Miguel de Cervantes: diferenças entre revisões

67 bytes adicionados ,  20h51min de 3 de agosto de 2006
m
Revertidas edições por 200.158.117.243, para a última versão por MetalFenix
Sem resumo de edição
m (Revertidas edições por 200.158.117.243, para a última versão por MetalFenix)
[[Image:Miguel de Cervantes2.jpg|150px|right]]
[[:w:Miguel de Cervantes|'''Miguel de Cervantes''' Saavedra de Alcala Henares]] ''(1547 - 1616), Célebre Poeta espanhol, autor do igualmente célebre romance satírico "El Ingenioso Don Quijote de la Mancha", o segundo livro mais lido pela humanidade depois da [[:w:Bíblia|Bíblia]]''.
----
Miguel de Cervantes e Saavedra (Alcázar de San Juan, 1547 - Madrid, 23 de Abril de 1616), Romancista, dramaturgo e poeta espanhol.
 
A mais importante obra em castelhano é Don Quixote de La Mancha.
*"O ser humano se transforma de acordo com o que pensa. Somos frutos de nossas obras."
Miguel de Cervantes
 
Biografia
*"Quem não sabe governar a si próprio, como saberá governar os outros?"
Filho de um cirurgião chamado Rodrigo e de Leonor de Cortinas. Em 1569 foge para Itália depois de um confuso incidente (ferir em duelo a Antonio Sigura), tendo publicado já quatro poesias de valor. Sua participação na batalha de Lepanto, no ano 1571, deixa-lhe inutilizada a mão esquerda que lhe vale o apelido de o manco de Lepanto. Em 1575, durante seu regresso desde Nápoles a Espanha é apresado por corsários argelinos, então parte do Império Otomano. Permanece em Argel até 1580, ano em que é liberado depois de pagar seu resgate.
 
De volta a Espanha se casa com Catalina de Salazar em 1584, vivendo algum tempo em Esquivias, povoado de La Mancha de onde era sua esposa, e se dedica ao teatro. Publica em 1585 A Galatea o seu primeiro livro de ficção, no novo estilo elegante da novela pastoral. Com a ajuda de um pequeno círculo de amigos, que incluía Luis Gálvez de Montalvo, o livro deu a conhecer Cervantes a um público sofisticado.
*"Não há livro tão mau que não tenha alguma coisa de bom."
A partir de 1587 viaja pela Andaluzia como comissário de provisões da Invencível Armada, estabelecendo-se em Sevilha. Posteriormente trabalha como cobrador de impostos. Encarcerado em 1597 depois da quebra do banco onde depositava a arrecadação, "engendra" Don Quixote de La Mancha, segundo o prólogo a esta obra, sem que se saiba se este termo quer dizer que começou a escrevê-lo na prisão, ou simplesmente que se lhe ocorreu a idéia ou o plano geral ali.
 
Finalmente, em 1605 publica a primeira parte de sua principal obra: O engenhoso fidalgo dom Quixote de La Mancha. A segunda parte não aparece até 1615: O engenhoso cavaleiro dom Quixote de La Mancha. Num ano antes aparece publicada uma falsa continuação de Alonso Fernández de Avellaneda. Num curto espaço de tempo, o nome de Miguel de Cervantes passou a ser tão conhecido em Inglaterra, em França e em Itália, como em Espanha.Entre as duas partes de Don Quixote, aparecem as Novelas exemplares (1613), um conjunto de doze narrações breves, bem como Viagem do Parnaso (1614). Em 1615 publica Oito comédias e oito entremeses novos nunca representados, mas seu drama mais popular hoje, A Numancia, além de O trato de Argel, ficou inédito até o tardio século XVIII.
*"Contra quem cala não há castigo nem respostas."
Miguel de Cervantes morreu em 1616, possivelmente vítima de hidropisia, de arteriosclerose ou de diabetes, parecendo ter alcançado uma serenidade final de espírito.
 
Um ano depois de sua morte aparece a novela Os trabalhos de Persiles e Sigismunda.
*"Deixe seu filho caminhar por onde sua estrela o chama."
Sua influência foi tal que se costuma referir ao espanhol como a língua de Cervantes.
 
Cronologia
*"Sê breve em teus raciocínios, que a ninguém agrada ser longo".
• 1547 - Nasce Miguel de Cervantes Saavedra
 
• 1551 - O pai, Rodrigo, é preso por causa de dívidas
*"Sonhar mais um sonho impossível / Lutar quando é fácil ceder / Vencer o inimigo invencível / Negar quando a regra é vender."
• 1566 - A família instala-se em Madri
 
• 1569 - Após incidente no qual teria ferido um homem, deixa Madri e vai morar em Roma
*"Beneficiar vilões é deitar água no mar."
• 1571 - Participa da batalha de Lepanto, contra os turcos. Ferido em combate, tem a mão esquerda inutilizada
 
• 1575 - Capturado por corsários, é levado para Argel, com seu irmão Rodrigo, onde fica cinco anos em cativeiro
*"O burro carregará seu fardo, mas não um fardo dobrado. Não conduza um animal livre para a morte."
• 1581 - Vai para Lisboa, onde escreve peças de teatro
 
• 1584 - De um romance com Ana Franca, nasce Isabel de Saavedra. Casa-se com Catalina de Palacios Salazar
*"Em boca fechada não entra mosca."
• 1585 - Publica La galatea. Morte do pai
 
• 1587 - É nomeado comissário real encarregado de recolher azeite e trigo para a Armada Invencível
*"O ciúme olha com lentes de aumento, que fazem de pequenas, grandes cousas, transformam anões em gigantes e suspeitas em verdade."
• 1593 - Morte da mãe. Publicação do romance La casa de los celos
 
• 1597 - É preso em Sevilha, após ser condenado a pagar dívida exorbitante
*"Não desejes e serás o homem mais rico do mundo."
• 1598 - Deixa a prisão. Morte de Ana Franca
 
• 1605 - É publicada a primeira parte de Dom Quixote
*"A liberalidade é uma das mais agradáveis virtudes de quem ganha fama de a ter."
• 1613 - Ingressa na Ordem Terceira de São Francisco. Publicação de Novelas exemplares
 
• 1614 - Surge uma continuação de Dom Quixote, escrita por Avellaneda
*"Quem é agradecido àqueles que lhe fazem bem, mostra que também o será a Deus, que tantos bens lhe fez."
• 1615 - Cervantes publica a segunda parte de Dom Quixote
 
• 1616 - Morre em Madrid, no dia 23 de abril
*"História, a êmula do tempo, depósito das ações, testemunho do passado, exemplo do presente, advertência do futuro."
 
*"Os humildes são como a água que, quanto mais desce, mais alto podem subir"
 
*"Não há ressentimento que o tempo não faça esquecer, como não há dor que a morte não cure."
 
*"É doce o amor da pátria."
 
*"O soldado melhor parece morto na luta do que livre na fuga."
 
*"Ser tirano não é ser, mas deixar de ser, e fazer que deixem de ser todos."
 
*"O hipócrita que parece querer ser homem de bem, não é tão execrável como o que tem vaidade dos seus êrros."
 
*"A virtude é mais perseguida pelos maus do que amada pelos bons."
 
*"Sê pai das virtudes e padrasto dos vícios."
 
*"Elimine a causa que o efeito cessa."
 
*"Este que aqui vedes de rosto aquilino, de cabelo castanho, testa lisa e descarregada, de alegres olhos e de nariz curvo, embora bem proporcionado; as barbas de prata, que não há vinte anos eram de ouro, os bigodes grandes, a boca pequena, os dentes nem miúdos nem graúdos, pois não tem mais do que seis, e estes malpostos e pior dispostos, porque não têm correspondência uns com os outros; o corpo entre dois extremos, nem grande, nem pequeno; a cor viva, mais branca do que morena, as costas algum tanto encurvadas e os pés não muito ligeiros; este digo que é o rosto do autor de A galatéia e de D. Quixote, e de quem fez a Viagem ao Parnaso, à imitação da de Cesare Carali Perusino, e outras obras que por aí andam desgarradas, e talvez sem o nome de seu dono. Chama-se comumente Miguel de Cervantes Saavedra. Foi soldado muitos anos e cinco e meio cativo, onde aprendeu a ter paciência nas adversidades. Perdeu a mão esquerda de uma arcabuzada na batalha naval de Lepanto, ferida que, embora pareça feia, ele a tem por formosa, por tê-la recebido na mais memorável e alta ocasião que viram os passados séculos e esperam ver os vindouros, militando sob as vencedoras bandeiras do filho do corisco de guerra, Carlo Quinto, de feliz memória".
:Fonte: Miguel de Cervantes, em ''Novelas exemplares'', provavelmente um auto-retrato que é a imagem mais próxima da aparência que teria tido.
 
*"Sou ateu, graças a Deus."
 
*"A pobreza jamais foi desfeita com o ócio ou com a preguiça."
 
*"Não há regra sem exceção."
 
 
{{wikipédia}}
{{wikisource2|en:Author:Miguel de Cervantes}}
 
[[Categoria:Pessoas]]
[[Categoria:Espanhóis]]
[[Categoria:Escritores da Espanha]]
[[Categoria:Poetas da Espanha]]
 
[[bg:Мигел де Сервантес]]
[[en:Miguel de Cervantes Saavedra]]
[[es:Miguel de Cervantes]]
[[fr:Miguel de Cervantes]]
[[he:מיגל דה סרוואנטס]]
[[it:Miguel de Cervantes]]
[[ja:ミゲル・デ・セルバンテス]]
5 303

edições