Sofrimentos do Jovem Werther, Os: diferenças entre revisões

sem resumo de edição
mSem resumo de edição
Sem resumo de edição
 
* "Carlota pertence-lhe... Sei isso como sei muitas, outras coisas; suponho haver-me habituado a este pensamento e, cedo ou tarde, Ele me enlouquecerá e causará a minha morte..."
 
* "Ninguém a possuirá; ela não possuirá ninguém"
 
* "Achava que tudo isso lhe concedia o direito de permanecer ocioso, julgando-se privado de toda e qualquer perspectiva de futuro, incapaz de encontrar um ponto de apoio para apegar-se às coisas da vida ordinária. Assim, abandonando-se inteiramente aos próprios sentimentos, às idéias extravagantes, e, ao mesmo tempo, a uma paixão sem remédio; na eterna e dolorosa monotonia de suas relações com a criatura amada, junto da qual encontrava repouso; lutando violentamente contra suas forças, consumindo-as sem objetivo e sem esperança, dia a dia caminhava Ele para um fim lamentável."
 
* "Tenho medo de mim mesmo!"
 
* "Erguer a cortina e passar para o outro lado, eis tudo! Por que então hesitar e tremer? Por que se ignora o que existe desse outro lado e por que não mais de lá se regressa? E também por que é próprio do nosso espírito imaginar por toda parte caos e trevas, quando nada sabemos ao certo?"
 
* "Por que hei de ser eu, Werther, eu, que pertenço a outro, precisamente eu? Temo, temo muitíssimo que seja apenas a impossibilidade de me possuir que faça você desejar-me com tanto ardor!"
 
* "É preciso que um de nós três desapareça, e sou eu quem deve desaparecer."
 
* "Fazendo essas reflexões, pela primeira vez ela sentia profundamente, embora sem fixar-se de um modo preciso, que o secreto desejo do seu coração era guardá-lo para ela."
 
* "O mundo inteiro deixou de existir."
 
* "Carlota! Carlota! Uma só palavra, quero dizer-lhe adeus!" Ela não respondeu.
Werther ainda insistiu, suplicou, chamou ainda; enfim, arrancou-se dali, gritando: "Adeus, Carlota! Adeus para sempre!"
 
* "Ah! bem sabia que você me amava!"
 
 
20

edições