Abrir menu principal
Lêdo Ivo em outros projetos:

Lêdo Ivo ((Maceió, 18 de fevereiro de 1924 — Sevilha, 23 de dezembro de 2012) foi jornalista, poeta, romancista, contista, cronista e ensaísta.



  • O portão fica aberto o dia inteiro
mas à noite eu mesmo vou fechá-lo.
Não espero nenhum visitante noturno
a não ser o ladrão que salta o muro dos sonhos.
A noite é tão silenciosa que me faz escutar
o nascimento dos mananciais nas florestas.
Minha cama branca como a via-láctea
é breve para mim na noite negra.
Ocupo todo o espaço da mundo. Minha mão
desatenta
derruba uma estrela e enxota um morcego.
- poesia "O Portão" in: A noite misteriosa: poesia - Página 9, Lêdo Ivo, ‎Carlos Montemayor - Editora Record, 1982, 147 páginas
  • Haicai
Noite de Domingo
Acabou-se a festa.
Resta, no silêncio,
o rumor da floresta.
O Lago Habitado
Na água trêmula
freme a pálida
anêmona.
- "Noite de Domingo" in: O soldado raso (Volume 4 de Coleção Toda a poesia) - Página 51, Lêdo Ivo - M. Ohno Editor, 1988, 140 páginas
  • Não tenho mais canções de amor.
Joguei tudo pela janela.
Em companhia da linguagem
fiquei, e o mundo se elucida.
- "Canto Grande" in: Antologia poética - Página 56, Lêdo Ivo - Editôra Leitura, 1965, 170 páginas