Provérbios portugueses


AEditar

  • "A paixão é cega."[1]
  • "A vida não tem preço."[1]
  • "As aparências iludem."[1]

BEditar

CEditar

  • "Cesteiro que faz um cesto faz um cento."[1]

DEditar

  • "Da discussão nasce a luz."[1]
  • "Dar a César o que é de César."[1]
  • "Das duas, uma."[1]
  • "Deixar entrar pela porta o que saiu pela janela."[1]
  • "Duas cabeças pensam melhor do que uma."[1]

EEditar

  • "Em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão."[1]
  • "Em política, o que parece é."[1]
  • "Entre marido e mulher não metas a colher."[1]

FEditar

  • "Filho és, pai serás, conforme fizeres, assim acharás."[1]

GEditar

  • "Gato escaldado, de água fria tem medo."[1]
  • "Gato escondido com o rabo de fora."[1]
  • "Gira o disco e toca a mesma."[1]

HEditar

IEditar

  • "Ir à lã e sair tosquiado."[1]

JEditar

  • "Justiça tardia não é Justiça."[1]

KEditar

LEditar

MEditar

  • "Mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo."[1]
  • "Mais vale tarde do que nunca."[1]
  • "Mais vale um mau acordo, do que uma boa demanda."[1]
  • "Meter o carro à frente dos bois."[1]

NEditar

  • "Na primeira quem quer cai, na segunda cai quem quer."[1]
  • "Não basta ser, é preciso parecer."[1]
  • "Não existe crime, onde não existe motivo."[1]
  • "Não há duas sem três."[1]
  • "Não há fumo sem fogo."[1]
  • "Não há regra sem excepção."[1]
  • "Não queira o sapateiro ir para além do chinelo."[1]
  • "Não ter onde cair morto."[1]
  • "Nem tudo o que parece é."[1]
  • "No meio está a virtude."[1]

OEditar

  • "O crime compensa."[1]
  • "O dinheiro não fala."[1]
  • "O Direito é uma ciência de rigor."[1]
  • "O futuro a Deus pertence."[1]
  • "O que não tem remédio, remediado está."[1]
  • "O que nasce torto, tarde ou nunca se endireita."[1]
  • "O respeito não se ganha, conquista-se."[1]
  • "O sábio aponta para a lua; o tolo olho para o dedo."[1]
  • "O segredo é a alma do negócio."[1]
  • "O seu a seu dono."[1]
  • "Os carros não foram feitos para bater."[1]
  • "Ou há moralidade, ou comem todos."[1]

PEditar

  • "Pagar e morrer, quanto mais tarde melhor."[1]
  • "Pai imprudente torna o filho desobediente."[1]
  • "Para inglês ver."[1]
  • "Para tudo na vida há remédio, menos para a morte."[1]
  • "Para tudo na vida há um tempo."[1]
  • "Pas d'argent, pas de Suisse."[1]
  • "Perdido por cem, perdido por mil."[1]
  • "Preso por ter cão e preso por não o ter."[1]

QEditar

  • "Quando um não quer, dois não brigam."[1]
  • "Quanto mais me bates, mais gosto de ti."[1]
  • "Quem cabritos vende e cabras não tem, de algum lado lhe vem."[1]
  • "Quem cala consente."[1]
  • "Quem compra a carne, também tem que levar o osso."[1]
  • "Quem diz o que quer, ouve o que não quer."[1]
  • "Quem é vivo sempre aparece."[1]
  • "Quem espera desespera."[1]
  • "Quem estraga velho, paga novo."[1]
  • "Quem exige respeito tem que se dar ao respeito."[1]
  • "Quem faz um cesto, faz um cento."[1]
  • "Quem não deve, não teme."[1]
  • "Quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele."[1]
  • "Quem não se sente, não é filho de boa gente."[1]
  • "Quem pisa em cima de ovos, não pode calçar tamancos."[1]
  • "Quem vê caras, não vê corações."[1]

REditar

SEditar

  • "Ser mais papista que o papa."[1]
  • "Sol na eira e chuva no nabal."[1]

TEditar

  • "Tanto é ladrão o que vai à vinha, como o que fica ao portal."[1]
  • "Tão ladrão é o que vai à vinha, como o que fica ao portal."[1]
  • "Ter um peso na consciência."[1]
  • "Tim tim por tim tim."[1]

UEditar

VEditar

  • "Vender gato por lebre."[1]

XEditar

YEditar

ZEditar

  • "Zangam-se as comadres, descobrem-se as verdades."[1]


Referências

Veja tambémEditar