Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 14h37min de 3 de julho de 2018
 
* Através do papel, de repartições e funcionários, foi criado um mundo de onde desapareceu o calor humano, onde um homem entra em contacto com outro apenas após atravessar um labirinto de formalidades. O oficial alemão que falou suavemente ao ouvido do meu camarada sentiu que podia agir daquela forma porque a dor que tinha infligido fazia parte dos seus deveres oficiais e, assim, não foi feito nenhum mal concreto. Em resumo, já não morremos, amamos ou matamos a não ser por delegação. Tal é feito sob o nome de, se não me engano, "boa organização".
::- ''"OUR NORMAL CONDITION?", MANAS Journal, VOLUME XL, NO. 51, 23 de dezembro de 1987
 
* A crise passa ainda pela substituição de homens reais por homens políticos. Já não é possível possuir paixão individual, apenas coletiva, ou seja, paixões abstratas. Quer se goste ou não, é impossível evitar a política. Já não importa se respeitamos ou evitamos o sofrimento de uma mãe, o que importa é garantir o triunfo de uma doutrina. Já não se considera o sofrimento humano um escândalo, é apenas mais uma variável numa conta cujas somas terríveis ainda não foram calculadas. É claro que estes sintomas distintos podem ser resumidos como algo que pode ser descrito como o culto da eficiência e da abstração. É por isso que os europeus de hoje conhecem apenas a solidão e o silêncio. Já não conseguem comunicar uns com os outros através de valores partilhados. E, visto que já não estão protegidos por respeito mútuo com base nesses valores, a sua única escolha é tornarem-se vítimas ou carrascos.
::- ''"OUR NORMAL CONDITION?", MANAS Journal, VOLUME XL, NO. 51, 23 de dezembro de 1987