Abrir menu principal
Stephen Kanitz em outros projetos:

Stephen Charles Kanitz, (São Paulo, 31 de janeiro de 1946), é administrador de empresas, professor, consultor e articulista da Revista Veja na área de economia e administração, com diversas publicações nesta área.


EconomiaEditar

  • Todo dia, menos de 1% das ações é transacionado na bolsa. Na próxima vez em que você ler que "a bolsa cai 10% num dia de intenso nervosismo", lembre-se de que 99% dos investidores nem tomaram conhecimento.
- no artigo "A montanha-russa das bolsas"; Revista Veja, Edição 1959 . 7 de junho de 2006
  • Uma única inovação ocorrida no século XV teve enorme influência para o progresso, a inclusão social e a redução da pobreza. Foi a invenção do conceito de capital social pelo frei Luca Paccioli, o criador da contabilidade. Esse conceito perdura até hoje em todos os contratos sociais e balanços das empresas brasileiras.
- no artigo "O capital social"; Revista Veja, Edição 1951 . 12 de abril de 2006
  • Talvez por isso somos um povo eternamente endividado, pendurado. Poupamos pouco, investimos menos ainda. Não é à toa que para muitos trabalhar é um fardo. O prazer veio antes.
- no artigo "Compre sempre à vista", Revista Veja, Edição 1 742 - 13 de março de 2002

ÉticaEditar

  • Ter uma religião e não seguir os preceitos que ela advoga, algo que ocorre com freqüência, é o pior dos dois mundos: aí você não procura uma ética melhor que o satisfaça nem segue a ética determinada por sua religião.
- no artigo "A importância da ética"; Revista Veja, Edição 1 733 - 9 de janeiro de 2002
  • Se você tem uma religião e não a pratica, se você odeia as pregações de moralidade que seus pais lhe impõem, isso não o exime de procurar um sistema de referência melhor para sua vida, seja uma outra religião, seja uma conduta filosófica, seja um simples livro de auto-ajuda.
- no artigo "A importância da ética"; Revista Veja, Edição 1 733 - 9 de janeiro de 2002
  • Pessoalmente, não leio artigos de quem omite seu endereço ou e-mail. É perda de tempo. Se elas não ouvem ninguém, por que eu deveria ouvi-las ou lê-las? Todos nós deveríamos solenemente ignorá-las, até elas se tornarem mais humildes e menos arrogantes.
- no artigo "Como Combater a Arrogância", Revista Veja – Edição 2036 – 28/11/07
  • Se nossos genes são mero acaso da variação genética, falar em QI, mérito, proeza atlética e se achar merecedor de 100% dos ganhos que esses atributos nos proporcionam não faz mais muito sentido. O que há de meritocrático em ter os genes certos?
- no artigo "Fazendo a diferença"; Revista Veja, Edição 1838 . 28 de janeiro de 2004
  • O segredo da felicidade, portanto, não é ganhar dinheiro, que a maioria acabará perdendo de uma forma ou de outra. O segredo é ter feito uma diferença.
- no artigo "Fazendo a diferença"; Revista Veja, Edição 1838 . 28 de janeiro de 2004

FamíliaEditar

  • O casamento é um momento de consagração de duas pessoas, de promessas que deverão ser lembradas e guardadas todo dia e para sempre, não arquivadas numa fita magnética na última gaveta do armário menos acessível.
- no artigo "A beleza dos casamentos"; Revista Veja, Edição 1 699 - 9 de maio de 2001
  • O objetivo do casamento não é escolher o melhor par possível mundo afora, mas construir o melhor relacionamento possível com quem você prometeu amar para sempre.
- no artigo "O contrato de casamento"; Revista Veja, Edição 1873 . 29 de setembro de 2004
  • Ninguém agüenta conviver com a mesma pessoa por uma eternidade. Eu, na realidade, já estou em meu terceiro casamento - a única diferença é que me casei três vezes com a mesma mulher.
- no artigo "O segredo do casamento"; Revista Veja, Edição 1922 . 14 de setembro de 2005
- no artigo "A auto-estima de nossos filhos", Revista Veja, edição 1650, 24 de maio de 2000, página 22

Ligações externasEditar