Jô Soares

humorista, apresentador de televisão, escritor, autor de O Homem Federal, dramaturgo, diretor teatral, ator e ativista do movimento das neo-mulheres brasileiro (1938–2022)
Jô Soares
Jô Soares
Jô Soares em outros projetos:

José Eugênio Soares, conhecido como Jô Soares, (Rio de Janeiro, 17 de janeiro de 1938) foi um humorista, escritor e apresentador brasileiro. Além de se dedicar à literatura também escreveu várias peças teatrais.


  • "É uma decisão de lado a lado, e depois, a gula é um pecado (risos)."
- Fonte: O Estadão
  • "Acho que é o mesmo esquema do ano passado, tudo o que eu já fiz. A não ser o fato de que, no fim do ano, esse programa, depois de 28 anos, acaba. O Johnny Carson ficou ficou 30 anos, eu queria ficar 30 anos, mas não vai dar."
- Fonte: O Estadão
  • "“A gula é um pecado”, ri."
- Fonte: O Estadão
  • "“Este foi um acerto dos dois lados, feito na nossa última renovação de contrato. Farei esta última temporada com muito carinho e prestando homenagens a alguns convidados.”
- Fonte: G1.globo.com, G1 Notícias
  • "Quando estou num país em que ninguém me conhece, fico absolutamente intimidado”
- Fonte: Revista ISTO É, Edição 1814.
  • "Não sei ainda como vai ser, não tem nada conversado, estamos de férias ainda. O que me enlouquece são pessoas que querem que eu diga, a pulso, o que não existe. Fui jornalista da redação do Última Hora, sei como é isso, de querer a notícia a qualquer custo, na hora, só que não tem."
- Fonte: O Estadão
  • "Se a senhora acha gordura engraçado, compre 1 quilo de toucinho. A senhora vai rir o ano inteiro."
- Contando em entrevista ao Jornal da Tarde como reagiu quando uma espectadora disse que ele perde a graça quando emagrece; como citado em Revista Veja, Edição 1821 . 24 de setembro de 2003
- bordão
  • "Tem gente que gosta de opinar sobre tudo. Do cocô à bomba atômica."
- Jô Soares, recusando-se a falar sobre o projeto de lei que proíbe a publicidade de cigarros
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 664 - 30/8/2000
  • "O SBT sempre foi muito legal comigo nesse sentido, sempre que precisamos, eles cederam imagens e a minha relação com o Silvio é ótima. Aliás, eu faço esse programa graças ao Silvio…"
- Fonte: O Estadão
  • "Hoje eu não consigo falar aqui!"
- Jô Soares, entrevistador, rouco de ouvir o poeta baiano Waly Salomão, depois de ter entrevistado a neo-evangélica Baby do Brasil
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 659 - 26/7/2000
  • "A nossa abertura hoje vai ser um pouco diferente, porque na última sexta-feira (31), eu sofri o pesadelo de todo pai, a inversão da ordem natural das coisas, a perda de um filho. Meu filho Rafael esteve no mundo durante 50 anos e foi uma criança especial. Como era autista, permaneceu menino até o fim. Passou a vida inteira na realidade do próprio mundo. Corpo de adulto e alma de criança. Adora música, tocava piano e seu amor era o rádio. O Derico, num gesto incrível, até chegou a gravar as vinhetas. E ele não tirava a rádio do ar nunca, até mesmo no aniversário dele, nem na hora de apagar a velinha. Vivia com entusiasmo e até mesmo com paixão. Tenho muito orgulho do meu filho e a Theresa, sua mãe, que foi minha grande companheira. Agradeço ao carinho de pessoas queridas, amigos e desconhecidos."
- Fonte:[1]
- Rafael morreu aos 50 anos de idade, e enfrentou um câncer no cérebro.
  • "Não, não foi no fim do ano passado. Quando eu renovei o contrato, há dois anos, falei: ‘vamos renovar por 2 anos’, e ali a gente já achava que esse seria o tempo que tínhamos de programa. Estamos no ar há 28 anos, entre as duas emissoras, aí talvez seja um bom momento pra gente terminar, terminar no alto, com gás e tudo. A decisão já tinha sido tomada desde a renovação do contrato. Agora, o que eu pretendo fazer? Assim como a Globo não pretende parar, eu também não pretendo parar. Eu quero homenagear várias pessoas, são quase 15 mil entrevistas, quero fazer alguns programas de homenagem, ainda não sei como, só vou saber nas primeiras reuniões, em março, quando a gente começar a falar do programa."
- Fonte: O Estadão

SobreEditar

  • "Você é orgulho pra todo mundo que compartilhou de alguma forma a vida com você. Agradeço aos senhores Tempo e Espaço, por terem me dado a sorte de deixar nossas vidas se cruzarem. Obrigada pelas risadas de dar asma, por nossas casas do meu jeito, pelas viagens aos lugares mais chiques e mais mequetrefes, pela quantidade de filmes, que você achava uma sorte eu não lembrar pra ver de novo, e pela quantidade indecente de sorvete que a gente tomou assistindo."
- Fonte:[2]
- Apresentador e humorista morreu nesta sexta-feira (5). Última vez que foi visto foi em maio de 2021.
  • "Tudo o que fiz, tudo o que faço, sempre tem como base o humor. Desde que nasci, desde sempre"
- Jô afirmou em depoimento ao site Memória Globo.
- Fonte:[2]
  • "Eu pensei que ia seguir a carreira diplomática", explicou ao Memória Globo. "Mas sempre ia ao teatro, sempre ia assistir a shows, ia para a coxia ver como era. E já inventava números de sátira do cinema americano; fazia a dança com os sapatinhos que eu calçava nos dedos."
- Fonte:[2]
  • "Os meus personagens são muito mais baseados no lado psicológico e no social do que na caricatura pura e simples. Eu nunca fiz um personagem necessariamente gordo. Eles são gordos porque eu sou gordo."
- Fonte:[2]
- Desta galeria de figuras, destacaram-se o Reizinho (monarca de um reino que satirizava o Brasil da época), o Capitão Gay (um super-herói homossexual) e o Zé da Galera (do bordão “Bota ponta, Telê!”).

Pensamentos acacianosEditar

  • "Não há amizade, que por mais profunda que seja, que resista a uma série de canalhices."
- Pensamentos acacianos; Revista Veja, edição 1457, 14/08/1996, página 23
  • "Quanto maior a dor, maior o alívio."
- Pensamentos acacianos; Revista Veja, edição 1457, 14/08/1996, página 23
  • "Não há nada de errado com a juventude que a idade não cure."
- Pensamentos acacianos; Revista Veja, edição 1457, 14/08/1996, página 23

Referências

Televisão
Apresentadores Atores Atrizes Roteiristas
Documentários Diretores Filmes Telenovelas
Séries de televisão Desenhos animados