Diferenças entre edições de "José Gomes Pinheiro Machado"

261 bytes adicionados ,  22h20min de 15 de novembro de 2010
m
sem resumo de edição
m
 
* "Na vida do Rio Grande, esse nome representa uma tradição fulgente e equivale a um constante ensinamento cívico. Na vida da República, ele se destaca, em nobre saliência, avultando sempre, dia por dia, pela palavra imaculada e pelo exemplo permanente da mais admirável abnegação de patriota''
:- ''[[Julio de Castilhos]], citado em "Pinheiro Machado" - página 15, Ciro Silva - Editora Universidade de Brasília,1982 - 163 páginas
:- ''[[Julio de Castilhos]]
 
* "Tenho da sua figura galharda de “condottiere” uma dessas imagens que a fantasia se apraz de criar, afeiçoando-a à realidade entre ilogismos de paradoxos e que não se explicam, nem se compreendem. Sei de episódios da vida íntima do chefe gaúcho; coisas de um altruísmo infinito; traços de uma dadivosa alma sensível; gestos de ternura inestimável.”
 
* “Era de si honesto e ninguém ignora que, depois dele, se implantaram aqui, à luz passiva do Cruzeiro, cavernas de ladrões"
:- ''[[Mario Rodrigues]]''
:- ''[[Mario Rodrigues]], citado em "Pinheiro Machado e seu tempo" - página 241, José da Costa Porto - L&PM Editores, 1985, ISBN 8525400459, 9788525400451 - 389 páginas''
 
* "Sua chefia era inconteste, ninguém a disputava no cenário da política nacional. Representante do Partido Republicano Riograndense, jogava com uma força respeitada pela disciplina, coesão e pugnacidade. Viera da constituinte de 1891 e conhecia bem as instituições republicanas, a política e os políticos de todo o Brasil. Foi no seu tempo o político mais completo, ao mesmo tempo em que se mostrava, em todas as circunstâncias, o companheiro dedicado e o amigo leal. Era homem franco. Estimava encontrar a mesma franqueza naqueles com que tratava. De poucas palavras, ia direto ao alvo."