Diferenças entre edições de "Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres"

6 613 bytes adicionados ,  05h59min de 9 de março de 2009
sem resumo de edição
* "Ela sabia que não devia pedir o impossível: a resposta não se pede."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 55''
 
* "Alivia a minha alma, faze com que eu sinta que Tua mão está dada à minha, faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade, faze com que eu sinta que amar é não morrer, que a entrega de si mesmo não significa a morte, faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária, faze com que eu não Te indague demais, porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta, (...) faze com que eu receba o mundo sem receio, pois para esse mundo incompreensível eu fui criada e eu mesma também incompreensível, (...) abençoa-me para que eu viva com alegria o pão que eu como, o sono que durmo, faze com que eu tenha caridade por mim mesma pois senão não poderei sentir que Deus me amou, (...) amém."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 56''
 
* "Para aprender a alegria você precisa de todas as garantias?"
* "por causa da vastidão impessoal era um Deus para o qual não se podia implorar: podia-se era agregar-se a ele e ser grande também. Em compensação, já que não podia na dor deixar de implorar, aprendera de um dia para outro a implorar misericórdia e força a si mesma, pois ela não era tão vasta nem impessoal nem inalcançável. E obtinha a misericórdia o bastante pelo menos para retomar o fôlego."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 81''
 
* "Você precisa andar de cabeça levantada, você tem que sofrer porque você é diferente dos outros. (...) Você não precisa de companhia para ir, você mesma é bastante."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 5682''
 
* "Então, sem entender o que fazia — só o entendeu depois — pintou demais os olhos e demais a boca até que seu rosto branco de pó parecia uma máscara: ela estava pondo sobre si mesma alguém outro: esse alguém era fantasticamente desinibido, era vaidoso, tinha orgulho de si mesmo. Esse alguém era exatamente o que ela não era. (...) A máscara a incomodava, ela sabia ainda por cima que era mais bonita sem pintura. Mas sem pintura seria a nudez da alma. E ela ainda não podia se arriscar nem se dar a esse luxo."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 83''
 
* "Também Lóri usava a máscara de palhaço da pintura excessiva. Aquela mesma que nos partos da adolescência se escolhia para não se ficar desnudo para o resto da luta. Não, não é que se fizesse mal em deixar o próprio rosto exposto à sensibilidade. Mas é que esse rosto que estivesse nu poderia, ao ferir-se, fechar-se sozinho em súbita máscara involuntária e terrível: era pois menos perigoso escolher, antes que isso fatalmente acontecesse, escolher sozinha ser uma "persona". Escolher a própria máscara era o primeiro gesto voluntário humano. E solitário. Mas quando enfim se afivelava a máscara daquilo que se escolhera para representar-se e representar o mundo, o corpo ganhava uma nova firmeza, a cabeça podia às vezes se manter altiva como a de quem superou um obstáculo: a pessoa era."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 85''
 
* "Temia que, se ela conseguisse avançar a ponto de ficar mais pronta e viesse a aceitar aproximar-se dele, ele com franqueza pudesse simplesmente dizer-lhe que já era tarde. Porque até as frutas têm estação."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 88''
 
* "Teus olhos são confusos mas tua boca tem a paixão que existe em você e de que você tem medo. Teu rosto, Lóri, tem um mistério de esfinge: decifra-me ou te devoro."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 89''
 
* "Viver é tão fora do comum que eu só vivo porque nasci. Eu sei que qualquer pessoa diria o mesmo, mas o fato é que sou eu quem está dizendo."
:- Lóri
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 90''
 
* "Porque na minha aprendizagem falta alguém que me diga o óbvio com um ar tão extraordinário. O óbvio, Lóri, é a verdade mais difícil de se enxergar."
:- Ulisses
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 90''
 
* "Nós, os que escrevemos, temos na palavra humana, escrita ou falada, grande mistério que não quero desvendar com o meu raciocínio que é frio. Tenho que não indagar do mistério para não trair o milagre. Quem escreve ou pinta ou ensina ou dança ou faz cálculos em termos de matemática, faz milagre todos os dias."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 92''
 
* "O que não se pode é deixar de amar a si próprio com algum despudor."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 93''
 
* "Quando você aprender vai ver o tempo que perdeu. A tragédia de viver existe sim e nós a sentimos. Mas isso não impede que tenhamos uma profunda aproximação da alegria com essa mesma vida."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 94''
 
* "Nos piores momentos, lembre-se: quem é capaz de sofrer intensamente, também pode ser capaz de intensa alegria."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 96''
 
* "É preciso não esquecer e respeitar a violência que temos. As pequenas violência nos salvam das grandes. Quem sabe, se não comêssemos os bichos, comeríamos gente com o seu sangue. Nossa vida é truculenta, Loreley: nasce-se com sangue e com sangue corta-se para sempre a possibilidade de união perfeita: o cordão umbilical. E muitos são os que morrem com sangue derramado por dentro ou por fora. É preciso acreditar no sangue como parte importante da vida. A truculência é amor também."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 98''
 
* "Só outra pessoa que tivesse experimentado, saberia o que ela sentia, pois de quase tudo o que importa não se sabe falar."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 99''
 
* "Quando ela pensou que, além do frio, chovia como que no mundo inteiro, não pôde acreditar que tanto de bom lhe fosse dado. Era o acordo da Terra com aquilo que ela nunca soubera que precisava com tanta fome de alma."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 103''
 
* "Queria que as coisas "acontecessem" e não que ela as provocasse. Ela conhecia o mundo dos que estão tão sofridamente à cata de prazeres e que não sabiam esperar que eles viessem sozinhos. E era tão trágico: bastava olhar numa boate, à meia-luz, os outros: era a busca do prazer que não vinha sozinho e de si mesmo."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 104''
 
* "Antes o sofrimento legítimo que o prazer forçado."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 104''
 
* "Porque no Impossível é que está a realidade."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 106''
 
* "Lóri suportava a luta porque Ulisses, na luta com ela, não era seu adversário: lutava por ela."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 106''
 
* "Lembrava-se de que a última palavra dele fora "adeus". Mas ele sempre se despedia assim. Como se cortasse de uma vez para outra o vínculo? E ambos ficassem em liberdade, um do outro? Lóri sabia que ela própria é quem cortara vínculos a vida inteira, e talvez alguma coisa nela sugerisse aos outros a palavra "adeus"."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 107''
 
* "Sou dos que crêem no que é inacreditável. Aprendi a viver com o que não se entende."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 109''
 
* "Milagres, não. Mas as coincidências. Vivia de coincidências, vivia de linhas que incidiam e se cruzavam e, no cruzamento, formavam um leve e instantâneo ponto, tão leve e instantâneo que era mais feito de segredo. Mal falasse das coincidências, e já estaria falando em nada."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 110''
 
* "A força de destruição ainda se continha e ela não entendia por que vibrava de alegria de ser capaz de tal ira. E que estava vivendo. E não havia perigo de realmente destruir ninguém ou nada porque a piedade era nela tão forte quanto a ira: então ela queria destruir a si mesma que era a fonte daquela paixão."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 112''
 
* "Alivia a minha alma, faze com que eu sinta que Tua mão está dada à minha, faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade, faze com que eu sinta que amar é não morrer, que a entrega de si mesmo não significa a morte e sim a vida, faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária, faze com que eu não Te indague demais, porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta, (...) faze com que eu receba o mundo sem receiomedo, pois para esse mundo incompreensível eunós fuifomos criadacriados e eunós mesmamesmos também incompreensívelincompreensíveis, (...)então é que há uma conexão entre esse mistério do mundo e o nosso, mas essa conexão não é clara para nós enquanto quisermos entendê-la, abençoa-me para que eu viva com alegria o pão que eu como, o sono que durmo, faze com que eu tenha caridade pore mimpaciência comigo mesma pois senão não poderei sentir que Deus me amou, (...) amém."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 112''
 
* "Então com ternura aceitou estar no mistério de ser viva."
:- ''Editora Rocco Ltda., 1998, página 113''
 
[[Categoria:Livros do Brasil]]
189

edições