Abrir menu principal

Alterações

4 bytes adicionados ,  16h15min de 24 de dezembro de 2015
sem resumo de edição
:::- [[Cícero]] in: Pro Publio Sestio; Chapter XLV
 
* Uma nação pode sobreviver a seus tolos, e mesmo ao ambicioso. Mas não pode sobreviver à traição de dentro. Um inimigo nas portas é menos formidável, porque é conhecido e leva sua bandeira abertamente. Mas o traidor move-se entre aqueles dentro da porta livremente, seus sussurros manhosos que rustlingfarfalham através de todas asos aléiasseus becos, ouvidas nos próprios corredores do próprio governo. Para o traidor aparece não um traidor; ele fala em um tom familiar a suas vítimas, e ele usa sua face e os seus argumentos, ele apela para a baixeza que encontra-se profundamente nos corações de todos os homens. Ele apodrece a alma de uma nação, ele trabalha secretamente e desconhecido na noite para minar os pilares da cidade, ele infecta o corpo político para que ele não pode mais resistir. Um assassino é menos a temer."
 
::- “A nation can survive its fools, and even the ambitious. But it cannot survive treason from within. An enemy at the gates is less formidable, for he is known and carries his banner openly. But the traitor moves amongst those within the gate freely, his sly whispers rustling through all the alleys, heard in the very halls of government itself. For the traitor appears not a traitor; he speaks in accents familiar to his victims, and he wears their face and their arguments, he appeals to the baseness that lies deep in the hearts of all men. He rots the soul of a nation, he works secretly and unknown in the night to undermine the pillars of the city, he infects the body politic so that it can no longer resist. A murderer is less to fear.”
Utilizador anónimo