Florestan Fernandes: diferenças entre revisões

Sem alteração do tamanho ,  19 de setembro de 2009
*“Sou um marxista que acha que a solução para os problemas dos países capitalistas está na revolução. Dizes isso não é uma fanfarronice. É assumir, de forma explícita, o dever político mínimo que pesa sobre alguém que é militante, embora não esteja em um partido comunista e que, afinal de contas, tentou, durante toda a vida, manter uma coerência que liga a responsabilidade intelectual à condição de socialista militante e revolucionário”.
:'''Fonte: FERNANDES, Florestan. Que tipo de República?. 2.ed. São Paulo : Ed. Brasiliense, 1986.'''
 
 
*“Eu, felizmente, não cumpri o caminho comum entre imigrantes, de aspirar à ascensão social e adotar as técnicas das classes dominantes. Fiquei fiel a minha origem social”.
:'''Fonte: Folha de São Paulo, 22/01/95'''
 
 
*“Eu tenho uma vida vivida. Isso é muito importante. Agora, é preciso ver qual o horizonte intelectual da pessoa, porque a idade não é um valor. A pessoa pode viver vegetativamente ou de uma forma criadora, não importam as suas origens”.
5

edições