Diferenças entre edições de "Estados Unidos da América"

1 162 bytes adicionados ,  19h44min de 11 de agosto de 2009
sem resumo de edição
 
 
*"Mexicanos dotados de grande [[dignidade]], [[força]] de [[vontade]] e [[capacidade]] de [[trabalho]] estão executando tarefas que nem os pretos querem fazer nos Estados Unidos."<ref>{{citar web|url=http://veja.abril.com.br/250505/vejaessa.html|título=Veja essa|autor=Veja Online|autorabrev=Veja|data=25 de maio de 2005}}</ref>
:- ''[[Vicente Fox]], presidente do México, num discurso que o obrigou a se desculpar pela manifestação de preconceito racial; Revista Veja Edição 1906 . 25 de maio de 2005''
 
* "Os Estados Unidos são como um bebê com uma bomba na mão."<ref>{{citar web|url=http://veja.abril.com.br/300703/vejaessa.html|título=Veja essa|autor=Veja Online|autorabrev=Veja|data=30 de julho de 2003}}</ref>
:- ''[[Neil Young]] no jornal inglês The Guardian''
 
* "Por várias razões, [[Brasília]] exerce um fascínio sobre os cidadãos dos Estados Unidos. Brasília é uma epopéia digna das vastas possibilidades e aspirações desta nação".{{carece de fontes}}
:- ''[[Dwight D. Eisenhower]]''
:- ''Fonte: SILVA, Ernesto. História de Brasília: Um Sonho, Uma esperança, Uma Realidade. p. 378. Brasília: CDL , 1997. ''
 
* "Filmar na Europa era um pouco diferente de trabalhar nos Estados Unidos. Há uma cena em “Hercules” onde eu estou preso a correntes. As correntes pareciam de aço, mas foram feitas realmente da madeira, e eu tive que balançar estas correntes em “meus inimigos” supostos que estavam avançando contra mim. Bem, eu tive receio de golpear alguém com meus movimentos bruscos, mas o diretor gritou, “balança estas correntes, mas balance-os duramente”. E eu disse: “Eu não quero ferir alguém”. E o diretor gritou: “se não o fizer, estes figurantes não serão pagos”. Imediatamente, os figurantes partiram em minha direção e balancei as correntes. Se machuquei algum figurante, nenhum se queixou, mas no fim, acabaram todos ganhando seu quinhão por mim”."{{carece de fontes}}
:- ''[[Steve Reeves]]''
 
* "A educação universitária de elite nos Estados Unidos virou uma indústria comercial frenética, um espetáculo repulsivo de esnobismo de marca e materialismo explícito. Pais que pagam mais de US$ 40 mil ao ano por um diploma de Harvard para seus filhos estão ávidos por status, mas não há evidência de que a educação em Harvard seja superior à de centenas de outras boas universidades."<ref>{{citar web|url=http://www.ditados.com.br/autor.asp?autor=Camille%20Paglia|título=Frases de Camille Paglia|autor=Ditado|autorabrev=Ditados|data=11 de agosto de 2009}}</ref>
:- ''[[Camille Paglia]]''
 
* "Pobre México. Tão longe de Deus e tão próximo dos Estados Unidos..."<ref>{{citar web|url=http://www.unicamp.br/unicamp/divulgacao/2007/04/09/pan-america-da-utopia-ao-desencanto-segundo-foot-hardman|título=Pan-América: da utopia ao desencanto, segundo Foot Hardman|autor=Universidade Estadual de Campinas|autorabrev=Unicamp|data=8 de abril de 2007}}</ref>
:- ''Provérbio mexicano''
 
* "A notícia de que o [[Alcorão]] estava sendo desrespeitado pelos interrogadores na base de prisioneiros de Guantánamo ocasionou protestos que resultaram em dezesseis pessoas mortas e 100 feridas no Afeganistão. Mas a notícia de que 400 muçulmanos iraquianos, na maioria xiitas e curdos, foram mortos no Iraque por jihadistas e partidários de Saddam não mereceu um único protesto em lugar algum do mundo islâmico." <ref>{{citar web|url=http://veja.abril.com.br/250505/vejaessa.html|título=Veja essa|autor=Veja Online|autorabrev=Veja|data=25 de maio de 2005}}</ref>
:- ''[[Thomas L. Friedman]], no jornal [[The New York Times]]''
 
 
==Referências==