Diferenças entre edições de "Carmen Miranda"

388 bytes adicionados ,  18h35min de 7 de dezembro de 2008
m
sem resumo de edição
m (clean up)
m
* "Foi numa tarde em 1942. A [[Igreja]] estava vazia, a não ser uma moça que rezava contritamente diante do altar de Nossa Senhora das Graças. Uma senhora havia me trazido uma criança para batizar, mas, por morar muito longe daqui, e não poder pagar as passagens para alguém vir, não trouxera madrinha para o filho. Aproximei-me, então, da moça que orava e perguntei-lhe se me faria aquele favor, de repetir, pela criança, as palavras do batismo. Ela concordou imediatamente, serviu como madrinha do bebê. Depois, mandou o seu carro branco buscar o resto da família da pobre senhora para uma festa de batizado na sua casa. Eu soube, então, que a moça era a estrela Carmen Miranda e sua simplicidade deixou-me uma profunda impressão, solidificada, depois, pelas suas constantes vindas à Igreja que se lhe tomou um segundo lar, dando-nos ela um altar novo para Nossa Senhora."
:- ''Palavras do Padre Joseph na missa de corpo presente de Carmen Miranda, em agosto de 1955''
 
*E apenas por isso [[Maria do Carmo Miranda da Cunha]], como a chamaram, nasceu em Várzea de Ovelha, no dia 9 de fevereiro de 1909 - um ano e oito dias depois do regicídio -, e [[Carmen Miranda]] deixou de nascer no [[Brasil]].
:- ''Fonte: Carmen: uma biografia - Página 12, de [[Ruy Castro]] - Publicado por Companhia das Letras, 2005 ISBN 8535907602, 9788535907605 - 597 páginas''
 
[[Categoria:Pessoas]]