Diferenças entre edições de "Antonio Gramsci"

81 bytes adicionados ,  17h40min de 17 de agosto de 2007
sem resumo de edição
 
 
* "O que é o [[homem]]? É esta a primeira e principal pergunta da filosofia. [...] Se observarmos bem, veremos que, ao colocarmos a pergunta 'o que é o homem', queremos dizer: o que é que o homem pode se tornar, isto é, se o homem pode controlar seu próprio destino, se ele pode 'se fazer', se pode criar sua própria vida. Digamos, portanto, que o homem é um processo, precisamente o processo de seus atos. Observando ainda melhor, a própria pergunta 'o que é o homem' não é uma pergunta abstrata ou 'objetiva'. Ela nasce do fato de termos refletido sobre nós mesmos e sobre os outros; e de querermos saber, em relação com o que vimos e refletimos, aquilo que somos, aquilo que podemos vir a ser, se realmente e dentro de que limites somos 'criadores de nós mesmos', da nossa vida, do nosso destino. E nós queremos saber isto 'hoje', nas condições de hoje, da vida 'de hoje', e não de uma vida qualquer e de um homem qualquer."
 
* "Será possível amar a coletividade sem nunca ter amado profundamente criaturas humanas individuais?"
* "Existem dois tipos de políticos: os que lutam pela consolidação da distância entre governantes e governados e os que lutam pela superação dessa distância."
 
* "Todos os homens do mundo na medida em que se unem entre si em [[sociedade]], trabalham, lutam e melhoram a si mesmos."
 
* "Na política de massas, dizer a verdade é uma necessidade política."
 
* "Em todo instante da [[história]] ''in fieri'', existe luta entre racional e irracional."
 
* "O [[indivíduo]] não é um átomo, mas a individuação histórica de toda a sociedade."
 
* "A natureza do [[homem]] é a [[história]]."
 
* "As idéias[[idéia]]s são grandes na medida em que são realizáveis."
 
* "É mais fácil formar um [[exército]] do que formar capitães."
 
* "A [[alma]] não se salva só com palavras[[palavra]]s. São necessárias obras[[obra]]s, e como!"
 
* "Ser apaixonado significa ter o dom de apaixonar os outros."
 
* "Condenamos em bloco o [[passado]] quando não conseguimos diferenciarmo-nos dele."
 
* "Dois escritores[[escritor]]es representam o mesmo momento social, mas um é artista, o outro não."
 
* "Uma nova descoberta que permanece como coisa inerte não é um valor."
* "Também o estudo é um ofício muito cansativo."
 
* "Na [[política]], o cerco é recíproco."
 
* "O [[presente]] contém todo o [[passado]]."
 
* "Se existe enigma, não se trata de coisas 'incognoscíveis', mas simplesmente desconhecidas."
 
* "Uma [[verdade]] é fecunda quando se fez um esforço para conquistá-la."
 
* "Marx previu o que era possível prever."
 
* "Quem é incapaz de construir hipóteses[[hipótese]]s jamais será cientista."
 
* "Na desvalorização do passado está implícita uma justificativa da nulidade do presente."
 
* "Na desvalorização do [[passado]] está implícita uma justificativa da nulidade do [[presente]]."
 
=Sobre=
 
* O Ministério Público italiano, durante o fascismo de [[Benitto Mussolini]], proclamou durante o julgamento, em 1928: "Por vinte anos devemos impedir que este cérebro funcione".
 
=={{Ligações externas}}==
 
*[http://www.gramsci.org/ Gramsci e o Brasil]
 
20

edições