Abrir menu principal

Alterações

756 bytes adicionados ,  19h19min de 10 de março de 2009
m
fonte
 
* "Criminosos são uma pequena minoria em qualquer época ou [[país]]. E o dano que eles causaram à [[humanidade]] é infinitesimal quando comparado com os horrores-- o derramamento de sangue, as guerras, as perseguisões, as fomes, as escravizações, as destruições em grande escala-- perpetradas pelos [[governo]]s da [[humanidade]]. Potencialmente, o governo é a mais perigosa ameaça aos direitos do homem: ele mantem o monopólio do uso de [[força]] física contra [[vítima]]s legalmente desarmadas. Quando irrestrito e ilimitado pelos direitos individuais, um governo é o mais mortal inimigo do homem".
::- ''Criminals are a small minority in any age or country. And the harm they have done to mankind is infinitesimal when compared to the horrors-the bloodshed, the wars, the persecutions, the confiscations, the famines, the enslavements, the wholesale destructions-perpetrated by mankind’s governments. Potentially, a government is the most dangerous threat to man’s rights: it holds a legal monopoly on the use of physical force against legally disarmed victims. When unlimited and unrestricted by individual rights, a government is men’s deadliest enemy. ''
:- ''[[Ayn Rand]]''
:::- ''The virtue of selfishness: a new concept of egoism‎ - Página 115, de [[Ayn Rand]], Nathaniel Branden - Publicado por Signet/New American Library, 1964, ISBN 0451163931, 9780451163936 - 173 páginas''
 
* "Eis que temos aqui a [[Poesia]], / A grande Poesia. / Que não oferece signos / Nem [[linguagem]] específica, não respeita / Sequer os limites do [[idioma]]. / Ela flui, como um [[rio]]. / Como o sangue nas [[artéria]]s, / Tão espontânea que nem se sabe como foi escrita. / E ao mesmo tempo tão elaborada - / Feito uma [[flor]] na sua perfeição minuciosa, / Um [[cristal]] que se arranca da [[terra]] / Já dentro da [[geometria]] impecável / Da sua lapidação".