Diferenças entre edições de "Loucura"

118 bytes removidos ,  20h07min de 30 de maio de 2010
m
+ fontes - sem fontes
m (fontes)
m (+ fontes - sem fontes)
* "Solução melhor é não enlouquecer mais do que já enlouquecemos, não tanto por [[virtude]], mas por cálculo. Controlar essa loucura razoável: se formos razoavelmente loucos não precisaremos desses sanatórios porque é sabido que os saudáveis não entendem muito de loucura. O jeito é se virar em casa mesmo, sem testemunhas estranhas. Sem despesas."
::- ''[[Lygia Fagundes Telles]] in: "A disciplina do amor" - página 28, Ed. O Journal, 1980, 151 páginas
 
* "Não me pergunte se isso tem cabimento... Se tivesse, caberia em algum lugar, e eu então guardaria essa loucura...".
:- ''[[Andréa Muniz]]''
 
* "A minha [[alma]] é presa da mais livre loucura."
:- ''[[Sady Bianchin]]''
 
* "Vão para o diabo sem mim, ou deixem-me ir sozinho para o diabo! Para que haveremos de ir juntos?"
::- ''Poesia‎ - Página 83, [[Fernando Pessoa]], Adolfo Casais Monteiro - AGIR, 1959 - 120 páginas
 
* "O mais incompreensível acerca do mundo é que ele seja compreensível."
* "Loucura é nada mais que o ápice do consentimento."
::- ''[[Albert Einstein]] citado em "Pérolas de um Povo: conceitos, aforismos, máximas, pensamentos, opiniões" - página 21, Egon Wolff, Frieda Wolff - Cemiterio Comunal Israelita, 1987 - 53 páginas''
:- ''[[Kim Neto]]''
 
* "O mais incompreensível do mundo é que ele seja compreensível."
:- ''[[Albert Einstein]]''
 
* "O neurótico constrói um castelo no ar. O psicótico mora nele. O [[psiquiatria|psiquiatra]] cobra o aluguel."