Abrir menu principal

Alterações

12 bytes removidos ,  13h10min de 11 de janeiro de 2010
* “Quem lê Euclides da Cunha, desde o primeiro momento vê que há dois Brasis: um inclemente, e outro vítima das inclemências.”
:: Antonio Houaiss, filólogo, linguista e bibliólogo (livro ''Euclidianos e Conselheiristas'': Um Quarteto de Notáveis)
* [acerca da repercussão de Os Sertões]: “Euclides dormiu obscuro e acordou célebre.” (discurso de recepção de Euclides na Academia Brasileira de Letras)
:: Silvio Romero, crítico literário brasileiro
 
Utilizador anónimo