O Hobbit: diferenças entre revisões

1 521 bytes adicionados ,  16 de dezembro de 2009
sem resumo de edição
Sem resumo de edição
Sem resumo de edição
----
*"Numa toca no chão vivia um hobbit. Não uma toca desagradável, suja e úmida, cheia de restos de minhocas e com cheiro de lodo, tampouco uma toca seca, vazia e arenosa, sem nada em que sentar ou o que comer: era a toca de um hobbit, e isso quer dizer conforto."
:- ''"Narrador"''
 
 
*"Copos trincados e pratos partidos! <br>Facas cegas, colheres dobradas! <br>É isso que em Bilbo causa gemidos - <br>Garrafas em cacos e rolhas queimadas! <br>Pise em gordura corte a toalha!<br>Sobre o tapete jogue os ossinhos!<br>O leite entornado no chão se coalha!<br>Em cada porta há manchas de vinho!<br>Jogue esta louça em água fervente;<br>Soque bastante com esse bastão;<br>Se nada quebrar por mais que se tente;<br>Faça rolar, rolar pelo chão!<br>Isso é o que Bilbo Bolseiro detesta!<br>Cuidado! Cuidado com os pratos da festa!"
:- ''Os anões na casa de Bilbo''
 
 
*"Para além das montanhas nebulosas, frias,
Adentrando cavernas, calabouços cravados,
Devemos partir antes de o sol surgir,
Em busca do pálido ouro encantado.
Operavam encantos anões de outrora,
Ao som de martelo qual sino a soar
Na profundeza onde dorme a incerteza,
Em antros vazios sob penhascos do mar.
Para o antigo rei e seu elfo senhor
Criaram tesouros de grã nomeada;
As pessoas plasmaram, a luz captaram
Prendendo-a nas gemas do punho da espada.
Em colares de prata eles juntaram
Estrelas floridas; fieram coroas
De fogo-dragão e no mesmo cordão
Fundiram a luz do sol e da lua.
Para além das montanhas nebulosas, frias,
Adentrando cavernas, calabouços perdidos,
Devemos partir antes de o sol surgir
Buscando tesouros há muito esquecidos.
Para seu uso taças foram talhadas
E harpas de ouro. Onde ninguém mora
Jazeram perdidas e suas cantigas
Por homens e elfos não foram ouvidas.
Zumbiram pinheiros sobre a montanha,
Uivaram os ventos em noites azuis.
O fogo vermelho queimava parelho,
As árvores-tochas e fachos de luz.
Tocaram os sinos chovendo no vale,
Erguiam-se pálidos rostos ansiosos;
Irado o dragão feroz se insurgira
Arrasando casas e torres famosas.
Sob a luz da lua fumavam montanhas;
Os anões ouviram a marcha final.
Fugiram do abrigo achando o inimigo
E sob seus pés a morte ao luar.
Para além das montanhas nebulosas, frias,
Adentrando cavernas, calabouços perdidos,
Devemos partir antes de o sol surgir
Buscando tesouros há muito esquecidos.
:- ''Os anões na casa de Bilbo''
 
 
{{wikipedia|O Hobbit}}
13

edições