Diferenças entre edições de "Che Guevara"

5 628 bytes adicionados ,  09h19min de 6 de dezembro de 2019
inclusão de citações seguindo modelo do artigo em inglês, ajustes gerais
(vídeos no youtube são facilmente manipuláveis, mostre onde foi noticiado que a citação é verdadeira)
(inclusão de citações seguindo modelo do artigo em inglês, ajustes gerais)
| Cor = #c0c0c0
}}
[[w:Che Guevara|'''Ernesto Guevara de la Serna''']] '', conhecido por '''Che Guevara''' ou '''El Che''' ([[w:Rosário|Rosário]], [[14 de Junho]] de [[1928]] - [[w:La Higuera|La Higuera]] - [[9 de Outubro]] de [[1967]]), foi um [[w:guerrilha|revolucionário marxista, médico, autor, guerrilheiro]], revolucionáriodiplomata e homemteórico políticomilitar argentino.''
----
 
== Obras ==
=== O que aprendemos e ensinamos (1959) ===
<small>[https://www.marxists.org/portugues/guevara/1959/mes/aprendimos.htm O Que Aprendimos e o Ensinamos]
 
* Com efeito, o nosso contato com as massas camponesas ensinou-nos a grande injustiça que entrava o atual regime de propriedade agrária, convenceram-nos da justiça de uma mudança fundamental desse regime de propriedade; ilustraram-nos na prática diária a capacidade de abnegação do campesinato cubano, sobre a sua nobreza e lealdade sem limites. '''Mas nós ensinamos também; ensinamos a perder o medo à repressão inimiga, ensinamos a superioridade das armas populares sobre o batalhão mercenário, ensinamos, em fim, a nunca suficientemente repetida máxima popular: "a união faz a força"'''.
* "O verdadeiro revolucionário é movido por grandes [[sentimento]]s de [[amor]]."
::- ''E. Che Guevara - Página 24, Volume 19 de Coleção Grandes cientistas sociais: Política, [[Ernesto Guevara]], Eder Sader, Editora Atica, 1981, 216 páginas
 
* Já não seremos "livres ou mártires": seremos livres, livres pela ação de todo o povo de Cuba que está rompendo corrente após corrente com o sangue e o sofrimento dos seus melhores filhos.
* "A argila fundamental da nossa obra é a [[juventude]]: nela depositamos a nossa [[esperança]] e preparamo-la para tomar das nossas maos a bandeira."
::- ''Fonte: "[http://www.primeiralinha.org/textosmarxistas/che5.htm O Socialismo e o Homem em Cuba]"; Texto dirigido a Carlos Quijano, semanário Marcha, Montevideo. Março de 1965''
 
=== Notas sobre a Revolução Cubana (1960) ===
*"O nosso [[sacrifício]] é consciente. É a quota a pagar pela [[liberdade]] que construimos."
<small>[https://www.marxists.org/portugues/guevara/1960/10/08.htm Notas para o Estudo da Ideologia da Revolução Cubana]</small>
: ''"Nuestro sacrificio es consciente; cuota para pagar la libertad que construimos."''
:- ''"El Socialismo y el hombre en Cuba", de 12 de março de 1965''
 
* '''Nossa posição quando nos perguntam se somos ou não marxistas é a mesma que teria um físico à quem perguntassem se é “newtoniano” ou um biólogo indagado se é “pausteriano”'''. Existem verdades tão evidentes, tão incorporadas ao conhecimento dos povos que já se tornou inútil discuti-las.
* "Deixe-me dizer-lhe, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é guiado por grandes [[sentimento]]s de [[amor]]..."
 
:- ''"Déjeme decirle, a riesgo de parecer ridículo, que el revolucionario verdadero está guiado por grandes sentimientos de amor.."''
* Deve-se ser “marxista” com a mesma naturalidade com que se é “newtoniano” em física ou “pausteriano” em biologia, considerando que se novos fatos determinam novos conceitos, nunca perderão sua parte de verdade os que já aconteceram.
:- ''Fonte: "El Socialismo y el hombre en Cuba", de 12 de março 1965''
 
* '''O mérito de [[Marx]] é que ele imediatamente produziu uma mudança qualitativa na história do pensamento humano'''. Ele interpreta a história, compreende sua dinâmica, prevê o futuro, mas, além de prevê-lo, e aí cessaria sua obrigação científica, '''expressa um conceito revolucionário: não basta interpretar a natureza, é preciso transformá-la. O homem deixa de ser escravo e se converte em arquiteto do próprio destino'''.
 
* Neste momento Marx converte-se em alvo obrigatório de todos aqueles que têm interesse especial em manter o velho, da mesma forma que ocorrera antes à [[Demócrito]], cuja obra foi queimada pelo próprio [[Platão]] e seus discípulos, ideólogos da aristocracia escravista ateniense. A partir de Marx revolucionário, estabelece-se um grupo político com ideias concretas que, apoiando-se nos gigantes, Marx e Engels, e desenvolvendo-se através de sucessivas etapas, com personalidades como [[Lenin]], [[Mao Tsé-Tung]] e os novos governantes soviéticos e chineses, estabelecem um corpo de doutrina e, digamos, exemplos a seguir.
 
* '''A revolução cubana tomou Marx onde este deixa a ciência para empunhar seu fuzil revolucionário'''. E e o toma ali, não por espírito de revisão, de lutar contra o que vem após Marx, de reviver Marx "puro", mas simplesmente porque até ali Marx, o cientista expulso da história, estudava e vaticinava. Depois, Marx revolucionário lutaria dentro da história.
 
* '''Nós, revolucionários práticos, ao iniciar nossa luta, simplesmente cumpríamos leis previstas por Marx cientista'''. E por esse caminho de rebeldia, ao lutar contra a velha estrutura do poder, ao apoiar-nos no povo para destruir essa estrutura e ao ter como base de nossa luta a felicidade desse povo estamos, simplesmente, ajustando-nos às predições de Marx cientista. Ou seja, e é preciso que o ressaltemos uma vez mais, '''as leis do marxismo estão presentes nos acontecimentos da revolução cubana, independentemente de que seus líderes professem, o conheçam cabalmente, do ponto de vista teórico, essas leis'''.
 
=== Contra o Burocratismo (1961) ===
<small>[https://www.marxists.org/portugues/guevara/1961/04/burocratismo.htm Contra o Burocratismo]</small>
 
* '''A nossa revolução foi, em essência, o produto de um movimento guerrilheiro que iniciou a luta armada contra a tirania e a cristalizou na tomada do poder.'''
 
* O burocratismo, evidentemente, não nasce com a sociedade socialista nem é um componente obrigatório dela.
 
=== O Que Deve Ser um Jovem Comunista (1961) ===
<small>[https://www.marxists.org/portugues/guevara/1962/10/jovem.htm O Quê Deve Ser um Jovem Comunista ]</small>
 
* '''Eu acho que a primeira coisa que deve caracterizar um jovem comunista é a honra que sente por ser um jovem comunista.''' Esta honra que o leva a mostrar para todo o mundo sua condição de jovem comunista, que não se submete à clandestinidade, que não o reduz a fórmulas, mas que ele manifesta a cada momento, que lhe sai do espírito, que tem interesse em demonstrar porque é o seu símbolo de orgulho. Junto com isso, um grande sentido do dever para com a sociedade que estamos construindo, com nossos semelhantes como seres humanos e com todos os homens do mundo.
 
* Isso é algo que deve caracterizar o jovem comunista. Ao lado disso, uma grande sensibilidade para com todos os problemas, grande sensibilidade diante da injustiça; espírito inconformado sempre que surja algo que esteja errado seja quem for que o tenha dito.
 
* '''O jovem comunista deve tentar ser sempre o primeiro em tudo, lutar por ser o primeiro, e sentir-se incomodado quando em algo ocupa outro lugar.''' Lutar sempre por melhorar, por ser o primeiro. Claro que não todos podem ser o primeiro, mas sim estar entre os primeiros, no grupo de vanguarda.
 
* '''Ser um exemplo vivo, ser o espelho onde possam olhar-se os homens e mulheres de idade mais avançada que perderam certo entusiasmo juvenil, que perderam a fé na vida e que ante o estímulo do exemplo reagem sempre bem. Eis outra tarefa dos jovens comunistas.'''
 
* Apresenta-se a todo jovem comunista a tarefa de ser essencialmente humano, ser tão humano que se aproxime ao melhor do humano, purificar o melhor do homem por meio do trabalho, do estudo, do exercício de solidariedade continuada com o povo e com todos os povos do mundo, desenvolver ao máximo a sensibilidade até se sentir angustiado quando um homem é assassinado em qualquer canto do mundo e para se sentir entusiasmado quando em algum canto do mundo se alça uma nova bandeira de liberdade.
 
=== O Socialismo e o Homem em Cuba (1965) ===
<small>[https://www.marxists.org/portugues/guevara/1965/03/homem_cuba.htm O Socialismo e o Homem em Cuba]</small>
 
*" Devo dizer, correndo o risco de parecer ridículo, que '''o verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de [[amor]]'''. É impossível imaginar um autêntico revolucionário sem esta qualidade. Talvez seja um dos grandes dramas do dirigente; este deve unir a um espírito apaixonado uma mente fria, e tomar decisões dolorosas sem que nenhum músculo se contraia. Os nossos revolucionários de vanguarda têm de idealizar esse amor aos [[povo]]s, às causas mais sagrada, e torná-lo único, indivisível. Não podem mostrar a sua pequena dose de carinho cotidiano tal como faz o homem comum."
::- ''Déjeme decirle, a riesgo de parecer ridículo, que el revolucionario verdadero está guiado por grandes sentimientos de amor. Es imposible pensar en un revolucionario auténtico sin esta cualidad. Quizás sea uno de los grandes dramas del dirigente; éste debe unir a un espíritu apasionado una mente fría y tomar decisiones dolorosas son que se contraiga un músculo. Nuestros revolucionarios de vanguardia tienen que idealizar ese amor a los pueblos, a las causas más sagradas y hacerlo único, indivisible. No pueden descender con su pequeña dosis de cariño cotidiano hacia los lugares donde el hombre común lo ejercita.
 
* "'''A argila fundamental da nossa obra é a [[juventude]]: nela depositamos a nossa [[esperança]] e preparamo-la para tomar das nossas maosmãos a bandeira."'''
 
*"O nosso [[sacrifício]] é consciente. É a quota a pagar pela [[liberdade]] que construimos."
: ''"Nuestro sacrificio es consciente; cuota para pagar la libertad que construimos."''
 
* A culpa de muito dos nossos intelectuais e artistas reside em seu pecado original: não são autenticamente revolucionários. Podemos tentar enxertar o ulmeiro para que ele dê peras, mas ao mesmo tempo devemos plantar pereiras. Virão novas gerações que estarão livres do pecado original.
 
=== Citações ===
 
*"Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no [[mundo]], então somos companheiros, que é mais importante".
:- ''"...si usted es capaz de temblar de indignación cada vez que se comete una injusticia en el mundo, somos compañeros, que es más importante."''
:- ''Fonte: Carta a María Rosario Guevara, de 20 de fevereiro de 1964''
 
*"Acima de tudo procurem sentir no mais profundo de vocês qualquer injustiça cometida contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. É a mais bela qualidade de um revolucionário"
:- ''"...y sobre todo, sean siempre capaces de sentir en lo más hondo cualquier injusticia cometida contra cualquiera en cualquier parte del mundo. Es la cualidad más linda de un revolucionario."''
:- ''Fonte: Carta de despedida de seus filhos''
 
*"A [[reforma agrária]] radical, a única que pode dar a [[terra]] aos camponeses."
::- ''E. Che Guevara - página 44, [[Ernesto Guevara]], Eder Sader - Editora Atica, 1981 - 216 páginas
 
*"A culpa de muito dos nossos intelectuais e astistas reside em seu pecado original; não são autenticamente revolucionários."
::- ''E. Che Guevara - página 172, [[Ernesto Guevara]], Eder Sader - Editora Atica, 1981 - 216 páginas
 
*"O [[socialismo]] não é uma sociedade beneficente, não é um regime utópico, baseado na bondade do homem como homem. O socialismo é um regime a que se chega históricamente e que tem por base a socialização dos bens fundamentais de produção e a distribuição equitativa de todas as riquezas da sociedade, numa situação de produção social. Isto é, a produção criada pelo [[capitalismo]]: as grandes fábricas, a grande pecuária capitalista, a grande agricultura capitalista, os locais onde o trabalho humano era feito em comunidade, em [[sociedade]]; mas naquela época o aproveitamento do fruto do [[trabalho]] era feito individualmente, pela classe exploradora, pelos proprietários jurídicos dos bens de produção."
::- ''E. Che Guevara - página 172, [[Ernesto Guevara]], Eder Sader - Editora Atica, 1981 - 216 páginas
 
*"A [[mercadoria]] é o núcleo econômico do sistema [[capitalista]] e, enquanto ela existir, seus efeitos se farão sentir na organização da produção e, conseqüentemente, na [[consciência]]."
::- ''La mercancía es la célula económica de la sociedad capitalista; mientras exista, sus efectos se harán sentir en la organización de la producción y, por ende, en la conciencia
:::- ''La revolución latinoamericana - página 131, Ernesto Guevara - Editorial Encuadre, 1973 - 188 páginas
::- ''No negamos la necesidad objetiva del estímulo material, sí somos renuentes a su uso como palanca impulsora fundamental. Consideramos que, en economía, este tipo de palanca adquiere rápidamente categoría per se y luego impone su propia fuerza en las relaciones entre los hombres.
:::- ''El libro verde olivo - página 98, Ernesto Guevara - Editorial Diógenes, 1970 - 236 páginas
 
*"Devo dizer, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é movido por sentimentos de [[amor]]. É impossível imaginar um autêntico revolucionário sem esta qualidade. Talvez seja um dos grandes dramas do dirigente; este deve unir a um espírito apaixonado uma mente fria, e tomar decisões dolorosas sem que nenhum músculo se contraia. Os nossos revolucionários de vanguarda têm de idealizar esse amor aos [[povo]]s, às causas mais sagrada, e torná-lo único, indivisível. Não podem mostrar a sua pequena dose de carinho cotidiano tal como faz o homem comum."
::- ''Déjeme decirle, a riesgo de parecer ridículo, que el revolucionario verdadero está guiado por grandes sentimientos de amor. Es imposible pensar en un revolucionario auténtico sin esta cualidad. Quizás sea uno de los grandes dramas del dirigente; éste debe unir a un espíritu apasionado una mente fría y tomar decisiones dolorosas son que se contraiga un músculo. Nuestros revolucionarios de vanguardia tienen que idealizar ese amor a los pueblos, a las causas más sagradas y hacerlo único, indivisible. No pueden descender con su pequeña dosis de cariño cotidiano hacia los lugares donde el hombre común lo ejercita.
:::- ''"El Socialismo y el hombre en Cuba", de 12 de março 1965
 
* "Escuta, avó proletária: crê no homem que chega, crê no futuro que nunca verás [...] Acima de tudo, terás uma rubra vingança, juro pela exata dimensão dos meus ideais. Morre em paz, velha lutadora."
:::- ''El libro verde olivo - página 203, Ernesto Guevara - Editorial Diógenes, 1970 - 236 páginas
 
== Atribuídas ==
 
*“Não me esperem para a colheita, pois estarei sempre a semear...”
::- citado in: Revolucionários! - [https://books.google.com.br/books?id=6y-xCQAAQBAJ&pg=PA41 página 41], Maria Helena Guedes, Clube de Autores, 2015, 305 páginas
 
[[Categoria:Políticos da Argentina]]
[[Categoria:Revolucionários]]
[[Categoria:Ateus]]
277

edições