Diferenças entre edições de "Mary Daly"

80 bytes adicionados ,  03h17min de 21 de janeiro de 2011
sem resumo de edição
== Obras ==
=== ''The Church and the Second Sex'' (1968) ===
* "Uma [[mulher]] requerir [[igualdade]] na [[igreja]] seria comparável a uma [[negro|pessoa negra]] demandar igualdade na Ku Klux Klan."
:- ''A woman's asking for equality in the church would be comparable to a black person's demanding equality in the Ku Klux Klan.''
::- ''The Church and the Second Sex, novo prefácio autobiográfico (1975)''
 
=== ''Beyond God the Father'' (1973) ===
* "Se [[Deus]] é macho, então o macho é Deus. O patriarca divino castra as mulheres enquanto ele for autorizado a viver na [[imaginação]] humana."
:- ''If God is male, then male is God. The divine patriarch castrates women as long as he is allowed to live on in the human imagination.''
::- ''Beyond God the Father, cap. 1 (1973)''
 
* "O 'plano de Deus' é frequentemente uma fachada para os planos dos [[homens]] e uma coberta para a inadequação, [[ignorância]] e [[maldade]]."
:- ''"God's plan" is often a front for men's plans and a cover for inadequacy, ignorance, and evil.''
::- ''Beyond God the Father, cap. 1 (1973)''
 
* "[[Coragem]] de ser é a chave para o poder revelador da [[revolução]] [[feminismo|feminista]]."
:- ''Courage to be is the key to the revelatory power of the feminist revolution.''
::- ''Beyond God the Father, cap. 1 (1973)''
 
* "Por que de fato 'Deus' deve ser um [[nome]]? Por que não um verbo — o mais ativo e dinâmico de todos?"
:- ''Why indeed must "God" be a noun? Why not a verb — the most active and dynamic of all.''
::- ''Beyond God the Father, cap. 2 (1973)''
 
=== ''Gyn/Ecology: The Metaethics of Radical Feminism'' (1978–1990) ===
* "Bruxas vivem. Mulheres viajando dentro do [[tempo]]/espaço feminista estão criando a Bruxa-ocracia, o lugar que nós governamos. Governar é guiar, pilotar."
:- ''Hags live. Women traveling into feminist time/space are creating Hag-ocracy, the place we govern. To govern is to steer, to pilot.''
::- ''Gyn/Ecology: The Metaethics of Radical Feminism, p. 15 (1978-1990)''
 
* "[M]ulheres sob [[lei|regime]] falocrático são confinadas ao papel de dirigíveis/carregadoras, dirigidas e controladas por homens. Já que esse papel é a básica inversão de base do verdadeiro ser de mulheres que Viajam/Espiralam, quando nós dirigimos nossas próprias Naves/Embarcações nos tornamos inversoras dessa inversão mortal."
:- ''[W]omen under phallocratic rule are confined to the role of vessels/carriers, directed and controlled by men. Since that role is the basic base reversal of the very be-ing of Voyaging/Spiraling women, when we direct our own Crafts/Vessels we become reversers of that deadly reversal.''
::- ''Gyn/Ecology: The Metaethics of Radical Feminism, New Intergalactic Introduction (1978-1990)''
Utilizador anónimo