Abrir menu principal

Luiz Felipe Pondé

filósofo e escritor brasileiro
(Redirecionado de Luis Felipe Pondé)
Luis Felipe Pondé
Luiz Felipe Pondé
Luis Felipe Pondé em outros projetos:

Luiz Felipe de Cerqueira e Silva Pondé (Recife, 1959) é um filósofo, escritor e ensaísta brasileiro de origem judaica.



Guia Politicamente Incorreto da FilosofiaEditar

  • O politicamente correto é um "ramo" do pensamento de esquerda americano
Introdução



Contra um Mundo MelhorEditar

  • Se você se acha uma pessoa equilibrada, dessas que respeitam o parceiro no amor, que creem na igualdade entre os sexos como adorno na sua cama de casal, que comem apenas comida saudável, (...), feche este livro.
Introdução



  • Chego a ter pesadelos nos quais o mundo se tornou sua casa e em que homens e mulheres só respiram o que acham correto. Dedico horas do meu dia a pensar em formas variadas de fazer gente como você sofrer.
Introdução



  • Não consigo escrever ou pensar em uma linha se não sai assim como um grito.
Introdução



Filosofia para CorajososEditar

  • A economia é triste porque a vida é triste na sua sustentação econômica, mas como nossa cultura é meio retardada, devido a essa dependência de autoestima que temos, tentamos negar isso, afirmando que se artistas desconhecidos dividissem latas de tinta num espaço malcuidado, é porque o outro mundo seria possível. Haja saco.
Capítulo 21



  • Além de tudo, professor, em grande maioria, é gente que ganha mal e perde o tesão, com o tempo, pelo que faz, mas a pose é essencial nesse ramo. E crer na educação é excelente para manter a imagem. Falar mal dos alunos, ao mesmo tempo que pregar para eles bobagens, ajuda a passar o tempo.
Capítulo 19



  • A necessidade da política é a prova de que a humanidade tem dificuldade em sobreviver: não pode viver sem bando; para viver em bando alguém tem de mandar e alguém tem de obedecer. Ainda que mentirosos de todos os tipos digam o contrário.
Capítulo 17



  • Os intelectuais (e acadêmicos e professores em geral) são uma das classes mais corruptas moralmente de nossa época, querendo fazer parte dos governos para ganhar os restos da sua mesa de jantar. Os mais aplicados viram intelectuais orgânicos de partidos e ganham cargos na administração. Quando um intelectual abraça uma causa, passa a ser um picareta. Basta ver no tom indignado com o qual fala ou escreve sobre como o mundo deveria ouvi-lo, e você saberá que está diante de um picareta do pensamento.
Capítulo 16



  • No mundo contemporâneo, as coisas só funcionam quando viram nicho de mercado - veja a revolução gay, fruto da publicidade norte-americana que descobriu que eles eram um nicho de gente com grana, bem preparada e sem filhos (héteros são pobres porque têm filhos...), e que, portanto, deveriam ser respeitados porque compram.
Capítulo 29



Jornal Folha de S. PauloEditar

  • Muitas vezes, a essência da coragem é perder o medo de sofrer além do que já se sofre. A verdade da coragem não é querer vencer, mas perder o medo de perder tudo que se tem.
Luis Felipe Pondé, "Em um Mundo Melhor", Folha de S. Paulo, 19/08/2013



  • A leveza nasce da sensação de que atender ao "eu" é uma prisão maior do que atender ao mundo, porque do "eu" nunca nos libertamos quando queremos servi-lo. Ele está em toda parte como um deus essentido.
A espiritualidade das pedras, 29/07/2013, Folha de S. Paulo



  • Corrupção, autoritarismo, gestão inepta da economia e populismo sempre foram paixões secretas do socialismo.
Invasão de privacidade, 22/07/2013, Folha de S. Paulo



  • (...) quase ninguém conhece a bibliografia "liberal-conservative" entre nós, porque a esquerda mantém uma poderosa reserva de mercado na vida intelectual pública no país, inclusive tornando um inferno a vida na universidade para jovens interessados neste tipo de bibliografia.
A camisa do Feliciano, 08/07/2013, Folha de S. Paulo



  • Sou daquele tipo de pessoa que acredita que temperamento é destino.
A pós-Lolita, 24/06/2013, Folha de S. Paulo



  • Quando vamos perceber o fato óbvio de que o feminismo é a nova forma de repressão social do sexo?
Bonecas de quatro, 10/06/2013, Folha de S. Paulo



  • Casamento é a melhor forma de deixar de querer transar com alguém devido ao esmagamento do desejo pela lista infinita de obrigações que assola homens e mulheres, dissolvendo a libido nos cálculos da previdência privada.
O terror da ambivalência, 27/05/2013, Folha de S. Paulo



  • A inteligência ocidental está podre, mergulhada em seus delírios de reconstrução do mundo a partir de seus três gnomos Marx, Foucault e Bourdieu.
O bandido e o frentista, 13/05/2013, Folha de S. Paulo



  • Dirão os inteligentinhos que a causa da criminalidade é social. Hoje em dia, "causa social" serve para tudo, como um dia foram os astros e noutro a vontade dos deuses.
O bandido e o frentista, 13/05/2013, Folha de S. Paulo