Abrir menu principal
Danica Patrick
Danica Patrick
Danica Patrick em outros projetos:

Danica Sue Patrick (25 de março de 1982) é uma piloto de automobilismo norte-americana que compete desde 2005 na Indy Racing League.

VerificadasEditar

 
“Não gostaria de correr na Fórmula 1. Já tive a oportunidade de me aproximar da categoria, mas ir para lá é algo que não está no meu coração”
 
“Acho que sou, definitivamente, apenas parte de uma onda de mulheres que fazem coisas diferentes, fora do mundo normal”
 
“Acho que o fato de eu ser mulher não será esquecido. Ser feminina e fazer ensaios de fotos sempre atrairão críticas. Acho que isso faz parte: quanto mais você é popular, mais notícias você vai gerar, sejam elas boas ou ruins”
  • A primeira pessoa que eu vi depois do acidente foi Jaques, e isso não foi uma coisa boa. Eu o confrontei, disse a ele o que eu sentia, como eu estava brava com ele. Mas Lazier tem algum tipo de problema. Ele tem problemas há muitos anos e bate em todas as corridas.
- Sobre o acidente com Jaques Lazier no Grande Prêmio de Fontana de 2005 da IRL.
- Fonte: UOL Esporte[1]
  • Eu não fiz isso. Não, não. Eu gritei com ele, eu definitivamente fiz isso, mas eu não bati nele. Agora, ele vai dizer realmente que levou uns tapas de uma garota."
- Negando ter agredido o piloto Jaques Lazier depois de se chocarem no Grande Prêmio de Fontana de 2005 da IRL.”
- Fonte: UOL Esporte[2]
  • Não sei se ele estava falando de mais alguém ou sobre a maioria, ou se essa é a sua real opinião. Se isso for mesmo o que ele pensa, não faz diferença, porque corro na Indy Racing League e não na F-1
- Segundo a piloto, Bernie Ecclestone ligou para parabenizá-la pelo desempenho nas 500 Milhas de Indianápolis e disse a ela que "as mulheres deveriam se vestir de branco como os utensílios domésticos".
- Fonte: Terra. Data: 23 de junho de 2005.[3]
  • Isso poderia dar certo?. Se eu aceitar a proposta, irá me atrapalhar na atual temporada da F-Indy? Irá atrapalhar minhas prioridades? Irá me deixar cansada? E, finalmente, isso (competir na F1) é uma coisa que eu realmente desejo fazer? Se eu chegar lá e nada der certo, só terei me exposto às críticas.
- Sobre as especulações a respeito de sua suposta ida para a Fórmula 1.
- Fonte: Revista Racing em março de 2009[4]
  • Não gostaria de correr na Fórmula 1. Já tive a oportunidade de me aproximar da categoria, mas ir para lá é algo que não está no meu coração
- Sobre as especulações a respeito de sua suporta ida para a Fórmula 1.
- Fonte: entrevista ao jornal norte-americano Los Angeles Times em julho de 2009[5]
  • Acho que sou, definitivamente, apenas parte de uma onda de mulheres que fazem coisas diferentes, fora do mundo normal. Isso só mostra que podemos fazer qualquer coisa. Atualmente, há muito mais equilíbrio entre os sexos do que nunca. Sou parte de algo muito maior.
- Respondendo à pergunta: Sua vitória em Motegi foi muito importante para sua carreira. Mas o que você acha que ela significou para as mulheres?
- Fonte: GLOBOESPORTE.COM[6]
  • Sim. Acho que foi por isso que chorei muito após cruzar a linha de chegada. Conseguir um objetivo de anos me deixou muito orgulhosa e aliviada. Tento fazer o melhor dentro de um carro de corrida. Por isso, tento fazer com que a pressão não me afete. Tento ficar tranquila e focar no meu trabalho.
- Respondendo a pergunta: Está aliviada após a vitória (no GP Japão 2008)?
- Fonte: GLOBOESPORTE.COM[7]
  • Acho que o fato de eu ser mulher não será esquecido. Ser feminina e fazer ensaios de fotos sempre atrairão críticas. Acho que isso faz parte: quanto mais você é popular, mais notícias você vai gerar, sejam elas boas ou ruins
- Respondendo à pergunta: Agora você acha que a imprensa vai dar mais atenção à sua habilidade?
- Fonte: GLOBOESPORTE.COM[8]
  • “Se há algo que é importante para mim é ter prazer naquilo que faço. Penso que a atmosfera que reina na Fórmula 1 é menos cordial do que a das corridas americanas.”
- Sobre a diferença entre a atmosfera da F1 e da IndyCar Series.
- Fonte: Autosport.pt em Maio de 2010[9]

SobreEditar

  • Não sou um símbolo sexual. Não quero mostrar isso. Seguramente sou uma mulher em um mundo dominado por homens, mas não quero posar de biquíni em cima do carro. Estou aqui porque trabalhei muito, não por ter exibido meu corpo.
- Natacha Gachnang ao ser perguntada sobre as comparações com Danica.
- Fonte: Entrevista ao site swissinfo.ch, de 29 de Maio de 2009 - 17:25[10]

Ver tambémEditar

Referências