Aurélio Agostinho: diferenças entre revisões

223 bytes adicionados ,  17h48min de 15 de junho de 2016
sem resumo de edição
mSem resumo de edição
Sem resumo de edição
 
* "Quem não nos ensina, ainda que nos fale, é como se não nos falasse."
::- ''AGOSTINHO, Santo. O Homem e o Tempo. In: Confissões. Trad. J. Oliveira Santos, S.J., e A. Ambrósio de Pina, S.J. São Paulo: Nova Cultural, 2004. p.240.''
 
* "Tarde te amei, [[Beleza]] tão antiga e tão nova, tarde te amei! Eis que estavas dentro de mim, e eu lá fora, a te procurar! Eu, disforme, me atirava à beleza das formas que criaste. Estavas comigo, e eu não estava em ti. Retinham-me longe de ti aquilo que nem existiria se não existisse em ti. Tu me chamaste, gritaste por mim, e venceste minha surdez. Brilhaste, e teu esplendor afugentou minha cegueira. Exalaste teu [[perfume]], respirei-o, e suspiro por ti. Eu te saboreei, e agora tenho [[fome]] e sede de ti. Tocaste-me, e o [[desejo]] de tua [[paz]] me inflama.
::- [[Santo Agostinho]] in: Solilóquio de amor; [http://img.cancaonova.com/noticias/pdf/277537_SantoAgostinho-Confissoes.pdf Confissões de Santo Agostinho], Livro Décimo, Capitulo XXVIII
 
* "Ao punir os pecadores, Deus não lhes inflige mal proveniente de si próprio, mas abandona-os aos males derivados deles mesmos."
::- ''AGOSTINHO, Santo. Comentário aos Salmos. São Paulo: Paulus, 1997. v. 1. p.54.''
 
==Disputadas==
31

edições