Aurélio Agostinho

bispo, teólogo e filósofo cristão
(Redirecionado de Santo Agostinho)
Aurélio Agostinho
Aurélio Agostinho
Aurélio Agostinho em outros projetos:

Aurélio Agostinho (do latim, Aurelius Augustinus), Agostinho de Hipona ou Santo Agostinho (Tagaste, 354 d.C. - Hipona, 28 de Agosto de 430), foi um bispo católico, teólogo e filósofo. Foi intitulado pela Santa Igreja Católica como doutor da doutrina da Igreja.

"A sabedoria pertence a apreensão intelectual das coisas eternas, para conhecimento, a apreensão racional das coisas temporais."
"Milagres não são contrários à natureza, mas apenas contrários ao que nós sabemos sobre a natureza."
"O Espírito da virtude de um sacramento é como a luz; embora passe pelas impurezas, não se poluí."
"Amar o pecador e odiar o pecado"

  • "As pessoas viajam para admirar a altura das montanhas, as imensas ondas dos mares, o longo percurso dos rios, o vasto domínio do oceano, o movimento circular das estrelas, e no entanto elas passam por si mesmas sem se admirarem."
- Et eunt homines admirari alta montium, & ingentes fluctus maris: & latissimos lapsus fluminum, & oceani ambitum, & gyros siderum, & relinquunt se ipsos, nec mirantur.
- D. Aurelii Augustini, Hipponensis Episcopi Confessionum, Libri Tredecim Confessions (1588), Livro X, Capitulo VIII, Página 270.
  • "Ame o pecador, odeio o pecado."
- Cum dilectione hominum et odio vitiorum.
- Opera Omnia (1836), Vol. II, Página 121.
- Habit, if not resisted, soon becomes necessity.
- ''Santo Agostinho citado em "Brotherhood of locomotive firemen and enginemen's magazine: Volume 8" - página 201, Brotherhood of Locomotive Firemen and Enginemen - 1884
  • "Foi o orgulho que transformou anjos em demônios, mas é a humildade que faz de homens anjos."
- como citado em "Best Thoughts Of Best Thinkers: Amplified, Classified, Exemplified and Arranged as a Key to unlock the Literature of All Ages" (1904) edited by Hialmer Day Gould and Edward Louis Hessenmueller
  • "Quem não nos ensina, ainda que nos fale, é como se não nos falasse."
- AGOSTINHO, Santo. O Homem e o Tempo. In: Confissões. Trad. J. Oliveira Santos, S.J., e A. Ambrósio de Pina, S.J. São Paulo: Nova Cultural, 2004. p.240.
  • "Tarde te amei, Beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei! Eis que estavas dentro de mim, e eu lá fora, a te procurar! Eu, disforme, me atirava à beleza das formas que criaste. Estavas comigo, e eu não estava em ti. Retinham-me longe de ti aquilo que nem existiria se não existisse em ti. Tu me chamaste, gritaste por mim, e venceste minha surdez. Brilhaste, e teu esplendor afugentou minha cegueira. Exalaste teu perfume, respirei-o, e suspiro por ti. Eu te saboreei, e agora tenho fome e sede de ti. Tocaste-me, e o desejo de tua paz me inflama.
- Santo Agostinho in: Solilóquio de amor; Confissões de Santo Agostinho, Livro Décimo, Capitulo XXVIII
  • "Ao punir os pecadores, Deus não lhes inflige mal proveniente de si próprio, mas abandona-os aos males derivados deles mesmos."
- AGOSTINHO, Santo. Comentário aos Salmos. São Paulo: Paulus, 1997. v. 1. p.54.
  • “Em que sentido, além do alegórico, foi dito: No princípio, Deus fez o céu e a terra? Se no princípio do tempo, a saber, no princípio de todas as coisas, ou no princípio que é o Verbo de Deus, o Filho Unigênito?”
- AGOSTINHO, Santo. Comentário ao Gênesis. Coleção Patrística. São Paulo: Paulus. v. 21. p. 25.
  • “A Providência Divina permite muitos hereges com os mais variados erros porque, ao menos, quando nos insultam e nos questionam coisas que não sabemos, sacodem a nossa letargia e avivam o nosso desejo de conhecer As Escrituras divinas. É por esta razão que o Apóstolo diz: `É preciso que existam heresias para que aqueles que entre vós foram aprovados se manifestem`. Pois aqueles que têm a aprovação de Deus, e podem vos ensinar corretamente, podem se manifestar aos homens apenas quando ensinam. Eles, todavia, dispõem-se a ensinar apenas aqueles que querem aprender. Muitos, no entanto, levam tempo para procurar, salvo quando são acordados, como de um sono, pelo incômodo e pelos insultos dos hereges. Então, envergonhados por serem ignorantes, percebem que estão em perigo por conta da própria ignorância. E, se são esses homens de Fé sólida, não caem em heresias, mas procuram cuidadosamente a resposta que devem dar aos hereges. Deus não os abandona. Quando pedem, recebem, quando procuram, encontram, e quando batem, a porta lhes é aberta. Aqueles que, contudo, perdem a esperança, de que podem encontrar no ensino católico o que procuram, serão enfraquecidos pelos seus erros. Mas se procurarem com perseverança, voltarão, exaustos, após muito trabalho, com sede e quase mortos, às abundantes fontes das quais se afastaram”.
AGOSTINHO, Santo. Dois livros sobre Gênesis contra os maniqueus, Capítulo I, Livro I.

DisputadasEditar

  • "Sem Deus não podemos, sem nós, ele não poderá".
- citado em Kenneth Keathley, Salvation and Sovereignty: A Molinist Approach, p.16, B&H Publishing Group, ISBN 978-0-8054-3198-8

AtribuídasEditar

  Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências. Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes.
  • "Conócete. Acetate. Supérate"
    • "Conhece-te. Aceite-te. Supere-te."
  • "Milagres não são contrários à natureza, mas apenas contrários ao que nós sabemos sobre a natureza."
  • "O mundo é um livro, e quem fica sentado em casa lê somente uma página".[1]
  • "Certamente estamos em uma categoria comum com as bestas; toda ação da vida animal diz respeito a buscar o prazer e evitar a dor."
  • "Muitas vezes, aqueles que não são cristãos sabem alguma coisa sobre a terra, céus e outros elementos do mundo, sobre o movimento e a órbita das estrelas e mesmo seus tamanhos e posições relativas a previsão de eclipses solares e lunares, o ciclos dos anos e as estações, os tipos de animais, arbustos, pedras e outros objetos. Essa pessoas dizem que o conhecimento é verdadeiro por meio da razão e da experiência. Assim, é vergonhoso e perigoso ouvir um cristão, fazer interpretação presumível da Escritura, falando bobagens sobre esses tópicos. Devemos tomar todas as precauções para evitar uma situação lamentável em que as pessoas verificar o enorme ignorância em um cristão e tirar sarro dele. A vergonha não é tanto uma indivíduo é ridicularizado, mas que as pessoas que não compartilham nossa fé acho que nossos escritores sagrados realizaram tais opiniões, e como uma grande perda para aqueles cuja salvação que desejamos, os autores de nossas Escrituras são criticados e rejeitados por sua suposta ignorância. "
  • "O ocioso caminha devagar .... por isso que todos os vícios o alcançam. "
  • "Se dois amigos pedirem para você julgar uma disputa, não aceite, porque você irá perder um amigo; por outro lado, se dois estranhos pedirem o mesmo, aceite, porque você irá ganhar um amigo."
  • "Ter fé é acreditar naquilo que você não vê; a recompensa por essa fé é ver aquilo em que você acredita."
  • "Se você acredita no que lhe agrada nos evangelhos e rejeita o que não gosta, não é nos evangelhos que você crê, mas em você."
  • "Cantar é próprio de quem ama."[2]
  • "Aquele que tem caridade no coração tem sempre qualquer coisa para dar."
  • "Dá-me aquilo que ordenas, ordena-me aquilo que queres."
  • "O homem bom, embora um escravo, é livre, o ímpio, ele reina, mas é um escravo ..."
  • "A confissão das más ações é o primeiro passo para a prática de boas ações."
  • "A medida do amor é não ter medida."
  • "O Espírito da virtude de um sacramento é como a luz; embora passe pelas impurezas, não se poluí."
  • "Em toda parte, uma grande alegria é precedida por um grande sofrimento."
  • "Orgulho não é grandeza, mas inchaço. E o que está inchado parece grande, mas não é sadio."
- Santo Agostinho como citado in: O amor em tempos de desamor: e o enigma--o Brasil tem jeito?, página 155, João Paulo dos Reis Velloso - José Olympio Editora, 2008, ISBN 8503010046, 9788503010047, 389 páginas
  • "Dai-me a castidade; mas não ainda." (frase dita por Santo Agostinho quando ele entendeu que tinha que se converter mas ainda não tinha coragem).[3]
  • "Amar o pecador e odiar o pecado"[4]
  • "No amor do próximo o pobre é rico; sem amor do próximo o rico é pobre."
  • "Aquele que vive como verdadeiro justo, e irrepreensivelmente, deixará filhos felizes e venturosos."
  • "O dom da fala foi concedido aos homens não para que eles enganassem uns aos outros, mas sim para que expressassem seus pensamentos uns aos outros."
  • "Quando quer não pode, quando pôde não quis. E assim, por um mal querer, perdeu um bom poder."
  • "Ama, e faça o que quiseres."
  • "Si isti et istae, cur non ego?"[5]
    • "Se estes e estas podem, porque não eu?"
  • "O bom cristão deve permanecer alerta contra os matemáticos e todos aqueles que fazem profecias vazias. Existe o perigo de que os matemáticos tenham feito uma aliança com o demônio para obscurecer o espírito e confinar o homem às amarras do Inferno."
  • "Você tem-nos para Vós, Senhor, e o nosso coração está inquieto enquanto não repousar em ti."
  • "Quem enuncia um fato que lhe parece digno de crença ou acerca do qual forma opinião de que é verdadeiro, não mente, mesmo que o fato seja falso."
  • "Não há mentira, apesar do que se diz, sem intenção, desejo ou vontade de enganar."
  • "Sem a Matemática não nos seria possível compreender muitas passagens das Santas Escrituras."
  • "Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me adulam, porque me corrompem".
  • "Ama e faz o que quiseres. Se calares, calarás com amor; se gritares, gritarás com amor; se corrigires, corrigirás com amor; se perdoares, perdoarás com amor. Se tiveres o amor enraizado em ti, nenhuma coisa senão o amor serão os teus frutos."
  • "Faça o que pode. Deus não te pede mais."
  • "Se o homem soubesse as vantagens de ser bom, seria homem de bem por egoísmo."
  • "Meu amor é meu peso"
  • "No íntimo do homem existe Deus." [6]

Referências

Neoplatonismo
Filósofos neoplatônicos Amônio Sacas | Fílon de Alexandria | Hipátia | Jâmblico | Plotino | Plutarco | Porfírio | Proclo | Pseudo-Dionísio
Filósofos influenciados Agostinho de Hipona | Escoto Erígena | Marsílio Ficino | Pico della Mirandola
Escolástica
Tomás de Aquino | Santo Agostinho | Anselmo de Cantuária | Alberto Magno | Robert Grosseteste | Roger Bacon | Boaventura de Bagnoreggio | Pedro Abelardo | Bernardo de Claraval | João Escoto Erígena | João Duns Scot | Jean Buridan | Nicole Oresme