Abrir menu principal

Alterações

22 bytes removidos ,  23h13min de 14 de maio de 2014
==== Capítulo 1====
 
:''[primeiras linhas]'' *MUITOS anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo. Macondo era então uma aldeia de vinte casas de barro e taquara, construídas à margem de um rio de águas diáfanas que se precipitavam por um leito de pedras polidas, brancas e enormes como ovos pré-históricos. O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome e para mencioná-las se precisava apontar com o dedo.
 
:*As crianças haviam de recordar o resto da vida a augusta solenidade com que o pai se sentou na cabeceira da mesa, tremendo de febre, devastado pela prolongada vigília e pela pertinácia da suaimaginaçãosua imaginação, e revelou a eles a sua descoberta:
:— A terra é redonda como uma laranja
 
:*Só quando começou a desmontar a porta do quartinho é que Úrsula se atreveu a lhe perguntar por que o fazia, e ele lhe respondeu com certa amargura: “Já que ninguém quer ir embora, nós iremos sozinhos.” Úrsula não se alterou.
:— Nós não iremos — disse. — Ficaremos aqui, porque aqui tivemos um filho.
:— Ainda não temos um morto — ele disse. — A gente não é de um lugar enquanto não tem um morto enterrado nele.
:Se é preciso que eu morra para que vocês fiquem aqui,eu morro.
 
:*Sempre fora assim, alheio à existência dos filhos, em parte porque considerava a infância como um período de insuficiência mental, e em parte porque estava sempre absorto por demais nas suas próprias especulações quiméricas
 
:*Desconcertado, sabendo que os meninos esperavam uma explicação imediata, José Arcadio Buendía atreveu-se a murmurar:
:— É o maior diamante do mundo.— Não — corrigiu o cigano. — É gelo
 
58

edições