Diferenças entre edições de "Michel de Montaigne"

1 897 bytes adicionados ,  19h38min de 30 de novembro de 2008
sem resumo de edição
----
 
*" ''A palavra é a metade de quem a pronuncia e, metade de quem a ouveescuta''. (Ensaios, Livro III, Capítulo XIII - "Da experiência")
*"Os príncipes me dão muito quando não me tiram nada e me fazem bem bastante quando não me fazem mal; é tudo o que lhes peço."
* ''Existem derrotas mais triunfantes que as vitórias''.
* ''Os homens tendem a acreditar, sobretudo, naquilo que menos compreendem.''
* ''Não me encontro onde procuro, mas de repente, quando menos espero.''
* ''Apenas pelas palavras o ser humano alcança a compreensão mútua. Por isso, aquele que quebra a sua palavra atraiçoa toda a sociedade humana.''
* ''Ensinar os homens a morrer é ensiná-los a viver.'' (Ensaios, Livro I, Capítulo XX - "De como filosofar é aprender a morrer")
* ''Nós podemos chegar a ser cultos com conhecimento de outros homens, mas nós não podemos ser sábios com sabedoria de outros homens.''
* ''Eu não recolhi um ramo de flores de outros homens, mas a linha que os liga é meu própria.''
* ''O que o teme sofre, sofre já de seu medo ''
* ''A menos que um homem sente que tem uma memória bastante boa, ele nunca deve arriscar-se encontrar-se''
* ''Eu sei bem do que eu estou fugindo, mas não o que eu estou buscando.''
* ''Eu entendo que os prazeres devem ser evitados se as dores forem a grande conseqüência, mas se as dores forem cobiçadas, elas terminarão em prazeres mais grandes.''
* ''É uma presunção perigosa e fútil, além de uma absurda temeridade, ter desprezo pelo que nós não compreendemos.''
* ''O que sou eu sou para mim mesmo importa mais do que eu significo para os outros.''
* ''Meditar sobre a morte é meditar sobre a liberdade; quem aprendeu a morrer, desaprendeu de servir; nenhum mal atingirá quem na existência compreendeu que a privação da vida não é um mal; saber morrer nos exime de toda sujeição e coação.'' (Ensaios, Livro I, "De como filosofar é aprender a morrer)
* ''Só os loucos têm certeza e não mudam de opinião''
* ''Cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra." (Ensaios, Livro I, "Dos canibais")
 
<!-- *"Os príncipes me dão muito quando não me tiram nada e me fazem bem bastante quando não me fazem mal; é tudo o que lhes peço."
 
*"O lucro de um é prejuízo de outro".
 
*"Amai vosso amigo como se tivésseis que vir a odiá-lo."
 
*"A palavra é metade de quem a pronuncia e metade de quem a ouve.
 
*"Mesmo quando não devo seguir o caminho reto porque é reto, opto por segui-lo porque descobri por experiência própria que, quando tudo é dito e feito, em geral é o caminho mais feliz e mais útil."
*"Os homens só consideram útil o que oferece dificuldade. A facilidade enche-os de suspeitas."
 
-->{{wikipédia}}
{{wikisource2|fr:Michel de Montaigne}}
 
58

edições