Abrir menu principal
Geddel Vieira Lima
Geddel Vieira Lima em outros projetos:

Geddel Quadros Vieira Lima (Salvador, 18 de março de 1959) é um administrador de empresas, pecuarista, cacauicultor e político brasileiro (PMDB-BA).


  • "Cada dia estou mais motivado para disputar o governo da Bahia".
- Radar on-line, coluna de Lauro Jardim - 22 de junho de 2009.
  • "Nem eu".
- Ao responder à frase "Geddel, pode ficar tranquilo, não sou candidato ao Senado", proferida pelo desafeto José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobrás. Coluna Painel da Folha de São Paulo - 04 de junho de 2009
  • "Neste caso, o PMDB estará livre para fazer o que quiser em 2010".
- Coluna Painel da Folha de São Paulo – 6 de abril de 2008, sobre o rompimento do PT com o PMDB do prefeito de Salvador, João Henrique, que tentava a reeleição.
  • "Ele está tomando Viagra de mais e Lexotan de menos."
- Geddel Vieira Lima, líder do PMDB na Câmara, em fevereiro, quando ACM voltava a ser Malvadeza - Revista Veja a 26 de dezembro de 2001.
  • “Governar é eleger prioridades".
- Sobre o Governo de Jaques Wagner, na Bahia, em entrevista dada ao site Bahia Notícias, em 12/09/2009.
  • "Nunca vesti outra camisa nem agitei outra bandeira que não a

do PMDB. Não pretendo mudar".

- Sobre a sua posição partidária, ao Blog do Gomes em dezembro de 2008.
  • "Sou Geddel Vieira Lima. Não quero me espelhar em um político que combati e que me combateu tanto".
- Ao ser perguntado se era um novo ACM, em entrevista no Pombal Notícias.
  • "Na minha vida, não há perseguições e ataques à honra".
- Sobre a sua forma de fazer política, em entrevista a um blog baiano.
  • "Se dissesse que não quero influenciar o destino do meu estado, estaria dizendo que sou um político sem projeto".
- Ao ser perguntado se gostaria de ser governador da Bahia, Blog do Gomes, em dezembro de 2008.
  • "Sou contemporâneo do futuro, e não escravo do passado".
- Ao Blog Pombal Notícias, em dezembro de 2008.


  • "Não adianta ser ministro se não puder ajudar a Bahia".
- Em entrevista ao site da Fundação Luís Eduardo Magalhães.
  • "O que precisamos, efetivamente, é ter coragem de desmistificar o preconceito e dar conhecimento desse projeto aos baianos para mostrar que ele não faz mal nenhum ao nosso Estado e ajuda outros".
- Sobre a transposição do São Francisco, em entrevista ao site da Fundação Luís Eduardo Magalhães.
  • "Se mudei ao longo da vida, mudei para manter-me fiel aos valores da democracia republicana e da liberdade, num mundo

em permanente transformação".

- Em seu discurso de posse, como Ministro da Integração Nacional.


  • "A pobreza é a semente do desespero e o campo fértil da revolta.".
- Em seu discurso de posse, como Ministro da Integração Nacional.


  • "Eu aprendi que não há caminho mais curto para se conquistar benefícios à população do que o de entendimento, do diálogo, da busca de soluções negociáveis".
- Em entrevista ao site da Fundação Luís Eduardo Magalhães.
  • "Quem, naquela época, iria saber que o Nicolau era o Lau-Lau?"
- Geddel Vieira Lima, deputado federal (PMDB-BA), condenando uma CPI para apurar as relações do ex-secretário-geral da Presidência Eduardo Jorge com o juiz Nicolau dos Santos Neto, pivô do escândalo da construção do fórum do TRT de São Paulo
- Fonte: Revista Veja, Edição 1 658 - 19/7/2000

SobreEditar

  • "Então este aqui devia se chamar 'Leddel' "
- Luiz Inácio Lula da Silva, em resposta a um prefeito, de nome Romulado, durante a passagem da comitiva que visita as obras de transposição do rio São Francisco pelo município baiano de Barra. Lula encontrou-se com um grupo de 30 prefeitos. O presidente Lula respondia à frase "Ninguém fez pelo Nordeste o que fizeram três nomes que começam com "l": Lampião, Luiz Gonzaga e Lula!"
- Coluna Painel da Folha de São Paulo - 15 de outubro de 2009