiários criarem perguntas de estudo?
Alex: [para Morgan] Me surpreenda.

[Meredith narrando]: Podemos não gostar disso, mas é muito importante parar de vez em quando, sair um pouco da sua cabeça e ver a imagem maior. Realmente entender que você estava olhando para tudo da maneira errada, pode ser até libertador. E, de repente, nós enxergamos um novo potencial, novas possibilidades que vimos antes e tudo bem quando uma situação desesperançosa parece ter uma saída. Infelizmente, às vezes tudo vai pelo caminho errado.

If Only You Were Lonely [8.16]Editar

[Meredith narrando]: Como cirurgiões, somos treinados para consultar uns aos outros para uma segunda opinião. Até mesmo encorajamos os pacientes a fazer o mesmo. Mas, por que procurar por outra opinião quando você sabe que está certo? Porque se formos honestos com nós mesmo, cirurgiões são mais como cowboys. Somos mais propensos a seguirmos sozinhos.

Meredith: [para Cristina] Estou de pé desde às 4 da manhã estudando para as provas com Callie. Desde às 4 da manhã. Não vi meu marido ou minha filha desde ontem. Eu nem me importo, porque Callie explodiu a minha cabeça. Ela explodiu minha cabeça. Meu cabelo está pegando fogo. Tipo, literalmente há faíscas saindo da minha cabeça.

Derek: Sabe o que poderia ser divertido?
Bailey: Não faço ideia do que poderia ser divertido.
Derek: Um dia de brincadeiras entre Zola e Tuck.
Bailey: Ah. Hm, Tuck tem 5 anos, e Zola tem quantos, 1?
Derek: 1 e meio, mas ela parece ter 3. Ela é muito madura.
Bailey: Hm, Tuck entende brincar como jogar as coisas, quebrar as coisas, hm, atirar as coisas nas pessoas e coisas. Não acho que Zola sobreviveria a um dia de brincadeiras com Tuck.
Derek: É. Provavelmente não é uma boa ideia.

[Meredith narrando]: Você pode procurar pelos conselhos alheios, se cercar com conselheiros confiáveis, mas no fim, a decisão é sempre só e somente sua. E, quando chega a hora de agir e você está completamente só contra a parede, a única voz que importa é aquela dentro da sua cabeça, aquela que diz o que você provavelmente já sabe. Aquela que quase sempre está certa.

One Step Too Far [8.17]Editar

[Meredith narrando]: Somos treinados para vigiar, para caçar o problema, perguntar as perguntas corretas. Achar a raiz do problema até que saibamos exatamente qual é e possamos confrontá-la. É necessária uma dose extrema de cuidado ou, do contrário, podemos nos exceder. Podemos criar problemas onde não há nenhum.

Derek: Volte pra mim.
Meredith: Não vou voltar.
Derek: Você sente falta.
Meredith: O que tem pra sentir falta na neuro?
Derek: Eu.
[mais tarde]
Derek: Ah, Dra. Grey. Que bom que se juntou a nós.
Meredith: Eu fui sequestrada.
Derek: [para Lexie] Ela sente minha falta.
Lexie: Ela não está nem na neuro mais.
Derek: Ela está pensando em voltar.
Meredith: Não estou, não.
Derek: Está sim. Ela está se lembrando da mágica.

Meredith: [tentando confortar Lexie] Você não vai chorar agora. Você vai falar com Derek. E ele vai estar chateado e decepcionada e vai gritar com você e não vai olhar pra você por dias. Apenas aguente. E você vai seguir em frente e vai aprender com isso e nunca mais vai cometer o mesmo erro.

[Meredith narrando]: Nossas intenções são sempre puras, nós sempre queremos fazer o que é certo, mas também tendemos a forçar os limites. Portanto, corremos o risco de levar as coisas longe demais. Nos dizem para não fazermos o mal enquanto somos treinados a abrir você com uma faca. Então fazemos as coisas enquanto devíamos tê-las deixado em paz. Porque é difícil admitir que quando não há nenhum problema para tratar, temos que deixar em paz. Antes de deixarmos a coisa muito pior. Antes de causarmos um dano tão terrível.

The Lion Sleeps Tonight [8.18]Editar

[Meredith narrando]: Temos uma frase na sala de operação: “não alimente o leão”. Quer dizer que não importa o quanto um tumor pareça bonito, ou pequeno, ou quão boas as margens pareçam, ainda é um tumor. E ainda é perigoso, e ainda pode morder.

Owen: O que aconteceu?
Bailey: Ela tem um leão de animal de estimação, foi o que aconteceu. Ele tentou comê-la viva e depois fugiu e provavelmente tentou comer outras pessoas, porque é um leão. Quem tem um leão morando na sua casa? Eu vou dizer quem tem um leão vivendo na sua casa: uma pessoa louca. Aí agora, porque ela é louca, não significa que ela não mereça um tratamento excelente. Na verdade, vamos salvar a vida daquela mulher louca só pra eu poder dizer a ela que ela é louca.

Derek: Não vou dizer ao Mark o que fazer.
Lexie: Não vai?
Derek: Eles vão morar juntos de qualquer forma. O cara sempre foi fácil de ler. E a única coisa que pode mudar isso é se ele souber que ainda tem uma chance com você.
Lexie: Sério?
Derek: Ele está feliz com a médica dos olhos. Então, tenha certeza de que quer ele de volta porque você o quer, não porque ele está com outra pessoa.

[Meredith narrando]: Nós todos ouvimos os alarmes e os ignoramos. Forçamos nossa sorte. Jogamos os dados. Brincamos com o fogo. É da natureza humana que quando somos avisados a não tocar alguma coisa, geralmente tocamos. Mesmo sabendo melhor. Talvez seja porque, lá no fundo, estejamos apenas pedindo pra ter problema.

Support System [8.19]Editar

[Meredith narrando]: Toda criança sabe a letra da música: “o osso do pé está conectado ao osso da perna. O osso da perna está conectado ao osso do joelho.” Na faculdade de medicina, aprendemos que é mais complicado do que isso. Mas ainda assim, a música não está errada. Tudo está conectado. “O osso do pé está conectado ao osso da perna; o osso da perna está conectado ao osso do joelho.” E se você tirar um pedaço... todo o resto desmorona.

Webber: [para Mark] Você é um bom médico, e talvez seja um ótimo chefe de cirurgia algum dia. Mas você é um cirurgião plástico, chefe Sloan. Você é perfeccionista. E você quer que tudo seja de acordo com as regras para que fique bonito. Eu não preciso de beleza. E não preciso de perfeição. Eu preciso é que tudo funcione. E o que vai ser necessário para que eu consiga tirar aquele tumor e colocar aqueles órgãos saudáveis dentro do meu paciente doente. Não vai ser bonito, mas vai funcionar, e vai manter meu paciente vivo.

[Meredith narrando]: O corpo humano é feito de sistemas que o mantem vivo. Há uma coisa que mantem você respirando, e outra que o mantem de pé. A coisa que o deixa com fome, e outra que o deixa feliz. Está tudo conectado, retire um pedaço e todo o resto desmorona. E é só quando nosso sistema de apoio parece prestes a falhar, que nós percebemos o quanto dependemos dele esse tempo todo.

The Girl with No Name [8.20]Editar

[Meredith narrando]: Quando você é criança, quer que as coisas permaneçam iguais. Os mesmos professores, a mesma casa, os mesmos amigos... Ser cirurgião não é diferente. Você se acostuma com os mesmos atendentes, as mesmas enfermeiras, o mesmo hospital. Claro que tudo muda no minuto em que o quinto ano chega e você precisa achar um novo emprego.

[Meredith narrando]: É uma daquelas coisas que as pessoas dizem. Você pode seguir em frente até que tenha superado o passado. Deixar ir é a parte fácil, é o seguir em frente que é difícil. Então, às vezes nós lutamos contra, tentando manter tudo igual. As coisas não podem permanecer as mesmas, porém. Em algum momento, você deve deixar ir. Seguir em frente. Porque não importa o quão doloroso seja, é a única forma de crescer.

Moment of Truth [8.21]Editar

[Meredith narrando]: Imagine isso, você passou os últimos cinco anos de residência treinando para se tornar um cirurgião. Mas, esses cinco anos de repente não importam. A única coisa que importa, a única coisa entre você e sua carreira, é um teste. Em um hotel qualquer, em um lugar qualquer, com um examinador qualquer perguntando quaisquer perguntas. Nervoso? Você deveria estar.

Callie: Eles de odeiam.
Bailey: Eles são profissionais, vão ficar bem...
Callie: Não, é horrível, é tenso e frio e perigoso. Parece com desativar uma bomba... em uma casa assombrada... construída sobre um campo minado, e há ursos... POR TODO LUGAR... e, os ursos têm facas!

Cristina: Owen dormiu com outra pessoa.
Meredith: É.
Cristina: Você sabia?
Meredith: Sim.
Cristina: Todo mundo sabe?
Meredith: Não. Ele achou que você tinha me falado, então me falou. É assim que eu sei.
Cristina: OK.
Meredith: Ele é um porco e você merece melhor. Ainda está aí?
Cristina: Sim. Ainda estou aqui.

Cristina: Bom, ele é meu marido. Isso é um casamento.
Meredith: OK.
Cristina: Ah, eu quero deixá-lo.
Meredith: OK.
Cristina: Então isso quer dizer que eu vou embora.
Meredith: Então vai aceitar o trabalho em Stanford?
Cristina: Ou Columbia.
Meredith: Vai me deixar também.
Cristina: Você pode ir a Bringham.
Meredith: Provavelmente não.
Cristina: Talvez. É, vou deixar você também... Existem telefones, sabe.
Meredith: Ah, você odeia telefones.
Cristina: Eu sei que odeio. Mas, tipo, eu não tenho que gostar.
Meredith: Coloque sua mãe embaixo da porta.
Cristina: Que?
Meredith: Apenas coloque.

[Meredith narrando]: Jardim de infância. Colegial. Faculdade de medicina. Residência. Isso tudo leva a esse momento. Algumas pessoas podem quebrar com a pressão, outras, triunfam. De qualquer forma, não há mais nada a fazer. Sem mais estudos, sem mais preparação. Goste ou não, o momento chegou. A única coisa que resta fazer é aparecer.

Let the Bad Times Roll [8.22]Editar

[Meredith narrando]: Carpe Diem. O quão chato é o “carpe diem”? Como você deve planegar uma vida? Uma carreira? Uma família? Se você está sempre aproveitando a vida? Se todos nós aproveitássemos cada momento de todos os dias, não haveriam médicos. Quem enfrentaria a faculdade? Estaríamos ocupados demais vivendo o agora, o que quer que isso queira dizer.

Arizona: No que diabos estava pensando?
Nick: Cara...
Arizona: Você é um idiota. Devia ter me ligado. Tipo, por que não me ligou? Eu sou uma médica, o que acha que eu faço o dia todo?! Em vez disso vai a um curandeiro no Tibete? Devia ter me ligado!
Nick: Naturopatia funciona também, Flagstaff.
Arizona: Não é Flagstaff! E não é Phoenix nem Tempe, é Dra. Arizona Robbins! Sabe o que isso quer dizer?
Nick: Como soletra?
Arizona: Não é engraçado, Nick! Nada é engraçado. Você está morrendo! E sabe o inferno que foi quando Tim morreu porque você estava lá, e-e você e eu mal conseguimos superar, e não fazer nada por seis anos e vir quando já é tarde demais, eu-eu...
Nick: Por que acha que não vim mais cedo? Sério, como se depois que Tim morreu eu pudesse... acha que não sei como deve ser isto pra você?
Arizona: Você é um idiota! Eu não pude ajudá-lo, mas poderia ter ajudado você! [sai enfurecida]

Lexie: Ah, hey.
Mark: Hey.
Lexie: Obrigada, hm, por hoje. Por—por me deixar, hm...
Mark: Você fez um bom trabalho lá dentro.
Lexie: Obrigada.
Mark: Você está bem?
Lexie: Eu amo você. Ah, minha deusa. Apenas saiu... voando pela minha boca, como se fosse um t-t-tipo de—eu, eu amo você. Eu só--- deusa! Fiz de novo! [ri] Eu... eu-eu-eu amo você. De verdade. Eu só—eu amo você. E estive tentando não dizer isso. Estive tentando tanto ignorar e ocultar e não dizer. E Jackson é um ótimo cara. Ele é, e ele... ele é lindo, e é mais novo que você, e não tem nenhum neto ou-ou filhos com sua melhor amiga lésbica, e ele é um Avery, e-e ele gostava de mim, sabe? Ele... gostava mesmo de mim. Mas nunca ia dar certo, porque eu amo você. Estou muito apaixonada por você. E você, você... você está em mim. É como se você fosse uma doença. É como se eu estivesse toda infectada por Mark Sloan. E eu simplesmente não consigo... [voz tremula] Não consigo pensar em mais nada ou ninguém, e eu não consigo dormir. [chorando] Não consigo respirar, nem comer. E eu amo você. Eu só... amo você o tempo todo, todos os minutos de todos os dias. E eu-eu... eu amo você. Deusa, isso é bom, só dizer isso... para... eu... eu me sinto muito melhor. Só... eu amo você.

Examinador: Você parece muito segura de si mesma.
Cristina: Desculpe, isso foi uma pergunta?
Examinador: Se sente ameaçada?
Cristina: Ah. Já passamos pra psicologia?
Examinador: Acho sua hostilidade curiosa.
Cristina: Estou curiosa sobre o motivo de você me achar hostil.
Examinador: Sabe, se não concorda com minha abordagem, gostaria que vocalizasse seus problemas.
Cristina: Eu não descordo.
Examinador: Eu não acredito em você.
Cristina: Está me chamando de mentirosa, senhor? Certo. Quer saber? Mais cedo, quando eu disse que estava bem com aquele procedimento aberto, eu não estava. Poderia ter dado certo quando Hawkeye e BJ fizeram em MASH. Mas, sendo este o novo século e tal, eu teria, como disse antes, tratado por endoscopia.
Examinador: Então mentiu mais cedo.
Cristina: Sabe, ah, deusa. Eu posso responder essas perguntas de qualquer forma que queira usando técnicas médicas de qualquer era. Portanto, que tal se nós só... Sabe, escolha uma década com a qual esteja confortável e parta daí.
Examinador: Então, tá. Foi um prazer ser testemunha de tamanha genialidade. Agora eu posso finalmente me aposentar sabendo que uma mente tão avançada e criativa atua no campo cirúrgico.
Cristina: É isso?
Examinador: Ah, eu acho que já tivemos bastante educação por hoje, Dra. Yang.
Cristina: Mas... ainda faltam vinte minutos.
Examinador: Não precisa. Hm, boa sorte.

[Meredith narrando]: Admito que os Romanos tinham um ponto. Você precisa viver a vida. E viver quer dizer que toda manhã que acordar, você precisa escolher entre aproveitar o que avida tem a oferecer no momento e seguir em frente, não importa o tempo, ou fechar as cortinas e desperdiçar o dia.

Migration [8.23]Editar

[Meredith narrando]: Tem um pássaro, algum de tipo de gaivota, eu acho. Em setembro, eles deixam a chuvosa Seattle para passar o inverno no México. Esses pássaros não são burros. E, todo ano, as pessoas se reúnem em Seattle para beber cerveja e ver a revoada. Chamam isso de a Grande Migração.

Alex: Hopkins!
Cristina: Hm, Hopkins não está na jogada.
Alex: Não pra você, pra mim! Hopkins! Hopkins me quer, HOPKINS ME QUER!
Cristina: Johns Hopkins? O hospital? Não a Escola de Refrigeração Hopkins?
Meredith: [ao mesmo tempo] Alex, como?
Alex: Eu meio que reclamei com o Chefe de Cirurgia deles na minha prova e acho que ele ficou impressionado.
Cristina: Então eles sabem que você não presta.
Alex: Sabem! E me querem! Hopkins me quer!
Meredith: [sorrindo] Não estou nem um pouco surpresa.
Cristina: Estou cem por cento surpresa.
[Alex olha pra Cristina e se vira pra ir embora]
Cristina: Hey.
[Alex se vira]
Cristina: [dá um abraço nele] Bom trabalho, Diabo.
Alex: [sorri e se vira e vai embora feliz] Isso! Hopkins!

Derek: Como está Julia? Já a engravidou?
Mark: Estava pronto pra isso, mas aí Lexie... me disse que está apaixonada por mim.
Derek: Ah... O que você disse?
Mark: Eu disse, “obrigado pela sinceridade”.
Derek: "Obrigado pela sinceridade"?
Mark: O que eu deveria fazer?
Derek: Hm, não sei, beijar ela?
Mark: Julia está em uma conferência, não sou traidor. [Derek olha pra ele] Normalmente.

Webber: Hopkins não retirou a oferta, retirou?
Alex: Eles, hm, me deram o rodizio internacional e as despesas da mudança, e cuidaram de todos os meus empréstimos. Universidade. Faculdade de medicina.
Webber: Isso.
Alex: Estão até oferecendo uma quantia para pagar uma hipoteca. Dá pra comprar uma casa.
Webber: Ótimo.
Alex: Me deram tudo o que eu pedi. Assim como Hunt.
Webber: Então por que não está comemorando?
Alex: Ninguém nunca me quis desse jeito.
Webber: Você só não reconhece a vista, Karev. O público indo a loucura, as pessoas tirando fotos, a fita se rompendo à medida que você a ultrapassa.
Alex: Do que está falando?
Webber: De como é quando você termina em primeiro.

[Meredith narrando]: Não sei como aqueles pássaros conseguem. Viajam milhares de quilômetros sem se perder. Colidindo com janelas, sendo comidos por gatos. Mas, toda primavera, eles estão aqui. Acho que voltam para onde conhecem. As pessoas dizem que é bem legal vê-los irem. Dizem que você consegue ver o momento no qual, a um misterioso sinal, todos de uma vez, os pássaros decidem ir embora. Então, talvez eu esteja perdendo alguma coisa. Tanto faz. Há sempre o próximo ano.

Flight [8.24]Editar

Cristina: Se tem uma coisa que eu aprendi com todas as bombas, e armas apontadas pra minha cabeça, e-e ônibus passando por cima dos meus amigos é que eu não estou interessada em morrer! Eu quero sair daqui! E quero ir pra casa! E todo mundo tem que ajudar.

Callie: Ah, que peninha, pobre April não passou na prova. Grande coisa, viu? Eu fui demitida do cargo de residente chefe e depois fui demitida desse hospital. Ah, meu marido me traiu-
April: Você foi casada? Com um homem?
Callie: [séria] E depois ele morreu. E eu não achei que seria feliz de novo. Mas, agora? Minha vida está maravilhosa. Você está passando por um momento difícil. Não é nada! É uma pedrinha! E, nesse meio tempo, você está perdendo seu momento! Você sobreviveu a residência! Pare, e celebre isso. Porque a vida? Muda em um instante. Sem avisos. Num minuto você está triste, e no próximo, você é a mulher mais feliz do mundo e está apaixonada. Esse momento, o seu momento, só acontece uma vez.

[Meredith narrando]: Os anos que passamos como residentes cirurgiões são os melhores e os piores das nossas vidas. Seremos forçados ao limite. Essa é a linha de chegada. Essa é nossa arena. Como jogamos? Depende de nós.

Mark: Você está indo bem.
Lexie: Mark...
Mark: Cristina... Cristina vai voltar a qualquer momento.
Lexie: Mark...
Mark: Ela vai voltar, e nós vamos estabilizar você, e você vai ficar boa, certo?
Lexie: Não, Mark...
Mark: Só mais um pouco, tá? Ela vai voltar a qualquer minuto.
Lexie: Mark, eu... estou morrendo.
Mark: Que? Não, não está.
Lexie: Aham, estou. Por favor... diga... [chorando] Diga a Meredith que eu a amo. E que ela é uma boa irmã. Por favor, d-diga ao meu pai...
Mark: Você não está morrendo. Você vai ficar bem.
Lexie: Segure a minha mão.
Mark: Não vou segurar sua mão porque você não está morrendo.
Lexie: Segure minha mão.
Mark: Não, não está morrendo. Está me ouvindo? Você não vai morrer hoje. [tenta tirar o avião de cima dela de novo, e se dá conta, e se deita no chão e segura sua mão] Eu amo você.
Lexie: Você não precisa dizer só porque eu disse.
Mark: Eu amo. Amo você. [olhos marejados] Eu amo você. Sempre estive apaixonado por você. Sempre estarei apaixonado por você.
Lexie: Sério?
Mark: Sério. É por isso que você tem que ficar viva. Nós- nós- nós vamos casar. E você vai ser uma ótima cirurgiã. E nós vamos ter dois ou três filhos.

Lexie: Pra Sofia ter irmãos.

Mark: Sim. Uma irmã e dois irmãos.
Lexie: Parece ótimo.
Mark: E... nós vamos ser felizes, Lex... você e eu. Vamos ter a melhor vida, Lexie. Você e eu. Vamos ser tão felizes. Então, não pode morrer, certo? Não pode morrer, porque nós devemos terminar juntos. Fomos destinados a isso. [começa a chorar]
Lexie: Destinados a ser. [ela morre]
Mark: Eu amo você. Eu amo você. Eu amo você. Eu amo você. Eu amo você. Eu amo você.

Bailey: Quando você divide sua vida com uma pessoa, você conversa com ela, pensa com ela, toma decisões com ela, você é leal a ela.

ElencoEditar



Temporadas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 | Geral