Eduardo Alves da Costa

poeta brasileiro
Eduardo Alves da Costa em outros projetos:

Eduardo Alves da Costa (Niterói, Rio de Janeiro, 6 de março de 1936) é um escritor e poeta brasileiro. Sua obra mais famosa é o poema "No Caminho, com Maiakóvski", que virou símbolo na luta contra a ditadura militar brasileira e foi erroneamente atribuída ao escritor russo homônimo.

PoemasEditar

  • No Caminho, com Maiakóvski

"Tu sabes,
conheces melhor do que eu
a velha história.
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada."

- Fonte: Os Cem Melhores Poetas Brasileiros do Século, José Nêumanne Pinto (org.), pag. 218.


  • A Cama de Pregos

"Tenho o corpo varado de angústias
e não encontro posição de repouso.
Porque aos de minha geração
foi dado existir numa cama de pregos,
entre o espasmo e o grito,
antes da primeira frase se fazer orvalho
contra as paredes da cela.
Não há possibilidade de fuga
para nosso instinto."

- Fonte: No caminho, com Maiakóvski: poesia reunida, Eduardo Alves da Costa, Geração Editorial, 2003. Disponível no Google Livros.

CitaçõesEditar

  • "O poema saiu em jornais universitários, nos anos 70. O psicanalista Roberto Freire incluiu em um livro dele e deu crédito ao russo e me colocou como tradutor. Mas já encomendei da França a obra completa do Maiakóvski. Quando alguém me questionar, entrego os cinco volumes e mando achar o poema lá."
- Explicando o enagno sobre a autoria do poema em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo em 20 de setembro de 2003. Disponível no Jornal de Poesia