Diferenças entre edições de "Che Guevara"

2 828 bytes adicionados ,  00h58min de 28 de novembro de 2010
m
+ fontes - sem fontes
m (Bot: Adicionando: sk:Che Guevara)
m (+ fontes - sem fontes)
*"O [[socialismo]] não é uma sociedade beneficente, não é um regime utópico, baseado na bondade do homem como homem. O socialismo é um regime a que se chega históricamente e que tem por base a socialização dos bens fundamentais de produção e a distribuição equitativa de todas as riquezas da sociedade, numa situação de produção social. Isto é, a produção criada pelo [[capitalismo]]: as grandes fábricas, a grande pecuária capitalista, a grande agricultura capitalista, os locais onde o trabalho humano era feito em comunidade, em [[sociedade]]; mas naquela época o aproveitamento do fruto do [[trabalho]] era feito individualmente, pela classe exploradora, pelos proprietários jurídicos dos bens de produção."
::- ''E. Che Guevara - página 172, [[Ernesto Guevara]], Eder Sader - Editora Atica, 1981 - 216 páginas
 
==Atribuídas==
{{sem fontes}}
 
*"Só há uma coisa maior que o amor pela liberdade, é o ódio por quem a tira."
 
* "Não sou Cristo nem filantropo, velha, sou totalmente o oposto de um Cristo (...). Luto pelas coisas em que acredito, com todas as armas ao meu dispor e tento deixar o outro homem morto de modo que eu não seja pregado numa cruz ou em algum outro lugar".
::- ''citado em "Che Guevara - Uma biografia" - [http://books.google.com.br/books?id=apj3tWUKqbAC&pg=PA246 Página 246], Jon Lee Anderson - Editora Objetiva, 1997, ISBN 8573021527, 9788573021523 - 924 páginas
 
*"A [[mercadoria]] é o núcleo econômico do sistema [[capitalista]] e, enquanto ela existir, seus efeitos se farão sentir na organização da produção e, conseqüentemente, na [[consciência]]."
::- ''La mercancía es la célula económica de la sociedad capitalista; mientras exista, sus efectos se harán sentir en la organización de la producción y, por ende, en la conciencia
:::- ''La revolución latinoamericana - página 131, Ernesto Guevara - Editorial Encuadre, 1973 - 188 páginas
 
*"Muitos me chamaram de aventureiro e o sou, só que de um tipo diferente: dos que entregam a pele para provar suas [[verdade]]s."
::- ''La revolución se hace a través del hombre, pero el hombre tiene que forjar día a día su espíritu revolucionario.
:::- ''Obra revolucionaria - página 638, Ernesto Guevara, Roberto Fernández Retamar - Ediciones Era, 1967 - 662 páginas
 
*"O guerrilheiro é um reformador social."
::- ''citado em "Che Guevara - Uma biografia" - [http://books.google.com.br/books?id=apj3tWUKqbAC&pg=PA464 Página 464], Jon Lee Anderson - Editora Objetiva, 1997, ISBN 8573021527, 9788573021523 - 924 páginas
 
*"Não há [[experiência]] mais profunda para o revolucionário que o ato da [[guerra]]."
::- ''E. Che Guevara - página 207, Ernesto Guevara, Eder Sader - Editora Atica, 1981 - 216 páginas
 
*"Nós nos forjaremos na ação cotidiana, criando um [[homem]] novo com uma nova técnica."
::- ''citado em Da guerrilha ao socialismo: a revolução cubana - página 149, Florestan Fernandes - T. A. Queiroz, 1979 - 231 páginas
 
*"A característica fundamental da [[guerrilha]] é a mobilidade."
::- ''Característica fundamental de una guerrilla es la movilidad
:::- ''La guerra de guerrillas: Por Che Guevara - página 28, Ernesto Guevara - Editorial Guemes, 1960 - 211 páginas
 
*"Nós, [[socialista]]s, somos mais livres porque somos mais perfeitos; somos mais perfeitos porque somos mais livres."
::- ''Nosotros, socialistas, somos más libres porque somos más plenos; somos más plenos por ser más libres.
 
:::- ''La revolución latinoamericana - página 147, Ernesto Guevara - Editorial Encuadre, 1973 - 188 páginas
*O revolucionário deve sempre ser integral. Ele deverá trabalhar todas as horas, todos os minutos de sua [[vida]], com um interesse sempre renovado e sempre crescente. Esta é uma qualidade fundamental."
 
*"Não há fronteiras nesta luta de morte, nem vamos permanecer indiferentes perante o que aconteça em qualquer parte do mundo. A vitória nossa ou a derrota de qualquer nação do mundo, é a derrota de todos."
::- ''No hay fronteras en esta lucha a muerte, no podemos permanecer indiferentes frente a lo que ocurre en cualquier parte del mundo; una victoria de cualquier país sobre el imperialismo es una victoria nuestra, así como la derrota de una Nación cualquiera es una derrota para todos.
 
:::- ''Obras, 1957-1967, Volume 2 - página 573, Ernesto Guevara - Casa de las Américas, 1970
*"As tantas rosas que os poderosos matem nunca conseguirão deter a [[primavera]]."
 
*"Não nego a necessidade objetiva do estímulo material, mas sou contrário a utilizá-lo como alavanca impulsora fundamental. Porque então ela termina por impor sua própria [[força]] às relações entre os homens."
::- ''No negamos la necesidad objetiva del estímulo material, sí somos renuentes a su uso como palanca impulsora fundamental. Consideramos que, en economía, este tipo de palanca adquiere rápidamente categoría per se y luego impone su propia fuerza en las relaciones entre los hombres.
:::- ''El libro verde olivo - página 98, Ernesto Guevara - Editorial Diógenes, 1970 - 236 páginas
 
*"Devo dizer, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionário é movido por sentimentos de [[amor]]. É impossível imaginar um autêntico revolucionário sem esta qualidade. Talvez seja um dos grandes dramas do dirigente; este deve unir a um espírito apaixonado uma mente fria, e tomar decisões dolorosas sem que nenhum músculo se contraia. Os nossos revolucionários de vanguarda têm de idealizar esse amor aos [[povo]]s, às causas mais sagrada, e torná-lo único, indivisível. Não podem mostrar a sua pequena dose de carinho cotidiano tal como faz o homem comum."
::- ''Déjeme decirle, a riesgo de parecer ridículo, que el revolucionario verdadero está guiado por grandes sentimientos de amor. Es imposible pensar en un revolucionario auténtico sin esta cualidad. Quizás sea uno de los grandes dramas del dirigente; éste debe unir a un espíritu apasionado una mente fría y tomar decisiones dolorosas son que se contraiga un músculo. Nuestros revolucionarios de vanguardia tienen que idealizar ese amor a los pueblos, a las causas más sagradas y hacerlo único, indivisible. No pueden descender con su pequeña dosis de cariño cotidiano hacia los lugares donde el hombre común lo ejercita.
:::- ''"El Socialismo y el hombre en Cuba", de 12 de março 1965
 
* "Escuta, a voz proletária, crê no homem que chega, crê no futuro que nunca verás ... Acima de tudo terás uma rubra vingança, juro pela exata dimensão dos meus ideais, teus netos viverão a aurora, morre em paz, velha lutadora."
::- ''Escucha, abuela proletaria: cree en el hombre que llega, cree en el futuro que nunca verás. Ni reces al dios inclemente que toda una vida mintió tu esperanza; ni pidas clemencia a la muerte para ver crecer a tus caricias pardas; los cielos son sordos y en ti manda el oscuro, sobre todo tendrás una roja venganza lo juro por la exacta dimensión de mis ideales. Muere en paz, vieja luchadora.
:::- ''Sobre literatura y arte - página 21, Ernesto Guevara - Arte y Literatura, 1997, ISBN 9590300693, 9789590300691 - 106 páginas
 
*"Nasci na Argentina; não é [[segredo]] para ninguém. Sou cubano e também sou argentino, se não se ofenderem os ilustríssimos latino-americanos, me sinto tão patriota da América-Latina, de qualquer país da América-Latina, como qualquer outro e, no momento em que fosse necessário, estaria disposto a entregar minha vida pela libertação de qualquer um dos países latino-americanos, sem pedir nada a ninguém, sem exigir nada, sem explorar ninguém..."
::- ''He nacido en la Argentina; no es un secreto para nadie. Soy cubano y también soy argentino y, si no se ofenden las ilustrísimas señorías de Latinoamérica, me siento tan patriota de Latinoamérica, de cualquier país de Latinoamérica, como el que más y, en el momento en que fuera necesario, estaría dispuesto a entregar mi vida por la liberación de cualquiera de los países de Latinoamérica, sin pedirle nada a nadie, sin exigir nada, sin explotar a nadie.
:::- ''El libro verde olivo - página 203, Ernesto Guevara - Editorial Diógenes, 1970 - 236 páginas
 
==Atribuídas==
* "Não posso ser amigo de quem não compartilha das mesmas idéias que eu"
 
* "Não sou Cristo nem filantropo, velha, sou totalmente o oposto de um Cristo (...). Luto pelas coisas em que acredito, com todas as armas ao meu dispor e tento deixar o outro homem morto de modo que eu não seja pregado numa cruz ou em algum outro lugar".
::- ''citado em "Che Guevara - Uma biografia" - [http://books.google.com.br/books?id=apj3tWUKqbAC&pg=PA246 Página 246], Jon Lee Anderson - Editora Objetiva, 1997, ISBN 8573021527, 9788573021523 - 924 páginas
 
*"O guerrilheiro é um reformador social."
::- ''citado em "Che Guevara - Uma biografia" - [http://books.google.com.br/books?id=apj3tWUKqbAC&pg=PA464 Página 464], Jon Lee Anderson - Editora Objetiva, 1997, ISBN 8573021527, 9788573021523 - 924 páginas
 
*"Nós nos forjaremos na ação cotidiana, criando um [[homem]] novo com uma nova técnica."
::- ''citado em Da guerrilha ao socialismo: a revolução cubana - página 149, Florestan Fernandes - T. A. Queiroz, 1979 - 231 páginas
 
[[Categoria:Pessoas]]