Diferenças entre edições de "Eduardo Galeano"

16 bytes removidos ,  18h55min de 17 de maio de 2006
sem resumo de edição
 
 
*"O [[corpo]] não é uma [[máquina]] como nos diz a [[ciência]]. Nem uma culpa como nos fez crer a religião. O corpo é uma festa."
 
*“A chuva que irriga os centros de [[poder]] imperialista afogas os vastos subúrbios do sistema. Do mesmo modo, e simetricamente, o bem-estar de nossas classes dominantes – dominantes para dentro, dominadas para fora – é a maldição de nossas multidões, condenadas a uma vida de bestas de carga”.
*"A [[liberdade]] de eleição permite que você escolha o molho com o qual será devorado".
 
*"A liberdade de [[mercado]] permite que você aceite os preços que lhe são impostos".
 
*"A [[televisão]], essa última luz que te salva da solidão e da noite, é a realidade. Porque a vida é um espetáculo: para os que se comportem bem, o sistema promete uma boa poltrona".
 
*"A [[utopia]] está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar".
 
*"Na América Latina, a liberdade de expressão consiste no direito ao resmungo em algum rádio ou em jornais de escassa circulação. Os livros não precisam ser proibidos pela polícia: os preços já os proíbem".
5 290

edições