Robert Taylor: diferenças entre revisões

8 bytes removidos ,  16h10min de 12 de outubro de 2006
sem resumo de edição
Sem resumo de edição
 
Sem resumo de edição
Popular ator norte americano de cinema da década de 30, 40 e 50. Trabalhou em mais de 70 filmes, interpretando, geralmente, galãs(é considerado um dos atores mais bonitos que Hollywood já teve). Entre seus filmes de maior destaque estão ''A Dama das Camélias''(1936), ''A Ponte de Warteloo''(1941), ''Quo Vadis''(1951), e ''Ivanhoé''(1952). Embora conhecesse a limitação de suas atuações, Bob(como era conhecido)era tido como um profissional disciplinado, e sua vida foi livre de escândalos. Foi casado com a atriz Barbara Stanwyck, entre 1939 a 1951. Robert Taylor faleceu de câncer, no dia 8 de junho de 1969, aos 57 anos.
----
 
* "Citação em português moderno."
 
*''Tenho mais de 50 anos de idade. Meus cabelos ainda não estão grisalhos, mas as rugas já começam a aparecer. Cirurgia Plástica, nunca farei. Como gosto de trabalhar, aceito todo papel que venham a me oferecer, seja importante ou não, mas Galã, nunca mais. Detestaria me passar por ridículo''.
Dinah Silveira de Queiroz, escritora.
 
*''Faz tanto tempo, meu Deus...nós vinhamos do Cine Metro, com aquela impressão de beleza de '''A Dama das Camélias''', em que a grande Garbo esplendia com seu mistério jamais igualado, ao lado de Robert Taylor. Então, uma amiga, depois de um silêncio, deu uma gostosa risada e disse'':
 
-''Quando vejo Robert Taylor, nem gosto de voltar para casa''.
 
-''Por que? - perguntei-lhe sem atinar aquele sorriso''.
 
-''Porque, depois de ver um homem como Robert Taylor, acho meu marido muito feio.''
 
''Dizer que Robert Taylor era predominantemente um rosto lindo soa de forma suspeitosa como a que depreciá-lo. A verdade é que o rosto, a voz e o excelente físico foram seus trunfos mais valiosos''.
 
Dinah Silveira de Queiroz, escritora brasileira.
*''Em 1936, almocei com Robert Taylor, quando seu namoro com Barbara Stanwyck era o assunto em todas as rodas. Logo, o Bob foi perguntando:
 
-''De que vamos falar?''
 
-''Nada receie - respondi - Não vou lhe pedir para que fale de Barbara''.
 
''Rindo muito, exclamou o ator'':
 
-''Meu Deus! até que enfim! Apareceu um que não quer se meter em minha vida privada''.
 
Gilbert Souto, correspondente brasileiro de Hollywood na década de 1930, que entrevistou Robert Taylor. Foi cronista do Jornal ''O Globo'' em sua coluna ''Cinema, Ontem e Hoje''.
Utilizador anónimo