Wikiquote:Tema em destaque/2015/Dezembro

2 de dezembroEditar

OLÍCIA é a atividade de assegurar a segurança das pessoas e bens, sobretudo através da aplicação da lei. Por extensão, o termo "polícia" é também utilizado para designar as corporações e as pessoas que têm como principal função o exercício daquela atividade.

Citações sobre o temaEditar

- Les gouvernements passent, les sociétés meurent, seule la Police est éteraelle
- Honoré de Balzac citado em Revista do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária‎, de Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (Brazil), Página 159
  • "Chegamos a um ponto em que mercenários estrangeiros poderiam ser mais confiáveis do que a polícia. Poderiam nos proteger melhor."
- "A tapas e pontapés";Por Diogo Mainardi; Publicado por Editora Record, 2004; ISBN 8501070815, 9788501070814; 206 páginas
  • "Abunda a malícia onde falta a polícia."
- Provérbios em Português
  • "Não vai ser fácil transformar os policiais do Brasil em cidadãos que respeitam as leis. A brutalidade deles é reforçada por uma crise no sistema judiciário e pela tendência dos brasileiros em confundir pobreza com criminalidade."
- Editorial do jornal The New York Times; Fonte: Revista Veja (20/08/97)

16 de dezembroEditar

IDRO é uma substância inorgânica, homogênea e amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa líquida a base de sílica.


Citações sobre o temaEditar

  • "Quem tem telhado de vidro não atira pedras ao do vizinho."
- Provérbios em Português
- La sincérité est de verre la discrétion est de diamant !
- André Maurois citado em "Auto moto‎" - Página 100, de Société d'Information et de Publication - Publicado por François Gentile, 1994
- The more sand has escaped from the hour-glass of our life, the clearer we should see through it.
- Jean-Paul Sartre in Rapport du Comité consultatif: Report of the Advisory committee - Página 362, International Financial Conference, League of Nations - 1837
  • Entre mim e a vida há um vidro ténue. por mais nitidamente que eu veja e compreenda a vida, eu não lhe posso tocar.
- Fernando Pessoa; "Autobiografia sem Factos". (Assírio & Alvim, Lisboa, 2006, p. 100)