Abrir menu principal

Alterações

10 bytes adicionados ,  21h09min de 5 de novembro de 2010
m
+ fontes - sem fontes
 
* "Cada lágrima ensina-nos uma [[verdade]]".
::- ''[[Ugo Foscolo]]; do prefácio de Didimo Chierico a Laurence Sterne, "[http://books.google.com/books?id=sdA-AAAAIAAJ&dq=%22Viaggio+sentimentale%22+Laurence+Sterne&hl=pt-BR&source=gbs_summary_s&cad=0 Viaggio sentimentale]"
 
* "A sabedoria dos crocodilos consiste em verter lágrimas quando querem devorar."
:::- ''Moral, economical, and political essays - [http://books.google.com.br/books?id=_KIaAAAAYAAJ&pg=PA94 Página 94], [[Francis Bacon]] - T. H. Carter, 1844 - 216 páginas
 
* [[Noite]]. Oh! [[Saudade]]!... A dolorosa rama / Da [[árvore]] aflita pelo [[chão]] derrama / As folhas[[folha]]s, como lágrimas[[lágrima]]s... Lembrar!"
::- ''[[Olavo Bilac]]; na poesia "Ciclo"; (veja texto integral no [[s:Ciclo#quote1|Wikisource]])''
 
* “Fui forçado a me perguntar se eu algum [[dia]] verteria uma lágrima diante dos [[túmulo]]s dos meus [[pai]]s, supondo-se que ainda estivesse [[vida|vivo]] quando de sua [[morte]]s. “
::- ''[[Saul Bellow]], na obra "A Mágoa Mata Mais"''
 
*"As [[lágrima]]s mais amargas derramadas sobre os [[túmulo]]s são pelas [[palavra]]s que não foram ditas e coisas que não foram feitas."
 
* "Quando virar uma [[lágrima]] de aço enferrujado, num canto da roça ou no oitão da casa de taipa, não quero que me sejam [[gratidão|gratos]] - ó gente de pouca [[fé]]. Rogo que cantem uma [[oração]] para que eu possa adormecer em [[paz]] e voltar ao pó da madre, que tanto [[amor|amei]]."
::- ''[[Euclides Neto]]; parte de "Suspiros de uma Enxada", um de seus mais brilhantes textos ''
 
* "Em profunda escuridão se procuraram, [[nudez|nus]], sôfrego entrou nela, ela o recebeu ansiosa, depois a sofreguidão dela, a [[ânsia]] dele, enfim os corpos encontrados, os movimentos, a voz que vem do ser profundo, aquele que não tem [[voz]], o grito nascido, prolongado, interrompido, o soluço seco, a [[lágrima]] inesperada, e a máquina a tremer, a vibrar, porventura não está já na [[terra]], rasgou a [[cortina]] de silvas e enleios, pairou no alto da [[noite]], entre as [[nuvens]], pesa o corpo dele sobre o dela, e ambos pesam sobre a [[terra]], afinal estão aqui, foram e voltaram."
::- ''[[José Saramago]], na obra "Memorial do Convento"''
 
* "Recordei as agitações, as [[lágrima]]s, o acabrunhamento de [[espírito]], as aperturas de [[coração]] que suportei naquele buraco ... Não dou um passo sem encontrar qualquer coisa que me chame a atenção. A um peregrino, na Terra Santa, não se lhe deparam tantos lugares sagrados pelas piedosas [[lembrança]]s, e sua [[alma]] não se enche de tantas e tão santas emoções"
::- ''[[Johann Wolfgang von Goethe]]; [[Os Sofrimentos do Jovem Werther]]''
 
* "Estou à procura de um [[livro]] para ler. É um livro todo especial. Eu o imagino como a um rosto sem traços. Não lhe sei o nome nem o autor. Quem sabe, às vezes penso que estou à procura de um livro que eu mesma escreveria. Não sei. Mas faço tantas [[fantasia]]s a respeito desse livro desconhecido e já tão profundamente amado. Uma das fantasias é assim. Eu o estaria lendo e de súbito, uma frase lida, com [[lágrima]]s nos [[olho]]s diria em êxtase de dor e de enfim libertação: Mas é que eu não sabia que se pode tudo, meu [[Deus]]!"
::- ''[[Clarice Lispector]], na obra "A paixão segundo G.H."''
 
* “Sabia tudo de [[Alexandre, o grande]], e nada de Alessandro, o meu pequenino. Disse que me sentia fraco e precisava dormir. Saíram, eu chorava. As [[lágrima]]s são salgadas. Aqueles de antes já não eram mais meus. Quem sabe, perguntava-me, se alguma vez fui religioso: certamente, de qualquer jeito, perdera a [[alma]].”
::- ''[[Umberto Eco]], na obra "A Misteriosa Chama da Rainha Loana"''
 
* "Todo [[mundo]] então era [[pérfido]], [[mentira|mentiroso]] e [[falsidade|falso]]? E lágrimas lhe vieram aos [[olho]]s, pois choramos sempre a [[morte]] das nossas [[ilusão|ilusões]] com a mesma [[mágoa]] com que choramos os nossos mortos."
::- ''[[Guy de Maupassant]], na obra "Uma Vida"''
 
* "Esse [[Jesus]] hebreu só conhecia ainda as [[lágrima]]s e a [[tristeza]] do hebreu, juntamente com o [[ódio]] dos bons e dos justos; por isso o acometeu o [[desejo]] da [[morte]]. (...) Crede-me, meus irmãos! Morreu cedo demais! retratar-se-ia da sua [[doutrina]] se tivesse vivido até minha [[idade]]! Era bastante nobre para se retratar!
::- ''[[Friedrich Nietzsche]], [[Assim falou Zaratustra]]''
 
* "Nenhum ser humano é uma [[ilha]]... por isso não perguntem por quem os sinos dobram. Eles dobram por cada um, por cada uma, por toda a [[humanidade]]. Se grandes são as [[trevas]] que se abatem sobre nossos [[espírito]]s, maiores ainda são as nossas ânsias por [[luz]]. (...) As [[tragédia]]s dão-nos a dimensão da inumanidade de que somos capazes. Mas também deixam vir à tona o verdadeiramente humano que habita em nós, para além das diferenças de raça, de ideologia e de [[religião]]. E esse humano em nós faz com que juntos choremos, juntos nos enxuguemos as [[lágrima]]s, juntos oremos, juntos busquemos a [[justiça]], juntos construamos a [[paz]] e juntos renunciemos à [[vingança]]."
::- ''[[Leonardo Boff]] in: [http://www.leonardoboff.com/site/vista/2001-2002/manifesto.htm Manifesto pela concórdia e pela paz]''
:- ''[[Leonardo Boff]]''
 
*"Só tenho para oferecer [[sangue]], [[sofrimento]], [[lágrima]]s e [[suor]]."
 
* "Creio no riso e nas [[lágrima]]s como [[antídoto]]s contra o [[ódio]] e o [[terror]]."
::- ''[[Charles Chaplin]]; Chaplin - Vida e Pensamentos - página 114, Martin Claret, 1997''
 
* "[[Lágrima]]sLágrimas e [[queixa]]squeixas - que chamo de 'o [[poder]] das [[água]]ságuas' - podem ser muito úteis para prejudicar a cooperação e reduzir os outros à condição de [[servo]]sservos."
::- ''Tears and complaints - the means which I have called water power - can be an extremely useful weapon for disturbing cooperation and reducing other to a condition of slavery.''
:- ''[[Alfred Adler]]''
:::- ''What Life Should Mean to You‎ - Página 53, de [[Alfred Adler]], Alan Porter - Publicado por Little, Brown, and Company, 1937 - 300 páginas''
 
* “Qual a [[mulher]] que não gosta de ouvir um galanteio, mesmo que seja insincero? Algo que não esqueço foi uma ocasião em que um [[fã]] se abaixou e me [[beijo]]u os [[pé]]s, saindo com [[lágrima]]s nos [[olho]]s.”
:- ''[[Carmen Miranda]]''
 
* "[[Lágrima]]s não são argumentos."
::- ''[[Machado de Assis]], Obra completa, Volume 2‎ - Página 826, J. Aguilar, 1962''
 
* “Não existem tipos de [[amor]], o amor é amor; só existem intensidades de amor. O amor é confiar, aceitar e acreditar, sem garantias. O amor é paciente e espera, mas é uma espera ativa, não passiva. Está se oferecendo continuamente numa revelação mútua, num compartilhar mútuo. O amor é espontâneo e precisa se expressar pela [[alegria]], pela [[beleza]], pela [[verdade]], mesmo pelas lágrimas. O amor vive o momento; não está perdido no passado nem precisa do amanhã. O amor é Agora!”
:- ''[[Leo Buscaglia]]''
 
* "Ó [[mar]] [[salgado]], quanto do teu [[sal]] / São [[lágrima]]s de [[Portugal]]"
::- ''[[Fernando Pessoa]]; Fonte: Poesia "Mar Portuguez", Versos 1 e 2. ''
 
{{wikipedia|Lágrima}}