Abrir menu principal

Alterações

1 144 bytes adicionados ,  11h58min de 19 de dezembro de 2016
m
sem resumo de edição
*“Ainda bem que a gente só visita [[museu]]s na [[lua-de-mel]]. Depois, nunca mais! Na [[verdade]], falta à [[vida]] a [[monotonia]] dos museus. Há [[dia]]s que são dignos de moldura, embora ao mesmo tempo se mostrem tão ricos de sons conflitantes, linhas, cores e luzes que ardem, e por isso não entediam.”
::- ''[[Italo Svevo]], em "A consciência de Zeno"
 
* "Meu olhar, enfarado e distraído, viu enfim chegar o século presente, e atrás deles os futuros. Aquele vinha ágil, destro, vibrante! cheio de si, um pouco difuso, audaz, sabedor, mas ao cabo tão miserável como os primeiros, e assim passou e assim passaram os outros com a mesma rapidez e igual [[monotonia]]."
:- ''[[ Machado de Assis]], in: [[Memórias Póstumas de Brás Cubas]], Capítulo VII; veja ([[s:Memórias Póstumas de Brás Cubas/VII|wikisource]])
 
"Achava que tudo isso lhe concedia o direito de permanecer ocioso, julgando-se privado de toda e qualquer perspectiva de futuro, incapaz de encontrar um ponto de apoio para apegar-se às coisas da vida ordinária. Assim, abandonando-se inteiramente aos próprios sentimentos, às idéias extravagantes, e, ao mesmo tempo, a uma paixão sem remédio; na eterna e dolorosa [[monotonia]] de suas relações com a criatura amada, junto da qual encontrava repouso; lutando violentamente contra suas forças, consumindo-as sem objetivo e sem esperança, dia a dia caminhava Ele para um fim lamentável."
::- [[Johann Wolfgang von Goethe]] in: [[Sofrimentos do Jovem Werther, Os]]
 
{{w}}