Diferenças entre edições de "Michel de Montaigne"

380 bytes adicionados ,  12h55min de 12 de novembro de 2014
Índice + seção obras + seção ligações externas + (w)
(Novas citações.)
(Índice + seção obras + seção ligações externas + (w))
| Wikisource =fr:Michel de Montaigne
| Wikipedia =Michel de Montaigne
| Wikicommons =Michel de Montaigne
| Gutenberg =Montaigne
| Cervantes =Montaigne
| DominioPu =337
| DomiPubli =
| EbooksG =
| Cor = #c0c0c0
}}
'''[[w:Michel Eyquem de Montaigne|Michel Eyquem de Montaigne]]''' ''([[28 de Fevereiro]] de [[1533]], château de Montaigne, no Périgord - [[13 de Setembro]] de [[1592]], no mesmo lugar), escritor e ensaistaensaísta francês, considerado por muitos como o inventor do ensaio pessoal.''
----
 
* "Viver é o meu [[trabalho]] e a minha [[arte]]."
::- ''Mon métier et mon art, c'est vivre
:::- ''Essais - [http://books.google.com.br/books?id=VSoaAAAAYAAJ&pg=PA212 Página 212], [[Michel de Montaigne]] - Périsse Frères, 1847 - 526 páginas
 
* "A palavra é a metade de quem a pronuncia, metade de quem escuta".
::- ''(Ensaios, Livro III, Capítulo XIII - "Da experiência")''
 
* "Ensinar os homens a morrer é ensiná-los a viver".
::- ''(Ensaios, Livro I, Capítulo XX - "De como filosofar é aprender a morrer")''
 
* "Meditar sobre a morte é meditar sobre a liberdade; quem aprendeu a morrer, desaprendeu de servir; nenhum mal atingirá quem na existência compreendeu que a privação da vida não é um mal; saber morrer nos exime de toda sujeição e coação."
::- ''(Ensaios, Livro I, "De como filosofar é aprender a morrer)''
 
* "Cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra."
::- ''(Ensaios, Livro I, "Dos canibais")''
 
*"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade."
::- ''Et ne feut iamais au monde deux opinions pareilles, non plus que deux poils, ou deux grains : leur plus universelle qualité , c'est la diversité.
:::- ''Essais: avec des sommaires analytiques, et les notes de tous les commentateurs; precedes de la preface de Mademoiselle de Gournay et d'un pr℗ecis de la vie de Montaigne‎ - [http://books.google.com.br/books?id=trI5AAAAcAAJ&pg=PA330 Página 330], Michel Eyquem de Montaigne, Marie de Jars de Gournay - Tardieu-Denesle, 1828 - 391 páginas
 
* "A [[covardia]] é a [[mãe]] da [[crueldade]]."
::- ''la couardise est mere de la cruauté
:::- ''Les Essais: ensemble la vie de l'autheur et 2 tables‎ - [http://books.google.com.br/books?id=CgY-AAAAcAAJ&pg=PA509 Página 509], Michel Eyquem de Montaigne - 1652
 
* "Existem [[derrota]]s mais triunfantes que as [[vitória]]s".
::- ''aussi y a-il des pertes triomphantes à l'envi des victoires.
:::- ''Les Essais: Donnez Sur Les Plus Anciennes Et Les Plus Correctes Editions: ... Avec des Notes, & de nouvelles Tables Des Matieres beaucoup plus utiles que celles qui avoient paru jusqu'ici, Volume 1 - [http://books.google.com.br/books?id=TpA_AAAAcAAJ&pg=PA214 página 214], Michel Eyquem de Montaigne, Pierre Coste, Editora Societe, 1725, 362 páginas
 
* "Todas as outras [[ciência]]s são nocivas para quem não possui a ciência da [[bondade]].
::- ''Les lois de la conscience que nous disons naître de nature, naissent de la coutume
:::- ''Œuvres de Michel de Montaigne: avec une notice biographique - [http://books.google.com.br/books?id=pd4_AAAAYAAJ&pg=PA798 página 798], Michel de Montaigne, ‎Jean Alexandre C. Buchon, ‎Jean-François Payen - A. Desrez, 1837
 
== Obras ==
=== '''Ensaios''' ===
==== '''Livro 1''' ====
 
* "Se fosse para buscar os favores do mundo, teria me enfeitado de belezas emprestadas. Quero que me vejam aqui em meu modo simples, natural e corrente, sem pose nem artifício: pois é a mim que retrato."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Ao leitor, p. 37, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
* "Ensinar os homens a morrer é ensiná-los a viver".
::- ''(Ensaios, Livro I, Capítulo XX - "De como filosofar é aprender a morrer")''
 
* "Meditar sobre a morte é meditar sobre a liberdade; quem aprendeu a morrer, desaprendeu de servir; nenhum mal atingirá quem na existência compreendeu que a privação da vida não é um mal; saber morrer nos exime de toda sujeição e coação."
::- ''(Ensaios, Livro I, "De como filosofar é aprender a morrer)''
 
* "Cada qual considera bárbaro o que não se pratica em sua terra."
::- ''(Ensaios, Livro I, "Dos canibais")''
 
* "Não é uma alma que se forma, não é um corpo que se forma, é um homem. Não se deve separa-los."
* "Quantas coisas pouco verossímeis existem, testemunhadas por pessoas de fé; se não podemos convencermos, ao menos devemos deixa-las em suspenso; pois condena-las como impossíveis é pretender conhecer, por uma temerária presunção até onde vai a possibilidade."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Liv. I, Cap. XXVI, p. 135, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
 
* "Existem [[derrota]]s mais triunfantes que as [[vitória]]s".
::- ''aussi y a-il des pertes triomphantes à l'envi des victoires.
:::- ''Les Essais: Donnez Sur Les Plus Anciennes Et Les Plus Correctes Editions: ... Avec des Notes, & de nouvelles Tables Des Matieres beaucoup plus utiles que celles qui avoient paru jusqu'ici, Volume 1, Capitre XXX - [http://books.google.com.br/books?id=TpA_AAAAcAAJ&pg=PA214 página 214], Michel Eyquem de Montaigne, Pierre Coste, Editora Societe, 1725, 362 páginas
 
* "O que deveis procurar não é mais do que o mundo fala de vós, mais como deves falar de vós mesmo."
* "Fastidiosa enfermidade, a de se crer tão forte a ponto de persuadir-se de que não é possível acreditar no contrário."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Liv. I, Cap. LVI, p. 184, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
 
==== '''Livro 2''' ====
 
* "Viver é o meu [[trabalho]] e a minha [[arte]]."
::- ''Mon métier et mon art, c'est vivre
:::- ''Essais, Livre II, Chapitre "De l'exercitation", - [http://books.google.com.br/books?id=VSoaAAAAYAAJ&pg=PA212 Página 212], [[Michel de Montaigne]] - Périsse Frères, 1847 - 526 páginas
 
* "Mesmo se pudesse me fazer temido, gostaria mais ainda de me fazer amado."
* "Quando se julga uma ação particular é preciso considerar várias circunstâncias, e o homem por inteiro que a produziu, antes de batiza-la."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Liv. II, Cap. XI, p. 269, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
 
* "A [[covardia]] é a [[mãe]] da [[crueldade]]."
::- ''la couardise est mere de la cruauté
:::- ''Les Essais: ensemble la vie de l'autheur et 2 tables‎tables, Livre second, Chapitre‎ XXVII - [http://books.google.com.br/books?id=CgY-AAAAcAAJ&pg=PA509 Página 509], Michel Eyquem de Montaigne - 1652
 
* "Parece a cada homem que ele é a melhor forma da natureza humana: todos os outros devem ser regulados de acordo com ele."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Liv. II, Cap. XXXVII, p. 341, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
 
*"Nunca houve no mundo duas opiniões iguais, nem dois fios de cabelo ou grãos. A qualidade mais universal é a diversidade."
::- ''Et ne feut iamais au monde deux opinions pareilles, non plus que deux poils, ou deux grains : leur plus universelle qualité , c'est la diversité.
:::- ''Essais: avec des sommaires analytiques, et les notes de tous les commentateurs; precedes de la preface de Mademoiselle de Gournay et d'un pr℗ecis de la vie de Montaigne‎, Livre II, Chapitre XXXVII - [http://books.google.com.br/books?id=trI5AAAAcAAJ&pg=PA330 Página 330], Michel Eyquem de Montaigne, Marie de Jars de Gournay - Tardieu-Denesle, 1828 - 391 páginas
 
==== '''Livro 3''' ====
* "Os outros formam o homem, e eu o relato."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Liv. III, Cap. II, p. 346, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
* "Não há nada tão belo e legítimo quanto agir como um homem deve agir, nem ciência tão ardua como saber viver esta vida. E de nossas doenças, a mais selvagem é desprezar nosso ser."
::- ''Montaigne, [http://www.blogdacompanhia.com.br/2010/11/os-ensaios-de-michel-de-montaigne/ Os Ensaios, Uma Seleção (2010)], Liv. III, Cap. XIII, p. 574, Org. M. A. Screech, Trad. Rosa Freire D'aguiar.''
 
* "A palavra é a metade de quem a pronuncia, metade de quem escuta".
::- ''(Ensaios, Livro III, Capítulo XIII - "Da experiência")''
 
 
 
*"Os homens só consideram útil o que oferece dificuldade. A facilidade enche-os de suspeitas." {{carece de fontes}}
== Ligações Externas ==
 
[http://www.bribes.org/trismegiste/montable.htm Os Ensaios de Montaigne Online e Completos em Francês]
{{ref-section}}
[[Categoria:Pessoas]]
479

edições