Abrir menu principal

CORPO é um livro de poemas do escritor Carlos Drummond de Andrade , nascido em Itabira (Minas Gerais) em 1902,morto no Rio de Janeiro em 1987. As citações aqui referidas foram tiradas da edição CORPO, novos poemas, 8ª edição, Editora Record (Rio de Janeiro), 1984, 124 p.

Carlos Drummond de Andrade, faz parte dos poetas do segundo Modernismo. Luciana Stegagno Picchio , escreveu em 1981, que ele ‘’era o maior poeta do Brasil (...) que ele soube conservar através de suas experiências(engajamento político de esquerda durante os anos de 1940, em seguida seu distanciamento irônico e desencantado), sua fidelidade aos programas dos anos modernistas :Trabalhar a realidade com mãos puras”. La Littérature Brésilienne, P.U.F., 1981, p. 111, ISBN 2-13-036796-8.’’


  • "Meu corpo não é meu corpo, é ilusão de outro ser. Sabe a arte de esconder-me e é de tal modo sagaz que a mim de mim ele oculta”.
- Capítulo As Contradições do Corpo, página 7
  • "Meu corpo inventou a dor afim de torná-la interna, integrante do meu Id, ofuscadora da luz que aí tentava espalhar-se."
- Capítulo As Contradições do Corpo, página 8
  • "Quero romper com meu corpo, quero enfrentá-lo, acusá-lo, por abolir minha essência, mas ele sequer me escuta e vai pelo rumo oposto."