Diferenças entre edições de "Memórias Póstumas de Brás Cubas"

386 bytes adicionados ,  23h10min de 14 de maio de 2009
sem resumo de edição
:- ''Capítulo XVII; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/XVII|wikisource]])''
* "(...)Fiquei só; mas a musa do capitão varrera-me do espírito os pensamentos maus; preferi dormir, que é o modo interino de morrer."
:- ''Capítulo XIX; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/XIX|wikisource]])''
:Cap. 19:
 
* "Não pude dormir; estirei-me na cama, é certo, mas foi o mesmo que nada.
:Ouvi as horas todas da noite. Usualmente, quando eu perdia o sono, o bater da pêndula fazia-me muito mal; esse tique -taque soturno, vagaroso e seco, parecia dizer a cada golpe que eu ia ter um instante menos de vida. Imaginava então um velho diabo, sentado entre dois sacos, o da vida e da morte, a tirar as moedas da vida para dá-las à morte, e a contá-las assim:
:- Outra de menos...
:- Outra de menos...
:- Outra de menos...
:O mais singular é que, se o relógio parava, eu dava-lhe corda, para que ele não deixasse de bater nunca, e eu pudesse contar todos os meus instantes perdidos. Invenções há, que se transformam ou acabam; as mesmas instituições morrem; o relógio é definitivo e perpétuo; o derradeiro homem, ao despedir-se do sol frio e gasto, há de ter um relógio na algibeira, para saber a hora exata em que morre."
:- ''Capítulo LIV; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/LIV|wikisource]])''
:Cap. 54:
 
* "- Assim, pois, o sacristão da Sé, um dia, ajudando à missa, viu entrar a dama, que devia ser sua colaboradora na vida de Dona Plácida. Viu-a outros dias, durante semanas inteiras, gostou, disse-lhe alguma graça, pisou-lhe o pé, ao acender os altares, nos dias de festa. Ela gostou dele, acercaram-se, amaram-se. Dessa conjunção de luxúrias vadias brotou Dona Plácida. E de crer que Dona Plácida não falasse ainda quando nasceu, mas se falasse podia dizer aos autores de seus dias: - Aqui estou. Para que me chamastes? E o sacristão e a sacristia naturalmente lhe responderiam: - Chamamos-te para queimar os dedos nos tachos, os olhos na costura, comer mal, ou não comer, andar de um lado para outro, na faina, adoecendo e sarando, com o fim de tornar a adoecer e sarar outra vez, triste agora, logo desesperada, amanhã resignada, mas sempre com as mãos no tacho e os olhos na costura, até acabar um dia na lama ou no hospital; foi para isso que te chamamos, num momento de simpatia."
:- ''Capítulo LXXV; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/LXXV|wikisource]])''
:Cap. 75:
 
* "Minto: amanheceu morta; saiu da vida às escondidas, tal qual entrara. Outra vez perguntei, a mim mesmo, como no capítulo 75, se era para isto que o sacristão da Sé e a doceira trouxeram Dona Plácida à luz, num momento de simpatia específica. Mas adverti logo que, se não fosse Dona Plácida, talvez os meus amores com Virgília tivessem sido interrompidos, ou imediatamente quebrados, em plena efervescência; tal foi, portanto, a utilidade da vida de Dona Plácida. Utilidade relativa, convenho; mas que diacho há absoluto nesse mundo?"
:- ''Capítulo CXLIV; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/CXLIV|wikisource]])''
:Cap. 144
 
* "O acaso determinou o contrário; e aí vos ficais eternamente hipocondríacos. Este último capítulo é todo de negativas. Não alcancei a celebridade do emplasto, não fui ministro, não fui califa, não conheci o casamento. Verdade é que, ao lado dessas faltas, coube-me a boa fortuna de não comprar o pão com o suor do meu rosto. Mais; não padeci a morte de Dona Plácida, nem a semidemência do Quincas Borba. Somadas umas coisas e outras, qualquer pessoa imaginará que não houve míngua nem sobra, e conseguintemente que sai quite com a vida. E imaginará mal; porque ao chegar a este outro lado do mistério, achei-me com um pequeno saldo, que é a derradeira negativa deste capítulo de negativas: - Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria."
:- ''Capítulo CLX; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/CLX|wikisource]])''
:Cap. 160 (Último)
 
* "Matamos o tempo, o tempo nos enterra"
1 493

edições