Grey's Anatomy (Temporada 1)

Temporadas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 | Geral

Grey's Anatomy (2005 – ?) é um dos mais bem-sucedidos dramas médicos da atualidade. Foi criada por Shonda Rhimes

Season 1Editar

A Hard Day's Night [1.1]Editar

[Meredith narrando]: O jogo. Dizem que ou uma pessoa é boa o suficiente para jogar, ou ela não é. Minha mãe era uma das melhores. Eu, por outro lado, estou meio ferrada.

Bailey: Eu tenho cinco regras. É bom decorá-las. Número 1: não percam tempo puxando saco. Odeio vocês. Isso não vai mudar. Protocolos de trauma, lista telefônica, bipes, as enfermeiras biparão vocês. Irão responder cada chamada já correndo. Correndo! Essa é a regra número 2. Seu primeiro plantão começa agora e dura 48 horas. São internos, lixos, o nível mais baixo da cadeia alimentar cirúrgica. Fazem testes, anotam ordens, trabalham cada noite até desmaiarem e não reclamam. Salas de espera. Os médicos as adoram. Durmam quando puderem, onde puderem, o que nos leva à regra número 3. Se eu estiver dormindo, não me acorde se seu paciente não estiver morrendo. Regra número 4: é bom que o moribundo não esteja morto quando eu chegar lá. Não só terá matado alguém, como me acordado em vão. Fui clara?
[Meredith levanta a mão]
Bailey: Sim?
Meredith: Você disse cinco regras. Só foram quatro.
Bailey: Regra número cinco: quando eu me mexo, vocês se mexem.

Webber: Cada um de vocês chega aqui esperançoso. Querendo entrar no jogo. Há um mês vocês estavam na faculdade de medicina sendo ensinados a serem médicos. Hoje, vocês são os médicos. Os onze anos que passarão como cirurgiões residentes serão os melhores e os piores das suas vidas. Vocês serão pressionados ao extremo. Olhem em volta. Digam olá aos seus competidores. Oito de vocês mudarão para uma especialidade mais fácil. Cinco de vocês não aguentarão a pressão e dois de vocês serão convidados a sair. Esse é o ponto de partida. Essa é sua arena. O quão bem vocês jogam? Agora é com vocês.

Meredith: Dr. Shepherd.
Derek: Dr. Shepherd? Nessa manhã eu era Derek, agora é Dr. Shepherd.
Meredith: Dr. Shepherd, nós deveríamos fingir que nada aconteceu.we should pretend it never happened.
Derek: O que nunca aconteceu? Você ter dormido comigo noite passada? Ou você me expulsando hoje de manhã? Porque as duas são ótimas memórias para se agarrar.
Meredith: Não, não haverão mais memórias. Eu não sou mais a garota no bar e você não é mais um cara no bar. Isso não pode acontecer. Você entende, certo?
Derek: Você se aproveitou de mim e agora quer esquecer?
Meredith: Eu não me aproveitei-
Derek: Eu estava bêbado, vulnerável e de boa aparência e você se aproveitou.
Meredith: Certo, eu quem estava bêbada e você NÃO é tão bonito assim.
Derek: Talvez não hoje, mas noite passada eu era muito bonito. Eu estava com minha camisa vermelha, minha camisa muito bonita e você se aproveitou.
Meredith: Eu não!
Derek: Gostaria de se aproveitar novamente, digamos, sexta de noite?
Meredith: Não! Você é um atendente e eu sou sua interna! Para de me olhar desse jeito.
Derek: Como?
Meredith: Como se tivesse me visto nua.
[Derek ri]

Meredith: Queria que eu quisesse ser chef, ou instrutora de ski, ou professora de jardim de infância.
George: Sabe, eu teria sido um ótimo carteiro. Sou bastante confiável.
[Meredith ri]
George: Meus pais contam a todos que conhecem que o filho deles é cirurgião. Como se fosse uma grande realização. Super-herói ou algo do tipo. Se eles pudessem me ver agora...
Meredith: Quando eu falei pra minha mãe que queria ir pra faculdade de medicina, ela tentou me convencer a desistir. Disse que eu não tinha o necessário pra ser cirurgiã. Então, pelo meu ponto de vista, super-herói parece muito bom.

Derek: Isto é…
Meredith: Humilhante de diversas formas. Você tem que ir embora.
Derek: Por que você não volta aqui pra baixo e nós continuamos de onde paramos?

Meredith: Sabe, nós não temos que fazer isto.
Derek: Oh, nós podemos fazer o que você quiser.
Meredith: Não, essa coisa de trocar detalhes, fingir que nos importamos...

Meredith: Olha, eu vou lá para cima tomar banho, ok? E quando eu descer, você não vai mais estar aqui, então, adeus...hmm...
Derek: Derek.
Meredith: Derek! Certo, Meredith.

Meredith: Apenas durma.
Katie Bryce: Eu não consigo dormir, minha cabeça esta cheia.
Meredith: Isso chama-se pensar.

George: Então, a sua cirurgia de colocação do marcapasso é amanhã com o Dr. Burke. Eu ouvi dizer que ele é bom. E depois disso, pode comer todo o bacon com sabor de soja que conseguir.
Mr. Savitch: Mmm. Mate-me agora.
George: Quem me dera poder... mas sou médico!

George: Este turno é uma maratona, não uma corrida de velocidade. Coma.
Izzie: Não consigo.
George: Mas precisa comer alguma coisa.
Izzie: Tente comer depois de fazer 17 exames rectais. A Nazi me odeia.
George: Ah! Você tem sorte! A Nazi é uma residente. Eu tenho atendentes me odiando.

Cristina: Katie compete em concursos de beleza.
Derek: Eu sei, mas temos que lhe salvar a vida da mesma forma.

George: 007. Eles estão me chamando de 007, não é?
Meredith e Izzie: Ninguém está te chamando de 007.
George: Eu estava no elevador e Murphy sussurrou 007..
Cristina: Okay, quantas vezes vamos ter que passar por isso, Geoege? Cinco, dez vezes? me dê um número ou algo assim senão vou te machucar.
George: Murphy sussurrou 007 e todos riram
Izzie: Ele não estava falando de você.
George: Você tem certeza?
Meredith: Eu mentiria para você?
George: Sim.

Cristina: [referindo-se a George] Totalmente 007.
Izzie: 007? O que é 007?
Meredith: Licença para matar.

Burke: A unica pessoa que pode cumprir uma promessa tão grande é Deus e eu não o tenho visto pegar num bisturi ultimamente.

Cristina: Devia dormir um pouco, sua aparência está horrível.
Meredith: Estou melhor que você.
Cristina: Impossível.

[Meredith narrando]: Não consigo imaginar uma única razão sobre por quê eu deveria ser cirurgiã, mas consigo imaginar milhões de razões para desistir. Eles dificultam de propósito. Há vidas nas nossas mãos. Chega um momento em que é mais do que um simples jogo, e ou você segue em frente ou dá meia volta e vai embora. Eu poderia desistir, mas aí é que está, eu amo o campo de batalha.

The First Cut is the Deepest [1.2]Editar

[Meredith narrando]: É tudo uma questão de linhas. A linha de chegada no fim de uma residência hospitalar. A linha de espera por uma chance de operar. E aí tem a linha mais importante de todas: a que separa você das pessoas com quem trabalha. Não te ajuda nada chegar perto delas. Nem fazer amigos. É preciso ter limites entre você e o resto do mundo. As outras pessoas são complicadas demais. É tudo uma questão de linhas. Você desenha linhas na areia e depois reza pra que ninguém as atravesse.

Bailey: Todos internos querem realizar sua primeira cirurgia. Essa não é sua função. Sabe qual sua função é? Deixar seu residente feliz. Eu pareço feliz? Não! Por que? Porque meus internos estão resmungando. Sabem o que vai me deixar feliz agora? Ter alguém nos códigos, outro alguém atendendo os traumas, os exames distribuídos e alguém lá embaixo fazendo as suturas. Ninguém segura o bisturi até eu ficar tão feliz que pareça a Mary Poppins.

Derek: Seattle tem balsas.
Meredith: Sim.
Derek: Eu não sabia. Eu moro aqui há seis semanas, não sabia que haviam balsas aqui.
Meredith: Seattle é rodeado de mar por três lados.
Derek: Por isso as balsas. Agora eu tenho que gostar daqui. Não estava planejando gostar daqui. Sou de Nova Iorque, sou geneticamente projetado pra odiar todos os lugares. Exceto Manhattan. Eu tenho uma coisa por balsas.
Meredith: Eu não vou sair com você.
Derek: Eu te convidei para sair comigo? Você quer sair comigo?
Meredith: Não vou ter um encontro com você e definitivamente não vou transar com você de novo. Você é meu chefe!
Derek: O chefe da sua chefe.
Meredith: É meu professor e professor da minha professora. E você é meu professor.
Derek: "Sou sua irmã. Sou sua filha."
Meredith: Você está me assediando sexualmente.
Derek: Estou em um elevador.
Meredith: Olha, estou desenhando uma linha. A linha está desenhada. É uma linha bem grande.
Derek: Bem, essa linha é imaginária ou eu preciso te arranjar uma caneta? [Ela pula nele e começam a se beijar] [Meredith sai do elevador, passa pelas pessoas que estão esperando. Ele grita:] Nós nos falamos depois?

Burke: Que - que diabos é isso? Alguém sabe o que é isso?
Meredith: Meu Deus!
Burke: [segurando parte do corpo] O que é isso, Grey?
Meredith: Ela arrancou com uma mordida...
Burke: O que é isso? Desembucha, Grey.
Meredith: É o... pênis dele.

Cristina: [para George] Bambi, não diga mais nenhuma palavra depois que o caçador matar sua mãe.
George: Eu não gosto de você.

Meredith: Custódia de um pênis?
Chefe: Sim, até que os policiais venham procurá-lo.
Meredith: Ok. E o que eu devo fazer com o pênis?

Cristina: O que você está fazendo?
Meredith: Só sentada aqui com o meu pênis, sabe?

George: Sabe do que você precisa? [levanta a sobrancelha para ela]
Meredith: Não. Isso é doentio. Dissemos da última vez que seria a última vez. [George faz cara de culpado] Você tem feito sem mim?
George: Nancy Reagan mentiu. Você não pode dizer não. Vamos lá!
Meredith: Você sabe o que aconteceria se alguém descobrisse?
George: Eu vou fazer. Você pode vir comigo ou ficar aqui se sentindo miserável. [A cena muda para bebês recém-nascidos e George conversa com eles com voz de bebê]
George: Olha só pra você! Tão bonitinho com o seu chapeuzinho amare--
Meredith: [risos] Você é uma mulherzinha.

Izzie: Eu não chamaria você, mas não consigo encontrar um tradutor. Você pode perguntar à ela o que há de errado?
Cristina: Não.
Izzie: Por que não?
Cristina: Eu cresci em Beverly Hills. O único chinês que eu conheço é o menu do Sr. Chow's. Além disso, eu sou coreana.

Bailey: [Durante a cirurgia com o estuprador que teve seu pênis arrancado pela mordida da garota que ele estuprou] Doutores, por que não tentamos recolocar o pênis?
Cristina: Porque dentes não fazem um corte limpo, e se ela quisesse cortá-lo, as coisas seriam diferentes. Além disso, os sucos digestivos não deixaram muito da carne para podermos trabalhar
Bailey: Então como ele vai ficar?
Meredith: Ele irá urinar num saco por um longo tempo, menos uma grande parte das jóias da família.
Cristina: Sem mencionar que ele nunca mais poderá fazer sexo.
Meredith: Ah, que pena.
Cristina: Pena.
Bailey: Vamos todos lamentar por um momento!

Alex: Minha cabeça dói.
Cristina: Talvez seja um tumor.
Alex: Bem que você queria.

Meredith: A polícia disse que não pode mandar um criminalista até amanhã. Então terei que passar o resto da noite com o meu pênis!.. Alex, fica quieto.
Alex: Aw, era muito fácil, de qualquer jeito.

George: Quem aqui sente que não faz ideia do que está fazendo? [Todos levantam as mãos]

Burke: Qualquer coisa que disser nos próximos 30 minutos será permitida. Começando agora.
Bailey: Eu acho que você é metido. Arrogante. Mandão e agressivo. Você também tem um complexo de deus e não pensa em ninguém além de si próprio.
Burke: Mas eu--
Bailey: Mas nada! Eu ainda tenho 23 segundos e não acabei!

George: Me sinto como o anjo da morte.
Cristina: Bambi, para de reclamar. 95% dos pacientes no código não podem ser revividos. A maioria já está seriamente morta antes de você chegar lá.
George: Por que não me falou antes, quando eu estava me gabando sobre como seria ótimo...
Cristina: Porque você é o George, e eu sou a Cristina.

Derek: Então, estamos nos beijando mas não namorando?
Meredith: Sabia que teríamos que teríamos que discutir isso.
Derek: Não me entenda errado: eu gosto de beijar. Sou super a favor de beijar. Mais beijos, eu diria.
Meredith: Não faço ideia do que aquilo foi.
Derek: Irá acontecer novamente? Me deixe saber da próxima vez. Eu levarei mais balinhas. Colocarei uma camisinha na minha carteira.
Meredith: Cala a boca agora.

Burke: Acho que deveria saber que Richard prometeu a chefia a nós dois. [Derek finge surpresa] Mas você já sabia disso.
Derek: É, bem, mantenha os amigos perto e os inimigos mais perto ainda.
Burke: Não, você não é o inimigo, apenas a competição.

Dr. Shepherd: [para uma paciente e estuprador cuja vítima arrancou seu pênis a mordidas] Eu tenho boas e más notícias. A boa é que Dr. Bailey conseguiu estancar o sangramento. A má é que nós entregamos seu pênis para a polícia. Tenha uma boa vida.

Meredith: Tá bom, George e Izzie, vocês podem se mudar para a casa.
George e Izzie: Isso!
George: Não acredito que você concordou!
Meredith: Não acredito que eu concordei.
Cristina: Eu culpo os bebês, eles te fazem tóxicos.

Derek: Então, é bastante intensa. Essa coisa que eu tenho. Por balsas, eu quero dizer.
Meredith: Definitivamente pegarei as escadas da próxima vez.
Derek: Nenhum auto-controle. É triste. Sério.

[Meredith narrando]: Em algum momento, você tem que tomar uma decisão. Limites não mantêm os outros de fora, eles te prendem dentro. A vida é uma bagunça, é assim que somos feitos. Então você pode desperdiçar sua vida desenhando linhas ou pode vivê-la atravessando-as. Mas, existem algumas que são muito perigosas de se atravessar. É isso o que eu sei, se estiver disposto a tentar, a vista do outro lado.. é espetacular.

Winning a Battle, Losing the War [1.3]Editar

[Meredith narrando]: Nós vivemos nossas vidas na unidade cirúrgica. Sete dias da semana. Catorze horas por dia. Nós estamos juntos mais do que separados. Depois de um tempo, a residência cirúrgica torna-se um estilo de vida. Número um: conte todos os pontos. Número dois: faça o possível pra ser mais esperta que os outros. Número três: não faça amizade com o inimigo. Ah, é, número quatro: tudo, tudo é uma competição. Quem quer que tenha dito que vencer não é tudo, nunca segurou um bisturi.

Dr. Bailey: Idiotas em bicicletas se matando. Seleção natural é o que isso é.

Cristina: É tipo doce, só que com sangue, o que é muito melhor.

Mackie: Não, câncer de fígado me matará. Fumar apenas acelerará o processo.
[vê Derek encarando furioso pela janela]
Meredith: O que você quer?
Derek: Você beija pacientes agora?
Meredith: Está com ciúmes?
Derek: Não tenho ciúmes.
Meredith: Nós transamos, uma vez.
Derek: E nos beijamos no elevador.
Meredith: E nos beijamos no elevador, uma vez.
Derek: Sério, sai comigo.
Meredith: Não.
Derek: Sabe, eu quase morri hoje. É, eu cheguei bem perto. Como se sentiria se eu tivesse morrido e você perdesse a chance de sair comigo?
Meredith: Para com isso.
Derek: Vamos lá!
Meredith: É a caçada, não é?
Derek: O quê?
Meredith: A emoção da caçada. Tenho me perguntando por quê você estaria tão determinado em me fazer sair com você. Você sabe que é meu chefe. Sabe que é contra as regras. Sabe que eu continuo negando. É a caçada.
Derek: Bem, é divertido, não?
Meredith: Tá vendo? Isso é um jogo pra você, mas pra mim, não. Porque, diferentemente de você, eu ainda tenho algo a provar.

Cristina: [para Meredith sobre Izzie] Ela é a Vice Presidente da Fantasilândia.

Meredith: [sobre seus novos colegas de quarto, George e Izzie] Eles estão em todo lugar. O tempo todo. Izzie é toda alegre e George faz isso de ser todo prestativo. Eles dividem comida, e conversam, e mexem as coisas, e respiram. Ugh, eles são, tipo.. felizes.
Cristina: Expulse-os.
Meredith: Não posso expulsá-los, acabaram de se mudar. Eu os convidei.
Cristina: Então você simplesmente vai reprimir tudo em algum lugar fundo, escuro e perturbado até que um dia você exploda e mate eles?
Meredith: Aham.
Cristina: Por isso que somos amigas.

[Meredith narrando]: Há uma outra forma de vencer essa competição. Uma forma que ninguém parece te contar. Uma que você precisa aprender sozinho. Número cinco: não tem nada a ver com a corrida. Não há ganhadores ou perdedores. Vitórias são contadas pelo número de vidas salvadas. E, de vez em quando, se você for esperto, a vida salva pode ser a sua.

No Man's Land [1.4]Editar

[Meredith narrando]: Intimidade é uma palavra de cinco sílabas, que quer dizer: “Eis meu coração e minha alma, por favor faça um hambúrguer e aproveite”. É tão desejada quanto temida. Difícil de viver com, impossível de viver sem. Ela também vem junto de três coisas inevitáveis: família, romance e certos amigos. De certas coisas não se pode escapar. E outra, você simplesmente não quer saber.

George: Você não entende. Eu - testículos. Você - ovários.
Izzie: Ah [rindo], isso me lembra que está faltando absorventes.
George: Você fica andando no banheiro, só de calcinha, enquanto eu estou no chuveiro!
Izzie: Pode colocar na lista, por favor?
George: O quê?
Izzie: Absorventes!
Meredith: Para a lista. É sua vez.
George: Eu sou homem! Não quero comprar produtos femininos. E não quero você andando pelo banheiro enquanto estou usando. E não quero ver você só de calcinha!
Izzie: Não me incomoda, tá? Pode me ver de calcinha, George. Leve seu tempo, não tem problema nenhum.

Derek: Achei que poderia comprar café da manhã antes das suas rondas.
Meredith: Eu já comi.
Derek: Ah, o que você comeu?
Meredith: Não é da sua conta.
Derek: Cereal? Direto da caixa ou você só come frutas e fibras? Panquecas! Você gosta de panquecas?
Meredith: Certo, queijo quente de ontem. Satisfeito?
Derek: Isso é triste. Patético. Um bom dia começa com um bom café da manhã.

George: Precisam existir algumas regras.
Meredith: Então podemos andar com roupas íntimas em Terças alternadas? Ou você só pode ver sutiãs, mas não calcinhas? Ou você está falando sobre regras Amish? Porque se acha que consegue fazer com que Izzie se cubra...
George: A quantidade de carne exposta não é o problema. Você tem que fazer alguma coisa, a casa é sua.
Meredith: A casa é da minha mãe.
George: Meredith!
Meredith: Você gosta da Izzie? É por isso? Você tem uma paixonite por Izzie?
George: Izzie? Não! Eu não gosto da Izzie. Não! Não é por ela que me sinto atraído.
Meredith: Não é ela. Então tem alguém?

Alex: Grey e Stevens realmente andam por aí só de calcinha?
George: Um... não o tempo todo. Quer dizer, a maior parte, mas não o tempo todo.
Alex: Calcinhas sexys?
George: Sim...
Alex: E elas simplesmente te deixam olhar?
George: Bem, uh... sim.
Alex: Como irmãs?
George: Não! Sem ser como irmãs. Uh... não! Eu não penso nelas como irmãs.
Alex: Mas elas não chegam em você?
George: Não exatamente.
Alex: Elas não esperam que você faça alguma coisa.
George: Não.. Mas...
Alex: Como irmãs. Exatamente como irmãs.

Derek: O que vocês acham?
George: RMI
Alex: Brilhante! O cara tem pregos na cabeça, então vamos colocá-lo num imã gigante.

Izzie: [em pé no banheiro, fora do chuveiro, onde George está, procurando por absorventes]’’ Absorventes, George. Eu realmente preciso de alguns absorventes!
George: Eu esqueci de comprar.
Izzie: Não. ‘’[Ela abre a porta do chuveiro]’’ Você é tão passivo agressivo!
George: Pelado! Estou pelado no chuveiro!
Izzie: [fecha a porta do banheiro]’’ Só absorventes, George. Eu realmente precisava. Meu Deus!
[Meredith entra]
Izzie: Não vou no mesmo carro que ele.
Meredith: [olha pra Izzie, que está apenas de calcinha] Se for assim, não vai comigo também. Cadê os absorventes?
Izzie: Ele não comprou.
Meredith: [para George]’’ Você não comprou?
George: Homens não compram absorventes!
Izzie: [abre a porta do chuveiro de novo, George cai] Quer saber? Vai ter que superar essa masculinidade toda, George! Nós somos mulheres! Temos vaginas! Se acostume!
George: [caído na banheira] Eu não sou sua irmã!

Cristina: Às vezes é doloroso, sabe, estar perto de você.

Bailey: [para Izzie] Claro que agora você sabe que toda vez que ele tiver uma ereção, estará pensando em você.

[Meredith narrando]: Gostaria que houvesse um livro de regras sobre intimidade. Algum tipo de guia que dissesse quando você ultrapassou o limite. Seria legal poder prever. Mas a intimidade não pode ser classificada. Você a agarra onde puder, e a mantém o quanto conseguir. E quanto as regras, talvez não haja nenhuma, talvez seja algo que devemos definir nós mesmos.

Shake Your Groove Thing [1.5]Editar

[Meredith narrando]: Lembra-se de quando era criança e a maior preocupação era se ganharia uma bicicleta de aniversário ou se poderia comer biscoitos no café da manhã? Ser adulto? Totalmente superestimado. Quer dizer, sério, não se engane por todos os belos sapatos e ótimo sexo e não ter os pais por pertos dizendo o que fazer. Ser adulto é ter responsabilidade. Responsabilidade é uma droga. Muito, muito ruim. Adultos têm que ir a lugares e fazer coisas e ganhar dinheiro e pagar as contas. E, se estiver treinando para ser cirurgião, segurar um coração humano nas suas mãos, oi? Isso é que é responsabilidade. Até faz bicicletas e biscoitos parecem ótimos, não? A pior parte sobre responsabilidade? Quando você era e a deixa escorrer pelos dedos.

Derek: Deixe-me leva-la pra jantar hoje de noite. Você pode me falar tudo. Comida de verdade, garçons, grandes cestas de carboidrato.
Meredith: Não posso.
Derek: Esqueça a festa.
Meredith: Você sabe sobre a festa?
Derek: Seus amigos estarão na festa. Você e eu podemos ficar sozinhos em outro lugar.
Meredith: Como sabe sobre a festa?
Derek: Valeu por não me convidar, falando nisso. Foi muito bom. Jantar, pense no jantar, oportunidade perfeita.

Meredith: Nós somos adultos. Quando isso aconteceu? E como fazemos parar?

Derek: [Chega na casa de Meredith e a vê bebendo tequila e dançando na varanda] Sabe, em alguns estados, você poderia ser presa por isso ‘’[Ela se aproxima]’’ Então, você me deu um fora por uma garrafa de tequila? Tequila não faz bem. Não liga, não escreve, não é nem um pouco divertida de se acordar.
Meredith: Me leva pra uma volta, Derek.

[Meredith narrando]: Responsabilidade é mesmo ruim. Infelizmente, quando você passa da idade de usar aparelhos ou sutiãs de enchimento, ela não vai embora. Não pode ser evitada. Ou alguém nos faz encará-la ou nós sofremos as consequências. Ser adulto tem suas vantagens. Quer dizer, os sapatos, o sexo, não ter os pais dizendo o que fazer. Isso é muito bom.

If Tomorrow Never Comes [1.6]Editar

[Meredith narrando]: Há alguns anos, Benjamin Franklin compartilhou com o mundo o segredo de seu sucesso. “Nunca deixe para amanhã”, ele disse, “o que você pode fazer hoje”. Esse é o homem que descobriu a eleticidade. Você acha que mais de nós escutaria o que ele tem a dizer. Não sei porque adiamos as coisas, mas se tivesse que adivinhar, diria que tem muito a ver com medo. Medo de falhar. Medo de rejeição. Às vezes, medo de tomar uma decisão, porque e se estiver errada? E se você fizer um erro que não pode ser concertado? Qualquer que seja o medo, uma coisa é verdade. Quando a dor de não ter feito a coisa fica maior do que o medo de fazê-la, pode parecer que estamos carregando um tumor gigante. E você pensou que eu estava falando metaforicamente.

George: [George carrega café para o quarto de Meredith. Ele chega a porta e tenta abri-la, mas acaba derramando café em cima dele] Ah! Quente!
Izzie: Não seria mais fácil apenas convidá-la para sair?

George: Ela vai se atrasar.
Izzie: Talvez não.
George: Devíamos esperar por ela.
Izzie: Definitivamente não. Eu não sou a mãe dela e você não é o namorado.'[rindo]’ Pelo menos não ainda.
George: Para, eu falei que não estou interessado.
Izzie: A vida é cura, George, você realmente quer morrer antes de convidá-la pra sair?
George: Eu não quero convidá-la pra sair.
Izzie: Você realmente quer morrer sendo mentiroso?
George: Eu não estou... morrendo.

Izzie: [para um paciente que vomitou em Alex]Você é minha pessoa preferida de hoje.

[Meredith narrando]: Deus ajuda quem cedo madruga. Assa-se o pão enquanto está quente. Quem hesita está perdido. Não adianta fingir que ninguém nos avisou. Todos ouvimos os provérbios, ouvimos os filósofos, ouvimos nossos avós nos avisando sobre desperdiçar o tempo, ouvimos os malditos poetas nos alertando para aproveitr o dia. Mesmo assim, às vezes nós temos que ver por nós mesmos. Aprender com nossos próprios erros. Aprender nossas próprias lições. Temos que varrer as possibilidades de hoje debaixo do tapete de amanhã até não podermos mais, até finalmente compreendermos o que Benjamin Franklin quis dizer. Que saber é melhor do que se perguntar, que acordar é melhor do que dormir. E que até mesmo a maior derrota, até mesmo o pior erro é muito melhor do que não tentar.

The Self Destruct Button [1.7]Editar

[Meredith narrando]: Ok. Quem disse que você pode dormir depois que morrer, pode vir falar comigo depois de alguns meses como interno. Claro que não é apenas o trabalho que nos mantém acordados de noite. Quer dizer, se a vida já é tão difícil, porque colocamos mais problemas? Por que temos necessidade de apertar o botão da autodestruição?

Cristina: Conta.
Meredith: Não há nada pra contar.
Cristina: Isso diz tudo.
Meredith: Desculpa, eu tenho uma vida sexual.
Alex: Não se desculpe, abrace-a, compartilhe-a. Pode contar comigo.
Izzie: Mas da próxima vez, me avisa se eu preciso ir para um hotel pra conseguir dormir um pouco.
Meredith: Estou perdendo alguma coisa?
George: Um pouco alto demais.
Cristina: Eles sabem que é o McDreamy que os mantêm acordados a noite toda?
Meredith: Espero que não.

George: [para Derek sobre Meredith] Ela é ótima, sabia?

Meredith: Você ainda não sabe, mas a vida não é pra ser assim. Não é pra ser tão difícil assim.

[Meredith narrando]: Talvez nós gostemos da dor. Talvez sejamos programados desse jeito. Porque sem isso, não sei, talvez nós não nos sentiríamos reais. Como é aquele ditado? Por que eu continuo me machucando com um martelo? Porque me sinto tão bem quando eu paro.

Save Me [1.8]Editar

[Meredith narrando]: Sabe quando você é uma criança e acredita em contos de fadas? Aquela fantasia sobre como sua vida seria- vestido brando, príncipe encantado que a carregaria para um castelo nas montanhas. Você se deitava na cama de noite e fechava os olhos e tinha completa fé. Papai Noel, fada dos dentes, príncipe encantado- eles estavam tão pertos que você podia cheirá-los. Mas uma hora você cresceu, abriu os olhos e os contos desapareceram. A maioria das coisas se tornaram coisas e pessoas em que se podem confiar. Mas o negócio é que é difícil desapegar totalmente do conto de fadas, porque quase todo mundo tem aquela pontinha de esperança e fé de que algum dia eles vão abrir os olhos e tudo se tornará realidade.

Cristina: Ok, sabe a parte da conversa?
Moça na Clínica de Aborto: Sim?
Cristina: Não estou interessada.

Derek: Sou cirurgião, não tenho nenhum amigo.

Meredith: [Querendo mais detalhes sobre a vida de Derek] Quero fatos, e até tê-los, minhas calças permanecerão.
Derek: Ou então você poderia lidar com isso, ser flexível. Ver o que acontece.
Meredith: Não sou flexível.
Derek': [ri] Eu discordo. A gente vai descobrindo aos poucos. Essa é a parte divertida, sabe? É essa a emoção.

Meredith: Bem, você estava errado. Você nem sempre consegue o que espera, não é mesmo?

Meredith: É só que eu não sei quase nada sobre você.
Derek: Sabe que eu sou de Nova York. Sabe que eu gosto de balsas.
Meredith: Já chega de balsas. E os seus amigos?
Derek: Sou cirurgião. Não tenho amigos.
Meredith: Todo mundo tem amigos. Quer dizer, com quem você sai? O que faz nas suas folgas? São perguntas importantes.
Derek: Ah, importantes pra quem?
Meredith: Nós estamos tendo sexo todas as noites. Acho que mereço alguns detalhes.
Derek: Você tem mais detalhes do que a maioria.

[Meredith narrando]: Mas o negócio é que é difícil abrir mão do conto de fadas completamente porque quase todo mundo ainda tem aquela pontinha de esperança e fé de que algum dia eles vão abrir os olhos e tudo terá se tornado realidade. No fim do dia, a fé é uma coisa engraçada. Ela acende quando você menos espera. É como se um dia você se desse conta de que o conto é minimamente diferente do que seu sonho. O castelo, bem, pode não ser um castelo. E não interessa que não seja “felizes para sempre” – apenas que seja feliz no momento. De vez em quando, em uma lua azul, as pessoas te surpreendem. E, muito raramente, alguém até tire sua respiração.

Who's Zoomin' Who? [1.9]Editar

[Meredith narrando]: Segredos não podem ser escondidos na ciência. A medicina tem várias maneiras de expor as mentiras. Dentro das paredes do hospital, a verdade é jogada na sua cara. Como mantemos nossos segredos fora do hospital – bem, isso é um pouco diferente. Uma coisa é certa, o que quer que seja que estejamos tentando esconder; nunca estamos prontos para aquele momento de verdade nua. Esse é o problema com segredos – como a miséria, eles adoram companhia. Eles se amontoam até que derrubam tudo, até que você não tenha mais espaço para mais nada, até que você esteja tão cheio de segredos que se sinta como se estivesse prestes a explodir.

Izzie: [bate na porta] George. Você trancou a porta! Eu preciso tomar banho.
George: Uh...uh, eu saio em um minuto.
Izzie: O que está fazendo aí dentro?
George: É privado!
Izzie: Oh! Oh, deus, eu entendi. Desculpa. Não quis interromper.
George: Não, não é isso!
Izzie: Tudo bem. Eu posso esperar.
George: Não estou fazendo o que você acha que eu estou fazendo.
Izzie: [ri] Sabe, você realmente não precisa explicar, apenas... termine.
George: Não... Estou saindo. Estou saindo! [Izzie ri]

Alex: Eu sei que sou lindo e tal, George, mas cai fora.

Izzie: Você tem sífilis?
George: Não sei como isso aconteceu.
Izzie: Claro que sabe. Meu Deus, Olivia deve se divertir muito.
George: Olivia não é assim.
Izzie: É o novo milênio, George, as únicas pessoas que não assim são os Amish.. e aparentemente você.
George: Você não sabe. Talvez eu esteja dormindo por aí. Talvez eu tenha mulheres. Ah, cala a boca! O que eu vou fazer?
Izzie: Não é nada demais, algumas doses de penicilina vão resolver.
George: O que eu vou fazer sobre Olivia?
Izzie: Bom, pra começar, para de dormir com ela. A menos que queira que sua coisa caia. [ri]
George: Ok, você já falou mal dela duas vezes sobre a garota que eu poderia, potencialmente, não amar... mas gostar muito.
Izzie: Se ela te deu isso, você tem que falar pra ela.
George: Três.
Izzie: Certo! Ela não te deu isso. Ela era virgem quando te conheceu. E você ainda tem que falar pra ela, pra ela poder se testar.
George: E é? E como eu vou falar pra ela? “Ei, Olivia, como está? Ah, eu tenho sífilis, e você?”
Izzie: Talvez não desse jeito.
George: Não, não! É um ótimo conselho, muito bom mesmo, muito obrigado.

George: Tem certeza que sabe o que está fazendo?
Alex: É uma injeção de penicilina, George. Fique grato que sou eu fazendo isso. Já vi mais de você do que eu gostaria. Terei pesadelos por uma semana.
George: Ok. Quer saber? Pode esquecer.
Alex: Quer se livrar da sífilis ou não? Então fica quieto e abaixa.
George: [sussurra] Não acredito que estou fazendo isso.
George: [Meredith entra] Meredith! Vai embora!
Meredith: Oh George. Eu achei que poderia querer apoio moral.
George: Não. Sem apoio moral. Estou indisposto aqui!
Meredith: George. Não é nada demais. E você tem um bumbum fofo.
Alex: Eu tenho um bumbum fofo também. Quer ver?
Meredith: Ah, sai daí, você está fazendo errado.
Alex: Fique à vontade.
George: O qu- Alex. Alex! O quê?
George: Hey!
Izzie: Oh. O que está fazendo aqui?
George: Quebrando o espírito do George.
Meredith: Curando a sífilis do George.
George: Não gosto de agulhas.
Meredith: Ainda bem que virou médico. Outro lado.
Cristina: Izzie?
Izzie: Sim
Cristina: O procedimento do Sr. Franklin foi adiado pra depois do almoço-
George: Não. Não!
Cristina: Ah, o que estão fazendo?
Izzie: Salvando George de um futuro podre e insano.
Cristina: Bumbum fofo.
Meredith: Te falei.
Izzie: É fofo. Como a de um bebê.
George: Eu passei horas, dias, anos, me imaginando meio pelado em uma sala com três mulheres. A realidade é tão melhor!
Cristina: Acho que ele vai chorar!

Derek: Pode guardar segredo?
Meredith: Melhor do que imagina.

Burke: Bill é estéril?
Cirurgião Ginecologista: Sim, e sempre foi.
George: Então quem engravidou sua mulher?

George: [para Alex] Você é tão fofoqueiro!

Cristina: OK, estou dentro.
Meredith: Estou tão envolvida nisso.
Cristina: Meredith, isso é o Clube da Luta. Ninguém fala sobre.

Cristina: Se eu estiver perdendo um procedimento real por causa disso, eles vão me chamar de 007 porque matarei você.

Bailey: Você está mentindo. Eu sei que está mentindo. Sabe como eu sei que está mentindo? Porque é um péssimo mentiroso!

George: [para Alex] Você me deu sífilis!

Derek: Em algum lugar por aí, há um bife com seu nome gravado, e talvez uma garrafa de vinho.
Meredith: Por isso que eu te mantenho por perto.
Derek: Então, precisamos conversar.
Meredith: Vinho primeiro, conversa depois.
Derek: Ah, então está tentando me embebedar para poder tirar vantagem de mim.

Derek: [vê Addison] Meredith, eu sinto muito. [Addison se aproxima] Addison, o que está fazendo aqui?
Addison: Bem, você não se incomodou em retornar minhas ligações. [vira para Meredith] Olá. Sou Addison Shepherd.
Meredith: Shepherd?
Addison: E você deve ser a mulher que está transando com meu marido.

[Meredith narrando]: O que as pessoas esquecem é como a sensação é boa depois de libertar os segredos. Quer seja boa ou ruim, pelo menos eles estão livres, goste ou não. E quando os segredos são revelados, você não precisa mais se esconder deles. O problema com segredos é que mesmo quando acha que está no controle, você não está.

ElencoEditar



Temporadas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 | Geral