Diferenças entre edições de "Charlie Brooker"

2 777 bytes adicionados ,  18h24min de 19 de setembro de 2018
sem resumo de edição
* No dia 2 de novembro, todo o mundo civilizado vai rezar, rezar para que o [[w:George W. Bush|Bush]] perca. E a Lei de Sod determina que é provável que ele ganhe, refutando assim a existência de Deus de uma vez por todas. O mundo vai aguentar mais quatro anos de idiotice, arrogância e derrame desnecessário de sangue, sem qualquer divindade benevolente para olhar por nós ou para nos salvar. [[w:John Wilkes Booth|John Wilkes Booth]], [[w:Lee Harvey Oswald|Lee Harvey Oswald]], [[w:John Hinckley Jr|John Hinckley Jr]], onde estão vocês quando precisamos?
::- ''The Guardian, 23 de outubro de 2004, Dumb show''
 
*"Trabalhar a sério" costuma consistir em realizar uma tarefa que odiamos para pessoas que mataríamos alegremente com um joelho de touro se tal fosse legal."
::- ''“Proper work" usually involves performing a task you hate on behalf of people you'd gleefully club to death with a bull's knee if only it were legal to do so”
:::- ''[https://www.theguardian.com/commentisfree/2006/dec/18/christmas.comment The Guardian, 18 de dezembro de 2006, "In a world that is running out of time, we need theories. So hooray for me, because I've got one"]''
 
*No século XVIII, uma revolução do pensamento, conhecida como o Iluminismo, tirou-nos da superstição e brutalidade da Idade Média e levou-nos para uma era moderna de ciência, racionalismo e democracia. Alterou tudo. Se não fosse o Iluminismo, não estaria a ler isto agora. Estaria vestido com uma bata a atirar nabos a uma bruxa. Sim, o Iluminismo foi um dos progressos mais importantes desde a invenção da roda. E é por isso que estamos a tentar dar cabo disso tudo.
 
*Bem-vindos a uma nova e perigosa era: o Desiluminismo, na qual séculos de pensamento racional são anulados por idiotas. Idiotas supersticiosos. Estão por todo o lado, a ler horóscopos, a comprar medicamentos homeopáticos, a consultar videntes, a dizer disparates sobre "chakras" e "energias curativas", a rezar a deuses imaginários e a trocar a ciência por tolices próprias de babões. Porém, em vez de esbofetearmos essas pessoas com força na cara até que comecem a comportar-se como adultos, encorajámo-las. Temos de respeitar as suas crenças, pelos vistos.
 
::- ''“In the 18th century, a revolution in thought, known as the Enlightenment, dragged us away from the superstition and brutality of the Middle Ages toward a modern age of science, reason and democracy. It changed everything. If it wasn't for the Enlightenment, you wouldn't be reading this right now. You'd be standing in a smock throwing turnips at a witch. Yes, the Enlightenment was one of the most significant developments since the wheel. Which is why we're trying to bollocks it all up.''
 
::-''Welcome to a dangerous new era - the Unlightenment - in which centuries of rational thought are overturned by idiots. Superstitious idiots. They're everywhere - reading horoscopes, buying homeopathic remedies, consulting psychics, babbling about "chakras" and "healing energies", praying to imaginary gods, and rejecting science in favour of soft-headed bunkum. But instead of slapping these people round the face till they behave like adults, we encourage them. We've got to respect their beliefs, apparently.”''
::-[https://www.theguardian.com/theguide/columnists/story/0,,2145124,00.html The Guardian, 11 de agosto de 2007, "Charlie Brooker's screen burn"]
 
* Deixem-me falar diretamente com os membros da multidão enfurecida que odeia a [[w:Rebecca Black|Rebecca Black]]. Caros imbecis, graças ao vosso trabalho árduo, a Rebecca Black que vocês rejeitaram por ser uma aspirante desesperada é agora uma mega-estrela. Vejam, aqui está ela numa edição brilhante do ''[[w:The Tonight Show''|The Tonight Show]]'' com o [[w:Jay Leno|Jay Leno]], tal como vocês nunca estarão. Vêem? Ela é famosa. Não querem uma fotografia deste momento para pendurar na vossa parede? Assim, podem olhar para ela todas as manhãs antes de irem trabalhar com o uniforme merdoso da mega cadeia de hambúrgueres a que estão presos para sempre, a vender ''Happy Meals'' com a cara da Rebecca Black. E, enquanto os entregam aos clientes que, acertadamente, olham para vocês como se não fossem nada, vão ouvir a música da Rebecca Black em loop no sistema de som da loja, enquanto se escravizam cinco dias por semana por trás de um balcão de segunda a sexta. Sexta. Vocês têm de se baixar à Sexta porque é o dia de limpar a porra do chão.