Diferenças entre edições de "Natalie Paley"

58 bytes adicionados ,  20h57min de 14 de junho de 2009
sem resumo de edição
 
'''[[w:Natália Pavlovna Paley|Natália Pavlovna Paley]]''' ''([[5 de Janeiro]] de [[1905]] - [[23 de Dezembro]] de [[1981]])
Mais conhecida pelo seu nome artístico, Natalie Paley era a filha mais nova do Grão-duque Paulo Alexandrovich e da sua segunda esposa, a plebéia Olga Paley. Ficou principalmente conhecida na chamada "sociedade de café" parisiense e noviorquina das décadas de 1930 e 1940 e também pela sua carreira como modelo. Foi casada com o estilista Lucien Lelong e manteve vários casos extra-conjugais, sendo o mais conhecido com [[Jean Cocteu]]. Tentou também uma carreira no cinema, tendo participado em seis filmes entre 1933 e 1936.''
----
 
 
* "Se te aproximasses demasiado da minha cama, iria agarrar-te com os meus dois braços e agitar-te como uma árvore e obrigar-te a dar-me os teus frutos."
:-''[[Antoine de Saint-Exupéry]] citado no livro "Sept lettres à Natalie Paley (1942 – 1943)"''
 
* "Eu acredito no arcanjo Gabriel. Mas olha, céus, como ele está disfarçado. Mas eu não posso não saber que me deram a mão. Pela primeira vez em muito tempo, fecho os olhos para ouvir a paz do meu coração. Não tenho de desviar o olhar.
Não consigo evitar senão fechar os olhos se estou feliz. (...) És para mim como uma maravilhosa protecção.
* Claro que te farei mal. Claro que me farás mal. Claro que podemos, mas essa é a condição da existência. Receber a Primavera significa tomar os riscos do Inverno. Se desistir agora será tomar o risco da ausência. Amo-te."
:-''[[Antoine de Saint-Exupéry]] citado no livro "Sept lettres à Natalie Paley (1942 – 1943)"''
 
* "Estou perdido e infeliz. Consola-me."
:-''[[Antoine de Saint-Exupéry]] citado no livro "Sept lettres à Natalie Paley (1942 – 1943)"''
 
== Sobre Natalie Paley ==
 
* "A Natalie Paley era a minha amante. Nós amavamo-nos. Aquela foi a nossa lua de mel.(...) Rimo-nos sem preocupações. Ela ficou grávida e nós sonhamos com um futuro melhor. A mamã, que tinha sido uma desmancha-prazeres, acabou por ter razão."
:-'' [[Jean Cocteau]]. O livro ''Mère, mon beau souci Seize poètes et leurs mères' de Natalie Kauffman cita-a como parte do diário de Jean Cocteau ''
 
* "Ela tem os braços mais bonitos do mundo."
 
[[Categoria:Pessoas]]
[[categoria:Família imperial russa]]
56

edições