Robert Ryan

Ator norte-americano
Robert Ryan
Robert Ryan
Robert Ryan em outros projetos:

Robert Ryan, nome artístico de Robert Bushnel Ryan (11 de novembro de 1909 - 11 de julho de 1973). Ator norte-americano de cinema e teatro. Em Hollywood, trabalhou em mais de 70 filmes, a maioria grandes clássico do cinema “noir” americano, como Rancor(Crosfire), 1947, que lhe deu sua única indicação ao “Oscar”; A Mulher desejada(The Woman on the Beach), de 1947; e Punhos de Campeão(The Set-Up), de 1949. Em quase 4 décadas, trabalhou com os cineastas mais respeitados da Sétima Arte, como Jean Renoir, Nicholas Ray, Anthony Mann, Sam Peckinpah, e Robert Wise. Na vida real, contrastando com personagens vilânescos que interpretou muitas vezes na Tela, foi um ativista pelos direitos humanos e sociais, liderando um comitê liberal que protestava contra a Guerra do Vietnã, o racismo, e o armamento. Faleceu em 11 de julho de 1973, de câncer



SobreEditar

  • "Uma mistura perturbadora de raiva e ternura, que alcançou sua popularidade atuando nos papéis mais brutais do cinema. Sua neurose nas telas contrastava com sua verdadeira natureza interior".
- disturbing mixture of anger and tenderness who had reached stardom by playing mostly brutal, neurotic roles that were at complete variance with his true nature.
- sobre Robert Ryan; "Front and center" - página 437, John Houseman - Simon and Schuster, 1979, ISBN 0671243284, 9780671243289 - 512 páginas
  • "O filme “The Set-Up” é poupado de qualquer lirismo, sobre o submundo e a humanidade tão baixa, revelada no soberbo desempenho de Robert Ryan. Tenho pouco a dizer. Thompson é tão ignorante e ignóbil quanto os outros boxeadores. Olhem seu rosto golpeado. É derrotado. Contudo, remanesce uma sensibilidade poética em seus olhos e em seu sorriso ocasional. Seus olhos estão sempre prestando atenção em volta do ringue, e o vemos constantemente fazendo isso enquanto espera o próximo assalto. Thompson tem bastante dignidade humana para recusar a corrupção, por isso ele sofreu uma brutal agressão, não mais importando com sua carreira medíocre no Boxe. Na extremidade, ele tem muito orgulho de si mesmo pela vitória ganha naquela luta, e não faz nenhuma avaliação da conseqüência dela".
- Eileen Bowser, crítica. Notas do filme Punhos de Campeão(“The Set-Up’’), de Robert Wise, 1949. Museu de Arte Moderna de Los Angeles.
  • "Como em muites filmes “noir”, Robert Ryan entrega um desempenho angustiante em “Clash by Night’’. Um modelo de homem alienado, que causa dor constante nas pessoas, mas que consegue seduzir, mesmo abaixo de sua cínica máscara, embora prenda sua respiração, e enrijeça, inutilmente, seu corpo musculoso. O papel de Ryan é um verdadeiro retrato de uma infeliz personalidade, cujas misérias são expressadas através de seus atos de crueldade, mas que podem ser aceitas quando compreendidas por algumas pessoas".
-Julie Kirgo, crítica americana, sobre o desempenho de Ryan no filme Só a Mulher Peca(Clash by Night), de Fritz Lang,em 1952.
  • "Ryan morreu este ano, saindo de uma vida de papéis pequenos demais para o seu grande talento.”
-Revista Newsweek- 1973