Abrir menu principal

Alterações

m
- sem fontes
{{Autor
| Nome =Marguerite Yourcenar
| Foto =Marguerite Yourcenar-Bailleul-1982.10.04.Bernhard De Grendel (9).jpg
| Foto =
| Wikisource =fr:Auteur:Marguerite_Yourcenar
| Wikipedia =Marguerite Yourcenar
| Wikicommons =
::- ''What reassures us about sleep is that we do come out of it, and come out of it unchanged, since some mysterious ban keeps us from bringing back with us in their true form even the remnants of our dreams. What also reassures us is that sleep heals us of fatigue, but heals us by the most radical of means in arranging that we cease temporarily to exist.
:::- ''Hadrian's memoirs - página 15, [[Marguerite Yourcenar]] - Doubleday, 1957 - 309 páginas
 
* "É um [[erro]] ter [[razão]] cedo demais".
::- ''C'est avoir tort que d'avoir raison trop tôt.
:::- ''Mémoires d'Hadrien‎ - Página 88, [[Marguerite Yourcenar]] - Plon, 1956 - 319 páginas
 
===A Obra em Negro===
 
*“Minha estima por Conrad diminuiu com isso, até o dia que compreendi que fazer de Sofia uma Mata Hari de filme ou de romance popular era talvez para meu amigo uma maneira ingênua de glorificar a irmã, de emprestar ao seu rotos de grandes olhos vivos a beleza comovente que sua cegueira de irmão não lhe permitira reconhecer até então.”
 
==Atribuídas==
 
{{sem fontes}}
 
*"Debitada em fatias cuidadosamente embaladas em papel celofane num supermercado, ou conservada em lata, a carne do animal deixa de ser sentida como tendo sido viva. Atrevemo-nos a dizer que os nossos talhos, donde pendem nuns ganchos animais que ainda á pouco sangravam – e de tal modo atrozes para quem não está habituado a eles que alguns dos meus amigos estrangeiros mudam de passeio, em Paris, ao vê-los de longe -, talvez sejam um bem, enquanto testemunhos visáveis da violência feita pelo homem ao animal".
 
* "A condição das mulheres é determinada por estranhos costumes: elas são ao mesmo tempo dominadas e protegidas, fracas e poderosas, excessivamente desprezadas e excessivamente respeitadas".
 
* "A liberdade das mulheres de hoje, maior ou pelo menos mais visível do que a dos tempos antigos, não passa de um dos aspectos da vida mais fácil das épocas prósperas; os princípios e mesmo os preconceitos não foram seriamente atingidos".
 
* "Adaptar-me-ia dificilmente a um mundo sem livros, mas a realidade não está ali porque eles não a contêm toda inteira".
 
* "Desprezar as alegrias do povo é insultá-lo".
 
* "É um [[erro]] ter [[razão]] cedo demais".
::- ''C'est avoir tort que d'avoir raison trop tôt.
:::- ''Mémoires d'Hadrien‎ - Página 88, [[Marguerite Yourcenar]] - Plon, 1956 - 319 páginas
 
* "Julgamo-nos puros enquanto desprezamos o que não desejamos".
 
* "Não estou certo de que a descoberta do amor seja necessariamente mais deliciosa do que a da poesia".
 
* "No conjunto, é somente por orgulho, por ignorância grosseira, por covardia, que nos recusamos a ver, no presente, lineamentos das épocas que virão".
 
* "O homem mais tenebroso tem seus momentos iluminados: tal assassino toca flauta; tal feitor é talvez um bom filho. Existem poucos a quem não se possa ensinar alguma coisa. O erro é tentar encontrar neles virtudes que não têm, neglicenciando as que possui".
 
* "O que nos tranqüiliza no sono é a certeza de que dele retornamos. E ele nos cura temporariamente da fadiga pelo mais radical dos processos, isto é, arranjando para que cessemos de existir durante algumas horas".
 
* "O triunfo não assenta senão aos mortos. Aos vivos, há sempre alguém para censurar-lhes as fraquezas".
 
* "Quanto amargor fermenta-se no fundo da doçura, quanto desespero esconde-se na abnegação e quanto ódio mistura-se ao amor".
 
* "Tentemos, se pudermos, penetrar na morte de olhos abertos".
 
* "Todo livro reeditado deve alguma coisa às pessoas honestas que o leram".
 
* "Todo prazer sentido com gosto parece-me casto".