Sagrado: diferenças entre revisões

261 bytes removidos ,  15 de maio de 2010
m
+ fontes
mSem resumo de edição
m (+ fontes)
----
 
 
* "O [[homem]] prudente busca [[refúgio]] no seu [[sagrado]] [[silêncio]], e se mostra a poucos e cordatos."
:- ''[[Baltasar Gracián]]''
 
* "Os [[adversário]]s da [[penalidade]] máxima argúem que é [[sagrado]] o [[direito]] de todos à [[vida]]. Exceto, naturalmente, o direito das [[vítima]]s à vida. O direito à vida não pode ser incondicional. Só devem merecê-lo os que não tiram a vida dos outros."
:- ''[[Roberto Campos]]''
 
* "Sua [[mente]] é um [[espaço]] [[sagrado]] na qual nada de mal pode entrar, exceto com sua permissão!"
 
* "Ao [[coração]] que sofre, separado / do teu, no [[exílio]] em que a chorar me vejo, / Não basta o [[afeto]] simples e [[sagrado]] / Com que das desventuras me protejo."
:- ''[[Olavo Bilac]], no poema [[s:Via Láctea|Via Láctea]]''''
 
* "Cada [[pétala]] ou sépala seja lentamente/ acariciada, [[céu]]; e a vista pouse,/ [[beijo]] [[abstrato]], antes do beijo ritual,/ na [[flora]] pubescente, [[amor]]; e tudo é [[sagrado]]".
:- ''[[Carlos Drummond de Andrade]]'' Poesia Completa In: O Amor Natural, página 1373, Editora Nova Aguilar, 2007
 
* "Tudo o que dorme é [[criança]] de novo. Talvez porque no [[sono]] não se possa fazer mal, e se não dá conta da [[vida]], o maior [[criminoso]], o mais fechado egoísta é sagrado, por uma [[magia]] [[natural]], enquanto dorme. Entre matar quem dorme e matar uma [[criança]] não conheço [[diferença]] que se sinta."
:- ''[[Fernando Pessoa]]'' Livro do desassossego‎ - v.1, Página 52, Publicado por Ática, 1982
 
* "Não vou fugir e nem abandonar a luta desses [[agricultor]]es que estão desprotegidos no meio da [[floresta]]. Eles têm o [[sagrado]] [[direito]] a uma [[vida]] melhor numa [[terra]] onde possam viver e produzir com dignidade sem devastar".
 
* "Este é o [[templo]] da [[inteligência]]. E eu sou o seu [[sacerdote]] mais alto. Sois vós que profanais este [[sagrado]] recinto. Ganhareis, porque possuis mais do que a [[força]] bruta necessária. Mas não convencereis. Porque para convencer é necessário persuadir. E para persuadir é necessário possuir o que vos falta: [[razão]] e [[direito]] em vossa [[luta]]."
:- ''[[Miguel de Unamuno]] citado em "O conflito das idéias" - Página 117, Voltaire Schilling - Editora AGE Ltda, 1999, ISBN 8585627603, 9788585627607 - 199 páginas
:- ''[[Miguel de Unamuno]]''
 
* "Num amplo senso nós não podemos dedicar, não podemos consagrar nem tornar este [[chão]] [[sagrado]]. Os [[homens]] corajosos, vivos e mortos, que lutaram aqui, o consagraram muito além do nosso [[pobre]] [[poder]] de acrescentar ou diminuir."
::- ''But, in a larger sense, we can not dedicate — we can not consecrate — we can not hallow — this ground. The brave men, living and dead, who struggled here, have consecrated it, far above our poor power to add or detract.
:::- ''The Writings of Abraham Lincoln, Vol. 1 of 7‎ - [http://books.google.com.br/books?id=PunjzTAB_8wC&pg=PT80 página 70], [[Abraham Lincoln]], Forgotten Books, ISBN 1606802305, 9781606802304
 
* "Devemos dar um fim, de uma vez por todas, à [[fábula]] acerca do [[caráter]] [[sagrado]] da [[vida ]] humana".
:- ''[[Leon Trotsky]]''
 
* "O [[teatro]] me liga ao [[sagrado]]"