George Orwell

escritor e jornalista britânico (1903–1950)

George Orwell, pseudónimo de Eric Arthur Blair (nascido em Bengala, na Índia Inglesa, em 25 de Junho de 1903, morreu em Londres, em 21 de Janeiro de 1950). Foi um escritor.

George Orwell
George Orwell
George Orwell
Wikipédia
Wikimedia Commons
Wikisource

  • "Podemos ver que, como usada, a palavra fascismo é quase que inteiramente sem sentido. Na conversa, obviamente, é usada de forma mais desenfreada do que na imprensa. Eu ouvi sendo aplicada a fazendeiros, lojistas, crédito social, punição corporal, caça às raposas, touradas, o comitê de 1922, o comitê de 1941, Kipling, Gandhi, Chiang Kai-Shek, homossexualidade, as transmissões de Priestley, albergues de estudantes, astrologia, mulheres, cachorros, e eu não o que mais."
- It will be seen that, as used, the word 'Fascism' is almost entirely meaningless. In conversation, of course, it is used even more wildly than in print. I have heard it applied to farmers, shopkeepers, Social Credit, corporal punishment, foxhunting, bullfighting, the 1922 Committee, the 1941 Committee, Kipling, Gandhi, Chiang Kai-Shek, homosexuality, Priestley's broadcasts, Youth Hostels, astrology, women, dogs, and I do not what else.
- Orwell and Politics, George Orwell, ‎Peter Davison, Penguin Books Limited · 2001, ISBN: 9780141913926, 0141913924
  • "Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais que os outros".
- All animals are equal, but some animals are more equal than others.
- Animal Farm: A Fairy Story - Página 192 - Houghton Mifflin Harcourt, 2009
  • "Se a liberdade significa alguma coisa, será sobretudo o direito de dizer às outras pessoas o que elas não querem ouvir."
- If liberty means anything at all it means the right to tell people what they do not want to hear
- Orwell and Politics: Animal Farm in the Context of Essays, Reviews and Letters Selected from the Complete Works of George Orwell - Página 314, de George Orwell, Peter Davison, Peter Hobley Davison, Timothy Garton Ash - Publicado por Penguin, 2001 ISBN 014118518X, 9780141185187 - 560 páginas
  • "O homem é a única criatura que consome sem produzir."
- Man is the only creature that consumes without producing
- Animal Farm: A Fairy Story‎ - Página 29, de George Orwell, Russell Baker, C. M. Woodhouse - Publicado por Signet Classic, 1996 ISBN 0451526341, 9780451526342 - 140 páginas
- War is Peace; Freedom is Slavery; Ignorance is Strength
- Nineteen Eighty Four‎ - Página 10, de George Orwell - Publicado por 1st World Publishing, 2004, ISBN 1595404325, 9781595404329 - 388 páginas
  • "O que é realmente assustador quanto ao totalitarismo não é que cometa 'atrocidades', mas que agrida o conceito de verdade objetiva."
- Poder e mentira; tradução de Paulo Geiger. Texto citado na revista Exame. Ano 51. N° 7 - 12/04/2017.
  • "[...] O Partido procura o poder por amor ao poder. Não estamos interessados no bem–estar alheio; só estamos interessados no poder. Nem na riqueza, nem no luxo, nem em longa vida de prazeres: apenas no poder, poder puro. (...) Somos diferentes de todas as oligarquias do passado, porque sabemos o que estamos fazendo. Todas as outras, até mesmo as que se assemelhavam conosco, eram covardes e hipócritas. Os nazistas alemães e os comunistas russos muito se aproximaram de nós nos métodos, mas nunca tiveram a coragem de reconhecer os próprios motivos. Fingiam, talvez até acreditassem, ter tomado o poder sem querer, e por tempo limitado, e que bastava dobrar a esquina para entrar num paraíso onde os seres humanos seriam iguais e livres. Nós não somos assim. Sabemos que ninguém jamais toma o poder com a intenção de largá-lo. O poder não é um meio, é um fim em si. Não se estabelece uma ditadura com o fito de salvaguardar uma revolução; faz-se a revolução para estabelecer a ditadura. O objetivo da perseguição é a perseguição. O objetivo da tortura é a tortura. O objetivo do poder é o poder." (1984)
  • "O que é preciso, acima de tudo, é deixar o significado escolher a palavra, e não o contrário. Em prosa, a pior coisa que alguém pode fazer com as palavras é render-se a elas."
Em "Política e a Língua Inglesa" (1946)
  • "Não é uma questão de se a guerra é real ou não é. A vitória não é possível. A guerra não é destinada para ser ganha. É destinada para ser contínua. Uma grande sociedade arcaica só é possível às custas da pobreza e da ignorância."
- That's not a matter if wether the war it's not real of if it is. Victory it's not possible. The war it's not meant to be won. It's meant to be continuous. A high archical society is only possible on the basis of poverty and ignorance.
  • "O homem é tão bom quanto o seu desenvolvimento tecnológico o permite ser."
- Men are only as good as their technical development allows them to be.
- "Inside the whale, and other essays" - página 60, George Orwell - V. Gollancz ltd., 1940 - 188 página
  • "Um Estado totalitário é, na verdade, uma teocracia, e a sua casta dominante, para manter a sua posição, tem de ser considerada infalível."
- A totalitarian state is in effect a theocracy, and its ruling caste, in order to keep its position, has to be thought of as infallible.
- The Prevention of Literature (1946)
  • "A linguagem política – e com variações isto é verdade para todos os partidos políticos, dos conservadores aos anarquistas – é concebida para fazer com que as mentiras pareçam verdadeiras e o homicídio respeitável, e para dar uma aparência de solidez ao vento puro."
- Political language — and with variations this is true of all political parties, from Conservatives to Anarchists — is designed to make lies sound truthful and murder respectable, and to give an appearance of solidity to pure wind.
- Politics and the English Language (1946)

1984 editar

  • "Quem controla o passado, controla o futuro; quem controla o presente, controla o passado... quem controla o passado, controla o futuro. Quem controla o presente agora?! Agora testemunhe, está logo atrás da porta"
    • Fonte: 1984
  • "Quando se ama alguém, ama-se, e quando não se tem nada mais para lhe dar, ainda se lhe dá amor." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 159.
  • "As massas nunca se revoltarão espontaneamente, e nunca se revoltarão apenas por serem oprimidas. Com efeito, se não se lhes permitir ter pradões de comparação nem ao menos se darão conta de que são oprimidas." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 199.
  • "Mas depois de lê-lo tinha maior certeza de não estar louco. Estar em minoria, mesmo em minoria de um, não era sintoma de loucura. Havia verdade e havia mentira, e não se está louco porque se insiste em se agarrar à verdade mesmo contra o mundo todo.(...)" - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 209.
  • "Ocorreu-lhe que a vida toda de um homem era desempenhar um papel, e que achava perigoso abandonar, por um momento que fosse, sua falsa personalidade." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 209.
  • "Os melhores livros (...) são aqueles que lhe dizem o que você já sabe." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 236.
  • "A Terra é tão velha quanto o homem, e nada mais. Como poderia ser mais velha? Nada existe exceto pela via da consciência humana." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 253.
  • "Antes do homem, não havia nada. Depois do homem, se por acaso acabasse, nada haveria. Fora do homem não há nada." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 253.
  • "(...) Que sabemos das coisas, exceto através de nossa mente? Tudo o que acontece, acontece na cabeça. E o que acontece em todas as mentes, de fato acontece." - 1984, George Orwell, Companhia Editora Nacional, 2005. p. 265.
  • "As massas nunca se revoltam por iniciativa própria, e nunca se revoltam só porque são oprimidas. Acontece que enquanto não lhes for permitido contar com termos de comparação, elas nunca chegarão sequer a dar-se conta de que são oprimidas."
- George Orwell, 1984; tradução de Alexandre Hubner e Heloisa Jahn, São Paulo: Companhia das Letras. 2009, p. 244.
- Fala atribuída ao personagem Emmanuel Goldstein

A Revolução dos Bichos editar

  • "O Homem é a única criatura que consome sem produzir"
- "Man is the only creature that consumes without producing"
- George Orwell; livro: Orwell A Revolução dos Bichos; página 11; Editora Aleph; criado em 1945

Atribuídas editar

  • "Em tempos de embustes universais, dizer a verdade se torna um ato revolucionário."
- In times of universal deceit, telling the truth becomes a revolutionary act.
- Citado em "Overland: Edições 110-116" - página 306, 1988
  • "Sem as moedas, tu es indigno de ser amado."
- For, moneyless, you are unlovable.

Sobre editar

  • "Acho que nunca estivemos tão próximos de "1984" de George Orwell. Vivemos numa sociedade em que os direitos individuais e a legalidade estão definitivamente ameaçados, e isso me dá medo."
- Susan Sarandon; Entrevista para a Folha de S.Paulo, 31.3.2006

Ver também editar