Diferenças entre edições de "Stefan Zweig"

365 bytes adicionados ,  19h47min de 11 de dezembro de 2007
img
m (Bot: Adicionando: he:סטפן צווייג)
(img)
{{Autor
[[w:Stefan Zweig|'''Stefan Zweig''']] ''(28 de Novembro de 1881, Viena — 23 de Fevereiro de 1942, Petrópolis) foi um importante escritor austríaco de religião judaica.''
| Nome = Stefan Zweig
| Foto = Stefan Zweig01.jpg
| Wikisource =
| Wikipedia = Stefan Zweig
| Wikicommons =
| Gutenberg =
| Cervantes =
| DominioPu =
| DomiPubli =
| EbooksG =
| Cor = #c0c0c0
}}
[[w:Stefan Zweig|'''Stefan Zweig''']] ''([[28 de Novembronovembro]] de [[1881]], Viena — [[23 de Fevereirofevereiro]] de [[1942]], Petrópolis) foi um importante escritor austríaco de religião judaica.''
----
 
 
*"A calma é um elemento criador. Purifica, recolhe, põe em ordem as forças internas, compensando o que o desordenado movimento dispersa".
 
*"A desventura, em [[verdade]], não transforma nunca um [[caráter]], não lhe acrescenta novos elementos, modela apenas as inclinações já existentes, dando-lhe novas formas".
 
*"A [[vida]] não dá coisa alguma sem retribuição e sobre cada coisa concedida pelo [[destino]], há secretamente um [[preço]], que cedo ou tarde deverá ser pago".
 
*"[[Amor]] é como [[vinho]] e, como o vinho, a uns reconforta e a outros abate".
 
*"Cada um de nós é vencido apenas pelo [[destino]] que não soube dominar. Não há derrota que não tenha um significado e não represente também uma [[culpa]]".
 
*"Descontentamento em si mesmo é um estado passivo. Para tornar-se agressivo e transformar-se em ação, tem necessidade de uma figura humana, seja como porta-estandarte de uma [[idéia]], ou alvo para ódios[[ódio]]s acumulados. Tem necessidade de um bode expiatório".
*"Mesmo o [[idealismo]] mais puro torna-se miserável e mesquinho quando confere a [[homens]] miseráveis e mesquinhos o [[direito]] de praticar em seu nome ações desumanas".
 
*"O gatuno que escamoteia timidamente um pedaço de [[pão]] é um insignificante; o grande [[ladrão]], o profissional, o que não rouba só pelo roubar e sim pela paixão de roubar, cuja [[vida]] se dedica inteiramente a este anseio de despojo, este tem grandiosidade".
 
*"Sempre as personalidades dinâmicas tornam-se instintivamente suspeitas às pessoas medíocres".
 
*"Sempre os que dizem de antemão que lutam em nome de [[Deus]] são as pessoas menos pacíficas do [[mundo]]: como crêem que recebem mensagens celestiais têm os ouvidos surdos para qualquer [[palavra]] de [[humanidade]]".
 
*"Um grande [[homem]] procura inconscientemente um [[destino]] extraordinário, uma [[vida]] heróica ou, no dizer de [[Nietzsche]], 'perigosa'. E organicamente conforme à sua [[natureza]] extra-medida, ele desafia o [[mundo]] pela [[audácia]] das exigências inerentes ao seu [[caráter]]".
 
*'Toda a [[beleza]] do ser humano consiste em se tornar algo melhor do que se foi".
:-''No livro ‘Morte no Paraíso’, de Alberto Dines, ROCCO''
 
 
{{wikipédia}}
 
[[Categoria:Pessoas]]