Lya Luft: diferenças entre revisões

277 bytes adicionados ,  13 de julho de 2008
m
sem resumo de edição
Sem resumo de edição
mSem resumo de edição
{{Autor
[[w:Lya Luft|'''Lya Luft''']], (15 de setembro de 1938 - ), ''escritora brasileira''.
| Nome =
| Foto =
| Wikisource =
| Wikipedia = Lya Luft
| Wikicommons =
| Gutenberg =
| Cervantes =
| DominioPu =
| DomiPubli =
| EbooksG =
| Cor = #c0c0c0
}}
[[w:Lya Luft|'''Lya Luft''']], ''([[15 de setembro]] de [[1938]] - ), ''escritora brasileira''.
----
 
*"Não existe isso de [[homem]] escrever com vigor e mulher escrever com fragilidade. Puta que pariu, não é assim".
 
*"Viver, como talvez [[morte|morrer]], é recriar-se: a [[vida]] não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada".
 
*"Escrevo sobre [[isolamento]] e [[ternura]], a perturbadora ambivalência nossa, [[frivolidade]] e [[covardia]], às vezes a graça e o riso".
 
*"Talvez a [[elite]] verdadeira seja a dos bem informados. Um povo pouco informado acredita no primeiro demagogo que aparece e, por cegueira ou por carência, segue o caminho de seu próprio infortúnio".
 
* "Seja como for, não sou saudosista. Acho esquisito falar 'no meu [[tempo]]', porque nosso deve ser o hoje. Somos tão fixados no mito da eterna juventude que, depois dos 30 anos, nem o tempo é mais nosso, somos exilados da própria [[vida]]."
 
* "Não adianta dizer que só se deve ler em [[português]], só beber coisa produzida nacionalmente, abaixo a "[[Coca-Cola]]" e o resto. Na sua santa burrice, os propagadores do estreitamento, da separação e do isolamento, do nivelamento por baixo, ao que parece desejam que não sejamos [[continente]], mas uma [[ilha]] no meio da [[civilização]] [[ocidental]]. Que talvez nem seja lá grande coisa, mas é o que temos."
 
* "Boa parte de nossa [[felicidade]] nasce do fato de vivermos rodeados (por vezes esmagados ou algemados) por mitos[[mito]]s. Nem falo dos belos, grandiosos ou inigmáticos mitos da Antigüidade grega. Falo sim, dos mitinhos bobos que inventou nosso inconsciente medroso, sempre beirando precipícios com olhos[[olho]]s míopes e passo temeroso."
 
* "Nem toda [[mulher]] nasce para ser [[mãe]], e nem toda mãe é [[mártir]]. Muitas são algozes, aliás."
 
* "Nem todo [[velho]] é bom só por ser velho. Ao contrário, se não acumularmos bom humor, autocrítica, certa generosidade e cultivo de afetos vários, seremos velhos rabugentos que afastam família e amigos."
 
* "Há gente que, em vez de destruir, constrói; em lugar de invejar[[inveja]]r, presenteia; em vez de envenenar, embeleza; em lugar de dilacerar, reúne e agrega."
 
{{wikipédia}}
 
[[Categoria:Pessoas]]
[[Categoria:Escritores do Brasil]]
[[Categoria:Brasileiros]]