Abrir menu principal

Jasmin St. Claire

Atriz americana
Jasmin St. Claire
Jasmin St. Claire
Jasmin St. Claire em outros projetos:

Jasmin St. Claire, nome artístico de Rhea Alexandria Devlugt (nasceu dia 23 de outubro de 1970, nas Ilhas Virgens Americanas); atriz de filmes pornográficos, tornou-se famosa quando estrelou um filme no qual mantem relações sexuais com 300.


  • "Pessoas na indústria pornô são estúpidas e sem educação, não tem nada em comum comigo. Têm uma mente pequena e limitada. Eu estudo, viajo, falo diversas linguas, me dou bem com todo mundo, tenho cultura."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Qualidade é melhor do que quantidade."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Perdi a virgindade com dezoito anos e foi ótimo. Foi com um namorado e eu estava flutuando nas nuvens. Nunca fui promíscua ou sexualmente agressiva antes"
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Comecei com fotos em revistas masculinas, depois fiz videos softcore para Playboy, e queria começar a dançar em strip bars profissionalmente. Para promover os shows, é indispensável fazer filmes de sexo. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Eu gostei de fazer o filme, na maioria do tempo, mas depois da primeira centena eu fiquei meio dolorida, cansada, não queria estar ali, e a maioria dos caras eram tão feios que eu ficava pensando pra mim mesma, o que estou fazendo aqui? Mas foi divertido. Durante as filmagens mandei expulsar um cara que tinha um implante no pênis, e outro cara enfiou o dedo em mim, o que não era permitido. Mandei embora também um cara que ficava enfiando o dedo no nariz e se masturbando ao mesmo tempo."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "O pagamento normal pelos meus filmes é um pacote de duas cenas e a capa da fita. Geralmente são seis mil dólares por dois dias de trabalho. O pagamento comum costuma ser menor, mas é melhor para quem faz hardcore, como sexo anal e dupla penetração. Neste filme o pagamento chegou a cinco dígitos. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Não considero pornografia arte, considero cinema erótico, e me considero uma atriz erótica. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Existe teste do sofá, mas nunca fiz, sempre fui profissional e meu manager cuidou do meu contrato. Tive que transar com 300 caras para chegar ao topo, mas não transei com o diretor. É um mau negócio para o diretor transar com uma estrela pornô, porque ai ela controla o trabalho."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Não faz mais sentido tentarem superar o recorde, tenho certeza que alguém o fará, mas já está muito batido. Já fiz isso, passei por isso, trabalho agora para ser uma estrela muito maior, e eventualmente até esquecerão que fiz esse gang-bang. Você sabe qual foi o primeiro filme da Michelle Pfeiffer? Entende o que quero dizer? Mulheres fazem filmes x-rated porque: a. não sabem fazer mais nada, b. são viciadas em drogas e precisam manter o vício, c. foram abusadas sexualmente pelos seus pais. Eu tenho ambição e um plano para ganhar um quarto de milhão de dólares em três anos. Estou chegando lá."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Eu adoraria transar com os meus fãs, no mínimo vinte de cada vez, de vinte pra cima tudo bem, fale para entrarem em contato com a Sexxy Video. Você não quer participar? Tem que ser filmado, é a única exigência. Sexo sem cameras é meu e pessoal só no meu próprio tempo. Muitas atrizes se prostituem em seu tempo livre. Durante as tournees de strip sempre recebo propostas indecentes, mas prefiro ficar no hotel no quarto vendo tv e comendo pizza."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Não dou conselhos para outras atrizes, pessoas diferentes gostam de coisas diferentes. Aprendi muito nos últimos anos. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "O meu tipo favorito de homem seria Max Cavalera do Sepultura. Não sei o que ele está fazendo com a aquela mulher (Gloria). Ela não entende a carreira dele e é invejosa. Eu me casaria e moraria com ele em São Paulo numa boa, mas gosto de todos os tipos de homem. Adorei o Brasil, gostaria de morar aqui com Max, sou apaixonada por ele. Fui a vários shows do Sepultura"
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Não sou solitária. Tenho muitos amigos fora do meu trabalho que me aceitam como sou. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Minha posição favorita é de quatro (doggy style)"
- entrevista concedida em São Paulo
  • "A melhor coisa do meu trabalho são as cenas anais, e as cenas faciais, quando gozam na minha cara."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "A pior coisa são os idiotas com quem eu tenho que trabalhar. Os homens da indústria pornô são todos tolos. Agora nos meus filmes a minha primeira cena é com um profissional, e a segunda eu faço com 5 ou 6 fãs selecionados. Prefiro fazer cenas com meus fãs do que com Tom Byron ou um outro idiota. Os egos deles são enormes, metade nunca frequentou uma escola, e ganham 300 dólares por dia para transar com mulheres. Para mim, homens da indústria pornô são meat puppets (fantoches de carne). Eu adoro transar com meus fãs, porque eles não tem egos inflados e vem sem nenhuma atitude, e nos divertimos muito. Quero voltar ao Brasil e fazer um filme com vinte brasileiros."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Os 300 caras eram fãs de filmes pornôs, e voluntários, todos tinham exame de aids e usaram camisinha."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Voltei pra casa dolorida, mas fiz sexo com o meu namorado na mesma noite da filmagem. No dia seguinte a dor continuava, mas tinha que dar uma entrevista em uma rádio e correu tudo bem. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Não gosto de mulheres da indústria pornô, eu frequento a faculdade, elas me odeiam, são invejosas, são minhas inimigas. Não assisto filmes que não sejam os meus, como autocrítica. Tenho uma carreira lucrativa de stripper, ganho mais do que mulheres conhecidas como Amber Lynn e Ashlyn Gere, essas velhas. Tenho vinte números ensaiados, com personagens, trilha sonora personalizada, tenho uma performance de Esmeralda, personagem do Corcunda de Notre Dame, e outras caracterizações, com roupa e produção especiais. Faço Cleópatra e outras... É diferente fazer filmes e dançar, nos filmes sempre tem meia dúzia de pessoas me agarrando, e dançando ninguém me toca e estou controlando tudo. Tenho seguranças e tudo corre bem."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Não sou uma boa atriz dramática, estou melhorando e agora tenho scripts de até 50 páginas para decorar, mas não acredito que alguém que assiste filmes eróticos se preocupe com boas atuações, exceto sexuais..."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Depois do filme, os homens ficam mais intimidados comigo, e tem medo de se aproximar. As pessoas tem que ter uma mente mais aberta, os tempos são outros. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Trabalhei em um filme com a Annabelle Chong, que tinha o recorde anterior. Não pude conversar com ela sobre gang-bangs, porque ela estava completamente bêbada a maioria do tempo. Uma vez ela esteve no meu carro e começou a se masturbar e lhe disse para parar. Estavamos no meu Mazda Miata conversível. Ela tem um problema com drogas mas parece ser uma boa pessoa."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Tenho orgasmos com dupla penetração, sexo vaginal, anal, e até enquanto faço sexo oral nos outros. Quanto mais satisfaço os homens mais me excito. Sexo é uma troca. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "O que mais excita os homens é brincar com seus testiculos e ânus. Também gozar na cara. Adoro isso, adoro engolir esperma, é ótimo para o cabelo. Sempre gostei. Quem acha nojento deveria abrir sua mente e perceber que é por isso que os homens traem suas mulheres, porque elas não lhes dão o que eles querem."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Tamanho de pênis não faz diferença, qualquer coisa acima de 12 cm está ótimo."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Filmes pornô são a última coisa que eu pensei que iria fazer quando criança. Eu fiz faculdade, tenho um business degree, falo três linguas, e estou me formando em línguas, terminando o masters degree na UCLA (Los Angeles) com diploma para educadora. Sempre quis ser professora, e daqui a dois anos quando terminar a minha carreira de atriz pornô, serei professora."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Fiz os meus peitos quando tinha 19 anos, mudei o meu nariz, e a cor do meu cabelo é artificial, o resto é natural. Se você quer ganhar dinheiro neste negócio, não há alternativa. Se você não tem peitos enormes, ganha duzentos ou trezentos dólares a cena. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Até onde podemos ir com sexualidade no vídeo? Já fiz cenas transando na lama. Piercing no mamilo e no clitóris na tela, não sei, tudo jã foi feito. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Havia três fluffers (atrizes menos famosas e iniciantes) que ficavam fazendo sexo oral nas pessoas que aguardavam a sua vez."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Existe muita inveja no meio em que trabalho e sinto isso muito mais depois da projeção causada pelo recorde."
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Estava assustada na minha primeira cena de sexo grupal. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Só trabalho com o diretor John T. Bone, que me induziu a fazer a primeira cena anal. Eu gritei muito, pensaram que estava gostando, mas estava doendo demais. Primeiro detestei John, hoje somos como pai e filha. "
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Já namorei com Marky Mark, e ele esteve em um filme chamado Boogey Nights sobre a indústria pornô, e o filme não tem nada a ver com a realidade. Outros namorados foram Corey Feldman, o Lemmy do Motorhead, o baixista do Scorpions. Não gosto mais de rock stars porque não dão nenhum valor a suas mulheres. Meus namorados pessoais geralmente não aguentam muito tempo comigo, mas ai vou a praia e cinco minutos depois, novo namorado!"
- I've dated Marky Mark, he was in Boogey Nights , a film about the adult industry, and it has nothing to do with reality. Other boyfriends have been Corey Feldman, Lemmy from Motorhead, and the bass player in Scorpions. I don't like rock stars because they don't value their women. My personal boyfriends usually don't last very long, but then I go to the beach, and five minutes later: new boyfriend!
- entrevista concedida em São Paulo
  • "Eu não finjo orgasmos e gozo nas cenas pra valer. Na minha vida sexual pessoal tudo é diferente, nos filmes não beijo ninguem na boca e não deixo que mexam nos meus peitos. Também não transo com dois caras na minha vida pessoal. "
- entrevista concedida em São Paulo

FonteEditar